Ir para conteúdo

Gisele_Lopes

Membros
  • Total de itens

    24
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Gisele_Lopes

  • Data de Nascimento 30-03-1984

Conquistas de Gisele_Lopes

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Ah, rapazes, obrigada pelas opiniões Giuliano, eu JÁ tenho uma Finisterre há quase 04 (quatro!) anos. Não quero trocar por outra Vento por causa do pós-venda não, afinal eu nunca precisei dela. A questão é que a esmagadora maioria das botas de caminhada esbagaça meus pés, enquanto essa deu super certo. Por causa desse 'probleminha' chamado "pés em carne-viva" eu não me disponho a comprar uma bota importada sem poder provar e testar bem antes, mesmo que seja mais barata. Sobre o climatex pode confiar. A minha já tem quase 04 anos e, mesmo a garantia da membrana sendo só de 06 meses, até hoje não entra água (a menos que eu afunde ela toda no rio a ponto de entrar água por cima, lógico ). Oi Gulherme, tudo bom? Então, a Caos é linda mesmo *.* Mas, infelizmente não tem meu nº. A Vento fabrica a Caos a partir do 37 e meu pezinho de Ogra é 35-36
  2. Yuri, antes de mais nada, obrigada pelo post e pelas informações. Estão sendo muito úteis! :'> Agora já abusando da sua boa vontade, fiquei com algumas dúvidas sobre Ushuaia: Você se lembra o horário de saída e retorno da Pinguinera? Dá mesmo pra fazer de manhã e ficar com a tarde livre para o Cerro e Glaciar Martial? Quantas horas tem o passeio pelo Canal Beagle? Vc se lembra o horário de saída e retorno? Pensei, se possível, de programar essa navegação em um período e o 4x4 dos lagos escondido e fagnano para o outro período do mesmo dia. Será que rola? Esse valor de 310 pesos que vc marcou para o taxi de Ushuaia é o valor total ou por pessoa? Ele ficou esperando vcs em cada passeio? Se não contratar esse taxi especial e for num taxi comum, é tranquilo pegar um taxi na volta do Cerro Martial ou do Pq. Nac. Tierra del Fuego, ou tem que já deixar combinado com o motorista pra ir buscar? Célio, td bom? Não entendi direito esse esquema da van... sai às 5h do aeroporto de Calafate e vai pra Chaltén? PS. Seu nome é familiar, será que a gente já se esbarrou em alguma trilha aqui em SP? É tanta gente... rs Guys, mt obrigada pela atenção e pelas respostas. Vlw!
  3. Luis, eu ainda não consegui fazer essa segunda parte do roteiro mas, de acordo com as minhas pesquisas, o trajeto Santa Cruz - Sucre de avião é interessante, pois, segundo relatos, a viagem de ônibus leva 17 horas, no mínimo.
  4. Pessoal, boa noite! Tenho uma Nômade Finesterre velhinha que estou querendo trocar por outra Finesterre ou por uma Mamut. A dúvida é porque pretendo viajar para Bariloche, Lagos Andinos e Patagônia no VERÃO (entre novembro e janeiro - ainda não está certo). Li aqui nesse tópico que a Finesterre tem uma limitação de conforto até -5º e da Mamut não achei a informação. Também vi um comentário no sentido de que não daria pra adaptar grampos... Bom, em termos de trekking tenho em mente o seguinte: - Subida ao Villarrica - Trilhas no Pq. Huerquehue (a definir, mas possivelmente "Los Lagos") - Trilhas no Pq Vicente Perez Rozales (a definir) - Big Ice - TdP (ainda não sei se o W ou um bate e volta só para o mirante Torres) - Cerro Torre e Laguna Torre - Fitz Roy (até Laguna de Los Tres) - Mirador de los Condores e Chorrillo del Salto - Trilha no Pq Naciona Terra del Fuego (a definir) Por ser verão não deverá estar extremo em termos de temperatura, mas não tenho noção de quanto vou pegar nas montanhas. Queria a opinião de vcs pra saber se essas botas da Vento (Finesterre ou Mamut) dão conta do recado. Para o Big Ice precisarei locar uma bota específica, além dos grampos? Fora o Big Ice, alguma outra trilha dessas que eu citei pode ser mais crítica pra bota? Vlw pela ajuda!
  5. Pessoal, pegando o gancho da pergunta que abre o tópico, vou lançar minha dúvida aqui: A ideia é fazer Bariloche, Lagos Andinos e Patagônia no VERÃO (entre novembro e janeiro - ainda não está certo). Em termos de trekking tenho em mente o seguinte: - Subida ao Villarrica - Trilhas no Pq. Huerquehue (a definir, mas possivelmente "Los Lagos") - Trilhas no Pq Vicente Perez Rozales (a definir) - Big Ice - TdP (ainda não sei se o W ou um bate e volta só para o mirante Torres) - Cerro Torre e Laguna Torre - Fitz Roy (até Laguna de Los Tres) - Mirador de los Condores e Chorrillo del Salto - Trilha no Pq Naciona Terra del Fuego (a definir) A questão é que tenho uma Nomade Finesterre velhinha a qual pretendo trocar por outra Finesterre ou por uma Mamut (também da Vento). Queria saber se essas botas dão conta do recado, já que ambas são impermeáveis e em último caso posso alugar uma bota mais específica para o Big Ice ao invés de apenas os grampos, ou se preciso de um modelo mais pro gelo. No caso das botas da Vento não serem suficentes (o q vai me deixar bem chateada, já q é super difícil achar uma bota que não machuque meu pé de cara e tb pq não queria gastar uma grana alta num equipo q não vou usar nas trilhas brasileiras depois) o que vcs me sugerem? Desde já, obrigada pela ajuda !!
  6. Sobre o esquema dos ônibus no Uruguai é bem tranquilo sim. Tem bastante oferta e as distâncias são curtas. Talvez Montevideo não será o seu ponto de partida, pela região... mas vc pode dar uma pesquisada no site do terminal Tres Cruces e, com base nas saídas de Montevideo, descobrir quais são as empresas que atendem as cidades que vc quer visitar. http://www.trescruces.com.uy/
  7. Oi Gente! Realmente, 30 dias é pouco pra fazer esses 5 países, principalmente com pouca grana, mas vamos lá... Existem dois roteiros clássicos (e que deixam muita coisa de fora) os quais podem ser unificados em um mochilão. A primeira parte dele, que envolve Buenos Aires e as cidades do Uruguai eu fiz em 10 dias de viagem, com deslocamento aéreo (perde-se praticamente um dia inteiro na ida e outro na volta, não tem muito jeito), mais informações aqui: http://migre.me/khmnZ O roteiro básico é mais ou menos o seguinte: 2D - PUNTA DEL ESTE 2D - MONTEVIDEO 1D - COLONIA 3D - BUENOS AIRES 1D - MENDONZA 3D - SANTIAGO 1D - SAN PEDRO DE ATACAMA 5D - DESERTO 3D - SALAR DE UYUNI 3D - LA PAZ 2D - COPACABANA 1D - PUNO 2D - AREQUIPA 1D - NAZCA 3D - CUSCO 1D - AGUAS CALIENTES 2D - LIMA São 35 dias, sem contar o dia da ida e o dia da volta. Para cumprir esse cronograma não há previsão de um dia para descanso e usa-se muito transporte terrestre noturno, pelo menos um trecho aéreo (Santiago - San Pedro) e nada pode dar errado. Acontece que, por mais que a gente tenha tudo planejado nos mínimos detalhes, numa viagem imprevistos acontecem. A toda hora! Chuvas caem, as pessoas adoecem, os transportes atrasam, as estradas fecham, as malas somem, enfim... Além do que, passar mais de 10 dias viajando de cidade em cidade sem parar pra descansar de verdade é extenuante. O ideal é ter um ou dois dias de ócio a cada seis ou sete dias de viagem, pra ter uma "margem de segurança" no cronograma e tb pra conseguir aproveitar de verdade e chegar bem no fim da viagem. Assim sendo, com 30 dias disponíveis, eu tiraria toda a parte da Argentina e do Urugay e me concentraria em Chile, Bolívia e Peru. Outra coisa, se vcs decidirem ir mesmo, CORRAM para comprar as passagens aéreas. Essa é, talvez, a parte mais delicada do orçamento, porque além de encarecer naturalmente conforme se aproxima a data, o preço pode dar um salto de um dia pro outro. E pesquisem bem os preços antes. Recomendo perder umas horas olhando o site kayak.com.br e avaliando preços, horários e tempo de espera nas escalas. Compradas as passagens já façam reserva nos hostels também. Muita gente viaja sem reserva, mas em época de férias não recomendo não. Pesquisem bem os preços de todos os passeios, passagens terrestres, traslados, etc. e saibam, exatamente quanto essa parte vai custar e tenham esse dinheiro já certo. Alguns passeios vcs precisam já comprar ou reservar daqui, mas serão pagos lá e nem sempre se aceita cartão de crédito. Vale ficar atento a isso. Fora o $$ das despesas que se pode prever, podem colocar na conta de cada pessoa pelo menos R$100,00 por cada dia de viagem pra alimentação, transporte local, gorjetas, água, remédios, taxas, lembrancinhas, uma breja, etc. etc. e td isso com bastante economia. Enfim, espero ter ajudado
  8. Oi! Fiz exatamente esse roteiro em fevereiro de 2012, então ficam algumas dicas baseadas nas impressões e experiências que eu tive. Buenos Aires: 1. Tem um ônibus que sai da Florida (http://www.buenosairesbus.com/pt/) muito bom pra conhecer a cidade. O primeiro sai umas 8h30, vc compra uma passagem que vale pro dia todo, pega o bus e ele vai parando nos pontos turísticos onde vc desce e fica a vontade pra conhecer o lugar pelo tempo que quiser, depois é só voltar pro ponto e esperar próximo bus passar pra continuar. Ele passa a cada 20 min. 2. Tem várias banca espalhadas pela cidade onde se pode alugar bicicletas amarelo limão. Se vcs gostam de pedalar, é uma ótima opção pra passear pelos inúmeros parques ao longo da Av. Libertador. A cidade é quase plana e cheia de ciclovias (eu aluguei uma tal bicicleta Naranja, mas é caro e o serviço não foi conforme o prometido, então, não recomendo essa ) 3. Na região de Palermo Viejo tem uma feira muito boa, excelentes restaurantes e lojas charmosas. 4. Não deixem de conhecer o Zoo Lujan. O ônibus de linha comum dá super certo pra ir (além de ser infinitamente mais barato do que contratar o passeio). Peguem a linha 57 no metrô Praça Itália. Pra saber onde descer, basta avisar o motorista que estão indo pro zoo. Ele vai te deixar no meio da Rodovia, próximo a uma alça de acesso. O Zoo está do outro lado da estrada, então só precisa atravessar (é fácil). Não esqueçam de comprar a passagem de IDA E VOLTA antes de embarcar na ida, ou então vão precisar ter as passagens trocadas em moedas na volta. 5. Conheçam o Delta! Vcs precisam ir até a estação Retiro pegar o trem pro Delta. Existem duas opções: a) Pegar o trem de subúrbio com destino a Tigre ou b) Pegar o trem com destino a Mitre, ir até o final, atravessar para a estação Maipu e pegar o Trem de La Costa. O Trem de La Costa é um trem turístico que vai beirando o Rio da Prata num cenário mais bonito do que o trem que vai pra Tigre. Pode-se descer do Trem de La Costa em qualquer estação e voltar depois. A estação terminal se chama Delta (e fica praticamente ao lado da estação Tigre). 6. Chegando à estação Delta, há uma saída do lado esquerdo que, seguindo em frente leva ao canal. É de lá que saem os catamarãs que fazem os passeios pelo Delta, mas não vale a pena pegar logo os primeiros que são oferecidos, pois, indo até o píer, é possível comprar bilhetes para os barcos melhores na bilheteria ou mesmo com outras empresas que oferecem o passeio. Quando fui, escolhi o passeio mais básico da empresa Sturla, que dura cerca de uma hora e dá direito ao passe para o ônibus turístico por Tigre (mesmo esquema do bus de Buenos Aires). Aliás, a imensa feira de artesanatos de Tigre foi o melhor lugar de Buenos Aires pra comprar lembrancinhas (mais baratas e bonitinhas). 7. A sorveteria Freddo é uma delícia!!! Colônia: 1. Tem um guarda volumes na rodoviária (ao lado da estação de barcos), onde se pode deixar as mochilas. La também se distribuem mapas gratuitos no centro de informações turísticas. 2. Os restaurantes mais gostosos são os que tem mesas na calçada/rua, na praça em frente à igreja. 3. Esqueçam o cartão de crédito. Aqui é tudo em dinheiro mesmo. 4. Na casa de cambio da rodoviária foi onde consegui a melhor cotação pra trocar dinheiro em todo Uruguay. Montevideo: 1. Tentem, por tudo, conseguir um mapa turístico da cidade!!! Eu levei um que encontrei na Livraria Cultura em SP e sem isso eu também ia achar que Montevideo não tem muita coisa. A verdade é que Montevideo é uma cidade deliciosa e acolhedora. Mas comecem o dia cedo! Mesmo com o Sol se pondo tarde nessa época do ano, dois dias é bem corrido pra conhecer a cidade. 2. Deixem o Centro Velho e a Av. 18 de Julio para o segundo dia. É uma pernada muito cansativa se vcs quiserem ver tudo. 3. No primeiro dia prefiram passear pela costa até Punta Gorda. Subam ao Farol de Punta Carretas e na Torre da Entel, visitem os parques Rodo, Molino Perez e Rivera e também o Museo Oceanográfico. Se quiserem, podem alugar bikes pra fazer isso, pois há ciclovias e o passeio é lindo. A tarde, peguem o ônibus e visitem o Prado, o lindo Rosedal e o Jardim Botânico. Depois, vão até o Bairro do Cerro pra conhecer a Fortaleza, o Memorial dos Desaparecidos, Praia do Cerro e ver o Pôr do Sol. 4. No segundo dia, Av. 18 de Julio e Cidade Velha. Antes mesmo de chegar à cidade velha, recomendo parar o mercado dos artesanatos que é bem legal. Aqui, novamente: CONSIGAM UM MAPA TURÍSTICO! Nessas poucas ruas, além da Porta da Cidadela e do Teatro Solis há diversos museus, cafés, praças, feiras, monumentos e muita história. Aqui é onde, se prestar atenção, vai ver coisas na rua inéditas, como uma bica pública no meio da praça que tem uma parte específica do bebedor exclusiva para os cachorros matarem a sede. Na Calle 25 de Mayo (próximo aos museos Romantico e Nacional) tem uma confeitaria maravilhosa que vale a pena procurar (sim, tem que procurar, pois o lugar é simples e a fachada não é tão evidente). 5. Se quiserem fazer compras, pelo menos em relação à roupas femininas, desde que não faça questão de marca, posso indicar a loja Indian. Tem várias na 18 de Julio. Umas menores que parecem outlet e uma bem grande do lado esquerdo indo em direção à cidade velha na qual, em Fevereiro, é possível encontrar excelentes casacos de frio num preço ótimo. 6. Evitem comer na Il Mondo da Pizza. Sério! Punta del Leste: 1. Aqui não tem correria. É um lugar pra curtir e relaxar. 2. Façam o City Tour já no primeiro dia, pois ele vale cada centavo. Escolham um que sai por volta das 17h e tem como última parada a Casa Pueblo. A cerimônia do Sol é uma das coisas mais bonitas e emocionantes que já vi na vida. 3. Como o Gabriel, super recomendo um passeio por toda a península. Pode ser de bike com guia, como ele disse, ou de scooter alugada. 4. Eu jantei um dia num restaurante chamado Los Caracoles, por indicação do guia do city tour. É bem fácil achar. A comida é deliciosa e o preço bom. 5. Hostel em Punta pra mim é o El Viajero da Praia Brava. O melhor e mais bem frequentado hostel que eu fiquei nessa viagem. COMIDA: Se vcs comem carne, tem duas coisas obrigatórias para provar nessa viagem: Ojo de Bife na Argentina e Puchero no Uruguai. Carne na Argentina, não importa qual seja, vem sangrando mesmo que vocês peçam muito muito bem passada. Não gostei. Puchero é um prato tão tadicional quanto a nossa feijoada. Trata-se de um cozido de legumes com carne bovina e grão de bico. Difícil de achar no verão, é possível comê-lo aos sábados durante todo o ano no Les Caracoles de Punta del Leste. Bom, é isso. Essas cidades tem muitas coisas boas, vcs vão curtir demais. Boa viagem!
  9. Olá, Alisson&Ione! Muito bom o relato da viagem de vocês. Parabéns! Aliás, me ajudou bastante nos planos aqui... Por isso mesmo, preciso de um help: Não estou conseguindo encontrar informações sobre essa Colcadina Tours com quem vocês fizeram o passeio de 1D no Valle do Colca. Não sei se foi o detalhamento do seu relato, ou se não há, de fato um padrão, mas o tour me pareceu melhor do que os de outras empresas das quais soube. Vocês ainda tem os contatos deles? telefone, e-mail, site, qualquer coisa? Muito obrigada!
  10. Oi Pessoal! Vi que tem havido uma certa dificuldade para se encontrar certas meias técnicas no Brasil, ou ainda para compra-las via internet do exterior. Não me perguntem como eu consegui esta informação, eu não saberia dizer, mas o site AmazingSocks possui uma infinidade de meias, algumas já comentadas aqui e outras totalmente estranhas, e entrega no Brasil. Nunca comprei nada nesta loja, e não posso fornecer uma opinião pessoal sobre sua confiabilidade, etc. Mesmo assim, tomando por base a minha experiência em compras internacionais, posso dizer que muito provavelmente esta compra seria sim taxada pela alfândega, já que a entrega não é por correios mas por uma empresa de comércio exterior. O que isso significa? Impostos na ordem de aproximadamente 70% do valor da sua encomenda (incluíndo o frete) e um tempo maior de espera pela encomenda, já que a Receita Federal não tem muita pressa em avisar que o produto está disponível para retirada. Minha humilde opinião é que mesmo com imposto vale muito mais a pena do que comprar no BR, cerca de 30% menos do que é cobrado pelas lojas aqui, isso quando é possivel encontrar o que queremos. Se alguém conhecer a loja e puder dar maiores referências seria uma boa. Bjs.
×
×
  • Criar Novo...