Ir para conteúdo

jailsonrs

Membros
  • Total de itens

    9
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Bio

  • Ocupação
    Analista de T.I

Outras informações

  1. Gastei uns R$ 3500,00 + 1450,00 as passagens. Levei R$ 2200,00 em dinheiro e usei o cartão de crédito também. Alguns falaram que não compensava trocar real por dólar pra depois trocar por pesos, dai levei direto em real.
  2. Exceto o aéreo, gastei R$ 3500,00 e não passei vontade nenhuma, Fiquei em hostels baratos e comi de boa, sem economizar muito mas sem pegar o mais caro.
  3. Pretendo ir no segundo semestre do ano que vem, entre Outubro e Novembro talvez... É uma época boa pra ir?
  4. Sim, tem alguns passeios "Full day" saindo de Puerto Natales. No hostel que eu fiquei dava pra pegar um full day. Saida as 7:00 hs pra Torres e de lá tinha alguns destinos. A maioria dos Full Day tem como final a base das torres que dá pra percorrer de boa em um dia. No meu primeiro dia, tinha várias pessoas subindo pra ver as torres em apenas um dia. Tinha até pessoas com calça jeans e umas meninas com uns sapatinhos bem básicos. Pra quem não tiver pique pra fazer o Circuito W, um full day indo até as torres é um belo passeio. Vc também pode ir por conta, basta comprar a ida e volta pra Torres del Paine na rodoviária e de lá ir para as torres. O ultimo ônibus saindo de Torres para Puerto Natales sai as 19:00 hs. Os demais destinos que tem lá deve ser fácil de achar em qualquer hostel, mas se for pra apenas um dia, recomendo fortemente que vá até as torres. Abs.
  5. Acho que vc não precisa se preocupar tanto com isso. Usa uma segunda pele por baixo e um cachecol e pronto. Fora que quando vc entra em algum local tem aquecimento e vc vai ficar com calor. Tudo bem que é frio, mas não chega a ser extremo. Invista em um bom cachecol, luva e um gorro. Compre uma segunda pele e só. Comprei uma segunda pele da Quechua, paguei acho que 40 a 50 reais em cada parte ( cima e embaixo ) e fui pra Patagônia de boa, pegando uma média de -2ºC a 8ºC. Pra Gramado então, dá conta de boa.
  6. Pretendo fazer Vietnã, Camboja e Tailândia ano que vem, provavelmente no segundo semestre. Tem alguma época do ano que é ruim de ir pelo clima? Outra dúvida, uns 15 dias dá pra fazer o básico dos 3 paises que citei? Angkor Wat dá pra conhecer tudo ou o máximo possivel em quantos dias?
  7. Postei apenas Argentina. Se algum moderador puder redirecinar para 2 ou mais paises agradeço.
  8. Primeiramente queria muito agradecer a TODOS daqui. Pesquisei MUITO antes de fazer a minha viagem aqui, e agora vou colaborar com o meu relato. Nesse relato, vou falar de maneira breve sobre o mochilão que eu fiz em Março / Abril de 2015, visitando Ushuaia, Punta Arenas, Puerto Natales, Torres del Paine, El Calafate e El Chaltén. Falarei sobre os passeios que eu fiz e os valores dos mesmos na moeda local e uma conversão ao real. A conversão pode variar um pouco, depende de diversos fatores. Falarei também dos Hostels que fiquei, e dos passeios que fiz, assim como valores e demais observações.Lembrando que nos hostels sempre tem a cozinha onde vc pode preparar a sua própria comida. Não o fiz porque não sei cozinhar muito bem, e como fui sozinho, não me animaria de cozinhar apenas pra mim. Estava de férias e tinha esse roteiro em mente. A minha prioridade foi o sossego, fazer as coisas sem correrias e totalmente de boa. Dependendo do pique de cada pessoa, é possível otimizar melhor os dias, principalmente no Ushuaia, mas ai vai de casa pessoa. Ushuaia é uma cidade muito bonita, e mesmo um dia passeando apenas na cidade, é bem agradável e tudo lá é motivo pra tirar uma foto. Ir sozinho tem as suas vantagens, mas a pior desvantagem é na divisão de custos para taxi e na hora de fazer a comida no hostel. De resto, pra mim foi uma excelente experiência. 1º dia, 25/03: Vôo saindo de Guarulhos, SP marcado para as 18:15 para Buenos Aires, com conexão as 5:00 do dia seguinte para Ushuaia, mas devido a overbooking, não pude embarcar e a TAM remarcou o vôo para o dia seguinte. Me pagaram o taxi de volta pra casa e o de ida pro aeroporto no dia seguinte. Moro na Z/S de SP e o taxi de ida deu aproximadamente R$ 238,00 com o mesmo valor para a volta, totalizando R$ 476,00 pagos pela TAM. Também recebi um reembolso no valor de U$$ 200.00 ( R$ 638,00 na cotação que eles utilizaram ) a ser depositado em minha conta em até 45 dias úteis. Perdi um dia de férias. 2º dia, 26/03: Taxi chega em casa por volta do meio dia. Chego no aeroporto umas 14:00 hs pois peguei um pouco de transito. Despacho a mochila, tomando o cuidado de não deixar nada muito solto. Enrolei bem as alças e ficou tudo bem preso. Uma dica que eu dou, é comprar ou mandar fazer uma capa pra mochila na poder despachar sem maiores medos. Esqueci de comprar ou mandar fazer, porem nada aconteceu com a minha mochila. Vôo saiu pontualmente as 18:15, chegando em Buenos Aires as 21:10 mais ou menos. Passei pela imigração sem maiores problemas, a moça apenas perguntou qual cidade eu ia e onde ia me hospedar. Comprei uma Quilmes 500ml por absurdos 75 pesos no Aeroporto ( aproximadamente R$ 23,00 ) e aguardei minha conexão pro Ushuaia, que sairia as 5:00 hs. Decidi pegar com essa conexão pra chegar no Ushuaia cedo e aproveitar o dia todo. 3º dia, 27/03: Vôo sai pontualmente as 5:00 para Ushuaia, Fiz o chekin 2 horas antes e despachei a mochila, que também chegou sem problemas. Cheguei no aeroporto em Ushuaia as 8:00 hs, peguei a mochila e de lá, peguei um taxi até o centro / porto. 75 pesos pelo taxi ( R$ 23,00 ) e em poucos minutos cheguei. Tirei algumas fotos e fiquei encantado pela cidade. Tive recomendações de fazer câmbio no Hotel Antartica. Lá peguei 2000 pesos por R$ 550,00. Fiquei no Hostel Los Cormoranes. Rua Kamshen 788. 180 pesos a diária com café da manhã. Fiquei 5 dias lá, total 900 pesos ( R$ 300,00 ) e recomendo. Fica um pouco longe do centro, mas pra quem vai andar o dia todo isso não é problema. Cheguei no Hostel as 11:00, fui pro meu quarto e encontrei 2 franceses bem gente boa. Comi um lanche, tomei um chá quente no Hostel que tem sempre a disposição e pedi um taxi para ir ao Cerro Martial, que fica a uns 7 km de lá. Preferi um de taxi porque é uma bela subida. Cheguei lá por volta das 12:30. O Cerro Martial é uma estação de esqui, mas que no verão fica fechado pela falta de neve. No caminho tem muitos hotéis e uma bela visão da cidade e do Canal de Beagle. Lá tem a trilha do mirador da cidade e outra pra chegar no gelo. As trilhas são de boa e bem sinalizadas. Fiz a do mirador da cidade e parte da outra, pois começou a garoar um pouco forte. Na entrada tem uma excelente lanchonete, vale a pena parar lá pra comer e tomar uma cerveja Cabo Horn, custa 55 pesos ( R$ 18,00 ) e é bem boa mesmo. A garoa parou e voltei andando pro Hostel e curtindo o visual da cidade. Devido ao cansaço da viagem, fui dormir cedo, mas curti bem o dia. 4º dia, 28/03: Fui na intenção de fazer o passeio de barco no Canal de Beagle cedo, mas cheguei e já tinham saído, mas tinha a tarde. Aproveitei e fui no Museu do presidio. A entrada custa 150 pesos pra estudantes, basta apresentar um comprovante( R$ 50,00 ) e você pode voltar em até 48 horas caso queira sair pra almoçar, ou fazer qualquer outra coisa, basta avisar na recepção. Museu bem bonito mesmo. Tem o presidio, uma galeria de artes e diversas peças. Passeio obrigatório. Terminei o museu e fui pro passeio de barco. 600 pesos ( R$ 200 ) + 15 pesos de taxa no porto. Fiz o passeio básico, que dura umas 2 horas e meia a 3 horas. Ilhas com lobos marinhos e cormarones, e o farol. Passeio bem legal mesmo. Tem a opção de ir até a pinguineira, que custa uns 1300 pesos ( 440,00 ), porem não fiz. Ambos os passeios são comprados no porto. Terminei o passeio por volta das 17:30, comi e voltei pro Hostel. Dia concluído. 5º dia, 29/03: Acordei de boa umas 9:00 hs. Meta do dia foi Parque da Terra del Fuego. O transfer custa 200 pesos ( R$ 68,00 ) ida e volta e sai da avenida principal perto do Porto, ao lado do posto de combustível. Pedi no Hostel e vieram buscar pelo mesmo preço. A Van saiu pro parque as 10:00 hs. Chegando no parque, paguei 100 pesos a entrada ( R$ 34,00 ), recebi um mapa e a van continuou para outros pontos. Para a volta, a Van pega em alguns lugares, se informe com o motorista onde e que horas vc pode pegar na volta. E como são várias empresas que fazem o traslado, fique atendo e pergunte na hora de pegar a van de volta. Olhei o mapa e decidi fazer a trilha mais longa, assinalada com o numero 2 no mapa, Senda Costera. E não pude ter feito escolha melhor. A trilha começa junto ao carteiro do fim do mundo, onde vc pode carimbar o passaporte por 20 pesos ( R$ 8,00 ) e comprar belos postais por 20 pesos também e caso queira enviar de lá mesmo. Comprei só um postal e trouxe na mochila. O senhor que cuida do correio é bem simpático. Iniciei a trilha e é espetacular. Não tem erro, é só seguir a trilha, margeando o mar / canal a esquerda e com belas montanhas nevadas ao fundo. A trilha não tem grandes desníveis. A trilha tem 8 kilometros e em 5 horas se faz ela com tranquilidade total. Não tem ponto pra pegar agua na trilha, portanto leve ao menos 1 litro de agua. Após uns 5 kilometros, vc volta a encontrar a Ruta 3, e pegando um desvio a direita, vc encontra um centro de visitantes e um restaurante, onde vc pode comprar boas empanadas por 20 pesos. Chegando nesse desvio, ou vc pode optar por fazer a Senda Hito XXIV que tem mais 3.5Km margeando o lago Roca ou voltar e seguir a Senda Costera até Puerto Arias, que é o final da Ruta 3. Preferi seguir até Puerto Arias. Encontrei um simpático casal de Argentinos e fomos conversando no portunhol. Eles ficaram maravilhados com a minha coragem de ir pra lá sozinho e encarar o mochilão. Me senti um super herói. A van que eu peguei saia as 17:00 hs, dá tempo de sobra pra fazer a trilha tranquilamente. Cheguei em Puerto Arias por volta das 16:00 hs mesmo com uma longa pausa pra descanso. Peguei a Van e encerrei o dia. Tem também van que sai as 19:00 hs pra quem quiser fazer outras trilhas. 6º Dia, 30/03 Acordei tarde e fui comprar a passagem pra Punta Arenas. O valor da passagem é 680 pesos ( R$ 230,00 ) na empresa Tecni Austral. O ônibus vai até Rio Grande e de lá vc pega outro até Punta Arenas. Caso queira ir direto pra Puerto Natales, também tem, mas queria conhecer Punta Arenas. O ônibus sairia dia 01/04 as 5:00 da manhã, no mesmo local onde tem as vans para o parque e para demais passeios. Eu estava cansado esse dia, e não quis ir pra Laguna Esmeralda. Decidi ficar explorando mais a cidade, olhando melhor a avenida que margeia o Canal de Beagle, e o tempo estava muito convidativo pra não fazer nada. Esse foi meu digamos erro. Deixei a Laguna Esmeralda pro dia seguinte. Voltei pro hostel por volta das 16:00 hs e fui organizar minhas coisas, lavar umas roupas e organizar umas ideias. Sai depois pra jantar e dormi cedo. 7º dia, 31/03 Acordei por volta das 9:00 hs, tomei café e rumei pra pegar a van pra Laguna Esmeralda. A van sairia as 11:00 e fiquei esperando. 200 pesos ida e volta. Atrasou um pouco mas saímos. Estava tendo uma greve de caminhoneiros na Argentina nesse dia, e eles fecharam várias estradas, inclusive o acesso pra Laguna Esmeralda. O motorista ainda tentou um caminho alternativo mas não rolou. Esperamos um pouco e nada. Voltamos por volta das 12:30 sem ter ido. O único acesso que estava ok era pro Parque Terra del Fuego. Pensei em ir pro trem do fim do mundo, mas também estava sem acesso. Antes eu ter feito no dia anterior, mas sem problemas. Fui no Museu do Fim do Mundo, entrada pra estudante paguei 30 pesos ( R$ 12,00 ). Muito legal o museu, porem bem pequeno. Sai e cheguei cedo no hostel, arrumei a mochila e dormi cedo pra encarar a ida pra Punta Arenas. 8º dia, 01/04 Sai do hostel as 4:30 da manhã. Basicamente desci a rua e cheguei no local do ônibus. O ônibus saiu as 5:20. Chegando em Rio Grande, trocamos de ônibus e continuamos até a fronteira. Dai é aquele ritual chato de sempre. Sai da Argentina, apresenta o passaporte, carimba e volta pro ônibus. Algum tempo depois, o mesmo pra entrar no Chile. Devido a greve de motoristas, cheguei em Punta Arenas as 21:00 hs. A viagem de ônibus é chata e monótona. Se possível, vão pra El Calafate ou Punta Arenas de avião. Lá em Punta Arenas, fiquei no Hostel Torres Del Paine, na Chiloé, 1510. Não tinha feito reserva, apenas tinha pegado alguns endereços de hostels no booking. Quando eu cheguei em Punta Arenas estava extremamente frio e com uma garoa forte. Um pessoal que veio comigo no ônibus foi parando em 2 outros hostels próximos de onde paramos, porem não tinha vagas. Fiquei meio preocupado e segui para esse que eu tinha visto. Cheguei no hostel as 21:30 e a chuva estava um pouco mais forte. A cidade estava um deserto, quase nenhum carro ou pessoas andando nas ruas. Cheguei, toquei a campainha e fui bem recebido pela dona, uma senhora muito simpática. Pedi um quarto e ela deu as opções de compartilhado ou individual. Peguei um compartilhado e ela me mostrou o quarto. 10 camas, porem só eu no quartoJ. Tomei um chá e fui dormir. Perguntei onde vendia cerveja e a dona me explicou onde tinha um restaurante / bar aberto mais a frente, mas como a chuva aumentou, resolvi tomar um demorado banho e ir dormir. A viagem é bem cansativa. 9º dia, 02/04 Acordei umas 9:00, tomei um bom café no hostel. Pão, queijo, bolachas ( biscoito ), presunto, café e chá a disposição. Fui no local onde pega o Onibus pra Puerto Natales, a passagem custa 6000 pesos chilenos ( R$ 35,00 ). A empresa é a Bus Sur. O ônibus pra Puerto Natales é as 7:00 hs. Andei pela cidade, que é bem bonita, com muitas praças e monumentos. Procurei uns lugares pra ir na Isla Magdalena, mas não estavam indo no dia. Decidi explorar mais a cidade e valeu o dia. Deu pra descansar bastante. Fui pro Hostel cedo e preparei as coisas pra encarar Torres del Paine. Os dois dias no Hostel deu 21000 pesos chilenos ( R$ 110,00 ). 10º dia, 03/04 Ônibus saiu pontualmente as 7:00. Cheguei em Puerto Natales as 10:40. Tinha anotado o nome de alguns hostels e parei no Hostel Circuit W. Fui bem recebido pelo dono, e ele me explicou na hora sobre o Circuito W, mostrou mapas e deu dicas. Lá eu aluguei uma barraca, saco de dormir, isolante e uma panela. Eu tinha levado fogareiro e lá o pessoal que volta deixa gás, e é só pegar. Total do aluguel do equipamento por 4 dias deu 22000 pesos chilenos ( R$ 120,00 ) o que eu achei bem justo. Se vc não tem barraca, isolante e saco de dormir legal, não compensa comprar e levar pra fazer o W. Melhor alugar lá a não ser que vc pense em acampar em outros lugares frios ou outros mochilões futuros. Fora que alugando lá, vc vai mais leve, e carrega menos peso. Lá mesmo no hostel comprei o ônibus ida e volta pra Torres del Paine. 15000 pesos chilenos ( 80,00 ). Ele te dá 2 tickets, um vc apresenta já na ida, e o outro guarde com cuidado, pra apresentar na volta. Como era cedo, perguntei o que eu poderia fazer por lá, e o dono do hostel me recomendou ir na Mylodon Cave. Fica a uns 20km da cidade, e o dono do Hostel levou no próprio carro. Fui com outras duas argentinas. 12000 pesos o transfer ( R$ 65,00 ) e 4000 pesos a entrada do parque ( R$ 22,00 ). O parque é bem legal. Tem uma caverna grande, outra menor e algumas trilhas. Tem também um lugar chamado Devil`s Chair, que é um grande monumento de pedras que falam que é a cadeira do Diabo, mas tem que ter usado algo pra enxergar uma cadeira naquelas pedras, rs. No geral, vale o passeio. O parque é bem bonito. Voltamos pro Hostel, passei em um mercado que fica a algumas quadras e comprei a comida pra levar. Jantei, voltei pro hostel e arrumei bem a mochila. No meu quarto tinha dois franceses e combinamos de ir juntos pra rodoviária. Dormi umas 22:00 com toda a mochila pronta. O que vc não vai levar, pode deixar no Hostel, tem um local pra vc deixar as coisas. Guarde bem, feche e não deixe lá nada de valor. Não esqueça de levar dinheiro pra Torres del Paine. 11º dia, 04/04 Onibus saiu as 7:15 rumo a Torres del Paine. Chegamos lá por volta das 11:00 e eu dormi a maior parte do trajeto. Chegando no parque, se paga a entrada que custa 18000 pesos ( R$ 92,00 ). Preenche o cadastro da entrada com seus dados e vc informa o que vc vai fazer lá e quantos dias em média vai ficar. Não importa se é single day, Circuito O, Circuito W ou outra coisa. O valor da entrada é o mesmo. Vc precisa assistir a um vídeo sobre o parque e depois está liberado. Tem um transfer que te deixa no Hotel Las Torres, mas não o peguei pq queria me “testar” andando com a cargueira cheia. Uma dica é sempre ter o mapa fácil, pois apesar de ter placas em todas as bifurcações e ao longo do caminho, as vezes é bom consultar o mapa. No começo da subida encontrei um grupo de amigos e um israelense que tinha vindo comigo no mesmo ônibus de Ushuaia até Punta Arenas. Pessoal MUITO legal e fomos juntos até o Campamento Torres. É uma subida constante e as vezes cansativa. Leve no mínimo 1 litro de agua e oura garrafa pra encher durante o caminho. Toda agua corrente é potável, pode beber sem medo. Chegamos no Acampamento Torres as 17:00 hs. Fica em um vale, pegando um desvio a direta da trilha. Montamos as barracas, subimos pra ver o por do sol. Voltamos, fiz a janta e fui dormir por volta das 20:00 hs. É bem frio, porem estava confortável. Tem agua no acampamento. 12º dia, 05/04 Sai da barraca as 9:00 horas, um pouco tarde. Recomendo sair mais cedo. Do Campamento Torres o destino é chegar até a Base de Las Torres e ver as Torres. Uma hora e meia de caminhada por uma subida bem íngreme, com bastante neve no dia que eu fui. O sol estava bem forte, com bastante vento. O visual impressiona de tão bonito que é. Lugar mágico. Fiquei um tempo e voltei pro camping. Comi um grande sanduba de atum que eu fiz, desmontei acampamento e segui pro próximo destino, que é o Campamento Italiano. Sai do camping por volta das 12:00 hs e cheguei no Italiano as 19:00. Passando no Refúgio Los Cuernos, uma moça falou que estava muito tarde pra eu chegar no Italiano, e que era melhor eu parar lá, pois faltava mais 5 km. Falei pra ela que conseguiria. Desafio aceito e cheguei de boa no ItalianoJ. A Área de camping lá é bem grande, com espaço pra cozinhar. Fiz minha janta e por volta das 21:00 fui dormir. Encontrei lá o israelense do dia anterior e o casal de franceses que estavam no mesmo Hostel que eu. 13º dia, 06/04 Terceiro dia do W e o mais cansativo. Sai da barraca as 8:00 e fui pro Valle del Francés. É uma baita subida, com um visual muito bonito. Olhando na direção do lago Nordenskjold, tinha um belo “tapetão” de nuves, e o céu estava claro. Cheguei no Mirador Británico e fiquei um tempo lá conversando com o israelense que encontrei novamente. Tirei várias fotos e desci. Desmontei o acampamento, comi um generoso sanduba com queijo e salame de almoço e sai do camping por volta das 14:00 o que foi um certo erro. Recomendo começar o dia mais cedo, por volta das 7:00 no máximo e fazer o Valle del Francés o mais rápido possível caso você queira acampar no Grey, que foi meu caso. Se o seu destino for o Paine Grande tudo bem, mas pra ir pro Grey, comece o dia mais cedo. Continuei a caminhada até Grey, e encontrei o grupo que subiu comigo até o Campamento Torres no primeiro dia. Falei rapidamente com eles e continuei. Cheguei no Paine Grande as 16:30 e fui advertido pelo guarda que não conseguiria chegar no Grey a tempo, e ele recomendou que eu ficasse lá. Falei que andava rápido e segui a contra gosto dele para o Grey. Trilha com alguns desníveis, margeando as vezes o Lago Grey e com uns mirantes bem bonitos. A noite foi chegando, o sol se pôs e escurecendo cada vez mais. Era 19:30 e estava no limite pra continuar andando sem lanterna. Na hora que eu decidi procurar a lanterna na mochila, vi a luz do refúgio e fiquei mais tranquilo. Cheguei no Grey as 19:50 BEM cansado pela caminhada. Estava escuro quando eu montei a barraca. No mapa do parque não fala que lá é um camping gratuito, mas cheguei e montei a barraca, troquei de roupa e dormi. Antes fiz um lanche frio, pois não tinha indicação no mapa que lá podia cozinhar. Fui dormir umas 21:00 bem cansado e planejando o dia seguinte, que seria o ultimo. 14º dia, 07/04 Ultimo dia em Torres del Paine. Acordei as 6:30, desmontei a barraca, mochila nas costas e fui em direção ao mirante do Glaciar Grey. 20 minutos andando em frente com bastante placas indicativas. O glaciar é bem grande e bonito. Tirei umas fotos e ainda estava um pouco escuro. Voltei pelo mesmo caminho, em direção ao Paine Grande para pegar o Catamarã pra voltar pra Puerto Natales. Iniciei a caminhada por volta das 7:30 e o tempo estava encoberto, mas não estava muito frio. Cheguei no Paine Grande por volta do meio dia, e segui para pegar o Catamarã que sai as 12:30. Pra quem quer pegar o Catamarã as 12:30 recomendo fazer o caminho que eu fiz, andando bastante no terceiro dia. Pra quem quiser pegar o Catamarã das 19:00 horas, recomendo no terceiro dia ficar no Paine Grande e no quarto dia fazer um bate-volta até o Grey, dai vai do ritmo de cada pessoa. O Catamarã custa 15000 pesos ( R$ 80,00 ) e no caminho dá pra ter uma boa visão do parque. Cheguei no Pudeto as 13:00 e o horário dos ônibus, vans e transfers para Puerto Natales é sincronizado com o Catamarã. Saem meia hora depois. O transfer que eu peguei pra ir, não estava lá. Falei com um motorista e ele falou que alguns não vão pra lá, ficam na Laguna Amarga onde iniciamos. Ele falou que levava o pessoal pra lá sem problemas. Entrei no ônibus e fui até a Laguna Amarga onde peguei meu transfer até Puerto Natales. Cheguei em Puerto Natales as 18:00 hs. Lá já comprei a passagem pra El Calafate, que custou 22000 pesos ( R$ 75,00 ) para as 8:00 hs que é o primeiro horário. Cheguei no Hostel e paguei as 2 diárias, que deu no total 20000 pesos chilenos ( R$ 110,00 ), entreguei o equipamento e eles conferiram na minha frente pra ver se não tinha avarias e fui jantar. Fui dormir umas 22:00 hs e mochila pronta pra ir pra El Calafate. 15º dia, 08/04 Onibus saiu pontualmente as 8:00 de Puerto Natales. Tchau Chile, gostei muito de lá. Chegou as 14:00 em El Calafate. Como eu estava com os dias contados pra ir pra El Chaltén, na rodoviária assim que cheguei na rodoviária, vi um funcionário do Calafate Hostel. Perguntei pra ele se conseguiria ir pro Perito Moreno no mesmo dia, e ele foi muito solicito e me mostrou o ônibus, e falou que sairia em 30 minutos. Fui no ônibus e falei com o motorista, e ele falou que já estava saindo, mas que me esperaria pra comprar o bilhete. 300 pesos o transfer ida e volta pro Glcaciar Perito Moreno ( R$ 110,00 ), mais 150 pesos a entrada do parque ( R$ 55,00 ). Como eu estava com a cargueira, paguei 10 pesos para deixar ela na rodoviária. Peguei minha mochila de ataque e fui pro Perito Moreno. O ônibus pegaria de volta as 19:00 hs. Chegamos um tempo depois no Perito Moreno, e realmente é impressionante. Só conhecer das passarelas vale a pena, porem tem possiblidade de passeio de barco e andar na geleira, mas como meu tempo estava curto, fiquei apens nas passarelas. As passarelas são enormes, dá pra ver de vários lugares a geleira. É impressionante MESMO. Terminei de explorar as passarelas, subi e tem uma boa lanchonete no inicio. Comi um sanduba, tomei uma cerveja e esperei o transfer. Cheguei em El Calafate e comprei a passagem pra El Chaltén para o dia seguinte, saindo as 8:00 hs pela Cal Tur. 280 pesos ( R$ 100 ). Fui pro Calafate Hostel e fiquei lá. Hostel muito bacana, com restaurante e bem organizado. 180 pesos a diária ( R$ 65,00 ). Cheguei lá umas 20:00 tomei um banho e fui dormir. Conheci uma brasileira bem simpática que estava no meu quarto, ela iria pra El Chaltén e me recomendou o Hostel Rancho Grande que aceita cartão, pois eu estava com pouco dinheiro vivo. Conversamos um pouco e fui dormir. Perito Moreno valeu o dia, não deixem de ir. https://www.youtube.com/watch?v=htqMi71_l4o 16º dia, 09/04 Ônibus sai pontualmente as 8:00 hs. Antes tomei um café caprichado no hostel e rumei senti El Chaltén, minha última cidade a visitar. Cheguei em El Chaltén as 11:00 hs. Passamos no centro de visitantes onde explicam sobre as trilhas e cuidados básicos. Na rodoviária, compro logo a passagem para o aeroporto de El Calafate. 300 pesos ( R$ 110,00 ) e fui procurar hostel que aceita cartão. Acabei parando no Hostel Rancho Grande mesmo. 180 pesos cada diária, total 540 pesos ( R$ 195,00 ), porem sem café da manhã. Eles tem um bom café da manhã por 50 pesos ( R$ 20,00 ) com pães, geleia, manteiga, café e suco de laranja. Vale a pena caso vc não queira ir no mercado uns metros a frente. No primeiro dia fiz a Laguna Torre. Trilha muito fácil, porem comprida, aproximadamente 10km pra ir e o mesmo pra voltar. Chego no hostel no final da tarde, tomo banho, saio pra jantar e volto. Lugar muito bonito mesmo. https://www.youtube.com/watch?v=Xb-KxvqX7qU 17º dia, 10/04 Eu só tenho mais 2 dias aqui, vou embora dia 12/04 e tive que otimizar as trilhas e infelizmente deixei de fazer uma que estava nos meus planos, mas sem problemas. Nesse dia, decidi fazer a trilha principal, o Fitz Roy. Sai umas 9:00 hs do hostel, passei no mercado e comprei umas coisas e fui. Só pegar a trilha para Laguna de Los Três. 10 km pra ir e 10km pra voltar. Mas no caminho, passei no Chorillo del Salto com 3km pra ir e 3km pra voltar, terminando no começo da trilha principal do dia. Chorillo del Salto é uma pequena cachoeira, mas bem bonita. Trilha bacana e ok. Em menos de 2 horas dá pra ir e voltar, vale a pena. Iniciei a trilha para o Fitz Roy as 11 da manhã. Até o kilometro 9, sem maiores problemas, tem pequenos desníveis mas facilmente superados. A partir do kilometro 9, tem uma subida bem acentuada. Se abasteça de agua, vá devagar e sempre, e o principal, não desista. Ao chegar na Laguna de Los Tres, o visual é simplesmente fantástico. Vale cada esforço. Lugar extremamente lindo, trilha imperdível. Volto de boa pro Hostel, tomo um belo banho e durmo. Antes dei uma andada pra conhecer melhor a cidade, que é BEM pequena, porem bem simpática. https://www.youtube.com/watch?v=JIALG9rxLcc https://www.youtube.com/watch?v=bcLsRv1IK3A 18º dia, 11/04 Penúltimo dia de mochilão e ultimo dia pra trilhar. Resolvi fazer Loma del Pliegue Tumbado. A trilha começa no centro de visitantes e vai subindo até um belo mirante com um lago. Trilha longa, 10km pra ir e 10 pra voltar. Passo no mercado e rumo pra trilha. Trilha com uma leve subida o tempo todo, cansa um pouco. No final o visual é muito bonito, vale a pena ir também. Nesse dia, encontro com o pessoal que conheci em Torres del Paine. Fiquei bem feliz por rever eles. Combinamos e fomos jantar. Jantar bem legal para terminar o mochilão com chave de ouro. Chego no hostel umas 23:00 hs e fui arrumar a mochila pra ir embora. Vale ressaltar que em El Chantén, mas trilhas são todas gratuitas, não precisa pagar nada. Tem possibilidade de acampar pra quem queira. https://www.youtube.com/watch?v=AM4_d8KjtN0 19º dia, 12/04 O transfer me pegou no Hostel as 8:30 em direção ao aeroporto. O tranfer pega os passageiros nos hotéis / hostels e demora pra caramba. Antes faz uma parada em uma lanchonete que vende boas empanadas. Cheguei no aeroporto por volta das 12:00 hs. Meu vôo sairia as 18:00. Fiquei lá de boa, internet super boa e parti para Buenos Aires pra pegar a minha conexão pra São Paulo. Troquei meu vôo e tive que ir pro Ezeiza, transfer entre os aeroportos custa 140 pesos ( R$ 50,00 ). Cheguei em casa no dia seguinte, super cansado porem feliz. Considerações: • Pesquisei muito sobre a Patagônia antes de ir. Um amigo meu tinha ido pra Torres del Paine em 2011 e quando vi as fotos, tracei como meta e 4 anos depois deu certo. • A minha intenção era ir sozinho, cheguei a combinar com um amigo mas acabei indo sozinho, e foi algo extremamente positivo. Não vou citar as vantagens nem as desvantagens de ir sozinho, mas para o meu próximo mochilão, pretendo ir sozinho novamente. • É desejável falar ao menos Inglês, porem com o “portunhol” dá pra se virar. Vc vai entender e ser entendido, porem pra conversar com outras pessoas, vai ter dificuldades. • Pesquise bem a época antes de ir. Nos meses de inverno por exemplo El Chaltén fica vazio, a neve toma conta das trilhas e tudo fica mais difícil de percorrer. Fui no final do verão e não peguei um dia sequer com chuva forte. Dei muita sorte. • Não coloquei os custos com alimentação, pois isso varia de pessoa pra pessoa. Mas uma boa refeição não custa mais do que 150 pesos, sendo que se acha opções de massas a partir de 80 pesos ou até menos. • Todo canto tem wifi, exceto em El Chaltén, que é mais difícil e lento, mas tem. Melhor levar dinheiro, pois nem todo lugar aceita cartão. • De Ushuaia para El Calafate se der pra ir de avião é melhor. Economiza um dia inteiro. Bem, basicamente é isso. Segue meu canal no Youtube com alguns vídeos: http://www.youtube.com/user/jailson6666 Espero ter ajudado
×
×
  • Criar Novo...