Ir para conteúdo

Mariah Frighetto

Membros
  • Total de itens

    52
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Mariah Frighetto

  • Data de Nascimento 14-12-1984

Conquistas de Mariah Frighetto

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Isa! Desculpa a demora pra te responder, não estava entrando mto aqui... Então... eu não lembro o nome da empresa, comprei la na rodoviária mesmo... Lá da pra se informar certinho nas diferentes empresas (não são mtas) sobre horário e preços Mas tenta ir com um pouco de antecedência, porque lota... eu coisa de algumas, o ônibus que eu queria pegar pra voltar, que tinha uns 5 lugares, lotou e eu tive que pegar um que me fez perder meio dia em Budapeste
  2. Opa Hohlenwerger! Obrigada!! Só pra completar o relato, a conta do cartão de crédito, que usei pra viver nas últimas 2 semanas, deu R$ 2.600 Com os R$ 8.600 que já tinha gastado antes de sair, deu R$ 11.200 no total (quase caí pra trás qdo me dei conta) Mais uma dica: Cada saque feito com o cartão de crédito (menos o primeiro) me custou U$ 20 QUASE MORRI! Então, se possível, não faça saques pelo cartão de crédito!
  3. Daniel, eu fiquei 10 dias e ficaria mais fácil! faltou ver muita coisa, e os lagos foram uma das coisas que não deu pra fazer... na verdade a gente até tinha tempo, mas acabamos cancelando por cansaço, e pra ficar mais tempo em Hvar, que tava muito legal. passei 3 noites em Dubrovnik, 2 em Split e 5 em Hvar.
  4. Dia 26 - Budapeste/Praga Acordei cedo, fiz check-out do hostel. Quando fui pagar, o Andrew (que cuida do hostel) me cobrou 2 diárias. Na hora achei mais caro do que tinha calculado (o preço foi combinado em euro, e estava pagando em forint), mas não tinha percebido o tanto. Depois que saí pra rua que fui perceber que estava pagando o dobro. Quando voltei pra pegar minha mala, falei com o Andrew, que falou que tinha se confundido, achando que eu tinha ficado 2 noites. Mas como só consegui falar com ele pouco tempo antes de ir embora, fiquei com HUF 4000 sobrando, que tentei gastar na rodoviária, mas nem tinha com o que. Enfim... saí do hostel e fui almoçar no Main Market de novo. Comi um goulash, comprei alguns souvenirs e voltei pro hostel. Tinha conseguido entrar em contato com um amigo meu que fazia uns 10 anos que não via. Fui tomar um café com ele, e ele me levou até a rodoviária. CUIDADO! Tem duas rodoviárias com o mesmo nome. Certifique-se de qual é a sua. O onibus atrasou quase 2 horas. Era pra sair as 16h, e saiu as 17h45. Cheguei em Praga pouco depois da meia noite, chamei um taxi, e fui pra casa dos meus amigos. Gastos HUF 4000 - Home Plus Hostel HUF 1450 - goulash + cerveja HUF 320 - metrô HUF 1000 - fatias húngatas CZK 100 - taxi Dia 27 - Praga/Berlim Saí do Brasil com reserva em Berlim já. Só não sabia como chegaria lá ainda. Como meu casal de amigos tinha que ir pra Alemanha, eles decidiram ir comigo, e fomos de carro. Passamos pela Auto Bahn a 227 km/h... MEDO! Saímos de Praga no fim da tarde e 4h depois, chegamos em Berlim, as 22h. Fiz check-in no hostel que tinha reserva, o Wombat's. É muito bom. Grande, o ambiente é ótimo, a galera é prestativa, internet por € 0.50 por 15min, wi-fi de graça, bar... um ambiente ÓTIMO pra quem tá sozinho. Fui pro hotel com os amigos, e fomos pra uma balada chamada Kater Holzig. Muito legal, com vários ambientes, e ótima música... eletronico. CUIDADO! Minha amiga esqueceu a bolsa na mesa onde sentamos, e só se deu conta 1h depois, e a bolsa estava lá. Mas roubaram nossa garrafa de vodka com a gente do lado... INCRÍVEL! Continuamos a noite no bar de um hotel perto de onde meus amigos estavam ficando... Acabei ficando no hotel deles mesmo... Gastos CZK 400 - McDonald's (para 3 pessoas) € 72 - Wombat's hostel € 10 - entrada Kater Holzig € 25 - consumo € 15 - bar Dia 28 - Berlim Acordamos tarde e fomos comer num restaurante de tapas, Tapaz y Más. Queríamos pegar uma balada, mas ninguém aguentou... Gastos € 67 - Tapas (para 3 pessoas) Dia 29 - Berlim Meus amigos foram embora e me deixaram no hostel. Peguei um mapa e saí andando... Berlin é incrível, mas a essas alturas eu já estava de saco cheio de turistagem, e descobri que viajar sozinha não é pra mim! Enfim... passei por alguns pontos turísticos, brandenburg tor, alexanderplatz, torre de tv... Peguei um donut no Dunkin' Donuts O ticket de metro custa € 2 (ou quase isso) e vale por 2h, mas só em uma direção. Comprei um passe de 24h por € 6.30 e fui pro museu do Checkpoint Charlie, que é o lugar onde se passava do lado oriental pro lado acidental do muro. Pra chegar lá de metrô, tem que parar no Kochstrasse. Custa € 12.50 pra entrar, e vale muito a pena. O muro passava ali do lado, onde tem uns paineis na calçada com algumas histórias. Voltei pro hostel e fui pro bar. Esse é o maior motivo de ser um lugar bom pra quem tá viajando sozinho. Dá pra conhecer muita gente... Gastos € 7 - café da manhã € 1 - água € 5 - Dunkin' Donuts € 6.30 - metrô 24h € 12.50 - museu Checkpoint Charlie € 3.50 - bar hostel € 0.50 - internet hostel € 8 - falafel Dia 30 - Berlim Acordei cedo e peguei um walking tour que saía do hostel. Vale a pena. Bem melhor do que ficar andando sozinha por ai... O tour era de graça, vc paga o que quiser no final. Como não tinha comido antes de sair do hostel, peguei um donut de novo... Depois do tour, fui pra Alexanderplatz almoçar. Lá é "A" estação de TUDO. Metrô, S-bahn, tram, onibus, tudo... Por isso, é enorme... E por ser tão grande, tem vários fast foods de tudo quanto é tipo... Finalmente me rendi ao curry-wurst, especialidade de Berlin: é uma salsicha com molho vermelho e curry... bom demais! Tomei um chá gelado de uma lojinha de coreanos que parecia um laboratoriozinho. Peguei um onibus 142 na frente do hostel pra ir pra estação de trem Ostbahnhof pra me informar e comprar uma passagem de volta pra Praga. CUIDADO! Me deram informações erradas no balcão de informações. Me falaram que o trem só saía da outra estação, e só dava pra comprar a passagem lá. Mentira! Fui pra estação principal Hauptbahnhof de S-Bahn. Lá me informaram certinho. NUNCA peça informação no guichê de compras! O balcão de informações é mais dificil de achar aqui, porque o lugar é tão grande, mas ele existe. E aqui, me informaram direitinho. De Berlim pra Praga tem uns 12 trens por dia, de 2h em 2h. Como não sabia se conseguiria acordar a tempo, deixei pra comprar no dia seguinte Voltei pro hostel e fui pro bar... Jantei num restaurante vietnamita na frente, Good Morning Vietnam. Muito bom, preço bom. Gastos € 4 - Dunkin' Donuts € 5 - walkind tour € 6.30 - metrô 24h € 3.50 - chá gelado € 3 - curry wurst € 3 - bar hostel € 10 - restaurante vietnamita Dia 31 - Berlin/Praga Acordei cedo, fiz check-out no hostel e fui pra Hauptbahnhof pegar o trem pra Praga. Comprei a passagem por €66, pro trem das 10h48. Dica: Os guichês do andar de baixo (a estação tem uns 4 andares) estão sempre mais vazios. Comprei um curry-wurst de café da manhã e fui pro trem. A viagem dura 4h, e a estação mais central de Praga é a segunda que pára dentro da cidade. Encontrei um pessoal brasileiro que tinha conhecido na Croácia e encontrei eles na Karlovy Lazne, que é uma balada de 5 andares, super famosa. A música é bem chacota! Eletronico de rádio, anos 70, 80, 90... e por ai vai... Mas tem que ser feito! Comi uma pizza na rua e voltei de metrô, já que já estava aberto. Gastos € 5 - curry wurst + coca € 66 - passagem trem CZK 80 - taxi CZK 120 - entrada Karlovy Lazne CZK 500 - consumo Karlovy Lazne CZK 350 - pizza CZK 24 - metrô Dia 32 - Praga Dia de descanso! Almoçamos em um restaurante vietnamita perto de casa. É cheio deles pela cidade. Jantamos num restaurante argentino, Casa Argentina, que dizem que é um dos únicos lugares em Praga pra comer carne vermelha bovina... Gastos CZK 100 - restaurante vietnamita CZK 500 - Casa Argentina Dia 33 - Praga Último dia! Fomos dar uma passeada pelo morro de Petrín. Dá pra subir a pé, que dizem que é super cansativo, ou pegar o funicular, que é pelo preço do transporte comum, CZK 24. Lá em cima é lindo, cheio de jardins, cheio de flores. Tem um observatório espacial, com um museu, muro da fome, torre de observação... Comemos uma Klobasa. Fomos na Igreja do Menino Jesus de Praga, andamos pra comprar uns souvenirs. De noite fomos no jogo de Hockey NY Rangers x Sparta Praha. Hockey é o esporte nacional da República Checa. Meu amigo já tinha comprado os ingressos com alguns dias de antecedencia. Saímos de lá e pegamos um taxi pro Noi, restaurante tailandes, bem no centro velho. Comida muito boa, ambiente legal, as vezes rola uma musiquinha. Gastos CZK 100 - Klobasa + cerveja CZK 48 - metrô CZK 220 - taxi (para 3 pessoas) CZK 900 - ingresso jogo hockey CZK 1500 - Noi (para 3 pessoas) Dia 34 - Praga/São Paulo Acordei as 4h da manhã e peguei um taxi pro aeroporto. Nessa hora a viagem durou meia hora e custou CZK 534. Meu vôo saía as 7h, e eu estava adiantada. Fui tomar um café da manhã numa lanchonete por ali, e o lanche estava horrível... velho, seco, e carov =S Fiz check-in. Dessa vez, com 2 malas pra despachar. A mochila com 19kg, e uma frasqueira, que tinha trazido dentro da mochila, que deu 4kg. Tinha algumas placas falando que o limite era de 1 mala de 20kg, mas não deu em nada. As lojas no duty free abrem as 6h. Dá pra matar um tempo... Depois de um vôo de 1h40, fiz uma escala em Amsterdam de 1h30. O aeroporto de Amsterdam é EEENOOOOORMEEE. CUIDADO! Não fique enrolando por aqui. Só enrole depois de achar seu portão e ter certeza de que vai ter tempo pra isso! O vôo até São Paulo dura 11h. O serviço da KLM é muito bom. A comida é muito boa, o entretenimento pessoal é muito bom. Cheguei em Guarulhos as 17h05, e só consegui sair da área de desembarque umas 19h. Meu vôo pra Londrina era as 6h40 da manhã do dia seguinte. Tentei pegar um quartinho no Sleep Fast, no próprio aeroporto, mas não tinha vaga pra noite. Nessa hora o aeroporto estava lotado, todos os restaurantes cheios, sem lugar pra sentar, ou sem ninguém pra atender... Acabei comendo um lanche em pé, no McDonald's Saí do saguão e me ofereceram hotel com shuttle do/pro aeroporto por R$134. FECHOU! Fui pra Londrina no dia seguinte, e foi o fim da viagem! Gastos CZK 534 - taxi aeroporto CZK 140 - lanche aeroporto horrivel R$ 20 - McDonald's Guarulhos R$ 134 - hotel Guarulhos Espero conseguir ajudar alguém! Estou a disposição se alguém tiver alguma pergunta. Abraço!
  5. Dia 20 - Praga Pegamos o metrô e descemos na estação Náměstí Republiky na linha amarela, que fica em Wenseslas Square. É aqui que tudo acontece! É a avenida Paulista com todos os escritórios. É onde os grandes protestos acontecem, como a invasão dos russos na Primavera de Praga. Lá em cima, no começo tem o Museu Nacional Checo, e um outro museu mais moderno do lado, que parece o MASP. Tomamos um café da manhã no Starbucks e começamos a andança. Nessa época estava rolando um festival de colheita de uva, então tinha feirinhas em tudo quanto é praça na cidade. Compramos uns souvenirs em uma feirinha no outro fim da rua e fomos pra Old Town Square ver o relógio astronomico. Chegamos uns 5 minutos antes da virada da hora, então tinha um aglomerado grande de pessoas. O show dura pouco tempo e não é lá essas coisas... mas tem que ser feito! Depois ficamos um tempo na feira da Old Town Square comendo comidas típicas e bebendo cerveja. Passamos pelo bairro judeu e pelo shopping, e foi o dia que meu dinheiro acabou! Vale a pena comprar roupa aqui, é muito barato, e tem coisas lindas. Gastos CZK 48 - metrô CZK 173 - Starbucks CZK 120 - cerveja praça (2x 500ml) CZK 360 - janta restaurante coreano Dia 21 - Praga Nesse dia decidimos deixar a turistagem de lado e ficamos passeando pelas várias feirinhas que estavam rolando, comendo e bebendo coisas típicas. Sentamos no restaurante da Pilsner atrás do relógio astronomico e fomos super mal tratados. A comida é boa, mas o atendimento é péssimo. De noite fomos no U Sadu, que é um pub que serve vários tipos de cerveja e comida checa, que fica perto da torre de TV e da estação Jiriho z Pedebrad. Gastos CZK 80 - bucak (vinho checo) CZK 60 - klobasa (salsicha com pão) CZK 80 - batata com curry CZK 60 - Old Prague Ham (pernil no rolete) CZK 60 - cerveja CZK 150 - restaurante Pilsner CZK 48 - metrô CZK 200 - U sadu Dia 22 - Praga Minhas amigas foram embora nessa madrugada. Eu continuei em Praga com o casal de amigos, e depois disso, passei vários dias osciosos, só no turismo gastronomico, já que o dinheiro estava curto e o descanço era necessário! Esse dia era um domingo, e amanheceu chuvoso. Fomos em um brunch em um restaurante na beira do rio, chamado Mlynec, do lado da famosa balada de 5 andares Karlovy Lazne. A comida era perfeita, bebida a vontade inclusa, mas um pouco caro... CZK 790. Os vinhos aqui são bem baratos, então compramos uns vinhos e ficamos o resto do dia em casa. Gastos CZK 790 - Mlynec CZK 50 - taxi CZK 150 - vinhos Dia 23 - Praga Decidi ir a Budapeste. Fui a estação de trem (estação Hlavni Nadrazi, na linha vermelha do metrô) ver o preço da passagem, e era CZK 1500 só a ida. Tem uns esquemas de comprar pela internet com 3 dias de antecedencia, que sairia por CZK 450, mas eu não tinha esse tempo. Já tinha olhado o preço da passagem de onibus na intenet: CZK 950 ida e volta. GANHOU! Fomos na estação de onibus (estação de metrô Florenc, nas linhas amarela ou vermelha) comprar a passagem. Tinha visto preço e horário das passagens na Orange ways (orangeways.com), que é uma companhia low cost. Dei uma pesquisada nas outras empresas, mas os horários da Orange estavam melhores. Eu iria na terça de madrugada, e voltaria da quinta de madrugada, já que tinha reserva em Berlin na sexta, mas não tinha mais lugar no onibus de quinta de madrugada, então comprei pra quinta a tarde mesmo. Comemos em um restaurante indiano, The Pind, que é bem conhecidinho. Bem bom. Cuidado com a pimenta! De noite passamos no Hard Rock Café, tomamos um chopp e comemos uns nachos. Bonzinho, mas caro. Fomos pra uma balada chamada "Free Mondays" (não paga pra entrar) no Roxy, que era um cinema e foi transformado em balada, bem no centro velho. Na segunda rola Drum'n'bass. E é impressionante como tem gente novinha. O pessoal mais velho começa a chegar por volta das 2h. Saímos de lá, passamos numa lanchonetezinha (um balcão na rua) e pegamos um gyros. Gastos CZK 400 - The Pind CZK 48 - metrô CZK 950 - passagem Budapeste CZK 500 - Hard Rock Cafe (para 2 pessoas) CZK 100 - consumo Roxy CZK 100 - taxi (para 2 pessoas) Dia 24 - Praga/Budapeste Acordamos tarde e fomos almoçar num restaurante perto da igreja da Ludmila, chamado Retro. Comida boa, com especiais do dia que são mais baratos... Infelizmente não chegamos a tempo de pegar os especiais. Andamos por um parque ali perto e fui pra casa arrumar a mala pra ir pra Budapeste de noite. Meu onibus saia as 23h. Saí de casa as 22h, e peguei o metrô até Florenc. CUIDADO! Essa hora os trens passam de 10 em 10 minutos. CUIDADO 2! Na estação não tem placas em inglês. Tem que seguir as direções para Autobusové nádraží. É um pouco confuso. CUIDADO 3! Aqui eles também cobram pra despachar bagagem. CZK25 ou € 1. E óbvio que eu não tinha tudo isso... fui juntando moedinha por moedinha e tive que contar com a solidariedade de um cara que estava ali por perto. A viagem dura 7h, e chega as 6h em Budapeste, com uma parada em Bratislava. O onibus é bem apertado! Gastos CZK 250 - restaurante Retro CZK 24 - metro para estação de onibus CZK 25 - bagagem Dia 25 - Budapeste Cheguei em Budapeste as 6h da manhã, saquei dinheiro em um dos caixas da rodoviária, que só te dão notas altas... Troquei dinheiro em uma das padarias da rodoviária. Aqui tem um monte de doces e salgados assados... Sabe fatia húngara?! Então...! Como não sabia absolutamente nada sobre a cidade, fui pro centro... na estação de metrô onde todas as estações se encontram: Deák Ferenc Tér Aqui, o passe de HUF 320 (R$ 1 = HUF 100) vale por (se não me engano) 60min, mas só valem pra um trecho. Então, se vc quer sair do metrô e pegar um tram, tem que comprar outro passe. Achei um bar aberto e fui pedir informação. A mulher foi super simpática, me deixou usar o wi-fi dela, me ajudou a pedir informações, e me avisou que por ali, os hoteis são caros. Me indicou na direção de uma lan house, e lá eu fui. Peguei indicações e endereços de 2 hostels que procurei no hostel world. Peguei o metrô e fui pro Home Plus Hostel, perto da Lanchid Bridge. O dono do hostel foi bem prestativo, me deu mapas, me explicou certinho o que eu tinha pra fazer, e onde tinha que ir... Mas no dia seguinte, não sei se por distração ou de propósito, ele me cobrou 2 diárias, sendo que eu só tinha ficado 1. Foi tudo resolvido no final, mas pelo jeito, nunca é falar demais CUIDADO pra não ser passado pra trás... a galera tem várias formas de enganar turista, que muitas vezes a gente nem espera. (na Grécia, uma loja de souvenir me cobrou € 10 a mais. Só me dei conta qdo cheguei no hostel) Enfim, fui turistar. Aqui eu não lembro nome de nada... É tudo muito complicado! O nome das estações é tudo tér, ou utca, ou ut, tere, ou coisa do tipo... sem contar que algumas estações têm o mesmo nome, e a única coisa que muda são essas terminações. Então, CUIDADO com os nomes das estações! Mas sabendo disso, e tendo um mapa, é bem fácil... Recomendo o passe de 24h (HUF 1.550). Principalmente pra quem, como eu, tem pouco tempo na cidade. Diferentemente de Praga, Budapeste é muito espalhada. Tem que andar muito pra ir de um lugar pro outro. Esse passe não vende nas estações da linha 1, amarela. Essa linha é patrimonio da UNESCO. É o primeiro metrô do continente Europeu (segundo da Europa, o primeiro é o de Londres) e é super bonitinho... As estações são bem pequenas, os carros são super pequeninos e parece que a gente tá no século XIX. Saí do hostel e fui andando pro Parlamento, Catedral, Ópera... Comprei um ingresso pra peça daquela noite, Bánk Bán, por HUF 4.000 Tem uns mais baratos, por HUF 1.500, mas estavam todos lotados. Tentei comprar um passe de 24h no metrô na frente da Ópera, mas como ali é linha amarela, não vendia lá. Tive que comprar um ticket comum pra ir pra outra estação pra comprar o passe. Como já era quase meio dia, peguei o metrô e um tram pro Main Market, que é estilo o Mercadão de São Paulo, cheio de comidas típicas, frutas, páprica, souvenirs... Comi um langos, que é tipo uma pizza com massa frita O Mercado é do lado de uma das pontes, então atravessei pro lado Buda. Lá tem um morro que dá pra ver a cidade inteira, uma parte da cidade velha, a parte da frente do Parlamento... Nessa hora eu estava começando a ficar cansada, já que não tinha dormido direito na noite anterior, e não estava com meus sapatos mais confortáveis (a essa altura, não precisa nem dizer o qto isso é idiota, né?!). Use sapatos EXTREMAMENTE confortáveis! Pulei a parte do morro e da cidade velha, e fui ver o Parlamento... que dali, não parece, mas é super longe... deve dar uns 2km. Vi o Parlamento e fui pro metrô pra atravessar o rio! Saí do metro, e peguei um tram e andei umas 2 estações pra chegar no meu hostel. Parece ridículo pegar o metrô pra andar uma estação e um tram pra andar duas né?! Mas se anda TANTO aqui que qualquer 500m que dá pra se poupar, é um monte. Fui pro hostel, arrumei uma bolsa e fui pro termas. Aqui é um lugar que tem que tomar cuidado com o nome das estações. Tem duas que chamam Vörösmarty. Uma é utca, a outra é tér. Descendo na utca, tem a Praça dos Heróis. Vale uma visita rápida. Na próxima, Kodály körönd, tem o termas. Eu não vi qse nada do termas, porque não tinha tempo. Fiquei só umas 2h lá, passei por umas 3 piscinas, comecei a morrer de sono, e fui embora pra me arrumar pra ópera. Dizem que dá pra passar o dia inteiro lá. Paguei HUF 3200 pra entrar, com armário incluso. Depois fui pra Ópera ver Bánk Bán. É uma peça húngara, de um maestro húngaro, sobre uma história húngara, EM húngaro. Não entendi quase nada, mas foi legal. Quem nunca foi a ópera antes, tem que ir! Tem uma estação de metrô bem na frente: Ópera! O pessoal vai pra lá e vai embora de metrô, todo mundo super arrumadinho! Saí de lá e fui comer no McDonald's do lado da estação de trem, na frente da estação de metrô Nyugati Pályaudvar, que dizem que é o McDonald's mais bonito do mundo. Depois, peguei o metrô e fui pro lado Buda, ver o Parlamento iluminado de noite. Fiquei 1 minuto lá, e quando fui voltar, o lado que eu precisava pegar estava fechado. Isso era 23h30. Tive que andar até a ponte Lanchid (diz que não é perigoso andar de noite), torcendo pro tram ainda estar funcionando. Nessa hora, os trams que passavam de 1min em 1min, agora passavam de 15 em 15. Consegui pegar um \o/ Atavessei o rio e desci. Queria pegar uma baladinha, mas depois do dia longo, e do cansaço, desisti e fui dormir. Gastos HUF 500 - lanche rodoviária HUF 100 - internet HUF 320 - metrô HUF 4000 - Ópera HUF 320 - metrô Ópera HUF 1550 - metrô 24h HUF 950 - langos HUF 3200 - termas HUF 1310 - McDonald's
  6. Dia 14 - Hvar Acordei super tarde, com a garganta inflamada, então só encontrei as meninas umas 17h. Elas ficaram a tarde numa praia de pedras ali perto do centrinho. Eu fui direto pro Hula Hula ver o por do sol. Depois de lá, tomamos um banho e fomos pro Carpe Diem... mas não ficamos muito tempo Gastos kn 100 - Hula-Hula kn 177 - Carpe Diem Dia 15 - Hvar Ainda estava com a garganta ruim, então sai de casa super tarde de novo. Almocei num restaurante italiano bem no meio do square, chamado Pizza Kogo. A comida é bem boa, os pratos são ENORMES, e o preço é bem justo. Só pra não perder o costume, fomos no Hula-Hula ver o por do sol Depois tomamos nossa garrafa pet de cerveja, que tínhamos comprado outro dia no mercado, na sacada da nossa casa! Gastos kn 50 - almoço Pizza Kogo kn 75 - Hula-Hula Dia 16 - Hvar Nesse dia, era pra gente ter voltado pra Split e pegado um onibus pra Zadar, pra no dia seguinte, ir pra Plitvice Lakes. E depois, voltar pra Split de noite, pra dormir e pegar um vôo no outro dia. Ou seja, correria total e turistagem pura... Mas estávamos tão cansadas, e Hvar estava tão legal, e a gente tava aproveitando tanto essa vibe de praia e nem um pouco afim de fazer aquela turistagem toda, que decidimos cancelar nossa reserva em Zadar e ficar em Hvar. Compramos a passagem do catamaran pra voltar no dia seguinte. De Hvar pra Split dá pra comprar a passagem no dia anterior. Pegamos um barco pra outra praia nas ilhas Pakleni. Dessa vez escolhemos Stipanska Beach. Quando chegamos lá, que surpresa boa! É a mesma praia do Carpe Diem Club. E o club funciona de dia tbm! Rola umas cadeiras e guarda-sol na praia, musiquinha boa, e comida ÓTIMA! Depois descobrimos que as vezes rola day party lá tbm, as vezes na piscina, as vezes no mar... De noite voltamos no Carpe Diem Club pra festa Full Moon Party, que diz que famosa, e fecha a alta temporada... Não que ela estivesse muito alta qdo passamos por lá, né Dessa vez a música estava melhor que da primeira vez que fomos. E dessa vez a festa acabou 6h30... Gastos kn 50 - almoço Pizza Kogo kn 47 - catamaran Jadrolinjia kn 50 (por pessoa) - cadeiras/guarda-sol Carpe Diem kn 70 - risoto Carpe Diem kn 100 - Entrada festa Carpe Diem kn 70 - consumo Carpe Diem Dia 17 - Hvar/Split Chegamos em casa e começamos a arrumar nossas coisas pra ir pra Split. Conseguimos dar uma cochilada de umas 2h antes do check-out. Saímos da pousada e ficamos num café na beira do porto pra tomar um café da manhã e esperar a hora de partir - 13h45 Escolhemos um bar que tinha sofás, já que teríamos que ficar um bom tempo lá... Pedimos o cardápio, e o garçon, com toda aquela hospitalidade europeia, falou que não tinha comida... só meio-dia... Pegamos uns cafés, e esperamos a hora do almoço pra perdirmos uma pizza Pegamos o catamaran pra Split, fomos pro Beach Hostel (mas dessa vez pegamos um taxi pra andar as poucas quadras), e depois pras feirinhas em volta do Palácio. Jantamos por ali e fomos pro hostel, pois estávamos acabadas! Amanhã tem Praga! Gastos kn 55 - café da manhã / almoço kn 20 - taxi kn 70 - janta Palácio kn 160 - Beach Hostel Dia 18 - Split/Praga Nosso vôo pra Praga saía as 13h30, e o trajeto do centro pro aeroporto durava meia hora, então saímos do hostel as 11h. Na frente do porto tem onibus que saem 2h antes de todos os vôos da Croatian Airlines, que custam kn50 ou kn60 por pessoa. Fomos de taxi, que a mulher que trabalha no Beach Hostel ligou pra marcar. Já saímos com o preço do taxi fechado em kn200, que em 3, compensou... Compramos a passagem da Smart Wings pra Praga com uns 6 meses de antecedência, pelo expedia.com, e pagamos U$70. Fizemos o check-in e fomos gastar o resto de nossas kunas no restaurante do aeroporto. Por ser no aeroporto, o preço das coisas até que é bem razoável. O vôo dura 1h15, e a companhia é bem boa, ainda mais por ser low cost. A gente podia despachar 1 bagagem de 20kg, e levar 1 de mão de 5kg. Chegamos em Praga as 15h. O aeroporto é enorme... nos perdemos um pouquinho antes de achar a saída. Aqui não vou conseguir dar muita informação, porque como ficamos com nossa amiga que mora lá, não tivemos que pesquisar nem saber quase nada. Pegamos um taxi no guichê do AAA dentro do saguão do aeroporto. ATENÇÃO!! Nunca aceite taxis que te oferecem. Sempre vá atrás de um guichê do AAA, ou pegue o telefone deles pra ligar, pq eles já saem com o preço fechado. Pegamos um taxi pra Praha 3, por €33. Do aeroporto pro centro dá quase 1h. O metrô não vai até o aeroporto. Pra pegar o metrô tem que pegar um onibus que te leva até a estação mais próxima. Não sei quanto custa esse onibus. O ticket de transporte de 30min custa 24 coroas (CZK 10 = R$ 1). O de 90min custa CZK 32, e o de 24h custa CZK 110. Tem uns de 72h tbm, mas não sei quanto custa. O sistema de transporte em Praga é bem legal. Dá pra ir pra qquer lugar de metrô, tram ou onibus, e o taxi não é tão caro, se vc ligar pra chamar. O tram funciona 24h, e o metrô fecha da 0h as 5h da manhã. CUIDADO! Não esqueça de validar o ticket ao entrar no metrô. Eu peguei fiscais 3x. E não adianta falar que é turista e que não sabia. Diz que daí sim, eles exploram mesmo. E não pode validar mais de uma vez tbm. Como uma das viajantes se chama Ludmila, fomos visitar a Igreja da Santa Ludmila, que fica do lado da estação Námestí Míru, que tem a maior escada rolante da Europa. A igreja e a estação valem uma visita rápida. Nos arredores da igreja tem vários restaurantes e bares legais. Paramos pra tomar uma cerveja e comer por ali. Quem gosta de pimenta tem que provar o jalapeño recheado (com cheddar, e empanado). Cuidado, porque em alguns lugares eles são MUITO picantes! De noite fomos pro Chapeax Rouge, que é uma balada bem no centro velho. Como estávamos em 5, pegamos um taxi pra 7 pessoas, que deu CZK 120 de Praha 3. No primeiro andar tem um pub. No andar de baixo tem uma baladinha tocando eletronico, e no porão tem uma balada super underground. Parece um buraco no chão, que cheira terra, e toca um hard techno rock trash heavy!! Pra entrar no último andar nós pagamos CZK 100. Dali, fomos andando para um McDonald's ali por perto. O cardápio de madrugada no Mc é uma loucura! Quase qualquer coisa que vc pede, vc ganha em dobro! No final, acabamos com 9 lanches, e um monte de batata Voltamos pra casa de taxi. Gastos kn 70 - taxi Split aeroporto kn 20 - almoço aeroporto € 11 - taxi CZK 24 - metrô CZK 20 - cerveja/lanche CZK 24 - metrô CZK 25 - taxi Chapeax Rouge CZK 400 - Chapeax Rouge CZK 14 - McDonald's CZK 30 - taxi Dia 19 - Praga Dia de turistagem! Passamos pela torre de TV, que é ali em Praha 3 mesmo, do lado da estação Jiriho z Pedebrad, e foi construída na época do comunismo. Tem uns bebês engatinhando, que significa que a TV checa está apenas engatinhando em direção a liberdade de expressão. Lá em cima tem um restaurante que dizem que é bom, mas estava em reforma na época. Pegamos o metrô e descemos em Malostranska, que é perto do final na linha verde A maioria das pessoas desce na estação anterior, Starometska, que é a estação da Old Town Square, e sobe até o Castelo. Fizemos o caminho contrário, pra DESCER. A subida é longa e cruel! Vc desce na estação, e anda uns 10min, ou pega um tram, se seu ticket ainda estiver valendo, até a área do Castelo. Compensa comprar um mapa com informações pra andar por ali. CUIDADO! Queríamos entrar na catedral e pagamos CZK 150 pra isso. Só depois percebemos que isso era pra subir a torre, que tem uns 400 degraus e não acaba nuncaaaa! A vista de lá de cima é linda, mas vá preparado pra subir escadas. Andamos pela região e paramos no Vila Richter, que é logo no começo da descida, pra comer. É um restaurante de comida checa, que é meio carinho, mas vale a pena, a comida é perfeita. Gastamos uns CZK 500 por pessoa, com vinho. Descemos pro centro da Old Town e fomos rumo ao muro do John Lennon. Ali tinha um busto dele, e quando ele morreu, as pessoas começaram a escrever mensagens no muro. É bem legal, vale uma passada. É bem do lado da ilha Kampa, que é uma ilha que dá pra descer da Ponte Carlos. Pra ir do muro pra ilha, a gente passou pela ponte dos Love Locks, que são os cadeados que os casais colocam. Subimos na Ponte Carlos pela ilha. Ali tem um monte de artistas com artesanatos, música, um monte de estátuas, algumas que dá sorte pra quem toca. Do outro lado da ponte tem várias lojinhas de souvenir, Old Town Square, Wenceslas Square, que visitamos no dia seguinte. Jantamos num restaurante grego em Praha 3, Taverna Olympus. Muito bom. Gastos CZK 96 - metrô CZK 150 - catedral CZK 500 - Vila Richter CZK 250 - Taverna Olympus
  7. Dia 13 - Hvar - Mlini Beach Acordamos cedo e decidimos ir pra alguma praia nas ilhas Pakleni. Fomos pro porto, ali no centro, demos uma olhada nos barcos e decidimos ir pra Mlini Beach. A "carona" custou kn35 ida e volta. É tudo lindo. Vc chega em uma prainha que já é linda... Dali, segue por uma trilha de uns 200m de pedras pra outra praia que é DEMAIS! Essa praia é de pedra, mas não precisa de deck pra chegar na água. A temperatura da água é bem mais legal do que na Grécia. Mas é tão salgada quanto Comemos num barzinho chamado Waka-waka, bem na frente de onde vc desembarca na ilha É bem bonitinho, mas não tem muita opção pra comer... Mas tem um queijo de ovelha produzido pela família da dona que é uma delícia! Voltamos pro centro por volta das 17h, e fizemos uma janta em casa. De noite fomos pro Carpe Diem Bar. Aquilo é uma loucura... Hora que vc chega no balcão do bar, os garçons tão jogando garrafas e copos pro alto, botando fogo no balcão, atirando gelo um no outro, super descontraido! CUIDADO HOMENS! Aqui é cheio de mulher que sai pegando drinks de homens e sai andando depois... E os drinks não são lá muito baratos. O Carpe Diem tbm tem um Club, numa ilha logo na frente. O barco sai o tempo todo da frente do bar, e leva uns 10 minutos pra chegar. Na época que nós fomos (isso era 10/09), tava bem vazio... Mas na época de alta, aquilo deve ser incrível Cada festa tem um horário diferente pra acabar, e o último barco sai uma meia hora depois do final. Nesse dia, o último barco foi as 5h30. Gastos kn 35 - barco Mlini Beach kn 50 - Waka-Waka kn 240 - Carpe Diem
  8. Assim como prometido, meu relato: leste-europeu-34-dias-grecia-croacia-praga-budapeste-berlim-t61432.html
  9. Dia 12 - Hvar O catamaran para Hvar saía as 11h30, e tínhamos que comprar o ticket no dia. Fomos pro porto as 10h, compramos o ticket e fomos comer numa praça de alimentaçao cheio de fast food por ali... Repito! Cuidado com a comida! O sanduiche que eu peguei estava com o queijo seco e velho. O pão que minha amiga pegou tinha um fio de cabelo enoooorme =S Enfim, pegamos o catamaran, que são os barcos menores, que ficam num canto no porto. A viagem não dura nem 1h30, e faz uma parada no meio. Chegamos em Hvar, e assim como em Split, o porto é bem no centro. Fomos procurar nossa pousada, que só pra variar, era em cima do morro... Mas muito boa... pegamos um apartamento com 3 camas + um sofá-cama, com sacada, vista linda, ar condicionado, wi-fi... Pagamos €60 por noite pelo apê. Já tinhamos pagado 20% na reserva... que foi um probleminha, pq o pagamento teve que ser feito por depósito, e foi cobrada uma boa taxa. Mas mesmo assim valeu a pena, o lugar é muito bom. Chama Tri-sestrice, e reservamos pelo site deles mesmo trisestrice.com Como já estava tarde pra praia, fomos pro Hula-Hula ver o por do sol... É onde todo mundo vai depois das 18h. É um lugar lindo... um deck enorme, cheio de mesinhas e bancos, com uma lage com escadinha de piscina pra descer pra água. E a comida é ótima! Quem for, prove o salmão defumado... é incríííível! Ficamos lá das 16h30 até umas 20h, e estávamos planejando ir pro Carpe Diem depois, já que é pra onde todo mundo vai de noite, mas acabamos dormindo! [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20111023210102.jpg 500 333.333333333 Legenda da Foto]<-- As praias aqui são assim. A água bate direto nas pedras, e não dá pra entrar sem algum deck ou coisa do tipo...[/picturethis] Ah! Fizemos umas comprinhas no mercado pra economizar um pouco. Gastos kn 47 - catamaran kn 10 - água kn 110 - Hula Hula kn 150 - mercado kn 500 - Tri-Sestrice Apartments
  10. Dia 11 - Split Acordamos cedo, tomamos café da manhã no hostel, e saímos correndo pra rodoviária. Pegamos o onibus pra Split as 9h e chegamos as 13h30. O percurso é lindo. o tempo com penhascos e morros beirando o mar azul, verde e transparente, com ilhas na frente... vale a pena fazer a viagem de onibus. Pra ver a paisagem é bom escolher um lugar do lado esquerdo, atrás do motorista. Ah! tem que pagar kn7 (ou €1) por mala pra despachar bagagem (y) No meio da viagem a gente passa por uns 10km de Bósnia. Tem que passar pela alfândega dos dois lados: pra entrar na Bósnia e pra re-entrar na Croácia. Mas é bem sussegado, os policiais entram no onibus, olham o passaporte de cada um, e só... 5 minutinhos. Chegamos em Split, e na rodoviária tbm tinha gente oferecendo hospedagem. O porto é bem do ladinho da rodoviária, praticamente no mesmo lugar, e tudo bem no centro. Fui na loja da Jadrolinjia comprar o ticket de catamaran pra Hvar pro dia seguinte, mas só dá pra comprar no dia da viagem. (isso pra ida... na volta da pra comprar no dia anterior... inclusive, eles aconselham fazer isso) Comemos uma pizza num fast food, só pra variar, na rodoviária e fomos pro Beach Hostel, onde tínhamos reserva. O hostel é uns 5, 10min de caminhada da rodoviária. É um hostel bem legal... a mulher que cuida é uma gracinha, super louca... é tudo bem limpinho, ambiente agradável, wi-fi, computador com internet de graça... Pagamos €20 por noite. Aproveitamos pra fazer a reserva pra noite anterior ao vôo pra Praga, que não tínhamos reserva em lugar nenhum ainda Descemos pra praia de Bacvice, que dizem que é a praia mais movimentada de Split. É uma praia bem estranha! Parece uma calçada gigante que vc desce pra água numa escada de piscina. A galera fica tomando sol na "calçada-lage", pendura os pertences nuns ganchos na parede... vale a pena ir pra conhecer, mas nem precisa perder muito tempo ali. Conhecemos umas canadenses no hostel e fomos jantar no Palácio de Diocleciano. Acabamos parando no meio do caminho em uma pizzaria em uma rua antiga, chamada Bakra, bem boa, com um preço bem justo. Split não é uma cidade cara... Aliás, os preços na Croácia, de um modo geral, são bem justos. Partimos pro Palácio. Lá dentro é cheio de lojinhas, bares, restaurantes, bandas na rua, feirinhas de artesanato... Paramos em um bar por ali que tinha jarras de drinks por kn100. É NOIS! Na volta pro hostel, passamos nos bares/baladas em Bacvice, mas tava meio estranho, e não tinha quase ninguém... depois descobrimos que lá começa a ficar bom a partir da 1h da manhã... Resolvemos ficar quietinhas mesmo! Gastos kn 10 - onibus pra rodoviária kn 7 - bagagem onibus kn 20 - pizza rodoviária kn 160 - Beach Hostel kn 40 - Pizzaria kn 40 - bar
  11. Dia 10 - Dubrovnik Como estávamos muito cansadas, dormimos até tarde... Minha perna continuava tremendo =S Fomos na rodoviária comprar passagem pra Split pro dia seguinte. O ponto de onibus é alguns metros pra frente do Pile Gate. Compramos o ticket no guichê na frente por kn10. Vale por 1h ou 4 viagens (se não me engano). Vc valida o ticket na máquina do lado do motorista na hora que entra no onibus. Dá pra pegar o onibus 1A, 1B ou 3. A viagem dura uns 10 minutos. É bem fácil de ver a rodoviária. É bem do lado do porto. A rua faz uma curva pra direita depois que passa o porto, e é logo ali. Dá pra ver os onibus no pátio... Compramos a passagem por kn114. Nessa época, em setembro, tem onibus saindo de meia em meia hora, e a viagem dura 4h30. Pra voltar da rodoviária dá pra pegar qquer onibus que passe por "Pile". Dá pra ver essas infos do lado da porta do onibus. A função da rodoviária foi rápida, fizemos em 30min. Cuidado com a comida! Pegamos um lanche perto do ponto de onibus que estava MOFADO =s Voltamos pra Old Town e pegamos um mladi, que é uma batata frita, com um formato diferente, estilo palito em forma de meia lua... Como tem fast food e besteira pra comer por aqui! Fomos no museu de fotos de guerra, que é bem interessante. Jantamos num restaurante (Konoba Longo) numa das ruelinhas que saem da rua principal. A maioria desses restaurantes tem cardápio e preço na rua, e achamos que os preços estavam bons, mas qdo os pratos vieram, eram bem menores do que a gente esperava... Muito bons... mas menores... então gastamos bem mais do que o planejado... ainda mais que a limonada custava kn40 O COPO... QUARENTA KUNAAAAS... uns R$12 reais... Mais caro que a cerveja... MORRI! Gastos kn 15 - lanche mofado kn 10 - ticket onibus kn 114 - passagem Split kn 33 - batata frita + coca kn 117 - janta Konoba Longo kn 660 - Fresh Sheets Hostel
  12. Dia 09 - Dubrovnik Não tínhamos programado nada específico pra esse dia, então saímos pra andar pela Old Town. Decidimos fazer a caminhada pelo muro primeiro, mas como a fila estava muito grande, desistimos e deixamos pra depois. Melhor coisa, pq naquela hora (11h) o sol estava muito forte, e depois ficamos sabendo que a hora que a gente acabou indo (17h) é a melhor hora mesmo, por causa do por do sol. Fomos no museu etnográfico, e a mulher foi super simpática (mas claro, sem sorrir!) e fez preço de estudante pra gente = kn20. kn40 o normal. Depois de subir e descer várias escadas, visitar algumas igrejas, e andar um monte, decidimos parar no Buza Bar, que é o bar do lado de fora dos muros. É lindo... super gostoso... E CARO. €5 a cerveja... que pra Croácia, é caríssimo. A rotatividade do lugar é imensa... a galera costuma sentar, tomar UMA cerveja, água, ou qquer coisa, e sair. Mas estávamos TÃO cansadas que acabamos ficando ali um tempinho Depois fomos comer em um dos restaurates lá de baixo, e só depois fomos caminhar nos muros. Era 17h, e nos falaram que é o melhor horário pra ir... dá pra entrar até as 18h30, e o ticket custa kn70 ATENÇÃO!! Faça a caminhada num dia que vc estiver bem descansçado... no começo desse dia, minha perna tremia, de tanto cansaço. Não era nem espasmo no músculo... era a perna inteira tremendo... A caminhada pelo muro tem uns 2km, E NÃO DÁ PRA DESCER NO MEIO. Eu quase morri! Mas é uma caminhada muito legal... linda... e dá pra ver algumas partes destruidas pela guerra... Depois me arrependi de não ter pegado o audio tour Comemos no fast food de novo, e subimos pro hostel pra morrer cedo! Gastos kn 70 - muros kn 108 - Buza Bar kn 10 - sorvete kn 60 - almoço kn 20 - museu etnográfico kn 37 - pizza
  13. Dia 08 - Atenas / Dubrovnik Acordamos cedo pra tomar café da manhã incluso na diária do hostel. Como era domingo, fomos pra Syntagma Square pra ver a troca da Guarda Nacional, que começa as 11h, e só rola domingo. Depois demos uma volta no Jardim Nacional, que não tem absolutamente nada de mais... Demos uma volta por ali, que tem mais alguns monumentos antigos. Em qualquer caminhadinha que vc dá em Atenas, vc tromba com alguma coisa antiga... principalmente do lado das linhas de metrô, onde muita coisa foi achada durante a construção O Museu da Acrópole, inclusive, é construido em cima de uma cidade antiga. Fomos pra lá depois. A entrada é €5, e pra quem gosta de história, é bem legal. Voltamos pro hostel pra pegar as malas e partir pro aeroporto. Nosso vôo pra Dubrovnik saía as 20h. Compramos as passagens com 6 meses de antecedência pelo expedia.com. A Croatian Airlines faz esse vôo direto 3 vezes por semana: domingo, terça e quinta. Pagamos U$ 350. Pegamos o metrô com bastante antecedencia. Lembrando que o ticket pro aeroporto é especial, e custa €8, e leva +- 1h pra chegar, vindo da região da Acrópole. Quando fomos embarcar, tinham mudado o portão de embarque, e ninguém sabia nos informar de nada direito... Quando achamos nosso novo portão, ficamos ali por uma meia hora e tinha muita gente perdida por causa de trocas de portões... pelo jeito acontece bastante, e ninguém nunca tem informações... tem que ficar meio esperto aqui O vôo tem 1h15 de duração. Como atrasou, chegamos umas 22h em Dubrovnik. O aeroporto é pequeno, e nessa hora, bem vazio... Pegamos um onibus pra Old Town, onde era nosso hostel, por 35 kunas (7kn = €1)A viagem dura uma meia hora, e é linda... mesmo de noite, da pra ver o mar, os morros, os penhascos Ah... como íamos chegar tarde, ligamos antes pra avisar... na maioria dos hostels, a recepção não funciona 24h, então é bom ligar pra avisar se vc for chegar tarde. Quando descemos do onibus, mesmo tarde, tinha gente oferecendo hospedagem. Entramos em Old Town pelo Pile Gate. A cidade é liiiiinda!!! Um charme! A iluminação dos muros é linda. Quem chegar de dia tem que sair, pra fora dos muros, de noite pelo menos uma vez pra ver isso! Ficamos no Fresh Sheets, por €30 por noite. Já tínhamos reservado pelo hostelworld.com, e pagado 10% de depósito. Assim como em Mykonos, o hostel era lááá em cima do morro... o hostel é bem legal, e de novo, o único problema, são as escadas. Muito cruel de subir, ainda mais com mochilas Tomamos um banho e descemos pra comer... devíamos ter comido qdo chegamos. 1, pra não ter que subir as escadas de novo e, 2, pq em Dubrovnik (pelo menos dentro da Old Town) as coisas fecham cedo. Isso era 1h... achamos um lugar de fast food que fica aberto até as 2h. FHD (Fries & Hot Dog). A comida é boazinha, e relativamente barata, pra Dubrovnik, que dizem que é a cidade mais cara da Croácia. Gastos €5 - gyros almoço €5 - museu €8 - metrô Kn35 - onibus pra Old Town kn33 - lanche Notas - na Grécia eles sempre te servem uma jarra de água nos restaurantes. Em outros lugares que passamos também faziam isso em alguns restaurantes, mas não tanto como na Grécia. - nenhuma bebida é gelada... Nem água, nem refrigerante, nem cerveja, NADA! - dificilmente vc ve alguem dividindo um prato... normalmente os pratos são individuais e enormes, então se desperdiça muito. - de um modo geral, o atendimento é muito ruim... a galera é bem seca, as vezes até grossa. Muitas vezes te atendem super bem... mas sem nenhum sorrisinho! - a galera na Grécia até fala inglês, mas de um modo geral, muito mal. Isso melhora na Croácia - ouvimos dizer por lá que antes da crise os preços eram ainda mais caros... e realmente, vira e mexe a gente ve "crises prices" ou "crises menu" escrito nos lugares - CUIDADO NOS BANHEIROS FEMININOS! Sempre tem um homem limpando! - a galera fuma muito... em todo lugar - em Atenas, os meios de transportes são integrados. Então vc pode usar vários com o mesmo ticket. - sempre tem alguém fedendo - o mar é super salgado - o sol é super forte - nas compras acima de €120, se não me engano, vc pode pedir pra abater o imposto
×
×
  • Criar Novo...