Ir para conteúdo

gustavobh24

Membros
  • Total de itens

    18
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. O site da Sky é muito confuso mesmo. Mas, sim, consegui comprar nele. Mas é bem antiquado: depois da compra vc não consegue alterar nada, não é possível marcar assento, é só esperar pelo dia do voo. Aproveita porque quando eu comprei Calama/Santiago, que é um trecho de duas horas de voo, a passagem saiu a quase R$ 800 com taxas...
  2. L'Brazx, acho impossível sem ser de avião. De ônibus, é uma viagem que dura uns dois ou três dias e nem sei se tem companhia direta. No sul do Peru são comuns bloqueios de estrada, eu mesmo peguei um e precisei reorganizar a viagem em cima da hora. Cogite voltar de Cusco para Lima e procure ofertas no skyscanner de Lima para Santiago. Sky, Lan e Avianca operam o trecho LIM-SCL.
  3. MINHA EXPERIÊNCIA: frio e motorista que dormiu ao volante Como esse fórum foi de grande valia para mim, compartilho meus 3 dias pelo Salar como parte de um mochilão Peru/Bol/Chile de 23 dias com mais dois amigos! Chegamos em Uyuni às 7 da manhã após uma viagem de onze horas de ônibus vindos de La Paz. Planejamos inicialmente dormir lá e começar o passeio no dia seguinte. Desistimos. Fomos diretos ao passeio, que se inicia às 10h/10h30. Procuramos a empresa Empexar, pagamos cada um 110 dólares. Cada jeep segue com 6 pessoas. Você leva sua mochila de mão e deixa as malas/mochilas amarradas em cima do jeep. Á noite, nos alojamentos, você pega a mala de volta. Dia 1 > é o salar em si. Você passa por ele apenas nesse dia. Sai pela manhã e roda até meio-dia quanto o seu motorista servirá o almoço (o jeep já sai com o almoço para todos os dias. não há mordomia, você vai comer comida fria sim). De tarde, segue para algumas "ilhas" no meio da paisagem de sal e cavernas. O deserto é bem seco sim. Minhas unhas acabaram, fica só pele soltando, umas duas vezes por dia eu precisava usar bepantol. Boca fica ressecada também. Levamos 2 litros de água para cada pessoa, mas não dá muita sede. A roupa não fica tão fedorenta porque realmente não há suor. Ao assoar o nariz, saía um pouco de sangue, umas duas vezes por dia eu usava aquela solução de neosoro. O sol é muito forte, eu usava protetor umas três vezes ao dia. Óculos de sol é obrigatório. Tenho miopia/astigmatismo, fiz uma lente de grau para meu óculos de sol, não custou caro. Não sugiro usar lente de contato porque é muito seco, pode coçar o olho, imagina você tendo de procurar uma pia com água limpa para lavar as mãos e manusear a lente, quando existe, a água é extremamente gelada. Não sugiro usar óculos de grau também porque os raios solares podem irritar o olho. É muito branco e luminoso, ao tirar o óculos de sol, era difícil ficar com os olhos abertos. O primeiro alojamento é feito de sal, tem jantar e café da manhã ótimos, cobertores e itens à venda caso precise comprar. Quartos privados com banheiro. Há dois locais para tomar banho, custa 10 bolivianos, dá direito a 10 minutos de água, mas, é água morna e ela fica pingando pouquinho, nem pense num maravilhoso chuveirão, nem chega perto. Dia 2 > Sai do alojamento 6h e percorre locais mais parecidos com ambiente desértico. Tem as belas lagoas, animais soltos, comunidades perdidas no meio do nada, e precisa guardar 150 bolivianos para garantir a entrada em um dos parques. Almoço por volta das 12h, encerrando no segundo alojamento às 16h. Esse alojamento é o mais punk. Jantar e café da manhã mais simples. Eles deram um vinho, sugiro levar um também. Quartos com colchão fino e poucas cobertas. Dormi com três calças, uma meia, duas blusa e mesmo assim, de madrugada, teve uma hora que eu senti frio. Das 6 pessoas do meu quarto, 4 levaram saco de dormir. Senti frio sim, mas é suportável. Nesse alojamento não há local para tomar banho. O banheiro é pequeno e, depois de tanto uso, começa a ficar fedorento. Energia é solar, ou seja, uma hora ela acaba, por isso, levar lanterninhas pequenas ou de cabeça. Água da pia extremamente gelada. Usei lenços umedecidos infantis para pelo menos limpar as partes íntimas. Foi nesse dia, pela manhã, que nosso motorista dormiu ao volante e tirou o carro da estrada de terra CINCO vezes. Depois de confrontá-lo, aí sim, ele resolveu descansar, mascar folha de coca e seguir o caminho com mais segurança. Não é uma estrada tipo rodovia, mas o carro leva em cima litros e mais litros de gasolina, acidentes poderiam acarretar em explosões! Dia 3 > Acorda 4h para ir aos gêisers. Muito frio. Segui com duas meias (lã e algodão), a bota que usei durante toda a viagem, três calças (segunda pele, moleton, jeans) e quatro blusas (segunda pele, lã fina, moletom grosso com capuz e casacão). Além do capuz do moletom, usei um gorro que comprei no Peru. Depois dos geisers tem a piscina termal com água bem quente, mas estava muito frio, não entrei, embora muita gente entra sim. O jeep seguiu por mais belas paisagens até nos deixar na fronteira com o Chile, às 9h30, onde uma van nos levou a San Pedro. Os demais ocupantes do jeep retornaram para Uyuni. Em toda a viagem usei creme para o rosto apenas uma vez, uma amiga minha usava toda noite, ela comprou um especial para o rosto. Sobre a agência, creio que é sorte, você pode pegar um motorista legal ou mala, ou bêbado, ou dorminhoco. É sorte pura. Foi o passeio com mais perrengues na minha vida, mas valeu a pena cada segundo!
  4. Fiz Lima/Cusco/Valle Sagrado/Puno/La Paz/Uyuni/Atacama/Santiago em 23 dias agora em maio/junho. Antes de tudo, sugiro que você busque mais informações nas centenas de posts que existem no fórum. É tudo muito explicado, quase didático, mochileiro não pode ter preguiça! Sobre suas questões, deixe eu dar uns pitacos: 1. A principio, eu tenho do dia 04/09 (sex) a 27/09 (dom) para executar a minha trip! Achei uma passagem para lima saindo de SP 5h50 da manha e chagando em Lima as 8h50 por R$ 726 na CVC, achei um bom tempo e um bom horário, o que acha? Você tem quase 30 dias de viagem. A última coisa que você vai se importar é se vai chegar de manhã ou de noite, não? Eu cheguei à noite em Lima, às 23h, e aproveitei a viagem da mesma forma. O importante é: achar a passagem barata para ir. O resto você adapta aos horários! Chegando de manhã, pelo menos, vc poderá procurar ônibus para te levar a Lima (o aero fica na cidade vizinha, Callao). De noite, só me restou táxi... 2. Alguma indicação de Hostels para eu me hospedar nessas cidades? Em Lima, fiquei no Loki Lima, em Miraflores. O resto, meu amigo, tem Booking, Hostelword e Tripadvisor pra pesquisar!!! 3. Qual a sua sugestão quanto a locomoção entre essas cidades? (acho que sempre ônibus né?) Lima/Cusco e Atacama/Santiago é sugerido ir de avião pela distância. Compre com antecedência para encontrar bons valores, pesquise no Skyscanner. No Peru vá de Peruvian e no Chile de Sky. O resto é busão, dá pra comprar pela internet. 4. Eu devo ir agilizando essas passagens de onibus comprando antecipadamente? (se sim, como?) Sim. Procure sites ticketsbolivia e site da Cruz del Sur 1. Quero muito fazer os passeios Downhill, Chacaltaya, Valle de la Muerte, que dicas você pode me dar para programar? fecha algo antecipadamente? são demorados? Não fiz, mas há agências em La Paz para vc conhecer, não precisa fazer antecipado. Alguns duram a manhã inteira ou dia inteiro, pesquise. 2. Quanto ao cambio, é melhor levar a moeda deles ou trocar lá? Levei dólares e fui trocando à medida que passava pelos países. Não compre moeda no Brasil. 3. Sobre um dos roles mais famosos, Machu Picchu/Aguas Calientes e vale sagrado, são coisas distantes umas das outras? faz tudo em 2 dias? compra antes ou fecha la? Machu Picchu é preciso comprar entrada pelo site com MUITA ANTECEDÊNCIA. Águas Calientes é a cidade em que fica o parque de Machu PIcchu. É possível sim fazer tudo em dois dias ou um dia e meio. Entrada do parque precisa comprar com MUITA ANTECEDÊNCIA. Hostels é preciso reservar BEM ANTES também. O transporte em si é possível fechar lá, exceto os trens que levam a Macchu Pìcchu, que também é preciso comprar com MUITA MUITA ANTECEDÊNCIA.
  5. Esse assunto já foi discutido aqui há alguns dias. Sugiro que pesquise no fórum! A melhor opção pode ser contratar o tour de 3 dias em Uyuni. Você avisa a agência que ficará na fronteira da Bolívia com o Chile. O jeep te deixa na fronteira e uma van especial vem te buscar, passando pela imigração chilena e te deixando no centro de San Pedro.
  6. Acabei de fazer Lima/Cusco/Valle Sagrado/Puno/La Paz/Uyuni/Atacama/Santiago em 23 dias. Já montou seu roteiro. Se tiver alguma dúvida posta aqui.
  7. Oi Gláucia, fui sim. É 1 hora no barco mais rápido. No mais demorado, são 3h. O barco liga Puerto Madero a Colonia. Para Montevideo, são mais 2h de ônibus. Fui pela Buquebus, vc pode consultar os valores no site deles, o www.buquebus.com. Comprar com antecedência pela internet sai mais barato. Ir no barco mais rápido, no entanto, sai um pouquinho mais caro, mas é bem melhor. Pelo site, os preços estão em pesos, basta converter. Na época, eu comprei por R$ 153 (+ R$ 10 do IOF no cartão internacional). Existe outra companhia, a Seacat, com preços um pouco melhores. Me desaconselharam a ir pelo Colonia Express, disseram que eles não cumprem horários. Dê uma olhada no post do Buquebus no fórum do Uruguai para ter mais detalhes. Abs!
  8. Colônia é uma cidade minúscula, com poucas atrações, clima bucólico, é possível conhecer tudo em poucas horas. Creio que o PauloRZ deve ter sugerido a você não passar dias e dias lá, a não ser que queira muito conhecer ou queira ir pra BsAs. Não fui a Punta, mas me disseram que lá há infinitas atrações, ainda mais se for no verão. Colônia é pequena, fofa, se for de casal será melhor, mas é cidade pra uma tarde ou no máximo um dia.
  9. Tábata, se vcs pretendem ir parando nesses destinos para conhecer, melhor ir de ônibus - o que não deve ser o caso, já que vcs terão só 10 dias. Mas se o destino direto é Buenos Aires, vai de avião mesmo. Mais rápido e vc ganha em tempo para aproveitar a Argentina. Há um voo direto da Aerolíneas partindo de BSB, já pesquisou? Está uns 1.700. Pela TAM com conexão, 1.200. E pelo o que disse o colega acima, será praticamente o mesmo preço de ir/voltar dignamente de ônibus.
  10. O pessoal aí exemplificou bem. O Centro é tranquilo. Como já estamos acostumados com a violência brasileira, achamos até tranquilo, embora é bom sempre ficar atento de noite. Eu mesmo fiquei na Plaza Cagancha. Andava pela noite sem problemas. Tem a cervejaria La Pasiva, Subway, dois McDonalds, Burger King. O problema é o fim da 18 de Julio, porque na Cidade Velha a situação é mais complicada. Se quiser, te repasso infos sobre o hostel onde fiquei, só me mandar uma mensagem privada. Como não sou baladeiro, eu gostei de ficar lá. E praia por praia, as brasileiras são melhores, a Pocitos faz frio, o pessoal não entra na água, não tem barraquinhas, é bem diferente. Abs.
  11. Fiquei hospedado no Centro e gostei muito, ao lado da 18 de julio, perto da cidade velha. Se vc gosta de badalação e vida noturna agitada, melhor ficar na região de Pocitos e Carretas para facilitar na mobilidade. Do Centro até Pocitos, por exemplo, dá pra vc fazer a pé à luz do dia com alguma disposição. Há ônibus e o táxi sai por uns 150 pesos. Lá tem a praia, gente bonita, bares e o shopping. Mas no Centro também tem restaurantes. O problema do Centro é que é movimentado de dia e esvazia de noite. Não achei perigoso como no Brasil, mas andei de noite no Centro com os olhos bem atentos. Sobre hostels, sugiro que vc pesquise as avaliações em sites como o Booking e TripAdvisor. Portanto: se vc quer balada e agito, melhor em Pocitos/Carretas. Se tanto faz, o Centro é um bom local, daí vc se desloca para as outras regiões. Mas não se hospede na Cidade Velha, já achei lá esquisito de dia, imagina de noite, foi o único lugar que andei com muito receio em Montevideo.
  12. Sugiro que vc leia os posts do blog e dicas no site Viaje na Viagem para ver as várias experiências dos internautas. Tem um post específico sobre os benefícios de cada bairro para se hospedar. Compartilho a minha. Fiquei hospedado em San Telmo, na região chamada de "micro centro", ao lado de uma estação de metrô. Bem perto do Obelisco, Casa Rosada, Puerto Madero, Caminito. Há restaurantes bacanas, supermercados, quiosques e considerei ser bem seguro mesmo de noite. Me disseram que a vida noturna bomba em Palermo e lá é mais perto do circuito Recoleta (Malba, Floralis, cemitério, jardins). Não fui em Palermo, não tenho ideia de como é ela, se é mais badalado, mais seguro. Não deixe de caminhar por Puerto Madero e almoçar/jantar em seus finos restaurantes, ir na Casa Rosada, no Caminito, na Bombonera se gosta de futebol, no Obelisco, Teatro Colón. Se gosta de arte, vá ao Malba. O cemitério de Recoleta é ótimo e é um desafio encontrar o túmulo da Evita, tem a Floralis, o shopping Galerias Pacífico, a movimentada calle Florida e a região dos jardins - japonês, rosedal, zoo. Se tiver dias para passeios, pode gastar indo a Luján, ao Uruguai (1h de barco) ou delta do Tigre. Não fui em atrações que julguei desnecessário, mas não fui em show de tango, por exemplo, não sei se existe algum mais legal ou indicado. Balada: não fui, não sei dizer. Deslocamento: táxi é barato, mas sugiro sempre usar os radios taxi para evitar cair em golpes. O metrô passa por vários locais, é bom se você precisa ir ao Centro ou Retiro, você deverá ver se o trajeto do metrô lhe atenderá de alguma forma. Sobre o pagamento, já deixei meu relato no post de dicas sobre moedas, cartões e gastos, favor ler e levar em conta a possibilidade de trocar o dinheiro no câmbio ilegal que vale muito mais. Sobre a quantidade de dinheiro, dependerá se vc gasta pouco, mediano, muito, se vai comer todos os dias em restaurantes badalados, depende muito. No mais, sugiro ler os posts do blog indicado porque suas dúvidas serão mais esclarecidas ok.
  13. Minha experiência e dica: levar reais. Bom pessoal, fiquei 13 dias agora em março. Li muita coisa sobre qual a melhor moeda para levar para a Argentina. Quase comprei dólares aqui no Brasil para gastar lá. Mas decidi levar reais e não me arrependi. A cotação oficial está R$ 1 = 3,29 pesos. Pelos cambistas nas calles Florida e Lavalle, a cotação está R$ 1 = 4 a 4,3 pesos. Mas sempre atento para ver se a nota não é falsa! Nos restaurantes, consegui R$ 1 = 4,5 pesos. Nos hotéis, a cotação estava ruim, quase como a oficial. No início, eu trocava dinheiro só assim: pagava minha conta do restaurante em reais e recebia o troco em pesos. O real é bem aceito nos principais restaurantes. O dinheiro rende. Mas não adianta achar que o real é a moeda de lá! Em locais como kioscos, sorveterias, supermercados e redes de lanchonetes internacionais, não consegui passar reais, só pesos. Passei alguns dias em Mar del Plata e lá nenhum estabelecimento aceitou reais! Acho desnecessário quem pretende comprar dólares para depois trocar por pesos. Leve os reais de uma vez! Sugiro que o viajante troque um pouquinho no aeroporto para pelo menos pagar o táxi e vá trocando ao longo da viagem em restaurantes. Ou na Florida, troque um bom dinheiro de uma vez. Se tiver receio dos cambistas ou das notas, troque com o Cambio Justo, todos dizem que são bem confiáveis, nunca li uma reclamação sobre eles.
  14. Fiz o trajeto nesses dias e vi muita gente comprando na hora. O barco do Buquebus é enorme, mesmo com muita muita muita gente, ainda sim, sobram lugares vagos. Sobre os horários, é somente os que aparecem no site. Não há partidas todas as horas do dia, são poucas mesmo, e são as que estão no site ok. Aliás, TUDO do Buquebus rola de olhar online. Até comprar passagem. Com antecedência, há melhores preços. E o valor é esse mesmo, BUE/COL está uns 500 pesos argentinos no barco mais rápido (1h) e uns 400 no mais devagar (demora 3h).
  15. Pessoal que for em Vitória, vou contar minha rápida experiência com o Formule 1. Excelente localização, na principal avenida da cidade. Na porta tem ônibus para a Praia de Camburi, região central, avenida Vitória, aeroporto, Vila Velha e estação rodoviária. Pode-se pegar os ônibus municipais ou os metropolitanos, chamados de Transcol. O Hotel fica na frente de um Carrefour. De um lado, tem um Wal Mart. Do outro, um McDonald's e um mega prédio da Petrobrás em construção. Fica pertinho da praia do Canto e Shopping Vitória. Desloquei várias vezes de ônibus na cidade, sem transtorno. Os moradores e motoristas são sempre solícitos em ajudar. A cidade é pequena, tudo é perto e bem rápido. Você vai do aeroporto ao shopping Vitória (norte ao sul) em dez minutos, em condições de trânsito bom. Sobre a questão de ficar em Vitória ou Vilha Velha, digo que tanto faz. Estando em VV, você tem milhares de ônibus que cruzam a ponte e chegam a Vitória em menos de 5 minutos. Você pode usar um albergue ou um hotel de VV como dormitório. Dependendo do local, em VV, tem shopping e movimento na orla. Sem falar que as praias de VV são bem mais limpas que de Vitória. Ficar na capital é uma comodidade. Mas se você estiver apertado de dinheiro, vale ficar em VV, não vai perder nada - desde que você ande de ônibus, porque se for andar de táxi, vai pagar uma nota. E as dicas do Rodrigo, claro, são preciosas!
×
×
  • Criar Novo...