Ir para conteúdo

SaraPereira

Membros
  • Total de itens

    106
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que SaraPereira postou

  1. SaraPereira

    [[Template core/front/global/prefix is throwing an error. This theme may be out of date. Run the support tool in the AdminCP to restore the default theme.]] Pucón

    Oi Gabriela, Como escrevi em um post antes, a cidade está normal, tudo está funcionando, todas as trilhas (da época) estão liberadas, somente a escalada ao Villarrica, não está liberada. E não sabemos se a estação de ski vai estar liberada até agosto. Mas como disse ai pra cima, tem outras opções de passeios e outras estações próximas a Pucón, Llaima e Osorno. Aqui tem muita coisa pra se fazer além do villarrica, além de que ate setembro eles podem ter liberado a subida. Uma pena ter desistido.
  2. SaraPereira

    [[Template core/front/global/prefix is throwing an error. This theme may be out of date. Run the support tool in the AdminCP to restore the default theme.]] Pucón

    Aqui tem muita coisa pra se fazer além do villarrica, além de que ate setembro eles podem ter liberado a subida. Uma pena ter desistido.
  3. SaraPereira

    [[Template core/front/global/prefix is throwing an error. This theme may be out of date. Run the support tool in the AdminCP to restore the default theme.]] Pucón

    A primeira é no cume do vulcão Sollipulli e a segunda no cume do Cerro San Sebastian.
  4. rlcid, Concordo com tudo o que você disse, o que relatei foi o que passei e tenho passado aqui em Pucón. A primeira vez que fui subir o San Sebastian por exemplo, os guarda parques me alertaram que eu estava começando a trilha tarde 10h da manhã e que era para ter cuidado, levei um casal e fizemos a trilha em 4:30h, como era verão e tinha sol até as 9h da noite foi tranquilo pra descer. Na segunda vez cheguei lá mais de meio dia com um grupo (menos inexperiente), o guarda parque não queria deixar a gente subir, dai falei que tinha dois dias que tinha ido lá e feito a trilha e que daria tempo de sobra pra gente subir e descer, ele liberou sem problema alegando que eu já conhecia a trilha, resumindo subimos em 3 horas e descemos em segurança. O mesmo ocorreu no Sollipulli, a primeira vez que fui chegamos tarde e o guarda parque liberou pra gente subir até as 16h, em qualquer ponto que estivéssemos era para descermos. Chegamos a metade do caminho e respeitei o que ele disse (daria pra subir e descer na boa). Na segunda vez que fui, encontrei com o mesmo guarda parque, cheguei um pouco mais cedo, mas com um grupo maior, ele me relembrou, se não chegar ao cume antes das 15h desçam. Chegamos bem antes, ficamos no cume até as 15h e descemos. E o que aconteceu em todas essas vezes? Vi chilenos começando a trilha bem depois de mim, eles fazem isso com estrangeiro pra não ter chateação. Eles são chatos mesmo, concordo, mas se eu trabalhasse em um lugar desses e tivesse passado por situações onde pessoas inexperientes se atrapalham e eu tenho que colocar o meu na reta pra resgatar esse povo, eu faria o mesmo.
  5. Eles são muito zelosos mesmo, mas eu entendo pq aqui vem muito mané achando que é fácil escalar o villarrica, é fácil fazer isso ou aquilo "são mais fáceis que as no Brasil", mas não entendem que aqui mudou o tempo lá na montanha, a temperatura vai abaixo de zero, e mata. Ou "ah vou fazer um foguinho aqui nem da nada" e colocam fogo no parque todo. Todas as vezes que fui aos parques aqui, os guarda parque foram super simpáticos e prestativos, eles fazem isso pq sabem que se der merda eles que vão ter que colocar o deles na reta pra ir resgatar neguinho perdido. Se você consegue mostrar que tem experiência com esse tipo de atividade, eles te respeitam mais e não te travam tanto.
  6. SaraPereira

    [[Template core/front/global/prefix is throwing an error. This theme may be out of date. Run the support tool in the AdminCP to restore the default theme.]] Pucón

    bah Sara, que sensacional!! Quais trilhas você fez, e quanto tempo demora cada uma? Pois como estou programando a viagem, preciso ver quantos dias iriamos ficar em Pucon. valeuuuu Aqui tem várias trilhas de um dia, essas da foto foram de um dia mesmo.
  7. SaraPereira

    [[Template core/front/global/prefix is throwing an error. This theme may be out of date. Run the support tool in the AdminCP to restore the default theme.]] Pucón

    Com relação a escalada ao Villarrica, por enquanto não estão permitindo, mas a região oferece mais pelo menos 2 vulcões fáceis de escalar, além de várias outras trilhas. Estou aqui e se alguém quiser saber entre em contato. Deixo uma foto pra fazer vontade...rs
  8. Eu fiz antes Peter, comecei a trilha no dia 30 de janeiro. Peguei três dias de muito sol durante o dia, rolou até banho na Laguna Las Avurtadas...rs E na noite fez bastante frio, acordei com a barraca congelada. A única coisa ruim de ter feito sozinha (e acho que pq foi a primeira vez também) fiquei com receio de demorar demais na trilha e passar aperto, então só peguei horários ruins pra fotografar com a luz sempre ruim. Mas rolaram umas fotos legais.
  9. Fiz parte do Villarrica Traverse esse ano (pena que não li seu relato aqui antes...rs). Fui de Chinay até Puesco, realmente essa travessia é linda as paisagens são lindas e tudo muito diferente do que eu já tinha visto, conseguir ver os vulcões em grande parte da travessia, as lagunas, os campos de lava e gelo, acho que faz essa travessia valer a pena. E o melhor, achei tudo muito seguro, fiz sozinha, duas noites, caminhada de 7 horas os dois primeiros dias e no último cheguei em Pucón as 13h depois de duas caronas...rs. Agora, depois dessa travessia fiquei com ganas de escalar o Colmillo del Diablo, que pra mim foi o melhor landscape da travessia, essa montanha é linda!
  10. Ótimo relato Daliana, já tinha acompanhado a viagem"ao vivo" mas legal ler mais detalhes. O ruim que deu mais vontade de conhecer machu picchu e huaraz...tenho que me organizar.
  11. SaraPereira

    Salvador

    Oi Sara, existe sim. Você pode fazer as pesquisas através do site http://www.meubuzu.com.br/. Pega a linha São Joaquim - Aeroporto ou então pegue algum que vá até a Estação Mussurunga e lá troque para outra linha até a Estação Iguatemi que fica ao lado da Rodoviária. Boa Sorte Obrigada Renato. Vou ver aqui direitinho como faço.
  12. SaraPereira

    Salvador

    Olá pessoal, alguém ai sabe me informar se existe um onibus ou transfer mais em conta que vá do aeroporto para a rodoviária?
  13. Ahh..eu perdi meu óculos Julbo Montebianco na descida do Paiolinho, se alguém achar (acho improvável..haha) e puder me devolver ficaria muito grata.
  14. Conforme prometido aqui vai meu relato sobre nossa subida a Pedra da Mina. De início já digo o que a maioria já sabe ou ouviu falar, foi a trilha mais difícil que já fizemos...rs. Além do problema da água, as subidas são fortes e tem trechos com escalaminhadas que contando o cansaço e o peso da mochila, podemos considerar até perigosos. Primeiro algumas dicas: - Levem água, o máximo que conseguirem, não economizamos ao levar, mas penso que deveria ter carregado mais. Chegou horas que senti muita sede e ficar só dando golinhos não ajudava. Não sei se foi por conta do sol, os dias nem foram tão quentes assim, ou por ter ficado um pouco mais úmido, mas transpirei bastante e ao final do primeiro dia de caminhada me senti "seca". E mesmo pegando água no segundo dia e bebendo bastante no riacho mesmo, cheguei ao terceiro dia com a impressão de estar desidratada. A sorte que dormimos no hotel serra azul, e bem em frente a ele, tinha uma mina de água. Acordei de madrugada várias vezes pra beber água. - Vá de blusa com mangas longas, as várias passagens pelos campos de capins e também pelo meio da mata, podem e vão te cortar. Veja a foto..haha - Pegamos uma semana sem chuva e quase nenhuma neblina, mas se chover antes ou tiver neblina, redobrem a atenção, tem muitas lajes de pedras e subidas com locais escorregadios. E Algumas vezes só conseguimos nos orientar por ver totens ao longe. Bom ai vai. 1° Dia - Toca do Lobo ao Avançado (acho que foi lá mesmo que acampamos) Saímos da pousada um pouco antes das 8h da manhã, e fomos começar a trilha por volta das 9h. A estrada é bem complicada, está até bem conservada, mas para chegar lá de carro comum não se pode ter apego ao carro. Contratamos uma "empresa" para nos levar até o início da trilha (depois explico as aspas na empresa). O início da trilha é tranquilo, uma estrada pouco frequentada e de fácil caminhada, depois que chegamos ao rio, ao qual temos que atravessar, é que começa realmente a trilha e a subida. É uma subida forte, porém fácil de levar mesmo com as mochilas pesadas (eu levei 5L entre água e gatorade e o André levou 6L de água). Depois dessa primeira subida chegamos ao Quartizito e é ai que começa a parte mais bonita da caminhada, é legal de ver sua trilha lá na frente, sempre por cima das cristas. Só que também começa um sobe e desce infernal...haha. Chegamos ao Capim Amarelo e decidimos andar um pouco mais, apesar do cansaço. Iamos tentar acampar no Maracanã. Erramos na saída do capim Amarelo, onde todo mundo fala pra prestar atenção..haha, tinha uma fita "xterra" e uma vermelha descemos e chegamos a um amontoado de bambu impedindo a passagem, tivemos que subir tudo e seguir por uma trilha mais a esquerda. Vale ressaltar que nessa primeira parte existem fitas amarelas marcando o caminho e totens, foi até fácil de se orientar, a partir desse momento é que complica um pouco. As fitas amarelas somem e aparecem pequenos durex amarelos ou brancos, é sempre importante olhar pra frente, pro alto e pra baixo, uma hora você acaba vendo os sinais. Chegamos até onde achamos ser o Avançado, e como o cansaço bateu forte resolvemos acampar ali mesmo. Achamos o melhor local e colocamos nossa barraca. Por ser um local bem abrigado não tivemos nenhum problema com vento ou frio. Para todo esse trajeto levamos por volta de 6h e meia, fomos bem tranquilo parando para tirar foto e tudo mais. Descansamos e nos alimentamos para enfrentar o segundo dia. 2° Dia - Avançado - Pedra da Mina Começamos a caminhar tarde nesse dia um pouco antes das 10h, houve muita formação de geada nossa barraca estava congelada e com o sol ficou molhada. Colocamos tudo no sol para secar e só depois começamos a caminhar. Foi um dia de difícil caminhada, mais sobe e desce e pouca água. Estava sentindo o peso da mochila e como fomos no meu ritmo demoramos bastante. Na verdade só lembro disso mesmo nesse dia...haha...A orientação nesse dia foi feito praticamente só por totens e um app muito bom chamado EveryTrail, pra quem tem Android compensa baixar, nos ajudou bem em vários momentos que achei que estávamos perdidos. Praticamente nem tem foto desse dia, porque a moral estava muito baixa pra tirar fotos...haha. Quando chegamos ao Rio Claro, por volta das 15h, melhorou um pouco, podemos beber água e tomamos um banho de gato naquela água congelante..haha. Isso Ajudou um pouco com o cansaço, deu uma revigorada. Ficamos quase uma hora no riacho e retomamos a caminhada. Nessa parte tem muitos totens e como é uma trilha mais aberta a orientação fica bem mais fácil. Olhávamos a Pedra da Mina logo a frente e pensávamos "estamos quase lá", mas esse quase lá demorou mais uma hora e meia, chegamos ao cume bem a tempo de subir acampamento e ver um rápido pôr do sol. Nessa hora que a gente pensa "só mais um passo, só mais um passo" Assim que entramos na barraca, começou uma ventania das boas, achei que íamos ter problemas. Mas com o cansaço acabei dormindo e acordei por volta da uma da manhã, numa calmaria só, sem vento algum. Saímos da barraca e fizemos algumas fotos (estão na câmera do André, ainda nem vi se ficaram boas). Depois de uma lanche voltamos a dormir para descermos no dia seguinte. 3° Dia - Pedra da Mina - Fazenda Serra Fina (ou era lá que deveríamos chegar..haha) Ahhh...a descida, chegamos ao objetivo, aquela sensação boa de missão cumprida, pensando em voltar pra uma cama, ter água a vontade...é a melhor parte #not hahaha Ô descidinha "dus inferno" é pior que a subida (isso é normal, mas essa é muito pior), que isso tem partes que só desescalando mesmo, sem condições de ir de frente. E vale dizer, é IMPOSSÍVEL, descer da Pedra da Mina a Fazenda Serra Fina em 3h30min, como diz os mapas, de mochila então é algo mais que impossível. E ai começou nossa "aventura", primeiro erramos a trilha, quase chegando ao Base, pegamos a trilha da direita, um pouco mais aberta e acabamos saindo abaixo da Fazenda Serra Fina. A "empresa" contratada para o resgaste disse que o normal era o resgate por volta das 16h, falei que íamos acordar cedo e descer, tentando chegar o mais cedo possível. Ela me disse "ok, não sou eu que vou fazer o resgate e sim meu funcionário, ele tem que levar umas pessoas na fazenda por volta das 11h e ele vai esperar vocês. Mas o normal é por volta das 16h, essa descida é difícil." Ainda chegamos uma hora antes do previsto por ela, chegamos na estrada por volta das 15h. Como estava muito cansada e com um pouco de medo (achei que estávamos perdidos) sentei e chorei...brincadeira...haha, sentamos pra descasar. Ficamos uns 20 min sentados e não passou uma alma viva, resolvemos deixar a mochila e subir até a Fazenda (vi pelo everytrail que ela estava um pouco acima de onde estávamos). Encontramos dois trabalhadores que confirmaram que a Fazenda era um pouco mais acima e perguntamos se eles viram alguém, eles disseram que não viram ninguém e que ninguém perguntou sobre a gente. Fomos até a Fazenda e não encontramos nada nem ninguém. Como falaram que o normal era chegar as 16h, voltamos para onde deixamos as mochilas e aguardamos, ficamos de 15h até as 17h esperando e nada. Passou outro trabalhador e disse que se fossemos até o Paiolinho conseguiríamos alguém para nos levar a Passa Quatro. Descemos e conversamos com uma senhora chamada Silvana, ela nos cobrou 100 reais para levar até a pousada. Aceitamos no ato (outro tinha nos cobrado 200 reais). Achei um absurdo, pois eles simplesmente nos abandonaram lá. Se tivéssemos machucado ou precisando de ajuda íamos estar lá até hoje. Não vou reclamar muito, porque a raiva já passou e também porque foi muito divertida a viajem com seu Sérgio, uma das melhores parte da viagem...haha. Bom é isso...quero agradecer ao pessoal que ajudou com as dicas, foram muito úteis. E espero que sirva pra alguém que pretenda fazer esse cume. É cansativo, é difícil, mas compensa é uma trilha linda com paisagens de tirar o folêgo.
  15. Otimo relato raffa, muito util. Vou fazer meia travessia semana que vem e me tirou algumas duvidas. So mais duas perguntas, vc tem o contato da pessoa que fez o resgaste e esse ponto de agua proximo ao maracana, eh de facil acesso? Pq pelo que tinha lido so teria ponto de agua no segundo dia, mas pretendo acampar no maracana, posso ir mais "relaxada" com relacao a agua?? Rs
  16. SaraPereira

    [[Template core/front/global/prefix is throwing an error. This theme may be out of date. Run the support tool in the AdminCP to restore the default theme.]] Pucón

    E o carro não te deixa na mão!!! iuahiuahiauhiauhiahuia Vai na dica do Leo!! rs
  17. Troquei hoje (27/04) na calle Ahumada: 1 real = 245 pesos (a maioria das casas de cambio estavam 240, quando encontrei essa troquei tudo...haha) 1 dólar = 480 pesos ( variou entre 480 a 482) Em Providência passei por muitas casa de cambio, e todas tinham cotacoes parecidas para dolar, mas o real estava bem mais baixo.
  18. Quais taxas você pagou para utilizar o Débito do visa BB? E qual a cotação? Estou pensando em usar, mas não sei os valores!!
  19. Nem acredito que vou fazer uma viagem de 10 dias....iuhaiuahiuaia. Então ai está o roteiro que preparei, quem tiver opiniões, sugestões ou dicas fiquem a vontade!! 26/04 Saída as 17:20h do Rio de Janeiro 27/04 Ir nos locais que não fui ano passado,rs. ( Mercado Municipal - quero ir pela manhã, Cerro Santa Lucia, Bellas Artes e Gabriela Mistral) Compras as passagens para Pucón Ir nas lojas Tatoo e Andesgear (pra variar...rs) 28/04 Aqui está o problema, quero tentar ir em Cajon del Maipo (esse ano chegar até lá...rs) Tem um relato aqui falando o seguinte "encontrei umas vans que saiam da Plaza Itália, as 7:30 da manhã, sexta / sábado / domingo, somente. Eles fazem o trajeto até Cajon del Maipo, passando por Baño Morales e terminando em Baño Colinas (mais alto ainda)", vi em outro lugar que o local exato é uma rua ao lado do prédio da Telefônica. Vou tentar ir lá na sexta e conferir se elas existem...rs. Plano B (caso não consiga essas vans) Dar mais uma volta em Santiago, visitar o Vinhedo Cousiño Macul. 29/04 Ir a Viña e Valpo Ônibus para Pucón as 20h ou 22h. 30/04 (segunda) Chegada em Pucón Passear pela cidade Ir ao Lago ao final do dia 01/05 (terça) É feriado, o que funciona e o que está fechado? Tinha programado a subida ao vilarica, mas sendo feriado não sei se tem subidas. 02/05 (quarta) Parque Nacional Huerquehue 03/05 (quinta) Ojos del Caburga (de bike, dá pra ir pedalando tranquilo né? rs) 04/05 (sexta) Alugar um carro e ir até a Argentina ao Mirador do Vulcão Lanin (a viagem parece ser bonita de se fazer) 05/05 não tenho programação para o dia, volto a noite para Santiago. 06/05 Acho que vai ser chegar e ir direto para o aeroporto, o é voo as 11:20h. Uma coisa que quero saber, a saída para Pucón é nesse endereço: Avda Liber Bernardo O`Higgins 3750, Estacion Central Lá tem aqueles locais para guardar bagagem? Se tem alguém tem uma noção do valor! Acho que é só por enquanto.
  20. Leo, Olhei aqui e vi esse na Andesgears, Saco Pluma Lightec 750 Duvet - Ferrino Tejido exterior : Poliester 40D 292T Tejido interior : Poliester 40D 292T Temperatura extrema : - 11 grados Celsius. Rango de Comfort : 3 a 8 grados Celsius. Medidas : 215 x 80 x 50cms. Medida Bulto : 15 x 25 cms. Cubre cremallera relleno para evitar la pérdida del calor. Costuras internas desplazadas de costuras externas, eliminando así los puntos fríos. Peso : 750 grs. O que mais gostei foi do peso...rs. Ferrino é bom?? E o preço está acessível...rs
  21. Obrigada Otávio e Mioto, Foi de grande ajuda. Quero para utilizar em travessias e acampamentos aqui no Brasil mesmo. Na verdade fui ver aqui e o meu é super pluma inverno, nas especificações o extremo dele é -4°, o mais baixo que peguei com ele foi 0° em Itatiaia, e como vcs disseram, com roupas e bem alimentada nem senti. Meu colega que estava na barraca comigo estava com um Deuter Lite 500 e sentiu bastante frio (eu na verdade até cheguei a tirar uma blusa de fleece por conta do calor...rs). Vou decidir o que faço, se compro esse ou deixo pra comprar algum no Chile. Mas tenho medo de comprar um lá que não aguente usar aqui, por que aqui não faz o mesmo frio de lá!! rs Vamos ver!
  22. Olá pessoal, e os sacos de dormir lafuma, são bons?? Mais especificamente o trek 1000. Olhem as especificações: 1000 g Dimensões (aberto): 215 x 80 cm Dimensões (compactado): 33 x 18 cm Temperatura Conforto (Nominal): +8ºC Temperatura Conforto (Limite): +3ºC Temperatura Extrema: -11ºC Material da Isolação: Fibra Oca de Silicone 6D Maxi Loft Material Externo: poliamida 210T poliamida ripstop 50D 294 com tratamento hidrorepelente 70D Material Interno: 50D, 300T, poliester STM É um bom saco para o clima brasileiro? Tenho um T&R micropluma e nunca passei perrengue com ele, mas ele ocupa muito espaço e é pesado!!
  23. SaraPereira

    Santiago

    Eu vou para Santiago mas no último final de semana de abril e depois fico uma semana em Pucon!! Mas coloca um tópico aqui (america-do-sul-companhia-para-viajar-f444.html) que vc acha gente!!
  24. Na época que eu fui já tinha sido proibido nadar com os botos, só pude passar a mão. Mas é uma experiência muito legal, sem palavras mesmo. Queria ter mais tempo para visitar as outras cachoeiras, além de poder fazer uma passeio de barco em Anavilhanas, parece ser lindo. Fica pra uma próxima visita!!! rs
×
×
  • Criar Novo...