Ir para conteúdo

misterjovem

Membros
  • Total de itens

    7
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que misterjovem postou

  1. Oi dgosouza. Como ñ tenho minima do seu perfil, fica dificil dar dicas + adequadas. Sendo assim, vou dizer como programaria se fosse eu a viajar. 1- Já fiz montão de viagens incluindo Exterior, só, de grupo, de excursão, misto,etc; p/ diversos lugares: praias, cidades, montanhas, ruínas, minas, no frio, no calor, na chuva.... 2- P/ 1ª viag. é melhor viag. + curta, + próxima, menos locais p/ curtir. Assim, cansa menos, menos peso na mochila, menos problemas e aborrecimentos (lembre-se> vc é marinheiro de 1ª viagem) a enfrentar(pode chegar a ponto de querer desistir do resto). Dá p/ conhecer melhor c/ calma os lugares, amizades + estáveis, mudar de roteiro na hora caso não estiver de agrado, s/ se preocupar em como cumprir o resto do programado. 3 - Eu já estive nesses locais citados - menos Jeri- mas o fiz em 9 férias curtas emendadas c/ feriados . Jeri vai ser a próx. esticada. 4- Maceió vale + q. João Pessoa: Porto de Galinhas -ficar uns dias. Beach Park p/ quem gosta de adrenalina é perfeito. Jogue-se no tobogan "insano" e vai sentir na pele o que é frio na barriga. rsrs. Lençois Maranhenses e demais lugares; proteja-se de verdade c/ filtro solar, boné, oculos de sol. S.Paulo
  2. Serve esta msg. de ALERTA p/ quem pretende voar p/ Caracas-Venezuela, mesmo q. depois siga p/ Caribe, Aruba, Curaçao, etc. Fiz 2 voos em 2011: 1 p/ conhecer Canaima c/ cachoeira de Angel, ilhas Los Roques. A outra p/ seguir à Bonaire e St. Maarten. 1ª alerta; há 2 cambios p/ trocar os USD p/ moeda local. o oficial e o papalelo q. paga ~dobro. Daí Não converter em guiche exchange do aeroporto e nem nos bancos. Há muitos doleiros no saguão querendo pegar seus dolares. P/ sua segurança e certeza de não estar pegando notas falsas, é trocar c/ seu receptivo/guia ou no hotel q. vai se hospedar. 2ª; Troque na medida q. pretende usar. Na saída, se estiver c/ muita moeda local, ninguem, nem mesmo exchange oficial , bancos irão converter. Vai morrer c/ esse mico. As lojas do aeroporto, todas estatais, se aceitar, fará em cambio oficial. 3ª. Venezuela cobra taxa de saída e em dolares. Não aceita moeda local. 4ª. Pensar q. ao voltar, poderá trocar os bolivares sobrados em qualquer casa de cambio no Brasil - credo engano. Ninguem troca. Experiencia propria - eu consegui a duras penas fazer a troca só em Buenos Aires, assim mesmo só em 1 casa doida q. cambia qualquer moeda. Abraços - [email protected]
  3. Oi Sheiter Quahdo vc. pretende ir p/ Bonito ? Estou seriamente pensando em dar um mergulho lá. Q.tal irmos juntos ? Qto. a Nordeste já fui em varios pontos. Se quizer posso dar m/ opinião. Madá é bom p/ quem gosta realmente de se aventurar, de viver em suspense ...no meio do povão só de negros reluzentes "zoiando" c/ olhos brilhantes fixos. urrrrr Durante toda m/estada ñ cruzei c/ nenhum oriental (alias eu era atração turistica ...). O guia disse q. eu era pimeiro japa q. via e deve ser o último. P/ crianças negras - ñ há morenos - eu era um ET. Chegavam perto e me beliscavam. Ao Guaximim - eu adoro alpinismo. natureza, caminhada, acampamento tambem. Tenho cruzado c/ pessoas q. ñ curtem nada disso. ex.; Qdo fiz tour p/ Grand Canyon - USA - um moço lamentou - Pô. aqui ñ tem nada !! Qdo convidei uma turma p/ ir ao pico do Jaraguá,uma turminha perugntou- subir para quê ? Já circulei por muitos países onde não há nada do governo nosso, nem deles aqui. Muitos se pega visto na entrada. Fui p/ Bosnia agora. Sabe q. o nosso governo não soube me informar qto. ao visto ? Pediu p/ eu entrar em contato c/ país vizinho e perguntar...(sic). Já curti Noronha, ilha Grande, Comprida , do Mel, do Cardoso, San Andreas, Cozumel, Bahamas, Puerto Rico, Hokaido, as ilhas do Caribe,etc. Falta Marajó,Bananal, Hawai, Pascoa, Brunei. Alguem tá a fim ? abs.
  4. Oi Sheiter e demais Não fui p/ Reunião. Fui p/ Maurício, + badalado e civilizado. Em Madá, tirando Antananarivo - capital - demais cidades são sofriveis. ou eja, vc sofre. Fiz mergulho. Não é lá como de Galapagos ou das costas autralianas, mas, valeu. As praias s/ novidades - águas são como dáqui, turvas. Legal é fazer trilha no mato dos lêmures (c/ guia + gorjeta, mesmo pagando entrada c/ guia). Pode-se fazer também caminhada noturna. Há uma variedade enorme não só de lemures como de camaleão, sapos. Vcs. estão seriamente pensando em ir p/ Madagascar ? abs.
  5. Gosto de visitar tb. locais fora do circuito batido de turismo. Em Madá vivem os lemures ao natural nas reservas do Estado. Hospedei num lodge a beira do parque. Na 1ª noite, na escuridão do mato, fui acordado c/ "choro/grito" desses animais. Como eu ñ sabia q. eram dos bichos, imaginei q. fosse briga dos crioulos ao lado do meu chalé. Fiquei aflito pacas porque o chalé, apesar do conforto, p/ dar o ar de rústico, as paredes eram de sapé. Bastava um empurrar o outro contra a "parede" q. acabaria rolando no meu quarto ! Visitei outro onde os animais ñ estranham pessoas. Pularam nas minhas costas, acocoram nos ombros, na cabeça... fizeram festa comigo. Senti-me um Tarzã. ohhh
  6. Oi Pessoal. Depois do traumatico madagascarino tour voei p/ ilha Mauricio. Apesar dessa ilha não ser Aruba ou St. Marteen, senti um tremendo alívio. Á Cris, se vc. souber de antemão o q. se espera, que postura tomar ? São autoridades q. achacam os turistas c/ caras de abonados. Mesmo q. se "falsifique" como de morador do país,- pintar-se de preto, carapinhar cabelos, roupa surrada, chinelo gasto nos pés, trouxa em sacos plasticos pretos/ caixas de papelão amarrados - (eles passam diretos nos controles), ao ver seu passaporte, com fica ? Hã ? Os taxis são charretes puxados por .... magros homens locais. P/ ir mais longe há antigos carros (vale aventura) c/ cambio-puxador na coluna de direção. Porem estreja preparada p/ se parada toda hora por policiais de transito - p/ "ver' documentos. De curiosidade, no mercado há vendas de caranguejo vivo todo enlameado de barro. Na rua, crioulas c/ cara toda pintada de branco. Vilas, povoados c/ ruas só de terra onde não pssam carros, simplesmente porque não há carros nessas cidades. É o lado bom -s/ atropelamento, s/ poluição... abraços
  7. Viajei p/ Madagascar no final de fev/2011. Se vc. está planejando ir p/ lá, mude p/ outros destinos. O país é pobre e a pobreza deprimente está à vista em todos os lugares.Não há infraestrutura p/ turismo. Os funcionarios publicos estão àvidos de subtrair valores de turistas q. se mostrarem + c/ grana, de forma descarada. É preciso visto de entrada ao país q. se obtem de graça, p/ turistas de pouca permanencia, na chegada ao aeroporto. Acontece q. o passaporte passa nas mãos de 4(QUATRO !) funcionarios. Sou descendente japones e m/ mala tem ideograma. A bagagem minha e de um gringo, na chegada, não apareceram na esteira. Fomos p/ balcão de reclamação. Enqto. faziamos a queixa, o encarregado de bagagem entra na sala c/malas, só q. c/ uma mão já estendida na nossa direção na posição típica de pedir gorjeta ! Ou seja, de proposito, reteve as malas c/ intuito de ganhar alguns trocados. Isso na presença de uma policial q. viu c/ maior naturalidade. Nos embarques de voos internos, SEMPRE os inspetores de bagagem pediram gorgeta, na maior cara dura. Na saída do país, como fazia muito calor, havia tirado dinheiro do bolso e posto na mochila e o raio-x do aeroporto deve ter mostrado. A mochila sofreu inspeção pente fina até agente encontrar a grana. Ele começou a contar as notas. Outro agente senta de costas na mesa de inspeção p/ cobrir o colega. Há muitos passageiros em volta. Ele me leva p/ cabine, dizendo q. precisa fazer inspeção corporal. Ato continuo, ele enfia as 2 mãos nos 2 bolsos da m/ calça. O outro agente entra na cabine. Pega mochila, abre e retira a grana. Não é de deixar a gente em pánico ? Bem, acabou não roubando nada, pois arranquei a grana, saí rápido da cabine gritando alto. Mesmo assim, um superior veio a mim, dizendo ser inspeção de rotina, em vez de admoestrar os agentes. Esse superior tambem contou as notas enqto. fazia perguntas bobas. A m/ interpelaçao em voz alta da ação sem cabimento deles, fez me liberar. Não desejo à ninguem, a ser submetido à uma ação tão traumatica num país em q. os brasileros não tem proteção nem consular. de [email protected]
×
×
  • Criar Novo...