Ir para conteúdo

cmmurakami

Membros
  • Total de itens

    4
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Olá pessoal! Vim dar uma pequena contribuição com uma trilha super recomendada. Muito se ouve falar em Ushuaia, Patagônia, etc. Acabei de voltar de uma viagem à Ushuaia/El Calafate/Torres del Paine com minha namorada, e acabou que descobri muita coisa legal, e o que eu achei que seria uma viagem de passeio, se tornou uma das aventuras mais difíceis que já fiz. Como tem muita coisa na net sobre os pontos mais turísticos, resolvi relatar sobre uma trilha que não li muito: o Vinciguerra. O Vinciguerra, se não me engano, é um glaciar, uma das montanhas ali em Ushuaia. Vc sobe desde a base, o chão, o nível da cidade mesmo, e chega até quase o topo de uma das montanhas, aquelas que vc vê branquinha lá da cidade. São cerca de 850m de desnível, subida que exige muita perna e fôlego. Nós compramos o passeio pela agência Brasileiros em Ushuaia, que fica na av. San Martin, com um pessoal super prestativo (brasileiros). No dia da trilha, uma van te leva até o início da trilha, numa estradinha de terra. Lá vc recebe um lanche e um stick (um daqueles apoios de metal usado para esquiar), é uma santa ajuda. Como fomos no final de abril, quando o inverno está quase chegando, é preciso ir de bota de trekking impermeável, calça de trilha, se possível impermeável, e jaqueta impermeável. Além do mais, é bom levar gorro, óculos de proteção (pode ser de sol mesmo) e luva. Além do mais, eu recomendo que apenas vista uma camiseta manga comprida leve, transpirável, e uma jaqueta quente por cima, pois apesar do frio e vento, a subida cansa e esquenta o corpo, e fará vc transpirar tanto que vai ter de tirar a jaqueta. Portanto, vá com pouca bagagem na mochila, pois terá de carregar a jaqueta. Mas se vc não é como eu, que sente bastante calor, então vai ter de levar algo a mais para se manter aquecido. A trilha começa com cerca de uns 45min de caminhada no plano sobre a terra e uma vegetação fofa e encharcada, pois naquela região fria, o solo não absorve bem a água, então, em muitos lugares, há várias pocinhas de água, e mesmo onde não há poça e vc pisar na grama, ela afunda e a água sobe. Ao começar a subir a montanha, vc estará cercado de árvores altas, então não venta, e aí é que vc começa a sentir calor. A subida é interminável, tem que andar devagarinho, passinho de pinguim, numa inclinação que se bobear nem jipe sobe. O bom é que a trilha às vezes caminha de lado, então não é sempre subida. Uma coisa legal de se presenciar, é que, chegando mais acima, a neva começa a aparecer, a vegetação fica coberta de branco e vc percebe que está num lugar alto e frio, onde o gelo não derrete. Os sticks são muito úteis, pois se sobe com o apoio deles,e não somente com as pernas. São úteis também na descida, pois os escorregões são frequentes, pois como eu já comentei, o terreno está quase sempre molhado. Chegando mais acima, começa uma nova subida tão forte quanto a primeira, só que agora ao ar livre, sem árvores, somente pedra, e uma queda que faz vc pensar que, um escorregão, te leva ladeira abaixo em poucos segundos, ajudado pelas pedras soltas. Nessa época, há bastante gelo e vento, portanto, não se esqueçam do gorro ou capuz. Depois de algumas horas subindo, chega-se ao lago Los Tempanos. É um lago verde muito bonito, em que a borda estava congelada. Toma-se um tempo para comer o lanche que o guia te dá, mas lembre que, ao parar, o corpo vai começar a esfriar, e por isso a caminhada começará logo. Dali para frente é só neve e pedra. Subimos mais um pouco e vamos margeando este lago, onde a trilha é tão perigosa quanto, pois novamente, qualquer escorregão, vc cai direto para o lago. Dali para frente, a trilha fica mais difícil, pois vc pisará somente sobre pedras soltas e neve. A neve não atrapalha, e sim o gelo sobre a neve, que escorrega, além das pedras que se mexem. Porém o que vc encontrará é ainda mais compensador que o lago. Há cavernas com um monte de neve dentro, há inclusive uma caverna feita de puro gelo! Vc vê as bolhinhas de água congeladas, dá até para lamber a parte da caverna. É muito interessante! Há também lagos congelados onde pode-se brincar de pinguim, escorregando de barriga (é claro que ninguém teve coragem). Posso dizer que, nesse trekking, há algumas coisas muito interessantes, bonitas, até impressionantes, mas nada que vc possa dizer que é maravilhoso. O legal dessa trilha é o final, o que se encontra lá (lagos verdes congelados, cavernas de gelo e de neve, geleiras), e ela em si, ou seja, vc saber que subiu a pé uma das montanhas da Cordilheira dos Andes. Para efeito de comparação, para quem já fez a trilha para Las Torres, em Torres del Paine, eu diria que é mais difícil que TdP, e mais perigoso também, pois em vários momentos eu sentia que, um escorregão maior, poderia me obrigar a voltar de lá só de helicóptero (se não estivesse congelado). Eu escorreguei uma vez na margem do lago los Tempanos, e só vi as pedras rolando ladeira abaixo e caindo no lago congelado (e quebrando sua fina camada de gelo). Por outro lado, achei TdP mais bonito, per ser um parque nacional, por toda a paisagem que se vê e muda a cada hora, etc. Como não estou totalmente a par das regras do forum, quem quiser algumas fotos e mais dicas, mandem MP que mando o link das fotos. Abs
  2. Permitam-me contribuir sobre o Glaciar Perito Moreno. Acabei de voltar de uma viagem à Ushuaia/El Calafate/Torres del Paine. Foi uma viagem de aventura, com trekkings pesados em quase todos os passeios, em todos esses lugares. Como o tópico é sobre o Glaciar Perito Moreno, eu recomendo que façam o Big Ice! Só tomem cuidado, pois nesta temporada, o Big Ice se encerrou no dia 30/04. É preciso entrar no site da Hielo y Aventura para ver quando recomeça o Big Ice. Já o Mini Trekking, eu não sei se há essa pausa, pois pelo que vi no mapa de um colega aqui, o trajeto é curtinho. Quanto às condições físicas da pessoa, eu acho que qualquer pessoa que pratique atividades físicas regularmente está preparado para fazer a trilha. No site da empresa e os próprios guias focam bastante sobre suas condições físicas para fazer o passeio. Dizem que é para ter entre 18 e 45 anos, não pode ter fraturas recentes, cirurgias recentes, marcapasso etc etc etc. Dá a impressão de que, ou o negócio é aterrorizante (de dar sustos no coração) ou exige um esforço físico tremendo. Porém, quando eu fiz, não achei nada de mais. Nem eu e nem minha namorada. Porém, vejam, fazemos atividade física regularmente, e os trekkings que fizemos em Ushuaia (Vincigerra) e em Torres del Paine (las torres) foram, no mínimo, 2x mais difíceis que o Big Ice. Nós reservamos pela internet cerca de 2 semanas antes, com medo de chegar lá e não ter mais vagas. E ainda bem que fizemos isso, pois o ônibus estava lotado, e o mais legal é que vai muito estrangeiro, principalmente europeus e asiáticos. De um grupo de cerca de 20 pessoas, só tínhamos eu e minha namorada de brasileiros. A parte mais puxada é a trilha pela montanha, que se faz até chegar ao gelo. A trilha margeia a montanha ao lado, e tem muitos sobes e desces, em que um escorregão pode te machucar. Os guias vão num ritmo constante, eles param apenas para explicar sobre o lugar ou sobre os equipamentos, portanto, se tiver algum retardatário, eles vão te apressar. Andar sobre a geleira é um tanto cansativo, por isso, fôlego e pernas boas são importantes. Roupas que acho bom usar são: botas impermeáveis (em El Calafate há várias lojas que alugam), calça de trilha (impermeável é melhor, pois vc vai parar no meio do gelo para almoçar, e vai querer sentar em algum lugar...), mas tem muita gente que vai de jeans mesmo, não muito problema. Jaqueta impermeável e óculos para o frio, pois no verão, o branco do gelo reflete completamente o sol, e no inverno, venta muito. E não pode se esquecer da comida. Ah, e evitar também levar comida ou coisa solta do lado de fora da mochila, como garrafa de água, pois eu vi alguém lá tropeçar no gelo, e sua garrafa de água de plástico escapar, e aí o negócio foi deslizando até cair numa das fendas, e aí já viu né, poluiu uma maravilha da natureza com um material que leva no mínimo 100 anos para se decompor em condições normais (mas a gente sabe que, em temperaturas abaixo de zero, o negócio se mantém quase que eternamente). Abs
  3. Pessoal, sei que o tópico é antigo e que muitos já compraram suas mochilas, mas quero relatar minha experiência. Há pouco mais de 1 ano comprei no Uruguai uma Salomon Trailblazer 30l que carrego para todo lado. Ela é de ótima qualidade e muito flexível. Sempre tive laptops grandes, de 17 polegadas, e o meu cabe na Salomon direitinha (um pouco justa até). Comparei com North Face e Deuter, e concluí que a Salomon é muito melhor pois é bem acolchoada não só nos lados, mas embaixo também. As concorrentes não são tanto assim. Outra marca que eu conheci que é boa também se chama MEC (Mountain Equipment Co-op). É canadense e bastante famosa nesse país, e por ser forte em trilhas em baixas temperaturas, o material é mais grosso que as concorrentes. Pena que não acho no Brasil. Já a Salomon é forte em produtos de esportes de inverno, como ski, botas, etc.
×
×
  • Criar Novo...