Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Karina Bispo

Membros
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Brasil - Floripa, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Porto Seguro
  • Próximo Destino
    2012 - Autralia - Sidney
  1. E ai Caiusko, beleza? Sim, fiz este mês o percurso. Sai de Philadelphia e fui de onibus até Conway (12 horas de busão) pela compania Greyhound. As trilhas tem que fazer obrigatoriamente de carro, a minha sorte é que no Hostel em que eu fiquei tinha uma galera que estava fazendo trilhas e aí peguei carona. Para os percursos mais "pertos" dá para chamar um taxi (se não tiver enganada são dois dolares por milha + dez dolares por deslocamento do taxi. Tem muita trilha legal por lá, espero que o seu condicionamento esteja bom pq as subidas são bem puxadas. Fiquei nesse hostel aqui: White Mountains Hostel Durante a semana a cidade é bem vazia, mas de final de semana tem bastante turistas , principalmente americano que pega o fds para curtir as trilhas.
  2. Galerinha! Preciso saber se alguém já se aventurou por essas bandas e possa me dar valiosas dicas. Detalhe, estarei indo de New York para lá de busão, também precisava saber como é essa locomoção.. Agradeço desde já
  3. Opa, mochileiros! Esse daqui é o meu relato sobre minha viagem de 11 dias na Ilha Sul da Nova Zelandia, para quem está afim das informacoes sobre link dos albergues que fiquei e o nome das companias de transporte aereo e terreo, siga diretamente ao final do texto, está tudo lá Os lugares que eu visitei sao, Wellington (Capital da Nova Zelandia), Queenstown, Wanaka, Fox Glacier e Christchurch. A viagem começa à partir de Auckland para Wellignton, são exatamente 10 horas de viagem via onibus, fui pela Intercity, para quem tem carteirinha de estudante (que é fornecido pela escola de inglês) tem desconto, a rodoviaria fica no mesmo quarteirao da Sky Tower. A minha melhor dica é, alugue um carro, além de ser mais comodo, você consegue visitar mais lugares. No meu caso, não tenho habilitação, noção nenhuma de direção, aí tive que fazer todo o trajeto com todos os meios de transporte possiveis, trem, onibus, aviao, carona. E a passagem de onibus rodoviario é um pouco pesado para o nosso bolso. enfim.. mochileiro se vira com o que tem pra hoje e no meu caso não seria diferente. O pessoal daqui é extremamente pontual, portanto, não façam como eu, que cheguei 3 minutos atrasada, quase perdi o onibus e ainda levei uma bronca do motorista, só não fiz cara de choro, mas a chamada de atenção que ele me deu foi foda. No onibus não é permitido comer e nem beber nada, portanto, se for faze-lo, fique bem longe da visão do motorista, no ticket não vem específico o número do assento, portanto, se você quiser pegar a janelinha a viagem toda, não tem problema. Acredito que no dia, estava drogada ou algo do genero, porque houve um certo momento em que entendi o motorista dizendo que havia chegado e peguei minhas coisas e desci do onibus, como estava tarde, resolvi pegar um taxi até o hostel, o taxista disse que aquela cidade não era Wellington, quando olho o onibus indo embora, nem dava tempo de correr atrás. Mesmo com dificuldade em falar em inglês porque estava extremamente nervosa, o motorista do taxi me deu uma carona.. (isso mesmo! acho que devo ter feito aquela cara de cachorro sem dono e lá fomos nós atrás do busão, na boa, acho que andamos uns 20 minutos de carro e ele não me cobrou absolutamente nada). A parte mais engraçada foi o motorista me olhando com aquela cara de interrogação e eu esperando ele me dar mais uma bronca, mas no final ele entendeu que eu fiz uma grande besteira, não me falou absolutamente nada e fiquei quietinha no meu assento..rsrs Wellington (capital da Nova Zelandia) é extremamente linda, pontos para se visitar: O parlamento - a visita é feita a cada uma hora e de graça, infelizmente não pode tirar foto durante a visita, mas vale muito a pena, sem falar que dá para treinar o inglês (como eu ainda estava me familiarizando com o ingles dos kiwi e meu ingles tambem não era aquelas coisas, aí não peguei muita coisa). O igreja Old St Paul's fica próxima ao Parlamento,ela é feita de toda de madeira, é uma igreja católica, independente de religião, achei um lugar bem bonito e como acredito que Deus está em todo o lugar, aproveitei para agradecer pela viagem . O museu Te Papa Tongarewa possui 5 andares, gratuito, quando eu fui, havia somente uma sessão que era paga, era uma sala de cinema 3D e com aquelas cadeiras de vibram. O lugar mais bonito de Wellignton é o Jardim Botanico, não tem como descrever o jardim, tem que ir para ver, a parte mais legal é quando você anda entre as flores e sente o perfume delas.. (sim, é algo simples, mas você se sente muito bem nesse jardim). Próximo ao Jardim tem o planetário, estudante tem desconto para a sessão do cinema, não me recordo o valor que paguei, mas não é caro e vale muito a pena, porque o filme é projetado no teto, simulando o céu, muito da hora. Todos esses lugares ficam no centro, portanto, você consegue fazer tudo a pé, apenas para ir no Weta Caves (uma loja que tem um set de filmagem dos Senhor dos Aneis e alguns bonecos em miniatura e bonecos do tamanho de um adulto dos principais personagens do Senhor dos Aneis) é necessário pegar onibus. Fiquei num albergue da juventude, localizado no centro, o pessoal bem atencioso e me deram todas as dicas de lugares para visitar na cidade, recomendo o albergue. QUEENSTOWN De Wellington, peguei um avião para Queenstown. Até agora, um dos lugares mais bonitos que visitei na Ilha Sul, a paisagem é tão linda que você não tem idéia para onde olhar, você tem montanha com neve ao topo, floresta, um enorme lago azul e uma "prainha" artificial. Queenstown, é capital dos esportes radicais, e o valor para praticar os esportes radicais é ligeralmente salgado, portanto, se sua intenção for praticar bungy jump, salto de paraqueda entre outros, guarde um valor entre 1000 reais ou mais. Entrei num site que vende combo de esportes radicais, acho que vale mais a pena, mas a parte que mais curti foi voar de helicoptero, se pudesse trocaria meu bungy jump por mais um passeio de helicoptero sem nenhuma dúvida, curti a parte do bungy, mas dá muito medo, depois que você se joga beleza, mas até você pegar a tal coragem para se jogar ... enfim, foi uma experiência bacana, no entanto, acho que não faço novamente. O albergue que fiquei até agora, foi o melhor de todos os que eu fiquei, tudo era incluso, os quartos tem Tv com dvd, varios filmes, se você quiser andar de bike pela cidade, pode pegar a bike do albergue sem pagar nada, internet à vontade, nos demais albergues que fiquei, você tinha que pagar 2 dollares para usar apenas 10 minutos de internet, em 10 minutos você não faz absolutamente nada. Se quiser ligar para outro país, você apenas pede o telefone na recepção e troca idéia de boa, quando eu tentei fazer ligação para o Brazil não deu certo, mas o restante do pessoal que fez ligação para Alemanhã, entre outros, funcionou de boa. Infelizmente não fiz o passeio para Milford, mas quem puder ir, todos recomendam e dizem que é muito bonito, vou tentar visitar lá antes de terminar minha viagem aqui na Ilha Norte. WANAKA Peguei um onibus para Wanaka, cerca de quatro horas de viagem, ela é mini Queenstown, o ponto mais turistico é o Puzzling World, a entrada é paga, é uma casa brinquedos e ilusionismo. FOX GLACIER Fox Glacier se resume em uma rua, ou seja, não tem nada para se fazer lá que dure mais de um dia, o esquema é fazer a trilha na gelo e depois seguir viagem, como não estava de carro, tive que ficar um dia e meio lá, só não morri de tédio porque fiz amizade com uma galerinha bem legal que estava no hostel e aí passamos o tempo jogando sinuca, trocando idéia. De Fox Glacier peguei um onibus para Greymonth e de lá fui de trem para Christchurch. A viagem de trem foi muito louca, porque em quatro horas você vários tipos de paissagens. CHRISTCHURCH A cidade foi praticamente toda destruída depois de um forte terremoto em 2011, ela está em reconstrução, tive alguns problemas lá e acredito que por este motivo, é um dos lugares que mais detestei, eles tem um jardim botanico muito bonito, acredito que dá para competir com o jardim de Wellignton. Tem um lugar que possui varias lojas, no entanto, elas ficam dentro de vários containers, eu não visitei, tenho alguns amigos que visitaram, quem tiver oportunidade de ir.. De Christchurch peguei o aviao de volta para Auckland para começar as minhas aventuras pela Ilha Norte. Bom mochileiros, essa é a minha visão geral, com algumas dicas da minha viagem, espero ter ajudado um pouco.. Á partir daqui não irei colocar dicas de albergue porque os albergues que peguei não tinham nada de diferencial no serviço prestado, a galera da recepcao não era tão atenciosa quanto aos albergues que fiquei de Wellington e Queenstown. ###################### Link de onibus de Auckland para Wellington = http://www.intercity.co.nz/ Albergue de Wellington = http://www.yha.co.nz/hostels/north-island-hostels/yha-wellington/ Compania aerea = Jetstar (é uma das mais baratas para viagem domestica aqui na Nova Zelandia) Albergue em Queenstown aqhostel.co.nz Link da vaigem de Trem entre Greymonth para Christchurch = http://www.kiwirailscenic.co.nz/ = na epoca paguei aproximadamente 120 NZ dollares http://www.everythingqueenstown.com = site que vende os combos de esporte radicais
  4. kkkkkkkkkkkkkkkk nem me fale Perio, é que nos meus planos eu ia ficar uns 15 dias fora, já que ia perder 4 dias da viagem só no busão. Eu deveria ter feito um cartão internacional para levar, ou ter usado o meu mesmo do banco lá no Peru para nao ficar andando com muita grana no bolso. Pelo menos quem for marinheiro de primeira viagem terá algumas dicas do tipo "o que não fazer" kkkkk... mas valeu sim muito a pena e agora to mais ligeira "bom eu espero estar" kkkkk
  5. obrigada Maria =D. Depois irei ler suas aventuras pela bolivia e ainda com crianças.. deve ter sido à aventura também =)
  6. Depois de mais de um ano e meio resolvi postar a minha primeira viagem internacional e sozinha. Como foi aventura do começo ao fim e acho que a minha viagem foi bem diferente das dos meus demais colegas mochileiros então lá vamos nós.. rsrs ps.: no final do texto tem algumas fotinhas dessa crazy travel. Qualquer mochileiro que se preze irá escolher sua viagem para o Peru de duas maneiras (pelo menos as mais conhecidas) ir para o Peru de avião ou pegar o famoso trem da morte. Eu quis fazer diferente dos "padroes" fui de BUSAO, isso mesmo! Peguei um busão que sai do Tiete (Sao Paulo) direto para o Peru, são quatro dias de viagem, paguei na época em torno de R$375,00, somente ida. Pensei que não iria sobreviver aos quatro dias, mas estou aqui contando a história para vocês! Se um dia alguém falar que esse onibus é onibus dos mochileiros, já adianto: É MENTIRA! Nunca vi tanto peruano junto em um busão, só tinha eu e mais dois brazuca, do restante só peruano. Como a linha não era muito conhecida na época peguei dois bancos só pra mim e fui de buenas, deitava nos dois bancos e como não sou muita alta, me encolhia nos assentos e praticamente fazia uma cama para durmir. Os motoristas (peruanos) não tem muita regra de parada, no primeiro dia eles pararam em um restaurante estilo frango assado, da hora e ainda fui pensando, bom nesses quatro dias com certeza vou ter que tomar banho e os caras vão cobrar uma bica pra tomar 5 minutos de ducha... que nada, tomei banho na faixa e como fui em Janeiro um puta calor, a água tava quentinha muito sussa. (à água do banheiro dos restaurantes, pelo menos os que eu fui é temperatura ambiente, mas com calor que tava a àgua era bem quentinha). O trajeto que o busão faz é: Mato Grosso - Rondonia - Acre, passa por mais algum estado mas nem lembro mais. No terceiro ou segundo dia, passamos por vários restaurantes estilo Frango-assado, porém os motoristas resolveram parar num restaurante nem falo botequim de esquina, porque até o butequim era mais limpo e mais aconchegante que esse que paramos, a galera jantou, no entanto, eu fiquei de boa na minha não ia comer naquela espelunca (mal sabia que iria comer coisa pior no decorrer da viagem e iria dar graças à Deus pelo rango que comi rsrs). A paisagem saindo de sampa até o Acre não varia muito, são sempre: campo, vaquinhas e boi, ou boi, vaquinhas e campo. Duas partes da viagem que achei muito mais muito da hora. não sei em qual estado que eu tava, no entanto, o onibus passou em uma ponte que cruzava um rio durante o por do sol, galera que pena que a minha maquina nao estava ligada, foi uma cena sensacional! Outra cena que curti pra caramba é que tem uma hora que acaba a estrada e o busão para continuar viagem precisa ir em uma balsa e atravessamos o rio de Rondonia para o Acre. Como recomendação de uma amiga que tem agência de viagem level uns US$ 800,00 (dollares americanos - R$ 1.4000 reais) era tudo o que tinha pra viajar, havia lido em vários blogs para fazer o cambio na fronteira porque poderia comprar o tal do soles (moeda peruana) mais em conta. Não sabia uma palavra em espanhol, comprei um livrinho para me ajudar e quem disse que peguei no livro durante a viagem? que nada, fiquei lendo outros livros, fazendo outras coisas, menos lendo o livro de espanhol. No terceiro dia já tinha feito amizade com os peruanos e pedi ajuda para uma garota (Alicia) um amor de pessoa e ficou me ensinando espanhol durante a viagem. O que eu acho mais fascinante não é somente o fato de viajar mas é essa troca sem interesse, essa curiosidade de conhecer, aprender outra cultura e simplesmente conhecer pessoas de bom coração (vocês vão entender o porque estou falando isso daqui a pouco). Após passar pelo Acre estando em terras peruanas, passei pela imigração e fui pegar o din din para cambiar, no entanto, iriamos pegar mais uma balsa e tinha horário, foi quando os motoristas aceleram a galera e não consegui trocar a grana. Depois que entramos no Peru, tomei o meu primeiro "choque" cultural, galera, que lugar feio, a nossa favela é mais bonitinha que aquelas casas, isso se é que posso chamar de casa, eu olhava pela janela e pensava meu Deus do céu! O que estou fazendo aqui ??? Chegamos bem mais bemmmmm tarde, não conseguimos pegar a balsa e tivemos que esperar o dia seguinte. Eu estava morrendo de fome, tinha somente 10 reais e notas de 100 dollares, onde estávamos era um lugar muito pobre, mesmo que quisesse comprar comida, o pessoal nao ia ter troco. Expliquei para a Alicia que nao tinha soles e já me vi no meu primeiro perrengue, ia ter que pedir grana emprestada para os peruanos do busão porque eu tava com muita mais muita fome, quando olho pro lado, a Alicia estava pedindo dinheiro emprestado pro pessoal do busão para comprar lanche para mim. Eu fiquei pasma, juro para vocês, ela mal me conhecia e fez um gesto muito amável comigo. Hora de comer... (o drama), nesse "porto" tinha uma barraquinha, estilo de cachorro quente em que eles vendiam "comida" em um plastico desses de festa de aniversário, até hoje não sei que gororoba era aquela que comi, porém descobri que na hora da fome você come o que tiver mesmo na frente, era galinha (mas só tinha osso), tomate picado, ervilha, milho e nao lembro mais o que, não era ruim mas também não era ohhhh comida dos deuses. A Alicia comprou um refrigerante peruano e me deu toda feliz perguntando se tinha achado gostoso e eu com a minha sinceridade ao extremo, falei sem pensar: Isso não é bom não! (se vocês vissem a cara da garota tipo de decepção, aí que dó viu rsrs, eh eu sei Karina sem noção ) Como falei, fui em Janeiro e estava muito quente, não tinha como ficar no busão e a galera resolveu ir pro "centrinho" dessa cidade do interior, as balsas para pedrestres estavam funcionando de boa, só a balsa para onibus que não, para atravessar a balsa tinha que pagar 2 reais mais ou menos, no entanto, eu não tinha um puto da moeda deles no bolso, fui e voltei sem pagar (sim eu fiz isso!). Os peruanos me pagaram cerveja, sorvete, lanche, tudo sem eu gastar uma nota e ainda tomei café da manhã com eles no dia seguinte. Vou deixar bem claro, não agi de má fé, era a minha primeira viagem internacional, não tinha conseguido trocar dollar por soles, o lugar era precário, nem máquina de cartão tinha, tive mesmo que viver por uma noite na solidariedade do ser humano. O restante da viagem era feio demais e resolvi durmir já que a paisagem não mudava... quando acordei, nunca vi uma paisagem tão linda em toda a minha vida! A estrada era no meio da montanha, de um lado a montanha enorme toda imponente na sua frente e do outro lado o rio contornando toda a montanha. Sem falar quando o onibus subia até o topo da montanha e você via a neve pela janela (lindo demais). Eu sou a pessoa mais criteriosa do mundo quando se fala em viagem (posso ser atrapalhada) mas reservo tudo com antecedência, faço inumeros roteiros, leio tudo sobre o lugar. Dessa vez quis fazer diferente, não reservei hotel, não agendei passeio, estava há Deus dará e pela sorte. Cheguei no albergue a moça disse que nao tinha mais vagas, aí disse que tinha mandado um email querendo fazer reserva e como eles não tinham respondido aí resolvi ir até lá, daí a moça me arrumou um quarto.. vai entender esse povo.. rsrs. Fiquei em Cuzco, é uma cidade turista do Peru e bota turistica nisso, tudo muito, muito barato, principalmente coisas para trilha, fiquei tão empolgada nas compras que a mala para fechar eu tinha que literalmente sentar em cima dela. Fiz vários roles pela região e fui finalmente para Machu Picchu, o lugar é mágico! Para ir pra lá você tem que pegar um trem turístico, muito loco, peguei a classe economica, que para mim era um luxo só, se a econômica é assim, fico imaginando a classe luxo.. rsrs, enquanto a galera tirava foto e admirava as montanhas com os picos cheios de neve, eu ficava imaginado que eu tinha pegado a estrada com o busão passando entre os picos nevados. O parque é muito legal, cheio de guias turísticos e você pode ficar o tempo de quiser, tirar uma porrada de foto e explorar ao máximo. Até aqui tudo lindo, a viagem perfeita! E aí que começa o pesadelo O meu ponto alto da viagem era a Bolivia, porém a Bolivia estava em crise política e os bolivianos estavam quebrando tudo lá em La Paz (capital da Bolivia) vários blogs dizendo para não ir porque a situação estava preta, por isso que decidi ficar pelo Peru e depois descer até a Bolivia. Alguns brasileiros que tinha encontrado no meio do caminho lá no Peru, haviam me alertado sobre a Boliivia (La Paz) e tinha dito que não era um lugar tão lindo quanto o Peru, porém o feio que eu pensei não era tão feio quanto eu vi rsrs. Devia ter tirado uma foto lá, mas eu estava totalmente desesperada porque ao chegar na primeira cidade que faz fronteira com o Peru, tinha descoberto que haviam me roubado!!! Isso mesmo minha gente, me roubaram la no albergue e eu vacilona nem tinha percebido, assim o vacilo foi totalmente meu e o bom que aprendi a lição, não me roubaram muito, tinha sei lá, na época uns R$300,00 reais só que em dollar, não era muito, mas era o que tinha para terminar a minha viagem e R$300 reais na bolivia é muita grana, era o suficiente para fazer o restante dos meus passeios e voltar pra casa. Enfim, como tinha sei lá, uns R$30 reais em moeda boliviana era o suficiente para ir até a capital e passar no banco para pegar uma grana, porque tinha deixado uma reserva no banco para emergência. A paisagem era a mesma, sobe toda a montanha até o topo e de lá de cima você visualiza um vale com a cidade, quando vi La Paz, pensei comigo: a favela do Rio de Janeiro é mais bonita do que isso! Entrei em desespero total, aquela vontade de voltar pra casa, estilo, "quero a minha mãe, quero a minha casa" rsrs, estava nesse naipe. Consegui ir no banco e retirar uma grana, fui numa agencia estilo cvc e comprei alguns pacotes como descer a estrada mais perigosa do mundo de bike (sim só gosto de passeio maluco, sou mochileira né galera, nao tinha de ser diferente do povo daqui rsrs). Tava tudo certo, quandoooo não sei por qual motivo no dia seguinte não consegui mais sacar dinheiro, eu tinha grana, mas não estava conseguindo. Entrei em desespero total até que cheguei à conclusão que não tinha mais grana, fui na agência expliquei a situação e eles devolveram o meu din din. No final das contas eu tinha bastante dinheiro, não ia mais fazer os roles, já tava deprimida, chateada pra caralho, o que eu fiz ??? Fui as compras!!!! Está triste, deprimido? Vai as compras! Comprei até não querer mais, feliz e contente resolvi voltar pro Brasil. Erros: Nunca, maissssss nuncaaaaa compre passagem área direta do Guiche no aeroporto você paga uma bica! Quando a mulher falou o valor e o meu cartão de credito passou, sinceramente não sabia se ficava feliz por voltar ao Brasil ou se chorava pelo valor que passou. Graças a Deus que eu trampava numa boa empresa e que eu tinha um cargo de chefia (nao ganhava mal) porque senão eu tava fuuuu... Outro Erro: Aqui no Brasil você compra a passagem já com a taxa de embarque inclusa e lá você só compra a passagem, a taxa de embarque você paga à parte e eu já não tinha mais din din. Fui até um caixa eletronico que tinha na frente do guiche e fiz a seguinte oração: SENHOR! EU QUERO VOLTAR PRO MEU PAIS, ME ABENÇOE PARA QUE EU POSSA RETIRAR 50 BOLIVIANOS PARA EU VOLTAR AO MEU PAÍS), saquei a grana, uma felicidade sem fim, mal sabia que eu tinha grana de sobra no banco, no entanto, quando bate o desespero até o mais racional dos mortais fica literalmente irracional rsrs. Como a moça disse que o avião já estava partindo, imaginei que ele já estava na pista de pouso, pronto pra decolar, sai correndo com minha mala feito uma louca!! passei pelo sensor de metais correndo e a polícia toda do aeroporto correndo atrás de minha pessoa...kkkk (lembrem-se era a minha primeira viagem). No final consegui me explicar com o meu pobre espanhol e tudo ficou resolvido. De La Paz fiz escala em Lima (capital do Peru) ,SETE horas esperando a conexão para São Paulo, uma fomee desgraçada, sem din din e tudo em qualquer aeroporto do mundo é uma bica né. com vergonha de pedir dinheiro emprestado ficou a tonta lá, morrendo de fome e essas sete horas que não passava. Por fim, resolvi dar uma volta e tinha um shopping dentro do aeroporto onde tinha chocolate para o pessoal degustar. Advinhem onde e o que eu fiquei comendo sem parar?????? Finalmente peguei o avião Peru -> São Paulo, comi feito gente grande no avião na hora do jantar, ainda vim na janelinha, desfrutando o restante da viagem! Assim no final da viagem eu me ferrei literalmente, mas na boa galera! Faria exatamente tudo, tudo novamente, foi a minha primeira viagem sozinha, fui de busão, sem falar uma palavra em espanhol, me virando nos trinta com o meu inglês (que não época não era muito bom, mas era o que eu tinha, pelo menos me virava) e acho que mesmo fazendo outras viagens internacionais, esta será a minha melhor aventura.. rsrs Bom é isso! Apesar do texto muito grande, espero que tenham curtido ^.^
×
×
  • Criar Novo...