Ir para conteúdo

Mari Verdun

Membros
  • Total de itens

    47
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Mari Verdun postou

  1. Deixa pra comprar lá mesmo, numa loja de departamento. Mais barato que comprar no Brasil e por uma qualidade melhor. Problema é que nessa época já não tem mais muita coisa de inverno a venda... Mas deve dar pra comprar alguma coisa, ainda. Uma loja ótima pra comprar roupa de frio o ano inteiro é a Uniqlo. As roupas térmicas e o casaco de penas deles são ótimos.
  2. Toronto é tranquilo de fazer em 3/4 dias, incluindo ida as cataratas. NY quanto mais dias, sempre melhor. Mas 5 dias inteiros, mais os quebrados aí, é o suficiente.
  3. Guilherme, eu tenho a Yellow Boot da Timberland e amo de paixão. É fácil de achar ela em super promoção na internet, saindo mais barato que comprar fora, até. Eu tenho de várias cores e uso muito no inverno na europa. Meu marido tem também e curte bastante. Se você quiser algo que seja mais versátil, mais bonito pra andar em cidade e que, ao mesmo tempo, seja confortável pra andar horas e horas... Um sapato de uma boa marca é a pedida. A yellow boot, teoricamente, não é sapato de inverno. Não dá pra usar em -20, acho. Mas em cidades européias, nunca tive nenhum problema com frio no pé usando ela e uma boa meia. Eu não curto usar sapatos muito quentes e ficar com calor no pé. O que eu mais gosto na minha bota é que até trilha já fiz com ela, e foi ótima. Então, bem versátil. Tenho outras botas mais "sociais" da Timberland e amo todas, mas a yellow boot é a minha favorita. Se atente sempre que o sapato tem que ter solado apropriado para neve e ser impermeável. Tênis não rola se tiver chovendo/nevando. A umidade passa pro pé e você vai ficar escorregando por aí. Super perigoso.
  4. Nada! Que bom que aumentou os dias! Viajar mais é sempre melhor hahaha Com relação a museus em Paris, eu AMO o d'Orsay. Mesmo para quem não curte tanto as obras que tem por lá, acho ele lindo demais. De resto, acho que vale pesquisar o que mais te interessa pra não entrar na neura de ir em todos os museus. Isso vale pra qualquer cidade da europa, na minha opinião.
  5. Eu muito frequentemente compro multi-trecho, porque acho que vale a pena em custo-benefício (eu não tenho flexibilidade de datas, e acho que vale a pena gastar bem mais, mas viajar todos os dias que tenho disponíveis, do que economizar MUITO, mas ficar em casa 4/5 dias das minhas férias... o que acontece nos tais voos de quinta). Para destinos mais longe e caros, multi-trecho é a melhor pedida. Mas, já aconteceu de valer mais a pena comprar 2 passagens (brazil-europa europa-ásia). Vale pesquisar as duas opções. Não tem problema nenhum fazer isso, em termos legais. E com relação a stop-over, o valor pode não aumentar nada se o país tiver política de aumento de turismo, por exemplo. Dubai-Emirates e Amsterdã-KLM são exemplos de que stop-over, até um certo numero de dias, é sempre 0800.
  6. É, não dá. Acho que as melhores opções seriam: ou ficar os 7 dias em Paris, talvez conhecer coisas próximas como Reims, Versailles, Giverny. Ou ir até Amsterdã, já que Bruxelas não é tão prioridade. Amsterdã é bem menor que Londres, então com 2/3 dias, você não se sentiria tão frustrado de não ter "conhecido nada", como aconteceria em Londres - que definitivamente merece mais que 2/3 dias.
  7. Como assim Paris não é tão tranquilo? Com relação ao idioma, muita gente diz encontrar resistencia com inglês e eu, particularmente, acho que eles só curtem falar francês mesmo. Então, acho que a maioria dos turistas vai sem "falar nenhuma lingua" por lá. hahaha Se for com relação a segurança, é mais seguro que qualquer cidade grande do Brasil, com certeza. Basta não dar mole com coisas no bolso, etc. E concordo com todo mundo que o roteiro está muito corrido e que Paris merece mais que 1 dia. Milão, apesar de eu amar, não é lá uma cidade "turística" e, se não for pra ir lá curtir a cidade, não faz muito sentido ir. Meio São Paulo, sabe? Florença merece mais tempo, assim como Roma. O museu do vaticano e o Uffizi recomendo reservar online. Para o Coliseu, se está com pouco tempo, vale comprar o Roma Pass, pra você não pegar fila (vende no posto de infos turísticas, perto da entrada do coliseu).
  8. Concordo que 1000 euros pra 24 dias é complicado demais, ainda mais nos locais escolhidos. Com relação a trem, tem muito tempo que não uso trem na europa. Nem me lembro se já comprei passagem na hora. Mas vale a pena cogitar ônibus, que é algo que as pessoas acabam não pensando muito quando se trata de Europa. As passagens tendem a ser muito mais baratas e você consegue cotar nas rotas do google. Já na bagagem, vai pela cia aerea. Se fosse menor que a ANAC, valeria ir pela ANAC - acontecia muito quando as regras de voos de/para Brasil eram de 32kg. Era bem comum eu ter problema com multi-trecho, galera querendo me taxar ou não permitir minhas malas. Ai eu tinha que falar que era do Brasil, blábláblá, e sempre tinha algum funcionário que já tinha passado por isso antes e me liberava. Mas sendo MAIOR que as regras da ANAC, não faz sentido o funcionário ir contra as regras da cia aérea no momento do check-in. Se você, na ida, não pretende ultrapassar os 10kg de qualquer forma, pergunta lá na hora do embarque... Assim você fica tranquila pra volta. (E é estranho você não ter direito a bagagem despachada, se o próprio site da british diz que voos de/para Brasil tem direito a bagagem despachada... Voo constantemente com eles e nunca nem cogitei que minha passagem poderia vir sem bagagem).
  9. Não sei quantos dias de viagem, mas me parecem muitas cidades. Também não sei por onde você voará, mas Lisboa e Barcelona me parecem fora de mão das demais cidades. Sem pesquisar o que quero fazer no local, eu normalmente uso a lógica de 4 dias/cidade. Veneza, pra mim, 3 dias basta. Berlim e Roma precisam de mais. No meio do caminho entre Roma e Veneza tem Florença, que acho que vale muito a visita. Entre Budapeste e Munique tem Viena, mas não tá nos meus destinos favoritos (mas enfim, tem gente que ama).
  10. Também achei os dias em Veneza e Florença apertados. Em Paris, tente não cair na loucura de visitar TODOS os museus. Não dá. Leia bem sobre eles e escolha os que você acha que gostará mais. O meu museu favorito de Paris é, definitivamente, o d'Orsay. Se museu for a sua, aconselho estudar antes de ir... O Louvre pode ser "péssimo" ou ótimo, dependendo das suas expectativas e planejamento, já que é um museu enorme. Se você gosta de falafel, não deixe de ir no L'As du Fallafel. E o melhor macaron, na minha humilde opinião, é o do Carette (não Ladurée). Em Roma, reserve todos os restaurantes! MESMO. Não só restaurantes caros precisam de reserva por lá. Não deixe de comer no da Enzo, 29. Não tem reserva, é fila mesmo. Chega cedo porque vale a pena. Ah, o passe de Roma vale para evitar as filas gigantes no Coliseu. Comprar o Museu do Vaticano online tbm é necessário, porque as filas são insanas. Já em Florença, não deixe de ir no segundo andar do mercado central. Tem várias opções de "restaurantes" e meu marido é obcecado com a pizza de lá. No primeiro andar do mercado tem uma loja que vende massa fresca, mas tbm serve na hora tipo spoleto. É muito bom e custa sei lá, 5 euros. Recomendo dar uma estudada no que você quer ver no Uffizi, porque acho um museu bem pobre de informação.
  11. Mari Verdun

    Namíbia

    Fui para a Namíbia no ano passado! Se vocês quiserem alguma ajuda/dica, só falar! Na época tbm tive algumas dificuldades, principalmente em reservar camping/hoteis em locais mais remotos, já que os lugares, por não possuírem internet, só fazem reserva por telefone e as infos na net são bem toscas. Acabou que a empresa que eu aluguei o carro, me ajudou com essas reservas. Não tinha achado nenhuma info sobre a empresa também, mas no fim deu tudo mais que certo! hahaha Camping Car Hire, super recomendo.
  12. Oi! Como você pretende se locomover pela Namíbia? Eu fiz o roteiro, sem Fish River Canyon e com Twyfelfontein em uns 10 dias. Foi puxado, mas fiz tudo de carro. Acho que de outra forma é meio impossível e o aluguel do carro é meio caro, principalmente se você estiver sozinho! De qualquer forma, se quiser alguma ajuda, só falar.
  13. Flavio, sempre é necessário ter a carteira internacional. Os modelos de habilitação no mundo não são padronizados e, estando tudo em português, um islandes nunca vai saber se é mesmo uma habilitação ou uma carteirinha de estudante! hahaha Faz a internacional que é super fácil e rápido.
  14. Também fui em 2012, acho e levei o acordo em russo impresso. Ele foi necessário todas as vezes que passei pelo controle de passaporte. Não sei se era porque ainda era recente ou eles não costumam receber muitos brasileiros... Mas eles sempre procuravam pelo visto no passaporte, começavam a falar comigo em russo e eu já entregava o papel na hora. Eles ficavam uns minutos olhando o computador e me liberavam. Aconteceu a mesma coisa na Ucrânia, então acho que sempre vale levar o acordo impresso.
  15. Oi, Camilla! Eu fiz exatamente esse caminho para o Uyuni e adorei. A minha mãe, no ano anterior, tinha ido de ônibus direto para o Uyuni e odiou a viagem (ônibus cheio, estrada ruim, impossível dormir/fazer xixi...). Comprei a passagem de ônibus direto na rodoviária... Não lembro a empresa, nem se tinha muita diferença. Acho que escolhi la na hora. O horário do ônibus era regulado para chegar em Oruro a tempo de pegar o trem no mesmo dia. A minha passagem de trem eu já tinha comprado uns 2 dias antes em La Paz, em uma agência. Comprei primeira classe e o preço era bem tosco... Não é super luxo, mas é uma poltrona bem confortável, que deita, etc... Tipo ônibus de leito. Tinha um vagão restaurante com uma comida ótima. Tudo super confortável. E a paisagem era linda! Você chega em Uyuni de madrugada e na estação ficam 5 mil pessoas de agencia tentando te levar para um hotel. Fiquei no Hotel Julia, acho, em frente a estação. Minha mãe tinha dado um confere nos hoteis quando foi e me disse que esse era um dos mais arrumadinhos... E de fato era bem ok. Na volta, fiz a mesma coisa. Comprei a passagem de trem antes de ir para o deserto, então não tive problemas com disponibilidade. Só tem que checar as datas do trem, porque ele não rola todos os dias... Então tem que considerar um dia que vá e volte a tempo de vc fazer o passeio que lhe interessar.
  16. Oi, Flávio, Para chegar no Cristo, dá uma olhada no site oficial do Parque da Tijuca: http://www.parquedatijuca.com.br/corcovado/ Tanto a van de Copa, como a do Largo do Machado saem perto do metro. Fica fácil de ir de Ipanema. Subindo de trem, você teria que ir de ônibus até o Cosme Velho. Para ir para o Pão de Açucar de Ipanema, recomendo pegar um ônibus para o Shopping Rio Sul. Descer no ponto seguinte ao shopping e ir andando o resto do caminho. É perto e mais prático do que pegar metro + ônibus do metrô. Embaixo do Pão de Açucar, tem uma mini "trilha" que se chama Pista Claudio Coutinho. Uma caminhada agradável. Além disso, o bairro da Urca tem vista linda para a Praia de Botafogo, que rende excelentes fotos... Então, vale caminhar por lá antes/depois de subir no pão de açucar. Existem alguns poucos restaurantes no local, recomendo almoçar e curtir um pouco o bairro. Tem um PF clássico e barato no "Flor da Urca", o "Julius Brasserie" que é um francês caro e ótimo, o Belmonte que é um bar clássico carioca (vale comer a empada aberta! mas serve refeições tbm) ou o Bar Urca, mais bombante e também super carioca. A Barra e o Recreio são bairros mais distantes e chatos de ir dia de semana (muito transito!). Eu, particularmente, acho que lá ficam as melhores praias do Rio, mas prepare-se para 1h de ônibus para chegar. Além disso, são bairros meio Miami, então não é muito "andavel". Santa Teresa é incrível também. Um bairro alto super boêmio! Sugiro almoçar lá, até pra aproveitar a vista do lugar. Lá tem dois restaurantes famosos super caros: O Tereze e o Aprazível. Eu prefiro o Tereze, mas acho que ele consegue ser ainda mais caro! As opções mais normais incluem o Bar do Mineiro, Sobrenatural (peixe), Rústico/Cafecito (restaurante & café. mesmo que não almoce lá, vale guardar a sobremesa para o local) e o Adega do Pimenta (alemão com o melhor croquete do mundo! hahaha). Em Santa Teresa, não deixe de ir no Parque das Ruínas. Lá em cima se faz tudo a pé! Como falaram aí em cima: faça um tour no centro do rio e vá aos museus e igrejas! Dia de semana é mais cheio e domingo eu não recomendo, porque como todo centro, fica as moscas! Uma cidade próxima que dá pra fazer um bate volta e talvez a sua mãe curta é Petrópolis. Fica a 1h do Rio e tem vários ônibus o tempo todo! Lá tem o Museu Imperial, a casa do Santos Dumont, a Catedral, cervejarias, casas de chá... Enfim. Espero que você curta o Rio! Qualquer dúvida, só falar.
  17. Vá para a Isla del Sol no lago Titicaca! É um dos lugares mais lindos que já fui. A cidade de Copacabana em si não tem muito a ser visto.
  18. Ficar em hostel é super seguro, sim. Sempre tem um local para você trancar a sua mala ou os pertences de valor. Com relação a custos: isso é muito relativo. Depende das exigências que vocês venham a ter, época que vão viajar, o que querem conhecer... Pesquise bastante e você vai sair daqui com bastante noção do que vai gastar. Aqui no Mochileiros tem dezenas de relatos com planilhas de custos, que vão te ajudar a ter noção básica dos custos de viagem em todos os perfis possíveis. Eu não me considero A mochileira, já que costumo viajar com tudo planejado. Mas jamais faria nada com agencia, pelo simples fato de que eu curto descobrir como chegar, o que fazer, etc. Prefiro sair com roteiro para otimizar os 30 dias de férias e feriados da melhor forma possível e assim conhecer mais lugares. Não gosto de especificar o que fazer por dia, mas pesquiso sobre as cidades que quero conhecer e quantos dias acho que precisaria pra fazer tudo que quero. Ninguém pode te dizer se compensa mochilão ao invés de agencia, porque mochilão não é apenas uma questão de custos. Assim como tudo na vida, é questão de gosto. Falando do Peru, especificamente: é um país extremamente turístico. Tudo lá é fácil. A trilha inca é fácil se vc tiver condicionamento físico, porque por mais que não seja super puxada, ainda sim, são quatro dias andando. Mais uma vez, é relativo...
  19. Quando fui, tive a mesma dúvida e acabei não comprando a passagem online. Na época, comprei direto na rodoviária e deu tudo certo... Só que fiz o caminho contrário, pois estava vindo da Argentina. Comprei com uns 3 dias de antecedência e o ônibus ainda estava vazio.
  20. Vc precisa ficar todos esses dias em Amsterdam? Poderia transferir para outros locais. Mas mesmo assim ficaria super corrido, considerando o deslocamento. Procure locais mais próximos, assim fica tudo mais rápido e barato!
  21. Sempre viajei muito com os meus pais... Mas meu primeiro mochilão sozinha foi aos 20, com meu dinheiro do estágio! hahaha
  22. Bom, sou bem prática para fazer a mala, mas fui um pouco neurótica na Bolivia... hahaha - Protetor solar e protetor labial. Isso é básico. Vi muito homem com cortes quase até o queixo porque não tinham protetor labial... bizarro! hahah - Toalha que seca rápido - Hidratante potente! Levei apenas aquele potinho da Nivea e lá era tão seco que passava no rosto! Não tive uma espinha sequer, apesar daquilo ser quase um reboco - Remédios. As farmácias na Bolivia são toscas, então leva tudo que vc possa precisar (cólica, dor de cabeça, diarréia, enjoo (meu médico recomendou dose baixa de dramin, o infantil, pra ajudar com o enjoo por causa da altitude sem dar sono), remédio de nariz, etc...). Só comprei lá mesmo a soroche pills, mas dá uma pesquisada sobre, porque acho que é anti inflamatório e tem gente que tem alergia. Tomei todos os dias e teve um dia que passei MUITO mal do estômago. Estava com uma amiga médica que disse ser efeito do remédio. Mas não senti nada da altitude... então! - LENÇOL! Não sei o quão fresca vc é, mas por mais que eu não me incomode de dormir em qq lugar, poder cobrir a cama dos lugares toscos do salar com um lençol limpo me deixava mais feliz! hahaha É um deserto, então duvido que os lençóis lá sejam lavados com freqüência... - Saco de dormir térmico. Seguindo a linha nojinho ao dormir, eu dormia dentro do saco de dormir, em cima da cama! Ou então abria ele' e usava como coberta, deitando em cima do lençol. Sem contar que lá é super frio. Eu levei por causa de um relato antigo aqui do Mochileiros do cara que quase morreu congelado... Mas foi super util! - Lenço umedecido, porque nem sempre banho é acessível ou água pra lavar as maos pós banheiro. Com relação a roupas de dia a dia: quase todos os mochileiros acabam se rendendo as roupas bolivianas, então não é como se fosse um desfile de moda. Usei minha botinha de trilha todos os dias.
  23. A Região dos Lagos é incrível, com muita coisa linda para conhecer! Acho que ficar só 2 dias lá, se muito, é maldade... Além disso, Santiago é uma cidade interessante e é possível preencher os 5 dias sem necessidade de ir conhecer vinícolas ou a estação de ski.
  24. Com relação a retirada de dias, concordo com os pontos acima: Tiwanaku é super interessante, mas repetitivo se você não curte muito o assunto. Se prefere natureza/cidade, pode ser uma boa cortar. No mais, sempre prefiro tirar dias de capitais, pois tem mais chance de ter outra oportunidade de conhecer o que faltou. Uyuni: Eu fui de trem e achei muito bom e confortável. Peguei um ônibus qualquer na rodoviária para Oruro. Lá peguei o trem (comprei a passagem na agencia que tinha no meu hotel) e cheguei de madrugada em Uyuni. Fiquei no hotel Julia, ou algo assim, em frente a estação. Era bem razoável. O ônibus não possui banheiro, a estrada é super irregular e é quase impossível dormir. O trem é uma opção barata e confortável, só que demora consome um dia inteiro da viagem. É espaçoso, tinha vagão-restaurante com comida ótima e banheiro limpo. Está longe de ser um trem luxuoso, apesar da primeira classe... hahaha Mas achei válido e depois de ter lido mil relatos apavorantes sobre o ônibus (pessoas dormindo em cima das outras, bichos dentro do ônibus, fedor, etc...), não faria diferente.
  25. Felipe, vc vai ficar 10 dias na Bolívia ou tem 10 dias entre sua ida e volta de Campo Grande?
×
×
  • Criar Novo...