Ir para conteúdo

MarcosPereira

Membros de Honra
  • Total de itens

    3.657
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que MarcosPereira postou

  1. Código promocional de 30% de desconto no seguro Mondial para qualquer destino: KIDMAIL30 Válido por tempo limitado.
  2. Pois é, Dani, eu só fui descobrir num fórum estrangeiro. Mas pode confiar, viajei em agosto e não foi necessário pagar absolutamente nada.
  3. O Chile é um país bem mais amigável pra um iniciante. Buenos Aires é linda, mas tá cheia de golpes de vários tipos. Não há nada de errado em escolhê-la como primeiro destino, basta que você faça a sua pesquisa e se informe bem para não dar mole. Em abril foi justamente quando conheci tanto Buenos Aires quanto Santiago. Gostei mais de Buenos Aires, mas, como falei, Santiago é, de longe, uma cidade mais amigável pro viajante. Nessa época, você já começará a pegar um friozinho, mas só verá neve nos arredores de Santiago se tiver muita sorte. Isso significa que não adianta ir para as estações de ski, como Valle Nevado, etc. Mas só em Santiago, Viña del Mar e Valparaíso você pode gastar uns 5 dias. Os outros 5 você pode usar para ir ao sul, conhecer a região dos lagos (Frutillar, Puerto Varas) ou ao norte (Atacama). Se 5 mil vão dar, depende se inclui a passagem, do nível de conforto que você espera (e, supondo que é lua de mel, não dá pra ser nada muquirana demais) e do roteiro em si. Unir Chile e Argentina na mesma viagem vai sair mais caro do que ficar num lugar só, pois você ainda vai gastar pra ir de um país ao outro. Eu ficaria só com um dos dois. Abs.
  4. Se você vai de avião para Lombok, o próximo passo lógico é ir para as Gili, que são mais próximas de lá do que de Bali. Você pode voltar de avião também por Lombok e voar para Bali. Os ferries de Lombok saem de Bangsal. O esquema será o seguinte: você voa pra Lombok, pega um táxi até Bangsal e, de lá, pega o barco pras Gili. Tem que ficar esperto pra não te venderem a versão mais cara, é uma viagem barata e rápida. Alternativamente, você pode pedir pra sua pousada em Gili ajeitar tudo isso pra você.
  5. Se não estiver com tudo marcado, é melhor adiar um pouquinho o casamento e deixar a lua de mel para setembro. Vai ficar muuuito mais barato e os lugares não estarão absurdamente lotados. Concordo com tirar dois dias de Atenas e jogar para Paris. Roma também será corrido, especialmente se não forem 3 dias cheios. E isso falo por experiência própria, pois foi exatamente o que aconteceu comigo na minha lua de mel. Mais um dia em Roma deixará a viagem mais tranquila.
  6. Oi, Érique. Achei que já tinha comentado de novo. Pode ir de Reno e Mosela sem medo, todo mundo para quem indico gosta. Cochem é uma base legal para o Mosela, é bem servida de trens e é linda. Mas pro Reno não é tão conveniente assim. Koblenz fica na junção dos dois vales. Mas não é tão bonita quanto Cochem. Alternativas são Boppard e St Goar, que ficam no Reno, mas próximas de Koblenz. 25000 dá e sobra... Mas pra um viajante comum, é claro. Se você quiser beber dos vinhos mais caros, ficar em lugares luxuosos, aí o céu é o limite... Mas você terá condições de achar lugares ótimos para se hospedar por até 80 euros a diária de casal (por até 60 já é bem comum), comer muito bem por até 15 euros por pessoa e comprar garrafas de ótimos vinhos (uva Riesling) por até 10 euros. Abs.
  7. Oi, Érique. Vou comentar depois com calma, blz? Por enquanto, aconselho você a dar uma lida no meu relato na parte que fala das outras cidades holandesas e a repensar sobre Amsterdam. De fato, não curti muito a cidade, mas 95% das pessoas no fórum gostam. Leia outros relatos também, até mesmo porque só passei um dia no centro em si. Abs.
  8. O roteiro tá razoável dependendo dos seus interesses. O problema é o que o colega apontou, é a época em que você vai viajar. Além das dificuldades de inverno, anoitece bem mais cedo, isso vai te limitar um bocado. A menos que você curta muito frio, eu consideraria nessa época ir para um lugar mais quente. Andaluzia, por exemplo. Ou, se considerar algo fora da Europa, aí tem muita coisa. Sudeste asiático bomba em janeiro. Abs.
  9. MarcosPereira

    Natal

    Concordo que é difícil. Como disse, fiz o passeio duas vezes. Só acho que pagar um preço supostamente tabelado nada garante em termos de segurança. Nunca vi nenhuma agência nem nenhum bugueiro mostrando certificação. Pagar mais caro não é sinônimo de segurança e mesmo uma certificação nada impede que as pessoas negociem e cheguem ao preço que ambas as partes entendam ser justo.
  10. MarcosPereira

    Natal

    Sumaia, bem-vindo(a) ao fórum. Discordo do colega, não vejo correlação entre algo ser tabelado e a segurança. Além disso, desconheço qualquer tabela regulada pela Prefeitura. Se tiver, para mim é novidade. Eu negociei nas duas vezes em que fiz esse passeio, embora a última tenha sido há quatro anos. Na época, pelo que me lembro, eram 60 reais. Deve ter aumentado um bocado agora. Uma alternativa, já que você vai para Maracajaú, é contratar o passeio junto com Punaú e fazer lá o passeio de quadriciclo. Pra mim foi muito mais divertido do que o passeio de buggy nas dunas, pois é você quem vai pilotando. Não sei qual é a influência da maré no mergulho, mas pra snorkel 0,4 costuma ser o limite para as piscinas naturais. Uma coisa a se observar também é o vento. Fiz num dia com muito vento e o passeio ficou desagradável, não conseguia parar no mesmo lugar para ver a vida marinha e havia ondas demais.
  11. Código promocional de 30% de desconto no seguro Mondial para a América do Norte: AMNORTE Válido até 28/09.
  12. A promoção continua! Código promocional de 50% de desconto no seguro Mondial: MTDESCMAIL Segundo o e-mail, é válido para a modalidade “Lazer e Turismo” até 21/09.
  13. Bem-vindo ao fórum :'> Em lua de mel, menos é mais. O ideal é sem correria e bolar algo com pouca preocupação com deslocamentos. Cortaria Innsbruck, por ser fora de mão. O ideal é você voar para Munique e voltar por Amsterdam. Eu montaria três bases: Munique (a cidade em si, Garmisch-Partenkirchen, Füssen, Landsberg) Würzburg (a cidade em si, Rothenburg ob der Tauber, Nuremberg) Amsterdam (com possibilidades de bate e volta para os arredores) Roteiro todo em "linha reta", sem zigue-zague e dá para fazer todo de trem se quiser, sem estresse com eventuais problemas com carro. Com 15 dias, excluídos os de chegada e saída, você terá uns 4 dias para cada. É um bom começo. Ficariam de fora: Frankfurt (menos impactante diante das demais), Baden-Baden, Freiburg, Constança, Innsbruck (um pouco fora de mão), Dinkelsbühl (parecida com Rothenburg, mas você tem pouco tempo no roteiro). Colônia dá para fazer numa parada no caminho para Amsterdam (e foi o que eu fiz). Na minha assinatura tem um relato chamado "Europa medieval e de belezas naturais". Parte do meu roteiro é parecida com o que você quer fazer e eu viajei justamente em maio. Sugiro dar uma lida, pode te dar umas ideias legais. Aí se quiser a gente troca uma ideia. Pessoalmente, essa viagem foi a minha verdadeira lua de mel, três anos depois da original, especialmente a parte do Vale do Reno e do Mosela, que você não colocou na sua.. Abs.
  14. Depende de onde você é, para saber possíveis gastos com passagem aérea, possibilidade de alugar carro, etc.
  15. Pois é, como a Mondial é uma empresa brasileira, os preços aparecem só em reais. Mas aí é só fazer a conversão - o dólar turismo tá uns 3,40, o euro uns 3,80. Lembrando que em Londres você pagará tudo em libras. PS: estive em Londres no ano passado e minha esposa precisou de atendimento médico. Na hora de usar o seguro, adivinha? Não precisava. Atendimento gratuito pra estrangeiros, rs. De qualquer forma, o seguro é uma exigência da imigração, tem que ter.
  16. Código promocional de 50% de desconto no seguro Mondial: MTDESCMAIL Não diz até quando será válido, só fala que é por tempo limitadíssimo. Queria ter uma viagem pra Europa só pra poder usar esse desconto, rsrs.
  17. Minha opinião, como sempre aqui, é que as pessoas se prendem muito aos lugares de que mais ouviram falar e complicam o roteiro para que todos eles sejam encaixados. Concentrando lugares mais próximos e igualmente bonitos você perde menos tempo com deslocamento e ganha mais tempo passeando de fato. Muitas vezes o deslocamento vale por si só, mas não é o caso da Rota Romântica por exemplo, que é uma rota comum e engarrafada. Então com 15 dias eu focaria em duas ou trÊs regiões: sul da Baviera (Munique e arredores), norte da Baviera (onde fica Würzburg, Nuremberg e, não longe dali, Rothenburg odT) e Frankfurt e Vale do Reno. Em média 5 dias pra cada fica bem bonito já contando o deslocamento. Na verdade, foi mais ou menos o que eu fiz. Se tiver curiosidade, o relato tá na minha assinatura (Europa medieval e belezas naturais). Lugares bem interessantes para ver no sul da Baviera: Munique, Dachau, Füssen (Neuschwanstein), Garmisch-Partenkirchen, Mittenwald, Landshut, Prien am Chiemsee (Herrenchiemsee), Königsee, Ninho das Águias, Salzburg (na Áustria, mas bate e volta é bem fácil), montanha Jenerbahn, etc. Norte da Baviera: Nuremberg, Würzburg, Bamberg, Rothenburg odT, Bayreuth, Coburg Frankfurt e Vale do Reno: Frankfurt, Mainz, Bacharach, Oberwesel, Sankt Goar, Boppard, Rüdesheim, castelo Marksburg, etc. Alguns desses lugares eu sequer tive tempo de conhecer e planejo voltar um dia.
  18. Estou seguindo a dica da nota nos livros, aparentemente estão em perfeito estado agora. Também tive problemas para tirar o e-visa e minha viagem quase melou por isso, pois já é no final da semana que vem. Embora você tivesse avisado, eu não tinha como tirar com antecedência o visto pela Embaixada porque não tinha certeza de que poderia viajar. Tentei 6 cartões diferentes e nenhum deles funcionou, mesmo liberados para compras internacionais e com limite. Descobri que o problema era a falta da tecnologia "3D secure", que o Visa chama de "Verified by Visa" e o Master de "Master Secure". Essas tecnologias exigem confirmações adicionais de segurança, que variam de cartão para cartão. Muitos cartões brasileiros ainda não são preparados para aceitá-la. Liguei para o BB, que me informou que meus cartões Saraiva e Petrobrás não possuem esta tecnologia e o único produto deles que tem é o Ourocard. E foi somente com um Ourocard esquecido na gaveta que consegui tirar o visto, já aos 48 do segundo tempo, quando estava praticamente desistindo. A verificação é bem simples, um SMS com um código enviado para o celular. Um Santander aparentemente também funcionou, mas pediu um mundo de dados. Pelo Ourocard foi bem mais simples.
  19. Se você gosta de shopping, pode ir para o Iguatemi fazer uma hora. Tem também o Dom Pedro, que é maior, só que é um pouco mais distante. Se preferir algo mais estilo natureza, tem a Lagoa do Taquaral, um parque onde as pessoas caminham, praticam esportes. Isso tudo é em Campinas. Bem mais perto do aeroporto há a cidade de Indaiatuba, que dizem que é bonitinha, mas acho que não o suficiente pra passear. Eu iria para Campinas mesmo.
  20. Tá muito bom o relato, Pat, sua organização é ótima. Fica bem fácil de ler. Queria saber como foi a exigência do estado das notas de dólar em Myanmar. Foram mesmo muito perfeccionistas? Estou com umas com uma ligeira dobra no meio, pois todas as notas das casas de câmbio chegam dobradas. Você acha que dá problema? Como você fez? Abs.
  21. Oi, Pat! Que bom ver seu relato, espero que continue. Vc teria alguma dica para tirar a foto do e-visa de Myanmar nas medidas que eles exigem (3.8cm x 4.8cm)? Ah, um detalhe: você sugeriu tirar o visto para Myanmar com muita antecedência, como 3 meses. Não pode ser com tanta antecedência assim, pois o visto é válido por apenas 90 dias. Então ele já estaria expirado qd a viagem começasse. Dizem que o e-visa fica pronto em alguns dias e em alguns casos fica pronto no mesmo dia. Porém, como pode acontecer de dar problema no cartão, como foi o seu caso, talvez algumas semanas de antecedência seja o ideal. Aguardando o desenrolar do relato. Abs.
  22. Código promocional de 30% de desconto no seguro Mondial: VIAGEMNOW Válido para compras realizadas até HOJE - 15/07
  23. Eu sou muito resistente à ideia de excursão, mas você falou algo de que não tinha me tocado. Achei que era só pegar o trem, mas tb tem que contratar tuk tuk, né? Aí não me agrada muito. Como são as distâncias dentro do local, parece ser tranquilo de bike? Qual foi a agência que você usou? Recomenda? Quanto à massagem, o que me preocupa é fazerem merda. Tenho uns problemas de coluna. Se literalmente torcerem, puxarem, aí é foda. Talvez eu fique só na foot massage, que acho que é o principal.
  24. Aqui venho para agradecer, pois segui quase todo o seu roteiro e gostei muito. Segue um mini-relato - chegamos mais cedo na sexta, curtimos um pouco Aracaju e no sábado fizemos o passeio do Cânion. Sobre o caminho, duas observações - não foi difícil achar a entrada para Ribeirópolis, pois tem uma placa, provavelmente nova, apontando para Canindé de São Francisco. É justamente ali a entrada para Ribeirópolis. Outra coisa, quem ainda não foi deve ir bastante atento. A estrada é cheia de pardais, especialmente mais próximo de Aracaju. Parte dela estava mal cuidada e certos trechos são ruins de ultrapassagem, de modo que recomendo por segurança umas 4h entre Aracaju e Canindé. Mais até, se você dirigir devagar. Nós andamos bem em boa parte, mas pegamos uns caminhões bem chatos pelo caminho e chegamos em umas 3h30. Voltando ao passeio, achei bem legal, mas o destaque foi o barco até as grutas. Espetacular. A dica que dou aqui é esperar todo mundo ir, dar uns 5, 10 minutos, aí você vai sozinho no barco. Nós fomos com mais gente e ficaram uns cabeções na frente. No final do dia fomos para Piranhas. Linda a cidade. É a Cochem brasileira, rs, só faltaram os castelos, substituídos por belas casas coloridas preservadíssimas. Ficamos no hotel Pedra do Sino, que é muito bonito e tem vista privilegiadíssima para o Cânion. Valeu cada centavo pelo que oferece e não é muito caro, não. 260 por um quarto triplo. Fica a dica para quem ainda não foi. No domingo fomos bem cedo para a Usina do Xingó. Passeio rápido, mas tb curti muito. Foi a primeira vez que visitei uma usina depois de duas tentativas frustradas em Itaipu. Gostei muito, fiquei embabacado com aquela grandiosidade e nosso guia era muito bom. Na volta ainda passamos nos doces da Dona Nena. Nós não curtimos. Não sei se a fama cresceu demais e agora ficou meio industrial, mas, enfim, para não ser chato demais, rs, me limito a dizer que não gostamos. Deixo aqui essa opinião diferente para quem passar por lá. O domingo foi mais curto e pegamos o voo de 17h. Teria ficado mais, mas achei suficiente considerando que foi um fim de semana. Assim, mais do que isso teria ficado cansativo pro velho aqui. No geral, gostamos muito de Aracaju e voltaria lá facilmente. Gostei especialmente das opções de restaurantes, muita variedade, bons preços. Minha esposa ficou enlouquecida com o artesanato de lá. Eu nem curto essas coisas, mas também fiquei admirado com a qualidade. Na ida evitamos comprar, pois achamos que em Piranhas seria mais barato por ser interior. Não era. Vale mais a pena comprar em Aracaju mesmo. Muito obrigado pelo relato. Confesso que nem conhecia essas opções todas - Piranhas, a usina, até mesmo o Cânion eu não conhecia (mas minha esposa conhecia). Ler teu relato me inspirou a ir e valeu muito a pena. Abs.
  25. Rapaz, mais um ótimo relato! Por enquanto li apenas a parte de Bangkok, que coincide com a minha próxima viagem. Tenho duas perguntas - algum motivo especial para contratar excursão para Ayutthaya? Imagino que você tenha pesquisado o jeito de ir por conta própria e viu algum problema, foi isso? Qual? Outra coisa, você, assim como muitos, falou da massagem tailandesa, que é bem forte e deixa todo mundo dolorido. Mesmo assim, você fez várias vezes. Dói, mas no final você descansa bem? Ou você é masoquista mesmo?
×
×
  • Criar Novo...