Ir para conteúdo

Vini e Tati

Membros
  • Total de itens

    17
  • Registro em

  • Última visita

Posts postados por Vini e Tati

  1. Amigos, o que vcs recomendariam fazer em 1 dia em El Chaltén? Eu sei, é uma pena ir até lá e ficar só um dia... mas é o que tem pra hoje, rsrs.

    Chegarei a noite, terei um dia inteiro, e vou embora no outro dia cedo.

    Pensei em fazer a Laguna de Los Tres, que parece uma das trilhas mais famosas... é muito cansativo fazê-la em um único dia (ida e volta)??? Seria ruim gastar todo o tempo em uma única trilha?

    A outra opção seria fazer várias trilhas curtas para ter várias vistas diferentes, por exemplo, mirador Los Condores, Las Aguilas e laguna Capri. Daria tempo?

    Existe tb o mirador del Torre, né? Não existe um Mirador Fitz Roy? Se eu tivesse uma boa vista completa dos dois, mesmo de longe, ficaria satisfeito.

     

    Aceito sugestões...

     

    Obrigado!

  2. Oi pessoal!

     

    Eu e meu marido tb vamos em março.

    Nosso roteiro ficou assim:

     

    28/02, sexta SÃO PAULO - USHUAIA: vamos tentar fazer já neste dia a navegação Canal de Beagle, mas ainda estou com medo de haver atrasos na viagem e não conseguirmos.

    01/03, sábado USHUAIA: dia todo no Parque Nacional Tierra del Fuego, ou, se não tivermos feito o canal de beagle no dia anterior, Parque de manhã (aquelas excursões de 4h) e Canal de Beagle a tarde

    02/03, domingo USHUAIA - EL CALAFATE: pinguinera de manhã e a tarde partir para El Calafate, vamos de avião.

    03/03, segunda EL CALAFATE: Navegação todos los glaciares

    04/03, terça EL CALAFATE: Mini trekking Perito Moreno

    05/03, quarta EL CALAFATE - TDP: Passeio Full Day Tour Torres del Paine. Dorminos no parque.

    06/03, quinta TDP - PUERTO NATALES: Fazemos a trilha para a base das torres e no fim da tarde vamos pra Puerto Natales, só pra passar a noite

    07/03, sexta PUERTO NATALES - EL CHALTEN: Vamos pra El Chalten. Acho que não tem ônibus direto, tem que passar em El Calafate, né? Tudo bem, esse dia já demos como perdido. Se der tempo, chegando em El Chaltén fazemos a trilha mais curta que pudermos.

    08/03, sábado EL CHALTEN: alguma trilha, qual vcs sugerem pra quem só tem 1 dia? Nos sugeriram a "Laguna de los tres"

    09/03, domingo EL CHALTEN – EL CALAFATE – BUENOS AIRES – SÃO PAULO: só ir embora... vamos ficar umas 6h aguardando a conexão em Buenos Aires e vamos ter que trocar de aeroporto... acho que vou pensar em algo pra fazer por lá nesse tempo, pelo menos um jantar.

     

    Vocês estão fechando passeios com antecedência? Como nosso tempo é curtíssimo e contado, eu gostaria de fechar tudo antes. Estou mandando email pra algumas agências. Por enquanto só fechamos o "full day tour tdp" com a "patagonia extrema".

     

    Abraços

    Tati

  3. Farei uma viagem de poucos dias para Patagônia e terei apenas 2 dias em TDP. Se fosse para escolher 2 lugares para visitar entre Las Torres, Francês e Glaciar Grey, qual vc deixaria de fora?

    Obrigado e parabéns pelo relato! É o melhor!

     

    Olha, o Las Torres tem que ir. A dúvida ficaria entre Francês e Grey. Eu ficaria com o Francês porque imagino que você também deve conhecer o Perito Moreno nessa sua viagem, então não precisaria conhecer outro glaciar. No entanto, a trilha até o Francês é mais cansativa/longa que a trilha do Grey para quem quer fazer um bate-volta.

     

    Uma outra opção como você tem pouco tempo, seria de repente fazer um day-trip de van/ônibus pelo Parque Torres del Paine e no outro dia fazer a subida ao mirante Las Torres. Eu não fiz esse day-trip, mas acho que eu escolheria fazer isso se tivesse tão pouco tempo.

     

    Abraços!

     

    Obrigado José!

    Tínhamos pensando nisso tb... Day-trip + Las Torres. Analisando melhor, e agora que vc tb sugeriu isso, decidimos por essa opção mesmo! O pessoal que fez esse day-trip fala muito bem do passeio... acho que é uma boa opção pra quem tem pouco tempo. E ainda curtiremos uma caminhada até a base da Torres.

    Obrigado! Abraço!

    PS: Vamos conhecher o Perito Moreno sim.

  4. Olá

     

    Eu e meu marido estamos indo no Carnaval, ficaremos 9 noites e nosso roteiro será mais ou menos assim:

     

    Ushuaia - 2 noites (vamos de avião pra El calafate)

    El calafate - 1 noite

    Puerto Nateles/TDP - 3 noites

    El calafate - 1 noite

    El Chaten - 2 noite

     

    Por enquanto só tenho comprada as passagens de avião: SP - Ushuaia (28/02) / Ushuaia-El Calafate (02-03) / El Calafate-SP (09-03).

     

    Como o tempo está muito curto e tudo o que eu estou planejando de passeios e os deslocamentos têm que dar certo, queria sair daqui com passagens de ônibus e passeios reservados.

    Vocês indicam alguma agência pra eu cotar/reservar os passeios?

     

    E os translados? Precisarei de: El Calafate-Puerto Natales-El Calafate e El-Calafate/El Chaten/El-Calafate ( o retorno de El Chaten quero conseguir logo cedo para já ficar no aeroporto pra ir embora).

     

    Obrigada!

    Tatiana

  5. Olá!

     

    Alguém conhece ou já fez o passeio da Colque de San Pedro pra Uyuni em 2 dias?

    Quem já foi pra lá, seja com qualquer passeio (3 ou 4 dias), acha viável esse passeio de 2 dias? Tô perguntando pq nenhuma outra agência que perguntei faz nesse tempo... no mínimo 3 dias. Não terei tempo suficiente.

     

    Segue descrição do site da colque:

    Programa SALAR DE UYUNI 2

    P02SPUY

    Tiempo: 2 días

    1er Día: Salimos de San Pedro de Atacama a hrs. 05:00, pasamos Migración en Ollague, Salar de Uyuni, Isla Incahuasi. Hostal en frente del Salar.

    2do Día: Salimos 07:30 hrs. Visitando Pueblos y lagunas Altiplánicas, Laguna Colorada, Geysers "Sol de Mañana", Laguna Verde y Blanca, transfer a San Pedro de Atacama, llegando a las 19:00 hrs. Aprox.

     

    Valeu!

  6. Sempre foi um sonho conhecer Fernando de Noronha, mas o alto custo da viagem me fazia adiar os planos. Porém, analisando melhor percebi que o mais caro eram as passagens aéreas, e não os passeios e hospedagem (não que sejam baratos). Como tinha milhas acumuladas, decidi realizar esse sonho.

    A viagem completa saiu 1.700 reais por pessoa. O lugar é fascinante! Descobri que as fotos que via na net não eram photoshop, rsrs.

     

    Dicas

    - Os passeios lá não são tão baratos, mas a maioria dos lugares da pra ir sozinho de bugue. Alugue um! A gasolina custava R$3,90 (2010) mas usa-se pouco. O único posto fica próximo ao porto.

    - Existem pousadas caras, mas há muitas “pousadas domiciliares”, onde o preço é bem mais acessível. São pousadas pequenas e simples, administradas por moradores. Tipo casas adaptadas.

    - É preciso pagar a taxa de preservação ambiental (TPA) por dia de permanência na ilha, para manter fiscais e guias. Pague pela net antes de viajar.

    - Escolhemos Setembro pq o mar de dentro (voltado pro continente) está calmo e límpido, e é onde tem os principais pontos de mergulho. Em outras épocas o mar de fora está calmo e o de dentro fica bom para surfe. Quem gosta de snorkeling, leve seus equipamentos. Se não tiver, eles alugam lá.

    - O sol é muito forte (quase Equador). Passe bem protetor solar (exceto em Atalaia que é proibido) ou use camiseta e shorts para o snorkeling.

    - Agito é no Bar do Cachorro, na praia do Cachorro! É divertido e a galera se reúne lá à noite! É um bar bem simples e “praiano”.

    - Vá nas palestras do Projeto Tamar. Toda noite tem uma.

     

    A pousada

    Ficamos na pousada domiciliar Malibu (R$120/dia o casal). A localização não poderia ser melhor… Vila dos Remédios, a poucos metros da rua principal, de frente para um mercado e padaria, tem de tudo ali perto. É feinha por fora, mas o quarto é ajeitadinho, tem ar, tv, frigobar. Na pousada há uma micro-cozinha com utensílios e microondas. Ao lado tem a Pousada Germana, da mesma dona. Essa é mais bonita e tinha café incluso. Não conseguimos vaga. Podíamos tomar café lá por 20 reais, mas levamos café, frutas, granola, etc… e compramos requeijão, iogurte e pão quentinho todos os dias na padaria da frente.

     

    Restaurantes

    -Flamboyant: Bom, mas não é barato. Tem self-service no almoço (R$39,90/kg). A la carte sai em torno de R$30 por pessoa.

    -Varandas: Ótimo! Fica no início da BR, perto do posto e do museu do tubarão. Tinha uns pratos pra 1 caros, mas outros que serviam 2 com preços muito bons.

    -Ousadia: Self-service mais em conta. Gostamos muito.

    -Restaurante da Edilma: A la carte simples e com bom preço!

    -Tapiocas: “Casa da Tapioca e Açaí”, é bom, fica próximo do bosque dos flamboyants, mas comemos em uma do lado da igreja que achamos mais recheada, e é mais barata!

    -Pizza: comemos na pizzaria que não tem nome, ao lado da igreja. Massa finíssima. Servem sem pratos e talheres.

    -Cacimba bistrô: Uma delícia! Tem uns pratos mais elaborados, mas é mais caro que a média da ilha…

    -Lanche: “Empório São Miguel” faz hambúrgueres gostosos. Tem até combos.

    -Barraca das Gêmeas: Peça o peixe na folha de bananeira do Seu Neco. Fica na Cacimba do Padre.

    Obs: Todos que não citei o local ficam na Vila dos Remédios.

     

    Dia 1

    Fomos com a TAM pra Recife e fizemos a conexão pra Noronha com a Trip. Como pagamos a TPA pela internet, passamos pela fila e fomos direto pegar as malas. O transfer da pousada logo nos buscou. Nessa tarde apenas conhecemos a região da vila dos Remédios, fechamos alguns passeios (agência Blue Marlin) e jantamos. Pensamos em ir à palestra do Tamar mas deixamos pra um dia que estivéssemos com bugue.

     

    Dia 2

    Fizemos o Ilha Tour (pago) de bugue com mais um casal. Achei ótimo pq conhecemos toda a ilha e os caminhos, assim soubemos ir pra todo lado sozinhos nos outros dias. No tour fomos à praia do Boldró, Cacimba do Padre, Quixabinha e Bode. Voltamos e caminhamos para a Baía dos Porcos (2ª + bonita do Brasil [4Rodas]), lindíssima! Mergulhamos lá (snorkeling). Depois fomos ao Sancho (1ª + bonita do Brasil [4Rodas]), sem comentários! Mergulhamos um pouco e curtimos aquele visual incrível. A tarde fomos ao museu do tubarão, Buraco da Raquel (não é o q vc ta pensando, rs), Praia do Leão e Baía do Sueste, mas só caminhamos pois já estava tarde. Depois fomos ver o pôr-do-sol no morro do Boldró, fantástico!

    d2.png

     

    Dia 3

    Passeio de barco (pago) com plana-sub, pranchinha puxada pelo barco onde vc pode afundar pra ver o fundo do mar, e almoço no barco, uma delícia! Vimos vários golfinhos, tartarugas, naufrágios e claro, muitos peixes. À tarde fomos a pé às praias próximas: Cachorro, Meio e Conceição. À noite pegamos o bugue (R$120/dia) e fomos ao Tamar. A palestra sobre tubarões foi muito legal!

    d3.png

     

    Dia 4

    De bugue fomos na Praia do Leão e mergulhamos. Por ser no mar de fora, estava agitado e foi um pouco complicado nadar lá. Depois fomos p/ Sueste. Lá é o paraíso das tartarugas e tubarões! Estava doido pra nadar com as tartarugas, mas na Sueste tem tantas que dá até pra enjoar, rs. Elas são enormes, já os tubarões são pequenos ali (1,5m no máximo) e não atacam humanos. Dizem que tem tanta comida que eles não se arriscam, e a transparência da água não deixa que nos confundam com comida.

    Depois fomos ao forte dos remédios, ruínas interessantes e tem uma linda vista.

    d4.png

     

    Dia 5

    Mergulho autônomo com a Noronha Divers. Incrível mergulhar num mar onde a 12m de profundidade vc tem 50m de visibilidade! Foi demais! Passamos a tarde na praia do Meio e na do Cachorro, que eram próximas à pousada.

    d5.png

     

    Dia 6

    Trilha do Atalaia (pago): Vá no dia/horário de maré mais baixa (veja tábua de marés). Lá não pode passar protetor solar para não contaminar as piscinas naturais, berçário de muitas espécies. O sol tava de torrar, já estávamos queimados, o jeito foi ir de camiseta (minha esposa foi até de shorts). A trilha completa é longa e passa por 3 piscinas. A primeira é a melhor (parece um aquário), então quem estiver com preguiça não precisa ir nas outras, pois a trilha completa é cansativa! Na volta, pegamos um bugue e fomos novamente pra Sueste, lá ficamos a tarde toda. Diversão garantida… muitos peixes, tartarugas e tubarões. Na volta passamos no Museu do Tubarão pra comer o tal bolinho de tubarão e comprar souvenirs.

    d6.png

     

    Dia 7

    Acordamos e fomos de bugue ao Sancho nos despedir da praia mais bonita do Brasil! Depois fomos na Cacimba do Padre, almoçamos o famoso peixe na folha de bananeira na barraca das gêmeas (aprovado!) e fomos pra Baía dos Porcos… vimos arraia, tartaruga, e muitos peixes (inclusive o maior cardume que já vi na vida, incrível!). No meio da tarde pegamos um taxi para o aeroporto e voltamos por Natal. E foi isso!

    fim.png

    Noronha é indescritível! Não há um lugar que eu não recomendaria ir. Além das lindas praias, águas azuis, rica vida marinha, tem ainda um “clima” de tranquilidade e sossego que só vivendo pra saber. Voltaria pra lá fácil fácil. :)

     

    Quem quiser mais informações, entre em contato.

  7. Olá, muito legal o relato! Valeu pelas dicas!

     

    Uma pergunta: Vc lembra com que agência foi para pinguinera? Onde contratou o passeio?

    Essa pinguinera é em Ushuaia mesmo, né?

     

    Tks!

     

     

    Oioi..

    Contratei o passeio na agência que fica embaixo do hostel que fiquei. Mas tem várias agências que vendem esse passeio, que na verdade ACHO que é feio só msm só por uma agência, mas que é revendida por outras.

    Eu não lembro o nome da agência que faz o passeio, mas se quiser comprar direto com eles é só ir no porto. As agências que fazem os passeios mesmo ficam todas no porto, uma ao lado da outra. As que ficam no centro só revendem os passeios.

    E existem vários passeios pra pinguinera, mas só um deles vc desce na ilha dos pinguins e caminha junto com eles. Esse vc vai de ônibus até uma estância e depois pega um lancha até a ilha.

    Os outros todos vc só vê do barco, geralmente esse é vendido junto com o passeio que faz a ilha dos lobos tb.

    No meu caso, fiz os 2 passeios em dias diferentes e recomendo.

    Qq coisa é só falar.. ::otemo::

     

    Valeu mais uma vez! Quero fazer esse de lancha que desce na ilha!

    Vc lembra a duração do passeio? Acho que não da pra fazer a navegação no Canal de Beagle e esse passeio na pinguinera no mesmo dia ne?

    []'s

  8. Fala José, to relativamente no início do planejamento do roteiro... então aí vai minha 1a pergunta:

    Pq vc nao ficou no Refúgio Italiano em TDP? Vc teve que passar por ele e ir até Los Cuernos no 2o dia, e voltar pra lá no 3o dia pra ir até o vale do Frances. Notei que em um roteiro dos comentários, vc sugeriu a mesma coisa... algum motico especial?

    Tks!

     

    Fala Vini, blz?

     

    Eu fiz isso pois o Campamento Italiano não possui Refúgio e eu não acampei (só fiquei em Refúgios)...

     

    Abs e obrigado pelos elogios ::otemo::

     

    Ah, entendi... valeu!

     

    Vc sabe se tem transporte público dentro do parque, por exemplo pra ir de Paine Grande para Hosteria Las Torres? Se sim, sabe onde consigo os horários e tal? O site http://www.parquetorresdelpaine.cl nao tem todas as infos e parece desatualizado. Além de ônibus teria q atravessar o lago Pehoe de barco né...

    Como terei menos dias, pensei no seguinte:

    1 dia: Chegar em TPD e fazer Paine Grande/Grey/Paine Grande (talvez voltar de barco se existir essa possibilidade)

    2 dia: PG/Italiano/Vale Frances/italina/PG (Tô com medo desse trajeto, será muito sofrido?)

    --No fim do dia 2 ou manhã do dia 3, ir de transporte público pros lados da Hosteria Las Torres.

    3 dia: Ir até a base das torres.

     

    O q acha? Possível?

    Obrigado mais um vez!

  9. Fala José, to relativamente no início do planejamento do roteiro... então aí vai minha 1a pergunta:

    Pq vc nao ficou no Refúgio Italiano em TDP? Vc teve que passar por ele e ir até Los Cuernos no 2o dia, e voltar pra lá no 3o dia pra ir até o vale do Frances. Notei que em um roteiro dos comentários, vc sugeriu a mesma coisa... algum motico especial?

    Tks!

  10. Cara, seu relato é o melhor de todos que já li em qualquer lugar, sobre qualquer destino. É longo, mas é muito bom pra quem ta pesquisando a fundo a viagem! Fora que vc é um ótimo fotógrafo!!! Parabéns! Minha viagem provavelmente será um pouco mais curta, mas nos lugares que eu passar, farei exatamente como vc fez.

    Muito obrigado pelas infos!!!

  11. Olá Erlandson,

     

    Não sei se já foram para Los Roques, pois já faz um tempo que postou, mas resolvi escrever caso ainda precise.

    Fui para Los Roques com a VeneBrasil e correu tudo super bem. O Fábio Blinder foi um ótimo agente de viagens e providenciou tudo do jeito que queríamos, além de ser uma ótima pessoa.

    Se quiser mais informações, veja o relato sobre minha viagem: http://www.mochileiros.com/los-roques-6-dias-t52445.html#p554838

     

    Abraço!

  12. Los Roques

     

    Compramos as passagens de São Paulo – Caracas com a TAM usando milhas do cartão de crédito, com isso poupamos cerca de 1480 reais (ida e volta de 2 pessoas).

    O restante fechamos tudo com a VeneBrasil (tratamos com Fábio Blinder), passagem Caracas - Los Roques, hospedagem, pensão completa e passeios próximos. Tínhamos indicação e tudo correu super bem.

    Fomos de Caprioli de Campinas para o aeroporto de Guarulhos e pegamos o voo 14:35h para Caracas. Chegamos em Caracas 20:30h mais ou menos, 18:00h horário local.

    O câmbio oficial de dólares para bsfs é de 1 para 4.3, porém, parece que Hugo Chavez limita os dólares que os venezuelanos podem comprar (não sei bem o que rola lá), assim eles fazem a troca por um valor bem melhor, em torno de 1 para 8, o chamado “câmbio negro”.

    Dessa forma, havíamos combinado por email de encontrar com Miguel ([email protected]) para fazermos o câmbio assim que chegássemos. Também tivemos indicações dele, e deu tudo certo. Ele estava com uma plaquinha com nosso nome, quando o vimos, dissemos que queríamos jantar no Fridays (como não tem mais em Campinas, estávamos com saudades, rsrs), então ele nos levou até lá e trocou o $ lá dentro mesmo. Jantamos e encontramos com a pessoa da agência que estava nos esperando para levar para o hotel Catimar em Maiquetia (que é a real cidade do aeroporto, Maiquetia pra Caracas é tipo Guarulhos pra São Paulo).

    Passamos a noite lá e pela manhã fomos levados para o aeroporto nacional para pegarmos o voo para Los Roques. Aqui começa a emoção... o avião parece uma Kombi com asas, cabem apenas umas 8 pessoas, tipo teco-teco. Muito massa!

    Meia hora de voo e avistamos o arquipélago de Los Roques... a visão de cima é sensacional! Imagina uma área rasa, cheia de ilhas bem no meio do oceano. A água azul clarinha parece brilhar com o sol! Só vendo...

    Em terra firme, fomos recebidos por um funcionário da VeneBrasil com a plaquinha com nosso nome.

    Lá as ruas são de areia, tudo bem rústico. O slogan dele é “O Caribe como veio ao mundo”.

    Ficamos na pousada Sol y Luna, que recentemente foi adquirida pelo Fábio, também bem simples e pequena, mas o tratamento é ótimo. Todos são muito atenciosos. Ah, tem água quente em pouquíssimas pousadas, na nossa não tinha.

    - Chegamos e já tinha um passeio saindo para Cayo de Água, um dos principais e mais bonitos lugares de lá. Nos preparamos rapidamente e fomos. É uma praia linda e comprida, e do outro lado tem um bom ponto pra mergulho com corais. O lugar indescritível! Vou tentar poupar elogios durante o relato porque será redundante, tudo lá é maravilhoso! As areias são branquinhas, água extremamente azul com vários tons, extensas áreas rasas que parecem enormes piscinas, rica vida marinha com tartarugas, arraias, lagostas, muitos peixes e corais.

    Todos os dias tínhamos direito a guarda-sol, cadeiras e uma caixa de gelo (eles chamam de "cava") com almoço frio, frutas, bolachas, água, refri, suco e cerveja. Tudo carregado e montado pelos barqueiros!

    Depois de lá passamos em Dos Mosquises, uma ilha onde tem um projeto que cuida das tartarugas como o nosso Tamar, porém bem mais simples e pobrinho, mas foi legal ver as tartaruguinhas. Paga-se 10 bsfs para entrar, como não sabíamos que passaríamos lá, não levamos dinheiro e tivemos que pedir emprestado pro barqueiro, haha.

    De lá paramos em Espenquí, onde na ida tínhamos deixado um casal de italianos. Ficamos cerca de meia hora e vimos várias estrelas do mar.

    Os passeios aos cayos (ilhas) distantes são pagos a parte, porém eram descontados do valor que tínhamos direito referente aos passeios aos cayos próximos. Ou seja, se fossemos todos os dias aos cayos próximos, não pagaríamos nada, senão pagávamos o valor do passeios longe menos o valor do perto, que já estava pago no pacote da agência (o valor por pessoa a que tínhamos direito por dia, relativo aos cayos próximos, era 40 bsfs por pessoa, e o passeio mais caro saia por 160bsfs por pessoa, cerca de 40 reais).

    O legal é que eles marcam tudo e você paga só no final... vai tudo pra conta da agência (inclusive o empréstimo do barqueiro). O Fábio foi muito legal o tempo todo. Muito atencioso e te deixa a vontade para realmente curtir e não se preocupar com nada. Fizemos tudo do jeito que queríamos, ele sempre ajeitou tudo.

    Chegando do passeio colocaram nossas cadeiras na praia na frente da pousada e vimos o sol se por no mar enquanto dezenas de pelicanos mergulhavam atrás de peixes.

    A noite foi servido um jantar que nos surpreendeu. Apesar das pousadas serem bem simples, todas preparam pratos super elaborados, bonitos e gostosos, parece ser uma característica do lugar. Na Sol y Luna o Jairo é um chef de primeira! O local da refeição era muito agradável. Tomamos vinho branco todos os dias.

    Depois da janta o barqueiro vinha até a pousada para combinarmos os passeios do dia seguinte. Brasileiros de outras pousadas que vieram com o Fábio também iam lá.

    - No dia seguinte passamos pela Boca de Sebastopol e fomos a Sebastopol, que é um ponto de mergulho sem praia, pula direto do barco. Bem perto dali passamos em um pequeno banco de areia que, segundo o barqueiro, não tem nome. Lugar lindo cheio daquelas enormes conchas espirais (caracóis) e cercado de águas rasas e transparentes. De lá descemos com o guarda-sol, cava e cadeiras em Cayo Sardina, outro pequeno banco de areia no meio do nada, com águas rasinhas em volta. Sempre passávamos em vários lugares mas ficávamos mais tempo em um, onde descíamos com as coisas.

    Nesse cayo o barqueiro pegou duas lagostas no mar, e vimos uma arraia enorme quando mergulhávamos com snorkel!

    Por fim passamos em Cayo Muerto, que também é uma ilhota.

    De volta a Gran Roque (ilha principal onde ficam as pousadas) subimos até o farol para ver o por do sol lá de cima. 20 minutos de subida que valem a pena. Vá de tênis.

    Jantamos e por volta de 22h rolou uma baladinha na La Gotera. Muito bacana com pufs na areia, pista de dança com DJ e drinks regados a Rum.

    - Terceiro dia fomos mergulhar em Boca de Cote (também sem praia), de lá passamos em El Palafito, que é uma casinha erguida do no meio do mar onde os pescadores passavam dias. Em volta tem estrelas e uma montanha de caracóis. Lugar interessante e bonito! Seguimos para Rabusquí, pequena ilha bonita como todas mas sem muitos atrativos. E finalmente descemos com as tralhas em Crasquí, praia lindíssima!

    - Dia quatro, como tivemos um atraso na saída do barco (amigos de amigos nossos chegaram nesse dia e levaram um arpão, o que é proibido lá. Resultado: quase foram presos ::putz:: ), fomos apenas para Norosquí, ponto onde se concentram as tartarugas. O lugar é muito lindo! Devido ao atraso pela manhã, ficamos até as 17h lá, o que foi ótimo pois no fim da tarde fizemos mergulho com snorkel e com o baixo movimento pudemos ver várias tartarugas marinhas.

    A noite fomos novamente ao La Gotera, a essa altura já tínhamos vários amigos brasileiros por lá.

    - Quinto dia fomos a Carenero, onde passamos quase todo o dia. Um dos lugares mais bonitos de lá. De um lado uma praia maravilhosa com aquela água que já cansei de falar, e do outro lado uma “lagoa” de água do mar paradisíaca. No fim do dia fomos para Sarquí, onde diziam também ter tartarugas, vi duas passando bem rápido e meio longe.

    Depois dos passeios subimos novamente no farol pois não tinha nenhuma nuvem no céu, o que rendeu um belíssimo espetáculo. Na janta pedimos para Jairo preparar uma lagosta (cobrada a parte), já que seria nossa última noite.

    Mais tarde compramos uma garrafa de um rum muito bom (Diplomático) e fomos todos para praia, nós, Fábio, Túlio (funcionário da pousada) e nossos vários amigos brasileiros. O Fábio levou umas toalhas, doritos, Ypióca, uma cava com cerveja e refrigerante e passamos ótimas horas ouvindo as muitas histórias que o Fábio tem para contar.

    - Sexto e último dia, resolvemos deixar os cayos próximos para o último dia, pois nosso voo era as 17h. Fomos para Francisquí e passamos inicialmente em praia onde tem pranchas, kite, etc para alugar. A praia é bonita, mas nos sugeriram para ir do outro lado, e fomos, ainda bem... O outro lado é muito mais bonito! Não deixe de conhecer! Ficamos até as 13h e fomos para Madrisquí, que não é tão bonita quanto Fransisquí. Curtimos nossas últimas horas no paraíso e fomos embora as 15h.

    Na pousada tomamos banho e arrumamos tudo, pagamos os passeios e os “a partes” e bora pra Kombi voadora!

    Chegamos em Caracas 17:40h e o voo pra SP era as 19:35h, por isso já havíamos feito o check-in web para garantir, o que é bastante aconselhável. Deu tempo de passar no duty free e fazer umas comprinhas. O preço de chocolates e bebidas (tive que trazer o rum que tomamos lá) era metade do que pagamos em Los Roques, porém não tínhamos muitos bsfs, e pagando em dólar com o câmbio oficial, deu praticamente na mesma. Portanto, caso queria comprar coisas no free shop de Caracas (que é muito bom) reserve uns bsfs trocados a 1 pra 8 para gastar lá.

    Após um voo longo pra SP e mais 2h de ônibus até Campinas... Home sweet home!

    Gastei cerca de R$2.200,00 por pessoa, incluindo tudo! Quando digo tudo, é tudo mesmo: passagens, hospedagem, alimentação, passeios extras, taxas aeroportuárias internacionais, ônibus Caprioli para ir e voltar do aeroporto de Guarulhos, baladas, etc...

     

    Minhas recomendações para a VeneBrasil, para o Fábio como agente e como pessoa, são as melhores possíveis!

×
×
  • Criar Novo...