Ir para conteúdo

raissa_brundo

Membros
  • Total de itens

    32
  • Registro em

  • Última visita

Sobre raissa_brundo

  • Data de Nascimento 20-11-1989

Conquistas de raissa_brundo

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Ahhh.. agora entendi!!! Puxa, Pensador, você me ajudando de novo uahauhau valeuuuu!!!
  2. Pessoal, vocês conhecem o Budget Harbor Colonial? No site do Decolar fala que faz parte do empreendimento Hotel Harbor Colonial, a diária para casal no feriado de 15 de novembro está saindo R$100,00, mas não estou encontrando informações sobre ele. Até no próprio site do Harbor não fala desse hotel budget. Alguém sabe me dizer algo???
  3. Dei uma olhada... mas não está compensando muito, pelo mesmo valor tem em outros hotéis que parecem um pouco melhores. O ruim do Ibis é que NADA é incluso na diária, mais um pouco eles cobram o ar que respira tbm uahuahau Mas suuuuper obrigada, Pensador!!! Vou decidir até esse final de semana, se mais alguém tiver dicas, aceito! hehe
  4. Oi, pessoal! Estou precisando de uma super ajuda de vocês. Estou em busca de um hotel para os dias 12 e 13 de outubro pois terei um casamento de um amigo em Sampa e estou perdida! Os endereços da cerimônia religiosa e da festa são os seguintes: Igreja Imaculada Conceição - Av. Brigadeiro Luís Antonio, 2071 - Bela Vista. Buffet Quatá - Rua Quatá, 579 - Vila Olimpia. Primeiro busquei no booking, expedia, decolar etc. hotéis próximo ao local da festa pois como sairemos de madrugada, não queria ficar zanzando pela cidade hahaha mas pelo que eu vi a região é bem cara! Se for ficar em albergue, queria ficar em quarto privativo pois vou com meu namorado e temos que nos arrumar para o casamento, enfim... mas os preços das suítes estão o mesmo preço ou até mais caras que hotéis! Então, se alguém tiver alguma dica de hospedagem nessa região que citei ou tenham alguma outra região para me sugerir que acham que seria conveniente para eu ficar, agradeço muito! Vamos de carro, então não precisa ser perto de metrô ou algo assim. Espero que possam me ajudar!
  5. Entre Viña e Valpo você pega ônibus circular mesmo senão quiser ir pelo metrô de superfície, as duas são coladinhas! Agora sobre Santiago ser uma cidade cara... pelo tamanho dela, se fosse no Brasil, as coisas seriam muito mais caras. Dá pra gastar pouco lá sim. É só ficar em quarto compartilhado, comer em local barato (tem muita opção de fast food) e aproveitar os passeios gratuitos... andando dá pra conhecer o essencial da cidade! Plaza de Armas, Palacio de La Moneda, Mercadão, Cerro Santa Lucía... são exemplo de opções gratuitas!
  6. Oi, Ramon! Dá, sim! Em um dia dá pra conhecer o essencial em Viña Del Mar e Valparaíso, é só ir cedo e aproveitar bem o dia! Só não pegue os tours que ficam oferecendo na Rodoviária porque são furada, são caros. Dá pra fazer tudo andando ou de ônibus!
  7. Olá, pessoal!!! Quero compartilhar com vocês como foi minha viagem, pois o sei o trabalho (e a delícia) que é planejar um roteiro. Espero que assim possa ajudar alguém! Realizei essa viagem com meu namorado nas nossas férias em agosto. Somos de Londrina - PR e começamos a viagem de carro na verdade, pois fomos até Balneário Camboriú - SC (minha mãe mora lá) e saímos de avião de Florianópolis rumo à Argentina (com milhas doadas pela minha avó hehe). Essa foi minha primeira viagem internacional, levamos somente RG pois apesar de querer fazer um passaporte para começar a carimbá-lo estava muito caro, mas com o RG não tivemos problema nenhum (só precisa ser recente, não pode ter mais de 10 anos). Em resumo, fomos para Buenos Aires de avião, conhecemos e amamos a cidade (já quero voltar), depois pegamos um ônibus até Santiago (também adoramos e ainda conhecemos a neve e o oceano Pacífico) e voltamos de avião de lá. Mas vou tentar contar tudo e dar o máximo de dicas possíveis. 1º DIA - 06/08/13 Nosso vôo era às 09:40 da manhã, contudo como para vôo internacional é necessário fazer check-in com 2h de antecedência fomos bem cedo para Florianópolis, mas pegamos um congestionamento miserável para entrar na ilha e cheguei a pensar que não conseguiria fazer o check-in, mas deu tudo certo e assim iniciamos a viagem sem estressem. Fizemos conexão em Guarulhos, depois uma escala em Ciudad de Leste e mais uma conexão em Assunción, ou seja, chegamos em Buenos Aires somente às 22h . O bom de pegar vários aviões é que comemos um monte e chegamos sem fome alguma . Passamos pela imigração, na qual já devemos chegar com os papeis dados no vôo já preenchidos. Pegamos uma mulher muito mal humorada que ficou brava porque minha digital não tava saindo naqueles scanners (oi, que culpa eu tenho?). Mas nada que pudesse abalar o NOSSO bom humor . Sacamos pesos em um caixa ali no aeroporto mesmo porque íamos pegar táxi para ir para o hostel, resolvemos pegar o táxi oficial Ezeiza por conta de algumas histórias lidas na internet, eles aceitaram em Real mesmo e ficou R$100,00. Ficamos hospedados no Hostel Suites Florida... e recomendo muito!!!! O quarto era muito bonito, assim como todas as instalações do hostel, limpeza impecável, bom atendimento, café-da-manhã gostoso (aiiii o doce de leite )... e nem preciso falar sobre a localização né? Fica na calle Florida e dava para ir andando em muitos locais como Obelisco, Puerto Madero, Casa Rosada, tudo pertinho! Buenos Aires é uma cidade muito plana e com quadras de tamanhos iguais, então às vezes olhando no mapa dá um impressãozinha que é meio longe alguma coisa, mas quando você começa a andar chega muito rápido nos destinos. O hostel fica bem próximo da Av. Corrientes que é bem movimentada a qualquer hora, tem um Burger King na esquina e na frente sempre tem gente por causa do pub que tem no subsolo... então é um local muito seguro, nunca fica deserto. Ah, tanto esse hostel quando o de Santiago, reservei pelo site da Expedia, é confiável mas nele você já paga antecipadamente no cartão de crédito (o que para nós foi bom pois quando chegamos a hospedagem já estava paga e não precisamos desembolsar nenhum valor extra). Bem, devidamente instalados, descansamos da viagem para se preparar para o próximo dia. 2º DIA - 07/08/13 Nosso primeiro passeio foi o Zoo de Lujan, escolhemos para o 1º dia pois caso chovesse dava para transferir para o dias seguintes sem maiores dores de cabeça, mas por sorte o dia amanheceu lindo, não estava sequer muito frio (uns 15ºC). Já havia reservado por e-mail o transfer para o zoo com a Fabebus (ar$80 por pessoa - ida e volta), pegamos a van num local subterrâneo que passa várias vans, próx. ao Obelisco. Fomos às 08:30 e voltamos às 14:45 (existem diversas opções de horário) e o tempo que ficamos lá foi o ideal, passeamos por tudo, almoçamos e voltamos. Lá aceitam real, em tudo, desde a entrada até na lanchonete, restaurante etc. A entrada pagamos em peso (150 cada), mas o resto foi em real... compramos comida para dar aos animais e demos uma gorjetinha nas jaulas que os tratadores foram atenciosos. O passeio para mim foi incrível! Amei, amei, amei... principalmente os filhotinhos de leão. Entramos na jaula dos leões, tigres, demos comida para o urso, demos uma voltinha de dromedário... foi um dia muito diferente! A dica é: ir cedo e antes de mais nada ir nas jaulas dos principais animais. Quando chegamos estava tão vazio que ficamos andando, passeando à toa, fomos em algumas jaulas mas fomos deixando a dos tigres, só que no meio da manhã para à tarde vai chegando muita gente, resultado, ficamos mais de 1 hora na fila dos tigres brancos por bobeira nossa, quem chegou tarde, ficou horas em todas as filas, o que faz perder o dia não é mesmo? Voltamos com a van, passamos no hostel rapidinho e fomos caminhar pela Florida. Lá você tem que falar português bem baixinho porque senão vem um milhões de pessoas oferecerem passeios turísticos e câmbio... é muito chato, no começo você fica respondendo "gracias, gracias", mas no 2º dia já tá ignorando e fazendo cara feia para não virem oferecer nada, rs. Nesse dia levamos um susto, pois meu namorado achou que tinha deixado a carteira no bolso de trás e tinham roubado (tava todo nosso dinheiro lá), mas na verdade ele tinha esquecido no hostel, de qualquer maneira o susto valeu pois não saímos mais com tanto dinheiro e nada de deixar carteira em qualquer bolso, ele passou a deixar no bolso dentro do casaco e eu comecei a andar grudada com minha bolsa. Fomos andando, olhando as lojas e aproveitamos para comprar um adaptador de tomadas (ar$20) e continuamos até o shopping Galerias Pacifico (Florida esq. c/ Av. Córdoba). A arquitetura do shopping é linda! Demos uma voltinha rápida para conhecer e aproveitamos para adquirir uma tarjeta SUBE (cartão para andar de metrô e ônibus - custou ar$15 - optamos por comprar porque transporte público lá só aceita moedas - não pagamos o valor na hora da compra, ele é descontado na primeira recarga e já recarregamos num kiosco que ficava a 1/2 quadra do shopping). Para quem vai se locomover de transporte público, uma boa dica é utilizar o mapa interativo de Buenos Aires, que fala como chegar no destino, eu usei e foi uma mão na roda, totalmente correto! http://mapa.buenosaires.gob.ar/ Em seguida pegamos um ônibus e fomos para o Paseo La Plaza (Av. Corrientes, 1660 - entre Montevideo e Rodriguez Peña). Quando você chega na frente, parece que não é nada demais, parece a entrada de um shopping, de uma galeria, sei lá... mas você passa pelo corredor e chega em um espaço totalmente aberto, cheio de árvores, repleto de restaurantes, bares, teatros alternativos, é um local muito bacana mesmo. O nosso destino já era certo, fomos no Museu dos Beatles que tem lá, que é legalzinho, o dono tem a maior coleção de itens do mundo, mas achei o valor caro pela estrutura que oferece, fica tudo numa sala só... confesso que me arrependi de ter gasto meu rico dinheiro lá, mas tudo bem. Para completar comemos uma porção e bebemos uma Quilmes num bar chamado "Tha Cavern" hehe. Conectei meu celular no wifi do bar (aliás lá TODOS os lugares tem wifi) e recebi um e-mail de um senhor falando que tinha encontrado meu cartão de crédito em Buenos Aires e perguntando qual hotel eu estava... levei um susto, abri a bolsa e ele realmente não estava mais lá. Não sei como o cara conseguiu meu e-mail, mas respondi agradecendo, achei melhor não falar onde estava e pensei em combinar de ir buscar, mas eu tinha outro cartão, então acabei cancelando e pedindo outro quando cheguei no Brasil. Gente, o meu cartão foi um descuido enorme... os caixas eletrônicos de lá são diferentes daqui, você coloca o cartão, ele "engole" e só devolve depois de terminadas todas as transações e por falta de costume peguei o dinheiro, o comprovante e ESQUECI do cartão eu sempre tenho que pagar micos viu..hahahaha mas vivendo e aprendendo não é mesmo?! Nem ficamos muito no barzinho porque esse acontecimento acabou com o clima (depois relaxamos, mas na hora a gente fica preocupado né). Pegamos o metrô e voltamos para o hostel. 3º DIA - 08/08/13 Nosso primeiro destino do dia era La Bombonera! Pegamos um ônibus e descemos praticamente na porta do estádio. Uma observação que tenho a fazer é que todos os motoristas de ônibus que tivemos contato foram absolutamente atenciosos, a maioria até parava fora do ponto para nos deixar mais perto do nosso destino. Pagamos o tour pelo estádio + museo de la pasión boquense (ar$70 por pessoa - não aceitam Real). É um passeio muito legal para quem gosta de futebol, mas quem quiser economizar pode comprar só a entrada do museu (não lembro o valor - mas o museu por si só já é bacana, tem os troféus, camisas, fotos, história etc) e dá pra ter acesso a uma parte da arquibancada e dá pra tirar fotos com o gramados de fundo e tal. Mas o tour com o guia é melhor porque conhece praticamente todo o estádio além de contar um pouco da história de La Bombonera e do Boca Juniors. Saímos e fomos andando até o Caminito (fica a 3 quadras, bem pertinho), a tal ruazinha das casas coloridas, bem lindinho! Cheio de obras de artes (não pode tirar fotos em gente, respeito aos artistas) e de casais dançando tango, os quais oferecem para tirar foto e tal (não perguntei o preço). Local para dar uma volta e nada mais. Pegamos um táxi e fomos até o Bodegon El Obrero, um boteco muito tradicional e que tem um bife de chorizo muito delicioso! De lá pegamos um ônibus até a calle Defensa, em San Telmo, para passear pelo bairro. Descemos no Parque Lezama e fomos subindo a pé. O bairro já não é muito bonito, mas é charmoso, tem milhões de antiquários, muitos mesmo! Entramos no Museo Historico Nacional porque no site dizia que era entrada gratuita, mas são ar$10 por cabeça, entramos mesmo assim, mas se arrependimento matasse achei bem chatinho, talvez para os argentinos seja legal, mas eu não conheço a história deles e não deu para aprender nada nesse museu. Continuamos caminhando, conhecemos o Mercado de San Telmo (adivinha que tem lá? Antiquários hahaha), entramos na Pasaje de La Defensa, que pertenceu à tradicional família Ezeiza e hoje é um mercado de pulgas, passamos pela Plaza Dorrego (onde tem a famosa feirinha de domingo, mas não íamos estar em BsAs no domingo hehehe), entramos rapidamente numa ruazinha que cruza a Defensa (Pasaje San Lorenzo) para ver a casa com a menor fachada do mundo Infelizmente não conseguimos visitar Zanjon de Granados, uma mansão que virou museu, pois ela só tem uma visita por dia às 13h, dizem ser muito interessante, ficou para a próxima. Nessa calle Defensa que viemos caminhando é a que fica a escultura da Mafada, mas adivinha... passamos reto . Não me perguntem como. Eu fui me dar conta várias quadras depois, aí meu namorado falou "ah eu vi uma menininha sentada num banco, mas não sabia que era isso" ahahahahaah vontade de esganar. Nem voltamos, ficou para a próxima. Em seguida, fomos caminhando até o Puerto Madero, pensa num lugar lindo! Passeamos um pouco pela margem do canal rumo a Ponte da Mulher. Entramos no Navio Fragata Sarmiento, que é um navio museu muito interessante, entrada meros ar$2 por pessoa e depois voltamos para o hostel para tomar um banho pois à noite voltaríamos no Puerto Madero. Já havia feito reserva para assistir um show de tango à noite no Madero Tango, o preço era salgadinho mas achei justo por tudo que ofereceu. É tango no sentido de espetáculo mesmo e é incluso entrada, prato principal, sobremesa, uma garrafa de vinho para cada 2 pessoas e água e refrigerante à vontade. A comida estava deliciosa e o show foi lindo, mas percebi que não era meu estilo. Gostei muito mais de quando vi dois casais simplesmente dançando tango ali na calle Florida. Mas para quem busca ver tango numa casa de shows, indico essa, pagamos R$140,00 por pessoa - bem mais barato que o Sr. Tango e no mesmo nível. Fomos e voltamos de táxi. 4º DIA - 09/08/13 Tomamos café-da-manhã no hotel e saímos a pé em direção ao Teatro Cólon para fazer a visita guida. Gente, acho que é o lugar mais lindo que já entrei na minha vida! Magnífico! Valeu cada centavinho! A guia era muito simpática e nos contou muito sobre a história do teatro e um pouco de Buenos Aires. Foi ar$110 por pessoa. Caminhamos até o Museu do Holocausto, local interessante e muito triste. Bom para quem se interessa e quer saber mais sobre essa fase da história, conta muito também o papel da Argentina - que asilou tanto juseus quanto nazistas. Entrada: ar$40 por pessoa. Precisávamos dar uma passadinha na rodoviária, pois estávamos tentando comprar nossas passagens para Santiago por telefone e não estávamos conseguindo, então demos uma rápida passada para resolver isso e fomos rumo ao restaurante El San Juanino, especializado em empanadas... uma mais gostosa que a outra, muito boas mesmo, mas são pequenas tem que pedir várias em! hehe Ah... senti muita falta de Coca-Cola na Argentina e no Chile, praticamente todos restaurante e lanchonetes é só Pepsi Esse restaurante já é bem próximo do Cemitério, nosso próximo destino. Mas antes passamos para tomar um helado de dulce de leche na Freddo... gente, aquilo é perfeição divina, me arrependo muito de só ter tomado uma vez!!! Seguimos para o famoso Cemitério da Recoleta, eu não sabia se queria visitar, mas tinha outras coisas próximas, então encarei e fui! Nada contra cemitérios, só não entendia porque era um ponto turístico. Mas assim que você entra, você entende, os túmulos são verdadeiras obras de arte! Compramos um mapa em português por ar$10 (disseram que era para ajudar a manter o local, eu acreditei, sei lá hehe mas o mapa era bom!). Andamos um pouco e, claro, fomos no túmulo da Evita, o mais concorrido, ele é bem simples comparado com os outros, mas cheio de flores... nos dias que passei em Buenos Aires pude notar como ela é amada pelo povo argentino! Depois, passamos pela Basílica Nuestra Señora del Pilar (do lado). Em seguida, tem um shopping de design que dizem ter coisas lindas, mas como não ia comprar nada, só passei na frente da Hard Rock Café e continuei rumo a Plaza de Las Naciones Unidas, onde tem a Floralis Generica - aquela flor metálica que abre ao nascer do sol e fecha no pôr-do-sol e, gente, ela é linda, muito maior do que eu imaginava. Tiramos algumas fotos e ficamos o restinho de tarde deitados no parque...hehehe ficamos descalços e relaxamos! Depois pegamos um ônibus de volta ao hostel, comemos no Burger King lá perto e fomos para o Cassino! Para chegar ao cassino, tem dois endereços que passam transfers gratuitos do próprio cassino, os dois são centrais e é só ir no endereço indicado e pegar a van que passa de meia em meia hora, dá para ir e volta. Um ponto é na Av. Córdoba com Leandro Alem (24h por dia) e o outro na Av. Lima com Rivadavia (das 15 às 23:30) que foi onde pegamos. A entrada no cassino é gratuita, tem restaurantes lá para quem quiser e para jogar nas máquinas caça-níqueis é bem baratinho, 10 centavos de peso cada aposta, então dá pra ficar um tempão lá quem gosta hehe. Eu não gostei tanto de jogar, achei meio sem graça, mas gostei de conhecer o ambiente, andamos por tudo. Depois voltamos para o hostel. Ah, não pode tirar fotos lá dentro (não entendi o porquê mas enfim). 5º DIA - 10/08/2013 Como era nosso último dia e pegaríamos o ônibus para Santiago às 17h, já fizemos o check-out de manhã e deixamos as malas guardadas no hostel para buscar depois. Nossos pesos tinham acabado e não queríamos mais sacar para pagar taxa para só mais 1/2 dia de estadia, então resolvemos que só iríamos em locais que aceitassem Real. Fomos andando até o famoso Café Tortoni (o mais antigo da Argentina) para tomar café-da-manhã e além de muito charmoso lá dentro é uma delícia, perguntamos antes e falaram que aceitavam real, então ficamos por lá mesmo. Meu namorado comeu medialuna e eu comi os famosos churros (e pedi doce-de-leite), muito bom!!! Em seguida fomos rumo a Casa Rosada pois sábado é o dia que ela abre para visitação (gratuita). Passamos pela Plaza de Mayo, onde fica também a Catedral e o Cabildo (antiga sede do governo na época da colonização espanhola). Se você parar na praça e olhar em direção à av. de Mayo, você vê no final dela a sede do Congresso (não fomos até lá), mas é um prédio lindo, ouvi dizer que também tem visitação, mas não sei como funciona porque mandei e-mail e não me responderam. Fizemos a visita guiada na Casa Rosada e eu gostei muito! É muito legal, conhecemos várias salas, inclusive a da presidência (a única que não podemos tirar fotos). Em seguida, fomos no Museu do Bicentenário, que fica atrás da Casa Rosada e é muito interessante, nesse sim podemos aprender sobre a história da Argentina, tem vários clipes que ficam passando contando cada fase da história de uma maneira bem legal mesmo. E o mais bacana é o local onde foi construído o museu (conforme podemos ver em fotos que passam no primeiro vídeo): ali era "beira-rio" e tinha um forte na época da colonização espanhola, que obviamente não existe mais, mas o subsolo desse forte é onde hoje se encontra o museu, inclusive ainda há os túneis originais. Ah, a entrada é gratuita. Quando vimos, já tinha até passado da hora de almoçar (ainda bem que os argentinos almoçar mais tarde que a gente). Comemos em um café que vira restaurante na hora do almoço ali na Plaza de Mayo mesmo. Depois resolvi que precisava comer um outro helado antes de ir embora e fomos andando a procura de algum hahaha só achamos uns que não aceitavam real mas acabou que conseguimos um na calle Florida mas não era tão gostoso para os níveis argentinos... Bem, já era hora de voltar para o hostel, pegar nossas malas e ir para a rodoviária pois pediram para chegar 30min antes do horário de embarque (sei lá porque hahaha). ÔNIBUS BUENOS AIRES - SANTIAGO A viagem dura aprox. 20h mas não é tão ruim quanto parece. Compramos na empresa CATA e pegamos a poltrona mais barata (durante a viagem nos arrependemos porque apesar da poltrona ser mais macia do que as que estamos acostumados, ela não reclinava quase nada), pagamos ar$750 cada (a poltrona executiva era ar$820 cada). Sim... é carinho. Bem, o ônibus vai diretão, só para na fronteira e nada mais, nem paradinha pra ir no banheiro. E foram bem enfáticos com a gente de que "não podia fazer sólidos no banheiro" hahahahahahaha. As refeições são dadas por uns "comissários de bordo". A comida é ruim, não gostei nem do jantar nem do café-da-manhã... mas comi, também não é de passar fome, dá pra encarar hahaha. A única coisa boa é que deram um alfajor quando entramos. Por falta de informação não levamos nada pra comer, pois achamos que era que nem aqui que ia parando e tals... mas tudo bem! No começo da viagem passam vários filmes (eu não falo nada de espanhol, mas dá pra entender facinho), então o tempo passa rápido... vimos filmes até meia-noite e pouco. Depois, como é madrugada, dormimos... e quando acordei (com o comissão gritando "SENHORAAA!!!" para me dar café), já estávamos quase chegando na cordilheira dos andes. Então daí para frente, é só paisagem, nem dormi mais, fiquei só olhando pela janela tirando fotos e mais fotos... por isso que disse que a viagem não é tão ruim quanto parece. Mas meu conselho é que, se alguém for fazer esse trajeto, vão até Mendoza, fiquem lá um dia e depois sigam para Santiago. É menos cansativo e aproveita uma cidade a mais não é mesmo? 6º DIA - 11/08/13 Quando chegamos em Santiago, tive um momento bem desagradável e vou contar para ninguém mais passar por isso. Quando fomos pegar nossas malas no bagageiro do ônibus, o senhor que me entregou pediu uma "moneda", mas eu não tinha nenhum peso chileno (ia sacar na rodoviária), nem peso argentino, só tinha real, mas não era trocado, era nota alta que eu tinha levado, então resumindo não tinha como eu dar nada para ele. Aí eu falei "desculpa, não tenho nada", o que para mim é normal, a gente dá quando pode né... e saí andando. Não dei nem 2 passos e várias passageiros começaram a gritar comigo, mas gritar MESMO, falando que como eu não tinha nada, que ele tava trabalhando, que coitado dele, eu tentei explicar mas estavam me xingando, sério... foi assustador . Sai andando rápido com medo de baterem em mim, rs. Depois fiquei com a impressão de que aquele senhor não ganha nada da cia. de ônibus, só pode, depois que saquei até queria voltar lá para dar dinheiro pra ele, mas não tive coragem, minha vontade era de entrar em um buraco. Então pelo jeito lá, é OBRIGAÇÃO dar gorjeta, não cometam o mesmo erro que eu... Andamos 2 quadras até a estação de metrô, compramos a tarjeta BIP (tem que comprar, lá não tem escolha) que custa $1.350 e fomos para o hostel (pela linha vermelha). Ficamos hospedados no Hostal Forestal (próx. ao parque forestal) e a localização dele é excelente: está a quadras do centro, dos bares de bella vista, é numa ruazinha pequena, mas entre avenidas bem movimentadas e a estação do metrô mais próxima é a Baquedano (cruzamento das linhas verdes e vermelhas - as duas que importam para turistas). Quando chegamos ficamos meio decepcionados, mas acho que foi porque tinhamos saído do suites florida, que é acima da média. O quarto não tinha aquecedor, mas a coberta era beeem quentinha e não faltou água quente no chuveiro. O nosso quarto era individual e as toalhas eram inclusas no valor, mas quando fomos pedir, tinham acabados as toalhas... ahahah no final acharam UMA para nós e deram outra no dia seguinte (dividimos a toalha...a qual NUNCA secava, rs). O café-da-manhã era o básico, pão, manteiga e café, o pão era gostoso, mas o café, era solúvel e não tinha leite pra misturar, e eu não gosto, mas isso é gosto pessoal meu. Acabou que tomávamos um café na rua mesmo. Depois percebi que é bem comum café solúvel em Santiago, muitos lugares que você olhava, era nescafé, muitos mesmo... Resolvemos tirar um "cochilinho" pra descansar da viagem e não colocamos despertador. Nem preciso falar o resultado né? Dormimos até de noite! Quando acordamos já não dava pra fazer muita coisa, então resolvemos ir no shopping para conhecer e já comer alguma coisa pois estávamos famintos. Fomos no Parque Arauco . De dia tem transfer gratuito, mas como já era à noite fomos de metrô - linha vermelha, até a estação Escuela Militar e depois pegamos o ônibus c20. Chegamos lá às 20:55 e adivinhem... o shopping fechava às 21h! Entramos e saímos...rs. Mas tem um boulevard externo cheio de restaurantes que fica aberto até mais tarde, então resolvemos jantar lá mesmo. Escolhemos meio na sorte o Tony Roma's, que é bem parecido com o Outback, a diferença é que é mais gostoso Depois já voltamos para o hostel. 7º DIA - 12/08/13 Nosso primeiro passeio foi uma vinícola. Já havíamos deixado previamente reservado um tour na Undurraga e para chegar lá usamos a dica colhida aqui no Mochileiros: vá de metrô até a Estação Central (linha vermelha), saia da estação e exatamente ao lado tem uma galeria, a qual você cruza para chegar no Terminal San Borja (é cheio de placas, desde de dentro da estação de metrô), depois é só pegar um ônibus escrito Talagante - perguntar antes qual vai passar na Vinícola, que eles deixam bem na porta, na volta é o mesma coisa, quando sair da vinícola só atravessar e pegar o ônibus no outro sentido. Na ida o ônibus custou $1.000 por pessoa e na volta foi $900 (vai entender hahahaha). Eu adorei muito o nosso tour (valor: $8.000 por pessoa). Para mim que não conheço nada de vinho (só sei beber...rs), foi muito proveitoso, muito interessante mesmo, andamos por tudo e a guia era brasileira, quer dizer, ela foi para o Chile quando era criança, mas fala um ótimo portunhol, ela se chama Alexandra, muito gente boa! Pena que só fomos em uma vinícola, porque é um passeio imperdível... e não conheci as outras para falar, mas eu escolhi a Undurraga após ler muuuuitas opiniões na internet! :'> Passamos no hostel para deixar as taças que ganhamos após a degustação e fomos em direção ao Restaurante Giratório que eu estava muito curiosa para ir (do lado da estação de metrô Los Leones) e ao contrário do que li na internet, pelo menos na hora do almoço não precisa fazer reserva, é bem tranquilo. Eu amei! A comida é uma delícia, muito boa mesmo!!! E a vista é um show à parte né. É muito legal a ideia, ele gira bem devagarzinho, quando você percebe já está com outra paisagem na janela. A parte que mexe são somente as mesas, então tem hora que você tá do lado do bar, tem hora que tá do lado do piano...rs Saindo de lá e demos um pulinho no shopping Costanera Sur pois estávamos a poucas quadras dele e queria comprar uma 2ª pele para o dia que iríamos na neve. Ele faz parte de um complexo que tem um prédio enorme (meu namorado adora essas coisas, fomos lá tirar fotos também hehe). Esse shopping é ótimo, bem grande, se não me engano é o maior da América Latina... Demos uma caminhadinha e depois fomos para o Cerro Santa Lucía, que tem a entrada gratuita e é um ótimo passeio. Tem bastante escada pra subir mas vale a pena no final! É tipo um parque no morro, tem várias partes para ir, curtir as paisagens, sentar, relaxar, namorar... dá pra ficar muito tempo lá! Apesar de ele não ser tão alto quando o Cerro San Cristobal, ele dá uma visão 360º sabe... Ficamos lá até fechar. À noite saímos a pé do hostel para procurar um Doggis, um fast food de cachorro quente que eu já tinha visto na internet antes de ir e tinha ficado com vontade porque o cachorro-quente em Santiago vem tradicionalmente com abacate. Fomos andando à noite pela av. Lib. O' Higgings e é bem seguro, fomos até o centro e a todo momento víamos carabineiros. Ah, e o cachorro-quente... realmente é uma delícia! Pedi um com tomate a abacate... tava quase um guacamole . Demos uma caminhada e voltamos para o hostel. 8º DIA - 13/08/13 Chegou o dia de conhecermos melhor Santiago! Começamos o dia indo em direção ao Palácio de La Moneda para ver a troca de guarda e realmente é bem concorrido um espacinho para assistir e é super pontual (acho que começa até uns 3 minutos antes...rs). Assim, quem quiser ir ver o palácio, aconselho ir no dias que tem a troca da guarda, já unindo as duas coisas, mas eu não iria lá só para isso, não achei tão legal assim e só tinha brasileiro kkkkkk. Já aproveitamos para ir ao Centro Cultural La Moneda que fica embaixo do Palácio e tem entrada gratuita. As exposições não são fixas, então vale a pena dar uma olhada o que está tendo. Vimos exposições com tema africano, muito interessantes! Depois, fomos andando pelo Paseo Ahumada (tipo a Florida de lá) que chega na Plaza de Armas. Mas paramos antes disso para almoçar. A escolha foi um fastfood de pizza que tem em todo lugar (esqueci o nome ). Funciona assim: você escolhe os sabores da pizza. E o melhor é que eles levam a pizza pra você na mesa sem talheres e garfo, ou seja, tá liberado comer na mão, delícia!! hahahaha Prosseguimos para a Plaza de Armas, que é rodeada por prédios históricos, como a catedral, o cabildo, o correio, dentre outros. Entramos no Museu Histórico Nacional, a entrada é $600 por pessoa e eles te dão um mapinha do museu em português, com uma breve explicação de cada sala ou de cada período da história. Esse museu é muito interessante, dá pra aprender bem sobre a história do Chile e de Santiago. Mas acaba na década de 70, ou seja, nada do Pinochet! Aproveitamos que tinha um centro de informação ao turista do lado e fomos pedir um mapinha mas não tinha Fomos andando, passamos pelo Parque Forestal (lindo no inverno) e fomos até próximo do Cerro San Cristobal, mas antes passamos na La Chascona, pois fechava mais cedo. Essa é uma das casas de Pablo Neruda e já posso adiantar que adorei o tour! O valor é de $4.000 por pessoa e vale cada centavo! O guia era muito simpático, explicou sobre a história de Neruda e do contexto histórico do Chile à epoca e como tinha nós e mais um casal brasileiro no tour ele nos contou sobre a ligação dele com o Brasil. É muito emocionante conhecer tudo aquilo, me deu vontade de ir em todas as casas dele, mas ficou para a próxima! Agora era a hora de subir no Cerro San Cristóbal. Pegamos o funicular ($3.000 cada) e subimos direto (tem um zoo no meio do caminho, mas não sei é bom, não tivemos vontade de ir pois já tinhamos ido em Lujan). O morro é bem alto e a vista das cordilheiras é incrível. Fomos no fim da tarde e foi a melhor coisa que fizemos. Pudemos ver Santiago de dia, assistimos o pôr-do-sol e depois ainda vimos Santiago de noite... indescritível! Ah e ainda experimentamos o típico "mote com huesillos", bebida feita de trigo e pêssego, não é ruim... mas também não é bom hahaha. Após a descida fomos andando pela rua Pio Nono para o hostel e passamos por uns mil barzinhos, todos cheios! 9º DIA 14/08/13 Dia de ir pra praia!!! hehehe fui toda agasalhada, achando que ia tá mais frio que em Santiago, mas é nada... esquentou esse dia, fez calor! Pegamos o metrô até a estação Pajaritos e lá pegamos ônibus com a empresa Turbus para Valparaíso. Compramos só a ida pois não sabíamos que horas íamos voltar (e isso nos saiu caro...rs). A ida foi $2.700 cada e a volta de Viña foi $4.000 cada pois o dia seguinte seria feriado então tinha muita gente vindo, a rodoviária tava cheia e tivemos que esperar 2 horas para um ônibus que ainda tinha vaga (isso que nem sentamos juntos). Chegamos em Valparaíso e pegamos um ônibus em direção ao Ascensor Artillería (dá para ver toda a baía), é só pegar um ônibus escrito "aduana" pois ele é do lado do Porto. Subimos no ascensor e passeamos lá em cima, a vista é realmente privilegiada. Tem o Museu Naval para quem se interessar (não fomos), li em algum lugar que lá está a cápsula que foi usada para retirar os mineiros que ficaram presos. Ah, tem uma feirinha que aproveitamos para comprar lembrancinhas. Depois de passear por lá e ir nos mirantes fomos andando até a estação do metrô de superfície que vai até Viña Del Mar - eu não sabia que tinha que comprar tarjeta lá também, só descobri no guichê, mas fui de metrô mesmo assim. O valor de dois tickets mais o cartão saiu $2.000 (desculpem não lembro exatamente quanto foi cada coisa). Chegando em Viña o destino era ir para Reñaca, que é a praia mais badalada, onde tem aqueles predinhos em escada e eu tinha me informado que era só pegar um ônibus na calle Libertad. Quando já estávamos no ponto de ônibus, mudamos de ideia, resolvemos ir até Concon, que é uma praia depois de Reñaca. Ok, entramos no bus e percebemos que passamos por Reñaca uns 5min depois (ou seja, compensa ir de ônibus do centro) mas nosso destino era outro... e fomos, fomos, fomos, chegou uma hora que eu achei que o motorista tinha esquecido de nos avisar quando era pra descer uahauahu mas no final ele nos deixou no finaaal de Concon, onde não tem nada. Tudo bem, mantemos o bom humor, achamos um restaurante de empanadas fritas com frutos do mar muuuuito boas!! Já que tínhamos resolvido ir para a praia errada, passeamos por lá mesmo. Molhamos nosso pé no Pacífico (congelante), sentamos um pouco na areia e depois pegamos um ônibus para voltar ao Centro. E aí foi o momento que valeu a pena ter ido tão longe: o ônibus volta pela Costa, muitas paisagens lindas!! Íamos no Castelo Wulff mas tava fechando cedo no inverno e não daria tempo. Então fomos andando para a Rodoviária... chegando lá, como já relatei, ficamos plantados. Sorte que tinha um shopping na frente! Em Santiago, descemos no Terminal Pajaritos. Mais tarde jantamos pizza de novo! 10º DIA - 15/08/13 Fomos conhecer a neve!!! Antes de ir para Santiago, havia pesquisa o transfer com a Ski Total, mas pegamos um flyer de uma outra empresa o dia que fomos no Cerro San Cristóbal, ela ficava ali pertinho do hostel, dava pra ir andando e era tudo bem mais barato! Então, já vou deixar a dica.... a empresa chama All to Ski. Eu tinha guardado o flyer com valores para passar pra vocês mas eu perdi mas tudo era mais em conta, o aluguel das roupas, dos equipamentos, o transfer. E tudo estava em bom estado. A única observação é de que ela não é tão grande como a Ski Total que vai milhares de vans por dia, então é bom reservar vaga antes, nós não sabíamos e conseguimos as duas últimas vagas da van hehehe. Bem, depois de muito pensar, resolvemos não esquiar... e sim, fiquei meio arrependida. Mas é porque seria só 1 dia e eu sou muito pata, acho que não conseguiria ficar nem de pé. Então resolvemos ir para Farellones, pois lá também tinha outras atividades fora esquiar. Mas mesmo assim, confesso que ficamos meio entediados, centro de ski é pra quem vai esquiar e ponto rs. De qualquer maneira, queremos fazer uma viagem PARA ESQUIAR, ficar uns 4 dias em um local até aprender! hehehe Lá tem tubbing (descer numas bóias gigantes), passeio de raquetes e tirolesa. Mas as atividades são carinhas, então uma das nossas atividades foi almoçar na janela que dava para o local dos iniciantes e ficar vendo o povo cair hahaha. Mas também descemos na bóia... o valor é $12.000 por pessoa e é muuuuiiito divertido. Você fica brincando 1 hora. Mas tem que tomar cuidado, uma cara quebrou o nariz na nossa frente. Eu consegui descer 8 vezes nesse tempo, mas a maioria desce menos, porque tem que subir e tals e o povo começar a cansar, mas eu como criança feliz que sou, cada vez saía correndo pra ir de novo Ah e também entramos no meio da criançada e fizemos um boneco de neve. Sim, pagamos mico e nosso boneco não chegava nem aos pés dos das crianças hahahaha Depois da volta com a van, demos um pulinho à noite no mercado Jumbo para comprar pelo menos um vinho pra trazer! 11º DIA - 16/08/13 Nosso vôo era de madrugada (06:50), então tínhamos que sair do hostel umas 04:30, combinamos um táxi por $13.000 indicado pelo pessoal do hostel. Ah, só uma coisinha... chegando no aeroporto, eles não fazem o check-in para a gente, nem adianta ficar na fila à toa hahaha tem que ir nos guichês de auto-atendimento e digitar os dados (estejam com o nº do localizador em mãos). Depois fila só pra despachar a bagagem. Pelo menos na Tam foi assim... É isso! Muita coisa eu mudaria no meu roteiro, claro, mas no geral, foi tudo ótimo, nos divertimos muito, foram férias inesquecíveis! Qualquer dúvida que eu possa ajudar, estou à disposição.
  8. Ah que ótima notícia então Rafael, valeuuuuuu!!! Mais uma dúvida, se alguém puder me ajudar... não achei muita informação na net sobre locomoção dentro de Valpo e de Viña. Tem bastante ônibus nessas cidades, dá pra chegar nos pontos turísticos de boa?
  9. Griselda, obrigada por tanta gentileza e boa vontade de nos ajudar aqui no tópico!
  10. Pessoal... vocês conhecem esse site do taxista virtual? http://www.taxistavirtual.com.ar/BSAS-BuenosAires Por meio dele é possível fazer simulações quanto custaria uma viagem de táxi, colocando o ponto de saída e chegada. Fiz as simulações mas como nunca fui para BsAs não sei se elas estão certas ou não. Alguém que conheça ou more na cidade poderia me dizer se os valores que o site dá estão próximos da realidade??
  11. Oiii... ainda tem alguém por aí? Vou para Santiago/Valpo/Viña em agosto e estou dando uma olhadinha no site da Turbu sobre os valores da passagem de Santiago para Valparaiso e... tô achando muito barata. hahaha tô achando que tô olhando alguma coisa errada ou o site tá louco ou eu tô louca! https://www.turbus.cl/wtbus/indexCompra.jsf Fiz uma simulação nesse site e tá saindo $1900 a ida e $1900 a volta, o que não dá nem R$8,50 por trecho... mas tipo são 130km, tá barato demais gente, tô desconfiada! ahahahah Alguém que fez essa viagem tem ideia dos valores para me ajudar? É isso mesmo o valor? Ou se alguém puder fazer a gentileza de dar uma olhadinha no link que coloquei acima pra vê se aparece outro valor. Não sei... só espero que possa me dar uma mãozinha!
  12. Grideviaje, muuuito obrigada! Acho que vou fazer o passeio mesmo então! Será que posso te fazer mais uma perguntinha?? Estive lendo sobre o sube (tarjeta), porque esse negócio de precisar de moeda para andar de ônibus é muito ruim. Você sabe se duas pessoas podem usar o mesmo? Porque vou com meu namorado, será que podemos comprar somente um sube, colocarmos o crédito e usarmos juntos? Por exemplo, se formos andar de ônibus, passamos duas vezes o cartão?
  13. Pessoal... estarei em Buenos Aires em agosto, estou fechando meu roteiro e gostaria de saber se alguém saberia me responder uma dúvida pequenininha! Estava querendo ir no Palacio Barolo, subir no farol para olhar a vista e segundo o site tem visita guiada por AR$80. Bem, eu até gostaria da visita guiada mas como estou contando os centavos, queria entrar sozinha mesmo, só pra dar uma olhada. Alguém que já foi lá sabe se é liberado a visitação? Espero que possam me ajudar!
×
×
  • Criar Novo...