Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

mikecerqueira

Membros
  • Total de itens

    29
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

15 Boa

Sobre mikecerqueira

  • Data de Nascimento 15-01-1994

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    2009:
    Pantanal/Bonito - MS

    2010:
    Brasília - DF
    Mococa - SP

    2011:
    Fortaleza - CE
    Iguatu - CE
    Ilhéus - BA
    Salvador - BA

    2012:
    Campos do Jordão - SP
    Curitiba - PR
    Florianópolis - SC

    2013:
    Belo Horizonte - MG
    Campo Grande - MS
    Cuiabá/Alta Floresta - MT
    Brasília - DF
    Foz do Iguaçu - PR
    Goiânia - GO
    Piraí - RJ
    Rio de Janeiro - RJ
    Salvador - BA
    Ihéus - BA

    2014:
    Porto Seguro - BA
    Porto Alegre/Canoas - RS
    Moscou/São Petersburgo/Yekaterinburg/Novosibirsk/Irkutsk - Rússia
    Ulan Bator - Mongólia
    Pequim - China
    Londres/Leeds/York/Brighton/Cambrigde/Oxford/Edimburgo - Reino Unido
    Paris - França
    Barcelona/Sevilha/Córdoba/Granada/Madrid - Espanha
    Budapeste - Hungria
    Varsóvia/Cracóvia - Polônia
    Malmo - Suécia
    Copenhagen - Dinamarca
    Porto/Coimbra/Fátima/Lisboa - Portugal

    2015
    Nápoles/Roma/Florença/Pisa/Milão - Itália
    Berlim - Alemanha
    Amsterdã - Holanda
    Londres - Reino Unido
    Curitiba - PR
    Florianópololis - SC
  • Próximo Destino
    2015: Colômbia
    2016: Navegantes - SC
  • Ocupação
    Estudante
  • Meu Blog

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. @cedusfarias Que incrível! Aproveite bastante! Eu não precisei fazer imigração em Belarus porque vim da Rússia de ônibus. Quando eu acordei em já estava em Minsk. Só na hora de ir embora que eles não encontraram o carimbo de entrada que eles acharam estranho. Fiquei uns quinze minutos esperando, mas foi tranquilo.
  2. @ekundera Demorei séculos para responder, mas vai que alguém tem a mesma dúvida, né? Subir a pé é mais legal porque você curte o parque e vai vendo a vista pouco a pouco. O teleférico é caro e você nem ganha tanto tempo assim. @misarcinelli Eu não tiraria nenhuma cidade. Minha viagem foi corrida, mas acredito que consegui ver tudo o que eu precisava. Espero que você tenha aproveitado
  3. @Érica Martins Que legal Érica! Muita gente comentou comigo que o interior da Romênia é muito legal. No entanto, foquei somente nas capitais. Mas o bom é que sempre tem uma oportunidade para voltar e mudar as percepções. Precisando de ajuda nas novas viagens, me avise! Abraços
  4. Olá pessoal do Mochileiros.com. Sempre que viajo, consigo dicas valiosas por aqui. Por isso, gostaria de retribuir e contar um pouco do roteiro que fiz no ano passado no Velho Mundo. Nesse post vou fazer um breve relato com os preços e as principais atrações de cada lugar. A vontade é postar várias fotos, mas não quero deixar o post mais gigante do que ele já está. Caso vocês queiram ver mais fotos ou entenderem mais a fundo os lugares que passei, vocês podem acessar o blog http://ontheroadwithmike.wordpress.com/. Também estou completamente a disposição para tirar qualquer dúvida! Explicação do roteiro: No ano passado, eu recebi um convite para participar de uma formatura em Moscou. Desde então, fiquei procurando passagens baratas. Eis que em um belo dia, encontrei um voo de ida e volta para Istambul por R$ 2300, pela Ethiopian. Não hesitei duas vezes, comprei e passei a organizar minha viagem a partir de lá. São Paulo - Istambul - Baku - Moscou - Kazan - Volgogrado - Moscou - Minsk - Kiev - Bucareste - Sofia - Atenas - Istambul Datas 23 de junho e 13 de julho, sendo: 24 - 26 - Istambul / 26 - 27 - Baku / 27 - 29 - Moscow / 29 - Kazan / 30 - Volgogrado / 01 - Moscow / 01 - 02 - Minsk / 02 - 05 - Kiev / 05 - 07 - Bucharest / 07 - 10 - Sofia / 10 - 12 - Atenas / 12 - 13 - Istambul Principais custos Transporte: Voo GRU - IST - GRU: R$ 2300,00 (Ethiopian) Voo Istambul - Moscow com escala de 20 horas em Baku - 92 dólares (Azerbaijan Airlines) Trem - Moscow - Kazan - 2700 rublos (Russian Railways) Voo - Kazan - Volgogrado - 5700 rublos (Aeroflot) Voo - Volgogrado - Moscow - 3550 rublos (Pobeda) Ônibus - Moscow - Minsk - 1500 rublos (Eurolines) Voo - Minsk - Kiev - 74 euros (Belavia) Voo - Kiev - Bucareste - 85 euros (Dniproavia) Voo - Bucareste - Sofia - 60 euros (Tarom) Voo - Sofia - Atenas - 20 euros (Ryanair) Voo - Atenas - Istambul - 71 euros (Aegean) Vários desses custos podem ser menores, caso você vá de ônibus ou de BlaBlaCar os preços podem ser menores. Como estava com dias contados, preferi fazer a grande maioria do preços por avião. Hospedagem: Couchsurfing - Com a exceção de Sofia e Atenas, onde não consegui Couchsurfing. Em Sofia paguei 15 euros por noite em Atenas 25. Gastos Diários: 30 euros diários (Alimentação, passeios e transporte na cidade) - Consegui manter em todas cidades, com exceção de Atenas. Vistos Para entrar no Azerbaijão é necessário tirar visto. O processo é simples e feito pela internet. Há um custo de 20 dólares. Nos outros países, não é preciso visto. Antes de viajar O alfabeto cirílico é sempre uma excelente ajuda na para desbravar a Rússia e os países da antiga URSS. Aproveite a oportunidade para aprender. Relato Aeroporto de Addis Ababa Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/04/17/etopia-aeroporto-de-addis-abeba/ O Aeroporto de Addis Ababa é a porta de entrada para Etiópia e o principal hub da Ethiopian Airlines. Apesar dele estar sempre lotado e ser bastante confuso, é possível se organizar e esperar o voo com tranquilidade. Há espreguiçadeiras espalhadas pelo saguão e algumas opções de comida. O banheiro atrás da verificação de segurança da porta 14 também o mais limpo. Não hesiste de aproveitar as ótimas promoções da companhia. Istambul Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/01/18/turquia-istambul/ Istambul é certamente uma das cidades mais mágicas do mundo. Encontrar a história em cada canto, viver uma cidade cosmopolita e provar uma culinária deliciosa. Fiquei quatro dias e não achei suficiente. Seguem os destaques: 1º dia - No primeiro dia eu foquei no Complexo de Museus Arqueológicos, na Hagia Sophia e no Topkapi Palace. Eu estava com mala, então dei preferência aos lugares próximos. 2º dia - No segundo dia eu fui conhecer a região da Sulamanye Mosque. É certamente a mais bonita da cidade. Perto de lá há cafés com vistas incríveis. Este era o dia do Ramadã e tive a oportunidade de jantar com amigos do Couchsurfing. 3º dia - Já no terceiro dia eu foquei no outro lado do rio. Conheci a região do Moda Park. Bairro cheio de cafés e lojas alternativas. Depois, através o rio e fui para a região do Dolmabahcce Palace. Incrível. 4º dia - No último dia concentrei na região dos bazares. Eles são lindos. Mas caso você queira comprar algo, minha sugestão é que você aproveite as lojas que ficam do lado de fora. Dicas: O transporte na cidade é bastante simples. Estive durante o ramadã e os preços eram ainda menores. De toda forma, abuse da caminhada. Vale super a pena. O ticket de museus é uma boa pedida. Caso você goste de museus, a economia é real. Você gasta o equivalente a 70 reais e consegue entrar em diversas atrações como o Complexo de Museus, Hagia Sophia e o Topkapi Palace. É possível se alimentar bem a preços módicos. Onde tiver bastante turco, entre. Geralmente é uma ótima dica. Do lado de fora do Grand Bazaar tem locais ótimos. Baku Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/01/19/azerbaijao-baku/ Baku foi uma parada devido a um stopover em direção a Moscou. E não tenho dúvidas de que foi uma excelente decisão. A cidade é belíssima e com excelentes opções. Fiquei apenas um dia, mas certamente adoraria ter ficado outro. Organizei meu dia de forma a visitar as principais atrações da cidade. Há um Centro Antigo com um castelo secular, que combina com a nova fase do país. O resultado é uma cidade em crescimento, organizada e que está bastante focada em receber bem o turista. Seguem os destaques: Heydar Aliyev Centre - É um centro multiuso projetado pela Zaha Hadid. Simplesmente incrível. Dagustu Parque - Esse é um parque de origem soviética com vista para toda a cidade. Imperdível Como eu cheguei no meio da madrugada, achei melhor reservar um hostel. Fiquei no Coffee Inn e recomendo muito! Um dos melhores que já fiquei! Moscou Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/01/20/russia-moscou-e-kazan/ Moscou é uma velha conhecida. Já tinha visitado a cidade em outra oportunidade. (Segue post aqui no Mochileiros) e resolvi retornar. Nesta vista foquei em lugares que não tinha ido da última vez. Seguem os destaques: Museu do Cosmonauta - Museu voltado para crianças, mas a arquitetura exterior é impressionante. De lá dá para ir caminhando para o Worker and Kolkhoz Woman. Imperdível também. Metrô - Na minha última visita eu não visitei várias estações. Quase perdi meu ônibus para Minsk dessa vez. Como participei da formatura da minha amiga, boa parte das atrações foi almoçar e jantar com a família e essas coisas a gente acaba não tirando foto ou compartilhando. De toda forma. ainda visitamos a Tetryakov Gallery, passeamos na Praça Vermelha, andamos pela universidade. Não dá para se cansar de Moscou. Kazan Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/01/20/russia-moscou-e-kazan/ Kazan foi uma sugestão de uma amiga. A cidade tem bastante influência europeia e lembra em alguns momentos São Petersburgo. Há diversos lugares para visitar a e cidade é belíssima. Seguem os destaques: Bauman St - Uma das principais ruas da cidade concentra restaurantes, catedrais e leva para os principais locais da cidade. Dá para ir andando da estação de trem. De lá ainda dá para ir para o Kremlin (obrigatório). Park Pobedy - Pegando um tram, você chega ao Parque Pobedy, dedicado para a vitória russa na II Guerra. Lugar muito bonito e ótimo para relaxar. Dicas: Caminhar pela margem do rio também é uma atividade incrível. Artistas, lojinhas e ótimas vistas para a cidade. Volgogrado Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/01/23/russia-volgogrado/ Volgogrado foi certamente a minha cidade favorita. ‘Stalingrado’ respira história e a Segunda Guerra Mundial em todos os cantos. A cidade é cheia de monumentos e estátuas que lembram o horror da guerra. Certamente quero voltar para a cidade. Recomendadíssimo. No roteiro, busquei conhecer os principais pontos da cidade. A dica é seguir o Tram da cidade e descer nas estações. Os highlights são o Museu da Guerra, a Lenin Square e o Motherland Monument. Emoção pura em todos lugares. A cidade ainda conta com restaurantes deliciosos e uma cidade ainda pouco explorada pelo turismo. Motherland Monument Lenin Square Minsk Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/03/05/belarus-minsk/ A capital de Belarus é outra feliz surpresa na viagem. A parada foi originada devido a uma escala, uma vez que não há mais voos diretos entre Moscow e Kiev. Com isso, acabei ficando 1 dia completo na cidade. Tive uma sorte incrível de me hospedar com hosts incríveis do Couchsurfing. A cidade ainda tem bastante símbolos soviéticos e os laços culturais com a Rússia são muito presentes. Não deixe de visitar a Biblioteca Nacional e o Museu da II Guerra. National Library - Tem uma varanda ótima para observar a cidade Museu da II Guerra Kiev e Chernobyl Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/03/10/ucrania-kiev-e-chernobyl/ Kiev é uma cidade que eu já queria visitar há bastante tempo. Quando eu descobri que eu poderia juntar com Chernobyl, ficou mais legal ainda. A parte mais interessante de tudo, é que a Ucrânia é muito barata. Eu queria viver dentro de uma loja do Puzata Hata. Uma rede de restaurantes deliciosa e muito barata. A cidade possui um complexo de igrejas incrível, um monumento da II Guerra que lembra muito o de Volgogrado e comida incrível (vou repetir várias vezes haha). Por aproximadamente 100 dólares, você visita o complexo de Chernobyl. Achei o valor bastante justo. Fiquei impressionado com o local, uma vez que achei que ele estaria mais preservado. Mas a cidade foi completamente saqueada. De toda forma, é uma experiência e tanto. Recomendo! Puzata Hata - Eles deveriam declarar Patrimônio Cultural da Ucrânia hahaha Usina de Chernobyl Kreshchatky Bucareste Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/03/24/romenia-bucareste/ Bucareste é outra grande vontade que tinha de conhecer. No entanto, devo reconhecer que me decepcionei um pouco. Talvez por uma experiência não tão legal no Couchsurfing, mas na realidade acredito que 3 dias na cidade foram muitos. A cidade tem o segundo maior prédio administrativo do mundo (e isso é incrível), alguns parques e inclusive um Arco do Triunfo. No entanto, há muito tráfego e a cidade parece não ter uma identidade muito forte. De toda forma, conhecer é sempre incrível. Super recomendo almoçar no Kara CuBere. Maior cara de tourist trap, mas comida excelente e preço justo. Parlamento Herestrau Park Sofia Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/04/16/bulgaria-sofia/ Sofia foi uma grande surpresa da viagem. Na realidade, eu não estava esperando tanto após Bucareste. Mas descobri um cidade viva, com uma história incrível e uma comida sensacional. A cidade tem grandes símbolos como a Alexander Nevsky Cathedral, mas também feirinhas, igrejas e um museu Soviético incrível. Uma das melhores experiências que tive na cidade foi um Walking Tour de comidas. Recomendadíssimo. Sofia vale muito a pena. Palácio de Cultura Alexander Nevsky Tour de comida em frente a um restaurante Iraquiano Atenas Post com mais detalhes: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2018/04/16/grecia-atenas/ Cidade conhecida por todos. Berço da cultura ocidental. Estava animadíssimo. Mas confesso, que também me decepcionou um pouco. A cidade é caríssima (meu budget foi pra Cochinchina) e não há tantas atrações para o tamanho da cidade. De toda forma, conhecer a Acrópole e comer queijo feta no café da manhã é maravilhoso. Eu certamente quero voltar para a Grécia e explorar as ilhas, mas certamente tendo mais grana. De toda forma, prepare o bolso e aproveite a beleza da cidade. Acrópole: Aos amantes das Olimpíadas, a cidade é um must Espero ter ajudado e inspirado vocês! Estou à disposição para quaisquer dúvidas! Abraços :)
  5. @LF Brasilia Olá LF! Eu não cheguei a olhar para trás para checar se estava sendo seguido hahaha, mas em alguns lugares eu me senti vulnerável. Como a iluminação da cidade é bem ruim e em alguns lugares as calçadas são inexistentes, me senti bastante exposto. Mas nada que uma atenção redobrada não sirva @romualdo.dropa Romualdo, minha média de gastos era de 1000 rublos. Não dá para ter grandes luxos, mas é suficiente Abraços!
  6. @romualdo.dropa Olá Romualdo, como vai? 1. Eu não fiquei direto no trem. Meu maior trecho foi de 42 horas. Dessa forma. não senti necessidade de tomar banho. Caso você encare os sete dias direto, dá para arriscar um banho nas estações. 2. Na Rússia eles não aceitam qualquer moeda que não seja o rublo. No entanto, você encontra casa de câmbio em todos os lugares. Minha recomendação é que você leve euros, geralmente as taxas são melhores. Na China a lógica é a mesma. No entanto, eu já levei a moeda trocada do Brasil. Se tiver mais dúvidas, me avise! Boa viagem
  7. Em Nápoles o pessoal era realmente muito simpática. A pizza que comi no post foi numa mesma mesa com um casal italiano. Eles não falavam uma palavra de inglês, mas me indicaram que cerveja beber, a melhor pizza. Uns queridos. Conforme fui indo pro norte, o contato foi menor e geralmente mais grosso.
  8. O carimbo de turista dá direito de ficar até seis meses, sem direito a trabalho ou acesso a recursos públicos. O oficial da imigração só irá restringir caso ele desconfie de você. Entrei e saí do Reino Unido diversas vezes e nunca tive problema e eles nunca pediram para eu mostrar nada. De toda forma a passagem de volta é mais do que necessária. Ele provavelmente precisará saber se você possui emprego no Brasil ou alguma razão para retornar. Do contrário é bom estar bem preparada.
  9. Olá mochileiros e mochileiras! Como vão? Dando continuidade a outros relatos que estou fazendo aqui no fórum, gostaria de dividir com vocês mais um pedaço da minha viagem: a Itália. Vocês perceberão que tive alguns problemas, mas não deixei de amar o país e é sempre bom ser sincero nos relatos. Já postei no blog os relatos sobre a Transiberiana, Portugal e Espanha e pretendo ainda postar sobre Edimburgo, Berlim e Amsterdã, sempre com preços, dicas e roteiros. (Links na assinatura da postagem) Eu possuo um blog (http://ontheroadwithmike.wordpress.com) onde há mais fotos, detalhes e inclusive todas as viagens que fiz nesses meses. De toda forma, fico a disposição para qualquer tipo de dúvida. A ideia do post é começar com as informações mais gerais e depois ir detalhando. Espero que vocês gostem. Roteiro Edimburgo (onde passei o Ano Novo) – Nápoles (Bate e volta em Pompeia e Costa Amalfitana) – Roma – Florença (Bate e Volta em Pisa) - Milão Datas Janeiro: 03-05: Nápoles | 05-09: Roma | 09-12: Florença | 12-14: Milão Principais custos Transporte Voo Madri – Edimburgo – Londres – Nápoles: €85 Trens Trenitália: Nápoles – Roma: € 9 Roma – Florença: € 9 Florença – Pisa – Florença: €16 Florença – Milão - € 9 Viagens menores: Nápoles – Pompéia: € 3.5 Pompéia – Sorrento: €3.5 Sorrento – Positano – Amalfi – Sorrento: € 1.5 por perna (baixa temporada e dependendo do quão cara de pau você é) Ônibus e metrô nas cidades sempre custam em torno de €1.5. No entanto na maioria delas é possível percorrer as distâncias andando. Hospedagem e Alimentação Nápoles Hospedagem: La Controra Hostel Naples (€16). Simplesmente um excelente hostel com staff educado, quartos amplos e bons chuveiros. As dicas no hostel são excelentes e eles te mostram onde comer adequadamente – uma dica preciosa na Itália. O preço é um pouco mais salgado, mas ainda aceitável Alimentação: Nápoles é uma das cidades mais baratas da Itália e certamente onde melhor se come. Uma pizza napolitana sai por €6 e alimenta bastante. Uma pizza frita custa por volta de €1. Um gelatto sai por volta de €3. Roma Hospedagem: The Yellow Hostel (€11). O hostel é enorme e organizado em vários andares. É um pouco estranho porque a recepção é em um prédio e os quartos em outro, mas nada fora de outro mundo. Não tem fogão na cozinha. No enquanto o staff é ok e as áreas comuns são boas. Alimentação: Espere pagar a partir de €12 euros por um menu completo. O atendimento é sempre horrível, mas dependendo do lugar a comida compensa. Dica: Gelateria La Romana, melhor gelatto da viagem. Florença Hospedagem: Hostel 7 Santi (€11). Ele é localizado um pouco distante do centro e parece um hospital. O atendimento é bem grosso, mas os quartos são enormes, o banheiro excelente, tem videogames e o café da manhã e o jantar são ótimos e baratos (€3 e €7 respectivamente). Recomendo. Vale relembrar que na Itália algumas cidades cobram taxa de turismo – em Roma era €3 por noite e em Florença €1 por noite. Alimentação: Na cidade comemos apenas um calzone e uma massa e gastamos respectivamente €7 e €12 – o que é relativamente caro. Em Pisa comemos em um restaurante bem gostoso, mas gastamos quase €17 no almoço – o que não valeu o que foi pago. Milão Hospedagem: Hostel 3 (€12). É um hostel localizado na parte norte da cidade e que era o único barato. Os quartos são apertadíssimos, não há qualquer conforto e não me senti muito seguro. Não recomendo Alimentação: Espere pagar €12 por uma refeição completa, mas na cidade acabamos ficando com uma pizza, kebabs e cafés da manhã saudáveis, que ficaram entre €4 e €7. Visto Brasileiros podem entrar como turistas e ficar até três meses. Como estava no Reino Unido e fora do acordo de Schengen houve a necessidade de conferência de passaporte e carimbo. O agente da imigração ao ver que era de São Paulo ficou super feliz e disse que tinha vários italianos em São Paulo e que ele queria conhecer e acabou carimbando meu passaporte sem fazer nenhuma pergunta. Quando ele se tocou ele olhou para mim e para o passaporte e deu um bem-vindo: P Antes de viajar A Itália é um país bastante bagunçado. Os metrôs de Nápoles e Roma são péssimos e as pessoas são realmente grossas e pouco gentis. O inglês não é regra em todos os lugares, mas dá para se virar. Relato: A Itália era certamente um dos países que eu mais queria visitar. Famosa por sua gastronomia, história e arquitetura assim que soube da oportunidade de fazer intercâmbio em Londres coloquei a Itália como um dos meus roteiros. Dentro de dez dias, tentei encaixar a maior diversidade possível do país e como planejei com antecedência consegui bons preços. Apesar da minha pequena birra com a desorganização do país e com a grosseria deles, a Itália é um país apaixonante e a Costa Amalfitana foi o lugar mais bonito que estive. No post vocês também vou postar links para os relatos no blog, onde vocês acham informações mais detalhadas e mais fotos. Nápoles, Pompéia e Costa Amalfitana Link para o relato: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2015/05/21/mochilando-na-europa-napoles-pompeia-e-costa-amalfitana/ Sair da organização de Londres e chegar em Nápoles é certamente um choque. As casas antigas, a presença quase onipresente de africanos e descendentes nas periferias, o aeroporto desorganizado..., mas é tudo muito gostoso. A cidade é muito charmosa e possui vistas maravilhosas para o mar e para o Vesúvio. Nápoles é sem sombra de dúvidas minha cidade favorita na Itália. A comida é excelente e barata e as pessoas são mais simpáticas. Lá também é a partida para Pompéia e para a Costa Amalfitana, duas paradas obrigatórias no país. O sistema de metrô da cidade é horrível, mas é fácil se localizar. Locais Visitados: Praça Emanuelle – A entrada para o centro histórico da cidade, onde estão os becos mais charmosos e os melhores restaurantes. No entorno há também várias lojas e é uma ótima pedida sair andando pela região. Conforme você vai subindo, você tem visões belíssimas da cidade. Metrô de Nápoles – O metrô de lá apesar de ineficiente, é belíssimo, não deixe de descer em algumas estações e se impressionar Pompéia – Uma parada obrigatória. É como entrar numa máquina do tempo. Bastante informações em inglês. Não alugue um guia, perda de dinheiro. Costa Amalfitana – Só de pegar um ônibus até Amalfi e voltar para Sorrento vale a pena. O caminho é o mais belo do mundo. A cada curva eu ficava em choque com a beleza da paisagem. É algo simplesmente indescritível. Pegar um ônibus com essa vista não é todo dia né? Positano e Amalfi – Parei nas duas cidades e foi bem gostoso. Provei deliciosos gelattos em ambas. As cidades são bem pequenas, mas são muito gostosas para passar a tarde. Não deixe de explorar as lojinhas – caras, mas belíssimas. Roma Link para o relato: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2015/05/27/mochilando-na-europa-roma/ Roma é uma parada obrigatória. Certamente uma das cidades mais conhecidas do mundo e uma das mais belas. Tudo é simplesmente impressionante. A sensação de viver a história que se sente em Pompeia, volta com força aqui e conhecer os monumentos é emocionante. No entanto, nem tudo são flores. A cidade é bagunçada, o metrô é nojento, há taxa de 3 euros por noite e as pessoas são grossas. Ainda assim, Roma é mais que especial. Locais visitados: Coliseu – Parada obrigatória da cidade, mas não entrei. Achei muito caro. Dê uma olhada no Arco de Constantino e no Fórum Romano. É bem emocionante. Monumento a Vittorio Emanuelle – Simplesmente um dos monumentos mais belos da cidade e que permite uma vista gratuita maravilhosa! Praça e Catedral de São Pedro – Fomos com o objetivo de ver a Missa de Reis, mas como meu amigo atrasou acabamos não entrando. De toda forma, o Papa saiu pela janela e foi bastante emocionante. A Catedral é maravilhosa e mais impressionante do que imaginava. Não deixe de subir na cúpula, a vista de Roma é imperdível. Castelo de Sant’Angelo – Apesar de não ter entrado, ele fica próximo ao Vaticano e numa região muito bonita. As pontes que cortam o Rio Tibre são maravilhosas e valem a visita Museu do Vaticano – Programação para o dia todo. Não pode sair de Roma e não ver a Capela Sistina. Dentro do museu há ainda obras de Matisse e Dali, o que foi muito interessante. Panteão – Outro grande símbolo da cidade. Acabamos não indo na Vila Burghesi – por falta de tempo – e na Fontana di Trevi por estar em reforma. De toda forma, fica para uma próxima. Via de Croci – Esse é um dos passeios mais legais de se fazer na cidade, uma vez que você aluga uma bike e cicla pela avenida pavimentada mais antiga do mundo. É maravilhoso. Florença e Pisa: Link para o relato: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2015/05/31/mochilando-na-europa-florenca-e-pisa/ Florença é uma parada obrigatória para quem gosta de artes. A cidade é o berço do renascimento e guarda diversas obras primas da época. Além disso, seus becos, seus museus são maravilhosos. Peguei um clima bem ruim na cidade e o meu hostel era um pouco distante, mas nada que impedisse de sair explorando tudo. A cidade também é ponto de partida para Pisa, que fica a apenas uma hora de trem. A cidade de Pisa tem basicamente a torre, mas é gostosa de se passear também. Locais visitados: Catedral de Florença – A igreja é belíssima e bem diferente da arquitetura em outras cidades. Belíssima. Não deixe de entrar nela Davi de Michelangelo – Ver essa obra prima ao vivo é obrigatório. Não deixe de ir Galeria Uffizi – Obras primas de Boticelli e Da Vinci. Reserve pelo menos uma manhã Torre de Pisa – Não deixe de fazer as fotos hilárias por lá. É bem divertido. Milão Link para o relato: https://ontheroadwithmike.wordpress.com/2015/06/08/mochilando-na-europa-milao/ Milão foi a nossa última parada e foi escolhida por ter o voo mais barato para o nosso próximo destino: Berlim. No entanto, apesar das pessoas falarem que a cidade não tinha nada para fazer, nos surpreendemos. A cidade é organizada e tem vários lugares a se visitar. Foi certamente uma das cidades mais gostosas para se sair andando. O sistema de transporte também é maravilhoso e há inúmeras opções de compras na cidade. Locais visitados: Estação Central – A chegada na cidade já é surpreendente. A estação central é uma das mais bonitas da Europa. La Duomo – Uma das catedrais mais bonitas da Europa. O seu entorno é cheio de lojas e boas gellaterias. Não deixe de explorar. Cenáculo Vinciano – Nele está a Santa Ceia do Da Vinci. É emocionante. Não deixe de reservar com antecedência seus ingressos. Espero que vocês tenham se inspirado e que possam ter uma ideia melhor ao se planejarem para a Itália. Fico a disposição para quaisquer dúvidas – seja por aqui, seja no blog! Um grande abraço!
  10. Acabei lendo seu relato antes de ir pra Coimbra e como nao tinha outra recomendaçao de restaurante, optei por conhecer a Tasquinha. Tenho que dizer que valeu MUITO a pena. O dono é quem vem te atender e é super atencioso. A comida é muito bem servida e muito gostosa Obrigado pela dica. Eu amei tanto esse restaurante que prometi que vou indicá-lo para todo mundo! A equipe inteira do restaurante é um amor. Eu estava sozinho e a comida serve para três. Quando terminei eles oferecem mais! Que bom que você visitou
  11. Ir de São Paulo para o Ceará é um pouco impossível rs. O que dá para você fazer é ir para Vitória e pegar um trem até Belo Horizonte. (O que não ajuda em nada seu roteiro). Um roteiro legal é ir pela BR 101 e ir subindo pelo litoral até Ilhéus. Chegando lá entre no sertão da Bahia - é lindo - e então siga viagem para o Ceará.
  12. Hostel barato em Londres é realmente um desafio. Os que são mais em conta geralmente ficam nas zonas 3 e 4 - o que significa um aumento no custo de deslocamento caso você use metrô. Eu gosto de dois hostels que ficam na Zona 1 e 2 respectivamente e que são bem conectados. Se você ficar de olho sempre aparece algumas promoções: Ele fica no coração de Londres. Dá para ir andando para a Oxford Street (e para a Central Line), para Baker Street (Jubilee, Victoria e Circle Line) e perto dele tem várias atrações. O preço não é tão camarada, mas talvez seja uma boa. http://www.hostelworld.com/hosteldetails.php/Smart-Russell-Square/London/29412?dateFrom=2015-06-19&dateTo=2015-06-22 Esse está um pouco mais em conta, mas fica um pouquinho mais longe. Ele fica na Hammersith and City Line e na Picadilly Line. Ou seja, em minutos você está em todos os lugares: http://www.hostelworld.com/hosteldetails.php/Abercorn-House-Hostel/London/34216?dateFrom=2015-06-19&dateTo=2015-06-22
  13. Olá Julia! A Taylors é excelente! Por 5 euros você conhecer a vinícola inteira e ainda tem prova de três vinhos deliciosas. A vista é deslumbrante! Recomendo!
  14. Excelente relato! Bastante útil saber os preços das atrações e a questão dos relatos!
  15. Olá Priscila! Minha experiência com trens na Europa é que comprar antecipadamente garante bons preços e a reserva naquele horário. Especificamente na Espanha só viajei de ônibus e foi bem fácil e confortável. Vai da sua necessidade. Do contrário, todas as estações possuem máquinas de autoatendimento e se virar nelas é bem simples!
×
×
  • Criar Novo...