Ir para conteúdo

Dumangue

Membros
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Dumangue

  • Data de Nascimento 10-02-1969

Bio

  • Ocupação
    Comprador
  1. já morei na Ilha Grande (Vila do Abraão, três vezes, rsrsrs)e, sim, a violência chegou até lá (tenho amigos lá e, também, estive alí, passeando, em Julho do ano passado), mas, nada comparado ao Rio. Claro, como morei em épocas melhores, posso dizer que piorou bastante, mas, se for comparar com as cidades fluminenses, a Ilha Grande é um paraíso de paz e tranquilidade!
  2. Dumangue

    Mochilas NAUTIKA

    Tenho uma Náutika de 75 litros (modelo Laredo). Já fiz algumas viagens com ela, sempre "carregada" e até agora não apresentou desgaste não. Usei mais pra viajar mesmo, ônibus, caminhadas urbanas(loongas), etc. Recentemente fiz um teste com ela, pedalei 18 Km levando 8Kg. na bichinha; aguentou bem, sem surpresas. Quanto a ajustes, não posso reclamar, nenhum desconforto. No que se refere à ventilação nas costas, esquenta, não tem boa circulação de ar não. As divisões internas me agradaram, nem demais, nem de menos. Tem fecho pra acessar coisas que estejam no fundo da mochila. Pretendo experimentar a coitada nas trilhas, brevemente. Minha Mochileira e Minha Mochila Com 8Kg de carga(meio murcha, pouco volume) Ajustes Frontais
  3. Acho que essa coisa de armar corretamente a barraca procede. Porque eu já enfrentei mais de uma semana de chuvas em Angra do Reis(e todo mundo sabe como chove, alí), e com uma barraquinha que todo mundo considera "fraquinha". Então, pode ser que o fato de eu sempre caprichar na montagem da barraca tenha ajudado. Claro, acampei muito com essa mesma barraca, outras vêzes, anos depois e, sucesso total. Mas, sempre me preocupei com a montagem. Também tenho pensado em comprar uma SE; até porque, a minha última barraca(uma humilde Prisma 2 pessoas, Náutika)não é mais fabricada no tamanho da que eu tinha. Estou comparando com a Summertime 2/3, Lafuma, mas, a Prisma 4 (Náutika, em homenagem à minha antiga barraquinha)também será levada em conta. Infelizmente não posso recomendar a minha barraquinha Prisma 2 pessoas, já que o colega autor do tópico falou em baixas temperaturas. É uma das barracas mais bem ventiladas que já ví; desvantagem, no caso de climas frios. Se eu testar logo(e se o Alessandro ainda não tiver comprado barraca) minha Prisma 4, postarei minha opinião e a de minha namorada.
  4. É possível, sim, viver mochileiro. É possível e aconselhável! Sempre haverá a preocupação com a carreira, a família, o futuro. Posso dizer que tudo é uma questão de planejamento e sorte, além da dedicação, claro. Qualquer que seja a direção que tomemos na vida, sempre haverá a possibilidade de "derrota", mas isso dependerá do ponto de vista do "derrotado". Há pessoas que escolheram cuidar da carreira pra depois, já estabilizadas, cairem na estrada; assim como há aqueles que optaram por viajar primeiro. Tanto faz, que se tome um ou outro caminho, o que "pesa" é o que se vai fazer com o conteúdo(diplomas, experiências, dinheiro, histórias, cargos,etc.) adquirido nessa caminhada. Então, a gente encontra pessoas arrependidas em ambos os lados dessa estória das escolhas pessoais. Gente que cuidou da carreira e, quando resolveu cair na estrada descobriu que física e mentalmente não tinha mais condiões de realizar o intento. Gente que preferiu o mundão e, mais tarde, viu a idade chegar sem ter uma condição de vida digna, nem mesmo profissionalmente. sse negócio de meio termo é bom, mas só pro começo, pra sentir "qual é"; porque, depois, as vida mesmo se encarrega de forçar o indivíduo a fazer uma opção. Eu tenho experiência na arte de perambular sem gastar muito dinheiro, trabalhando "aquí e alí", foi ótimo( e vai ser de novo...me aguardem, rsrs). Claro, não tenho nível superior; diploma?Tsc, tsc, nécas! Formação profissional de boa remuneração? Também não. Valeu a pena? Sim, sim!!! Cada momento, cada cidade, cada amizade, cada aprendizado. Tento é que, eu e minha companheira, ambos acima dos 40 anos(nunca levei companhia, mais um desafio), estamos nos preparando para cair na estrada. Veja, estou, neste momento, digitando esta mensagem sentado em um apartamento de classe média, na beira da praia, confortável, com carro bom na garagem e emprego estável à vista. Optamos por arriscar a busca por mais qualidade de vida, liberdade, simplicidade e, quem sabe, nunca mais parar de viajar. Claro, viver na estrada requer flexibilidade, paixão, várias habilidades profissionais simples, humildade também ajuda; claro, comunicabilidade é fundamental(pra não dizer, tudo!). Depois posto mais umas dicas que aprendí, pra quem quiser saber, porque aprendí bastante, lendo os posts da galera.
  5. Anos atrás tive uma prisma submetí a peça a todo tipo de prova. Só pra se ter uma idéia, morei meses seguidos tendo a tal barraquinha como residência e, repetí essa façanha em três anos seguidos. Enfrentei chuvas que duravam até mais de uma semana, incrível!! Não sei se foi sorte mas, minha barraca nunca me deu problema algúm, e assistí muita barraca sendo inundada, barracas de várias marcas e modelos, vizinhas da minha, bem instaladas e bem montadas. Morei na tal barraquinha Prisma por meses seguidos, e fiz isso umas quatro vêzes. Pena que o modelo que eu tinha(ficou perdido numa viagem que fiz à Amazônia)não é mais fabricado pela Náutika(Prisma pra 2 pessoas, se não me engano). Então, recomendo a marca.
×
×
  • Criar Novo...