Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Callu

Membros
  • Total de itens

    74
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Brasil: AL, BA, CE, DF, MG, PB, PR, RJ, RN, RS, SC
    Exterior: Argentina, Portugal, Chile, Paraguai, Uruguai
  • Próximo Destino
    RJ, Cuba
  • Ocupação
    Bibliotecária
  1. Olá! Visitei Cuba no mês de dezembro de 2015 (mais dois amigos) passei 09 dias por lá e deixo aqui um pequeno resumo, como forma de retribuição pela ajuda encontrada neste fórum. De todas as minhas viagens, essa foi a que menos planejei. Viajei sem saber ao certo como seria o transporte na ilha, como seria a alimentação (o que me fez levar algumas coisinhas daqui na mala despachada), o quanto eu iria gastar (já que a maioria dos relatos falavam que a ilha era caríssima) ... tudo fez com que eu fizesse um roteiro de lua, digamos assim. No dia anterior era decidido o que fazer no dia seguinte. Dependendo do ânimo, do tempo e do cansaço de cada um. (Isso foi bom, por um lado, mas devo dizer q não é o meu estilo de viagem. Gosto de tudo acertado antes mesmo de viajar, até plano B eu gosto de fazer.) Pois bem, não achei a ilha tão cara assim, e dá pra economizar bastante indo em supermercados. O povo cubano é muito simpático, receptivo, prestativo e adora conversar. Não estranhe se pararem você na rua pra perguntar de novela da globo, ou sobre cantores brasileiros. A culinária de lá é parecida com a nossa (eles comem uma variação do nosso feijão com arroz) e o mojito é muuuito muito bom. Andar naqueles carros americanos (as máquinas, como chamam por lá) é realmente uma experiência muito especial. São carros bonitos por fora, mas caindo aos pedaços por dentro. E que podem parar de funcionar a qualquer momento (não aconteceu comigo). Não existe uma tabela oficial de preços cobrados pelos motoristas, mas, na maioria dos casos, eles cobram 1 CUC de Vedado até o centro. No meu caso, eu pagava 2 CUC de Playa até o centro. Mas isso varia muito do lugar em que você está pegando o carro. No capitólio ou no malecon, que são lugares super turísticos, cobram o dobro disso, ou mais. Só andei uma vez no coco taxi e não recomendo, é mais caro que a máquina e super perigoso. Uma curva e vc parece que vai voar... hahahaha Sobre a internet, é um pouco complicado e trabalhoso. Não tem wifi nem 3G. É preciso procurar um ponto de internet. Como fiquei hospedada perto de um hotel, não sofri muito com isso. Comprei o cartão do hotel e racionei o uso. Nos primeiros dias mandei mensagens SMS, todas elas custaram pouco mais de 30 reais em plano pós-pago. A respeito do cambio, não recomendo o aeroporto nem os hotéis. Por duas vezes usei a casa de câmbio próxima ao convento de São Francisco de Assis, na parte velha da cidade. Sem filas e com cotação melhor que nas outras opções. A passagem foi comprada em promoção e custou R$ 1.262,75, COPA (Recife-Havana, com conexão no Panamá). Dessa vez não fiz planilha de gastos detalhada, mas a viagem completa, incluindo passagem, alimentação, hospedagem, presentes, etc saiu por pouco mais de 3 mil reais. HOSPEDAGEM Optei por ficar em Havana todos os dias. Fugi do centro turístico e aluguei uma casa no subúrbio, no bairro Playa. O dono foi muito atencioso, ajudou em tudo e até ensinou como pegar as máquinas (os carros antigos americanos que funcionam como lotação). A casa foi ótima, fica num lugar muito agradável, tem sala, cozinha, banheiro e quarto com ar-condicionado, além uma pequena varanda/terraço. Fica próxima de hotéis, supermercado e dos pontos das máquinas. Recomendo, quem tiver interesse eu posso passar o contato. PASSEIOS Fiz apenas um passeio por agência, Vinales. Recomendo altamente. O passeio é de dia inteiro e percorre as plantações de tabaco, fabricas de rum e de charuto e também uma parada no mural da Pré-história. O melhor momento foi a parada na Cueva del índio, uma caverna que tem um trecho de caminhada e outro trecho num rio subterrâneo. Muito bom! Outro passeio que fiz foi para a Praia de Santa Maria Del Mar, que fica próxima a Havana. Uma praia muito bonita, com um banho muito bom, apesar de friozinho. Nos outros dias, dividi as atrações por bairros: Vedado, Havana Velha, e Prado. Além de conhecer o outro lado da baía, onde fica a Casa de Che. Das atrações imperdíveis, recomendo: Memorial José Martí – Inesquecível! Não fazia ideia de quem era José Martí e voltei de cuba fã dele. Trouxe até um quadro dele que está pendurado na minha sala. Vale a pena pagar pela visita guiada e conhecer a historia dele em detalhes. O memorial fica na praça da revolução, que já é uma atração imperdível por si só. Museu da Revolução e Museu Nacional de Belas Artes – é pra dedicar um dia pra esses museus (ou um dia para cada). Muita coisa, muita história. São atrações próximas uma da outra. O prédio do primeiro é mais acabadinho, enquanto o do segundo é lindo e bem cuidado. Não deixe de visitar as lojinhas. Mercado de San José - para presentes e recordações. Calle Obispo – Uma rua enorme, com comércio, lanches, artesanato, muita gente, estrangeiros e cubanos. Uma riqueza numa única rua. El Malecon – Vale uma caminhada no entardecer e muitos passeios de carro. Muito lindo! Toda a Habana Vieja - Plaza Vieja, Plaza de armas, Catedral, Calle Obispo e todas aquelas ruas lindas. Essa parte da cidade é muito charmosa. É pra bater perna mesmo nessa parte da cidade, andar em zigue-zague pra não perder nada.. hahahaha E um passeio de Carro por Vedado, pra ver as mansões americanas. Restaurantes Foi difícil achar um restaurante que me deixou 100% satisfeita em Havana. Quando a comida era boa, o atendimento péssimo, e vice-versa. Mas teve um restaurante que conseguiu este feito e que acabei retornando no último dia. Fica na Calle San Ignacio, e o nome é El Bosquecito. Bom, espero que esta contribuição possa ajudar os futuros viajantes. Quem quiser fazer perguntes, fique à vontade. Pode mandar e-mail se quiser, pois respondo mais rápido. Até a próxima!
  2. Callu

    relato Fernando de Noronha - Junho de 2015

    Obrigada Ricardo! espero q tenha feito uma ótima viagem!
  3. Obrigada pelo relato! Vou pra Cuba em dezembro e foi um consolo saber que a viagem não vai ficar tão cara quanto eu temia.
  4. Obrigada por compartilhas a sua experiência! Vou para Cuba em dezembro e o seu relato já está ajudando muito!
  5. Callu

    relato Uruguai - Out 2014

    Opa! desculpa a demora pra te responder. As vans estavam funcionando sim, mas ficamos muito tempo no free shop e não tinha mais vaga na que estava saindo. Eu não lembro se teríamos que esperar muito pela próxima ou se a próxima só saíria pela manhã, uma dessas situações nos fez optar pelo taxi.
  6. Callu

    relato Fernando de Noronha - Junho de 2015

    Estive em Noronha com uma amiga no período de 20 a 24 de junho de 2015. Foram poucos dias mas deu para fazer bastante coisa. A ilha é um destino caro, mas com planejamento dá para fazer uma viagem mais acessível. A princípio estava preocupada com o clima, pois fui num período de chuvas. Mas correu tudo bem e fez sol todos os dias, a chuva que apareceu foi rápida e não atrapalhou em nada a programação. Abaixo segue o relato com os custos detalhados no final. HOSPEDAGEM Comprei a passagem aérea numa promoção (GOL) e reservei logo a pousada, com quase seis meses de antecedência. A pousada escolhida foi a Ocean Atlântica (http://www.pousadaoceanatlantic.com.br/). Nota 10. Os donos são muito simpáticos e prestativos. Não tenho absolutamente nada a reclamar, só tenho elogios. Numa próxima viagem a Noronha, fico hospedada nessa pousada novamente. A localização é na Vila do trinta. Tem restaurantes próximos e um supermercado com padaria. Tem uma parada de ônibus quase em frente. A praia mais próxima é a do Cachorro, uma caminhada tranquila de 10 minutos. PASSEIOS Fizemos o passeios com a agência Costa azul e correu tudo bem. A agência fica nos arredores da Praça Flamboyant e recomendo contratar direto no balcão, pois sai mais barato. ILHATOUR - Recomendo este passeio apenas para quem tem poucos dias na ilha. É possível ir na maioria dos lugares de ônibus ou de táxi, mas é preciso tempo. O ilhatour é bom para conhecer o máximo de lugares num curto espaço de tempo, no caso, um dia. Pois bem, o roteiro foi: Sueste, Praia do Leão, Praia do Sancho, Cacimba do padre, Baia dos Porcos, Buraco da Raquel, Museu dos tubarões e pôr do sol no mirante do Boldró. O almoço foi um capítulo a parte, pois o grupo se dividiu, uns almoçaram no restaurante Point da Cacimba (praia Cacimba do padre) e outro grupo preferiu ir num self service no centro. Isso atrasou um pouco o passeio. Além disso, o serviço no restaurante que escolhemos (POINT DA CACIMBA) foi muito lento. Bom, voltando ao ilhatour, o saldo foi positivo. Deu pra tomar um banho divertido na praia do Sancho, conhecemos histórias da ilha, rotina dos moradores, e visitamos mais praias que um dia de ônibus ou taxi nos permitiria conhecer. Mais uma vez, recomendo para quem tem poucos dias na ilha. Se for num 4x4, fique na cabine, é mais confortável. PASSEIO DE BARCO – Foi o melhor passeio. Faz um tour de barco pelas pequenas ilhas, vai até onde ficam os golfinhos, que pulam da água sem parar. Vai até o outro extremo da ilha, onde tem o mapa do Brasil na rocha, e faz uma parada na praia do Sancho para um mergulho de 40 minutos com snorkel. Muito bom! O barco balança muito, então cuidado para os que tem estomago sensível. Recomendo que escolham um barco pequeno, os maiores levam mais tempo para navegar. Fiquem na parte da frente do barco para ver mais e melhor os golfinhos. REBOQUE – Fiquei com muito medo desse passeio. Achei perigoso. Os instrutores do barco eram adolescentes e não me senti segura em nenhum momento. Eles anunciam que o barco puxa de leve, mas não é verdade. Optei por fazer só com a máscara, pois o snorkel atrapalha muito. Dá pra ver tartarugas e peixes, e a parte do barco naufragado é bem bonita. Sem dúvida é uma experiência diferente, mas não voltaria fazer. TRILHA CURTA DO ATALAIA – Recomendo fazer a reserva desse passeio assim que chegar. É muito concorrido e são poucas vagas. Acabei não fazendo por que só tinha uma vaga e num horário que eu já tinha programação. Minha amiga fez e adorou. Achou a trilha simples e o passeio excelente. É preciso ter a carteira do Parque Marinho para fazer essa trilha. RESTAURANTES Point da cacimba – Fica na praia Cacimba do Padre. Foi o restaurante do dia do Ilhatour. Escolhemos o peixe assado na folha de bananeira. Eu achei mais ou menos, minha amiga não gostou. Um pessoal do grupo escolheu o peixe com molho de camarão e acabou passando mal. Eu achei caro e o serviço é muito lento. A conta ficou em R$104,00, com suco (duas pessoas). Mãezinha – Esse restaurante fica na Vila dos Remédios, é onde também funciona o “shopping” da ilha. Tem uma lojinha com várias lembrancinhas. Comemos macaxeira com galinha guisada e café. R$25,00 (por pessoa). Restaurante do Zé Guedes – Fica perto da pousada. R$20,00 sem refrigerante. Vem muita comida. Comi um peixe frito, com arroz, purê, salada e feijão (por pessoa). Restaurante do Venâncio – Também fica perto da pousada. Estava funcionando apenas para entrega, pois era baixa temporada. Comi um guisado de galinha com arroz, purê, salada e feijão. R$15,00 (por pessoa). Sabor carioca – Praticamente em frente a pousada. Serve almoço e sanduiches. Fiz duas refeições nesse restaurante e as duas foram sanduiches com suco. R$20,00 (por pessoa). Comi um açaí na tigela também, mas não lembro o nome do lugar. Fica na vila dos Remédios e custou R$20,00 (por pessoa). RESUMO DO ROTEIRO 20.06 - Banho na praia do Cachorro, compra do cartão do Parque Marinho na Praça Flamboyant. Reserva de passeios na agência Costa Azul. 21.06 - Passeio de barco pela manhã (4h de duração). Visita ao projeto Tamar, banho na praia do Boldró e pôr do sol no forte do Boldró. 22.06 - Ilhatour, reserva da trilha do Atalaia no quiosque que fica na praia do Boldró, banho na praia do Cachorro. 23.06 - Banho nas praias Conceição, Meio e Cachorro. Passeio de reboque (minha amiga fez a trilha curta do Atalaia). Palestra Projeto Tamar. 24.06 - Banho na praia do Porto. CUSTOS DA VIAGEM (1 pessoa) • Passagem = R$840 • Hospedagem = R$500 • Ingresso Parque Marinho = R$81 • Taxa de preservação = R$205 • Passeios= R$290 • Alimentação = R$190 • Compras = R$106 • Passagens de ônibus = R$18 TOTAL R$2.230,00 IMPRESSÕES Achei que a estrutura da ilha deixou a desejar. Estradas ruins (o que fica pior no inverno), as placas de informações turísticas eram praticamente sucata (quando existiam), os acessos precários às praias que ficam fora do Parque Marinho, internet praticamente inexistente. Não achei uma viagem cara, tendo em vista os custos para manter a ilha funcionando. Só acho que o governo de PE deveria investir mais em infraestrutura. Não tive problema nem com falta de água nem com falta de energia. A ilha é linda, paisagens maravilhosas, muitas opções de passeios. Os moradores são muito simpáticos e receptivos. Foi a viagem mais linda que eu fiz até agora. Sem dúvida uma viagem inesquecível e com promessa de retorno.
  7. Voltei! Estive em Gramado novamente em maio de 2015. Contratei um tour privativo com a agencia Travel Tour (http://www.traveltour.tur.br/) para a cidade de Nova Petrópolis, Três Coroas e Igrejinha. Foi muito bom! Conferi o Festimalha em NP e algumas lojinhas. Recomendo a Via Malhas Shopping (Av. Quinze de Novembro, ~5065, Nova Petrópolis, RS). Bons preços e atendimento top. Em Três Coroas, visitei o Khadro Ling Templo Budista. Lindo!!!! ficou meio corrido, mas deu pra ver tudinho. Já em Igrejinha, a parada foi para comprar sapatos. Recomendo a agencia Travel Tour, fui muito bem atendida e o valor do tour não foi tão pesado. Nos outros dias visitei Canela e repeti as atrações e restaurantes que mais gostei da primeira vez que fui. Voltei na Pizzaria dos Piratas, que hj se chama Pizzaria Cara de Mal (o atendimento melhorou muito), e na Maison De La Fondue e Maison De Pierre (sequencia de fondue deslumbrante, mas cara). A noite gaucha do Restaurante Garfo e Bombacha não poderia faltar. Continua um show muito divertido. Gramado é um destino para voltar várias vezes. Adorei de novo!
  8. Callu

    Dicas: o que fazer em Porto Alegre

    Estive em maio deste ano em POA e adorei a cidade. Peguei um friozinho gostoso e todos os dias de chuva, mas deu para aproveitar bastante. A pé pelo centro, conheci a Casa de Cultura Mário Quintana, Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Mercado Público e Centro Cultural CEEE Erico Verissimo. Todos excelentes atrações e pertinho um dos outros. Em outro dia peguei a Linha Turismo (R$30,00) e visitei a Fundação Iberê Camargo e o Parque Farroupilha. Todas as atrações culturais são gratuitas. A noite a dica é ir para a rua Gal. Lima e Silva, no bairro Cidade Baixa. Várias opções de restaurantes e barzinhos. Recomendo o Mr Pickwik Pasteis, comi uma panqueca deliciosa.
  9. Estive novamente em Gramado agora em Maio de 2015 e gostaria de recomendar o Hotel Glamour da Serra (http://glamourdaserra.com.br/). Fica mto bem localizado, perto da Rua Coberta e da Rodoviária. A diária não é barata, mas tb não é tão cara. Da primeira vez que fui, em 2012, me hospedei em Canela, no Klein Ville (http://www.kleinvillehoteis.com.br/), mto bom tb. Recomendo os dois.
  10. Estive no Uruguai em outubro de 2014 na companhia de 2 amigos. Fiquei em Montevideo e Colonia del Sacramento, aluguei carro e visitei Punta del Este e Piriápolis. Aproveitei tb e dei uma passadinha em Buenos Aires (de barco). Montevideo é uma cidade grande, muito bonita, conservada, limpa. As pessoas são prestativas e educadas. Na minha opinião, o melhor bairro para hospedagem é Pocitos. É perto da rambla (orla do Rio Prata), com algumas atrações turísticas nas imediações e com muitas opções de restaurantes. Fiquei em hostel nesse bairro e fui muito bem servida de casas de câmbio (as melhores cotações), mercadinhos, transporte público, e até o aluguel de carro foi arranjado pertinho. Com exceção do último dia e do dia em Punta, todos os percursos foram feitos a pé ou de ônibus. Usamos taxi para ida/volta do aeroporto e também ida/volta da rodoviária. O que faltou ver em Montevideo e que eu lamentei bastante foi a Feira Tristan Narvaja, que acontece todo domingo, no centro; a visita a uma vinícula (as pessoas recomendam a Bouza); e o tour no Teatro Solis. Abaixo segue relato enxuto de como foi essa viagem. Roteiro da Viagem • 1º dia – Montevidéu • 2º dia – Montevidéu • 3º dia – Punta del Este • 4º dia – Colonia • 5º dia – Buenos Aires • 6º dia – Montevidéu Passagem aérea Reais 822,24 - com taxas Aluguel de carro Dolar 78,00 – 1 diária + GPS Montevideo Chegamos em Montevidéu de madrugada. Pegamos um taxi no guiché TAXI OFICIAL até Pocitos. A viagem de taxi foi 108 reais no total, 36 reais para cada. Ficamos no Hostel Destino26. Link do Hostel no booking http://www.booking.com/hotel/uy/destino26.pt-br.html No primeiro dia em Montevideo, passeamos pelo bairro de Pocitos. Andamos bastante pela belíssima rambla e também pelo Parque Rodó. No Parque, aos domingos, existe uma feirinha. No segundo dia , fomos para o centro de Montevideo. Visitamos o Mirador da Intendencia de Montevideo, que fica localizado no último andar da prefeitura. A vista é quase 360º e a entrada é gratuita. Recomendo! Continuamos o passeio andando pela Av. 18 de Julio até a Plaza Independencia, onde fica o mausoleo do General Artigas e Puerta de la Cuidadela. Lá também está o lindo e fotogênico Palácio Salvo, que possui um tour de visitação. De lá chegamos até o Mercado del Puerto. Tudo a pé! Foi um dia cheio. No último dia em Montevideo, preferimos pegar o ônibus turístico e conhecer as atrações restantes com mais sossego. O ingresso do ônibus custou R$50,00 (vendido no hostel). Descemos no bairro Prado para conhecer o Jardim Botânico, o Jardim Japonês e o Museu Blanes. Punta del Este Punta fica distante cerca de 1h30 de Montevideo. A estrada é tranquila e bem sinalizada, mas não dispensa o uso de GPS. Optamos por parar em Piriápolis, tanto na ida quanto na volta. Piriápolis é uma cidadezinha pequena e bem charmosinha. Antes de chegar em Punta, passamos em Punta Ballena, onde fica a Casa Pueblo. Tem bastante sinalização na estrada indicando o caminho. A Casa Pueblo é deslumbrante. O ingresso custou algo em torno de 20 reais. O mirante de Punta Ballena é bem pertinho e proporciona uma vista linda dos prédios de Punta. Os arranhas-céu de Punta são uma atração a parte. Cada um mais lindo que o outro. Paramos no Hotel Conrad para visitar o Cassino e almoçamos no centrão de Punta, na Av Gorlero. O que chamou atenção é que estava completamente vazia. Parecia uma cidade fantasma. Um balneário fora de época fica assim mesmo. Algumas lojas traziam avisos dizendo que só abrem na alta temporada. Passeamos pela orla e seguimos para o monumento Los dedos. Em frente ao monumento existe um mirante chamado La vista, mas não visitamos. O retorno para Montevideo foi tranquilo pegamos um pouco de transito apenas no final da viagem. Colonia del Sacramento Chegamos em Colônia de 11h da manhã. Fomos de ônibus, empresa COT, 2h30 de viagem. A passagem custou cerca de 60 reais, ida e volta. Uma tarde foi suficiente para conhecer todo o centro histórico e ainda fazer umas comprinhas. Passamos na Feira de Artesanato e nos principais pontos do centro histórico, além do porto. Andamos bastante, é uma cidadezinha pequena mas cheia de cantinhos lindos. Lembra Tiradentes e Ouro Preto. A hospedagem foi no Hostel El Viajero, que eu não recomendo. Só gostei da localização, de resto tudo péssimo. Ficou 84 reais, duas noites. Recomendo o Restaurante El Porton, fica na Av. Gal Flores. Provem o vinho da casa, é excelente! Buenos Aires A passagem de BuqueBus foi bem cara, ficou em 360 reais, ida e volta. O interesse era conhecer o Museu dos Beatles e fazer algumas comprinhas em Buenos Aires. O Museu dos Beatles fica na Calle Corrientes, 1660, em uma galeria chamada Paseo La Plaza. O ingresso é 28 reais. Foi muito bom! O acervo é muito rico e tem muita coisa interessante, engraçada e inédita (pelo menos para mim). Dá pra ir a pé do terminal fluvial até o Museu. As comprinhas foram em lojinhas da Calle Florida, mas os preços não estavam compensando muito. A viagem de buquebus é tranquila, o barco não balança e tem um free shop lá dentro!
  11. Callu

    relato Portugal – 15 dias – Agosto/2011

    Infelizmente não fui por essas bandas.. =D
  12. Olá! Mais uma vez deixo minha contribuição no fórum. Viajei para Minas Gerais na primeira semana de abril de 2014, aluguei carro e visitei Belo Horizonte, Ouro Preto e Tiradentes. Passei por Sete Lagoas, Mariana, Congonhas, São João del Rey, Resende da Costa, Lagoa Dourada, Conselheiro Lafaiete, Ouro Branco, Carandaí e Bichinho. Foram 9 dias de viagem. ROTEIRO DA VIAGEM 03/04 - Recife – Confins - BH 04/04 – Gruta Rei do Mato (Sete lagoas), Praça da Liberdade e Museu das Minas e do Metal 05/04 – Mirante das Mangabeiras, Mercado Central, Pampulha – Ida para Ouro Preto 06/04 – Ouro Preto 07/04 – Ouro Preto/Mariana 08/04 – Ida para Tiradentes - Estrada Real/Ouro Branco, Conselheiro Lafaiete, Tiradentes 09/04 – Bichinho 10/04 – Tiradentes 11/04 – Retorno Confins, São João del Rey, Resende da Costa e Congonhas 12/04 – Embarque para Recife PASSAGEM AÉREA Comprada em promoção na GOL: ida e volta Recife – Confins por R$391,04 (com taxas). ALUGUEL DE CARRO Foi AVIS. Antes tinha feito uma reserva com a Localiza, que tem parceria com a GOL: 20% de desconto na diária + upgrade do carro, bom né? Só que não. Alguns dias antes da viagem fui pra ponta do lápis e os valores não batiam. Liguei para a Localiza e descobri que eles cobravam a diária mais cara para essa promoção da GOL, ou seja, aumentavam o valor da diária para dar o desconto. Propaganda enganosa. Bom, cancelei a reserva que tinha feito e fiz outra pela AVIS. Total de R$440,00, sem seguro (pagamento do seguro com visa). Na hora de pegar o carro, não foi possível fazer a revista, pois o carro estava muito sujo (desconfio que não tinham lavado o interior do carro tb). Além disso estava chovendo muito e a luz do lugar era fraca, não dava pra ver nada. Falei isso pro funcionário e disse que iria fazer a revista no dia seguinte, com a luz do dia. No dia seguinte, olhei tudo e não tinha nada de errado com o carro. O problema foi na hora de devolver, pois nos cobraram uma lavagem especial no valor de R$30,00. Reclamei no balcão que tinha recebido o carro sujo e que não ia pagar nada além do valor combinado. Esperei uns 30 minutos e a atendente liberou sem a cobrança da lavagem. Fica a dica de cobrar da locadora um carro limpo na retirada. Apesar desse problema, a experiência com a AVIS foi boa. Usei o aplicativo WAZE para me locomover em Minas. Foi ótimo, não tenho reclamações e recomendo. O gasto de combustível ficou em torno de R$220 BELO HORIZONTE Fiquei duas noites num quarto triplo do Hotel Quality Afonso Pena. Valor da diária R$430 com taxas. O hotel é excelente! Bem localizado, estacionamento gratuito com manobrista, café da manha excepcional. Os quartos tem uma vista belíssima da cidade. Internet boa, atendimento bom. Não tenho do que reclamar desse hotel. Recomendo para quem não se importa de gastar mais um pouco por um serviço de qualidade. No dia seguinte fui visitar a Gruta Rei do Mato, que fica no município de Sete Lagoas. É um passeio imperdível, a entrada custa R$15 por pessoa. Na gruta eles dão de graça o mapa de Sete Lagoas, para quem quer visitar a cidade. O almoço foi no shopping de Sete Lagoas. De volta a BH, hora de conhecer a Praça da Liberdade e o Museu das Minas e do Metal. Entrada no museu é gratuita e é um passeio bem diferente. Recomendo. Deixei o hotel na manha seguinte, pois era dia de seguir para Ouro Preto. Antes passei no Mirante do Mangabeiras, que fica perto do hotel. Lindo! Imperdível. E de lá, segui para o Mercado Central (Municipal? Público?) e depois para o Complexo da Pampulha. Era um sábado de comemoração de 70 anos da Lagoa. Não contava com isso. Estava bem complicado por lá. Muita gente mesmo, tinha até uma roda gigante. Acabou que só deu pra ver os pontos turísticos da janela do carro. Mas valeu a pena pq a Lagoa é linda. O Mercado estava cheio tb. Comprei algumas coisinhas, recomendo comprar o doce de leite lá. Bem mais em conta (e mais gostoso tb) do que em Ouro Preto e Tiradentes. Tem estacionamento caríssimo no local. OURO PRETO O trajeto para Ouro Preto foi feito pela BR 040. A estrada é muito boa, bem sinalizada, mas em alguns pontos tem muitas curvas. Acho que fica complicado fazer essa viagem a noite, para quem não conhece a estrada. Cheguei em Ouro Preto ainda de tarde e deu para ver o por do sol lindo na cidade. No dia seguinte, visitei a Igreja do Pilar, a Casa dos Contos e o Museu da Inconfidencia. Não sou uma pessoa religiosa e pra mim bastou conhecer apenas uma Igreja. Quem gosta de turismo religioso deve ficar enlouquecido nessa cidade, tamanha a concentração de igrejas. Escolhi a Igreja do Pilar pq tem muito ouro e pq tem um museu no subsolo. Valeu o ingresso, paguei R$8 (ou R$10 não lembro bem). O Museu da Inconfidência é excelente!! Muitas atrações interativas, muita história, muita informação. Fiquei quase 3h lá dentro. Muito bom! Tem elevador para pessoas com dificuldade de locomoção, uma lojinha e guarda-volumes. O ingresso custa R$6. A Casa dos Contos a entrada é gratuita. Vale a visita para conhecer a senzala. No andar superior tem o museu da moeda. É interessante, mas minha visita foi prejudicada por um grupo de excursão, um povo mau educado, falando alto e tirando foto em tudo que é posição. Sai correndo. Mariana: segui para Mariana logo cedo, e foi tão cedo que cheguei antes de todo mundo. A Mina da Passagem só abria às 9h e o comércio deu mais de 9h e nada de abrir. Fiz um rolezinho no centro histórico, uma pracinha linda e deu. Voltei para a Mina da Passagem, R$ 35,00 bem pagos. Um passeio excelente. Parece inseguro, mas é tranquilo. Lá dentro é impressionante. De volta a Ouro Preto, foi a vez de conhecer a Feira da Pedra Sabão e a Casa da Ópera. A feira não era tudo o que eu esperava. Achei meio caro e tudo a mesma coisa. O feirante do lado vendia o mesmo produto do outro. Bom, vale a visita. A casa de Ópera é linda, o ingresso tem valor simbólico de R$2. Muito bonito. Restaurantes A melhor refeição que fiz em Ouro Preto foi num self servisse perto da Igreja do Pilar. Muito bom! Só não voltei nos dias seguintes pq, bem... tinha uma ladeira no meio do caminho. O nome dele é Sabor das Geraes. Quem tem disposição, vale ir todos os dias, pq é uma boa economia. Observei que os próprios moradores comem lá. Também experimentei a pizza do Restaurante Caldos de Minas, na Praça Tiradentes. Muito boa! Recomendo. Vi recomendações do Restaurante e Lanchonete Maria Bonita. Mas achei terrível. Saí correndo de lá. Hospedagem Fiquei na Pousada dos Ofícios, paguei R$255 em três noites num quarto triplo. É uma boa pousada, só é muito cara, como todas em Ouro Preto. O atendimento é bom, tem estacionamento gratuito, wifi pega bem. Fica distante 700 metros da Praça Tiradentes. O café da manhã é excelente, não só a comida mas a ambientação do salão. A decoração é linda e eles botam uma trilha sonora massa numa vitrola antigona. Adorei e foi um charme tomar café da manhã lá. Ahhh! E ainda tem uma vista linda da serra. DICA¹: Em Ouro Preto, deixe o glamour de lado e bote um tênis. Sapatilha escorrega, rasteirinha é desconfortável e salto nem pensar. Um tênis é perfeito para andar por Ouro Preto - Pegue um mapa da cidade no Centro de Informação ao Turista da Praça Tiradentes (lá tb tem banheiro). Veja o trajeto no mapa antes de subir e descer ladeira, no fim do dia sua canela agradecerá. DICA²: Deixe pra comprar artesanato em Bichinho ou Tiradentes, mais opções e mais baratos. TIRADENTES Saí de Ouro Preto e segui para a Estrada Real, a paisagem é linda na altura de Ouro Branco. Em Conselheiro Lafaiete, optei por seguir em direção a Barbacena e fazer um caminho diferente da volta. Tiradentes foi o melhor da viagem. Que lugarzinho mais fofo. Os moradores são muito simpáticos e atenciosos e a comida é de primeira. Fiz o passeio noturno da Jardineira, caríssimo, mas valeu a pena. Custou R$65,00. Visitei o Museu Padre Toledo, que decepcionou um pouco e tb o Chafariz de São José, que tem uma história bem interessante. Conheci a Matriz de Santo Antônio e andei a cidade inteira. Fui na doceria Flor de Lótus, que é muito recomendada. Achei muito caro e o que eu comprei lá não foi tão gostoso. Comprei bala de coco e um doce de figo com doce de leite. Eu sou apaixonada por doce de leite, mas não gostei dos doces de Tiradentes (nem dos de Ouro Preto). Provei doces caseiros, em barra, com morango, na palha... e nenhum me agradou. Mas fiquei apaixonada pelo doce da casca do limão. Mas não achei nenhum para comprar, só provei nos restaurantes. Perguntei onde poderia comprar e o funcionário do restaurante falou que não tem, esse doce era fornecido apenas para restaurantes de Tiradentes. Uma pena. O queijo da serra da canastra é uma delicia!!!! Comi muito e trouxe para Recife. Um queijo inteiro custa R$22 e meio queijo, R$14. Vele a pena! Os potes de doces de leite variam de preço, R$12-R$18. Também comprei geleias caseiras e goiabada cascão, gostei e recomendo para dar de presente. Tiradentes é bom pra andar, ver as lojinhas.. andar sem rumo naquelas ruinhas lindas. Visitei Bichinho. Adoro artesanato e esse vilarejo foi a minha perdição. Muita variedade de produtos e de preços. A dica é ir até o fim, até a placa que diz Prados em frente, e começar a ver as lojas do final pro início. Pois observei que os preços são mais baratos, e vão aumentando a medida que se chega perto da entrada do povoado. Entrei em quase todas as lojinhas de artesanato. Recomendo o atelier D. Ana, ela trabalha com madeira e faz quadros lindos. Restaurantes Tiradentes tem uma oferta incrível de restaurantes. Recomendo o Mandalun, que tem um cardápio muito variado e preço bom, e o restaurante Sabor com Arte, que tem uma decoração linda e um chopp massa. O almoço optamos por self service, restaurante Quinta do Ouro, comida boa, sobremesa boa, preço bom. Recomendo a loja Casa do queijo, para comprar doces e queijos. Os preços são levemente melhores que os de outras docerias. Hospedagem Fiquei bem no centro histórico, na Pousada do Ó. A diária para quarto triplo foi de R$200,00. O café da manha é simples mas saboroso. A pousada estava em reforma, mas deu pra ver que tem uma decoração bonita. O jardim é bem charmoso. Gostei e recomendo. O dono é muito gentil e até reservou o passeio de jardineira pra gente. O atendimento é bom e a internet pega bem. Tem estacionamento gratuito, mas nem foi preciso usar. RETORNO PARA BH-CONFINS Saí cedo de Tiradentes pois a ideia era passar por São João Del Rey, Resende da Costa e Congonhas. Achei São João Del Rey feia e sem graça. Resende da Costa é parada obrigatória para comprar artesanato de tecido. Tapetes, rede, toalhas, roupas, jogo de mesa, de cama.. uma infinidade de produtos. Infelizmente tinha pouco tempo e só pude explorar uma loja. Entrei na maior que achei e fiz a festa. Os preços são excelentes e o material de qualidade. Infelizmente não peguei o nome, mas fica do lado de um posto de gasolina, na entrada da cidade. Em Congonhas visitei a Basílica dos Profetas de Aleijadinho. Muito linda!!! Um lugar muito especial. Fica no alto da cidade e é um mirante tb. Vale muito a visita. No final da tarde cheguei em BH e peguei um engarrafamento gigante. Como o voo de retorno ao Recife no dia seguinte era pela manha, optei por dormir numa cidade perto do aeroporto. Fiquei no Hotel Grande Minas, em Vespasiano. A diária do quarto triplo ficou em R$184. Perto do hotel tem uma padaria e se quisesse andar mais, tinha um restaurante. O hotel é bom, o quarto e banheiro apertado, mas ducha e camas são boas. Café da manhã OK. Foi uma excelente opção ficar nesse hotel na última noite, pois fica a menos de 10 minutos do aeroporto Confins e foi possível acordar mais tarde e fazer tudo de forma tranquila. O QUE FARIA DIFERENTE 1) Foi um pouco estressante e muito cansativo dirigir a noite e com chuva até BH na primeira noite. O melhor teria sido ficar nesse Hotel Grande Minas e de lá partir para a Gruta no dia seguinte. Uma noite apenas em BH saíria até mais barato. 2) Recomendo deixar pra ir em Mariana no período da tarde. Fui logo cedo e não encontrei nada aberto. Saí de lá às 10h da manha e as lojas ainda estavam fechadas. 3) Passaria por Resende da Costa antes de chegar em Tiradentes, e não no fim. Fui depois e acabei ficando sem muito tempo e sem muito dinheiro. 4) Compraria muitos doces de leite no Mercado de BH. Os doces de lá são mais gostosos, mais variados e mais baratos. Um pote de 600g estava por R$7 no mercado, enquanto que um pote de 690g comprado em Tiradentes saiu por R$12. 5) Comprei um mapa de Tiradentes, mas nem precisa. A cidade é tão pequena que não carece de ficar vendo mapa. O prejuízo foi de R$1 =D Links dos hotéis que fiquei hospedada: Quality Afonso Pena - Belo Horizonte http://www.atlanticahotels.com.br/atlantica/hoteis/estrutura.asp?Numfuncionalidade=292&NumHotel=44 Pousada dos Ofícios - Ouro Preto http://www.pousadadosoficios.com.br/ Pousada do Ó http://pousadadoo.com.br/ Hotel Grande Minas - Vespasiano (próximo a Confins) Booking: http://goo.gl/sMTmqH Espero que gostem do relato!
  13. Eunice, obrigada por deixar seu relato aqui. Vou fazer exatamente a mesma viagem q vc, a única diferença é que não vou pro Inhotim, e sim para Sete Lagoas. Vou seguir a sua dica e depois de Sabará vou seguir para Ouro Preto pela 262, sentido Caetes. Mas eu não entendi bem por onde vc voltou para BH, no final da viagem. Vc saiu de Tiradentes, destino Congonhas e subiu pra BH foi? Meu voo de volta pra casa é num sábado de manha, eu estou pensando em ficar na noite anterior numa cidade próxima ao aeroporto. Lagoa Santa ou Vespasiano, o que vc acha? eu tb penso na economia, pois os hoteis de BH são mto caros. Eu nao vou levar GPS, tive uma experiencia muito ruim com GPS e nao uso mais. Baixei um app e vou confiar cegamente nele..
  14. Isabel, contratei uma agencia e fiz um tour de um dia nas duas cidades. Começou perto das 10h e terminou de 17h30, mais ou menos. Deu pra conhecer muita coisa, mas por conta de atrasos, o guia saiu cortando algumas atrações. Não foi tão corrido quanto eu imaginei que seria. Mas eu prefiro conhecer com calma, ter liberdade de ficar mais tempo nos lugares que eu mais gostar. Mesmo que isso signifique conhecer menos lugares. Como você tem tempo, e o seu perfil é bem parecido com o meu, recomendo sim deixar dois dias para essas duas cidades. Alias, lembro que muitos relatos aqui no forum recomendam isso tb. Espero ter ajudado.
  15. Callu

    Belo Horizonte

    Enio, muito obrigada pela ajuda!
×