Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

lucasalves

Membros
  • Total de itens

    10
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre lucasalves

  • Data de Nascimento 02-12-1989

Outras informações

  1. Olá galera! Eu e meu amigo, o Gabriel, estamos realizando uma viagem pela América do Sul de carro, saindo de Belo Horizonte e passando por Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia. Hoje estamos em Buenos Aires, no décimo segundo dia da viagem. Para compartilhar com outras pessoas a nossa experiência e nossos desafios, criamos um site, onde estão os relatos das nossas aventuras. O site é www.expedicionconosur.com Espero que vocês gostem! P.S.: Não tenho certeza se posso postar apenas o link aki nesta área. Se não puder, posso passar a transcrever os textos do site para cá. Moderadores, por favor me avisem caso isso não seja permitido. Um abraço a todos!
  2. lucasalves

    74 dias de carro - Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia

    Vou dar uma olhada no Viedma também, valeu pela dica! Você falou em ir pra Calama, de lá os passeios são muito mais baratos? Aliás, vc tem noção de preço desses passeios? Entáo, a data está quase certa, devemos sair no dia 26/12 mesmo, logo após o natal. Você sai quando? Quando resolver seu roteiro, poste aqui também, por favor! =]
  3. lucasalves

    74 dias de carro - Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia

    konai, Obrigado pelas dicas. Vou fazer os dois passeios sim, o Bosque e a Cueva de las Manos. Mais algumas perguntas, caso alguém saiba responder: 1 - Li tudo que encontrei sobre Caleta Tortel - CHI, alguém sabe se a cidade vale a visita, mesmo que eu só possa ficar por um dia? 2 - Existem outras cidades em que o Rafting é famoso nesse meu roteiro, além de Futaleufú? 3 - Os glaciares Yelcho e Colgante valem a visita mesmo já tendo passado pelo Perito Moreno? 4 - Alguém que esteve recentemente em Uyuni ou em San Pedro de Atacama recomenda alguma agência que realiza o passeio ao Salar de Uyuni? Obrigado a todos! Abraços!
  4. lucasalves

    74 dias de carro - Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia

    Só pra informar: acabei de atualizar o roteiro. Mudei o modo de acesso ao Salar de Uyuni: agora vou de trem, a partir de Villazón. Inclui também mais dias para El Chaltén, San Pedro de Atacama, e a cidade de Chaitén. Para fazer essas mudanças, exclui Santiago e Montevideo do roteiro, deixando essas cidades para uma visita futura. Opa, tudo bom velho? 1 - Dei uma olhada nas trilhas do PN Tierra del Fuego e elas me agradaram bastante. Com certeza passarei por lá, nem que seja por um só dia. 2 - Como todos disseram que 2 dias é pouco, aumentei em 1 dia a estadia em El Chaltén. Muito obrigado pelas dicas de trilhas! Acho que com 3 dias consigo fazer as mesmas que você fez. Dois realmente seria pouco tempo. Olá konai! Obrigado pela opinião sobre o roteiro! Concordo com você que ele estava meio corrido, e achei boa a idéia de excluir as capitais, deixando-as para um passeio futuro (só que acabei excluindo santiago e montevideo, e deixando buenos aires). Quanto ao Bosque Petrificado, quanto tempo vc pensa que eu gastaria visitando-o? Um dia todo? A Cueva de las Manos já estava em meus planos sim. Estou pensando em passar por lá no meio da viagem, sem dedicar um dia inteiro para a visita, apenas algumas horas. Você acha que é suficiente? Li um pouco também sobre a cidade de Chaitén e o Glaciar Yelcho. Me interessaram bastante! Estou pensando em reservar um dia para ir lá sim. Você sabe se o problema com o vulcão já acabou? A cidade está operando normalmente? Também dividi o trecho de Mendoza a Salta em duas viagens, incluindo o parque indicado por você, o Tampalaya. Apesar disso, achei o percurso que você indicou (indo ao Chile até Copiapó e depois voltando) muito mais longo. As paisagens são tão interessantes assim? Você acha que vale o aumento na viagem? Olá maysl4! Estou considerando esta opção. Ainda não cheguei a uma conclusão sobre qual seria o melhor percurso, mas por enquanto estou mantendo o trajeto original. 3 - Se você puder perguntar ao seu amigo, seria bem legal. Obrigado! 4 - OK! Valeu pela dica. Vou dedicar o dia que ficaria por lá para visitar a quebrada de humahuaca! 5 - Pois é acabei desistindo de entrar na Bolívia. Vou levar o carro até Villazón, na fronteira da Bolívia com a Argentina, e de lá pegar um trem para Uyuni. Muito obrigado a todos pelas dicas!
  5. lucasalves

    74 dias de carro - Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia

    Leo, você disse que não é possível passar pelo Salar, mas é possível chegar à cidade de Uyuni com o Celta por alguma rota, mesmo que não seja por San Pedro de Atacama? Talvez cruzando a fronteira da Argentina com a Bolívia? No mais, obrigado pelas outras dicas! Abraço!
  6. lucasalves

    74 dias de carro - Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia

    Pesquisando mais a fundo, fiquei com algumas dúvidas sobre alguns destinos. Agradeço de antemão aos que puderem me esclarecer essas dúvidas. Elas são: 0 - Vocês acham que Punta del Este-URU merece mais que 2 dias de visita? 1 - Ushuaia tem atrações para mais de 2 dias e meio? 2 - Sou fascinado por trekkings e caminhadas, e vi que este é o forte de El Chaltén. Quantos dias são recomendados para que eu faça todos os principais percursos? 3 - Alguém aqui já fez rafting em Futaleufú-CHI? Como funciona? É muito caro, qualquer um pode fazer? E dura quando tempo? 4 - Reservei dois dias para a cidade de Salta. A cidade possui muitas atrações, ou posso diminuir o número de dias? 5 - O acesso de carro de San Pedro de Atacama-CHI até Uyuni-BOL é tranquilo mesmo para um carro normal? É recomendado que eu vá até Uyuni para então contratar os passeios ao Salar? 6 - O caminho de volta ao Brasil a partir da Bolívia, por Sta Cruz de la Sierra, é tranquilo? E a fronteira, em Corumbá? Obrigado novamente, Lucas Alves
  7. Olá queridos mochileiros! Criei este tópico para que aqueles que já visitaram esses países (Uruguai, Argentina, Chile e Bolívia) possam me ajudar com o roteiro que montei. Todas as opiniões são válidas e ajudarão muito. Dicas sobre a estadia em cada cidade, sobre as fronteiras que vou cruzar, passeios em cada cidade, etc, serão muito bem-vindas! Sempre sonhei em fazer uma viagem como essa, e sei que fazendo-a de carro encontrarei muitos desafios, e portanto peço dicas também para aqueles que já passaram por estes locais de carro. O meu carro é um Celta 1.0, e está pronto para a batalha! =] Tenho 75 dias, no máximo, para realizar essa viagem, e sairei logo após o natal, provavelmente no dia 27/12. O roteiro inicial, elaborado com base em muitas opiniões postadas neste mesmo site, segue abaixo: 21/08 - ROTEIRO ATUALIZADO 1 Belo Horizonte - MG ---------> Corupá - SC 1142km 2 Corupá - SC 3 Corupá - SC ------------------> Cambará do Sul - RS 506km 4 Cambará do Sul - RS 5 Cambará do Sul - RS --------> Castillos - URU 780km 6 Castillos - URU 7 Castillos - URU --------------> Cabo Polonio - URU 50km 8 Cabo Polonio - URU 9 Cabo Polonio - URU ---------> Punta del Este - URU 200km 10 Punta del Este - URU 11 Punta del Este - URU -------> Buenos Aires - ARG Buquebus 12 Buenos Aires - ARG 13 Buenos Aires - ARG 14 Buenos Aires - ARG ---------> Bahía Blanca - ARG 636km 15 Bahía Blanca - ARG ---------> Puerto Madryn - ARG 789km 16 Puerto Madryn - ARG 17 Puerto Madryn - ARG 18 Puerto Madryn - ARG -------> Puerto Deseado - ARG 732km 19 Puerto Deseado - ARG 20 Puerto Deseado - ARG ------> Rio Gallegos - ARG 735km 21 Río Gallegos - ARG ----------> Ushuaia - ARG 500km 22 Ushuaia - ARG 23 Ushuaia - ARG 24 Ushuaia - ARG ---------------> Punta Arenas - CHI 650km 25 Punta Arenas - CHI 26 Punta Arenas - CHI ---------> Puerto Natales - CHI 248km 27 Puerto Natales - CHI --------> PN Torres del Paine - CHI 147km 28 PN Torres del Paine - CHI 29 PN Torres del Paine - CHI 30 PN Torres del Paine - CHI 31 PN Torres del Paine - CHI 32 PN Torres del Paine - CHI --------------> El Calafate - ARG 394km 33 El Calafate - ARG 34 El Calafate - ARG 35 El Calafate - ARG -----------------------> El Chaltén - ARG 215km 36 El Chaltén - ARG 37 El Chaltén - ARG 38 El Chaltén - ARG 39 El Chaltén - ARG ------------------------>Perito Moreno 584km 40 Perito Moreno - ARG ------------------> Puerto Río Tranquilo - CHI 210km 41 Puerto Río Tranquilo - CHI 42 Puerto Rio Tranquilo - CHI -----------> Coihaique - CHI 227km 43 Coihaique - CHI -----------------------> Chaitén - CHI 412km 44 Chaitén - CHI 45 Chaitén - CHI ------------------------> Futaleufú - CHI 157km 46 Futaleufú - CHI 47 Futaleufú - CHI -------------------------> San Carlos de Bariloche - ARG 323km 48 San Carlos de Bariloche - ARG 49 San Carlos de Bariloche - ARG 50 San Carlos de Bariloche - ARG -------->Puerto Varas - CHI 350km 51 Puerto Varas - CHI 52 Puerto Varas - CHI 53 Puerto Varas - CHI --------------------->Pucón - CHI 334km 54 Pucón - CHI 55 Pucón - CHI 56 Pucón - CHI ----------------------------->Santiago - CHI 825km 57 Santiago - CHI -------------------------> Mendoza - ARG 366km 58 Mendoza - ARG 59 Mendoza - ARG 60 Mendoza - ARG -------------------------> PN Tampalaya 477km 61 PN Tampalaya 62 PN Tampalaya -------------------------> Salta - ARG 880km 63 Salta - ARG 64 Salta - ARG 65 Salta - ARG ----------------------------> Purmamarca - ARG 156km 66 Purmamarca - ARG -------------------> San Pedro de Atacama - CHI 437km 67 San Pedro de Atacama - CHI 68 San Pedro de Atacama - CHI 69 San Pedro de Atacama - CHI --------> Villazón - BOL + Trem para Uyuni - BOL 350km 70 Uyuni - BOL 71 Uyuni - BOL 72 Uyuni - BOL 73 Uyuni - BOL ----------------------------> Villazón - BOL (Trem) + Las Lomitas - ARG 908km 74 Las Lomitas - ARG --------> Foz do Iguaçu - PR 709km 75 Foz do Iguaçu - PR -------------------------> Registro - SP 868km 76 Registro - SP ------------------------> Belo Horizonte - MG 774km 17581km totais
  8. VRosetti, desculpe-me pela demora eterna para responder o seu comentário. Nunca mais lembrei de vir aqui conferir se alguém tinha postado alguma coisa. Quanto aos 5 dias só para Pancas, penso que é demais. Com 2 ou 3 dias acho que você conhece tudo tranquilamente (as pedras principais e as cachoeiras), a não ser que você voe de asa-delta, paraglider ou afins, ou queira escalar uma das pedras, o que vai levar mais tempo. Isso tudo pensando que você esteja de carro, pois as coisas não são tão perto assim. Só fomos em duas cachoeiras, a do Bassani é bastante bonita, mas não tem poço para nadar. Se você quiser uma cachoeira maior, com poço, existem algumas no distrito, cujo nome eu me esqueci. HenriqueMauri, respondi seu e-mail ontem, se não me engano, não sei se você viu. Quanto às fotos, posso te enviar todas que tenho, se você quiser. Me responda lá no e-mail! Abraços!
  9. lucasalves

    Caraíva

    Estou indo pra Caraíva agora dia 24... pra passar uma semana. Alguma dica de qual camping ficar e de quais são os lugares imperdíveis na região? Li muito sobre a praia do espelho, mas por enquanto só. Abraços!
  10. Boa noite, amigos mochileiros! Sou novato no fórum, e vou começar contando um pouco da visita que eu e um amigo fizemos aos Pontões Capixabas, em Pancas\ES, um lugar lindíssimo e, estranhamente, pouco conhecido. Esse texto foi postado em um blog mantido por nós, que conta as nossas várias aventuras, entre viagens e participações nos campeonatos de trekking de MG. O endereço do blog se encontra na minha assinatura, caso alguém se interesse. Segue o relato (obs: pintassilgos é o 'nome de guerra' do nosso grupo): Eis que tudo começou quando alguns pintassilgos decidiam onde passar o Reveillón. A decisão foi ir para Vitória (ES), e acabamos por passar a noite do Ano Novo em Guarapari, na Praia da Bacutia em Meaípe. Na volta reservamos um dia para desbravar a belíssima cidade de Pancas, onde está o Parque Nacional dos Pontões Capixabas. Na manhã do dia 3 de Janeiro do novo ano acordamos cedo na cidade de Vitória e, em silêncio, para não acordar os anfitriões da casa em que ficamos, arrumamos as malas e partimos. São 180 km a partir da cidade de Vitória, seguindo para o norte, passando pelas cidades de Serra e Colatina. Partindo-se de Belo Horizonte, cidade “sede” dos pintassilgos, são 485 km indo pela BR-381, passando por Governador Valadares e indo até Central de Minas. De lá deve-se descer pela ES-164 até Pancas. Chegamos à cidade às 9h30min. Cidadezinha encravada no meio das pedras. Hospedagem: Hotel Acácia Capacidade do quarto: 3 pessoas Diária: 60 reais com café Opinião: simples, limpo e muito confortável, é aparentemente o maior prédio da rua. Tão logo se chega à cidade, você se vê cercado por altíssimas e belas pedras por todos os lados, é simplesmente deslumbrante. Tínhamos muitas idéias do que fazer, mas nossa maior pretensão era voar, é claro. Pancas é um ponto turístico obrigatório dos parapentes/paraglider’s, esportistas de todo o mundo visitam a cidade para voar. Para conseguir informações fomos rumo ao Dega’s Bar e Restaurante, visto que dentro do bar fica também a sede da Associação de Vôo Livre de Pancas (AVLP). Lá encontramos um sujeito que não parava de falar, mas era sábio e nos informou com precisão. Infelizmente, devido ao dilúvio que acometeu MG e ES na última semana, e de o tempo ainda não estar bom, descobrimos não ter ninguém na cidade para voar conosco. Seguimos com nosso roteiro. Primeiro rumo à Rampa da Colina, ou rampa de vôo Livre "Clementino Izoton". A rampa proporciona uma vista privilegiada da cidade e dos Pontões Capixabas, é de tirar o fôlego. Até a rampa são 13 km de carro partindo de Pancas, dos quais 7 km são em estrada de terra, tudo muito bem sinalizado com placas. Nesse dia a estrada de terra estava bem castigada pela chuva, com muito barro e galhos na pista. Na rampa De lá fomos conferir a Cachoeira do Breda. Cachoeira de fácil acesso, é só seguir até o trevo que divide as estradas de Alto Mutum Preto e Mantenópolis. Seguir rumo a Mantenópolis por aproximadamente 100m e entrar à direita. Esta cachoeira não despertou muita vontade de nadar, sendo classificada como uma low sliding waterfall level 1, por não ter uma queda propriamente dita, a água só escorre pela pedra. Cachoeira do Breda A esta hora chegava o momento de almoçar, já eram 13h da tarde. Encontramos poucos restaurantes, até toparmos com um que estava aberto e descobrirmos que já passava da hora do almoço em Pancas. Aparentemente lá as pessoas almoçam bem cedo, mas a moça disse que conseguiria passar mais dois bifes antes de encerrar. Reabastecidos e energizados, era hora de encontrar uma cachoeira para nadar. Foi aí que apareceu o desafio da Cachoeira do Bassani. Nos foi dito que ela estava abandonada e suja, e que só os franceses nadavam lá. Ainda assim não desistimos. Para chegar até essa cachoeira é só seguir pela via principal no sentido Pancas-Colatina e virar à direita após o Dega’s. Seguiríamos por uma estrada de terra com o carro por 3 km. Na metade do caminho uma ponte danificada bloqueava o caminho. Ao manobrar o carro para estacionar ali ainda conseguimos a proeza de atolar o carro. Felizmente dois homens bondosos que estavam trabalhando na ponte nos ajudaram a empurrar e liberar a roda. Dali, fomos à pé. Andamos mais 1 a 2 quilômetros tranquilamente na trilha, e já era possível avistar a queda da cachoeira. Foi então que, fascinados, seguimos direto para lá, atravessando portões da propriedade sem nem falar com o dono. Escalamos um morro bastante inclinado, onde havia uma plantação de café, atravessamos capim alto, terra fofa, e lama. Observação: Eu atolei o pé até o meio da canela. Quase perco o tênis. Finalmente uma belíssima master flow sliding waterfall level 3. Essa cachoeira é muito alta (por volta de 70m de altura) e bonita, porém, como a cachoeira do Breda, possui poço raso e pequeno, ruim para mergulho, e não tem uma boa queda para ficar debaixo. Cachoeira do Bassani Ainda não era hora de descansar, não antes de visitar a Pedra Agulha, uma rocha parecida com uma chaminé, é a segunda maior do Brasil com 500 metros de altura. Para isso, retornamos pela estrada de Colatina por poucos quilômetros e entramos à direita (tem placa). Uma estrada de terra, que piora cada vez mais, nos aproximou da pedra. Esta estrada segue indefinidamente até a base da pedra (não chegamos até o fim). Paramos o carro próximo a uma fazenda cheia de maracujás, e continuamos a pé. A julgar pelo nosso carro, fizemos o correto, mas com carros mais potentes e apropriados é possível ir mais além, vai do senso de cada um. A subida à pé é árdua, mas a recompensa é infinita. Queríamos avançar ainda mais. Apenas voltamos quando um mato infestado de carrapichos fechou a estrada já quase na floresta da base. Pedra da Agulha Carrapichos? Que nada! Outras pedras de destaque: Pedra do Camelo - Considerado o principal cartão postal da cidade, possui 720 metros de altura; Pedra do Camelo (fundo, à esq.) e Pedra da Agulha (fundo, à dir.) Pedra do Leitão - Está a 4,5 km do Centro da cidade; Pedra do Leitão Pedra da Gaveta - Está a 3,5 km do centro da cidade, ideal para escalada, rapel e montanhismo. Pedra da Gaveta Pedra da Cara - Está localizado na comunidade São Pedro, possui 600 metros de altura; Terminamos na Pedra Agulha ao fim da tarde, voltamos, e após o banho passeamos em Pancas durante o por do sol, lá pelas 19h. Foi esplêndido, comemos e tomamos um sorvete na praça da igrejinha. O tempo foi curto, mas já podemos escrever o livro: “Conhecendo Pancas em 10 horas”, ou então escrever o Post no blog! hahahhaha... [Lucas]A cidade vale muito a visita, e pode-se conhecer os principais pontos em um dia apenas, mas dois dias é a quantidade recomendada. Para quem gosta de trilhas, escalada, rapel e vôo livre, a cidade é um paraíso. Muitas das pedras proporcionam possibilidades de escalada, e o vôo livre, partindo-se da rampa da cidade, é conhecido por oferecer uma das mais belas paisagens para vôo no Brasil. Igrejinha de Pancas Abraços
×