Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

uzitour

Membros
  • Total de itens

    98
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Portugal, Espanha, França, Itália, Suíça, Alemanha, Perú, Argentina, Uruguay, Chile, Vaticano, Áustria, Bélgica, Holanda, Praga, Hungria, Vaticano, Equador, Colômbia...
  • Próximo Destino
    Panamá.
  1. uzitour

    Quito - A Chegada ao Equador

    Leandro, acho que não, hein. Não sei se você sabe, mas a moeda do Equador é o dólar, igualzinho como nos Estados Unidos. A parte boa é que tudo gira em torno de 1 a 3 dólares. Uma corrida de táxi dificilmente passará de 5 dólares. Pena que o real esteja desvalorizado.
  2. [creditos]Esse relato faz parte do site "Uzi Por Aí". Tentei fazer uma compilação das partes mais importantes, ou seja, as principais informações[/creditos] Vacina da Febre Amarela Como tudo que é ruim pode piorar, para entrar no Equador é obrigado estar vacinado contra a febre amarela. Eu havia me vacinado em 2008 e como a validade é de 10 anos, não havia necessidade de tomar outra, acontece que eu não tinha o comprovante e sem isto, não dá para tirar o documento que comprova a imunidade, o qual pode ser exigido ao desembarcar no país. O médico me fez uma prescrição e eu fui ao Hospital Emílio Ribas em São Paulo. A burocracia lá foi tanta que eles não aceitaram me aplicar a vacina. Fui então ao Hospital das Clínicas e lá pude tomar a injeção rapidamente. Na mesma hora me deram o Certificado Internacional de Vacina contra a Febre Amarela expedido pela Anvisa. Um dia depois tive como efeito colateral uma febre muito forte, mas que fazendo uso do Buscopan passou em dois dias. Do Aeroporto ao Centro Viajando pela Tame, companhia aérea que tem voos diretos entre Brasil e Equador, cheguei ao novo e único Aeroporto de Quito que fica muito longe do centro, cerca de 80 minutos. Logo no desembarque, avistei o estande, onde se pode comprar a passagem do Aero Servicios, bus executivo que leva o turista até o antigo aeroporto (que agora funciona como se fosse uma rodoviária), localizado no meio da cidade. O ticket custa 6 dólares. aeroporto de quito para o centro Estande para comprar a passagem do Aero Servicios. como ir do aeroporto de quito para o centro da cidade Ônibus do Aero Servicios, com ar condicionado e wifi. Há uma opção mais econômica para se chegar ao centro. Um pouco mais à frente da plataforma onde fica o Aero Servicios, há um ponto de ônibus coletivo que leva o turista até o Terminal de Rio Coca pela bagatela de 2 dólares. Os Táxis Tanto o aeroporto antigo quanto o terminal possuem estações de Trolebus, transporte público que abarca toda a cidade, mas depois de uma viagem longa a um país de terceiro mundo desconhecido, o melhor mesmo é pegar um táxi, que é muito barato por lá. Dificilmente a corrida custará mais de 3 ou 4 dólares. Você só precisa insistir que o motorista ligue (prenda) o taxímetro, pois alguns querem dar valores mais altos quando percebe que o passageiro é turista. Onde Ficar Centro Histórico ou Mariscal? Estes são os dois bairros preferidos de quem vai passear em Quito. O Centro é lindo e cheio de história, tanto que foi o primeiro a ganhar da UNESCO o título de Patrimônio da Humanidade. Mas apesar de ser onde se concentram os museus, as lindas construções coloniais e as demais atrações culturais, o Centro Histórico fica meio deserto à noite, o que acaba lhe deixando perigoso. Já no Mariscal a noite é extremamente movimentada. Os restaurantes ficam aberto até mais tarde, as baladas varam a madruga e os karaokês enchem, isto porque os equatorianos são fãs de karaokê, por lá ainda é moda. O ruim do Mariscal é que por ser reduto dos estrangeiros - tanto que é conhecido como "gringolândia" - não há muita interação com os nativos, na realidade até parece que você está em outro um país, um que não tem nada a ver com o Equador. Então dependendo do tipo de turista que você é, o Mariscal poder deixar a desejar, sem contar que os preços por lá são mais elevados e as baladas podem incomodar quem quer sossego. Por sorte, eu não fiquei em nenhum desses bairros, mesmo sem planejar acabei hospedado em um bairro residencial que ficava próximo dos dois. Hospedei-me por meio do Airbnb, numa casa em que a proprietária, Yadi, cuida bastante dos seus hóspedes. A diária custava 17 dólares para um quarto com cama de casal e com vista para os Jardins de Circaciana, que fica em frente à estação de Trolebus El Cólon. Após se cadastrar, dê uma olhada na casa de Yadi, de verdade acho uma excelente opção, pois Yadi e sua família são muito receptivos, além do que, por ter sido ela professora de espanhol por muitos anos, ela fala de forma bastante clara, um espanhol totalmente compreensível. Atrações Como não poderia ser diferente, usei o primeiro dia para andar pelo Centro Histórico, onde a maioria dos pontos turísticos se encontram. Quase ao lado do prédio Presidencia de la República está o Centro Cultural Metropolitano, no qual sempre há exposições de arte e atividades culturais. Como era o mês dos finados, as artes expostas diziam respeito aos mortos. Uma curiosidade sobre o Equador é que eles realmente levam a sério o dia de finados, estendendo a data pelo mês inteiro. Alguns metros depois do Centro Cultural cheguei à famosa igreja Companhia de Jesus. Ao vê-la por fora não achei muita graça, porém, assim que paguei os 2 dólares do ingresso e entrei, tive uma grata surpresa. De longe foi um dos templos mais bonitos que já vi. Toda a madeira do seu interior é banhada a ouro, o que faz os olhos de qualquer um brilharem. Como igreja é uma coisa que não falta em Quito, olhei no mapa e fui atrás da Basílica do Voto Nacional, a qual também é parada obrigatória. De repente o tempo mudou e a minha saúde se abalou. Entrei no primeiro KFC que vi pela frente. É curioso como a rede KFC é popular por lá, enquanto que o MC Donald's pouco se vê. O Equador é um dos únicos países que assim como Brasil comem feijão todo o dia, a diferença é que o feijão equatoriano é imenso. Lá fora a tempestade caia forte. Raios, trovões e relâmpagos. Assim que a chuva deu uma diminuída, voltei a andar pelo Centro Histórico com uma nova fotografia. Com o tempo fechado, parece que o branco das construções ganhavam mais vida. A impressão que tive foi que a chuva havia limpado a cidade. O que ocorre é que em Quito há vendedores ambulantes de tudo que se possa imaginar. Desde gelatina a pen drive, de meias a papel higiênico, o qual custava 1 dólar. Tanta gente vendendo deixa a cidade visualmente poluída.
  3. uzitour

    Bogotá

    Eu moro aqui em Bogotá faz 4 meses e estou gostando muito. Nunca sofri nenhum golpe, tendo cuidado não acontece nada. Posts e vídeos sobre a Colombia: http://www.uziporai.com.br/categoria/colombia
  4. uzitour

    Buenos Aires

    Pessoal, só uma dica, ao invés de ir para o Luján, pq não tiram o dia para conhecer a cidade de Tigre ou até mesmo La Plata, mais barato e mais fácil. Entendo que tirar uma foto alisando um leão pode ser atrativo, mas se vcs lerem relatos do zoo por aí, verão que não vale a pena.
  5. uzitour

    Roma

    Aline, como vc só vai conhecer Roma, acho que talvez valha a pena comprar o Roma Pass. O Papa aparece nas quartas e domingos, mas tem datas em que eles mudam, como parece ser o caso. Uma atração que não vi no seu roteiro é o Cinneccitá. Se vc gosta de cinema ou séries da HBO, indicaria passar por lá. É só descer na estação Cineccitá. Custa 10 ou 15 euros, dependendo do tipo de ingresso. No meu blog tem umas fotos do lugar, acho realmente imperdível.
  6. uzitour

    Barcelona

    Bom, a mais barata sem dúvidas é Lisboa, depois vem Barcelona e Roma é a mais cara. Olha entre Roma e Barcelona, eu gostei mais de Barcelona porque eu sou professor de espanhol, Barcelona é uma cidade limpa, organizada, enquanto Roma tá bem jogada às traças. Mas é claro que Roma tem suas atrações imperdíveis. Aconselho, vc ler alguns relatos sobre essas cidades. No meu blog, eu falo das três. Agora assim, se vc já conhece alguma cidade da Espanha, eu iria para Roma. Mas se a questão for mesmo financeira, eu iria para Lisboa, principalmente, se vc tirar um dia para conhecer Sintra, um dos lugares mais bonitos da Europa, em minha opinião.
  7. uzitour

    Machu Picchu

    Para quem está quebrando a cabeça para comprar a entrada de Machu Picchu, uma opção é mandar um e-mail para o hotel e pedir para eles comprarem. No hostel que fiquei em Ollataytambo, eles compraram e me cobraram 15 soles. Claro que é chato pagar mais, só que realmente esse site de comprar de Macchu é chato demais. Principalmente para quem só tem cartão Ourocard.
  8. uzitour

    Blog de viagem - Uzi Por Aí

    Novo vídeo de Bogotá:
  9. uzitour

    Bogotá

    Realmente, Léo. Estou gostando muito de morar aqui. De verdade me surpreendi com a recepção do povo. Sem contar que vim pra cá sem nada e já tenho três empregos. Melhor que o pai do Chris. ahahahh. Essa semana na praça Bolívar teve uma novena de natal muito bonita. Deixo o vídeo aqui, no site tem alguns outros.
  10. [creditos]Esse relato é um oferecimento do blog http://www.uziporai.com.br[/creditos] [...] As referências que eu tinha sobre Viena eram poucas, não sabia muito bem o que esperar. Pesquisando, vi que a maioria das atrações na capital austríaca se referiam à Sissy, personagem histórica que ficou mundialmente conhecida ao ser interpretada por Romy schneider na trilogia biográfica da rainha. Não muito empolgado com as informações que angariei, passei a ver Viena como uma cidade em que tinha que ir somente por estar no meio do caminho rumo a Budapest. Como Chegar Geralmente, os mochileiros e viajantes de plantão vão à Viena saindo de Budapest, de Bratislávia ou de Praga, que foi o meu caso. O percurso entre as capitais dura pouco mais de 4 horas. Ainda bem que ao meu lado sentou uma brasileira e fomos conversando por toda a viagem, o que fez o tempo passar voando. Como Comprar a Passagem de Trem A passagem mais barata que encontrei foi através do site da companhia tcheca: http://www.cd.cz, no valor de 538 coroas, o que equivale a 19 euros. Para comprar, basta clicar na aba “eShop” e preencher os espaços com o nome Praha e Viena, escolher a data, a hora, a classe, a categoria do passageiro (se é maior ou menor que 26 anos) e após preencher tudo, clicar em “seach”. Aparecerá as opções e o resto do processo é intuitivo, sem segredos. O destino final impresso na passagem será o da estação Wien Meidling, mas você também pode descer na anterior, Wien Hbf, que é a estação central recém-construída. Depende de qual delas a sua hospedagem estará mais próxima. Onde Ficar Viena é uma cidade extremamente cara. Encontrar um hotel barato centralizado não deve ser tarefa fácil. Já pelo Airbnb, encontrei opções mais acessíveis. Hospedei-me na casa de um casal de músicos, Suzana e Stéfano. O quarto era pequeno, porém muito confortável, a casa era limpa e a localização bastante cômoda, ao lado do metrô Taborstraße, no bairro de Leopoldstadt, isto é, há poucas quadras do centro turístico. Ao entrar em contato com os propriedades, pechinchei e eles me fizeram a diária por 25 euros, sendo que o preço normal era de 35. Atualmente, o anúncio deles parece estar com algum problema, em todo o caso, deixo o link, caso queiram averiguar: https://www.airbnb.com.br/rooms/173375 No site eu dividi o relato em dois, mas aqui colocarei os juntos, assim que um trecho ou algumas fotos podem ficar faltando. Atrações Assim que cheguei à casa, começou a cair um toró com direito a raios, relâmpagos e trovões. Da janela do quarto, eu via os raios caindo por toda a cidade. Então como tenho medo, fechei tudo, apeguei as luzes e fui dormir. Quando acordei, a tempestade já havia passado e em breve cairia a noite. Pensando em comprar alguma coisa para comer e logo em seguida voltar para casa, pois não gosto de andar à noite por lugares que ainda não me familiarizei, comecei a andar, andar e quando dei por mim já estava em meio ao centro histórico. Simplesmente, o que eu via era tão bonito, que já não queria voltar para casa. As ruas de Viena me atraiam a continuar lhe explorando. Minha primeira impressão foi que Viena parece muito a Paris, principalmente, pelos detalhes de ouros nos prédios e estátuas. Mas além da beleza, o centro da cidade me chamou a atenção pelo clima de segurança, de simpatia. É difícil explicar, talvez fosse devido ao tempo que estava agradável… Alguma coisa acontece de extraordinário no ar que realmente é inexplicável. Andando pelo centro, pude comprovar o quando Viena é ligada à música clássica. Estando com tempo e dinheiro, sugiro assistir a algum concerto. Mesmo que não goste desse tipo de música, vale a pena passar pela experiência de ver uma ópera num dos imponentes teatros da Áustria. Mas entre tantas construções impactante, o que realmente atrai as câmeras fotográficas é o parque Volksgarten, principalmente se você ter a mesma sorte que eu em vê-lo na primavera. No dia seguinte, após ficar encantado com o centro, fui de metrô até a estação Wien Quartier Belvedere para conhecer o Palácio de Belvedere, uma das locações de “Em Família”. Para entrar no jardim não paga nada, mas se acaso queira conhecer o palácio por dentro terá que desembolsar 12,50 euros, valor que não paguei, pois já havia decidido conhecer o castelo da Sissy. De todos os modos, para quem quiser comprar a entrada do Belvedere pela internet, o site é esse: http://www.belvedere.at/de/tickets Sem entrar no palácio e nem nos museus que tem por lá, continuei andando pela cidade e acabei me perdendo, porém não tive problemas. Ao me perder em Viena, encontrei atrações que nem sabia que existia. O Turismo da Sissi Reza a lenta que Viena não conseguia competir de igual para igual com cidades icônicas como Roma e Paris. Pouco visitada por turistas, o governo queria mudar esse quadro, foi então que tiveram a ideia de permitirem que as gravações de um filme sobre a Sissi fossem feitas nos cenários reais pelos quais viveu a imperatriz. A estratégia funcionou. A trilogia protagonizada por Romy Schneider foi um sucesso mundial, o que elevou a personagem histórica ao patamar do mito, tal qual Evita, Princesa Diana e, para citar um exemplo brasileiro, Xica da Silva. A fim de ver ao vivo os cenários dos filmes e seguir os passos da mítica Sissi, o turismo em Viena nunca mais foi igual. Até hoje, multidões se deslocam à Áustria para conhecer as três principais atrações referidas à imperatriz que são: o Palácio Schönbrunn, o Hofbrug Wien (apartamentos imperiais) e o Imperial Fuurniture Collection (onde está o mobiliário usado nos filmes). Sissi Pass Esses três lugares estão em endereços diferentes, assim sendo, caso não possa ir em todos eles, é possível comprar as entradas separadamente, mas se você quer mesmo conhecer os três, então sairá mais barato comprar o Sissi Pass que dá direito a entrar em todos eles pelo preço de 25,50 euros, uma economia de mais ou menos 9 euros. Você pode comprá-lo através do site http://www.imperial-austria.at/all-tickets.html ou comprar diretamente na bilheteria de uma dessas três atrações. Sissi e Zoo Eu tinha decidido comprar na entrada do Palácio Schönbrunn que é o principal do pacote e também o mais caro se comprado separadamente (11,50 a visita simples e 14,50 a visita vip), no entanto, assim que cheguei lá, descobri que ao lado do Palácio Real havia o Schönbrunn Zoo, um zoológico com pandas e outros animais raros. Como não é todo o dia que a gente tem oportunidade de ver um panda, afinal, só existem 33 no mundo e 90% deles estão na China, resolvi que não compraria o Sissi Ticket e sim um outro pacote que custava 29,50 euros e dava direito a conhecer o zoológico, o Palácio e mais algumas atrações pequenas que ficam dentro do parque, como: a casa dos répteis, o labirinto, o mirante do jardim e uma aula na padaria Strudelshow com direito a um pedaço de Strudel grátis. Comprei esse ticket na bilheteria do zoológico, mas é possível comprar apenas a entrada do zoo, separadamente o preço é de 15,50, podendo também ser adquirida no mesmo site acima. Como Chegar Para chegar ao parque onde está o Palácio e o Zoo é muito simples. Basta pegar a linha U4 do metrô e descer na estação Hietzing. Chegando por essa estação o portão do parque mais próximo fica apenas a uns 200 metros e o melhor é que nessa entrada há uma loja de chocolate Lindt. Os preços lá não são tão baratos como na Suíça ou na Holanda, mas são melhores que no Brasil e você ainda pode experimentar uma trufa de graça. Gostei muito do Schönbrunn Zoo. Achei os animais bem cuidados e melhor separados do público, isto é, não são obrigados a estar nos lugares de exposição, respeita-se a vontade do animal de ir e vir. Diferente, por exemplo do Zoológico de Luján em Buenos Aires, o qual não fui e nem aconselho ninguém a ir devido às denúncias de maus tratos, o zoo de Viena é um programa imperdível. Terminado a peregrinação pelo zoológico, fui conhecer as outras atrações que meu ticket dava direito. O primeiro em que passei foi no Schöbrunn Maze, o labirinto em que o ingresso separado custa 2 euros, mas que não vale nem isso. É uma atração legalzinha em que você tem que achar o meio do labirinto para poder subir na plataforma e assim tirar fotos de cima. Já cansado de ver tanta coisa, ainda faltava fazer uma parada no Wagenburg, o museu que expõe as carruagens e o figurino de Sissi. A entrada não estava no incluída no meu ticket, então tive que desembolsar 3 euros, o que valeu a pena. Depois dessa overdose de Sissi, não quis mais ver os outros museus sobre a imperatriz e tirei o quarto dia para fazer um bate-volta à Bratislávia, a capital da Eslováquia. Sobre Viena resta dizer que, como visto na parte 1, a cidade vai muito além das atrações que lhe deram fama. [creditos]No blog o relato está dividido em duas partes e aqui eu as juntei, no entanto, deixei alguns trechos e fotos de fora, caso queira ver mais é só acessar: http://www.uziporai.com.br/2014/12/austria-viena-sissi-e-os-pandas-parte-2.html[/creditos]
  11. uzitour

    Blog de viagem - Uzi Por Aí

    Atualmente estou postando no blog muitos vídeos de coisas interessantes que vejo em Bogotá, cidade onde estou morando há um mês. O último vídeo que gravei foi a apresentação que o grupo australiano Strange Fruit fez por aqui. Olhem só que bonito:
  12. uzitour

    Bogotá

    Olá, assim como a Lu aí em cima, eu também estou morando em Bogotá, dando aulas de português e sendo consultor literário. Respondendo a questão do rapaz que quer alugar um carro, posso dizer que o perigo que você pode enfrentar é que realmente está chovendo muito. Pelo menos em Bogotá chove um dia e sim no outro também. Já não está mais perigoso viajar de carro por causa das FARCS, entretanto, ainda há muitas blitz falsas, então todo cuidado é pouco. No meu blog de viagem, o qual eu já tenho há mais de três, estou escrevendo muita coisa sobre Bogotá, principalmente filmando as coisas interessantes que tem por aqui. E nesse domingo (07/12) tivemos uma apresentação do grupo australiano Strange Fruit. É muito bonito o que eles fazem. Deixo o vídeo para que vejam:
  13. uzitour

    Áustria Geral - Perguntas e Respostas

    Lembrando que se comprar pela internet, você só recebe um código. Depois, quando já estiver no país, precisa retirar a passagem nas máquinas da estações tendo o código em mãos.
  14. uzitour

    Roma

    Ah, sim. Já ia me esquecendo, se você gosta de cinema tem a Cineccitá, produtora mais famosa da Itália. Lá você pode a cidade cenográfica da série Roma, além de outras coisas. No meu relato tem fotos e mais algumas informações sobre o lugar. Acho de verdade, uma atração imperdível.
  15. uzitour

    Roma

    Tem sim. A entrada do Coliseu que vem junto o Palatino e o Fórum Romano. Acho que eu comprei por 18 euros (o pacote com os três). O site para comprar é esse: http://www.ticketclic.it/ No meu relato à Roma, tem outras atrações para vc decidir o que vale a pena para você, já que cada um tem um gosto: http://www.uziporai.com.br/2013/08/relato-de-viagem-italia-para-roma-com.html
×