Ir para conteúdo

willianfae

Membros
  • Total de itens

    11
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que willianfae postou

  1. Todas informações estão no meu BLOG http://mochileiroparasempre.blogspot.com.br/ Antes de relatar a travessia Petrópolis-Teresópolis. A Petrô-Terê, como ela é chamada normalmente vou explicar como tudo isso começou. A Alguns meses atrás fiz o Pico Paraná com alguns colegas pois eu estou me preparando para fazer um mochilão para patagônia e isso serviria como preparo. Quando fiz o pico Paraná vi que eu estava bem ruim de equipamento principalmente Mochila e Bota. Depois de sofrer na pele com equipamento ruim, sai pela internet procurando qual seria o melhor equipamento para cada segmento. Quando cheguei na parte de mochila vi que a Deuter era disparada a melhor cargueira. Como eu não conhecia a marca sai pesquisando valores, descrição etc. Levei um susto quando vi que uma mochila top custava cerca de R$ 1200,00 “Depois vi que isso se paga”. Um certo dia entrei no site da deuter e vi que tinha uma promoção para uma expedição Petrópolis-Teresópolis onde fiz na hora a inscrição pois além da viagem eu poderia ter desconto para comprar minha sonhada mochila Deuter. Fiz a inscrição mas já sabendo que não ganharia pois até então nunca tinha ganhado nada. Certo dia recebi um e-mail informando que eu era um dos ganhadores da expedição. Depois de ler 10x o e-mail e acessar o facebook pude confirmar que isso não era um sonho e sim demorou mas ganhei o que mais gostaria, uma expedição com a Deuter. No outro dia já comecei a botar meu preparo físico em dia pois essa travessia seria bem mais longa que o pico Paraná. O pessoal da Deuter fez uma organização impecável e a todo momento era informado do que era preciso levar, como seria o roteiro e respondendo todas minhas dúvidas. A Travessia seria Sexta, Sábado e Domingo. O Ponto de encontro foi sexta as 8:00 no aeroporto Santos Dumont. Por internet já pude conhecer quase todos os colegas de travessia e minha percepção se confirmou, a galera era SHOW, logo de cara já fizemos amizade e parecia que a galera já se conhecia a muito tempo. Todos do grupo já tinham experiência em trilhas, alguns eram mais acostumados com trilhas longas e outra galera “eu estava junto” com trilhas mais curtas. Além dos participantes tivemos a companhia do Fotografo Tom Alves, Mario Nery que é represente do site trekkingbrasil.com.br além do pessoal da deuter e o escalador Hillo Santana – escalador do Deuter Team Brasil “esse cara é foda” Antes da partida recebemos um presentinho da deuter um kit contendo um saco estanque da Sea to Summit, um par de meias da Lorpen, um X-Mug da Sea to Summit e algumas guloseimas para ir beliscando no meio do caminho. Além disso ganhamos uma blusa da Expedição. Saímos no horário previsto, mas pegamos muito trânsito na subida da Serra para Petrópolis por causa de um caminhão que subia devagar, só chegamos na Portaria do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso)por volta das 11h. Chegando lá fomos recepcionados pelo guia da Expedição e por mais algumas pessoas que nos acompanhariam e fariam parte da logística do evento. Fizemos o check in na portaria do Parque e logo depois tivemos um pequeno papo com nosso guia Ivo Junior que foi fantástico. Além de nos ajudar nas trilhas pude aprender muitas dicas para tornar a trilha mais fácil. DIA 01 – Da Portaria de Petrópolis (Bonfim) ao Morro do Açú – 12/09 – sexta Destaques: Vista do mirante do Graças a Deus, após a Isabeloca. Distância: cerca de 7 ou 8 km, uma média de 6 horas de caminhada. Nível: Subida pesada, quente e com trechos bem expostos ao sol. Dica: Leve água, já que o ponto de abastecimento é no Ajax e até lá tem muito chão e muito calor se o sol estiver forte. Não esqueça o protetor solar e um boné! Depois de toda recepção e agradinhos era hora de pôr a minha Deuter nas costas e ver na prática como ela ia se comportar. Hoje os pontos principais era Pedra do Queijo, Ajax, a subida da Isabeloca, o mirante do Graças a Deus e as lages de pedra (chapadão) até o Açu – ponto do nosso primeiro acampamento. * Primeira foto da galera - Inicio da trilha (Foto Tom Alves) Eu já tinha lido que o primeiro dia era o mais punk pois é só subia subida subida subida e mais subida subida. E realmente é assim mesmo. A pior parte da subida foi o trecho da portaria até a Pedra do Queijo, esta parte é quente demais e não tem tanto vento para aliviar a situação como temos na Isabeloca. De início a subida não tem muita coisa para se ver e a trilha é um pouco chata mas depois de algumas horas a trilha fica bem show. Como o grupo era grande nós tivemos uma pequena divisão onde cada um pode ir andando no seu ritmo porém sempre acompanhado de um guia. Eu consegui manter um ritimo legal pois a mochila realmente é FODAAA e quase eu não sentia ela. Fizemos uma parada rápida entre a Pedra do Queijo e o Ajax para um papo e repor as energias.Durante a trilha eu fazia uma parada de 1min a cada 15min andando. Nesse momento eu anda estava usando meu cajado de madeira hhehe Depois o Guia jogou fora e me emprestou um bastão de trekking show. Foi minha priveira vez usando bastão e isso ajuda muito. Um detalhe é questão da mão inchada, se você não usa suas mãos sempre estão baixas e com isso fica inchada. Com o bastão isso não ocorre. Paramos mais a frente no Ajax – ponto de abastecimento de água – comemos alguma coisa, bebemos bastante água, enchemos as garrafas e Streamers e começamos a tão falada subida da Isabeloca. Dizem que a Isabeloca tem este nome por causa da Princesa Isabel que gostava de passear por ali no lombo das mulas *Willian Faé (Foto Tom Alves) Chegamos no final da Isabeloca e o sol já começava a sair de cena. Por volta das 17h estávamos no Mirante do Graças a Deus, no começo do trecho que chamamos de “Chapadão”, local onde ficam as lages de pedra, dali até o Açú ainda teríamos mais alguns bons minutos de caminhada e mais algumas subidas. Paramos um pouco nesse ponto onde o Tom Alves parou para fazer umas fotos bem legais com a Nayara e minha mochila. Acompanhei as fotos e logo voltamos a trilha. (Foto Mario Nery) (Foto Tom Alves) Nesse momento eu corpo já estava conformado com tanta subida. Realmente até esse ponto tinha subido bem puxado e o sol estava castigando. Não economizei na água e sempre estive muito bem hidratado e sempre estava comendo uma barra de cereal. Chegamos no acampamento quase 18:00 e para nosso conforto o pessoal já foi na frente montando as barracas e levando a comida para o jantar. Isso foi um LUXO pois só nisso economizamos uns 3 a 4 kilos na mochila. Eu cheguei no acampamento e fui direto para o refugio encarar a fila do banheiro. Lá tem água quente e banho de 5min. Água quente mesmo. Esperei cerca de 1:30 para tomar banho. La também tem estrutura para dormir e barracas para alugar, porem tem que ser reservado por internet antes. Cama é 40 pila, espaço pra colocar o isolante e saco de dormir 20,00 e a barraca não lembro. Todos tem direito a banho. Quem pegar quarto pode usar a cozinha. (Foto Tom Alves) Depois do banho tivemos um jantar feito pelo Topot, que incluía sopa e capeletti, com direito a chocolate de sobremesa e um chá. Hora de ir pra dentro do saco de dormir e encarar a noite fria da Serra dos Órgãos. O dia seguinte começava cedo, junto com o nascer do sol. (Foto Tom Alves) (Foto Tom Alves) DIA 02 – Do Morro do Açú até o Abrigo 4 – 13/09 – sábado Destaques: Visual do segundo dia é o mais bonito de toda a Travessia. Distância: cerca de 9km, mais ou menos 7 horas de caminhada. Nível: Pesado com trechos de escalaminhada que exigem atenção e alguma experiência. Dica: Amarre bem os cadarços das suas botas para evitar que os dedos fiquem batendo contra a parte da frente do calçado durante as inúmeras descidas. Este é o dia onde as pessoas se perdem com muita facilidade na travessia, alguns pontos onde a trilha muda não são notados facilmente. Eu mesmo teve um ponto que me desviei da trilha e aguardei o pessoal chegar para ter certeza para onde eu deveria ir. Outro problema sério para orientação pode ser a presença de neblina, coisa comum na Travessia. Você ficará exposto ao sol quase o tempo inteiro, então não descuide da hidratação, proteção para cabeça e do filtro solar. A Noite foi bem fria no acampamento, mas eu estava bem equipado e foi tranquilo dormir. Como estava muito cansado não tive dificuldades em dormir. Acordamos por volta das 5:00 fomos em direção a frente do abrigo do Açu para ver o nascer do sol e foi simplesmente perfeito. (Foto Mario Nery Logo depois do nascer do sol o pessoal preparou um café da manhã bem reforçado pois como no dia anterior não tivemos almoço. A Rota do segundo dia é a mais top da travessia. Ela tem muita subida, descida e alguns pontos bem perigosos porém o cenário é perfeito. Como um plus nossa rota incluiria passar pelo Portais de Hércules que é uma vista privilegiada de algumas montanhas que não são vistas normalmente durante a travessia, como a famosa “Agulha do Diado”e “Dedo de Deus”. Eu achei o segundo dia bem melhor e também já estava em um ritimo bem legal de caminhada. Os pontos clássicos deste dia são: Morro do Marco, Portais de Hércules (desvio da trilha normal da Travessia), Vale da Luva (ponto de água), Morro da Luva (pior subida do dia), Cachoeirinha (base do Elevador – ponto de água), Elevador (escada de grampos de aço fixados na pedra que exigem atenção e calma), Vale das Antas (ponto de água), Pedra da Baleia, Mergulho (Grota ou Vale da Morte),Cavalinho e finalmente o Abrigo 4 aos pés da Pedra do Sino O Segundo dia é bem mais técnico e exigiu bem mais atenção. Saímos do acampamento e fomos em direção ao portais de Hércules, o que ajudou foi que na metade do caminho onde se inicia a descida para os portais, ficou um pessoal esperando e ai pudemos deixar nossas mochilas e descer bem mais leve. Levamos cerca de 1h até os portais. A Descida é bem susse e o lugar é o mais top de toda a travessia. Ficamos cerca de 30min olhando para aquele lugar e batendo diversas fotos. Pra ajudar tem também ponto para agua que fica na metade do caminho. A Volta foi até o ponto que o pessoal ficou esperando foi bem tranquila também. Vale a pena com certeza incluir os portais no seu roteiro. (Foto Mario Nery) (Foto Mario Nery) No segundo dia todo o pessoal já estava bem mais acostumado com o ritimo então a trilha rendeu mais mesmo sendo bem mais longa. Durante a trilha escutei o pessoal comentar de alguns pontos famosos, porém como eu não tinha pesquisado antes eu não imaginava o que seria. Mas escutei frequentemente um tal de “Elevador, Cavalinho, Descida do Mergulho”. Depois de algum tempo de caminhada chegamos em um ponto onde poderíamos ver o sino e para mim foi um dos lugares mais bonitos da travessia. (Foto Tom Alves) Logo depois de um bom descanso e do reabastecimento das reservas de água no Rio Soberbo nós seguimos em direção a Pedra da Baleia. Neste ponto o Kiko que vinha fechando a fila passou a frente para ajudar o Ivo Junior na fixação da corda de apoio para descida do Mergulho (uma grota logo antes do Cavalinho, que é chamado de vale da morte) . Mais alguns minutos de caminhada com a parede do Sino na nossa direita e chegamos ao ponto onde descemos o vale para subirmos em direção ao famoso “Cavalinho”. Neste trecho da descida a corda já estava fixa e parte do grupo já havia passado. A logística de passagem foi perfeita. As mochilas foram passadas de mão em mão e colocadas logo abaixo da grota e as pessoas iam descendo pela corda, pegando suas mochilas e subindo em direção ao Cavalinho. Esse ponto se tornou fácil devido a estrutura de corda e apoio do pessoal porem sem isso o negócio é bem perigoso. Não tenho fotos desse local pois tive que colocar tudo na mochila para poder descer. Depois de alguns minutos chegamos no chamado cavalinho. O negocio é bem punk mesmo é uma subida cheio de pedras e uma rocha atravessada simulando um cavalo. Não sei como seria passar aquilo com mochila pois mesmo sem mochila e com ajuda já foi um pouco difícil. Achei muito perigoso pois ali se cair já era. Mas o pessoal da Deuter preparou outra logística perfeita, passando todas as mochilas e depois colocando uma corda para servir de apoio. O Kiko também ficou na ponta para ajudar o pessoal a subir. Depois disso tudo ficou mais tranquilo. Estávamos bem pertinho do acampamento Após a passagem pelo Cavalinho alguns optaram por subir o Sino para aproveitar o por do sol e outros – como eu – foram direto para o acampamento junto ao Abrigo 4. As barracas estavam montadas e o espaço para nossa cozinha já estava pronto. O Topot começou a preparar a janta dos participantes enquanto alguns já se “inscreviam” na fila do banho, que estava maior que a do dia anterior. No meu caso desisti do banho pois tinha muitaaaaaa gente na frente. O sol sumiu de vez e as pessoas que estavam no alto da Pedra do Sino começaram a descer. O papo rendeu ao redor da “cozinha” – enquanto a sopa e o arroz com nozes, queijo e grão de bico estavam nos pratos o silêncio imperava, mas antes ou depois as conversas iam da música e causos da montanha até as viagens, trilhas e equipamentos – com não poderia deixar de ser, é claro. DIA 03 – Do Abrigo 4 até Teresópolis – 14/09 – domingo Destaques: Morro da Cruz (desvio da trilha que permite uma ótima visão da Agulha do Diabo), vista de Teresópolis do meio da descida e a cachoeira do Véu da Noiva. Distância: 11km mais ou menos. Nível: leve, todo o caminho é descendo, porém os desníveis incomodam para quem tem algum problema nos joelhos ou nas pernas. Dica: Aproveite a parada no gramadão (espaço do antigo Abrigo 3) e pegue uma trilha curta (no fundo a direita) que lhe leva a um mirante com vista para Teresópolis. Acordamos bem cedinho com o sol alaranjando o horizonte, algumas pessoas optaram por ficar nas barracas, já outros levantaram e encararam o vento frio e forte da Serra dos Órgãos enquanto assistíamos a mais um espetáculo do sol nesta alvorada de domingo. Escolhemos ver ao nascer do sol na Pedra da Baleia, uma lage de pedra grande que fica logo atrás do chalé do Abrigo 4, para chegar lá basta seguir a única trilha que parte de trás do Abrigo. A ideia para o dia de hoje era descer pela Travessia da Neblina, porém o grupo optou por uma descida pela trilha normal de 11 KM, isso nos economizaria tempo, Kms andados e energias – já que a descida pela Neblina iria aumentar o caminho e o desgaste nas pessoas. Os 11 km de descida são tranquilos e você encontra mais pontos de água pelo caminho, uns 2 ou 3 se não me engano. A descida pede atenção por causa dos inúmeros desníveis e também pelo trecho final que tem um calçamento antigo com várias pedras desniveladas e com limo. Ao longo deste trecho os bastões de caminhada ajudam bastante e salvam os seus joelhos. Nesse terceiro dia a trilha é bem sem graça, uma porque ficamos mau acostumados pelo segundo dia que é incrível, a outra porque é apenas descida e muita mata fechada. Tivemos um ponto perto de um antigo abrigo que se desvia a trilha um pouco e podemos ver teresopolis. Na chegada à Barragem, ponto final de quem faz a Travessia até Teresópolis, encontramos a nossa van, nosso guia, os participantes, carregadores (Diego e Juca) e o carro de apoio da Expedição com o Pedro. Frutas, Gatorade gelado e um sorriso no rosto dos participantes – pela sensação de missão cumprida e também por poderem tirar as botas e mochilas cargueiras, rsrsrsrsrs! Em resumo… Foi um privilégio ter participado da primeira edição da Expedição deuter e tive sorte duas vezes que foi ganhar esse sorteio e ter uma galera sensacional como companheiros nesses três dias. Tudo foi perfeito ( Local, Organização, Comida, Estrutura, Guia) Nessa expedição pude aprender muita coisa relacionado a trilha, equipamentos e fotografia e isso para mim foi o melhor de tudo. Onde: Parque Nacional da Serra dos Órgãos (ingressos e informações aqui) Duração da trip: 3 dias, mas pode ser feita em 2 ou até em 1 dia. Melhor época do ano: Entre maio e setembro, período que chove menos. Classificação: Travessia Pesada. Destaques: Paisagens do segundo dia de caminhada, nascer e por do sol no Açu e na Pedra do Sino. Indicado para: Pessoas com bom condicionamento físico e que possuam os equipamentos necessários para uma caminhada deste porte, incluindo os itens camping e vestuário de frio.
  2. No dia 1/8/2014 tive a oportunidade de subir o Magnifico Pico Paraná. É a montanha mais alta da Região Sul do Brasil. Está a 1.877,392 metros de altitude e fica bem pertinho de Curitiba. Estava já algum tempo sem viajar para esses fins e como tenho a intenção de fazer a patagônia em breve já iniciei meus testes de preparo físico e mental. O Roteiro foi o seguinte. Sexta – Chegar na fazenda por 16:00 e arrumar acampamento Sábado – Iniciar a subida até o Acampamento Base 2 Domingo – Iniciar a subida ao cume e voltar a fazenda Fiz essa subida com mais três colegas, sendo dois de Curitiba e um da minha cidade Chapecó. Chegamos a Fazenda “Pico Parana” na sexta feira por 16:30. A Fazenda possui uma ótima área de camping e possui uma casinha onde tem um banheiro com ducha quente para banho e caso precisar tomadas para carregar celular etc. Foi pago 10,00 para entrar e é obrigatório fazer um cadastro onde é preciso informar telefones de emergência, data de retorno etc. Caso tenham intenção de ficar mais dias deixem isso informado para o pessoal não ficar preocupado e ligando para todos teus familiares. Na sexta foi um dia bem tranquilo onde apenas armamos a barraca e subimos até a primeira pedra para ver o pôr do sol. Caso chegar cedo dá para fazer uma cachoeira que fica uns 10min do acampamento. Na sexta levamos torradeira, ovos, queijo, cobertas etc.. Pois depois era só deixar no carro o que não seria usado pra subir. Acordamos no sábado bem cedo para tomar banho e arrumar as coisas para a trilha. Vou listar os itens básicos para a subida ao pico, sendo que a subida tem um tempo estimado de 6 a 8 horas então cada kilo na mochila faz uma enorme diferença. O que eu levei · Barraca mini pack – azteq (essa barraca é perfeita para uma pessoa) pesa 1.7kilo · Saco de dormir Nautika X-Lite (5 a 8c) Pesa 600 gramas. Perfeito. · Isolante térmico · 2 pares de meia para caminhada · 1 calça moletom · 1 fogareiro portátil · 1 refil de gás · Kits de primeiros socorros · 1 litro de água · 1 camisa segunda pele · 1 Jaqueta corta vento · 2 Camisas de caminhada · Miojo, Chocolates, Café, Açúcar, Barras de cereais, Kit de Strognoff da liofoods · Copo, Prato pequeno, garfo e Faca · Lanterna de Cabeça · Protetor solar, óculos de sol, Desodorante · Câmera Fotográfica · Boné · Luvas ---- Levem isso.... · Mochila Cargueira de 70 litros No fim isso tudo deu uns 11 kilos. E mais o que a galera levou. Ontem na subida até a primeira pedra eu já percebi que o negocio não seria fácil. Era a primeira trilha que eu fazia com muita carga. A Trilha é puxada do inicio ao fim, não tem parte fácil. Já vá preparado pois você terá q fazer um esforço físico tremendo. Para quem nunca fez esse tipo de trilha é melhor fazer outras menores. No meu caso eu estava parado a dois meses sem sair de casa devido a problemas de saúde e eu senti muito essa trilha. Para quem acha que a trilha é fácil já vou alertando, ela é uma trilha bem diversificada e você terá que fazer pequenas escaladas com um pequeno risco, você terá q subir sobre raízes, pedras, lugares lisos, subir com apoio de cordas ou grampos. Se tiver medo de altura pense bem antes de ir. Iniciamos a subida e eu pra variar fiquei por último, como eu tinha tempo fui andando no meu ritmo. Andava uns 10 minutos para pôr 1 minuto e seguia nesse ritmo. Encontrei muita gente na trilha acho que deveria ter umas 50 pessoas nesse final de semana. As vezes a galera me esperava para ver se estava tudo bem e depois eles seguiam na frente. No início a trilha é bastante movimentada pois ela dá acesso para outras trilhas. Durante a trilha existe um ponto para pegar água que é cerca de 2 a 3h depois de iniciar e depois só terá água no acampamento A2. Então para o início da trilha leve apenas a agua que você irá usar para tomar. Fizemos diversas paradas e eu já estava sentindo que minha bota era uma porcaria e minha mochila era muito grande para meu tamanho e muito fraca. Por volta de 12:30 paramos para almoçar. Comemos miojo com molho de tomate, barras de cereal, chocolates. Depois de andar muito e passar por diversas raízes grandes e uma mata bem fechada tivemos a primeira vista do Pico Parana e vimos o quanto ele era grande e lindo. Isso nos motivou e nos deu mais energia. Chegamos em uma parte da trilha onde tinha uns grampos para subir uma rocha. Tinha visto isso nas fotos porem na pratica isso dá um medo gigante pois caso cair o estrago será grande. Por volta das 16:30 chegamos enfim no acampamento A2. O Lugar é muito bacana porém é bem ruim para armar as barracas pois o lugar não tem muitos locais planos. E além de você ficar inclinado existe bastante pedras e irregularidades no solo onde fica quase impossível dormir. Como chegamos tarde perdemos os melhores lugares “tentem chegar por 15:00”. Procurei bastante e achei um lugar onde eu tinha apenas um local para deitar sendo que não poderia me mexer. Arruamos o acampamento e fomos buscar agua onde fica perto do acampamento porem o local é bem chatinho para chegar. Fizemos a janta por 19:00 e por 21:00 já fomos para a barraca descansar pois a ideia era acordar por 5:00 e iniciar a subida ao cume. Durante a madrugada fez muitooooo vento e pude pela primeira vez testar minha barraca. Ela resistiu perfeitamente e pude dormir um pouco, porem teve duas barracas que quebrarão com o vento. Nem levem aquelas barracas MOR que é furada na certa. Por 5:00 iniciamos a subida ao cume. Estava um vento muito forte e um pouco de frio mas sem nenhum risco a nossa segurança. Iniciamos a subida e depois de uns 20min subindo minha lanterna de cabeça morreu e fiquei totalmente no escuro. A Sorte que o dia já estava nascendo e pude me guiar na subida. A Subida em si é um pouco tranquila pois não levamos a mochila. Cheguei ao cume por 6:20. O Lugar é maravilhoso e só estando lá para ver a perfeição do PICO Paraná. Quando cheguei la em cima quase chorei de emoção de ter conseguido pois achei que não iria até o fim. Mas passo por passo cheguei lá. Ficamos uns 40 minutos lá em cima, fizemos diversas fotos e iniciamos a descida até o acampamento A2. Durante a descida deu para ver de longe onde estávamos acampados e nossa a visão é fantástica. Chegando no acampamento fizemos um rango bem reforçado e descansamos um pouco para iniciar a volta. Na minha cabeça seria bem mais fácil voltar.... Engano meu A Volta para mim foi pior que a subida pois minha bota era uma porcaria e meu pé estava ferrado. Eu não tinha mais cansaço porem todo meu corpo doía. Para ajudar estava seguindo uns camaradas e o pessoal pegou o caminho errado descendo uma pirambeira. Eu alertei que esse caminho era errado e desci até metade, depois a galera viu que o caminho era errado e voltou. Ali perdemos 1h. Depois de 6h finalmente cheguei ao acampamento base. Nas ultimas 2horas eu fui ao meu limite sendo que caminhava e parava devido ao pé machucado e o peso da mochila. Considerações finais. Vale cada esforço gasto para subir ao pico, o lugar é maravilhoso e será uma bela experiência. Na primeira vez tente ir acompanhado pois isso lhe dará mais segurança e deixara a trilha mais animada. Tente levar o mínimo de carga possível pois no fim isso irá pesar muito. Vá bem preparado com seu joelho pois você vai fazer muito esforço com ele. Vá com uma bota que você já usou antes pois isso poderá atrapalhar sua trilha.
  3. Olá Tamara. Eu colocaria pelo menos montañita no roteiro caso goste de pegar algumas festinhas. O ideal é tentar estar la no sábado. Quanto ao hostel de quito vou rever minhas anotações e tentar procurar a planilha.
  4. ótimo relato parabéns. Tenho algumas duvidas sobre TORRES DEL PAINE. Como são as trilhas neste lugar, pelo que entendi você ficou apenas um dia por conta do joelho mas teria muitas opções de trilha. Essas trilhas são feitas em um dia ou são vários dias e precisa acampar , levar barraca etc..
  5. Sobre a planilha tenho ela meio espalhada mas posso montar e disponibilizar. Montañita é bem loco, fui fora de temporada e ela já estava bem cheia e muitas festas. No reveillon deve explodir aquilo lá. A Praia é muito show para surf. Eu como fui fora de época estava meio frio e por isso não fiquei muito. Lá não achei nenhum brasileiro. Na verdade em toda a viagem achei apenas 2 brasileiros da minha cidade ainda e em Latacunga. Pelas conversas o pessoal fala que no verão aumenta um pouco mas não tem muitos. O que bomba é EUA,França,Alemanha, Canada. O Povo lá é muito receptivo, fui muito bem tratado. A Mulherada do equador com certeza é mais bonita que as boliviana e peruana hehe mas nada comparada as brasileiras. Foca nas europeia que são todas loca. Quanto a grana depende,, se for pegar quarto compartilhado se prepara para uns 15 dólares e comida uns 40 dólares passando bem. E leva grana para as baladinha, eu não paguei pra entrar em nenhum.
  6. E ae Marcos. Então tem que ficar por lá mesmo pois não vai encaixar os horários dos ônibus. Tem ótimas opções de hostel e restaurantes e bem baratos. Pode ir tranquilo, muita gente faz isso. Eu não fiz porque não sabia que dava para fazer essa volta e ja tinha contratado a subida do cotopaxi. Mas me arrependendo de não ter ido.
  7. Opa.. sim está em média de 190 a 220 dólares. Isso eu pude ver pelos sites. Mas vou deixar pra negociar lá.. talvez saia mais barato.
  8. Galera Vou fazer dia 1/6 a 22/6 um mochilão sozinho pelo equador. Vou detalhar dia a dia com dicas, valores e fotos. Segue ai o blog. http://mochileiroparasempre.blogspot.com.br/
  9. Realizei um mochilão sozinho no equador nos dias 1/6 a 24/6. Vou relatar abaixo dia a dia com gastos e fotos. http://mochileiroparasempre.blogspot.com.br/ Resumo do Equador. Meu mochilão foi fantástico e tudo o que planejei deu certo. Tudo mesmo, não tive nenhum problema com Hostel, transporte, passeios e seguraça. Equador é um pais que surpreende pois voce não tem noção do potencial que esse pais tem. Em um pais tão pequeno com uma grande variedade de belezas naturais. O Povo do equador é muito simpático e eduado. Sempre que precisei pedir informação fui atendido. Quanto a segurança do equador é ótima. Fiquei com muito medo antes de ir pro mochilao pois pelo fato de eu estar sozinho isso poderia ser um problema. Não tive nenhum problema. Os hostel são de ótima qualidade e por preços baratos, fiquei em hostel com quarto privativo e a média de preço era 10 dolares. O Transporte é muito barato e custa em média 1 dólar por hora de viagem. Taxi também é muito barato. A Comida é em média 3 a 4 dolares. O Equador é um pais bem limpo, em algumas cidades dava para notar uma bagunça e desorganização, mas isso é difícil evitar. A capital e as cidades mais estruturadas são bem limpas. O Artesanato no equador é barato em Otavalo mas tem que pesquisar muito. As cidades que mais gostei 1. Quito – Cidade perfeita em tudo 2. Baños – Cidade muito alegre e com muito esperte radical 3. Cuenca – Cidade muito charmosa, para quem gosta de arquitetura ela é perfeita. 4. Otavalo – A Cidade é rodeada por um vulcão e possui algumas atividades para fazer ao redor dela. 5. Canoa – Praia perfeita – Em alta temporada aquilo deve ser top 6. Montañita – Gostei muito dos bares e festinhas. Já os passeios 1. Cotopaxi 2. Laguna Quilotoa 3. Laguna Cuicocha 4. Ingapirca 5. Metad Del Mundo. Gastei com tudo (passagem, compras, passeios, comida, hostel, transporte etc..) 3.500 reais. Qual minha opinião de fazer um mochilão sozinho? Existe os dois lados. O Lado bom que tudo que planejei deu certo e eu fiz o que eu tive vontade, não me preocupei em agradar ninguém e não precisei me preocupar com mais alguém além de mim. Fiz novos amigos e melhorei muito meu espanhol. Testei meus limites e pude ver o quanto sou capaz quando quero algo. Planejei o mochilão sozinho e em nenhum momento tive que recorrer a alguém. Voltei do mochilão totalmente realizado. O lado negativo é que as vezes uma boa cia faz falta. É bom ter alguem para falar.. Caralho olha que top isso. Faltou também um parceiro de festa e a noite fiquei muito em hostel. Com um amigo ja daria para dar um rolé ou ir para algum bar. É mais seguro ir em dois ou mais pois tudo pode acontecer. Eu dei sorte que não tive nada, nenhuma dor de barriga. No próximo certamente irei com minha namorada, será uma terceira forma de fazer mochilão. Ja fiz com 6 pessoas, sozinho agora com namorada. Metad Del Mundo 21/06/2013 Hoje era o dia de ver a Metad Del Mundo. Existem várias formas de ir Taxi Busão Taxi e Busão. Optei pela mais segura e barata. Peguei um taxi do meu hostel até o ponto de ônibus que ia direto a metade del mundo. O Taxi custou 2 dólares e peguei um busão direto por 0,25. O Busão é de boa, so precisa tomar um pouco de cuidado. Levou quase 1hora para chegar pois fica fora da cidade. O Busão te deixa na frente do parque metade del mundo. A Entrada custa 3 dólar e a estrutura é bem legal. Tem vários restaurantes, tendas e pequenos museus. A metade do Mundo é um complexo com várias atrações que vão além do monumento que se pretendia marcar o lugar por onde passa a linha do Equador. Além do monumento em si, há a reprodução de uma cidade colonial espanhola, chamada “Cidade Metade do Mundo” (Ciudad Mitad del Mundo). Onde em uma praça são feitas apresentações artísticas e folcloricas.Uma das coisas legais é de estar sobre a linha do equador quando esvaziamos água da pia, a água sai pelo ralo sem fazer redemoinho!,ja quando muda de hemisfério ele muda o lado do redemoinho. Também da para equilibrar um novo sobre a cabeça de um prego, isso sobre a linho do equador. Na torre do Monumento há um pequeno museu etnográfico que conta a história de algumas tribos indigenas equatorianas, também lá se conta a história da expedição feita para marcar a metade do mundo.. Como estava sozinho pedi para um senhor bater uma foto pra mim, ele só fazia isso, me cobrou 3 dolar bateu com uma máquina dele e já saiu na hora impresso e bateu uma com a minha. Almocei no parque mesmo por 3,5 dólar e comi uma truta mas bem magrinha. Lá tem alguns artesanatos uns 20% mais caro que o normal. Peguei o busão de volta e parei no centro histórico e com o GPS fui conhecendo quase tudo por la. Fui em vários museus que estão no meio do centro histórico e as estradas são baratas, cerca de 1 dólar. É dicil explicar onde fui pois é muita coisa. A Dica é, pegue um mapa da cidade e la terá todos os lugares que você pode ir, não tem erro. Voltando para o hostel por 17:00 olhei bem no fundo e não acreditei. Pela primeira vez consegui ver o Cotopaxi por inteiro sem nenhuma nuvem. Que sonho. Se o tempo estivesse assim no dia que fui tentar subir, acredito que teria ido mais longe. Gastos do dia Hostel 8,00 Comida – 18,00 Deslocamento – 5,00 Metad Del Mundo – 3 Museu - 5 Canoa x Quito 20/06/2013 O Mochilão estava quase no fim e minha temporada de litoral também já estava no fim. Confesso que eu esperava mais do litoral do Equador, mas foi bom para descansar. Acordei por 5:50 para pegar o busão e no meu hostel não tinha ninguém para deixar as chaves, deixei no quarto mesmo. Consegui pegar o primeiro busão as 6:00 e por 7:20 já estava em Bahia. A Previsão era de 8horas até Quito. Para entrar no busão uma frescura de outro mundo, tive que abrir minha bagagem de mão, câmeras etc.. Isso era pra todo mundo. O Onibus em si era show, seria um semi leito no brasil. Paramos para almoçar e parei no primeiro Buffet Livre, o pessoal do busão parecia que estava preso, fizeram um pratos gigantes. Eu já estava com meu estomago f... a comida do equador é boa mas já não estava mais descendo. Cheguei em Quito por 16:00 e eu já tinha reservado o hostel. Peguei um Taxi e ele me deixou na frente do hostel. O Hostel é bem show melhor do que o Colonial House Quito. Não tenho anotado aqui o nome depois público. Ele fica bem localizado e peguei um quarto compartilhado, porem as camas são bem grandes e tem muito espaço. Logo abaixo tinha um parque bem grande, fui dar uma caminhada pelo parque e conhecer o que tinha pelos arredores para manha eu sair conhecer. A Noite fui jantar em um restaurante chinês que ficava ao lado. Comi um yakissoba de camarão com coca cola por 4 dólares. Muito bom. Amanhã o objetivo era ir até Mitad Del Mundo. Gastos Hostel – 10,00 Comida – 10,5 Deslocamento – 20,00 Canoa 19/06/2013 Hoje era o dia de boa, sem nada para fazer e ficar apenas curtindo a praia. Foi um dia realmente pra botar os pensamentos em dia. Dormi muito bem, deixei a janela aberta e só curtindo o barulho do mar. Sai em busca do café da manhã mas tem poucos lugares abertos e a média era 3,5 dólar o que achava caro. Achei uma tenda e tomei um café por 1,5 dolar. Ovo frito, pão e café. O Tradicional. Caminhei a praia inteira, ela é muito grande e para quem curte dar uma corridinha essa será a praia ideal para isso. Almocei no mesmo restaurante de ontem pois o custo benefício era o melhor. Sempre tem que sair pesquisar, varia muito de um para o outro e a diferença de qualidade não é muito grande assim. Depois fui me informar para voltar a quito e achei um carinha do equador que falava português. Foi uma emoção pois eu já estava sonhando em espanhol. Até então eu estava falando espanhol 24horas por dia. O Carinha me explicou e era bem chatinho ir para Quito. Eu deveria voltar a Bahia que lá tinha um único busão pra Quito as 8:00. O Busão de Canoa a Bahia sai a cada 20m e o primeiro era as 6:00. Ou sair de Canoa mesmo as 21:50 e chegaria la por 5:00. Eu não iria sair nesse mesmo dia as 21:50 pra chegar de madrugada em quito. Minha ideia era ir até a bahia e ver o que ia dar. A Noite fui comer uma lagosta por 10 dolares, nunca tinha comido antes. Gostei muito mas não matou minha fome. Fui comer então uma porção de camarão. A Porção custou 5 dolares e é sério quase morri comendo e não dei conta. Fui dormir meio cedo pois as 6:00 tinha que estar no busão. Gastos do Dia Hostel – 10,00 Comida – 19,00 Puerto Lopez x Canoa 18/06/2013 Me informei bastante de como ir até Canoa e cada vez que me informava mais confuso eu ficava. Existia algumas formas de ir para lá e todos precisava pegar vários busão. Canoa era bem distante e meio que isolada então o acesso era mais complicado. Mas Acordei bem cedo e por 8:00 já estava na rua principal e logo encontrei o carinha que me vendeu o passeio da islã. Pedi pra ele a melhor forma de ir e ele me indicou o caminho ( Puerto Lopez x Manta e depois Canoa). O Onibus já estava lá e eu era o único passageiro. O Onibus foi o mais podre que já entrei até hoje ehhehe mas blz vamos lá. Depois de umas 2horas cheguei em manta, a cidade é bem estruturada bem bonitinha porem um cheiro forte de peixe, mas muito forte mesmo, nada comparado a um mercado publico de floripa. Desembarquei em Manta e fui atrás de ir pra canoa e ai fui informado que eu deveria ir até Ronca Fuerte e depois a canoa. OK Peguei o busão e rumo a ronca fuerte. Chegando em Ronca Fuerte é uma cidade bem pequena e o ônibus para em uma rua. Parei la e fui me informar em uma agencia que tinha por la e finalmente tinha um ônibus até canoa. Fiquei esperando lá uns 20 minutos isso era 12:00. Logo o busão parou no outro lado da rua e embarquei com destino a canoa. Nesse busão tinha de tudo, pintinho, galo, uma criança toda cagada e o busão todo fechado. Sem contar que ficou 1hora parado em uma cidade esperando passageiro. Cheguei em canoa por 15:00 e a cidade estava totalmente deserta. Peguei a mochila e fui andando em busca de hostel. Fui procurar um a beira mar para ver os valores. Canoa é bem diferente das demais praia, é tudo mais rustico, todas estradas de areia porem a praia maravilhosa. Achei um hostel que esqueci o nome, é tipo um hotel mesmo. Ele é todo branco e sem muita frescura porem a beira mar. Quarto Privado, banheiro privado e tv por 10 dolares. Estava rico, quarto beira mar por 10 dolares. Em alta temporada é 20 dolares. Sai e fui almoçar ao lado e por sinal a comida bem boa. De tarde fui para a praia. A Praia é muito linda, tem uma estrutura ótima de barracas, tendas e restaurantes. Porém é baixa temporada então só tinha eu na praia. Fiquei sentado lendo livro e bebendo. De tarde achei uma lan house para atualizar algumas coisas pois no hostel a net ainda não estava funcionando. A Noite fui jantar e queria comer muiiiitooo camarão. Vi no cardápio algo como Camarilos e pensei que era camarão e no fim veio uma porção gigante de lula frita. Que raiva. Tive que comer mas não consegui pois era muita coisa. Gastos do Dia Hostel – 10 Deslocamento – 7 Almoço/Janta – 12,00 Isla del Plata - 17/06/2013 Hoje era o dia para conhecer a famosa Isla del plata. O Bom deste segundo mochilão que eu já tinha uma certa experiência em o que não fazer. No meu primeiro mochilão um dia antes de ir para Machu Picchu tomei um dos maiores tragos da minha vida e eu não imaginava como era o deslocamento de cuzco a Machu picchu. Imaginem ressaca, altitude, curvas, van lotada, calor e motorista loco. Não foi nada legal. Para ir a Isla del plata é preciso pegar um barco e ir umas 2h mar a dentro, então não bebi nada e não tomei café da manhã para não ter risco de passar mal. Ainda mais se tiver baleias por perto daí o barco para e fica naquele sobe e desce. As 9:00 o guia veio me buscar no hostel e caminhamos uns 10minutos ate o local de embarque. Tinha bastante gente, deu 3 barcos com 16 pessoas. Peguei um bem legal cheio de mulher e bonitas hehee. Tinha umas argentinas meio feinha só. Na ida depois deu uns 30 minutos já encontramos uma baleia e o barco parou para fotos. Consegui tirar uma, mas é bem difícil. É uma grande emoção ver de pertinho. No mês que fui não era a época pois só tinha os macho que estavam chegando para iniciar o acasalamento. O Ideal é por Julho. Nesse tempo que o barco parou duas pessoas já passaram mal pois o barco é pequeno e quem não estiver acostumado certamente vai passar mal. Eu fiquei de boa. Depois disso foi esperar e olhar para o horizonte pois se eu fixava em algo o negócio não iria prestar. Chegamos na tal ilha del plata. Muitos tipos de pássaros sobrevoando ilha a caçando os peixes. Ficamos uns 10 minutos na recepção aguardando os grupos iniciarem e logo depois a guia nos chamou para iniciar o passeio. O Passeio na ilha eu particularmente achei uma porcaria e inútil. Resumindo vi 2 tipos de pássaros e uma lagartixa. É mais uma trilha do que outra coisa. A Ilha é bem bonita mas nada demais. Na chegada da para ver umas tartaruga gigante perto do barco. A Ilha nem chega perto de se comparar a um galápagos. Em nada. Depois do passeio entramos no barco e é servido o almoço que foi umas frutas e dois sanduíche. Pensei, os cara são loco vamos comer agora e já entrar no mar, é obvio que a metade vai passar mal. E depois de almoçar ainda é parado para mergulhar. Eu não fui porque estava congelando, mas teve uns corajosos. Iniciamos a volta e o obvio aconteceu, 4 pessoas passando mal. Eu só comi umas bolacha para enganar um pouco. Na volta eu sentei bem atrás do barco, perto do motor, é o melhor lugar para ficar pois não pula nadinha porem tomei um banho pois o piloto meteu o pau naquele barco. Mas foi legal assim não corri nenhum risco de passar mal. Chegando em solo, já fui pro hostel tomar um banho e trocar de roupa. Sai de lá e fui realmente almoçar. De noite fiquei no hostel conversando com o carinha que cuida de lá e me informando como eu poderia ir para Canoa. Ate agora as praias do equador não estavam atendendo minhas expectativas. Puerto Lopez para mim foi o ponto mais baixo da viagem até agora, pois é uma praia suja, um passeio ridículo por um preço razoavelmente alto. Só venha para cá se você quiser ver algum tipo de baleia caso contrário dedique alguns dias a mais em outra cidade. Gastos do Dia Hostel – 10,00 Isla del Plata – 35,00 Café – 1,5 Janta – 7,0 Montañita x Puerto Lopez 16/06/2013 Por 8:30 todo mundo começou a acordar pois chegava mais uma pessoa no quarto e eu já estava enjoado da cidade e de ficar naquele quarto minúsculo. Montañita é uma cidade bacana mas feita apenas para o verão e para festa. Seria um “Balneário Camboriú” bem mais modesto e sem nenhum prédio ehhe mas com o mesmo espirito da coisa. Meu próximo destino era Puerto Lopez para conhecer a Isla del Plata que seria uma galápagos para pobre. Logo cedo já arrumei minha mala e fui pegar o ônibus que ficava a 3 quadras do meu hostel. Tem ônibus a cada 30 minutos e leva cerca de 1hora para chegar a Puerto Lopez. Chegando em Puerto Lopez já da para notar que é uma cidade bem voltada a pescadores pois é bem suja, cidade bem feia e a praia cheia de barcos de pesca. Na saída do busão já veio um cara me oferecer hostel e me mostrou um folheto de um, olhei bem e a proposta era boa. Quarto Privativo, banheiro privativo e TV por 10 dolares. Fui caminhando com ele e o hostel realmente era bem legal. Já fechei com ele também o passeio para a isla del plata por 35 dólares. Todos os relatos que tinha visto custava em torno de 45 dólares. Finalmente eu tinha um quarto e banheiro só pra mim e fui desfazer minha mala e vi que tinha deixado umas 4 camisa e uma toalha de banho em montañita. Fiquei puto da vida pois só teria mais 3 camisas e nenhuma toalha de banho. Naquele dia OK pois o hostel tinha toalha de banho. Pedi para o cara do hostel onde era bom almoçar e fui no mercadinho que ficava ao lado, comida bem típica. Tomei uma sopa de camarão ótima por sinal e comi um pescado muito bom. Voltei pro hostel e fui dormir pois não tinha dormido bem em Montañita, lá por 15:00 acordei e fui conhecer melhor a cidade e a praia. A Cidade é bem feia e não tem nada de bom, a praia é bem feia e o tempo nublado ainda deixava tudo pior. Andando pela praia encontrei uma das gurias que dividiu quarto comigo, conversamos um pouco e sai em busca de um calção de banho pois ia usar no outro dia na isla. A Noite andei a cidade inteira para achar um restaurante pra jantar pois tudo custava entre 7 a 9 dólares o que era um absurdo. Achei e fui comer um hambúrguer em uma tenda a praia por 2 dólares, foi o pior hambúrguer do mundo. Mas em mochilão cada dólar vale muito. Voltando pro hostel achei um carinha que vendia pizza por pedaço e comprei 1 pedaço por 1 dólar, ai consegui dar uma disfarçada. Voltei por hostel e fiquei vendo TV que era uma coisa que não via a tempo e para meu azar só pegava um canal e passava a novela salve Jorge. Gastos do Dia Onibus – 2,5 Hostel – 10,00 Almoço – 2,5 Jantar – 3,50 Café – 1,0 Calção – 5,00 Montañita - 15/6/2013 Consegui dormir no hostel que fiquei pois tinha tomado algumas cervejas e voltei um pouco tarde pois sem isso seria impossível dormir naquela espelunca. Sai comprar umas bananas para tomar café pois lá é muito caro ir em um restaurante, custa em média 5 dólares o café da manhã. Em busca das bananas achei o hostel Tikilindo e fui ver se tinha hospedagem. Tinha ainda quarto compartilhado por 10 dólares e privado não tinha mais. Resolvi me mudar e voltei ao outro hoste e falei que estava indo embora. Levei minhas coisas para o Tikilindo e fui conhecer o quarto e as estruturas. O Quarto em si é bem podrinho e bem abafado e ainda tive que dividir o quarto com mais 3 meninas. Não que isso seja ruim, é ótimo mas quando as gurias são bonitas e cheirosas e naquele caso isso não existia. Peguei uma cama superior joguei minhas coisas e fui aproveitar a estrutura do hostel. O Hostel tem uma estrutura ótima tipo cabanas e uma área de lazer ótima, fiquei muito tempo por la lendo livro pois o clima estava bem feio. Fiquei perambulando pela praia de manhã porem perde o clima com o tempo nublado. Logo de noite quando fui sair pra Jantar encontrei meu amigo do Canada e saímos comer junto. Pedi pra ele onde ele tinha se hospedado e por azar ele ficou na mesma porcaria que eu fiquei, caiu no papo do carinha também. Tentei explicar pra ele que lá tinha cupim mas não achei essa palavra em espanhol e inglês e por fim eu falei, dorme lá que você vai ver o que é heheh. Tomamos umas cervejas e encontramos uns amigos dele, ai a coisa mudou. Juntou uma galera de umas 15 pessoas de todo lugar do mundo falando inglês, francês, espanhol e eu ja estava ficando maluco. Por fim conhecemos todas as baladas de montañita, que são ótimas no sábado, muita gente de tudo que é lugar. O Negócio pega fogo lá por meia noite. Não pagamos por nada e cheguei novamente 4:00 no hostel. A parte chata de quarto compartilhado que você quando chega acorda todo mundo e foi isso que ocorreu, quando cheguei mesmo com lanterna acordei a maioria. Depois de um tempo que eu estava dormindo, acordei com um barulho de bicho muito estranho e como eu estava perto do teto pensei que era um rato e meio dormindo dei um pulo que fui parar no chão fazendo maior baderna e imagina todo mundo acordou. Uma das gurias me explicou que não era rato e sim um ninho de passarinho e o barulho era dos filhotinho querendo comida. Feito a bagunça voltei dormir. Gastos do dia Dólar Café – 2,20 Hostel – 10,00 Almoço – 6,50 Janta – 8,00 Outros – 10,00 Total – 36,70 Cuenca x Montañita 14/6/2013 Hoje era o dia de ir para Montañita e conhecer o litoral do Equador. Todos falam muito bem de Montañita que é uma cidade totalmente para turistas e com muitas festas. Já estava na hora de eu mudar um pouco e realmente descansar pois até então já gastei quase a sola de um tênis novo. Arrumei todas as coisas e soquei muita coisa na mala. Chega uma certa altura da viagem que voce não tem mais aquela paciência e capricho para arrumar tudo bonitinho na mala. Peguei um Taxi até a estação de ônibus e lá fui me informar a melhor forma de ir até Montañita. Com todos que falei a melhor forma era ir até Guayaquil, depois a um outro para Montañita. A Parte triste da história que teria que passar por Guayaquill que até então todo mundo fala que é uma cidade muito perigosa. Quanto mais tempo se passa no equador mais voce quer ficar longe de Guayaquill. Mas não tinha opção, eu tinha que ir até lá. Peguei um ônibus e custou 8 dolares com previsão de 4 horas de viagem. A Ida até Guayaquill é muito bonita, passa por várias montanhas, lagos e chega a um ponto que estamos andando de ônibus por cima das nuvens, adorei isso. Depois de 4h chegamos ao terminal de Guayaquill que na verdade também é aeroporto. Uma estrutura muito boa e segura. No AeroPorto/Terminal é tranquilo não tem risco de alguém vir e te assaltar, porém não dá pra andar igual um turista idiota pois alguém pode roubar algo da sua mochila. Fui me informar e existia uma empresa que fazia montañita e tinha horários das 13:00 e 15:00. Eu cheguei por 12:15 então deu tempo de pegar os 13:00. Comprei uns salgadinhos e agua e já embarquei. Depois que embarquei lembrei que deixei meu boné no outro ônibus. Que raiva pois adorava aquele boné. O Onibus até Montañita é bem legal e tem um detalhe o ônibus não para então não tem risco de alguém entrar no meio do caminho só para roubar. E mais uma novidade que as poltronas eram numeradas pois até então cada um sentava onde queria. E também tinha ar condicionado hehehe. Cheguei estranhar todos esses detalhes pois depois de 14 dias viajando esse foi o primeiro busão completinho. Cheguei por 15:00 e na descida já veio um carinha me oferecer hostel e fiz a primeira cagada do mochilão que foi sair do roteiro planejado. Eu tinha pesquisado para ir ao hostel Tikilingo porem fui na onda do cara que me falou que o hostel era beira mar, quarto privativo por 10 dolares. Fui nessa pois a proposta era boa. Cheguei no hostel e realmente era o que ele me falou porem uma estrutura muito velha e sem cuidado algum. Mas eu já estava lá e fiquei meio com vergonha de sair. Fiquei uma noite. Meu quarto tinha cheiro de mofo e a cada 2horas precisava limpar a cama pois os cupim estavam a todo vapor. Mas pensei. Não vou ficar no hostel estando na praia. Em montañita se preparem pois a cada esquina vai ter alguém te oferecendo maconha ehehhe. Deixei minhas coisas e sai conhecer a pequena cidade. Montañita é uma praia bem simpática é umas ruas cheios de bares, hostel e danceterias. Uma cidade totalmente turística porem bem rustica. O Clima estava muito frio e meu plano de aprender a surfar foi pra água a baixo pois não tinha condições naquele clima. A Cidade é bem cara a parte de comida, os restaurantes são bem legais porem o custo parecido com o do brasil ou até mais. Fiquei andando pela cidade toda e na praia lendo livro. Bem de boa. A Noite tinha uma danceteria ao lado do hostel e o som bombando, dormir sem chance e resolvi ir pra baladinha sozinho. Não paguei nada para entrar e o som tocada de tudo, no palco tinha um carinha animando a galera. Fui la e falei pra mandar um salve pro brasil pra ver se achava algum outro brasileiro la perdido, mas sem sucesso eu era o único. Tomei umas 4 cerveja litro e fiquei de boa depois fui dormir bem faceiro. http://mochileiroparasempre.blogspot.com.br/ Gastos do dia Onibus Cuenca x Guayaquill – 8,00 Onibus Guayaquill x Montañita – 5,50 Taxi Cuenca x Terminal – 2,5 Hostel Montañita – 10,00 Almoço – 1,50 Jantar – 4,5 Cerveja – 7 Outros – 2 Gasto Total – 41,00 dólares http://mochileiroparasempre.blogspot.com.br/ Cuenca 13/06/2013 Acordei mais tarde pois hoje o objetivo seria conhecer por completo o centro histórico de Cuenca. Antes disso eu precisava trocar 100 reais por dólares pois isso eu iria gastar em presentes. Pedi para um taxista me levar em uma casa de câmbio e ele falou que no banco central trocava, imaginei que isso não seria possível mas mesmo assim fui. Cheguei lá e o guarda falou que não trocava. Vi que tinha o museu da moeda ao lado. Aproveitei que já estava lá e fui visitar. O Museu é muito bacana e conta a histórica da moeda no equador com riquíssimos detalhes. Também possui muita coisa Inca que foi achada no equador. Não paga nada para entrar. Depois disso peguei outro taxi e pedi para me deixar ao lado da Igreja nova e quando sai do taxi vi que tinha um lugar que trocava dinheiro e ficava a 2 quadras do hostel. Troquei 100 reiais e estava 1 dólar = 2,45 reais. Quase me matou com a facada pois no brasil tinha pago 2,09 e já estava achando caro. Então quando forem para o Equador não troquem dinheiro no equador. Fui almoçar no mercado público e de várias tendas parei em uma e pedi um pescado. Como de costume eles fritam o peixe inteiro e junto vem arroz, batata frita, salada e uma sopa de entrada. Tudo isso por 2,5 dólares. Muito boa a comida e você tem que sentar lá nas mesas com o povo local. A Comida é boa porém a pessoa tem que deixar um pouco a limpeza de lado. Depois sai em busca de correntinhas de prata pois no equador é bem mais barato. Comprei 2 por 15 dólares, aqui no brasil custaria uns 50 reais cada uma. Dei uma passada na feira de artesanato que fica bem perto do mercado público e fui negociar umas blusas de alparca. Inicialmente o preço era 25 dólares e no fim levei por 10 dólares. Comprei também uma espada e uma faca muito bacana. Depois fui caminhar e fui conhecer todas as igrejas e praças. Na praça principal tem o centro do turista e lá você ganha mapa e todas as dicas da cidade. Também tem um ônibus que faz um city tur mas como eu fiz o passeio a pé não valeria a pena. Voltei para o hostel e me informei onde teria um shopping pois eu já estava com saudades de algo parecido com o brasil, comer um burguer king e ver um filme. Fui informado que era perto cerca de 20minutos caminhando. Peguei as dicas e sai em direção ao shopping. No meio do caminho parei para pedir a confirmação do lugar e logo cheguei ao shopping. O Shopping é bem de boa, não é muito grande mas fui no KFC comer um lanche e depois ver o filme do velozes e furiosos 6. Sai de lá era umas 21:00 e voltei para o hostel. Na volta passei por um parque muito bacana onde o pessoal vai a noite para correr, alongar e caminhar. Vi apenas no último dia mas segue uma dica para durante a noite ir lá. Gastos do dia Hostel = 12,0 Taxi = 4,0 Almoço = 2,5 Janta = 4,5 Cinema = 5,0 Total = 28,00 Cuenca (Ingapirca)12/06/2013 O Objetivo do dia hoje era ir para Ingapirca. Para ir até lá me informei no hostel e não tinha muito segredo. Era só ir até a rodoviária e pegar um ônibus até Ingapirca o ônibus parava na porta. Os horários dos ônibus são bem limitados, tem um as 9 e um as 11. Cheguei bem cedo na rodoviária e peguei o ônibus das 9. Novamente a mulher que me vendeu as passagens pediu para tomar cuidado com a bagagem. O Tempo de viagem é de 2h e custa 2,5 dólar. Não tinha muita gente no dia e a ida foi bem tranquila. Chegamos em ingapirca e o tempo estava meio fechado e muito frio. A Recepção é bem bacana e possui até wi-fi. A Entrada custou 6 dólares e acompanhava um guia. A Visita é rápida e leva cerca de 40 minutos. O Lugar é bacana o tempo do serviu para a realização dos cerimonias e dos rituais da cultura Cañari e do inca. Também serviu de estratégia e finalidades militares e astronômicas. Era considerada a casa branca da época. Tem também um local que se pode ver o rosto inca moldando em um morro. Para quem foi a Cuzco, ingapirca não terá muita graça, mas mesmo assim vale a pena ir. A Volta era as 13:00 e o Tur acabou por 12:20. Aproveitei e almocei por lá mesmo em um restaurante que ficava meio escondido. Almoço muito bom por 2,5 dólares. Na volta pedi para o Taxi me deixar na praça pois eu sabia que o hostel ficava 2 quadras da igreja principal de cuenca. O Taxi me deixou la e sai em busca do hostel o problema que achei tudo meio parecido e tinha várias igrejas por lá e já não sabia muito bem qual era a rua e não lembrava o nome do hostel. Andei umas 2:30 por Cuenca inteira e acabei achando. O lado bom que conheci o centro histórico inteiro. Deixei minhas coisas e sai para Jantar. Caminhando acabei achando o museu onde é feito o chapéu do panamá, um museu muito show, fica na calha larga. O Museu é muito bacana possui um tur gratuito que conta passo a passo como é feito o chapéu panamá e também existem vários modelos para venda. Tem modelos de tudo que é valor que varia de 20 dólares a 800 dólares. Sai de lá e fui conhecer o mercado público que fica perto. Bem bacana também. Possui várias tendas para almoço e tudo que é tipo de venda. Voltei para o hostel tomar umas cervejas e descansar pois já tinha andado muito neste dia. Gastos do Dia Hostel 12,00 Bus Ingapirca – 2.5 Taxi Ida – 2,5 Entrada Ingapirca – 6 Busão - 2,5 Almoço – 2,5 Taxi Volta - 2,5 Janta – 3,0 Total: 33,50 dólar Baños x Cuenca 11/06/2013 Logo que acordei vi que o tempo em baños não estava bom. Eu tinha vontade de fazer rafting mas o tempo me desanimou. Apesar que praticamente todas atividades são realizadas em céu aberto. Tomei café e resolvi ir pra Cuenca que na verdade era o roteiro original. Resolvi seguir a linha todo o roteiro que fiz assim saberia o quanto iria gastar. Aliás tudo que planejei até o momento estava dando certo, custos e atividades. Diferente da Bolivia e Peru que ocorria uma alta alteração no preço de tudo. Peguei um taxi até o terminal pois estava com a mochila e estava um pouco pesada. De lá me informei como ir até Cuenca. Todos me falavam que eu deveria voltar até ambato e de lá pegar um ônibus para Cuenca. Logo que cheguei já tinha um ônibus indo para Ambato, que na verdade tem a cada 30minutos. Cerca de 1:30 cheguei em Ambato e eu imaginava que iria parar em um terminal mas não o busão parou na entrada da cidade e o motorista me falou que o ônibus para cuenca já estava lá. Sai correndo com mala, casaco, sacolas e atravessei a rua muito movimentada. Lá tinha dois policiais que resolveram me entrevistar. Me fizeram umas 30 pergunta e anotarão todos meus dados. Respondi tudo de boa e realizei o embarque tranquilamente. O Tempo para Cuenca é de 7horas e foi a viagem mais longa até então. Para variar entra vendedor de tudo que é tipo vendendo variados produtos e contando aquela história triste da vida deles. Cheguei em Cuenca e já fui atrás de um Taxi e já tive a primeira bira com o Equador. Eu perguntava para os taxista para me levar no Hostel Alternative. Perguntava pelo lado de fora do taxi e o valor. Os cara falavão que não sabia onde era e saia e já pegava outro cliente me deixando igual um idiota. Pedi isso para uns 5 taxista. Fiquei com um ódio mortal daqueles fdp. Por fim achei um taxi entrei e me pedi pra me levar em um Hostel que ele conhecia. Ai outro motivo para ficar puto, o preço do taxi é bem mais alto. O que custaria 1 dólar em Quito custa 2,5 em Cuenca. O Taxi me deixou em um Hostel chamado Yakumama que é uma mistura de Bar e Hostel. Cheguei bem na hora do jogo do Equador x Argentina então o bar estava cheio. Peguei um quarto privativo deixei minhas coisa e voltei ver o jogo. Não gostei muito do Hostel mas ele é limpo e bem localizado, fica a duas quadra da Igreja principal. Depois do jogo sai caminhar pela cidade para conhecer os arredores. Cuenca na parte histórica é muito linda, seus casarões antigos e muito bem conservados. Fiquei perto da calha larga onde é uma rua que existe vários restaurantes e bares. Parei para comer um Hambúrguer mas foi horrível, acho que o pior que já comi na vida. Gastos do Dia Hostel – 10,00 Café – 2,5 Cerveja – 1,75 Taxi – 3,5 Lavar Roupa – 4,0 Onibus – 9,0 Janta 3,0 Total – 33,75 Baños 10/06/2013 Peguei no Hostel um mapa da cidade e possuía também a trilha sobre a cidade de baños. Depois fui tomar café no hostel que achei uma facada 2,5 dólar. Antes de sair deixei minhas roupa para lavar no hostel pois já estava quase no fim. O tempo estava meio nublado e com uma cara que iria chover, assim botei uma capa de chuva na minha mochila e sai em busca da trilha. A Trilha era dividida em três partes. Postei uma foto do mapa. A Trilha tinha previsão de 6h e a última parte daria para ver o vulcão caso o tempo estivesse bom. Sai em direção da trilha e fui em um ritimo bom. Lá de cima voce tem uma visão de Baños inteira e fica bem pertinho das nuvens. Fiz a primeira e a segunda parte em um ritimo bom. Cheguei até o local onde tinha uma Cruz e estaria indo para a terceira parte e acabei me perdendo, não sei em qual parte errei pois tinha uns pedaço da trilha com 3 opções. No fim achei a trilha certa e estaria indo em direção ao ponto onde poderia ver o vulcão porem o tempo fechou e começou a chover. A Trilha já estava bem ruim com muito barro e mesmo com capa de chuva resolvi voltar pois mesmo chegando no final não conseguiria ver o vulcão devido ao tempo fechado.Cheguei de volta ao centro por 13:00 e fui almoçar. Depois de almoçar voltei ao hostel trocar meu tênis e deixar a mochila e resolvi ir saltar da ponte. Cheguei na ponte e sem muita historia já botei os equipamento e me preparei para saltar, até então tudo bem. Quando fiquei de pé sobre a plataforma ao lado de fora da ponte que olhei pra baixo eu me dei conta do que estava fazendo. É muito alto e comecei a sentir uma sensação de morte pensando meu deus vou morrer. A Corda e os equipamentos são muito seguros porém você não sente eles, diferente de quando vai em uma bigtower ou algo semelhante. O Carinha falou pra mim, no 3 você salta igual o super homem. Quando ele chegou no 3 pensei se f.... se chegou a hora chegou e pulei. Durante uns 3 segundos não pensei em nada e só senti a queda, porém quando senti que a corda me segurou foi a melhor sensação do mundo pois vi que estava salvo. Fiquei tremendo por umas 2horas com uma mistura de sentimentos de morte, adrenalina e orgulho de ter tido coragem. Voltei para o hostel e acabei encontrando o Suzan, meu amigo que subiu o Cotopaxi junto comigo. Depois fui a uma agencia e fechei um passeio bem turístico para conhecer as cascatas.Tinha opção de ir de Bike, Taxi ou Bus Turistico. Fui pelo Bus pois não teria tempo de pedalar tanto. O Passeio é legalzinho, passa em algumas cascatas. A Ultima é legal , é feito uma trilha de uns 30 minutos e chegamos a ficar em baixo de uma cascata gigante. Na volta passei um frio fdp.. pois o busão é aberto e não levei roupa de frio. Voltamos para o Hostel era quase 18:30 Gastos do Dia em dólar Hostel - 10,00 Café - 2,5 Almoço - 2,5 Gatorade e bolacha - 2,0 Salto da Ponte + Videos - 20,00 Passeio cascata - 6,0 Jantar - 5,0 Total - 48,00 Video Salto Baños 9/6/2013 Sai de latacunga por 12:30 e por 14:00 cheguei em baños. Como de costume a viagem tem uma paisagem show e chegando em baños já se nota a mudança. Baños é uma cidade pequena abaixo de um vulcão e cheio de montanhas ao seu redor com muita arvore. Baños é fantástico, adorei essa cidade. Você se apaixona por ela desde sua chegada. Desci do Onibus e peguei um taxi para o Hostel que eu reservei. Hostel Chimenea. O Taxi é um pouco mais caro que nas outras cidades, porém se usa muito pouco. Aliás tudo em baños é um pouco mais caro devido ser uma cidade turística. Cheguei no Hostel e pedi os preços, o quarto privado custava 10 dólar. Peguei um quarto privado e tive que novamente perguntar o preço. Meu quarto era gigante, com banheiro privado e minha janela dava para a piscina do hostel. O Hostel era show e muito melhor que hotel 3 estrelas do brasil. Deixei minhas coisa no hostel que fica bem perto as piscinas termais de baños. Sai andando e peguei um taxi para ver o zoológico e o aquário. O Zoologico é meio longinho e tem que ir de ônibus ou taxi. A Entrada do zoológico custava 2,5 e como era domingo estava cheio. O Zoo é bacaninha tem vários tipos de macaco, um tipo de urso, tartarugas entre outros. Vale a pena dar uma passadinha. Logo na frente fica um aquário, achei bem interessante mas falta um pouco de cuidado. Tem vários tipos de cobras, peixes e aves. Para voltar vi que tinha um ônibus que ia até o terminal. Fui de ônibus até o terminal. Baños tem muito comercio de CANA, então parei pra tomar um caldo de cana. Na frente do terminal tem vários. Aproveitei e dei uma andada pela cidade para saber os preços dos passeios, comida e artesanal. Fui ver o salto da ponte que parece ser muito doido. O Salto custa 15 dólar mais 5 dólar para gravar o saldo e bater foto. Tem rafting por 20 dólares, rapel, passeio das cascatas, aluguel de uns veículos tipo bug, passeio de cavalo, passeio de bike, passeio na selva enfim tem muita coisa pra fazer Baños também tem uns passeios na selva que achei muito interessante mas não tinha planejado antes e não teria tempo para fazer. A Cidade tem muita coisa massa pra fazer e sugiro que dediquem 3 dias no mínimo nesta cidade. Montei o roteiro para o próximo dia que seria pular da ponte e fazer a trilha ao lado de baños. Sai para jantar e os preço de baños é um pouco mais caro, se prepare para no mínimo 5 dólares. Gastos do Dia Almoço – 5,00 Taxi Hostel – 1,5 Taxi Zoo – 1,5 Entrada Zoo – 2,5 Entrada Aquario – 2,00 Janta – 6,00 Gasto Total 18,50 Cotopaxi 8/6 e 9/6 Hoje era o grande dia. Escalar o Cotopaxi. Sempre fiquei me imaginando lá no topo do Cotopaxi vendo aquela cratera fantástica. Pelas fotos e vídeo que via, aquilo seria algo mágico. Fechamos o pacote em 4 pessoas pois a regra é 1 guia e 2 pessoas no máximo. Caso alguém tenha que voltar as duas pessoas tem que voltar com o guia. Se for uma pessoa e um guia o custo é bem maior. O Pacote que fechamos foi no hostel mesmo e foi fechado em 170 dólares por pessoa. Bem alto o custo, mas era meu maior objetivo e pelo que eu tinha orçado o custo seria em 210 dólares. As 9:00 iniciamos a prova dos equipamentos sendo duas pessoas por vez. Confesso que não esperava tanto equipamento pois sou amador ainda nas escaladas e quando vi todo aquele equipamento me assustei. O Kit crampons, Piqueta, dois tipo de gorro, dois tipo de luva, uma calça, uma jaqueta, um capacete, uma laterna para capacete, um sapato e mais um suporte para conectar uma corda em voce e outra no guia. Tambem voce ganha uma mochila para por tudo isso. Tudo isso pesa cerca de uns 10 kilo. Por 11:00 saímos em direção ao Cotopaxi. O Planejamento seria o seguinte. *Almoçar *Iriamos até o Refúgio *As 18:00 iriamos jantar e dormir *Por 00:00 iniciamos a subida ao cume e precisamos chegar no máximo as 7:00 e depois voltar Seria cerca de 2 a 3 horas para descer *Voltar ao Refugio descansar e voltar a latacunga. Planejamento era tudo lindo. Saímos para almoçar e paramos também para comprar pilhas para as lanternas. Depois fomos em direção ao parque do Cotopaxi. Na entrada do parque já paramos para por alguns equipamentos como Sapato e calça. O Guia pegou e socou mais uns 3 kilo de comida na minha mochila. Pensei que não teria problema pois na minha cabeça o carro iria até o refúgio como foi em La Paz. Para meu azar não era nada disso, falhei nas pesquisas do Cotopaxi. A Caminhoneta vai até 4200 metros e o refugio está em 4800. A Subida é muito PUNK e tinha muito muito muito vento e muito frio. O Tempo estava horrível, acho que o pior dia do ano para subir o Cotopaxi foi esse dia. Na subida foi terrível. Eu não tenho um ótimo preparo físico e para ajudar estava com uma mochila gigante pesando 15 kilos e o vento me pressionando para trás. Sem a mochila eu subiria tranquilo porem a mochila me matou. Dava 4 passos parava para descansar, mais 4 passos parava, cheguei um ponto que sentei pra descansar e quase tive vontade de voltar hhehe. Foi terrível. Levei cerca de 1:30 pra subir e quando cheguei ao refúgio quase chorei de felicidade. Estava muito exausto. No refúgio tomamos muito chá e jantamos. Fomos tentar dormir o que é quase impossível. Você tem que dormir em um saco de dormir em uma beliche onde faz um vento muito forte e um frio terrível. Deixei meu celular do lado para despertar e ele simplesmente congelou. Por 23:30 o guia veio nos chamar e acordei com uma dor de cabeça terrível, a altitude estava fazendo efeito. Nos arrumamos e nos preparamos para subir. Eu estava com muito medo pois imaginava que seria muito mais fácil. Iniciamos a subida e o vento era terrível, visibilidade 0 e um frio absurdo, o guia nos falou que fazia -10. Eu tinha um relógio que marcava a temperatura mas não conseguia tirar ele pra ver devido ao frio e vento. Iniciamos a subida e logos chegamos ao glaciar e tivemos que botar os crampons e ali já tive meus dedos totalmente congelados. Estava muito difícil continuar pois o vento era muito forte e visibilidade 0. Andamos mais 1h pelo glaciar e não tivemos mais como continuar, eu estava totalmente exausto , com uma dor de cabeça horrível e já ficando com ânsia de vomito e tontura. O outro colega que estava comigo também não conseguia mais e resolvemos voltar. Ficamos cerca de 3horas fora e quando voltamos ao refugio nos estávamos totalmente coberto por gelo, Era impossível tirar a câmera para bater qualquer foto na descida e também não teria muito o que fotografar pois era uma escuridão e uma mistura de neve com vento. Eu nunca senti tanto frio na minha vida. Outra coisa que dificultou muito foi nosso guia Pablo, o cara não esperava e queria que nós fosse no ritmo dele o que era impossível pois ele sobe a montanha 2x por semana e nós nunca subimos nenhuma montanha na vida. Eles querem que você pague uma propina por fora ai eles são seus melhores amigos. Mas já peguei 170 dólares e ainda ter que pagar mais 20 dólares achei o fim. Não paguei pois sabia que não ia conseguir subir por condicionamento físico e pelo clima. O outro grupo pagou O Outro grupo seguiu e chegou quase ao cume, não foi possível devido ao forte vento e o grande desgaste físico. Eles voltaram era cerca de 9:00 Todos estavam tristes pois não conseguimos vencer o Cotopaxi. A Chance de subir o cotopaxi é muito pequena e depende de vários fatores *Condicionamento física. *Altitude (varia muito para cada pessoa) *Clima, impossível prever como vai estar o Cotopaxi, cada dia muda *Resistência ao Frio Para amadores como eu não recomendo tentar a subida pois a chance de não conseguir é de 98%. Existem outros passeios que vai ate a parte da neve e é bem legal. Deveria ter feito essa e depois quando tiver mais experiência ai sim tentar uma subida. Voltamos ao hostel e já arrumei minhas coisas para seguir a Baños. Peguei um taxi e ele me deixou em um ponto onde os ônibus para Baños paravam e lá encontrei os dois guias. Fiquei lá com eles e segui em direção a Baños. Gastos do Dia – Em Dólar Cotopaxi – 170,00 Hostel – 15,00 Pilhas – 2,00 Onibus Banos 2,0 Total 189,00 BLOG - http://mochileiroparasempre.blogspot.com.br/2013/06/cotopaxi-86-e-96.html Laguna Quilotoa 7/6/2013 Hoje o objetivo seria ir até a Laguna Quilotoa. E para mim era uma das maiores expectativas pois em todas as fotos achava o lugar de outro mundo. Peguei todas as informações de como ir até lá pois não iria pagar 40 dólares para um tur. Existem vários tipos de visita até a laguna. Existem opção de você ir até lá e ficar em um hostel na laguna para poder fazer a caminhada bem parecida com a quilotoa porém essa é mais complicada. Não fiz isso e me arrependo. É melhor reservar um dia a mais e fazer essa volta. A Outra é fazer bate e volta que foi o que fiz. Logo bem cedo e a ideia era pegar o ônibus que saia as 8:00 mas acabei me enrolando e perdi esse ônibus e peguei o das 9:00. Existe ônibus a cada 1hora. O Taxi do hostel ao terminal custou 1 dólar. Pra ajudar o ônibus atrasou uns 30 minutos pois ficou esperando encher o ônibus. O Tempo para chegar até a Laguna é de 2h e ficamos ainda parado uns 30minutos pois estavam fazendo manutenção na pista. O Deslocamento é tranquilo e tem uma paisagem bem bonita. Na ida conheci um carinha da França que parecia estar bem perdido e não falava muito bem espanhol. No meu lado sentou um carinha do equador e pedi algumas informações para ele. O Ônibus deixou nós na porta da Laguna e chegamos por 11:00. O Normal é chegar em uma cidade que fica uns 5km antes da laguna e de lá pegar uma caminhoneta até a laguna. Perto da laguna tem uma boa estrutura de hostel, restaurantes e tendas de artesanatos. A Visão da laguna é algo fora do normal, pois você chega e só vê tendas e uma paisagem normal. E poucos passos para cima você se dá de cara com a grande cratera e aquela laguna maravilhosa que fica se alterando sua cor conforme o sol. Lá em cima faz um vendo forte mas na medida que se baixa o vento diminui. Na parte de cima existe um mirante para bater fotos e várias pessoas oferecendo cavalo para você poder voltar, pois a volta é punk A Descida leva cerca de 30minutos e é aconselhável estar com uma bota pois é meio chatinho. A Descida é show, a cada metro uma paisagem maravilhosa. Para descer o carinha da França desceu comigo e pode bater umas fotos minha. Lá em baixo é show e acontece algo mágico. Você está como se estivesse em um caldeirão e as nuvens se movem em uma velocidade muito rápida. Lá em baixo tem a possibilidade de alugar uns barquinho e sair dar umas volta. Ficamos lá em baixo por uns 30 minutos e iniciamos a subida. O Cálculo é de 2h para subir pois é muito punk. Levamos cerca de 1h para subir. Lá em cima resolvemos almoçar pois até então não tínhamos comido nada. Fomos em um restaurante e não tinha almoço e ela nos indicou para ir ao lado. Chegando ao restaurante ao lado pedi se tinha almoço e a mulher falou que sim e ao lado escuto um carinha falando, e es muy bueno com um sotaque brasileiro. Olhei pra ele e pedi, você é do Brasil, e ele falou que sim. Pedi de onde ele era e ele me falou, sou de Chapecó. Não acreditei pois também sou de Chapecó e em toda viagem não tinha encontrado nenhum brasileiro e logo no fim do mundo encontro dois brasileiro de Chapecó. E na conversa descobrimos que temos vários amigos em incomum e já marcamos um churrasco na volta do brasil. Eles logo estavam voltando e nós fomos almoçar. Depois de almoçar iniciamos nossa aventura para voltar. Fomos até o ponto que chegamos e tivemos que pegar uma caminhoneta até a cidade próxima. Na ida o motorista falou que não estava tendo ônibus devido a manutenção, estava demorando cerca de 2horas pra liberar a pista e o ônibus vinha lotado. Mantivemos a calma e fomos no ponto. Logo percebemos que era verdade. Já deu uma dor de barriga pois não sabia o que iria fazer pois tinha um carinha na fila o mesmo que veio ao meu lado na vinda, falou que estava a 3horas na fila. Do nada Deus olhou para nós e parou um carro na nossa frente e falou, Querem carona paga latacunga por 2 dolares, na hora pulamos dentro do carro. O Carinha estava indo para Latacunga para ver o jogo do Equador pois la não pegava. Atrás no carro foi 4 mas não dava para reclamar, melhor isso do que passar a noite lá. E ao meu lado voltou o mesmo equatoriano que sentou ao meu lado no ônibus. Depois de 1hora chegamos em latacunga e ele nos deixou no início da cidade. Pegamos um taxi e voltamos ao hostel. Aproveitei e sai comprar uma camisa do equador e um carregador de pilha. A noite no hostel ficamos vendo o Jogo do Peru x Equador mas não demos muita sorte e o Equador perdeu. Gastos do Dia em Dólar Bus Ida = 2,0 Água = 2,0 Almoço = 3,5 Caminhoneta = 3,0 Carro Volta = 2,0 Carregador = 9,00 Camisa = 8,00 Janta = 4,00 Hostel 15,00 Total = 48,50 Otavalo x Quito x Latacunga 6/6/2013 Neste dia o objetivo era ir até Latacunga pois nessa cidade fica mais proxima de Cotopaxi e Laguna Quilotoa. Como de costume acordei bem cedo e fui ao terminal no certo da cidade que ficava a 3 quadras do hostel. É uma loucura aquilo, pois aquilo é uma mistura de terminal, tendas de venda e tendas de comida. Me informei que para ir a Latacunga teria que voltar a Quito. Ônibus para quito tem a cada 20min e não se preocupe pois existem varias pessoas gritando o nome da cidade que o ônibus esta partindo. Por 8:00am sai do terminal e levou umas 2h para chegar em Quito. Quando cheguei no terminal de Quito fui me informar qual ônibus eu deveria pegar para ir até latacunga e ai que fiquei sabendo que eu deveria ir a outro terminal que fica no outro lado da cidade que se chama Quitumbe que na verdade é o principal terminal da cidade. Existe um ônibus que sai do próprio terminal que eu estava, paguei 1,25 dolar. Para atravessar a cidade levou quase 1:30 e se prepare pois vai lotado. NUNCA deixe sua mochila ou bolsa na parte de cima do ônibus Sempre leve junto com você A Sua mochila grande não tem problemas de ir no bagageiro. Se acostume pois no Equador todo onibus vai existir vários vendedores vendendo de tudo e como eles vão passando com a mão perto das malas que estão acima, se algo der bobeira certamente vão roubar. Cheguei no terminal de Quitumbe e fiquei encantado. O terminal é muito show. Muito bonito. Não lembro de ter visto no brasil algo assim. Lá comprei passagem para latacunga que ja estava saindo. A mulher que vendeu a passagem falou a mesma coisa, tome cuidado com sua bagagem de mão. Ande colado com você. A Ida a latacunga é muito bonita, você passa pelo cotopaxi e a vista é linda. Cheguei em latacunga e lá o terminal é meio trash, peguei um taxi e fui direto para o hostel. Os taxi em latacunga sao muito baratos. Paguei 1,5 dolar. Fiquei hospedado no hostel tiana. Recomendo a todos. Muito bonito, bem localizado, limpo e barato. peguei um quarto privativo por 15 dolares. Neste dia só dei umas volta pela cidade pois cheguei era 17:00. A Cidade em si não tem muita coisa, achei meio feia e sem graça. Não achei muitas opções de comida, o que achei foi meio alto o valor em torno de 4 a 5 dolares. Me informei no hostel de como ir a laguna quilotoa e fechei o pacote para ir ao cume do cotopaxi por 170 dolares. Nesse dia conheci 3 guri um de cada pais (canada, franca,inglatera). Todo focados para ir ao topo do cotopaxi. Gastos do dia em Dolar Bus Otavalo a Quito - 2,00 Bus Quitumbre - 1,25 Almoco - 5,5 Janta - 4 Laguna Cuicocha 5/6/2013 Hoje o objetivo era ir até a Laguna Cuicocha e fazer a trilha em volta da lagoa. Acordei bem cedo e me informei com o senhor que cuidava do Hostel me deu todas as dicas. Ir até o terminal que fica a 3 quadras do hostel ,pegar um onibus que vai até Cotacachi porém eu tenho que desembarcar em Quiroga. Depois pegar uma Van em Quiroga até os Pinos de Cuicocha. Foi exatamente isso que ocorreu. Peguei o ônibus por 0,25 dólar. Levou cerca de 20 minutos até Quiroga. O Cobrador me avisou quando cheguei em Quiroga. Quando desembarquei já tinha o carinha com uma caminhoneta me oferecendo o transporte. Até o inicio da Laguna é 5 dólares porem eu queria ir até os Pinos que é melhor para fazer a trilha completa. Ele me cobrou 7 dólares. A ida é rápida cerca de 8 minutos. Cheguei na entrada dos Pinos que é um atalho onde tem bastante pinheiro e já de inicio se tem uma vista perfeita da laguna. A trilha é longa porém tranquila de se fazer. Levei cerca de 4horas. A Trilha é bem sinalizada e tem pontos um pouco inclinado que dificulta devido a altitude. Mas existem vários pontos de parada onde dá pra bater várias fotos, tomar uma água e reforçar o protetor. A Laguna é enorme e simplesmente perfeita. Você anda 4horas sem perceber o tempo passar. Fiz a trilha completamente sozinho e apenas bem no fim encontrei alguns turistas. Terminei a trilha por 12:30 e para minha sorte não tinha nenhum taxi la. Existe uma estrutura para receber os turistas onde tem explicação de como surgiu a laguna, restaurante etc.. Não fiquei para comer pois custava 20 dolares. Parei em uma tenda e pedi como faria para voltar a Quiroga e ele falou, tem meu filho que pode te levar por 4 dolares. Fechei o negocio e voltei tranquilamente. De Quiroga peguei um Bus de volta para Otavalo. Na parte da tarde tirei o tempo para fazer backup das fotos em DVD. A noite parei para jantar em um restaurante Chines e comi um yakisoba gigante com muito legume, camarão e frango por 4 dólares. Gastos do Dia em Dolares Hostel - 12,00 Taxi Ida - 7,00 Taxi Volta - 4,00 Onibus Ida e Volta - 0,50 Almoco - 2,50 dolar Janta - 4,00 Dolar. Total: 30,00 BLOG - http://mochileiroparasempre.blogspot.com.br/2013/06/laguna-cuicocha.html 4/6/2013 Quito x Otavalo Hoje o objetivo era ir bem cedo para Otavalo. Acordei bem cedo e ja fechei a conta no hostel e fui sacar dinheiro pois não sabia se em Otavalo teria o banco Guayaquill. Na volta veio um carinha me oferecer um iphone falando barato barato pelo que vi era o 5. Falei nao nao e sai deixando ele falando sozinho.Roubado certamente. A ultima coisa que iria fazer fora do país era comprar algo roubado. Peguei um táxi do hostel ate o terminal que custou 10 dólares. O preço justifica pois fica fora da cidade passando o aeroporto velho e isso no brasil daria 100 reais. O Deslocamento é cerca de 40 minutos. O Terminal que sai ônibus para Otavalo não é o principal, ele sai ônibus apenas para as regiões de Otavalo. Então quando forem pegar táxi, avisem o taxista para ir no terminal que sai ônibus para Otavalo. Ônibus pra otavalo sai a cada 20m e custa 2,50 dólar e nem se preocupe muito em achar a empresa que vendem pois existem várias pessoas gritando o nome do destino. A viagem e bem tranquila e com uma paisagem fantástica. Não vale a pena dormir e perder o visual. O caminho é muito doido pois em poucos minutos você sai de 3000 metros e vai a 1500e logo em seguida já esta em 2500. Cheguei em otavalo perto do meio dia e fui caminhando ao meu hostel que se chama Hostal Rincon del vilarejo que fica a 3 quadras do terminal. O Hostel è show, melhor que o de Quito que já era show. Peguei um quarto privado que custou 12 dolares e possui um terraço show com vista para o vulcão. Fui almoçar e aqui a comida é bem mais barata que quito e bem melhor.Gastei 2,5 dolar. Vinha Sopa de entrada depois arroz, carne em pedaços, legumes e salada.Acompanhava um suco. Bem bom. Depois fui na famosa feira de otavalo.Tem muita coisa show o artesanato é muito bonito.Tambem tem os famosos chapéu do panama porém aconselho a deixar pra comprar em cuenca. Em Otavalo tem uma grande variedade de artesanatos, pintura, prata e roupas. Vale a pena comprar as coisas em Otavalo pois no resto do equador é mais caro. Uma dica é deixar Otavalo por ultimo assim você não terá que carregar suas compras a viagem inteira. Uma dica de compra. Veja o que você quer comprar e peça o preço nas primeiras tenda depois separa em um bolso a metade do valor que ela te passou volte na tenda. No meio da negociação puxe o dinheiro e fala só tenho isso.Eles vão dizer que não então você pega e saia, e logo eles vem atrás.Comprei tudo pela metade do preço informado. Comprei 2 chapéu do panama por 20 e o valor era 40. Voltei pro hostel e me informei para ir ate a cachoeira que fica aqui perto. Peguei um taxi para ir por 2 dólares. Não paga entrada e a estrutura do lugar e showww. Vale a pena ir e se sentir no meio da natureza. Não tem nenhum perigo. Fiz toda trilha em 1h e peguei um taxi de volta por 1 dolar. Da para ir apé leva 1h ida e 1h volta.Nao aconselho isso. A noite sair para jantar e dei uma volta aos redores do hostel.Tem muita opção e todo tipo de comida.Parei em um lugar bem simples porque vi uma foto de uma tilápia gigante no prato e batata frita.Pensei vou arriscar no máximo vai vir um lambari. Fui surpreendido. A tilápia era gigante e foi a melhor que já comi na vida.Peguei mais uma pepsi e tudo isso por 4dolares. Inacreditável. A tilápia é fritada inteira e muito bem temperada. Otavalo é uma cidade bem segura. A cidade em sí não é muito bonita mas a paisagem ao seu redor é muito linda. Tem uma boa estrutura em tudo, hostel, lan house, restaurantes etc.. Gastos em dolares Onibus - 2.5 Hostel - 12 Almoco - 2.5 Janta - 4 Taxi - 3 Compras - 33 Total - 57,00 Quito 3/6/2013 Oficialmente iniciou hoje o mochilão pois ate então foi apenas coisa chata que é o deslocamento. Foi dois dias de deslocamento e realmente isso é muito chato ainda mais sozinho. Quando fiz o mochilão para a Bolivia e Peru não fizemos nenhuma reserva de hostel e a cada cidade que nós chegávamos era uma emoção encontrar um hostel ainda mais em 7 pessoas. Quase todos os hostel foram de péssima qualidade. Com essa experiencia tomei como lição fazer a reserva de todos os hostel possivel por internet. Antes disso pesquisei no site hostelworld os melhores hostel de cada cidade e fiz todas as reservas por e-mail sem nenhum pagamento antecipado. Assim eu ja tinha o valor exato da diária. Fiquei hospedado em Quito no Hostel Colinial House Quito. O Hostel bem bacana, é em um casarão bem antigo porem muito bem conservado bem limpo e muito bonito. Sua localização é muito boa e fica a 10minutos dos principais pontos turisticos do centro histórico. No primeiro dia peguei um quarto privado pois precisava de espaço para organizar todas as minhas coisas, mas no outro dia ja pegaria um quarto compartilhado. Logo pela manhă pedi informações de como chegar o banco para sacar meus dólares pois ate então eu tinha apenas 1 dólar. Levei o cartão do Itau que possui a bandeira america express e isso foi um pouco chato pois só existia um banco que aceitava. O Banco era (Banco de Guayaquill). Fiz uma caminhada de 20minutos pedi informação para umas 10 pessoas e achei o bendito banco. Sempre pedi informações para Policiais pois estava pedindo de um banco, não queria pedir informação para meu futuro assaltante. O que me deixou muito tranquilo em Quito foi a quantidade de policiais que existe.Estava com medo pois ouvi alguns relatos de assalto. Mas Quito é muito seguro e não tive nenhum problema. Obviamente não dei bandeira e apenas batia fotos em lugares que me sentia mais seguro. Se você der bobeira e ficar expondo seu celular no meio de uma rua movimentada poderá sofrer um assalto sim. Voltei para o hostel e encontrei um casal americano e uma menina do canada que estavam indo para o teleférico, aproveitei e fui junto e dividimos o táxi. A corrida toral era de 5 dólares mas paguei apenas 1.Não sei se seria uma boa ir apé. Se for de ônibus tente não levar muita mochilão e fique de olho pois os ônibus são um pouco cheio. Chegamos no teleférico com o tempo bom e quase ninguém o que era perfeito. A entrada foi de 8,5 dólares. A subida e legal sem muitas emoções. La em cima existe uma trilha que leva perto do vulcão que fica em quito, o tempo estimado e de 5horas. A Idéia era fazer a trilha completa e já testar os efeitos da altitude. Lá em cima é um pouco frio e faz bastante vento então vá preparado. Iniciamos a caminhada e já deu pra notar que era mais complicado na altitude. A Trilha tem pontos de média inclinação mas nada assustador. O Lugar é maravilhoso e isso te faz caminhar além do seu normal. O casal americano voltou rápido, eu aguentei 90% da trilha o que deu quase 4h de caminhada sem contar com o tempo da volta. A menina do canada seguiu, acredito que chegou ao seu destino. Depois do teleférico isso era 14:00 peguei um táxi ate o mercado central e fui almoçar como um cidadão equatoriano. Particularmente gosto de provar comidas diferentes e não tenho muita frescura. O melhor lugar para se conhecer a comida local é o Mercado Público. Dei uma volta pelo mercado e escolhi uma tenda, quase todas fazem a mesma coisa, pedi um prato que se chama Fritada que vem Porco frito,Torresmo,Batata Frita e Milho Frito.Custou 2 dólares. Gostei da comida menos do milho frito. O Torresmo e o porco frito é igual o do brasil sem muita diferença. Saindo do Mercado que fica no centro histórico fui caminhar e conhecer as igrejas e plaza grande.Tudo é muito perto e basta pedir informações para os policiais ou um mapa da cidade. Tem muita coisa para ver pois tudo no centro histórico é bonito. Andei bastante mas não conheci todos os locais até porque eu já estava cansado do teleférico. Porém no final do mochilão eu iria voltar a Quito e ai sim poderia conhecer melhor. A Catedral é fantástica, maior igreja que ja vi, custa 1 dolar para entrar e pode tirar fotos. Também da para subir na torre por 1 dólar. Quando estava saindo encontrei o casal americano e fomos juntos a la plaza grande, bem legal e ainda tem Wi-fi grátis. Depois voltamos para o hostel.Jantei no Hostel e custou 8 dólares macarrão e sopa, bem carinho mas não estava afim de sair para jantar. Tomei uma cerveja 600ml como long neck por 1,5 dolar. Gastos do Dia em Dólar Táxi Ida e Volta Teleférico = 6,0 Hostel = 10,00 Comida = 15,00 Teleferico = 8,5 Janta = 8,0 Cerveja = 1,5 Total: 49,00 BLOG http://mochileiroparasempre.blogspot.com.br/2013/06/quito.html Inicia mais um mochilão Estou partindo as 11:50 de chapecó com destino a porto alegre, depois de la vou para são paulo, lima e por fim Quito. Só vou chegar em Quito amanhã. O voo de Chapecó saiu bem atrasado devido a neblina que cobria a cidade. O Voo para POA foi meio tenso. Logo na chegada ao aeroporto em POA encontrei o Armandinho mas ele nao estava com cara de bons amigos e nao tive coragem de pedir pra tirar foto pois curto muito as musicas dele. Em porto alegre cheguei as 14:00 e o voo pra Sp so sai as 19:10. Aproveitei esse tempo e fui no mercado publico, muito facil ir ate la. O Objetivo era comer um temaki que minha namorada tanto falou. Quando cheguei na tal temaki nao acreditei 6 reais um temaki maravilhoso e mais 7 pila por 10 pedaços de sashimi de peixe branco. Comi 2 temaki pois não e todo dia q se acha por esse valor. Recomendo a todos. O Voo para Sp foi muito tranquilo , saiu no horário e chegou no horário. Nunca vi o aeroporto de guarulhos vazio como agora. O voo para o peru saiu no horário, e a aeronave da Tam me surpreendeu. O problema foi as 5horas de voo.Mas para aliviar era possível assistir filmes nas poltronas pois tinha uma tela individual e varias opções de filme. Chegando em lima fiquei encantado com a qualidade do aeroporto porem fiquei aterrorizado com o preço das coisas. O sanduíche mais barato era 9 dólares e por sinal uma porcaria. Esperei 7 horas naquele aeroporto e não tem nada pra fazer. O voo para quito foi meio turbulento e na hora de pousar foi de dar medo, pois fazia muito vento. No fim ocorreu tudo certo, o hostel mandou um taxi me buscar e cheguei no hostel por 23:00.
×
×
  • Criar Novo...