Ir para conteúdo

Xiru Sander

Membros
  • Total de itens

    121
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Bio

  • Ocupação
    Fotógrafo
  1. Xiru Sander

    Barracas AZTEQ

    Bem, tem duas questões aí. A do rasgo e a do serviço/garantia. . Péssimo mesmo vir rasgada. Nao devia acontecer. Mas uma coisa é uma exceção, que acontece em todas marcas. Outra é se á algo que acontece com frequência. Pelo visto aqui no fórum (que é apenas uma pequena parte do universo mochileiro do BR), é raro acontecer. ... Quanto à garantia, é isso mesmo. A loja está certa. Sim, podiam oferecer uma troca, ganhariam pontos com isso. Mas ela ainda assim tá no razoável. A garantia expirou, mas a empresa ofereceu um conserto free. Não dá pra jogar toda a (compreensível) frustração em cima da marca só. Precisa assumir também o erro de não conferir o equipamento dentro do prazo de garantia. Ao comprarmos, devemos testar, mesmo que em casa. Olhar o equipamento apenas 11 meses depois é assumir o risco. Eu no teu lugar estaria também chateado com o rasgo. Mas enviaria (sem custo, como ofereceram) pro conserto. E bola pra frente.
  2. Comprei há pouco um isolante autoinflável Sea to Summit Comfort Light. Na Alta Montanha. Já comprei várias vezes da loja, sempre atendimento muito bom. A princípio não é o "alvo" da reclamação. . Recebi, inflei, e quando deitei em cima dele, comecei a ouvir uns barulhos estranhos. Fui ver, o tecido descolou da espuma. Entrei em contato com a loja. Me disseram que podem resolver mais sugeriram que eu tentasse direto com a Nautika, que seria mais rápido. Mandei email ontem pra Nautika, to aguardando resposta.
  3. Opa, legal Eu já usei bastante a italianinha. Não pra trilha, muito pesada. Mas como estou na canoagem, o peso dela no compartimento estanque do caiaque (aprox 2x de 90L) não faz muita diferença. 😃 . Uma observação: não existe "original", visto que se trata de uma forma bem antiga de passar café A Bialetti faz boas cafeteiras. Aliás, ela faz umas de INOX. Estas baratinhas (ás vezes caras) de alumínio, teoricamente, fazem mal ao nosso organismo a longo prazo. Como todo utensílio de alumínio que esquentar. . Eu já sou mais da Aeropress. Ou a Pressca. São de plástico (sem BPA), mais leves. Ambas fazem cerca de 300ml de café. A Pressca só funciona com moagem grossa, pra prensa francesa. A Aeropress funciona bem com qualquer moagem/café. .
  4. Otávio.... poderia me dizer que comprimento tem que deixar o bastão? To cogitando a possibilidade de usar com remos (canoagem oceânica).
  5. cara, como é dificil achar barraca com um mínimo decente de tela, pra clima quente. As da Quechua e praticamente todas ''feitas'' no Brasil não possuem quase nada de tela. Minipack, Nepal, Bivak... essas tem muita tela. Mas não achei nenhuma ''grande'' que seja telada. Tudo bem fechadas, com tela só na porta ou num pedacinho irrisório mais ao teto.
  6. Pessoal A selação das costuras da minha barraca aqui começou a descolar, meio esfarelando. Comecei a tirar pra reaplicar impermeabilizante nas costuras. Mas é horrível de tirar, levaria um dia inteiro nisso. Alguém sabe algum macete pra render mais isso?
  7. http://www.usa.canon.com/cusa/consumer/products/cameras/ef_lens_lineup/ef_24_70mm_f_2_8l_ii_usm 24-70 2.8
  8. Xiru Sander

    Barracas DOITE

    Lembrei dum 'testemunho' dum casal de amigos e seu filho. Estavam numa Lincanray 6. Passaram dez dias em Santa Catarina em janeiro deste ano (2011), BEM na época de uma das piores enchentes dos ultimos muitos anos. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Enchentes_em_Santa_Catarina_em_2011 ) Estavam em Florianópolis, cidade que não teve estado de calamidade decretado por ter mais estrutura, mas comunidades isoladas e lugares sem rede de esgoto pluvial sofreram como as cidades sitiadas, assim como diversas cidades próximas à capital. E eles estavam acampados nesta chuvarada. Resultado: tudo seco, nenhum problema, nem perto disso. A barraca passou tranquila num teste de chuva muito difícil.
  9. tiff é um absurdo o tamanho, só vale pra algumas poucas fotos
  10. mmmm Bom, embora eu não ache o lightroom uma grande maravilha, ele é MUITO pratico e facil de usar. - Nele, da pra tratar RAW e JPG da mesma maneira. Ou seja, com ele, o mais inexperiente pode fazer ajustes em RAW com mais facilidade que faria num JPG no Photoshop. - O Lightroom reconhece a maioria das cameras, por informações que constam nos arquivos (seja raw ou jpg). E assim, ele aplica automaticamente no RAW as configurações que a camera aplicou na cópia jpg. Assim, em standard, o LR vai abrir um RAW igual abriria o JPG que saiu da camera. Ou seja, o raw está cada vez mais acessível. Quanto a ajustes básicos e 'intermediários', ele está tão ou mais facil de ser editado que o JPG. O gargalo maior é o bolso. Tem que ter um computador melhor, mais memória. Mas isso é se for editar muitar fotos (de 100 pra mais) cada vez. Aqui vale lembrar o valor do raw, que é possibilitar um trabalho mais dedicado e calmo, uma lapidada na imagem. O que não combina com alto volume de imagens. pra quem não está bem entrosado com as edições.
  11. Mais: -- Igreja São Domingos. igreja de forte estilo portugues, de 1815. pequena, e muito singela. Pra quem curte arquitetura e/ou religiosidade, é uma boa visita. MASSSS atualmente está em reforma e praticamente nao se ve nada, está toda coberta de lonas, madeira, etc. http://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja_de_S%C3%A3o_Domingos_%28Torres%29
  12. Aqui no sul todas praias tem ondas, não existe praia de mar parado. Claro, tem dias que o mar está muito calmo igual uma lagoa, mas acontece poucas vezes. Aqui tem fotos de Torres que fiz, acho que os links servem mesmo sem login no facebook e orkut http://www.orkut.com.br/ExternalAlbum?uid=9268764512000409871&aid=1230837230&t=5828774459403843752&vid=02733243860313481472&ik=ACGyDXsPXE5ky6umMpuAo9w0Ly7BdKwlTQ A orla de Torres é curta. Chuto que cerca de 6km do rio Mampituba (fronteira norte, com SC) e praia dos Molhes (ao lado do rio) até a Guarita. Ou seja: tu pode fácil fácil ir em TODAS praias. Pela descriçãoq ue vou dar a seguir, tu pode escolher onde passar mais tempo. Do norte pro sul: -- Rio Mampituba. Vale a pena dar uma caminhada orla-do-rio-adentro e ir até Passo de Torres (SC) pela ponte Pensil. Na orla do rio há diversos restaurantes. Salgadinhos, mas de ótimos frutos do Mar. O primeiro, a partir da praia, é o Cantinho do Pescador, ponto de encontro pra happy hour (que no verão é o dia inteiro). Um com melhor cozinha é o Gaivota, e outro é o Molhes. Em dias de corrente e vento sul, o rio proporciona ótimas ondas pra surf. Nos de nordeste, há grande concentração de surfistas nos molhes. A praia dos Molhes é a de maior concentração de publico jovem, mas também de muitas famílias ligadas a esportes aquaticos. -- Praia Grande. 2km de mar aberto, é como se tu estivesse em outras praias gauchas de mar sem graça. Não tem acidentes naturais. E, incrivelmente, é a praia adotada pelos high society de Porto Alegre. Chamam o lugar de 'ilha de Caras gaúcha'. Essa gente criada em shopping é doida. Cuidado com banhos de mar. Tem muitos 'buracos', onde ha pequenos redemoinhos e corrente pro altomar. Melhor é se banhar mais próximo da Prainha, é onde tem mais gente se banhando e mais salva-vidas, e menos buracos. -- Prainha. Uns 600/800 metros de praia com trechos de pedras e trechos de areia. Praia charmosa, com larga faixa de grama antes da de areia. Na baixa temporada é onde os moradores locais vão curtir fim de tarde e tomar chimarrão. Cuidado ao se banhar, se entrar na água e ver que há corrente forte, saia, porque pode te puxar pras pedras. Mas são apenas pedras no fundo e não pontiagudas, vai no maximo maxucar um pouco o pé. Não há ouriços. Enfim, vale pra quelquer praia da Torres: banhe-se apenas onde tiver maior concentração de banhistas. -- Morro do Farol. Ponto com lindas paisagens pra cidade, pro mar e pra serra (Aparados da Serra), e pra Lagoa do Violão. Ponto de saltos de paraglider e 'similares'. Em frente ao Morro do Farol há um bom pico pra surf, chamado Mantiqueira. Entre o morro e o mar há areia (o morro não entra no mar), pedras e o 'caminho da santinha', que leva até uma pequena gruta com uma imagem de N. S. dos Navegantes. -- Praia da Cal. Praia com um visual meio jurássico por causa dos penhascos do morro Torre Norte/ da Cal. Boa pra banho e surf. Banho longe das pedras, surf coladinho nas pedras. É a praia que dá acesso ao morro com as furnas. -- Torres Norte/ morro da Cal. Morro extenso entre praia da Cal e Guarita.grama, facil caminhada. De cima dos penhascos a visão é belíssima, da pra passar horas lá admirando. Nas 'trilhas', há descidas de escada até o pé das furnas. Mas não vá se estiver de ressaca (tu ou o mar hehehe), porque fortes ondas batem contra o morro. Lugar de visitação obrigatória, assim como a caminhada até a Guarita por cima do morro. -- Guarita. Ponto mais belo do litoral Gaucho. A praia é bem curta, uns 200 metros (se chegar a isso). Tem um por do sol (de cima dos morros) de emocionar. MUUUUUITO cuidado com banho de mar aqui. SEMPRE há FORTE corrente ao lado das pedras =, essa corrente puxa forte pra tras do morro, onde quebram ondas que vão daixar a pessoa em carne moída. os salva vidas normalmente botam uma bandeira no limite onde começa a correnteza. Se não tiver bandeira, só entre bem no meio da praia ou fale com os salva vidas. Todo ano morrem muitas pessoas aí. Se a corrente te pegar, não vai adiantar tu ser um exímio nadador. -- Torre Sul. É o morro que faz divisa entre Guarita e Itapeva. -- Itapeva. são 2 ou 3km de mar aberto até um pequeno morrinho, onda há um bom restaurante. A perte realmente interessante de Itapeva está há 2 anos fechada pra visitação. É área de preservação ambiental estadual (assim como a Guarita é). Ha projetos pra liberar visitação orientada, mas nada concreto ainda. São comoros e mata atlantica, lugar onde havia um camping muito bom, onde passei minha infancia. MEbora não possa visitar, dá pra dar uma boa apreciada de cima de qualquer um dos morros de Torres. A orla da Itapeva é liberada, não faz parte da área preservada. É uma praia com poucos banhistas e poucos salva vidas. Se for tomar banho, não va pro fundo e nem sozinha. outras dicas: -- Lagoa do Violão. Vale a visita, principalmente num fim de tarde. Fica há uma quadra da rodoviária. -- Não estacione no estacionamento dos molhes. No verão aparecem flanelinhas pentelhos.Também não estacione em lugar pouco movimentado. Durante o ano periga tu deixar o carro aberto e nada acontecer. No verão aparecem os ladrõezinhos fdp. O ideal é estacionar junto ao calçadão, em qualquer ponto de sua extensão. -- No rio, no final do calçadão (Molhes), é ponto de saída do passeio de barco até a Ilha dos Lobos. Vale MUITO a pena, mesmo que no verão raramente haja lobo/leão marinho por lá. O passeio percorre toda orla torrense pelo mar. A visão dor penhascos dos morros, do mar, é fabulosa! Não lembro valor, CHUTO que seja uns 30 pila por pessoa. Mas vale. -- Nesta época do ano há bastante policiamento. -- Supermercados: há o Nacional (ao lado da rodoviária), Bom Rancho (na rua principal, numa esquina, em geral melhores preços mas mais simples) e o Big Jóia (perto do rio e dos molhes). -- Não sei dica pra internet/cyber café. Todo ano muda. Mas semrpe se acha fácil. -- Se pegar dia de muito vento e isso te incomodar, pode ir na Guarita e ficar ao pé do morro que te proteger do vento. Vento sul, morro sul, vento nordeste, morro norte. -- Há ponto de taxi na rodoviária e na avenida principal, junto a uma rotatória -- Lagoa da Itapeva. Vale a pena dar uma olhada pelo menos da Estrada dos Cunhas. Marquei no Maps como chegar de carro http://maps.google.com.br/maps?saddr=Av.+Bar%C3%A3o+do+Rio+Branco&daddr=Estr.+dos+Cunhas&hl=pt-BR&ie=UTF8&sll=-29.377463,-49.782658&sspn=0.06694,0.065231&geocode=FfJWQP4dCjEJ_Q%3BFS3KP_4dTCsI_Q&vpsrc=0&mra=mift&mrsp=1&sz=14&t=h&z=14 Se vier pela BR101 da serra, é só entrar à direita na placa que diz SÃO BRAZ, poucos km antes de chegar em Torres. São uns poucos km de terra batida, costeando a lagoa. Desemboca na Estrada do Mar, que assim como a BRB 101 vai te levar até Torres. Bom, por enquanto é isso. Torres não tem mistério, é pequena. Mesmo a pé da pra se virar tranquilamente.
  13. Xiru Sander

    Barracas DOITE

    Pessoal Em Rio branco (fronteira com Jaguarão) tem alguns modelos na Fape. FREE SHOP FAPE GAL. ARTIGAS, 330 FONE: 5978 ----->> LIGAÇÃO INTERNACIONAL: (00xx59867 + numero da loja) E-MAIL: [email protected]
  14. Cara, pelo preço dela daria pra pegar uma Doite Lincanray em Rio Branco ou Chuí. Ou mesmo Buenos Aires. Mas claro, isso se tu não mora muito longe dessa região, ous e souber de algum conhecido que vai pra um desses lugares. De perder a impermeabilidade, é normal sim. Mas depende de quanto tempo, certo? Uma coisa é esfarelar depois de um ano, outra coisa é em 4 ou 6 anos. PS: no mesmo preço dela tem também a Super Esquilo 6 da Trilhas e Rumos...
  15. Bã, se detesta muvica, fez a escolha certa! Dias 2 e 3 já deve estar beeeeem melhor. Chuto que uns 80% dos turistas do reveillon vão embora no primeiro dia útil depois da virada. Ainda assim, se quiser contatar aquele amigo que mostrei no FB, ele pode dar ótimas dicas pra voces! (se bem que Torres é pequena, não tem nada além do que todos conhecem). Nas ultimas vezes que fui, almocei no Koala, fica numa esquina da avenida principal. Tem um a la minuta muito bom e de preço razoável (pelo menos até este último domingo). A comida (como tudo) em Torres é muito cara nesta época. Nos restaurantes e quiosques do calçadão então é absurdo. Tu pede uma bebida, e cobram até pelo gelo! (R$2).
×
×
  • Criar Novo...