Ir para conteúdo

Gláucia!

Membros
  • Total de itens

    115
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

20 Excelente

1 Seguidor

Últimos Visitantes

1.090 visualizações
  1. @luana0campos, sim, as single riders são uma baita ajuda na hora de economizar tempo na fila (e é de graça!) Em alguns brinquedos eu entrei direto, porque não havia ninguém aguardando e em outros esperei de 10 a 15 minutos. Se você não se importar de ir separada das pessoas que estiverem lhe acompanhado, então vale a pena. Eu acho que aproveitei bastante, mas se fosse de novo, chegaria mais cedo aos parques e iria embora bem mais tarde. Por isso a minha dica é: tente esticar ao máximo o seu dia, pois isso vai fazer toda a diferença.
  2. Oi @luana0campos Como eu disse no relato, nos parques do complexo Disney há o FastPass, que é gratuito. Nos três parques do complexo da Universal há o Universal ExpressPass, que é pago e que por isso eu não usei. Como fui em junho, mês de alta temporada, as filas estavam gigantescas e a espera para alguns brinquedos era de mais de 1h, mesmo para os mais simples, como Shrek ou encontro com Mickey. A pior fila que peguei foi no Transformers. Foram quase 2h em pé! Não aguentava mais 😒 No mês de maio/2018 eu estive na Universal de Los Angeles e pude ver a diferença da baixa temporada. Não tive que enfrentar fila alguma para entrar no castelo de Hogwarts, nem no Transformers. Tudo bemmm tranquilo
  3. Olá Camila! A localização do hotel que você escolheu é ótima. Na primeira vez que visitei NY fiquei hospedada no Best Western Bowery Hanbee Hotel em Chinatown e não gostei muito porque é meio longe de tudo e a região fica deserta durante a noite. Da segunda vez escolhi o La Quinta Inn & Suites New York City Central Park (quando fui ele se chamava Comfort Inn Central Park West) e adorei, porque fica no Upper West Side, uma área que achei bem mais segura e interessante. Eu sempre utilizei o Booking.com para fazer as reservas em todas as minhas viagens, mas realmente há essa cobrança de impostos que só entra na conta quando você chega ao hotel. Eu tenho pensado em mudar de estratégia e arriscar outros sites, como Decolar.com ou Hoteis.com, pois nestes há a possibilidade de pagar parcelado, em Reais, e com isso evitar a cobrança do IOF sobre o cartão de crédito. O que é uma cacetada no orçamento 😖 Com relação ao clima, o que posso lhe dizer é que peguei um frio terrível no mês de Abril e depois em Maio, então suponho que deva ser ainda mais gelado em Março. No meu relato eu falo um pouquinho sobre o hotel, que é bem antigo e apertado, mas tem uma localização excelente. Ah, cuidado com valores e horários descritos, pois a viagem foi em 2014 e já estão bem desatualizados. Se você tiver interesse, dá uma olhadinha 👇
  4. Olá Kely! Parabéns pelo excelente relato 👍 Li tudinho com atenção, mas tenho uma dúvida e ficaria agradecida se você puder me ajudar. Nas minhas pesquisas, descobri que no Tour à Geleira Perito Moreno, ao invés de fazer o minitrekking, há a oportunidade de participar de um passeio de barco que vai até o lado norte do Glaciar Perito Moreno. Esse passeio de barco é opcional e não está incluído no preço do tour. Será que este passeio de barco é o Ríos de Hielo ou seria o Safári Náutico? São coisas diferentes?
  5. Olá Luisa! Olha, quando eu estou assim sem muitas informações confiáveis acerca de empresas que façam passeios de um dia, sempre recorro ao site da VIATOR. Lá você vai encontrar a opção "Kruger National Park Day Tour from Johannesburg". Aqui está o link: https://br.viator.com/tours/Johannesburg/Kruger-National-Park-Day-Tour-from-Johannesburg/d314-38373P14 A VIATOR é uma empresa intermediária que realiza a ligação entre o turista e a agencia local que vai realizar o passeio. Eu já utilizei os serviços dela para reservar passeios em Londres e Orlando. Deu super certo! Não é barato (como você queria), mas é uma opção válida para que não perca a oportunidade de conhecer o Kruger Park de forma segura. Espero tê-la ajudado ;)
  6. Olá! Olha, para facilitar vou colar um trecho do meu relato 6 dias em Orlando (sem carro) - JUNHO/2016, postado aqui no Mochileiros: 10/06/2016 - sexta-feira Uma das maiores dificuldades que encontrei ao planejar a minha visita à NASA foi obter a indicação de uma empresa confiável que oferecesse transporte até lá. Depois de muitas pesquisas na internet, optei por contratar uma excursão de 1 dia através do site da Viator: ( https://br.viator.com/) Preço - US$ 93.59 por pessoa Inclui - transporte, ingresso, filmes IMAX, todos os shows e exposições, o Hall da Fama dos Astronautas (menos quinta-feira) e passeio de ônibus pela sede de lançamento dos foguetes. A vantagem de reservar com antecedência pelo site da Viator foi que eu já saí do Brasil com tudo pago e definido, por isso não tive que me preocupar com mais nada durante a viagem. Além disso, o valor ficou abaixo dos praticados em Orlando, onde as empresas cobram US$ 104. A contratação pelo site foi muito organizada. Assim que realizei a reserva, recebi um voucher de confirmação com as informações necessárias para que eu entrasse em contato com a empresa responsável pelo passeio: Florida Dolphin Tours. Enviei um e-mail e rapidamente me confirmaram o local e horário exatos de partida. Dica: sempre que você for contratar um serviço no exterior, procure fazê-lo no horário do expediente local, pois poderá entrar em contato imediatamente caso seja necessário. Como o meu hotel não estava na lista dos pontos de embarque, eles me indicaram um hotel alternativo (Rosen Inn International - 7600 International Dr), que era o mais próximo da minha localização. No dia combinado, às 08:15h o ônibus passou no LOBBY do Rosen Inn International. Aviso: você deve esperar dentro do hotel, em frente ao LOBBY, pois é lá que os veículos fazem o embarque/desembarque de passageiros. Eu li o relato de uma turista que aguardou na avenida e foi deixada para trás! O guia responsável era muito animado e prestativo. Ele pediu que o chamássemos de "Red" e distribuiu mapas do Kennedy Space Center, tendo o cuidado de escrever em cada um deles quais as melhores atrações e seus respectivos horários, para que aproveitássemos ao máximo nosso tempo. Além disso, permaneceu o dia inteiro à disposição e sempre se oferecia para fotografar a todos. Logo na entrada alugamos o audio guide, que oferece a narração em português para as exposições do Visitor Complex e do Apollo/Saturn V Center. Valor: US$ 6 cada. Por sugestão do guia, começamos a visita pela atração Space Shuttle Atlantis, que é uma verdadeira aula sobre o programa espacial norte americano e começa com a apresentação de um filme em 360º, mostrando como a espaçonave Atlantis foi planejada. Após as devidas explicações, uma tela sobe e podemos ver a Atlantis de verdade - espetacular! Depois embarcamos em um ônibus para fazer o Kennedy Space Center Bus Tour. Os veículos partem a cada 15 minutos, levando os visitantes às plataformas de lançamento e ao Apollo/Saturn V Center. Atenção: O último ônibus deste tour parte às 14:15h. Eu costumo dizer que uma das coisas que mais me fascinam nas viagens é a oportunidade de ver de perto tudo aquilo que sempre vi apenas por fotos, pela TV ou que aprendi na escola, mas desta vez o motivo foi diferente e especial: meu irmão mais velho nasceu em julho de 1969, mês e ano em que o homem pisou na Lua e, por isso, eu cresci ouvindo a minha mãe falar sobre este assunto. Então, foi incrível conhecer a NASA e poder ver de pertinho tudo aquilo que um dia impressionou o mundo, numa transmissão ao vivo pela TV: os trajes espaciais, o veículo lunar e uma réplica perfeita do Saturn V (o foguete usado nas missões Apollo). Foi sensacional! Como é possível ficar no Apollo/Saturn V Center o tempo que quiser, recomendo que você reserve pelo menos 2 horas para esta parte da visita, ainda mais se for do tipo curioso e interessado em saber os detalhes, pois há muita coisa para ver. Para você ter uma ideia, o audio guide indica quase 20 paradas com explicações sobre: o combustível do foguete, as roupas usadas pelos astronautas, os planos de voo e até uma pedra lunar. Aliás, este é o único lugar do mundo em que você pode tocar numa pedra da lua! Para não interromper o passeio, é possível almoçar lá mesmo no Apollo/Saturn V Center. Nós pedimos Chicken Nuggets with French Fries (US$ 7.79 cada) e comemos nas mesinhas da área externa, apreciando a vista para as plataformas de lançamento do Cabo Canaveral. Depois do almoço, tomamos o ônibus de volta ao Visitor Complex e fomos assistir a um dos filmes 3D no IMAX Theaters. Os cinemas costumam lotar, portanto chegue pelo menos 20 minutos antes. O filme que assistimos falava sobre o ônibus espacial Endeavour, que encerrou suas atividades em 2011, mas cujos últimos quilômetros é que ficaram marcados na memória dos americanos. Isto porque, o ônibus espacial teve que passar pelas ruas de Los Angeles, driblando postes, casas e árvores, desde o aeroporto até o Centro de Ciências da Califórnia, onde está em exposição. Na parte externa, há um jardim (Rocket Garden) com 8 foguetes autênticos de todas as épocas, desde os primeiros anos do programa espacial. É bem legal para tirar fotos! Para encerrar o dia com um pouquinho de emoção, resolvi enfrentar Shuttle Launch Experience, que "promete" ser uma experiência incrível, através de um simulador que envolve os visitantes em imagens, sons e sentimentos como se estivessem em um lançamento de ônibus espacial de verdade. Tem até uma sala de observação disponível para aqueles que não tiverem coragem de experimentar a sensação. Eu estava super empolgada e cheguei a ficar nervosa, mas não acontece quase nada lá dentro! A gente chacoalha um pouquinho e só Por fim, demos uma passada pela loja de souvenirs e acabamos comprando algumas coisinhas, como caneta (US$ 2.99), chaveiro (US$ 5.99) e o exclusivíssimo freeze-dried ice cream (US$ 4.99), um sorvete desenvolvido a pedido da NASA para as missões Apollo. Eu sempre tive a maior curiosidade de experimentar e não perderia esta oportunidade. O interessante, em comparação com os sorvetes normais, é que ele pode ser mantido à temperatura ambiente sem derreter e se dissolve na boca quando mordido, dando a impressão de que você está realmente tomando um sorvete de massa. Incrível! No final da tarde, enquanto aguardávamos a chegada dos outros passageiros, sentamos para tomar um café no Rocket Fuel, o food truck localizado na saída do Visitor Complex. Aliás, com relação às bebidas, aconselho que você carregue sempre uma garrafinha de água vazia na mochila, para ir se abastecendo nos bebedouros ao longo do dia. E isso vale também para os parques, caso contrário, terá que desembolsar quase US$ 4 por cada garrafa. Às 17:00 horas, já estávamos todos dentro do ônibus e prontos para retornar a Orlando. Como o passeio foi realizado em uma sexta-feira, havia muito trânsito nas estradas e a volta foi bastante demorada. Segundo “Red”, isso é comum aos finais de semana, principalmente às sextas-feiras. Espero tê-lo ajudado. Boa viagem e boa sorte
  7. Oi Brunno! Como você mencionou que agora pensa em incluir NY em seu roteiro, vou deixar o link do meu relato sobre a cidade. Espero que possa lhe ajudar:
  8. Continua, continua, continua ...kkk Parabéns pelo ótimo relato e pela coragem de enfrentar uma aventura dessas sozinho. Tenho certeza que esta sua viagem vai servir de incentivo para muitos amigos mochileiros. Abç
  9. Nossa, que maravilha Isa! Parabéns, você escreve muito bem e conseguiu esclarecer muitas das minhas dúvidas com relação à Tailândia. Ameeeeeei as dicas. Muito obrigada por dedicar seu tempo a ajudar os amigos mochileiros.
  10. Olá Brunno! Olha, eu concordo com o Ricardo: cada destino ao seu tempo. Uma visita bem caprichada ao Estado da Flórida vale muito a pena e é bom explorar com calma a região de Miami, Key West e Orlando. Deixe para conhecer a Costa Oeste em outra ocasião. Eu, por exemplo, preferi fazer tudo isso em duas viagens diferentes. Passei uma semana em Miami (2012) e depois uma semana em Orlando (2016). Foi ótimo e deu tempo para fazer muita coisa. Espero tê-lo ajudado. Boa sorte Se quiser dar uma olhadinha nos meus relatos:
  11. É um pouco difícil recomendar certas atividades porque não tenho ideia do seu perfil de viajante. Eu, por exemplo, nunca perco a oportunidade de fazer um city-tour naqueles ônibus de dois andares ou dar uma esticadinha bate e volta para uma cidade próxima. Tudo vai depender da sua vontade e orçamento, então vou dizer o que eu fiz: Para fazer o city-tour, no primeiro dia da viagem fui ao escritório da Gray Line New York e comprei o ticket válido por 48 horas, que inclui um passeio por: Uptown Loop Downtown Loop Brooklyn Loop Night Tour Além disso, ganhei 1 hora no aluguel de bicicletas no Central Park ou Brooklyn Bridge. Uptown, Downtown e Brooklyn Loops são hop-on and hop-off, ou seja, permitem descidas e subidas ilimitadas. Você pode desembarcar em qualquer parada do ônibus ao longo da rota, explorar a região e embarcar novamente em qualquer outra parada. Isto permite que você veja muita coisa em um curto espaço de tempo. É o Uptown Loop que passa pela Columbia University !! Já o Downtown Loop vai no sentido oposto, ou seja, para o sul da ilha e passa por lugares como: Empire State Building, Flatiron Building, Soho, Chinatown, etc. Tem também o Brooklin Loop, que cruza a Manhattan Bridge em direção ao Brooklyn e de onde se tem uma visão incrível. E você pode ainda rever tudo à noite através do Night Tour. Eu aproveitei bem os dois dias de passeio Uma coisa que não vi no seu roteiro foi um espetáculo da Broadway. Há a possibilidade de encontrar ingressos mais baratos nas cabines do TKTS, você só precisa de paciência para ficar na fila e sorte para conseguir bons assentos. Se você não for muito exigente, vale a pena tentar. Quanto ao 4 de Julho, se você quer agito (cidade cheia, muvuca mesmo ... rsrsrs) a opção mais "diferente" seria fazer uma bate e volta até Washington D.C. Tem uma empresa de ônibus chamada Megabus, que comercializa passagens a partir de US $3.00, mas a viagem é um pouco demorada (5h). Eu decidi pegar o trem da Amtrak, já que a duração da viagem é de 3h e 20min, embora o preço seja beeeem mais salgado. Chegando a Washington, fui até o quiosque da Big Bus Tours, que fica dentro da estação de trem, para comprar os tickets para um city-tour pela cidade. Obs.: Eu não fui no Independence Day. Acredito que este dia seja bom apenas para participar da festa, mas não para conhecer a cidade.
  12. Olá Carlos! Olha, eu vou dividir em tópicos os meus "pitacos" para facilitar ... rsrs: 1) Penso que você reservou muito tempo para visitar a Biblioteca Pública e Flatiron Bulilding. Na verdade, a Biblioteca vale uma entradinha para apreciar a imensa quantidade de livros (a não ser que você esteja em busca de algo específico e tenha maior interesse além de turismo) e o Flatiron Building acho que só pode ser observado por fora. 2) Columbia University e Staten Island Ferry estão em lados opostos, pois a Universidade está ao Norte da ilha e o Ferry ao Sul. O ideal é concentrar passeios próximos para não perder tempo com deslocamentos. Normalmente, as pessoas pegam o Ferry quando não têm a intenção de pagar a barca que leva até a Estátua da Liberdade, já que ele é gratuito e faz quase o mesmo trajeto. A estação Staten Island Ferry é bem ao lado do ponto de embarque para a Estátua da Liberdade em Battery Park. 3) Quanto ao Top of The Rock, a minha sugestão é a seguinte: no dia planejado para a sua visita, faça sua reserva on-line logo pela manhã, principalmente se estiver fazendo um belo dia de sol, pois todos terão a mesma idéia. Quando eu fui a NY, sabendo que o pôr do sol só ocorreria por volta das 20:00h, calculei que se chegasse às 18:00h haveria tempo suficiente para comprar os tickets e aguardar o elevador. Acontece que ao entrar na fila logo fui informada de que só haviam tickets disponíveis para o elevador das 22:45h !!! De acordo com as atendentes, quem preferisse poderia adquirí-los imediatamente pela internet utilizando o celular e muitas pessoas começaram a sacar seus aparelhos dos bolsos para fazer a compra ali mesmo, livrando-se da fila. Acontece que em 2014 ainda não era tão comum usar celular durante as viagens e eu não tive como comprar 4) Não sei se você gosta de museu, mas como eu adoro, vou recomendar uma visita ao Metropolitan Museum of Art Preço: US$ 25.00 (Recommended) ATENÇÃO: o preço é “recomendado”, o que quer dizer, não obrigatório. É comum que ao chegarem ao museu as pessoas fiquem na dúvida ou até mesmo envergonhadas em pagar menos do que o recomendado, mas não se acanhe, você pode pagar o quanto quiser ou o quanto puder. Então, você pode dar apenas US$ 1.00 Mas isso eu não quis fazer e também não acho que o museu mereça tão pouco. Fui até o caixa, coloquei uma nota de US$ 10.00 sobre o balcão e pedi 2 tickets. Sem fazer cara feia, a atendente me deu os ingressos e pronto. Simples assim. O guarda volumes para casacos e mochilas também não tem um valor obrigatório e funciona na base da gorjeta. Pode-se obter assistência em português no balcão de informações, situado no saguão principal, assim como o mapa do museu. DICA: você pode acompanhar o Museum Highlights in Portuguese, que é um tour gratuito, guiado por uma brasileira, bom para descobrir de forma rápida e objetiva as melhores peças da coleção do museu. 5) E por fim, mas não menos importante, Natural History Museum. Preço: US$ 22.00 (Suggested) A exemplo do que acontece no MET, aqui o valor de entrada é apenas “sugerido”, ou seja, não obrigatório. Com o pagamento de qualquer valor você terá direito à entrada em 45 salões permanentes do museu e ao The Rose Center for Earth and Space. O atendente foi simpático e apenas me alertou de que se paga uma taxa separada para assistir o show espacial do Planetário Hayden, filmes IMAX® e certas exposições ou programas especiais. Para guardar casacos e mochilas o valor é de US$ 2.00 e mapas do museu são distribuídos gratuitamente no balcão de informações. Espero tê-lo ajudado.
  13. Olá casal! Olha, eu estive em Quito em SET/17 e por isso gostaria de dar umas sugestões no roteiro de vocês: 1. Como a sua chegada à cidade será num domingo, a minha dica é que não deixem de conhecer o Parque La Carolina, pois é justamente aos domingos que a população local se reúne no parque e dá para ter uma noção de como vivem, como se divertem, o que comem, etc. Tem muito movimento, pedalinhos, brinquedos, barraquinhas. É uma verdadeira festa! 2. Eu não sei se vocês curtem - eu adooooro e por isso vou sugerir - um passeio em ônibus doble-decker para um city tour pela cidade. Há uma empresa chamada Quito Tur Bus que faz este serviço. O bom é que o roteiro passa por muitos pontos turísticos e a gente pode ter uma bela visão de tudo num mesmo dia. 3. Outra coisa boa é fazer um passeio a pé pelo centro histórico. A empresa responsável é a Free Walking Tour Ecuador. Todo o trajeto é falado em inglês, leva cerca de 4 horas e não tem preço fixo (cada um paga o quanto achar adequado). Vale muito a pena. 4. Não está explícito no seu roteiro e por isso não custa lembrar: uma visita à Ciudad Mitad del Mundo é obrigatória, né? Espero que vocês estejam pensando nisso! O lugar vale a pena, seja pela história, seja importância geográfica ... ou simplesmente tirar a tradicional foto com um pé em cada hemisfério ... rsrsrs Então é isso. Espero tê-los ajudado. Boa viagem
×
×
  • Criar Novo...