Ir para conteúdo

leninavelloso

Membros
  • Total de itens

    24
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Esse é o relato de uma viagem meio inesperada! Três dias em Miami, na Flórida, para fazer o enxoval da minha bebê! Pouco planejamento, mas muitas descobertas que divido agora com vocês! O relato completo, com a lista de compras com tamanhos e quantidades de roupinhas, além de fotos, está no meu blog, para quem quiser dar uma olhadinha: http://www.porquetodefolga.blogspot.com.br PRA COMEÇO DE CONVERSA... QUEM SOU EU: Começo com aquela introdução que sempre faço no início dos meus relatos e que justificam tudo o que vem a seguir. Sou uma pessoa que AMA viajar, mas NUNCA pra compras. Defendo o turismo como forma de crescimento cultural e pessoal, todas minhas viagens, até então, tinham sido com esse objetivo. Isso até descobrir que estava grávida! Tenho 32 anos, sou casada e eu e meu marido tínhamos acabado de voltar da nossa primeira viagem para Europa quando soube que estava grávida! Num primeiro momento, nem pensei na possibilidade de fazer meu enxoval nos EUA pois tínhamos acabado de voltar de férias... não teríamos nem tempo e nem dinheiro pra outra viagem! Depois, pesquisando os (malditos) preços brasileiros das coisas que eu iria precisar, vi que seria vantajoso fazer umas horas extras no trabalho pra conseguir uns dias de folga e gastar as economias que tínhamos para fazer essa viagem que encarei como uma necessidade! Um tipo de viagem que não combina comigo, mas que seria uma exceção pela economia que ela iria representar a médio prazo! VALE A PENA? Essa é a pergunta que me fazia no começo, antes de decidir que iria mesmo embarcar. Tanta gente não tem essa possibilidade e está aí, com o enxoval preparado para a chegada do bebê! Essa pergunta ficou ainda mais intrigante pra mim pelo período em que eu estava pesquisando sobre a viagem, meses em que a alta do dólar batia recorde em cima de recorde. Ainda assim, por duas coisas que eu fazia questão de ter pra minha filha - um bom carrinho de bebê e uma babá eletrônica com monitor - minha pergunta era respondida: sim, vale a pena! Compare o preço desses produtos no Brasil com o valor que se paga nos EUA pela Amazon. Se restar alguma dúvida - como pra mim ainda restava, já que não curto essa coisa de compras - vale uma lida nesta reportagem. Em resumo, ela diz que é preciso que o dólar seja cotado a R$ 14,00 para que passe a não valer a pena esse tipo de viagem. Dá raiva né? Mas é a real, infelizmente! Claro que NADA na vida se aplica igualmente a todas as pessoas, a todas as realidades. Mesmo sendo vantajoso, é uma grana que se gasta para fazer valer a pena, já que se você ficasse por aqui iria comprando aos poucos o enxoval, mês a mês, conforme a necessidade... de lá, para compensar, você já vai trazer tudo o que o bebê vai precisar pelos próximos 12 meses. Então tem que pensar nisso... é um dinheiro considerável que vai de uma vez, em compensação é uma economia que você vai fazer durante um ano inteirinho depois do nascimento da criança! Por isso considere todos os fatores antes de responder a essa pergunta, ela é única para cada um, como tudo na vida! Minha resposta foi que, no meu caso e do meu marido, valeria a pena, como realmente valeu! POR QUE MIAMI? Pelo que pesquisei e por aquilo que sempre ouço de gente que curte esse tipo de viagem de compras, Miami e Orlando são os lugares onde mais vale a pena comprar nos EUA. As taxas são praticamente as mesma, a oferta de lojas é praticamente idêntica (não sou eu quem está dizendo isso, sou um zero a esquerda pra compras em geral, mas especialistas me garantiram isso mais pra frente explico quais especialistas são essas). Escolhi Miami primeiro porque nunca tinha ido para lá, seria mais uma cidade para eu saber como é. Segundo porque sofreria muuuuito em voltar para Orlando sem ir nos parques e, mesmo que fosse e algum, não poderia me esbaldar nos brinquedos radicais! Para uma viagem meramente de compras, considerei Miami mais adequada para mim! COMO FAZER VALER MAIS A PENA O VÔO: Guarde milhas no cartão de crédito se pretende engravidar! Difícil né, afinal, nem toda gravidez pode ser super planejada, a minha veio num momento em que eu não esperava e num período em que as passagens aéreas estavam uma fortuna por conta da alta do dólar. Resultado: para valer MAIS a pena era melhor que só eu ou meu marido viajássemos (depois vou fazer um tópico só disso). Foi só assim para conseguirmos ter ZERO gasto com passagem aérea! As milhas só davam pra um! Pegamos meu bilhete pelo clube de vantagens da TAM e, ainda assim, aos 45 minutos do segundo tempo! Compramos só duas semanas antes do embarque, que foi quando surgiu uma boa promoção! Passagem de graça ou beeeem baratinha é essencial para fazer valer MAIS a pena! A HOSPEDAGEM: Ok, Miami é sensacional para passear, ficar num resort a beira da praia, com tudo que se tem direito! Mas, como disse, para fazer MAIS a pena essa não deve ser uma viagem de lazer! É claaaro que os endinheirados podem - e devem - ficar vááários dias lá e aproveitar para curtir. Not my case! Tínhamos acabado de voltar das férias na Europa e colocar na cabeça que seria uma viagem exclusivamente de compras me ajudou a nem pensar em turismo! Sendo assim, reservei meu hotel pela Decolar.com, como sempre faço, mas desta vez, nos "filtros"que o site oferece para classificar sua busca eu escolhi "compras". O que mais apareceram foram hotéis próximos ao aeroporto, que realmente têm o melhor preço e mais facilidade pra quem viaja exatamente pra isso. São muuuitos hotéis nesse estilo em Miami com preços bem parecidos. Os critérios que usei para escolher o meu foram os seguintes: 1) procurei um hotel de rede, o que fazia com que fosse mais confiável; 2) com transfer gratuito do aerporto, algo importantíssimo para quem não vai alugar carro desde o primeiro dia; 3) wi-fi free (todo gasto extra tem que ser eliminado, logo, habilitar internet no exterior é algo que eu sempre descarto). Foi assim que escolhi o Holiday Inn Internation Airport Hotel. Por três diárias, paguei um total de U$ 251,16. PLANEJAMENTO O ENXOVAL: A definição do destino, a passagem aérea, a hospedagem... tudo fácil até então, tudo dentro daquilo que eu já conheço, já sei como é! Já a partir do momento em que tive que focar no objetivo da viagem, a coisa complicou! Como já disse, sou totalmente contra o consumismo, não ligo pra marcas, tendências, tecnologias, modinhas... e para complicar ainda mais, não tinha a mínima noção do que um bebê poderia precisar, tipo, na prática! Mãe de primeira - e única! - viagem totalmente sem noção!!! Comecei a pesquisar, ler listas de enxovais, relatos de blogs especializados e de cara me dei conta de que aquilo exigiria de mim um "estudo" profundo para conhecer bem cada produto e planejar o roteiro de compras de forma que a viagem realmente valesse a pena! Exatamente como uma viagem de turismo, em que você lê sobre o lugar, pesquisa sua história, descobre o que ele tem de bom para ser visitado, os melhores dias e horários para ir a cada ponto turístico, os passeios que fogem do roteiro óbvio mas que valem a pena, o dinheiro que se gasta em cada atração, o deslocamento de um lugar para outro, enfim, todo o roteiro. Coisa que eu amo fazer! Para mim, esse planejamento já é parte da viagem, vibro demais com isso! Já tem gente que não gosta ou tem preguiça de planejar esse tipo de coisa, gente que prefere viajar com tudo na mão, que prefere ser levado nos lugares sem ter que fazer nada por conta própria... para isso, contratam agências de turismo, compram pacotes prontos, embarcam em excursões ou dependem totalmente de um guia de turismo. Normal, cada um tem seu estilo! No caso de uma viagem de turismo eu não faria isso nem em sonho, maaaas... e para as compras? Como eu faria um planejamento preciso, sendo que não curto fazer isso??? Desde sempre eu já sabia: não quero me tornar especialista em bebês ou nesse mundo da maternidade em que se tem que saber se o bico "x" da mamadeira "y"é o mais adequado ou se a roupinha "z" para usar aos dois meses e meio é mais indicada do que a roupinha "w"... isso não é pra mim, com certeza na prática vou aprender isso tudo, mas pesquisar antes para fazer as compras certas... ah, pra isso eu não tenho saco! Só queria poder ter o melhor e, de preferência, o mais barato para minha filha, sem essa trabalheira de ter que quebrar a cabeça com o assunto! Achei que, ao contrário dos roteiros de viagem que faço e me acrescentam e muito, um roteiro de compras seria algo desgastante demais para mim! Solução: assim como muita gente contrata agentes de turismo, contratei um serviço que eu nem sabia que existia mas que caiu como uma luva pra mim: uma empresa de "personal shopper", um serviço de consultoria especializado em compras de enxoval! Foi ao pesquisar listas de enxoval na Internet que eu vi que esse é um serviço bem comum não só para mães preguiçosas, como eu, mas para aquelas que querem praticidade e os melhores preços nas compras! MOMMY'S CONCIERGE: Vi o anúncio da Mommy's Concierge em um blog, pedi um orçamento e percebi que, para mim (lembrando SEMPRE que isso vai de cada um), valeria muito a pena! Como funciona: é uma empresa com consultoria em compras de enxoval nos Estados Unidos, é algo bem específico, por isso, bem personalizado! Oferece vários tipos de pacote de acordo com aquilo que você pretende comprar e depois formata para que fique tudo com a sua cara, seu estilo! Como eu viajaria para comprar só o basicão, escolhi um pacote simples de dois dias de compras. O melhor de tudo, para mim: não tive que montar lista de enxoval e nem descobrir sobre as marcas, a importância de cada produto e onde era o melhor lugar de comprar cada um deles. A consultora fez uma reunião comigo via Skype e, a partir do meu perfil, montou uma lista pra mim! Também já me mandou os links dos produtos que sairiam mais baratos comprando antes pela Internet. Ah, isso é muito importante: a consultora fornece o endereço dela mesma para entrega! Normalmente, as mães fazem isso dando o endereço do hotel onde estão hospedadas, que muitas vezes pode cobrar por pacote, fora o risco de ter controle do que foi realmente entregue, enfim. Com essa empresa o serviço é incluso e vc fica bem mais seguro em relação à entrega (vou falar disso mais a frente). Outra coisa muito boa: a consultora te pega no hotel, vai às compras com você e te leva de volta. Perfeito para mim que estaria sozinha e não teria também que pensar em endereços de lojas, deslocamento, nada! Mais uma coisa muito maravilhosa: não ter que ficar caçando nos sites das lojas ou shoppings os cupons de descontos, imprimindo, entendendo como usar, etc. A consultora já leva mil cupons desse tipo que dão um desconto muito maior do que se você imprimisse todos os cupons a que tem direito, afinal, elas estão nessas lojas todos os dias e ganham muitos cupons. Só isso já paga o valor cobrado por esse serviço de personal shopper! Achei tudo isso bom demais e, depois que fechei com a Mommy's Concierge, não precisei pensar em mais nada! Claro que conversei com algumas amigas que são mãezonas (principalmente com a Giovanna que é exemplo de mãe consciente sobre o não-consumismo desenfreado nessa vida, obrigada Gio!) e também dei uma lida em algumas coisas para não chegar lá muito perdida... mas foi só mesmo pra ter uma noção! Algumas das melhores dicas que encontrei estão aqui, aqui e aqui (nesse último tem algumas coisas com as quais não concordo, mas é bom porque tem links dos produtos pra vc ver)! Enfim, dei uma olhada nas coisas de forma geral, mas deixei tudo por conta dessa empresa de consultoria que achei uma baita mão na roda pra mim! Até parece coisa de gente fresca né, esse negócio de "personal shopper", mas no meu caso foi mesmo coisa de gente que quer mais agilidade e menos frescurites! No dia-a-dia do relato conto mais detalhes de como foi! O QUE COMPREI ANTES: Como disse, fui fazer um enxoval básico. Há uma infinidade de produtos que podem ser comprados antes pela Internet, que saem mais baratos e representam mais praticidade do que se comprados lá nas lojas físicas. Eu comprei antes, para ser entregue para a consultora, o carrinho de bebê, o bebê conforto, a babá eletrônica e o termômetro de testa. Foi a própria Mommy's Concierge que já me passou os links das marcas e modelos recomendados para mim de acordo com o que ficou definido na reunião via Skype, nem isso precisei pensar! VIAJANDO GRÁVIDA: Se a gravidez não for de risco e não tiver complicações, como - ainda bem - não é meu caso, não há problemas em viajar pra longe. Meu médico recomendou que eu fizesse isso antes de completar 28 semanas de gestação. Viajei na vigésima quarta semana.. Para não ter problemas, é bom consultar a companhia aérea que normalmente tem políticas específicas para autorizar a viagem de gestantes. No caso da TAM a norma é essa aqui, então não tive que comprovar nada. Mesmo assim, levei na bagagem de mão meu último ultrasson, que comprovava a idade gestacional, mas nem me pediram! Como já estava de seis meses, para evitar o risco de trombose por conta da pressão do avião e do tempo sentada, meu médico pediu que eu colocasse aquelas meias tipo "kendall" no vôo e tomasse uma injeção sei lá do que antes de embarcar, tanto na ida quanto na volta. Super tranquilo, não senti nada de diferente no vôo por estar grávida, tirando o cuidado de caminhar às vezes no avião para esticar as pernas, foi uma viagem como qualquer outra, nada diferente! VOCÊ VAI VIAJAR SOZINHA? "Sua louca"! Era a exclamação que vinha depois dessa pergunta que todo mundo me fazia! Minha resposta, precedida e seguida de uma gargalhada era: "Adoro chocar"! Hahahahah! Não era pra ser algo chocante o fato de eu viajar sozinha para comprar o enxoval, mas é normal que as pessoas estranhem... até condenem! Eu, que já estou acostumada a ser julgada, condenada, crucificada por tantas coisas nessa vida (e nessa gravidez!), já apertei o f*%@-se faz tempo! Sabia que só estava indo sozinha porque tinha total e completa condição pra isso, sem colocar em risco nem a minha saúde e nem da minha bebê. Meu marido também sabia disso, caso contrário ele jamais teria concordado com isso! Mesmo assim, poucos dias antes do embarque, essa condenação descabida das pessoas pesou para ele... Sei que ele jamais se perdoaria caso algo desse errado, apesar de nós dois estarmos certos de que tomamos todas as providências para que fosse perfeito! Por isso, peço licença para abrir aqui um parênteses e agradecer meu marido por ter confiado a mim essa missão tão importante! Sei (pelos absurdos que ouvi) que muitos maridos não "permitiriam" isso. Como se, ao casar com alguém, passasse a ser necessário ter esse tipo de permissão. Sei que muitos subjulgariam a capacidade das esposas de se virarem sozinhas, longe de casa. Como se alguém precisasse de outra pessoa, que não de si própria, para dar conta das coisas. Eu me dou muito bem comigo mesma rsrsrs e gosto mesmo de estar sozinha de vez em quando, por que não viajar sozinha para economizar??? Agradeço por ele confiar que eu não abusaria tentando carregar malas pesadas ou algo do tipo, por ele saber que eu teria total condição de lidar com tudo o que pudesse acontecer, por ele saber que - estando ele comigo ou não - vou fazer sempre o meu melhor pela nossa filha!!!! Viajar sozinha - além da economia, que foi o único motivo de ele não ter ido junto - representou muito pra mim. Como se fosse um exemplo que eu e ele damos à nossa Luísa, antes mesmo dela nascer, de que toda mulher pode e deve ser independente, dar a cara a tapa, saber se virar! Seja o que for que os outros digam! A VIAGEM TAM INTERNACIONAL: Nunca tinha ido para fora do país de TAM e achei todo serviço muito bom, a começar pelo check-in. Antes mesmo de eu falar, ao olhar meu barrigão, a atendente já me falou que estava me colocando num assento preferencial, com mais espaço! Embarquei no grupo "A", os primeirões a entrar no avião, tive prioridade total em tudo! Achei o serviço de bordo muito bom, o vôo super tranquilo, nada a desejar de outras companhias aéreas com vôos internacionais. Na volta me dei melhor ainda, fiquei naquela parte da frente do avião, não era primeira classe mas também não era aquele aperto da classe econômica, devia ser tipo classe executiva... só sei que era bem confortável e, pra melhorar, a poltrona ao meu lado veio vazia, pude vir quase deitada na volta pra casa! Tive sorte! Como diz uma conhecida que eu admiro muito: "eu tenho mais sorte do que juízo"! Hahahaha adoro! HOLIDAY INN INTERNATIONAL AIRPORT HOTEL: No aeroporto de Miami é bem fácil achar o lugar onde passam os ônibus e as vans que fazem o transfer de graça para os hotéis. Todos os veículos são identificados com o nome do hotel e o meu não demorou a passar, esperei menos de dez minutos! Do aeroporto até esse hotel a distância é super curta, mais dez minutinhos já estava lá! Quando fiz a reserva, já sabia que o check-in era a partir das 15 horas e eu cheguei lá às 7 horas da matina! Ía pedir só pra deixar as malas lá e ir às compras, mas me deixaram fazer naquela hora mesmo o check-in! Foi ótimo porque pude tomar um banho antes de sair! Apesar de ser um dos hotéis mais baratos que encontrei, o atendimento é ótimo, as instalações são muito boas, grandes, limpas, o quarto também é espaçoso, o chuveiro é bom, tem secador de cabelo potente (super importante para a grávida que não pode fazer escova progressiva antes de viajar hahahah), o café da manhã não era incluso, mas você pode pagar um buffet a parte por U$ 11, o wi-fi free tem sinal bom em todo lugar... pra mim foi perfeito, pra que mais que isso numa viagem de compras??? PRIMEIRO DIA DE COMPRAS O SERVIÇO DE CONSULTORIA: A Patrícia, consultora da Mommy's Concierge, foi me buscar no hotel já com algumas das encomendas que comprei pela Amazon.com, como o bebê conforto e a babá eletrônica. Aproveito, aqui, para contar a complicação que tivemos com os correios, que fez com que o carrinho não fosse entregue no endereço que eu pedi ao fazer a compra! A Patrícia teve que ir buscá-lo no dia seguinte em um posto dos Correios pra mim! Imagina se eu tivesse pedido pra fazer a entrega no hotel??? Nunca conseguiria descobrir que havia tido um problema com os Correios, jamais saberia ir a um posto dos Correios retirar a encomenda, nossa, foi uma complicação para que a empresa de consultoria resolvesse isso pra mim, coitadas das consultoras! Dei um trabalhão pra elas, mas foi perfeito ter o serviço da Mommy's Concierge para resolver isso pra mim, se não fossem elas eu estava ferrada! Enfim, solucionado esse impasse, saí às compras com a Paty. Ela é uma fofa, uma querida! Entendeu direitinho meu jeito de ser, o que eu queria, minha intenção de fazer a coisa de forma prática e meu total desconhecimento sobre enxoval de bebê, hahahah! BUY BUY BABY: Nosso primeiro destino foi a loja "Buy Buy Baby", onde compramos a maior parte dos produtos do enxoval. Em resumo, esse primeiro dia de compras foi pra comprar mamadeiras, chupetas, acessórios, brinquedinhos, pomadas, enfim, os produtos que não eram roupinhas! Quando entrei na "Buy Buy Baby", uma super loja bem no estilo megalomaníaco dos americanos, agradeci aos céus por ter a Patrícia comigo! Só a prateleira de "bicos pra mamadeira" já era infinita!!!! Se eu tivesse que "me achar"ali eu ía levar o dia todo! São muuuuitas opções, muitas marcas, muitos tamanhos, uma infinidade absurda de produtos! E eu tinha que comprar mamadeiras e bicos para os primeiros doze meses da minha bebê, para valer a viagem! Com a lista da consultora ela já indica quantidades e tamanhos que vou precisar de cada coisa, só fui escolhendo as cores conforme ela ía pegando os produtos e me explicando para que serviam, por que eram os melhores no custo-benefício e por que eu iria precisar! Perfection! Rodamos a loja inteira fazendo isso, depois das mamadeiras e chupetas fomos pra parte de brinquedinhos de banheira, de pendurar no carrinho, coisas para o carro, bolsa de fraldas, canguru para carregar o bebê, móbile e coisas de berço, pomadas, cremes... aliás, na parte de cremes, ela - que já tinha entendido que eu não ligo nem um pouco pra marcas - me deu uma super dica para substituir o tal creme Mustela, para prevenir estrias, por um outro que era infinitamente mais barato da Palmer's e, segundo ela, tem o mesmo resultado! Esse é meu mundo!!! Tudo o que eu queria! Bom, adiantamos MUITA coisa na "Buy Buy Baby" com uma super agilidade, sem enrolação, do jeito que eu esperava que fosse! Afinal, eram produtos que eu iria precisar e pronto, não tinha muito o que escolher ou ficar em dúvida! A Patrícia sacou direitinho que era isso que era essa praticidade que eu precisava! Claro que com mães mais cheias de frescurites o serviço deve ser totalmente diferente né, é tudo muito personalizado, comigo foi mesmo com a minha cara, o meu jeito! Óbvio que, ainda assim, teve uma coisinha ou outra que estava fora da lista mas eu não resisti, como um conjuntinho da Adidas que estava em mega promoção!!! BABY R US: Da "Buy Buy Baby" fomos à "Baby R Us", comprar o restante dos produtos. Foi pouca coisa, só mesmo o que não achamos na primeira loja, compramos umas coisas que jamais imaginei, como protetores para cantos de mesa e para não baterem portas com o risco de prender a mãozinha do bebê. Lá também focamos em mantas, cobertinhas, toalhas, paninhos de boca... tinha uns sapatinhos na promoção que não estavam previstos mas aproveitei! Outra coisa que comprei porque vi os preços no Brasil e aqui custava tipo R$ 800,00 foi um bouncer, que é um balancinho que vibra e toca música, li a respeito do quanto os bebês curtem isso e, lá, paguei a bagatela de U$ 50,00! Fiquei morrendo de medo de não conseguir fazer caber tudo na mala, mas arrisquei, valia a pena demais e era fofo demais! Na "Baby R Us" encontramos a Carol, que é outra consultora da Mommy's Concierge, e ela já tinha ido à loja onde eu iria comprar sutiãs de amamentação. Nos avisou que lá não estava valendo a pena o preço, então já aproveitei e comprei isso lá mesmo, naquela loja! Foi ótimo encontrar com ela e trocar umas idéias, elas são mesmo super antenadas em tudo que é sobre enxoval! Finalizamos o dia ali, almoçamos e voltamos voando para o hotel! ARRUMANDO AS MALAS: Outro motivo para eu ter AMADO a Patrícia: pedi para ela para que corrêssemos porque, coincidentemente (lembrando que eu tenho mais sorte do que juízo!) minha prima que é comissária de bordo estava no mesmo hotel que eu e iria embarcar naquele dia de volta para o Brasil, podendo trazer algumas coisas na mala pra adiantar pra mim! A Paty foi um anjo acelerando tudo para conseguirmos despachar alguns dos produtos mais pesados pela minha prima, ela mesma separou para mim o que pesaria mais na bagagem e que valia mandar por ela!!!! Sendo assim, sobrou uma horinha do meu tempo com a consultora (eu tinha cinco horas por dia com ela, se passasse disso seria cobrado um valor a mais por hora). O que ela fez nessa hora que sobrou e à qual eu tinha direito??? Subiu comigo para o meu quarto e me ajudou a guardar TUDO o que tínhamos comprado! Perfeitaaaa! Comprei duas malas daquelas extensoras, que vão crescendo conforme você abre os zíperes, e ela me ajudou a tirar tooodas as etiquetas dos produtos, toooodas as embalagens, acomodando tudo de forma que não corresse o risco de quebrar ou amassar o que compramos! Assim terminamos esse primeiro dia! Nem saí mais do hotel depois disso porque eu estava "virada", tinha viajado de madrugada na noite anterior e precisava de banho e cama! Apesar de muito corrido e cansativo, dia foi muito produtivo graças a essa consultoria, senão eu juro que tinha surtado! LISTA DE COMPRAS DO DIA: Não vou reproduzir a lista completa de produtos do enxoval que compramos nesse dia porque tem muitas coisas que acabei tirando da lista na hora e outras que incluí durante as compras, mas só para as mamães terem uma idéia, esses foram alguns dos itens básicos desse primeiro dia: - 2 protetores para colchão a prova d'água - 4 mantas - 1 kit de cueiros - 1 kit envelope (swaddle) - 1 kit fralda de ombro - 1 kit fralda grande - 10 fraldas de boca - mamadeiras bico ortodôntico (4 grandes / 4 pequenas) - bicos de mamadeiras (6 médios / 6 rápidos) - 6 chupetas de cada tamanho - 1 escovinha para lavar mamadeira - 3 mordedores - 4 colheres de silicone - pote e garrafa térmicos - 4 babadores de plástico - 1 espelho para carro - 1 canguru - 1 bolsa do bebê - 1 kit de toalhas a prova d'água para trocador - 1 naninha - 1 móbile para berço - pomada hidratante para seio - 1 caixa de protetor para seio - 1 par de bico de silicone - 1 caixa de conchas para vazamento de leite - hidratante pós-parto - brinquedos de borracha - 4 toalhas - soothing vapour baby bath - 1 dedeira para limpar gengiva - 1 escova de dentes - 1 pasta de dente sem flúor - 1 caixa de lencinho para limpar chupeta - 3 prendedores de chupeta - 2 kits de protetores para portas - pomadas para assaduras (prevenção e tratamento) - Tylenol infantil - remédio para cólica - aspirador nasal - lenço umedecido para resfriado - pomada para gengiva - bolsa de água quente pequena - brinquedos para o cadeirão - brinquedos para pendurar no carrinho - tapete de atividades Ah! Mais uma coisa para eu assinar em definitivo meu atestado de mãe sem noção: como tiramos tudo das embalagens para colocar na mala, fiquei com medo de chegar aqui e não lembrar para que serviam as coisas hahahahah! Aí fotografei, uma a uma, tooodas as embalagens dos produtos que não vinham com manual! Sei lá, precaução de gente louca mesmo! SEGUNDO DIA DE COMPRAS Nada como ter dormido em terra firme (e não no avião) e estar descansada para o melhor dia das compras: o das roupinhas! A parte de produtos, que comprei no dia anterior, foram coisas que pra mim eram do tipo: "você vai precisar disso"! Já as roupinhas eu sabia que seriam uma delícia de escolher, principalmente para mim, que desde que soube da gravidez não havia comprado sequer UM sapatinho pra minha bebê! Não tinha comprado nada mesmo, seria tudo ali, naquela viagem! Quando a Patrícia chegou para me pegar no hotel já foi um alívio por ver que ela estava com os produtos que faltavam ser entregues pela Amazon.com! Ufa! Santa Patrícia, vou ser grata forever a ela e a Lory por terem resolvido essa pendenga pra mim! CARTER'S: Do hotel fomos direto para a loja "mais mais" quando se fala em enxoval nos EUA: a Carter's, famosíssima! Só entendi o porquê dessa fama toda quando cheguei lá! Tem TUDO dessa parte de roupinhas com uma qualidade que nunca tinha visto em lugar nenhum e a preços absurdamente compensadores! Digo isso com propriedade porque estou escrevendo esse relato num dia em que acabei de voltar da Feira da Gestante e do Bebê que tem aqui em SP e dei uma olhada nos preços e tipos de roupa para comparar com o que comprei lá nos EUA...! Não dá pra comparar, impossível! Bom, na Carters compramos praticamente tudo da parte de roupinhas! Pelo mês previsto para o nascimento da Luísa foi montada a lista do que seria ideal comprar para quando ela tiver até um ano! Então a Patrícia pegou uma arara com rodinhas (a que está atrás da gente na foto!) e conforme andávamos pela loja ela ía falando a quantidade, por exemplo, de macacões de 0 a três meses: quantos de manga curta, quantos de manga comprida, por que tal modelo era melhor que outro, etc! Fora que ela tem um "olho" pra coisa linda e barata perdida no meio das prateleiras que é uma loucura! Compramos muuuuita coisa fofa, levamos mais tempo que no dia dos produtos, mas não tem nem como comparar né, muito mais gostoso esse segundo dia de compras! Acho que 95% das compras de roupinhas fizemos na Carters, saí de lá carregada! DADELAND MALL: Nossa próxima parada foi o Dadeland Mall, um shopping onde a Patrícia me levou nas lojas mais badaladas, afinal, apesar de não dar prioridade para coisas de marca, estando lá valia a pena olhar as lojas mais famosinhas! Fora que se eu voltasse sem nada dessas lojas meu marido teria um treco! Ele curte essas coisas bem mais do que eu! A primeira loja em que entrei foi a Gymboree, lá todas as peças estavam por no máximo U$ 16,99! Peguei uma calça jeans super diferente, com uma aplicação de flores na perninha, uma meia calça com saia que era uma fofura, um casaco de pelinho com capuz que também era uma delícia! Depois fomos na Macy's olhar roupas da Polo Ralph Lauren, peguei uns dois vestidinhos e um conjuntinho que foi um dos meus preferidos da viagem pelo tecido perfeito! Por último fomos na GAP Baby, onde também peguei umas poucas coisas, só o que valia meeeesmo a pena! Foi bacana ir nessas lojas fashionzinhas pra ver a diferença de preços mas também os produtos de "patricinha" que existem para bebês hahahaha! Fiquei satisfeita com as compras que fiz também nessas lojas, acho que - com a super ajuda da Patrícia - consegui ser criteriosa pra não pirar mas também não deixar de levar uma coisa ou outra mais bacana, que valia a pena! ARRUMANDO AS MALAS: Depois que voltei para o hotel, gastei o restante do fim da tarde e começo da noite para arrumar tudo! A recomendação para passar na alfändega é tirar tooodas as embalagens, etiquetas, ufa! Deu trabalho, mas foi muito gostoso arrumar tudo, olhar uma roupinha por uma, imaginar minha Luluzinha dentro delas, essa pra mim foi a melhor parte desses dias de compras, quando sabia que já estava tudo ali e pude pensar no que importa de verdade: ter aquilo que minha bebê vai precisar! MINHA AVALIAÇÃO DA MONTAGEM DO ENXOVAL: Com o serviço de consultoria, esse pacote de dois dias de compras foi na medida para mim! Não faltou e nem sobrou tempo, usamos exatamente as cinco horas de consultoria em cada um dos dois dias, nem a mais e nem a menos! No restante do tempo eu só arrumei os produtos nas malas e descansei, então foram dois dias usados exclusivamente para a montagem do enxoval! Já se eu fosse fazer tudo sem a personal shopper - além da trabalheira que teria antes para planejar tudo e dos gastos que teria a mais - iria levar muito mais tempo no deslocamento para achar as lojas, ía demorar muito mais dentro de cada loja para localizar tudo, escolher cada coisa, enfim, aí dois dias de compras com certeza seriam insuficientes! Então para quem pretende fazer enxoval em Miami por conta própria, acredito que o ideal sejam quatro ou cinco dias... e muita disposição! Para quem quer agilizar: localize a Buy Buy Baby e a Carter's mais perto do seu hotel e terá resolvido 80% do problema hahahahaha! Nos relatos que li, nas pesquisas que havia feito antes da viagem, encontrei uma infinidade de dicas de lojas, claro que para perfis diferentes do meu elas devem ser interessantes, mas na minha opinião as essenciais são mesmo as duas que citei acima! O restante é supérfluo, vale a pena conferir sim, mas não antes de visitar essas lojas mais básicas! Gente, lembrando que essas minhas observações são para quem vai lá pra economizar mesmo, quem vai pelo glamour do enxoval em Miami ou para passear e aproveitar para fazer compras nem deve considerar o que eu digo, daí os critérios tem que ser outros!!! DIA LIVRE EM MIAMI! Siiiim! Mesmo com toda correria das compras, consegui deixar um dia inteirinho para eu curtir um pouquinho a cidade! Não era esse o objetivo da viagem, mas eu não poderia ir até lá e deixar de fazer pelo menos um pouquinho daquilo que eu mais gosto na vida: turismo! LOCAÇÃO DE CARRO: Decidi alugar um carro porque pesquisei o preço de um táxi do meu hotel até Miami Beach e não compensava! Só a ida até lá sairia em torno de U$ 38,00, enquanto a locação de um carro saía U$ 58,00. Nem pensei duas vezes, pedi o veículo mais básico que a locadora do meu hotel tinha e saí com ele feliz da vida, só depois que voltei que soube que o tal do Elantra não é tão básico assim! Hahahahah sem noção de naaaada a pessoa! MIAMI BEACH: Coloquei no GPS um endereço qualquer da Colins Avenue e fui que fui! O tempo estimado de viagem do meu hotel até lá era de apenas 15 minutos, mas o trânsito carregado de Miami fez com que eu levasse o dobro do tempo. Ainda assim, achei meia hora dirigindo super tranquilo, até porque quem dirige na loucura de SP acha as avenidonas e estradas dos EUA mamão com açúcar né? Tudo muito bem sinalizado, organizado, foi super tranquilo chegar em Miami Beach! Havia lido sobre a dificuldade em estacionar perto da praia, mas como fui cedo - eram umas 9h30 quando cheguei lá - achei uma vaga bem pertinho! Pedi ajuda para um homem que trabalhava em um hotel para colocar o cartão de estacionamento (tipo nossa zona azul) e pronto, lá estava eu em Miami Beach! A avenida da praia é maravilhosa, chique, o calçadão muito bonito e arborizado, a praia linda, limpa, verde e azul! Fiquei a manhã toda na praia, bem ao sul de Miami Beach! A temperatura da água estava super agradável, perfeita para refrescar o calorão que fez em todos os dias em que estive na cidade! Depois de ficar na praia andei um pouco no calçadão e voltei para o carro porque ía vencer meu ticket de estacionamento! Dei sorte porque bem nessa hora o tempo começou a fechar! Antes de ir embora de vez, peguei a Ocean Drive e dirigi por ela inteirinha, até o extremo norte! É linda! Tentei fotografar de dentro do carro, mas lá aquele esquema de semáforos sincronizados funciona mesmo! Passei tudo no verde direto! Hahahahah mesmo assim deu pra curtir o visual! Nada que as praias brasileiras deixem a desejar em termos de natureza, mas beira-mar em primeiro mundo é outro nível de limpeza, organização, essas coisas! Não é um super lugar que eu pense: "preciso voltar um dia", tenho milhões de outras prioridades, mas é inegável que é um lugar bacana demais! AVENTURA MALL: Já tinha esgotado minha lista de compras da Luísa, queria fugir de shopping a todo custo, maaaas precisava de uns lápis e outras coisinhas da MAC e havia lido que tinha MAC nesse mall! Como quis cruzar Miami Beach de ponta a ponta para conhecer, eu estava razoavelmente perto do Aventura mall, então fui! Shopping bem bonito e cheio de lojas badaladíssimas, para quem curte shopping e lojas de marca é um endereço obrigató'río, não é outlet com tudo baratíssimo mas tem de tudo e é super chique! Andei o shopping todo mas só comprei mesmo a maquiagem que precisava, afinal, no money anymore hahahah! Ah, só o que não resisti foi parar na Cheesecake Factory, meu Deus, se ficasse trinta dias nos EUA seriam trinta dias comendo nesse lugar, é minha perdição!!!! ROSS, DRESS FOR LESS: Gente, é o que eu digo pro meu irmão que torce pro "curintia"... a pessoa sai da favela mas a favela não sai da pessoa hahahah! Já disse mil vezes que não ligo pra marcas, afinal, não fui criada com esse costume, não é mesmo importante pra mim esse tipo de coisa... mas sou mulher né, claro que gosto de roupas, sapatos, bolsas, coisas de menina, desde que não vá à falência por causa disso! Nesse meu atual tamanho não tenho vontade de comprar NADA pra mim, nada fica bom, mas quando vi que tinha uma Ross pertinho do Aventura Mall... não resisti, dei um pulinho lá! Detalhe, tinha acabado de sair de um shopping que tinha uma loja especializada em roupas de gestantes, a Destination Maternity, mas tudo o que tinha visto lá achei mega cafona - como toda roupa de grávida! - e o preço não era bom não, não para o meu bolso! Já na Ross... aaaah impossível não achar milhões de coisas baratas e lindas por lá! Para quem não conhece, é tipo uma ponta de estoque com várias marcas misturadas, tem muita coisa nada a ver mas tem MUITA coisa bacana! Comprei por U$ 10,00 uns vestidos em que minha pança cabe, mas que são vestidos normais que posso usar depois que a Luísa nascer! Agora, o "achado" mesmo foi um conjuntinho da Calvin Klein para minha filha, com uma blusa de oncinha e um colete de pelinho por cima, além da calça preta! Bagatela de U$ 11,00! Ross, love ú forever, na pobreza e na pobreza, hahahahah! DOLPHIN MALL: Última noite em Miami, saí para comer alguma coisa - aproveitando que ainda estava de carro - e acabei no Dolphin Mall, que é relativamente perto do hotel onde fiquei hospedada. Assim como o Aventura Mall, esse é um shopping enooorme com lojas de todas as marcas possíveis e imagináveis! Eu havia lido que ele era relativamente novo e que por isso ainda não tinha muitas opções, mas essa informação com certeza é velha porque praticamente todas as lojas estavam funcionando e eu até achei que, para compras, esse shopping é melhor que o Aventura por ter outlets de algumas marcas (não vi isso no Aventura Mall). Bom, como eu não estava lá para comprar não tenho muito a dizer, a não ser que é um shopping enorme e lotado de opções, prato cheio pra quem gosta da coisa! SOBRE O SAWGRASS MILLS MALL: Só para constar, não posso deixar de falar que NÃO fui no shopping mais falado em todos os relatos de viagens de compras em Miami porque tudo o que eu precisava comprar já tinha encontrado nas lojas onde fui com a consultora, nos outros malls só fui mesmo pra passear, conhecer! Perguntei para a Patrícia sobre esse shopping, já que encontrei muitas referências sobre ele, e o que ela me falou foi que ele é bastante procurado porque tem outlets de várias marcas, é o lugar onde a brasileirada vai pra encher as sacolas mesmo, mas por isso é meio "low profile", foi isso que entendi!!! Quem vai na fissura de comprar horrores esse deve ser mesmo o melhor endereço, não no caso específico de enxovais, mas de compras de forma geral! HORA DE IR EMBORA! BAGAGENS: Tomei todos os cuidados que se deve ter em qualquer viagem em relação a identificação das bagagens, a preocupação em não ultrapassar em 32 quilos o peso de cada mala, etc. Li algumas dicas bacanas em relação a acomodação das compras de enxoval na mala nesse post. Eu preferi colocar tudo nas malas de nylon com extensor a transportar caixas, achei que as caixas chamariam mais atenção do que essas mega sacolas. Enfiei tudo nelas e em outra mala que eu havia levado: carrinho, bebê conforto, bouncer, tapete de atividades, coube tudo lá dentro! Tinham me dito que vc não se pode aumentar essa super mala até o limite, mas não confere essa informação! Abri até o último zíper para estender a mala e não houve restrições. Como estava sozinha, não teve jeito: já sabia desde o começo que pagaria por uma mala extra, pesquisando descobri que valia mais a pena financeiramente pagar por essa mala extra do que ultrapassar o limite !dos 32 quilos nas outras duas malas. Foi a única desvantagem de viajar sozinha, se estivesse com alguém esse alguém poderia trazer também dois volumes para serem despachados. Mesmo assim deu tudo certo! ALFÂNDEGA: Chegando no Brasil, duas das minhas malas passaram rapidinho pela esteira... mas a terceira demorou uma vida! Resultado: passei sozinha pela Polícia Federal, não tinha mais quase nenhum passageiro desembarcando naquela hora e aí me pararam! Visivelmente grávida, o policial me perguntou se o que eu estava carregando era apenas para o meu bebê. Eu disse que sim, ele perguntou quanto havia gastado com o carrinho de bebê e com o bebê conforto, falei que tinha sido menos de U$ 500,00 - essa é a dica rsrsrs. Graaaaças aos céus eu já tinha despachado a babá eletrônica pela minha prima e, por isso, não tive que mentir quando ele perguntou se eu tinha eletrônicos nas malas! Por fim, pediu que eu passasse as malas no scanner e me liberou! Ufa! Uma amiga que foi recentemente também teve que passar a bagagem pelo scanner, deve ser praxe isso, mas normalmente acho difícil dar algum problema! Cheguei em casa sã e salva com todo o enxoval da minha Luísa, que chegou intacto: nada quebrou, nada amassou, nada teve problemas! Ufa, mil vezes ufa!!! CONSIDERAÇÕES FINAIS O QUE EU TERIA FEITO DIFERENTE: Nada! O serviço de consultoria foi realmente o ideal para mim, com a minha cara: sem dor de cabeça, sem exigir muita pesquisa, com a maior praticidade e a maior economia! Se eu curtisse compras, shoppings e bateção de perna de loja em loja teria me planejado da seguinte forma (lembrando que esse é o jeito "pobrinho" de pensar, buscando economizar ao máximo): iria primeiro de tudo em lojas como Target, Ross, Walmart e nos outlets do próprio Sawgrass Mills Mall para garimpar o mais mais mais barato! Depois iria na Carter's e na Buy Buy Baby comprar o "grosso", aquilo que exige quantidade e por isso não se encontra nos "sacolões"! Só! É o suficiente para montar um enxoval bom e barato em Miami! Se sobrasse algum din din, aí sim: Dadeland Mall, Dolphin Mall, Aventura Mall para ir nas lojas de marca que têm a linha "baby". Essa é minha dica de roteiro para quem vai por conta própria, lembrando sempre que - para isso - é preciso ter uma lista bem definida de compras para não se perder nos gastos e nas quantidades!!! Trabalhoso, mas não impossível!!! Para quem curte, Miami definitivamente é o lugar perfeito pra isso!!! PARA ENCERRAR: Todo mundo me pergunta: "e aí, foi legal a viagem?". Não sei se "legal" é o que define essa minha experiência, continuo não curtindo esse tipo de viagem apesar de ser a prova viva de que vale muito a pena financeiramente! Foi totalmente diferente, por exemplo, de quando fui para Orlando e aproveitei para comprar algumas coisas... quando fui para Las Vegas e também não deixei de aproveitar aquilo que valia a pena pelo preço... mas essa coisa de viajar SÓ pra comprar foi bem cansativa e pouco atrativa pro meu gosto! Valeu a pena, mas cansou! Mesmo assim, teria feito de novo e de novo e de novo no caso da montagem do enxoval! Agora estou despreocupada em relação a isso! Só arrumando o quartinho e contando os meses, dias, os minutos para minha filha chegar e para que nossa próxima viagem juntas vá muito além das compras! Beijos e até a próxima!
  2. Oi pessoal, Esse é o relato da viagem ao primeiro país que visitamos na nossa primeira vez na Europa! Foram seis dias em Londres e nesse relato conto um pouco da nossa experiência na incrível terra da rainha! Tenho um blog de viagem e meus relatos são para ajudar quem realmente está planejando viajar, então, procurei detalhar ao máximo! Quem quiser acessar o blog, lá encontra o relato completo com fotos, anote o endereço: http://www.porquetodefolga.blogspot.com PRA COMEÇO DE CONVERSA... QUEM SOMOS: Só para lembrar quem ainda não acompanha o blog, para mim o que determina o tipo de viagem que se vai fazer é o perfil do viajante. As preferências, a disposição e a conta bancária (hahahah sim, isso é determinante) é que vão dizer qual roteiro seguir. Eu viajei com o meu marido que, como eu, é ligado no 220! Temos trinta e poucos anos, sem filhos, gostamos de contato com a natureza, lugares históricos, baladas, espetáculos, enfim, curtirmos de tudo um pouco! O que não falta pra gente é disposição para descobrir até mesmo aquilo que nem sabíamos que gostávamos! Não temos dinheiro para esbanjar com luxos, mas antes das férias juntamos um pouquinho para não precisarmos de muitas privações nas viagens. POR QUE LONDRES? Não foi fácil definir os destinos da nossa primeira viagem à Europa... são muitos países sensacionais para conhecer! A escolha pela capital da Inglaterra foi mesmo por aquilo que eu sabia da cidade e que considerei que tinha tudo a ver comigo: é sim um lugar com muita história, mas também uma cidade jovem, cheia de novidades e agitação! Pronto, minha cara! Estava escolhido nossa primeira parada da eurotrip! MODO DE "USAR" ESSE RELATO: Como tive um retorno muito bom do modo como escrevi meu último relato (o de Las Vegas), resolvi fazer este nos mesmos moldes. Uma abertura sobre o planejamento da viagem e depois um relato dia a dia da viagem em si, finalizando com as considerações gerais que sempre acho importante. Ao longo do relato propriamente digo, a data está sempre destacada em negrito e, abaixo de cada dia, em caixa alta, faço tópicos dos lugares onde estive. Acredito que, assim, fica mais simples de localizar as informações sobre o que realmente interessa. Exemplo: talvez alguém não queira ler o relato inteiro (até porque está enorme!), mas busque informações sobre a troca da guarda no Palácio de Buckingham ou sobre a roda gigante London Eye. Aí é só procurar isso nos tópicos em letras maiúsculas e ir direto ao que interessa. Espero que fique claro!!!! O PLANEJAMENTO QUANTO TEMPO FICAR: Sempre ouvi de quem viaja para Europa coisas do tipo: "Fui para Londres, Amsterdã, Paris, Madri, Barcelona, Roma, Veneza, Lisboa, Porto e depois rodei a Alemanha, tudo isso em 15 dias"! Juro, eu sempre fiquei passada com isso! Esse tipo de viagem não serve pra mim... é possível, claro, ficar dois ou três dias em cada destino, até menos dependendo do lugar, mas eu não consigo pensar em ir a uma grande cidade, onde provavelmente não vou voltar tão cedo, sem poder conhecer esse lugar de verdade! Não conseguiria ficar apenas três dias em Londres, mas atenção!!!! Esse é MEU estilo de viajar, cada um tem o seu! Prefiro ficar mais dias num mesmo lugar do que ir a vários só para fazer "check-in" e dizer "eu estive lá". Fiquei seis dias em Londres e acho que o ideal, ideal mesmo seriam sete! Uma semana é o que recomendo que se fique em Londres para aproveitar bem tudo o que a cidade oferece! QUANDO IR: Escolhi o mês de maio para ir a Londres por já ser primavera por lá, a estação em que o frio já não é tão intenso (para os padrões europeus, claro!), os dias são longos (começava a anoitecer por volta de 22h!) e em que a cidade está lindamente florida! Não é considerada alta temporada, o que também ajuda! Ficamos em Londres de 20 a 26 de maio de 2013. LONDRES E NADA MAIS? Claro que pensei, durante meu planejamento de viagem, se não aproveitaria o fato de estar na Inglaterra para ir a outras cidades que não a capital. Pelo que pesquisei, o que valeria a pena seria conhecer Liverpool, mas isso se eu fosse super fã dos Beatles. Curto, mas super fã eu não sou não! Li também sobre Bath, Cambridge, Oxford... mas diante de taaaanta coisa que eu queria ver em Londres não considerei que valeria a pena sacrificar um dia na capital para ir a algum desses outros lugares! Ainda assim, de acordo com as preferências de cada um, não custa se informar um pouquinho para decidir! Eu decidi apenas por Londres e nada mais, pelo menos desta primeira vez! O ROTEIRO: Como em toda viagem, para montar o roteiro primeiro li bastante a respeito de tudo que encontraria em Londres. Um pouco da história, da estrutura da cidade, dos principais pontos turísticos. Sendo minha primeira vez por lá, não teria como fugir do básico: Palácio de Buckingham com troca da guarda, Torre de Londres, London Eye, Observatório de Greenwich. Com base nessas informações e no mapa da cidade fui montando a seqüência que eu seguiria a cada dia. O que eu não esperava era a mudança repentina no clima da cidade, a previsão do tempo foi o que mais me surpreendeu porque num mesmo dia chove, fica nublado, depois abre um céu azul sem nenhuma nuvem! Então isso fez com que eu mudasse meu roteiro algumas vezes já que, com chuva, preferi priorizar os museus e atrações em lugares fechados, esperando os dias de sol para os passeios ao ar livre. É exatamente por isso que não recomendo que se compre ingressos antecipados para, por exemplo, a London Eye. Andar na roda gigante num dia de chuva não tem nada a ver né! Se vc comprar com antecedência aquele ingresso com hora marcada para fugir das filas, além de pagar mais caro, você corre o risco de pegar um dia e horário de tempo encoberto. Para mim foi muito bom não ter deixado nada pré-marcado. De tudo o que fez parte do meu roteiro, a única coisa que comprei com antecedência foi o musical "Os Miseráveis" porque tive medo que esgotassem os ingressos e eu não podia perder. De resto, acho besteira comprar antes! Então é isso, fui com um roteiro bastante "ousado" para seis dias em Londres, achei que não conseguiria fazer tudo que estava me propondo, mas no fim das contas nada do que eu planejei ver ficou de fora! Faço questão de citar as fontes de pesquisa que mais me ajudaram com a montagem do meu roteiro: o guia da Inglaterra da Folha de SP, emprestado de uma amiga (valeu Fer!), o site Londres para Principiantes, o blog Dri Everywhere, o Mapa de Londres e - é claro, sempre forever and ever - os meus blogs de viagem preferidos, o Viaje na Viagem e o Matraqueando. PASSAGEM AÉREA: Como sempre, pesquisamos pelo Decolar qual empresa aérea tinha melhores tarifas. O que me surpreendeu - que era algo que eu não sabia, afinal, nunca tinha ido à Europa - é que se você compra passagem de ida e volta chegando e saindo pelo mesmo aeroporto, paga muitíssimo mais barato! Exemplo: indo de Guarulhos para Londres e depois voltando de Londres mesmo para Guarulhos fica beeem mais barato do que se vc resolver chegar por Londres e ir embora por Paris, por exemplo. Como iríamos de Londres para Paris e de Paris para Suíça, seria impossível economizar com isso, não valeria a pena voltar atééé Londres para retornar de viagem pelo mesmo aeroporto. Então, na hora de pesquisar a passagem aérea, consideramos o preço de chegar por Londres e voltar por algum aeroporto da Suíça e também a questão da escala. Fazer escalas muito longas em mais de um país faz com que se perca muito tempo! Claro, sai mais barato, mas o barato sai caro, afinal, perder tempo em euros ninguém merece né! Considerando isso tudo, encontramos o melhor preço pela Ibéria para ir de Guarulhos a Londres com escala de pouco mais de duas horas em Madri e chegada pelo aeroporto Heathrow, que é o de mais fácil acesso à cidade se não me engano! O retorno ficou saindo de Genebra, também com escala em Madrid. Precinho da brincadeira em reais: R$ 3.248,14 as duas passagens, já com as taxas de embarque. Como temos uma amiga de uma amiga que tem uma agência de viagens, compramos com ela pra não ter erro pela ASAP Viagens e Turismo. O preço foi praticamente o mesmo que encontramos no Decolar.com. A ESCOLHA DO HOTEL: Nossa, como eu sofri com isso! Quando fui fazer a reserva ainda não estava muito familiarizada com o mapa de Londres para saber qual seria uma localização bacana para escolher. Esse foi o sofrimento número um! O número dois - que me fez sofrer igualmente, talvez até mais! - foi o preço da diária em Londres! Como é cara a hospedagem por lá! Claro que, quanto melhor localizado o hotel, mais cara é a diária!!! Eu, louquinha que sou, não me importaria em ficar em um hostel desde que ele fosse ajeitadinho... mas meu marido não abre mão de um quarto só pra ele, um banheiro só pra ele... enfim, ele não abria mão de um hotel de verdade. Lá fui eu pesquisar as possibilidades! Parti da velha premissa de que, em Londres, se vc estiver perto de uma estação de metrô, vc está bem localizado! Não nego que escolhi pelo preço, encontrei um valor razoável se comparado com outros hotéis, mas antes me certifiquei de que estava num lugar bacana. Só pelo nome já saquei que o Hotel Hyde Park Premier London Paddington estaria bem localizado: perto do Hyde Park (um dos parques mais bacanas da cidade) e perto da Paddington Station (uma das principais estações de lá). Fizemos a reserva pelo Hoteis.com e deu tudo certo, sem problema algum! As diárias de 20 a 26 de maio de 2013 custaram R$ 2.092,04 sem café da manhã. Nada de luxo, que fique bem claro! Hotelzinho simples, mas bonitinho, limpo, com wi-fi apenas no saguão maaaas - como somos sortudos - nosso quarto era no primeiro andar e de lá conseguíamos sinal tranquilamente! O que eu diria para quem está definindo agora a hospedagem: se vc tem dinheiro sobrando, sem dúvida alguma invista em um hotel na City of London, que é onde está o agito da cidade! Eu ficaria também nas proximidades de Covent Garden, o bairro de Londres que mais gostei, cheio de bares e atrações! Já se for para economizar, não tenha dúvidas: entre no Hoteis.com, Booking.com, no próprio Decolar ou qualquer site do tipo e procure por um hotel perto de uma estação do metrô. Não vai ter erro! A VIAGEM DOMINGO - 19/05 O VÔO: Embarcamos do Aeroporto Internacional de Guarulhos às 19h10. Eu nunca tinha voado de Ibéria e achei bem razoável essa companhia aérea. Meu marido sentiu falta da tela individual em cada assento para ver filmes ou jogar joguinhos, mas como o vôo foi noturno e eu tinha trabalhado feito uma camela até o dia anterior à viagem, eu capotei e achei tudo ótimo! Hahahahahah! Principalmente porque tinha opção de vinho como bebida no jantar (incluso, sem precisar pagar a parte), aí foi só o que eu precisava para cair no sono de vez! Ok, aprovada a Ibéria para quem não liga para luxos! SEGUNDA-FEIRA - 20/05 IMIGRAÇÃO EM LONDRES: Como fizemos escala em Madri, achamos que a imigração seria por lá, mas não foi! No aeroporto na Espanha até carimbaram nosso passaporte, mas sem perguntas e nem nada além disso! Foi mesmo quando desembarcamos, no Heathrow Airport que passamos pela temida imigração da Inglaterra! Eu, na realidade, estava bem tranquila... levei impressos e também digitalizados, no tablet, as passagens do trem que nos levaria para Paris, as passagens do vôo de volta para o Brasil, a reserva no hotel em Londres com dia de check-in e check-out, além do ingresso para o musical que assistiríamos por lá. Ou seja, impossível não comprovarem que eu estaria ali só mesmo para turismo! No fim das contas, não tivemos que mostrar nada disso na imigração! Não ficamos nem dois minutos no guichê, só nos perguntaram o que faríamos em Londres e há quanto tempo estávamos casados. Pronto! Welcome to England! Sem problema nenhum! Se vc for capaz de provar que é turista e se responder tudo direitinho acredito que não haja motivo para preocupação! DO AEROPORTO PARA O HOTEL: Durante a montagem do meu roteiro, descobri um site que mostra as melhores formas de se locomover de um lugar para o outro em Londres. É o Journey Planner. Foi por ele que descobri que tinha sim como seguir de metrô convencional do Heathrow Airport até a Paddington Station, estação mais próxima do meu hotel, mas havia também uma outra opção. Era a linha Heathrow Express, uma linha exclusiva do aeroporto que eu não poderia pagar com o cartão comum do metrô, mas que compensava muito porque em vez de descer com malas no metrô, fazer baldeação, etc e etc, eu poderia seguir direto do aeroporto e em metade do tempo chegar à Paddington Station. A tarifa do Heathrow Express é de 18 libras e é muito fácil comprar o bilhete! Quando vc sai no desembarque do aeroporto já tem gente vendendo, não é guichê e nem nada, são funcionários da linha que já ficam ali oferecendo. Eles já ficam inclusive com máquinas de cartão para facilitar o pagamento, just perfect! Só é preciso atenção ao embarcar no trem porque, para cada local de desembarque, é aconselhável que se fique em determinado vagão, mas eles orientam lá na hora, sem erro! DA ESTAÇÃO PARA O HOTEL: Como eu disse, nada melhor do que escolher um hotel perto de alguma estação de metrô! Assim que desembarcamos na Paddington Station segui o que havia pesquisado sobre a localização do meu hotel no Google Maps e em cinco minutos estávamos no hotel! Estudar os mapas das ruas próximas ao local onde vc vai ficar é uma dica importante para não perder tempo tentando "se achar" ao chegar na cidade! Chegamos no hotel por volta das 15h00 e, nesse dia, eu optei por não deixar muita coisa prevista no roteiro. Na nossa última viagem, para Las Vegas, também chegamos na cidade no começo da tarde e saímos como loucos para fazer mil coisas, emendamos uma balada, fomos dormir de madrugada! Resultado: no dia seguinte estávamos pooooodres! Então, depois do check-in, saímos para explorar as proximidades do nosso hotel, isso era tudo o que estava planejado para esse dia! HYDE PARK: Seguimos a pé para o Hyde Park. Pertíssimo do nosso hotel, esse é um dos "parques reais" de Londres, são áreas que no passado pertenciam à família real do Reino Unido! Pelo mapa ele parece enooorme e realmente é bem grande, mas é bom lembrar que o Hyde Park é unido ao Kensington Garden, o que parece dar uma dimensão maior a ele. Nessa tarde nossa intenção era conhecer apenas o Hyde Park, então entramos pelo acesso próximo à estação Lancaster Gate e logo nos surpreendemos com a beleza de um jardim que fica exatamente na divisa entre o Hyde Park e o Kensington Garden! O dia estava nublado, mesmo assim o cenário era lindo! Cruzamos o Hyde Park pela margem leste do Serpentine River, apesar do friozinho tinha muita gente nos gramados, bancos e cadeiras de sol espalhadas pelo parque. O rio dá um charme especial ao parque com muitos pássaros, barcos, até gente nadando tem por lá nos dias de sol! O Hyde Park funciona das cinco da manhã até meia noite! O site oficial do parque é o http://www.royalparks.org.uk/parks/hyde-park. Abaixo, mais algumas das muitas fotos que tiramos por lá! O OUTRO LADO DO HYDE PARK: Depois de atravessar o Hyde Park inteirinho, a partir da Lancaster Gate Station, saímos nas proximidades do que eles chamam de "Hyde Park Speakers Corner". É uma esquina onde, aos domingos, qualquer pessoa pode subir num banquinho e fazer um discurso! Como era uma segunda-feira, não presenciamos isso! Vimos sim toda variedade de monumentos, o portão real e as ruas movimentadas desse lado do parque, que fica perto da Hyde Park Corner Station, a entrada oficial do Hyde Park! Vimos também, pela primeira vez, um dos famosos telefones com cabine vermelha, ícone da cidade! Foi ali por perto que fizemos nossa primeira refeição em Londres, já era fim de tarde então pôde ser considerado nosso jantar! Como ainda não conhecíamos a cidade para saber o que comer, segui a dica de uma amiga e fomos no Hard Rock Cafe. Tinha uma filinha para entrar, mas valeu a pena! Chopp Stella Atrois bem gelado, aquela decoração típica do Hard Rock, as músicas que dispensam apresentações e um lanche do tamanho na fome de quem não tinha almoçado naquele dia! KENSINGTON GARDEN: Não era para conhecermos esse parque nesse dia... mas eu me recusei a pegar metrô para o hotel sendo que podíamos ir andando e descobrindo mais e mais coisas no caminho de volta, a pé! Fizemos isso e, quando nos demos conta, estávamos contornando o Kensington Garden, que é ainda mais lindo que o Hyde Park! Não paramos nos pontos previstos no meu roteiro porque teríamos um dia exclusivo para esse passeio, mas já deu para ter um aperitivo do que seria conhecer mais esse parque real! TERÇA-FEIRA - 21/05 O METRÔ DE LONDRES: Antes de começar a falar desse que considero nosso primeiro dia de roteiro (já que no dia anterior chegamos no meio da tarde e os passeios foram meio que na base do que eu chamo de "improviso planejado"), é importante que eu fale sobre o metrô de Londres. Como todo mundo sabe, esse sistema de transporte é referência para o mundo inteiro e - sim! - funciona MUITO bem, é perfeito!!! Dá pra rodar a cidade inteira de metrô e por isso vale muito a pena comprar o cartão que dá direito a sete dias de uso ilimitado! Li muuuuito a respeito desse tipo de vale transporte porque não é fácil entender as vantagens dos cartões disponíveis no metrô de Londres, para quem quiser quebrar a cabeça com isso o melhor post que encontrei na web está nesse link: http://www.londresparaprincipiantes.com/tag/oyster/. Eu concluí que, para mim (e creio que para a maioria dos turistas), o cartão Oyster seria o mais vantajoso. Compramos esse cartão que vale por sete dias e foi ótimo! Usamos muuuuito tanto no metrô quanto nos ônibus que fomos obrigados a pegar na volta das baladas por já ser de madrugada e o metrô estar fechado. Não é barato não, pagamos cerca de 30 libras cada um, mas considerando o valor unitário do bilhete do metrô compensa sim! Uma dica: peça ajuda a um funcionário na hora de comprar o cartão que é vendido em terminais de auto-atendimento. Por mais que eu tenha lido as explicações, rolou uma "pegadinha" na hora de comprar e acabamos comprando cartão errado! A sorte é que depois trocamos pelo certo no guichê, mas enfim... não custa pedir ajuda em vez de se achar o espertão e querer fazer sozinho! São muitos tipos de cartão e dá mesmo pra se confundir!!!! Importante também: antes de sair do seu hotel, peça um mapa do metrô na recepção, eles sempre têm! Rapidinho vc vai entender as linhas, sacar os melhores lugares de fazer baldeação, enfim... no começo a gente quebrava a cabeça, mas no segundo dia já estávamos craques nas linhas de Londres! CITY OF WESTMINSTER: Nesse dia começava pra valer a seguir o roteiro que preparei para a semana em Londres! Fiz questão de começar por algo que me falasse: "sim, você está na terra da rainha"! Por isso deixei a visita para a região do Buckingham Palace para nossa primeira manhã em Londres. Para chegar lá escolhi descer na Victoria Station. Tem gente que prefere chegar pela Green Park Station e conhecer o Green Park, que é mais um parque real de Londres, bem ao lado do palácio, mas eu li que esse parque não é lá grande coisa em comparação com outros, então preferi a Victoria Station para percorrer alguns lugares próximos dela antes de ir para o palácio! ELIZABETH STREET: Da estação, caminhamos em direção à Elizabeth Street, uma rua cheia de cafés e patisseries a cinco minutos da Victoria Station. No nosso hotel havia a opção de pagar a parte pelo café da manhã, mas escolhemos por fazer isso sempre na rua! Como somos meio aceleradinhos demais da conta, chegamos tão cedo na Elizabeth Street que a maioria das patisseries ainda estava fechada! Então nosso primeiro café da manhã foi numa rede no estilo Starbucks chamada Pret a Manger. Aliás, esse café é MUITO melhor do que Starbucks porque além do óbvio desse tipo de café - que normalmente têm cookies, bolos e croissaints "ocos", sem nada dentro - é que o Pret a Manger tem salada de fruta, croissaints recheados, rocamboles diferentes! Beeem mais nossa cara, além de divulgarem que preparam tudo com ingredientes frescos, sem agrotóxicos, curti! Então, não esqueça: entre Starbucks e Pret a Manager, não tenha dúvidas em ficar com a segunda opção! BUKINGHAM PALACE ROAD: Voltando do café e seguindo em direção ao palácio, conhecemos um pouco do comércio dessa região, que é bem turística, cheia de lojinhas de bugigangas! Aproveitei para comprar aquilo que eu sabia que precisaria, afinal, chove a qualquer momento em Londres: um guarda-chuva temático! Hahahahaha! Tem tudo quanto é tipo de de "umbrella" divertido por lá! Não deixaria de gastar um euros com um desses! Ok, sou meio breguinha, admito!!!! ROYAL MEWS: a caminho do Palácio de Bukingham, vindo da Victoria Station, você vai ver, à esquerda, antes de chegar no palácio, uma construção imponente com cavalos e charretes entrando e saindo a todo momento! É o Royal Mews, onde fica a cavalariça real! É possível entrar e conhecer tudo por lá! Vale para quem é apaixonado por cavalos e também para crianças, pelo menos foi o que eu li a respeito! Como tínhamos que priorizar o que visitar, caso contrário não haveria nem tempo e nem dinheiro suficientes, apenas conhecemos por fora o Royal Mews, o que foi suficiente para imaginar sua imponência! Entramos no clima da pompa que envolve a famíla real! O site oficial para quem quiser fazer a visita guiada pelo Royal Mews e se informar melhor sobre ele: http://www.royalcollection.org.uk/visit/royalmews. BUCKINGHAM PALACE: Chegamos ao palácio que é a residência oficial da família real por volta das 9h30. Nessa época do ano o palácio é fechado para visitação, abre apenas nas férias de verão da família real, então fomos mesmo para ver a troca da guarda. Ainda não tinha muita gente por lá, então aproveitamos para conhecer o entorno da entrada principal do Buckingham Palace: o Memorial da Rainha Victoria (que é o monumento bem em frente ao palácio), um pedacinho do Green Park que fica bem ali ao lado, o jardim real, a The Mall, que é a avenida principal de acesso ao palácio, a "entrada triunfante" onde acontecem os grandes eventos da cidade. TROCA DA GUARDA: Pouco depois das dez da manhã já grudamos no portão do palácio para esperar a troca da guarda. Li muitos relatos de pessoas que não fizeram isso e não conseguiram ver nada... achei que era exagero, mas não era! Logo depois, um mar de gente já se formou atrás da gente para esperar a troca da guarda que, nessa época do ano, acontece todos os dias às 11h30. Em outros períodos é bom consultar o calendário no site: http://www.royal.gov.uk no link de eventos. Para nós a espera foi de cerca de uma hora e foi interessante observar a movimentação por ali enquanto a troca não começava! Aquilo virou um formigueiro, muita gente mesmo!!! Pontualmente às 11h30, a guarda real começou a chegar! Alguns vieram marchando pela The Mall, deviam ser aqueles que saem do St. James Palace. Logo se posicionaram de um dos lados na frente do palácio. Marcharam por um tempo sozinhos, indo pra lá e pra cá! Logo depois vieram outros na direção contrária, seguidos da cavalaria e da banda real! Quando começaram a tocar, juro que eu esperava algo tipo uma "música real", um "hino à rainha", mas qual o que... a primeira música foi "Every breath you take"! Hahahahah ri muito, mas adorei porque pude cantar junto! Enfim, foi isso! Guardinhas pra lá e pra cá, músicas ditas "universais", aquelas que todos sabem e pronto, estava trocada a guarda! Achei bonitinho e tal... mas nada de mais! Ainda assim, sem chance ir para Londres e não ver isso né! Até porque é de graça e de graça até injeção na testa hahahhaha! QUEEN'S GALLERY: Eis o grande erro da nossa viagem! Vi uma galera entrando na Queen's Gallery e achei que era algo relativo aos aposentos reais! Fui que fui! Não era nada disso, o que estava rolando ali era uma exposição chamada "In fine style" que mostrava a evolução da vestimenta da família real. Interessante, mas nada que valesse nosso preciso tempo e nossas preciosas libras! Então, não se esqueça: antes de entrar na Queen's Gallery tem que prestar atenção na exposição que está rolando lá! Tipo, regra básica que na empolgação não nem me dei conta... como já estava lá, conferi com direito a áudio-guia e tudo mais a forma como se vestiam e como se vestem até hoje os monarcas ingleses! Bonitinho... ponto! ST. JAMES PARK: Mais um parque real, para mim, o mais lindo entre os que visitei! Floridíssimo, cheio de animais, com a charmosa ponte que permite uma vista linda da London Eye lá ao fundo! É o parque real mais antigo de Londres, fica bem em frente ao Palácio de Buckingham, não tem como errar! Dizem que é também o parque de Londres com maior número de esquilos, vimos vários por lá! ST JAMES PALACE: Esse palácio foi a residência da família real entre 1698 e 1837, é uma construção bem bonita e vale a pena dar uma passadinha por lá, afinal, é um dos prédios mais antigos da Inglaterra! Hoje o que funciona por lá é o centro administrativo da realeza, então a construção não é aberta à visitação, mas é sua chance de tirar foto pertinho de um guardinha real na entrada, sempre tem um ali na frente! O que também chama atenção é o relógio que tem na torre principal! Saindo do St. James Park, o palácio fica do outro lado da The Mall, não deixe de dar uma passada! Bem ao lado, tem a Queen's Chapel, essa sim, aberta à visitação, mas só conhecemos por fora... questão de prioridade! WHITEHALL AVENUE: Descendo a The Mall, que é aquela rua principal em frente ao Palácio de Buckingham, vc vai chegar à Whitehall Avenue, à direita. Nessa rua ficam os principais prédios do governo britânico, o que sinceramente não quer dizer muita coisa... são todos prédios lindos, claro, imponentes, vale descer essa rua para observar cada um deles, mas não é nada surpreendente não! Não se comparados a todas outras maravilhas de Londres! Descendo a Whitehall Avenue vimos o Horseguard, a Banqueting House, a Downing Street, que é a residência oficial do primeiro ministro e tudo mais que tem por lá! No meio da avenida, tem também um monumento em homenagem aos mortos na guerra! Por falar em guerra, também é ali que fica o conhecidíssimo Cabinet War Room and Churchill Museum... não entramos também por questão de prioridade... não tem como visitar TODOS os museus de Londres em pouco tempo e nesse dia ainda tínhamos muita coisa pela frente! Não estou conseguindo colocar legenda, mas abaixo está um dos acessos a Downing Street e o Horseguard! BIG BEN: Quando terminar de descer a Whitehall, olhe para a esquerda e você já vai vê-lo! Lindo! Imponente! Maravilhoso! O Big Ben! Ou melhor, a torre onde fica o Big Ben, que é na verdade o sino que fica dentro da Elizabeth Tower, como é chamada a construção que ostenta um dos relógios mais famosos do mundo! Eu quando vi fiquei maravilhada, achei uma das visões mais marcantes da cidade, principalmente por ele estar junto ao Parlamento, mas sobre essa outra construção vou falar mais abaixo! PARLAMENTO: Coladinho com a torre do Big Ben está o prédio do Parlamento! Simplesmente a construção mais incrível que vi na minha viagem inteira! Essa estrutura neogótica foi construída depois que um incêndio destruiu o antigo Palácio de Westminster. É se das duas câmaras do Parlamento, a dos Lordes (os parlamentares designados pela rainha) e a dos Comuns (eleitos pelo povo). São mais de mil salas e cinco quilômetros de corredores!!!! Qualquer pessoa pode acompanhar os debates no parlamento durante a semana, é só agendar! Fora isso, aos sábados têm um tour guiado por lá. Para quem lida com direito público, gestão, essas coisas, deve ser sensacional acompanhar uma dessas sessões! Eu fiquei só com a beleza da construção, que me fez ficar um tempão olhando cada detalhe e pirando ao pensar como se pode ter erguido uma maravilha dessas! Amei demais o Parlamento! ABADIA DE WESTMINSTER: fica logo em frente ao prédio do Parlamento e é considerada nada menos que a igreja mais importante de Londres! A Westminster Abbey é também uma construção em estilo gótico e, só isso, já era motivo suficiente para eu chegar cheia de expectativa em relação a ela. Adoro esse estilo de construção! Como se isso não bastasse, a Abadia foi palco do casamento do príncipe William com Kate Middleton em 2011, das coroações da maioria dos monarcas ingleses e é lá também que estão túmulos não só de membros da família real, mas também de personalidades como Charles Darwin e Isaac Newton! É MUITA história dentro de uma única construção! Fora isso, para mim, em particular, tem outra coisa... não me considero católica hoje em dia, para mim católico é quem vai à missa uma vez por semana, comunga e concorda com aquilo que defende a Igreja Católica. Não é mais meu caso, mas cresci tendo o catolicismo como referência e tipo PIRO numa igreja! São muitos os motivos para isso, mas o principal é a carga histórica que qualquer igrejas - ainda mais na Europa! - traz em suas construções, em suas imagens, em tudo! E a Abadia de Westminster tem história em cada mínimo detalhe! Pagamos 16 libras para visitar a Abadia, lá tem audio-guia em português de graça, indispensável para conhecer cada curiosidade sobre cada cantinho da Abadia. No interior dela não são permitidas fotos, mas sabe que até isso eu achei bacana... porque aí vc não fica preocupado em fotografar e presta mais atenção em tudo! Levamos cerca de uma hora e meia para percorrer toda a Abadia ouvindo todas as informações do áudio-guia. Passeio indispensável, lugar incrível! A visitação é a partir das 9h30. Site oficial: http://www.westminster-abbey.org. CHÁ DAS CINCO: Durante a montagem do meu roteiro pesquisei bastante sobre onde tomar um chá das cinco tipicamente inglês sem ter que deixar as calças como pagamento! Li sobre o chiquérrimo hotel Ritz, onde vc tem que reservar com meses de antecedência uma mesa para o chá da cinco, pesquisei sobre outros lugares menos badalados... e resolvi deixar acontecer! Levei alguns endereços, nomes de lugares que servem chá das cinco, mas sem planejar nada. Jamais imaginava que faria isso dentro da Abadia de Westminster! Mais inglês impossível! Quando terminamos a visita à igreja já eram mais ou menos 15h30 e atenção: é nesse horário que os ingleses costumam tomar o chá das cinco, não às cinco! Ainda não tínhamos almoçado e resolvemos trocar o almoço pelo tal chá justamente em um café que funciona dentro da própria abadia. Pagamos 16 libras cada um pelo chá que inclui - além de um chá a sua escolha - uma "torre" com canapés salgados e uma grande variedade de doces e bolos, tudo pequeno, aperitivos mesmo, mas mata a fome! Achamos que seria pouco, mas não foi, vale a pena para conhecer esse hábito super charmoso dos ingleses! COVENT GARDEN: O chá quentinho não foi suficiente pra aquecer... passamos MUITO frio nesse dia da viagem e resolvemos voltar para o hotel para tomar um banho antes de continuar o roteiro da segunda-feira. Nosso destino do fim da tarde era o bairro que, só pelo que eu havia lido antes, já sabia seria o meu preferido de Londres. É lá que fica o agito! Descemos na Covent Garden Station e rodamos tudo por lá... o Central Market que são lindos, cheios de bares lotados e música ao vivo, o prédio da Royal Opera House, a galeria Somerset House, a Saint Paul's Church! Mais uma vez, tínhamos muitas opções por lá, mas a intenção era dar uma "geral" no bairro, andar até cansar e parar num pub! Claro que não queríamos parar num pub qualquer... rodamos muuuito pelas lojas badaladas com a da Aplee, pelos zilhões de bares, patisseries e restaurantes, pelos teatros com filas na frente para os musicais, pelas praças lotadas de artistas de rua... até encontrar o Lamb and Flag, o pub mais antigo de Londres! Fica escondidinho num bequinho, uma rua estreita e sem saída, mas não desista, vá perguntando até encontrar! Esse pub existe desde 1623, imagina!!!! Estava lotado, lá dentro já não tinha mais lugar! O legal é que lá todo mundo compra sua cerveja e toma na rua, em frente ao pub! Fizemos o mesmo, pedimos uma Ale que é a cerveja maltada tão famosa na Europa! Essa foi sinceramente a única Ale que tomei na viagem toda, achei muito forte, sou muito "menininha" como diz meu marido, gosto de cerveja mais leve! Anyway, o Lamb & Flag é, para mim, o "must see" de Covent Garden! Ainda em Covent Garden, paramos num outro pub chamado The Sussex, onde conseguimos mesa! Meu marido continuou na cerveja e no chopp, mas atenção quem curte algo mais... destilado rs! Uma dose de vodka Grey Goose com energético é o mesmo preço de um chopp! Hahahahah! Quando me dei conta disso a casa caiu né... bebemos atéééé de madrugada! Nesse primeiro pub comemos o tradicional Fish & Chips, peixe frito com batata frita que é a cara de Londres! É o tipo de coisa que eu não abro mão sabe... se eu sei que algo é MUITO típico do lugar, eu faço questão de conhecer! Não vou postar a foto do fish & chips porque está muito tremida hahahaha (reflexo da vodka boa a preço de chopp) mas eu que adoro uma friturinha adorei! Bom, do pub onde comemos o peixe com fritas fomos andar um pouco mais por Covent Garden, o Central Market é ainda mais lindo a noite! Também passamos pelo Seven Dials, um cruzamento de SETE ruas com uma pequena praça e um monumento no meio! Se vc já tiver bebido muito em algum pub talvez vá ficar confuso ao contar para conferir se são mesmo sete ruas!!! Sim, isso aconteceu com a gente! Depois de mais essa caminhada pelo Covent Garden entramos em um outro bar, que tinha mais cara de balada do que de pub, chamado Velvet! Foi lá que descobri que, se vc é brasileiro, antes de viajar para a Europa, não pode esquecer uma coisa: aprender a dancinha do "Ai se eu te pego" e de algum outro sertanejo universitário que estiver bombando nas paradas de sucesso! Hahahahaha foi de verdade a surpresa da viagem para mim. Nessa balada só tocava putz putz, músicas que a gente ouve nas rádios jovens sabem, baladinhas? Eis que estamos lá, tomando todas com um grupo de colombianos e começa tocar Michel Teló! A mulherada toda colou em mim esperando que eu fizesse a coreografia para elas copiarem! Quem disse que eu sabia???? Ok, ok... "Ai se eu te pego" até deu pra enganar.... mas aí, para meu espanto, começou a tocar "Tche tcherere tche tche... Gustavo Lima e você"e os gringos queriam que eu também soubesse a dancinha! Aí não né, nem sabia que isso tinha dancinha hahahaha! Sinceramente fiquei orgulhosa de mim mesma por não saber nada desses lixos brasileiros que os europeus estão achando o máximo rs! Desculpe aqueles que curtem, mas sinceramente... tanta coisa boa no Brasil e é isso que a gente exporta! Enfim, ainda bem que eu já estava cheia de vodka na cabeça e não dei muita atenção pra isso! Mas está dado o recado, quer causar na balada, saiba sertanejo universitário!!!! Bom, nossa noite ainda foi longe (com fotos impublicáveis, diga-se de passagem) e teve direito a pizza na rua pra curar a larica e volta para o hotel de ônibus porque o metrô já estava fechado! Depois, no fim do meu relato dia a dia, vou fazer observações tanto sobre a comida da madruga em Londres quanto sobre o transporte! Ah e ainda devo falar mais sobre Covent Garden em outros dias do meu relato porque obviamente voltamos a esse bairro tão querido antes do fim da viagem! QUARTA-FEIRA (22/05) A "CITY" - Mesmo depois de termos ido dormir às três da madruga, às sete da manhã já pulamos da cama e pegamos o metrô em direção à "City", que é o centro de Londres, o coração da cidade! Chegamos lá bem cedo, mas já tinha movimentação de gente que estava com cara de quem chegava para o trabalho. Bancos, prédios comerciais, muitos escritórios, essa é a City! Que - é claro - também é lotada de pubs, pontos turísticos e lugares bacanas de conhecer, mesmo que seja só pelo lado de fora! Nosso principal destino era a St. Paul's Cathedral, mas como chegamos beeeem cedo, antes mesmo do horário de abertura da igreja, rodamos as ruazinhas estreitinhas dessa região, tomamos café numa outra rede estilo Starbuck's, chamada "Nero", e conhecemos alguns dos prédios históricos que tem por ali, como o Bank of England e o Bank of England Museum, pertinho da estação Bank, por onde chegamos! Daqui a pouco falo mais da City, antes um parênteses para explicar por que tivemos que adiar nossa visita à St. Paul's Cathedral, que seria nossa próxima parada! Eis o que aconteceu! Estava tudo perfeitinho no meu roteiro, normalmente a abertura da St. Paul's Cathedral é às 8h30 da manhã! Exatamente o horário em que chegamos na igreja e fomos surpreendidos por esse aviso. Justo nesse dia teria uma missa de ação de graças fechada em homenagem ao aniversário do serviço voluntário da realeza, algo do tipo... humpf! O jeito foi mudar os planos e antecipar o restante do cronograma do dia para voltar mais tarde à catedral! MILLENNIUM BRIDGE: Ela é que nos levaria até nossa próxima parada, o Tate Modern. Não tem erro, saindo da St. Paul's é só seguir reto e vc está na Millennium Bridge! Acontece que, de novo, nos empolgamos pelas ruas estreitinhas da City para ver mais algumas belezas históricas do lugar antes da chegada a essa ponte suspensa de ferro, inaugurada no ano 2000 em homenagem à virada do milênio. TATE MODERN: Eis algo que demorei para entender nas minhas pesquisas. Há dois "Tate's", duas galerias de arte chamadas "Tate" em Londres, que pertencem a um mesmo grupo, mas com duas propostas diferentes: há o Tate Modern e o Tate Britain. O primeiro é uma galeria de arte moderna, inaugurada no ano 2000. O segundo reúne obras menos contemporâneas, já que foi inaugurado em 1897 para receber trabalhos que, na época, a National Gallery não aceitava. Enfim, pelo que entendi, o Britain é mais um museu e o Modern é uma galeria de arte moderna mesmo. Mais uma vez, pelo tempo que tínhamos, precisei escolher um dos dois para visitar. Como já teria em meu roteiro muitos outros museus, dei preferência ao Tate Modern, que fica exatamente em frente à Millennium Bridge, do outro lado do Thamisa! Primeira - e melhor - informação tanto sobre o Tate Modern quanto sobre o Tate Britain: a entrada é gratuita tanto em um quanto em outro! Você só gasta dinheiro se quiser usar o áudio-guia, que custa 3,50 libras. Desta vez abrimos mão dele porque não tinha áudio-guia disponível em português e também porque eu havia me informado sobre os tours guiados de graça em determinados horários. Eu que não sou boba nem nada "colei" em alguns desses grupos de tours guiados para ouvir algumas explicações, mas o Tate Modern é enoooorme e - a menos que vc seja super interessado e conhecedor de arte moderna - as explicações em quadros ao lado de cada obra acabam sendo suficientes para conhecer bem a galeria. O Tate Modern tem seis pisos. Na entrada você pode comprar um mapinha uma libra, mas também pode baixar o conteúdo no seu smartphone a partir do site tate.org.uk. Nesse endereço, aliás, você descobre tudo o que precisa saber sobre essa galeria, que como eu disse, tem seis pisos. O primeiro tem somente auditório, um café, uma lojinha e uma área nova que está em obras e vai abrir em 2014. Nos pisos acima há sempre uma mostra fixa e uma temporária em cada um, sendo que as temporárias são pagas (não fomos em nenhuma, só as fixas já são enormes para conhecer). No segundo piso fica a exposição fixa Poetry and Dream, que tem mais de 70 pinturas e esculturas surrealistas. No terceiro andar fica a mostra Transformed Visions, com arte abstrata e é também onde fica um bar com vista para o Rio Thamisa. O quarto piso é dedicado principalmente a esculturas com cubismo, minimalismo, salas dedicadas a artistas específicos dessas formas de arte. Gente, lembrando que sou ZERO conhecedora desse tipo de arte, estou falando aqui o que li nos folderes que peguei por lá durante a visita, se eu estiver falando besteira não me condenem hahaha! O quinto piso do Tate Modern é fechado somente para associados e, no sexto andar, um restaurante com uma visão ainda mais maravilhosa do rio que corta a cidade! O Tate Modern é incrível, ficamos mais de duas horas lá dentro! As obras são impressionantes e a galeria é bastante interativa, principalmente as instalações do terceiro piso! Para quem quiser a experiência completa, que inclui conhecer também o Tate Britain, vale pagar 6,50 pelo Tate to Tate boat, a embarcação que leva do Tate Modern para o Tate Britain. Se quiser ida e volta o valor é 12 libras. Para nós ficou para a próxima, mas só conhecer o Tate Modern já valeu demais! SHAKESPEARE'S GLOBE: bem ao lado do Tate Modern, à direita dele quando vc sair do prédio, fica esse teatro que é uma réplica de um teatro elizabetano, onde estrearam muitas peças de Shakespeare. É um prédio circular, um teatro a céu aberto, a arquitetura dele impressiona, dá pra ver bem de cima da Millennium Bridge. É possível fazer uma visita guiada por lá também, além de assistir as peças em cartaz. Nós ficamos só com a vista do prédio histórico imaginando como seria uma peça encenada ali na época de Shakespeare! RESTAURANTE WAGAMAMA: Saímos do Tate Modern já perto da hora do almoço e, ainda assim, não era hora ainda de visitar a St. Pauls Cathedral, por isso fomos a um restaurante de comida oriental recomendado por uma amiga ali mesmo na City. Preço justo, comida boa e bem feita, vários sabores nada óbvios de yakissoba, mas se sua fome não for muuuuito grande e vc estiver em duas pessoas, peça um prato só! Olha só o tamanho! Esse restaurante tem várias unidade, não só na City! MAIS ANDANÇAS PELA CITY: Depois do almoço andamos bastante pela City e vimos mais do vai-e-vem do pessoal dos escritórios, os ônibus vermelhos congestionando as ruas, as obras e novas construções por todos os lados, os mil prédios que parecem monumentos mas são só prédios antigos do centro de Londres mesmo rs. Achamos também uma galeria super fofinha cheia de restaurantes e lojas, toda enfeitada com bandeiras da Inglaterra, enfim, coisas da City! Vale a pena andar sem rumo por lá! Uma das construções que me intrigaram por lá foi uma que parecia uma nave espacial. Depois, pesquisando, descobri que era uma sinagoga ou algo do tipo! O que não tem como não reconhecer de cara é o The Monument, falo sobre ele abaixo! THE MONUMENT: Essa é uma coluna construída para lembrar o grande incêndio que destruiu boa parte da cidade em 1666. Tem 61 metros de altura e, na prática, nada mais é do que uma coluna de pedra... mas com um significado histórico muito grande! No meu roteiro não estava previsto subir porque a vista que se tem de lá teríamos de outros lugares, mas como tínhamos tempo e por 3 libras... subimos! São nada menos que 311 degraus em uma escada em caracol e uma vista incrível, apesar da grade colocada no topo depois de uma seqüência de tentativas de suicídio! Depois que vc desce, ganha um certificado por ter encarado um total de 622 degraus entre a subida e a descida! Se tiver um tempinho e disposição sobrando, por que não subir?!? ST. PAUL'S CATHEDRAL: Enfim, o passeio mais esperado do dia! St. Paul's Cathedral, a igreja com a segunda maior cúpula do mundo (atrás apenas da Basílica de São Pedro, no vaticano), a igreja onde a princesa Diana se casou com o príncipe Charles, é também onde fica a sede do bispado de Londres, enfim, motivos para conhecer essa catedral não faltam! Isso sem falar que ela é uma obra prima da arquitetura, algo inexplicável mesmo, linda demais! Sem dúvidas a igreja mais maravilhosa em que já estive! E olha que ao longo da viagem visitei dezenas! A St. Paul's é especial e já vou contar por que! Essa catedral foi erguida exatamente no mesmo lugar onde esteve a primeira igreja da história de Londres! Foi construída e reconstruída várias vezes, teve várias fases para chegar ao que é hoje, mas a data de início das obras do prédio atual é de meados 1670 e dentro da igreja há muitos trabalhos de artistas dessa época. Fotografar lá dentro é proibido, mas prepare-se para uma das visões mais lindas que se pode ter de imagens sacras em Londres! Toda a cúpula é ornamentada, a altura entre o alto da cúpula e o chão é absurda, de pirar o cabeção mesmo!!! Normalmente (se vc não der azar como eu dei, de ir num dia que teria um evento fechado) a catedral funciona das 8h30 às 16h00 e o ingresso para visitação custa 16 libras com direito a audio-guia em português e um mapa bem explicativo de cada setor da catedral (por nada no mundo deixe de pegar o áudio-guia, foi um dos melhores em termos de informações e curiosidades sobre a igreja!). Muito importante: se vc for como eu, que gosta de conhecer TUDO, chegue pelo menos 14h00, você vai precisar de bastante tempo. Isso porque além da cúpula maravilhosa, do altar, das capelas, você tem a opção de subir até a chamada "galeria dos murmúrios", onde você fala de um lado e os sussuros são ouvidos de outro! Para chegar lá ão 257 degraus! Para ganhar fôlego, lá há bancos onde vc pode sentar e admirar a pintura decorativa do domo bem de perto! Subindo ainda mais chegamos à Golden Gallery, de onde se tem uma vista sensacional da cidade, imperdível! Ok, quase morremos, no total se não me engano são 528 degraus para chegar ao mirante lá no topo (lembrando que já tinhamos subido e descido 311 degraus no The Monument)! O visual é lindo e vertiginoso, vale muito a pena, um milhão de vezes mais que o The Monument, caso vc decida escolher entre os degraus de um e outro rs! Para os preguiçosos tem uma vista panorâmica disso tudo que pode ser conferida na cripta, mas sem chance de ir até lá e ver só uma simulação né! Depois da experiência incrível "nas alturas", descemos correndo para a cripta porque faltava pouco para encerrar o horário de visitação. Essa região da igreja também é linda e ornamentada, vale a visita! Desculpem me estender muito para falar dessa catedral, mas é que ela vale muito a pena! O site para outras informações é o http://www.stpauls.co.uk! REGENT STREET E OXFORD CIRCUS: Já era fim de tarde a gente estava poooodre depois de tanto subir e descer escadas... mas helloooooo, eu estava em Londres! Fora de cogitação a possibilidade de descansar, até porque o sol enfim tinha resolvido aparecer! Pegamos o metrô e fomos para as ruas mais desejadas pelos turistas consumistas! É na região da Regent Street, da Oxford Circus, Piccadilly Circus que está a maior concentração de lojas da cidade, desde aquelas de grife às lojas de departamento mais populares. O movimento nessas ruas é imenso. A quantidade de lojas é realmente enorme! Entramos primeiro no outlet da Nike porque meu marido estava atrás de um tênis do Roger Federer e encontrou lá por um preço melhor do que pagaria no Brasil. Fora isso, como diz uma amiga minha, tudo lá é "em euros" hahahah tipo, muito caro. Claro que tem as lojas suuuuper populares, como a Primark que tinham me recomendado como sendo o "must" do comércio em Londres. Realmente, tem coisa de uma libra lá... mas não sei se eu que sou um ser do outro mundo e não ligo meeesmo pra compras ou se realmente não vale taaanto a pena assim. É barato? É! Mas ainda assim é em libras! Fazendo a conversão e vendo a qualidade dos produtos, que obviamente não é das melhores, sou mais ir até a 25 de março, em São Paulo e comprar loucamente sem pensar no excesso de bagagem! Hahahahahah! Gente, juro, talvez eu esteja enganada, mas andei bastante na Primark foi essa minha impressão. Até comprei umas coisinhas diferentes que a gente não vê aqui no Brasil, mas tem que garimpar bastante dentro dessas lojas que são imensas para fazer valer a pena. As filas nos provadores estavam enormes... aí eu me perguntava: eu estou em Londres e vou ficar em fila de provador??? Ah vá! Sem chances, não é pra mim, definitivamente! Já as gastadeiras de plantão não podem deixar de ir nesses lugares, tem loja de tudo quanto é coisa lá! Uma que eu gostei e também comprei umas coisinhas, mesmo não sendo tããão barata, foi a Marks and Spencer, a M&S, é um pouco mais cara mas tem mais qualidade do que a Primark! Andamos a Regent Street e a Oxford Circus inteirinhas, mas mal entramos em lojas. Gastamos sola de sapato atéééé o Hyde Park e um dos seus monumentos! MARBLE ARCH - Esse é um monumento que fica em uma das esquinas do Hyde Park. É aqui também que fica a famosa "Hyde Park Speakers Corner", onde aos domingos as pessoas costumam subir num banco e fazer discursos, qualquer um pode fazer isso, engraçado né? Bom, vamos ao Marble Arch: ele foi inspirado no Arco de Constantine, de Roma. Quando foi erguido ficava na entrada do Palácio de Buckingham e era uma passagem real. Depois de ser transferido para essa esquina do Hyde Park qualquer plebeu pode passar por ele hahahah! É bem bonito o monumento e algo de imporância para a cidade! DE VOLTA AO HYDE PARK: Não consigo explicar como, mas já eram quase 20h00, estávamos destruídos, derrotados, acabados... mas aproveitamos que estávamos por ali mesmo e entramos de novo no Hyde Park! Já sei, temos problema mental... mas nem que fosse de maca eu TINHA que aproveitar aquela "noite" linda de sol! Foi incrível como o céu ficou lindo antes de começar a escurecer e como na nossa primeira ida ao Hyde Park o tempo estava fechado, convenci meu marido a não se entregar às dores nas pernas e dar um passeio por lá! Valeu muuuuito a pena, ficamos um bom tempo jogados na grama admirando tudo ao redor! O Hyde Park é tudo de bom! LONDON EYE E PARLAMENTO ILUMINADOS - Depois de banho tomado, pernas esticadas por alguns minutos e roupas mais quentes vestidas, saímos de novo! A lista que eu tinha de monumentos que ficam LINDOS iluminados era enorme - a própria St. Paul's Cathedral, onde estivemos durante o dia, era um desses lugares - mas como tínhamos que escolher decidimos ir ver a London Eye e o prédio do Parlamento com as luzes acesas. Lindos, imperdíveis! As fotos falam por si! JAMIE'S ITALIAN: Depois de passear pela região da London Eye voltamos ao nosso point preferido da noitada, Covent Garden. O problema é que já passava das dez da noite e quase todos os restaurantes estavam fechados. Não, Londres não é São Paulo onde a galera vira a madruga!!!! Resolvemos então parar no lugar que encontramos aberto, o Jamie's Italian, que é uma versão mais popular de um restaurante do renomado chef Jamie Oliver. Sim, é uma delícia! Sim, cabe no bolso! Super recomendo! Meu marido comeu um hamburguer gourmet e eu, claro, pedi uma massa que estava divina! Não deixe de pedir a cesta de pães da entrada, é tipo dos deuses! O vinho da casa também vale a pena! Fechamos esse dia com chave de ouro, só não tem fotos porque estávamos tãaaao podres que nossas caras nas fotos estão uó do borogodó e a maioria está tremida, hahahaha, sem coordenação motora depois de um dia cheio! QUINTA-FEIRA (23/05) ABBEY ROAD: Acordamos bem cedo e fomos até a famosa Abbey Road, onde fica o estúdio em que os Beatles gravaram o álbum que leva o mesmo nome e onde eles tiraram a emblemática foto na faixa de pedestres para a capa desse disco. É bem bacana pelo que o local representa, mas sinceramente é só uma faixa de pedestres como outra qualquer, precisando de uma pintura inclusive hahahahah! Gente, sou a mais insensível para coisas do tipo: "fulano já esteve aqui", "beltrano sentou nesse banco", "ciclano pisou nesse chão"! Então não sou parâmetro pra essas coisas, mas para qualquer pessoa - mesmo que não seja mega fã dos Beatles - é muito legal estar lá, tirar a típica foto na faixa de pedestres, ver o muro onde é possível deixar recados para a banda (lembrando que de tempos em tempos os recados são apagados rs), ver o estúdio onde gravavam. É pertinho do metrô, não paga nada, então... por que não??? Só espero que tenham mais sorte que nós quando pedirem para alguém tirar a foto da travessia na faixa de pedestres... o ser humano que tirou pra gente é ZERO noção de enquadramento! CAFÉ DA MANHÃ EM LONDRES: Quando fui para os Estados Unidos já sabia que o café da manhã de lá seria terrível pra mim... não consigo comer bacon, ovos e cereais de manhã! Não sei por que achei que, na Europa, encontraria mil cafés, patisseries e lugares cheios de pães para comer de manhã... ledo engano!!! Sim, tem muitos desses lugares, mas não são como padarias que abrem beeem cedinho (horário em que a gente costuma tomar café nas nossas viagens)... e os outros lugares, que já encontrávamos abertos por volta das sete da manhã, era aquilo: cafés deliciosos de zilhões de tipos, bolos, cookies e outras mil alternativas de coisas doces e, na parte dos salgados, sanduíches com salame, carne, mostarda... e croissaint de vento!!!!! Eu tinha que ficar no croissant de vento mesmo! Foi meu café da manhã em praticamente todos os dias em Londres! Com exceção dos dias em que estávamos perto de um Pret a Manger, que já contei no primeiro dia de viagem, e lá sim tinha croissaint de vários sabores, inclusive presunto e queijo! Uma sugestão para quem quer economizar e ter mais alternativas de pães é ir nos supermercados da cidade, em um dos dias passamos em um Sainsburry logo cedo e compramos vários pães! Estou contando isso agora porque, nesse dia, depois da Abbey Road, paramos num café em Leicester Square e meu marido fez questão de pedir um "café da manhã inglês"! Écaaaaaa! Feijão, cogumelos, ovos, salsicha e pães tostados. Claro que, sendo assim, sou mil vezes o croissant de vento! TRAFALGAR SQUARE: Saindo do café, demos uma andada na região da Charing Cross Station, onde fica também essa praça é que o point para tudo em Londres. Tem shows que acontecem aqui, finais de campeonato são comemoradas aqui, enfim, é um lugar bem movimentado e estava todo preparado a final da Champions League, que seria dois dias depois. É um lugar bem legal para fotos porque tem muitos monumentos e ruas com a "cara" de Londres ao redor. Demos uma boa enrolada aqui porque o museu que visitaríamos fica nessa praça e abriria só às 10 horas da manhã. Ah, vimos inclusive, atrás do National Gallery, outro museu onde não entraríamos, mas que é um prédio bem bonito por fora: o National Portrait Gallery (um museu só de retratos). NATIONAL GALLERY: agora pára tudo porque eu tenho que estar em estado de "êxtase" pra falar desse museu! O melhor de Londres! FATO! Melhor em tudo, na minha opinião: no acervo, na distribuição e localização das salas, na clareza e nos detalhes descritos no áudio-guia! São mais de duas mil obras que datam desde o século 13, um museu incrível que não é enooorme como alguns que acabam sendo inviáveis de conhecer por inteiro, mas que "dá o recado" de uma forma como nenhum outro que eu conheci! Na entrada pegue um guia chamado "60 minute tour", seguindo as orientações vc vai direto às obras mais importantes e pode ouvir sobre elas selecionando no audio-guia. Aí o restante você vê aquilo que mais te chamar atenção, eu fiz isso! Ainda assim foram quase duas horas dentro do National Gallery! O melhor desse museu: é de graça! Vc paga só pelo áudio-guia, que vale muito a pena! Funciona das 10h00 às 18h00. Às sextas-feiras fica aberto até às 21h00. Não pode fotografar lá dentro. O site oficial é o http://www.nationalgallery.org.uk. Imperdível, se pudesse visitar apenas UM museu em Londres, escolheria esse, sem sombra de dúvidas! LEICESTER SQUARE, SOHO E CHINATOWN - Bem atrás da National Gallery fica a região da Leicester Square que é lotada de lojas e ruas bacanas, além do Soho e Chinatown, onde os restaurantes orientais se multiplicam entre outros estabelecimentos ching ling! Achei lindo esse pedaço de Londres, não sei se é porque o tempo ajudou, mas achei tudo colorido, os prédios imponentes, as lojas super diferentes! Tem de tudo nessa região em que vc anda da Leicester Square Station até a Piccadilly Circus Station!!! Logo em frente à Leicester Square é difícil não querer entrar em várias lojas, para mim a mais imperdível é a da M&M, achei mais legal do que a de Las Vegas, onde eu havia estado recentemente! Enorme e super temática, vá ao piso superior para tirar foto na "Abbey Road"! ALMOÇO PRE-THEATRE: não tivemos estômago para almoçar nos restaurantes chineses que vimos em Chinatown, então passamos para retirar nosso ingresso do espetáculo que iríamos mais tarde e vimos vários restaurantes perto dos teatros com menus pre-theatre. É uma espécie de refeição rápida para quem vai, em seguida, assistir alguma peça. Achei uma ótima pedida, por isso recomendo, há várias opções por preços bem justos. Escolhemos uma chapa de carne que vinha com molhos diferentes, fritas e salada. Basiquinho mas melhor do que os patos dos chinesinhos hahahah! Ah, para completar, nossa sobremesa foi na patisserie que eu elegi como a minha preferida em Londres, tem várias unidades dela pela cidade: é a Patisserie Valerie. Meu Deeeus, água na boca de lembrar! Terminamos nossa tarde na Piccadilly Circus, já tínhamos estado lá perto mas não nessas ruas onde ficam os teatros, as baladas, as casas de espetáculos. Vindo da Leicester Square, tudo no caminho até Piccadilly é bacana, vale o passeio a pé admirando a construções, as lojas, os monumentos, as atrações! LES MISERABLES: Depois de um banho e uma esticada de pernas no hotel, voltamos para o mesmo lugar - Piccadilly Circus - para a noite mais esperada em Londres! Fomos ao Queens Theatre assistir o musical Os Miseráveis, aquele que recentemente virou filme! Li bastante sobre os musicais em cartaz em Londres para saber se tinha algum outro imperdível como esse e, além do Les Mis, o que havia me chamado a atenção era o We Will Rock You, um tributo a Fred Mercury, mas nem tudo o que eu li sobre esse último foi positivo... então fiquei mesmo com "Os Miseráveis" já que me apaixonei pelo filme quando vi (assisti duas vezes no cinema!). Comprei o ingresso antecipado com um mês e meio de antecedência pelo site oficial http://www.lesmis.com e não tive nenhum problema! Há vários preços de acordo com o assento que vc escolhe, eu paguei 90 libras pelos dois ingressos nos assentos E13 e E14 upper circle. Não eram os melhores assentos do mundo, mas como comprei meio "no escuro" porque pelo mapa do site não dá pra saber exatamente se é bom ou não o assento, achei bem aceitável pelo preço (mas se eu fosse de novo pagaria o dobro por uma área VIP, vale demais esse espetáculo)! Olhando agora as fotos de novo, acho que fica mais claro entender o quanto pode valer pagar mais caro por assentos mais próximos ao palco. O lugar onde ficamos era bem de frente para o palco, na reta central do palco e não nas laterais. Isso foi bom, mas olhem na outra foto a altura a que estávamos do palco... então se eu fosse comprar procuraria também uma poltrona "E 13 e 14" mas talvez em um andar abaixo. Bom, estou falando isso tudo só para ajudar quem ainda for comprar! Bom, conforme recomendado no site, retiramos os ingressos a tarde, trocando pelo voucher da compra que fiz pelo site e não houve nenhum transtorno, foi tudo como tem que ser! Chegamos uma hora antes, o teatro é bem bonito, apesar de não ser muito grande. Não tenho o que falar sobre esse espetáculo, foi simplesmente sensacional, perfeito, maravilhoso, chorei do começo ao fim, amo musicais e amo histórias baseadas em acontecimentos reais, sabem, como é o caso desse com a Revolução Francesa, é uma super produção! Então saí de lá encantada e querendo assistir de novo e de novo e de novo! JAMIE OLIVER'S DOG HOUSE: Saímos do teatro verdes de fome e, bem ali ao lado, encontramos mais um restaurante popular do chef Jamie Oliver! Desta vez na versão hot dog! Meu marido aaaama hot dog, então nem pensamos duas vezes antes de parar ali. Preço bom e lanche delícia, além do ambiente que imita o "gueto" mesmo, para deixar claro que é Jamie Oliver de pobre hahahaha! BALADA EM PICCADILLY CIRCUS: Não, não dava pra ir embora sem tomar uma em algum lugar, afinal, helloooo, estávamos em Londres! Aí, nessa região de Piccadilly, percebi algo que não tinha visto em Covent Garden: você anda pelas ruas e divulgadores das casas noturnas ficam te chamando a entrar nesse ou naquele lugar. Como acho que estava escrito na nossa cara que éramos brasileiros, tudo quanto era balada latina o povo queria que a gente entrasse! Resistimos porque parecia meio roubada... depois descobrimos que, ao entrar com a indicação desses divulgadores, vc paga uma taxa que normalmente não pagaria! Ainda bem que não caímos nessa... entramos num bar qualquer que já nem lembro qual foi o dessa noite, dançamos um pouco, bebemos outro pouco e fomos embora. Essa noite até que foi light em comparação com as anteriores, até deu tempo de ir embora de metrô! SEXTA-FEIRA 24/05 DIA DE CHUVA: faça o roteiro mais perfeito do mundo para sua viagem a Londres... em algum momento você vai ser obrigado a mudá-lo por causa do tempo! Do nada chove! Do nada abre sol! Daí chove de novo! Nesse dia o plano era ir na London Eye... quem disse que o tempo deixou??? Amanheceu com uma chuva incessante e um friiiiio de trincar os ossos! Sorte que já era nosso quinto dia na cidade e eu já estava manjando tudo! rs Remanejei o roteiro porque é sim possível fazer muita coisa por lá num dia chuvoso! Normalmente, eu não iria em mais de um museu num mesmo dia... fica cansativo, o cérebro passa a não processar tanta informação! Maaaas com o típico dia cinza e úmido de Londres, o jeito foi recorrer ao máximo de atrações em lugares fechados para não perder tempo! Ah... e claro: entrar em mil cafés entre uma parada e outra porque o clima chuvoso dessa cidade pede mil cafés! A sexta-feira foi, então, dia de "gastar" o guarda-chuva que comprei no primeiro dia da viagem! BRITISH MUSEUM: Começamos o dia por este que é o museu público mais antigo do mundo! É enorme o British Museum, então não o percorremos inteirinho como fizemos na maioria dos outros. Selecionamos aquilo que achamos que seria mais interessante, o que não é nada fácil porque tudo parece muito interessante por lá! Como a parte de pré-história, obras egípcias e essas coisas serem sempre divulgadas quando se trata desse museu, ficamos mais nessas obras. É um museu bacana mas essa coisa de "imensidão" me deixa meio doida... fico querendo ver tudo e é inviável, aí fico irritada hahahaha! Ok, sou louca, mas gostei do British Museum a começar pela arquitetura dele, pelo saguão ter iluminação natural e pela distribuição das obras ser bem diferente dos outros. Ah! A entrada lá é gratuita, funciona das 10:00 às 17:00 e o site oficial é o http://www.britishmuseum.org. HARRODS: Saindo do British Museum pegamos um ônibus até a região do Kensington Garden e descemos perto da Harrods. Lendo sobre Londres para montar meu roteiro, em todo lugar encontrava a recomendação de ir conhecer essa loja de departamentos. Algo como o "must see" do comércio londrino. Sorry, não pra mim. É realmente um shopping enorme com vários andares, lojas de várias marcas famosérrimas... onde eu não posso comprar nada! Hahahahah! Gente, inviável... devo ser muito pobre mesmo. Só loja de grife nessa Harrods, daquelas que vc olha a vitrine e deprime, sabe? Ou melhor, eu não deprimo porque não tô nem aí pra coisas de marca, mas achei um programa inútil pra mim em Londres tendo em vista que não me interesso por essas coisas de gente fresca. Só o que vale a pena na Harrods é a decoração dela, lindíssima! Tem inclusive um memorial fofo da princesa Diana! Falam muito também do food court da Harrods, mas a comida lá da praça de alimentação também é uma fortuna, saímos de lá e fomos comer no Mc Donald's hahahaha Sou pobre mas sou feliz, prefiro não gastar numa loja dessa para conhecer um ponto turístico qualquer! VICTORIA AND ALBERT MUSEUM: a entrada desse museu já é linda, um prédio que tem mesmo a cara da realeza! O V&A's, como é conhecido, é dedicado a arte e design, com imensas galerias e milhões de peças de tudo quanto é tipo! Depois de muuuitos museus com obras relativamente semelhantes, esse museu se torna até mais "light"de ser visitar por ter um acervo diferenciado e ter alguma interatividade! Foi eleito meu segundo museu preferido de Londres, depois da National Gallery! Ah e lá dentro as fotos são permitidas! Tirei um moooonte! Esse museu também é de graça, funciona das 10h00 às 17h45 e o site é o http://www.vam.ac.uk. NATURAL HISTORY MUSEUM E SCIENCE MUSEUM: Esses outros dois museus são praticamente na mesma rua do Victoria and Albert Museum e também são de graça! Agora pensa: quem dá conta de conhecer tantos museus num período tão curto de tempo??? Eu não! Se é pra entrar só pra dizer que conheci, prefiro deixar pra uma próxima, gosto de conhecer as coisas de verdade e não apenas fazer "check-in" pra dizer que estive lá! Entre esses três escolhi o V&A's e não me arrependo porque achei esse museu sensacional! No Natural History Museum só entrei pra ver o hall de entrada que disseram que era lindo, mas achei bem... sei lá, infantil! Acho que é o tipo de exposição que criança gosta, demos uma olhada e meu marido que foi ao mesmo museu mas em Nova York achou bem fraquinho esse de Londres... enfim, questão de gosto, eu resolvi só passar em frente a esses museus e quem sabe conhecer numa outra oportunidade! KENSINGTON GARDEN: Continuamos andando na chuva e parando em cafés para aproveitar os aquecedores até chegar na entrada do Kensington Garden! Uma pena estar chovendo ainda pois esse era um lugar que num dia de sol ficaria muuuito mais bonito... mas se o sol aparecesse no nosso último dia em Londres correríamos para a London Eye, não daria pra voltar ao Kensington Garden... então lá fomos nós com chuva e tudo! ROYAL ALBERT HALL E ALBERT MEMORIAL: Pela entrada do Queens Gate seguimos à direita para ver dois monumentos que se avista dali: Royal Albert Hall, uma espécie de teatro no lado de fora do parque, e o Albert Memorial, que é um memorial gótico da era vitoriana em homenagem ao príncipe Albert! Pena que estava em obras, cheio de andaimes! LADY DI MEMORIAL WALK: Depois desses dois monumentos, voltamos caminhando em direção ao Kensington Palace pelo caminho real da princessa Diana, um lugar lindo e florido, cheio de esquilos como todos os parques de Londres! Pena que o tempo cinza não deixou o visual ainda mais lindo! KENSINGTON PALACE: No coração do Kensington Garden está esse palácio que serviu de residência real a várias gerações da realeza. Eu imaginava outra coisa desse palácio, achei que conheceríamos algo mais perto da realidade... mas ele é totalmente cenográfico, montado mesmo para que os visitantes sintam como se estivessem numa residência real do passado, achei até meio exagerada essa montagem, parece lugar de gravação de um filme sobre a monarquia, mas enfim... é interessante porque esse "exagero" faz com que vc viaje na história que aconteceu ali mesmo, naqueles cômodos! A parte do Kensington Palace aberta para visitação é dividida em vários aposentos. O primeiro ambiente tem uma galeria de imagens de vários membros da realeza, inclusive da Lady Diana, da Kate Midleton e do príncipe William. No meio, um espécie de sofá onde você deita para ler as inscrições que ficam no teto. Depois é só ir explorando os outros ambientes... o apartamento da rainha Mary II, o apartamento do rei George. A rainha Victoria também tem um espaço para ela que mostra um pouco da sua vida. O mais interessante é a música ambiente nos cômodos, que são músicas da época, além dos "sussurros" reproduzidos nos corredores, nas janelas... eu achei bem interessante! Meu marido não gostou muito, achou tudo muito "armado", mas essa é mesmo a proposta do Kensington Palace. Levar os visitantes ao passado realmente de uma forma cenográfica. Eu curti! A entrada custou 16,50 libras. O horário de funcionamento de março a outubro - época em que fomos - é das 10:00 às 18:00. O site oficial é o http://www.hrp.org.uk. JARDIM REAL: bem em frente ao palácio, o belo jardim é parada obrigatória para fotos! Lindo! Só faltou o sol! PICCADILLY INSTITUTE: Depois do fim de tarde gelado (nunca passei tanto frio na vida quanto nesse dia!), seguimos para o ritual "banho quente + perna pra cima" e fomos pra rua de novo! Era nossa penúltima noite em Londres e a idéia era pegar outra balada forte! A primeira parada foi num bar perto do nosso hotel mesmo, estava rolando música ao vivo, o cara que tocava era bom pra caramba, mas ficamos uns quarenta minutos lá, a cerveja começou a subir rapidinho, lembramos que precisávamos comer mas descobrimos que a cozinha tinha fechado às 22 horas! Engraçado isso lá... os bares e casas noturnas ficam abertos até de madrugada, continuam servindo bebidas, é claro, mas a cozinha sempre fecha! Pedimos a "saideira" e fomos para Picadilly Circus, onde tínhamos conhecido uma balada bacana na noite anterior, quando estava rolando uma festa fechada por lá. Nessa noite demos sorte e o Piccadilly Institute estava aberto! Balada de patrão! Cinco ambientes super temáticos, mega decoração, música boa, gente bonita, ficamos lá até de madrugada e quase deixamos as calças pra pagar tudo o que bebemos hahahah! Valeu a pena! Só não vou postar muitas fotos porque é queimação de filme total o nosso estado de piração na balada!!!! Outra noite incrível em Londres! SÁBADO - 25/05 DE VOLTA AO PARLAMENTO: A primeira vez que o vimos foi num dia cinza... depois admiramos o prédio todo iluminado, a noite... mas nada como ver essa maravilha com um dia ensolarado! Sim, para nossa alegria amanheceu um dia LINDO e nós corremos para esse lugar que pedia um céu azul! LONDON EYE: É claro que nossa alegria pelo dia lindo não era exatamente pelo prédio do Parlamento... e sim pela atração que fica ali, pertinho dele! Esse era nosso último dia inteiro em Londres, então era agora ou nunca para subirmos na London Eye! E essa manhã de sábado estava perfeita para isso! Sol! Céu de brigadeiro! Chegamos cedo aos pés dessa roda gigante de 135 metros de altura construída em homenagem à passagem do milênio que e se tornou mais um dos símbolos da terra da rainha! O horário de funcionamento da London Eye é das 10:00 às 20h30. Chegamos lá por volta das nove horas, já que eu havia lido que tem gente que encara uma fila surreal para andar na roda gigante, li relatos de pessoas que ficaram cinco horas na fila!!!! Olha, sobre isso o que eu digo é o seguinte: planeje o seu roteiro de forma a subir na London Eye logo cedo. Aliás, TUDO o que leva a fama de ficar lotado em qualquer ponto turístico do mundo vale o esforço de pular da cama bem antes do horário de funcionamento. Lá estávamos nós de manhã mesmo depois de uma noitada brava na madrugada anterior! Meu marido entrou na fila para comprar o ingresso (que custa a partir de 18,60 libras) e enquanto isso fui comprar um café. Foi tão rápida a fila do ingresso que, quando voltei com o café, ele já estava pertinho do guichê! Lá, além do ingresso, vão oferecer pra vc um guia 360 graus da vista lá de cima da London Eye por 1 libra. Eu comprei, mas não precisa!!!! Lá nas cápsulas da roda gigante tem um computador de bordo exatamente com as mesmas informações. Então não precisa comprar. Ah, muita gente fica em dúvida sobre ir na London Eye durante o dia ou a noite... a noite deve ser lindo também, mas eu gostei muito de ir durante o dia exatamente por você conseguir identificar exatamente cada lugar que avisa lá de cima! Bom, na bilheteria vão te dizer também que vc pode assistir de graça um filme em 4D sobre a London Eye, é MUITO bacana, vale a pena! Maaaas eu recomendo que vc faça o que fizemos: primeiro vá para a fila da roda gigante, faça o passeio e, na volta, assista o filme 4D. Assim vc evita que a fila da roda gigante vá lotando mais ainda porque de manhã a cada minuto lota mais! Nossa espera para subir na London Eye foi de cerca de 15 minutos, talvez nem isso, super rápido! Vale demaaaais esse passeio, a vista é linda lá de cima!!! Depois sim, termine a atração com o filme 4D que é uma graça... e é de graça! O site da London Eye para mais informações: http://www.londoneye.com. BARCO ATÉ GREENWICH: Saindo da London Eye, voltamos para o outro lado do rio para pegar o barco e seguir para Greenwich, a cidade vizinha à Londres onde fica o Meridiano de Greenwich. É possível ir pra lá também de metrô ou de ônibus, mas de barco vc vai conhecendo tudo o que tem às margens do Thamisa pelo caminho, então por que não? Compramos o bilhete de ida e volta no pier que fica em frente à estação de Westminster. Na extensão do rio são vários piers de onde saem os passeios, oferecidos por várias empresas. Não estou encontrando na minha bagunça o valor que pagamos pelo bilhete de ida e volta até Greenwich, se não me engano foi em torno de 17 libras. O percurso até o destino é de cerca de 45 minutos e, durante pelo menos metade desse percurso, um guia que vai falando sobre os lugares por onde o barco vai passando. É uma aula de história para quem entende bem o inglês e o guia é bem simpático e animado! Entre os pontos turísticos e que vimos do barco está o HMS Belfast, um navio da II Guerra Mundial. Isso sem falar na Torre de Londres e na Tower Bridge, a vista desses dois monumentos a partir do rio é demais! Muito agradável esse passeio, que também rende boas fotos. Na volta não tem o guia, afinal, ele apresenta tudo no trajeto de ida... resultado, na volta dormimos o percurso todo hahahah é bom também por isso, penúltimo dia em Londres já estávamos só o fiapo! GREENWICH ROYAL OBSERVATORY: São muitos os motivos para conhecer Greenwich! A cidade é considerada Patrimônio Histórico da Humanidade e é uma gracinha! Tem o Old Royal Naval College, onde fica o Painted Hall, uma sala de jantar barroca super reconhecida por quem entende do assunto. Tem o National Maritime Museum, que abriga a maior coleção de arte da marinha no mundo! Mas a maioria dos turistas, como nós, vai até lá - é claro - para ver exatamente o lugar por onde passa o Meridiano de Greenwich, aquele que a gente aprende na aula de geografia lá pela sexta série, que divide os hemisférios! Desembarcamos e fomos caminhando devagar pelos pontos turísticos que falei acima. O meridiano não fica muito perto do pier, mas é uma caminhadinha que faz com que vc conheça um pouco da cidade, dá pra encarar tranquilamente a ida a pé até lá! A entrada do Royal Observatory já é linda por si só, tem um barco engarrafado como aqueles vendidos na Bahia sabe rs, só que em tamanho gigante! Subindo um pouquinho vc já sai no magnífico jardim do parque e, mais acima, a vista espetacular que permite enxergar até Londres! Por fim, o observatório onde você paga 7 libras para entrar e conhecer um pouco da divisão do planeta em hemisférios! Em um dos prédios, dentro do Royal Observatoty, está a Time Ball, uma das formas mais antigas de se saber as horas. A bola sobe até a metade do mastro e desce uma vez por dia e... foi exatamente no horário em que chegamos lá, 13h00! Sinceramente, na hora não entendemos o que estava rolando, na volta é que li a respeito na Internet! Fora isso tem a linha de longitude zero! Rola uma filinha para a foto com um pé em cada hemisfério, para não empatar a vida do povo que está esperando, já vá pensando na sua pose para agilizar hahahah. Eu combinei a minha com o meu marido mas ele não sacou a idéia, aí ficamos meio tortos, mas tá valendo! Na saída, passamos pelo museu das horas, que fala da forma de se contar o tempo, mas tudo bem rapidinho, claro que quem curtir pode gastar bastante tempo lá, mas ainda tínhamos muito a fazer nesse dia! Eu gostei do Royal Observatory, achei que super valeu a ida até lá! Para saber mais tanto sobre o observatório quanto sobre o que mais há em Greenwich, o site perfeito é o http://www.visitgreenwich.org.uk. GREENWICH MARKET: Saímos do Royal Observatory mortos de fome! Enquanto voltávamos para o pier, onde vimos que tinha um restaurante, resolvemos entrar por umas ruazinhas de Greenwich só pra ver se tinha alguma opção que nos fizesse salivar... foi assim que, sem querer, encontramos o Greenwich Market! Uma feira super fofa com tudo o que se pode imaginar! Artesanato, roupas e aquilo que procurávamos: comida!!!! Tinha várias opções no estilo "feira", ficamos com uma paella feita na hora, estava deliciosa! Depois achamos uma barraquinha de brasileiros vendendo churros, comi um de doce de leite para prestigiar os conterrâneos! Muito fofys o Greenwich Market, demos sorte porque ele funciona todo sábado! Fica a dica de passeio bacana e comida boa em Greenwich! TORRE DE LONDRES: Anote aí! Assim como a St. Paul's Cathedral é a igreja imperdível de Londres, a Torre de Londres é o lugar histórico que ninguém pode deixar de ver ao visitar a cidade!!! Eu que adoro história, nem preciso dizer que AMEI o lugar, é como se tudo tivesse acontecido nesse prédio construído em 1.080! A Torre de Londres já foi de tudo: primeiro foi erguida para ser um forte, evitar invasões e amedrontar o povo, impondo o respeito à coroa. Depois teve muitas funções até deixar de ser usado, foi construído e reconstruído várias vezes, hoje em dia há somente uma torre, mas já foram vinte! Todas essas histórias são contatadas nessa imensa construção! Muitas histórias são de mortes, resistências, há algo de filme de gladiadores naquelas paredes, um passeio que vale a pena! Para quem tem saco de seguir multidões, há visitas guiadas em determinados horários, com a torre apresentada por personagens do lugar! Nós até tentamos começar a acompanhar um grupo, mas é MUITA gente em volta, mal dá pra ouvir o que os guias dizem, se fosse em português até rolava uma leitura labial, mas em inglês foi sem chance pra eu tentar adivinhar o que eles estavam dizendo a uma certa distância. Achei tudo imperdível na Torre de Londres, mas gostei mesmo foi da White Tower. Meu marido amou a coleção de armas reais e armaduras usadas ao longo da história! Outra grande atração da torre é o castelo onde ficam as jóias da coroa, rola uma fila imensa para entrar e conhecer as pedras preciosas da realeza em várias peças. Lendo um pouco da história da Torre de Londres, você vai descobrir que os corvos mantidos lá até hoje fazem parte de uma antigo mito de que, se eles sumissem dali, Londres seria atacada! Nossa, é muita história na Torre de Londres, fora que, apesar de ser tudo muito real, vc do nada pode trombar com personagens, guardas reais, objetos que podem ser manuseados! Não dá pra perder. Os ingressos custam 20,90 libras, carinho né... mas vale! O horário de funcionamento é de terça a sábado, das 9:00 às 17:30, aos domingos e segundas das 10:00 às 17:30. TOWER BRIDGE: A ponte mais famosa de Londres - e uma das mais famosas do mundo! - é simplesmente linda vista das margens ou para quem navega pelo Thamisa. Da Torre de Londres ela também é linda! Uma obra de arte da arquitetura, sem dúvidas! É daquelas pontes que "se abre" para passagem de navios, como nos filmes! Quando fomos no The Monument, compramos um ingresso combinado que dava direto também à Tower Bridge Exhibition, que é um passeio "por dentro" da Tower Bridge. Sinceramente, eu estava TÃO cansada que, se já não tivéssemos o ingresso comprado, eu não teria entrado nessa exibição. Queria ter corrido para Nothing Hill, já que era sábado e estava rolando a famosa feira por lá. Para não perder o bilhete que tínhamos na mão conhecemos rapidamente o interior da torre. Acredito que para engenheiros, arquitetos e quem goste desse tipo de curiosidade seja um baita programa, meu marido mesmo gostou bastante! Conhecemos tanta a história da construção quanto as engrenagens, na parte de baixo da ponte. Já para mim foi um passeio que eu dispensaria... só ver a Tower Bridge por fora já teria me deixado satisfeita, aí vai do gosto de cada um! Vamos aos horários de funcionamento de abril a setembro - das 10:00 às 18:30. De outubro a março, das 09:30 às 18:00. Pagamos 9 libras pelo ingresso que deu direito à subida no The Monument e na Tower Bridge Exhibition. O site oficial: http://www.towerbridge.org.uk. NOTHING HILL: Queria ter mais para falar desse bairro fofo, mas sua principal atração, que é a feira que acontece aos sábados, eu tive pouco tempo para conhecer. Chegamos lá bem no fim da tarde, quando as lojas já começavam a fechar, os vendedores recolhiam as mercadorias... então não consegui aproveitar o suficiente para poder relatar algo que ajude quem for visitar. Só o que eu posso dizer é: vá em um sábado e chegue antes das 18h00. O que eu conheci, e achei lindas, foram as ruas desse bairro que ficou conhecido pelo filme "Um Lugar Chamado Nothing Hill". Ele é realmente diferenciado, é bem residencial, as casas são uma graça, tudo muito charmoso, não deixe de dar uma passada por lá, mesmo não sendo num sábado de feira! COVENT GARDEN: Nossa última noite em Londres, claro, tinha que ser aqui! Nosso bairro preferido para a noitada. Como a balada anterior tinha sido fortíssima, fomos apenas para passear sem pressa pelas ruas que estava mais movimentadas do que nunca, por ser sábado! Ouvimos música ao vivo no Market, comemos queijos e petisquinhos num dos bares ao redor da piazza, que estavam todos lotados, depois andamos mais até achar um lugar que uma amiga havia me recomendado: Neal's Yard. É um bequinho fofo, com casinhas coloridas, uma gracinha! Minha sugestão é que vc passe por ele durante o dia, deve dar para ver melhor os detalhes do lugar. Mesmo sendo a noite, fiquei feliz por ter achado, é bem num miolinho de Covent Garden, na região da Seven Dials. Procure, pergunte, olhe os mapas e achará! Para encerrar a noite, andamos até a Leicester Square também para curtir aquele clima movimentado da noite londrina, tomamos um sorvete no Ben & Jerry e voltamos para o hotel. Eu sabia que sentiria saudades da noite de Londres, em especial em Covent Garden... é incrível! COISAS DE LONDRES: Duas coisas curiosas desse dia que consegui fotografar! Quando saímos da Tower Bridge, vimos uma "bicicleta" com uma "mesa" no meio! É como um bar com pedais, o povo que bebia na mesa era o mesmo que pedalava!!! Hahahahah adorei! Depois, a noite, vimos uma festa em um ônibus! Muito engraçado a balada forte no busão! Isso em falar das pessoas fantasiadas pelas ruas, dos tipos de tudo quanto é tribo desconhecida, pelo menos pra mim! É por isso que amo viajar! Os turistas mais atentos conseguem ver coisas totalmente fora do comum, pelo menos para quem é de fora! DOMINGO - 26/05 REGENT'S PARK: Li sobre todos os parques de Londres - que são muitos - e, a partir do que pesquisei, defini aqueles que não poderia deixar de conhecer. O Regent's Park foi um deles. Esse era nosso último dia em Londres! Acordamos cedo e fomos para o Regent's Park, que além de ter uma das maiores áreas para prática de esportes de Londres, abriga o London Zoo, o Open Theater, que é um teatro a céu aberto... e é LINDO! Vale a ida ate lá! Meu marido pirou nas várias quadras de tênis que tem no parque! Eu amei os lagos, os jardins e, como sempre, os esquilinhos que ficam pra lá e pra cá! MADAME TOUSSAUD E SHERLOCK HOLMES MUSEUM: Tanto o museu de cera quanto o museu de Sherlock Holmes ficam pertinho do Regent's Park. Definimos que não entraríamos em nenhum dos dois porque o museu de cera Madame Toussaud já tínhamos conhecido em Las Vegas no ano passado e o de Sherlock pesquisei e achei que não era nada suuuuper mega blaster demais! Ainda bem que fomos no museu de cera de Las Vegas porque o de Londres estava com uma fila dobrando o quarteirão mais de uma hora antes do horário de abertura! Já o de Sherlock Holmes sei não... se tivesse tempo queria ter entrado! Isso porque entrei na lojinha que tem na saída do museu e me apaixonei! Só coisas fofinhas! Enfim, não tínhamos tempo! Caminhamos pela Backer Street, tomamos nosso último café em Londres e corremos para o último destino da nossa visita a Paris! CAMDEN TOWN: Assim como Nothing Hill, esse é um bairro que vale MUITO a visita em Londres. Claro que ele é totalmente diferente do romântico Nothing Hill! É o bairro dos londrinos alternativos, das mais variadas tribos! Característica que vc associa de cara ao saber que Amy Whinehouse viveu ali. Assim como sábado é o melhor dia para conhecer Nothing Hill, por ter a feira, em Camden Town é no domingo que tudo acontece! Meu Deus! Fiquei encantanda com as lojinhas de lá! São vários estabelecimentos de rua e vários "markets", o mais charmoso é o Stables Market, todo temático como se fosse um estábulo, enorme, cheio de lojas alternativos! Eu, que sou super básica, tradicionalzona mesmo, até careta no jeito de me vestir, fiquei querendo tudo! Dá vontade de ser alternativo estando em Camden Town! Pirei nas lojinhas, nas pessoas, nos restaurantes de rua (comi uma gororoba chinesa pra entrar no clima)! Não deixe de ir a Camden Town num domingo! É demais, seja para comprar ou só para conhecer! Maravilhoso, fechamos com chave de ouro nossa visita à terra da rainha! PLATAFORMA 9 3/4: Não sou suuuper fã de Harry Potter, mas li os primeiros quatro livros e não resisti a ir conhecer a famosa plataforma 9 3/4, aquela onde os alunos "embarcam" no trem para Hogwarts. Não deixei de ir principalmente porque fica na Kings Cross Station, bem ao lado da St. Pancras Station, onde iríamos embarcar no trem para Paris. A estação por si só é linda e enorme! Logo no saguão principal, seguindo em frente, você já vai ver a fila para fotografar na plataforma! Ela fica perto da loja oficial do bruxinho mais querido do mundo e, lá, fotógrafos da própria loja "ajeitam" tudo para uma foto perfeita, com direito a carrinho de malas e o cachecol da sua "casa" preferida de Hogwarts! O bom é que, se vc estiver com mais uma pessoa, como foi meu caso, essa pessoa tira exatamente a mesma foto que o fotógrafo da loja do Harry Potter! Fica perfeita a foto sem vc precisar comprar! Eu adorei, valeu a pena encarar a fila de uns 15 minutos para fazer a foto! EUROSTAR PARA PARIS: Londres ficava para trás, mas nossa viagem continuaria em Paris! Escolhemos ir para lá com o trem de alta velocidade que passa pelo Eurotunel, por baixo do Canal da Mancha! Comprei a passagem com dois meses de antecedência pela Internet! É possível comprar pelo site do próprio Eurostar ou pelo Rail Europe, que tem versão em português. É bom pesquisar nos dois, às vezes pode ter uma variaçãozinha de preço e de disponibilidade de assentos. Assim como as passagens aéreas, quanto antes vc comprar, mais chances tem de encontrar melhores tarifas! O preço é meio salgado, mas pela facilidade de não precisar despachar bagagem, não precisar chegar com muuuito tempo de antecedência, pelas minhas pesquisas seria o melhor jeito de ir para Paris. Pagamos, pelas duas passagens no Eurostar, 792 reais na classe econômica, claro! Ao comprar pelo site, é enviado por email um voucher que vc deve imprimir. Se vc esquecer, pode fazer isso nos terminais de auto-atendimento que tem na estação de St. Pancras. Tudo perfeito, sem problema algum! Para mim, a viagem foi ótima porque dormi nas duas horas e dezesseis minutos de trajeto! Hahahahah! Nem vi se passamos pelo tal do Eurotunel! O cansaço depois de uma semana intensa em Londres estava pegando forte! Enfim, super recomendo o Eurostar, valeu o investimento pela facilidade que representa! CONSIDERAÇÕES FINAIS: PRIMAVERA EM LONDRES: eu caí na pegadinha da primavera! Hahahahaha, não caiam! Realmente é um período perfeito para ir para lá porque a cidade está lindamente florida e começa a anoitecer perto das dez da noite, então você aproveita MUITO o dia inteiro! Porém, eu fui preparada para algo que lembrasse o outono brasileiro, levei sim roupas mais quentes, mas não para o frio polar que encontrei por lá! Sou jornalista e digo que o frio mais intenso que já havia sentido na vida tinha sido em uma entrada ao vivo no Globo Rural, às 6h15 da manhã, numa plantação onde havia geado naquela madrugada. Em Londres consegui passar mais frio do que isso! Então, não se deixem enganar, vá preparado para um frio glacial, diferente do frio que estamos acostumados a sentir, mesmo caso vá no começo da primavera, como eu fui! Essa é minha única observação sobre Londres, a única coisa que me fez sofrer por lá e para a qual não fui preparada - o frio congelante! - todo o resto foi perfeito! LOCALIZANDO-SE EM LONDRES: estudei bastante os mapas da cidade para conseguir me locomover por lá. Considero isso importante em qualquer viagem para que pelo menos uma noção se tenha do lugar onde se vai. Levar um mapinha no bolso ou baixar no celular também é sempre bom, mas em Londres algo que eu achei ótimo é que, a cada esquina, tem um "you are here". Um mapa com a sua localização e os arredores. Isso ajuda muito! É uma cidade absolutamente bem sinalizada! INTERNET EM LONDRES: nós somos do tipo pobrinhos rs. Não habilitamos celular e muito menos internet para viagens ao exterior, só conectamos mesmo caso haja algum lugar com wi-fi free! Em Londres você não vai ter dificuldade com isso porque muitos estabelecimentos têm internet grátis por uma conexão chamada "The Cloud" bastando apenas vc fazer um cadastro numa primeira vez. Encontrávamos o The Cloud principalmente em cafés como Nero, Pret a Manger e Starbucks. Como morríamos de frio e toda hora era hora de um café, não tivemos dificuldade com isso depois do primeiro cadastro (que um funcionário do Nero Café nos ajudou a fazer). Agora se vc não quiser pensar em cadastros ou coisas desse tipo, Mc Donald's é o lugar!!! Em todos tem wi-fi free aberto, sem cadastro e nem nada, não tem erro! Há também outras muitas formas de usar a internet em Londres, tem táxi com internet, tem as opções de cartões, entrando em cabines, essas coisas, mas sinceramente nem me informei sobre isso, viagem de pobre não tem essa de pagar por internet hahahahah! Ah, mas em Londres se vc não for neurótico por Internet e se contentar em conectar algumas poucas vezes por dia - como é meu caso, afinal, estou viajando, não vou perder meu tempo on line! - fique tranquilo porque não vai passar aperto! Na última das possibilidades, conectávamos do hotel mesmo, antes de dormir! LONDON, I LOVE YOU: não posso terminar esse relato sem dizer que me apaixonei perdidamente por Londres. Cidade linda, limpa, organizada, jovem, agitada, histórica mas moderna, grande mas aconchegante, perfeita! Minha cara! Amei Londres, fiquei com vontade de morar lá! Correr todos os dias naqueles parques, andar pra lá e pra cá admirando os prédios todos tão bonitos, tomar chá das cinco sempre que possível, conhecer a fundo os lugares onde não pude estar! Tirando o frio, que se resolve com um milhão de casacos (que vou levar com certeza numa próxima visita), tudo em Londres superou minhas expectativas! Em breve vou escrever meu relato sobre Paris, que também é uma cidade apaixonante, mas que não se compara nem de longe com a terra da rainha! Beijos e até a próxima!
  3. Querido, ri muito com o seu relato! Foi ótimo, divertido e com muitas informações que vou aproveitar para o meu roteiro! Embarco domingo! Obrigada por dividir sua aventura conosco!
  4. Oi pessoal! Estou embarcando para Europa pela primeira vez no próximo domingo. Vou ficar seis dias em Londres, seis dias em Paris e dar uma passadinha na Suiça para visitar uma amiga antes de retornar para o Brasil. Montei um roteiro para Londres e Paris e queria a sempre bem vinda opinião de vocês! Será que estou esquecendo algo? Dicas, sugestões, palpites, críticas, pleeeeease!!!!! Segue o roteiro dia a dia 19/05 (DOMINGO) - Embarque no Aeroporto de Guarulhos às 19h10 / Terminal 1 \ 20/05 (SEGUNDA-FEIRA) - Chegada no Aeroporto de Heathrow – Londres às 14h05 (ter em mãos passagem de volta, reserva do hotel, passagem do Eurostar para Paris, ingresso para Les Miserables para imigração) - Pegar a linha Heathrow Express até Paddington Station (18 libras): (http://www.transportdirect.info/Web2/JourneyPlanning/JourneyDetails.aspx?cacheparam=2) - Comprar Oyster Card (30,40 libras cada um pelo passe para sete dias) - Check-in no Hotel Hyde Park Premier London Paddington (14-16 Craven Hill, Lancaster Gate, London, W2 3DU Reino Unido ‎0800-762-1295) - Metrô até Covent Garden para jantar em algum pub ou no Hard Rock Café (150 Old Park Lane London / Take the tube to Green Park – Victoria, Jubilee and Piccadily Lines – come out the North Exit and walk along Piccadilly towards Hyde Park Corner) 21/05 (TERÇA-FEIRA) - Metrô da Paddington Station a St. Paul’s Station às 7h00 - Antes da abertura da cathedral podemos ver de fora Museum of London / St Bartholomew the Great / College of Arm’s / Mansion House (nessa região tem ainda Bank of England Museum / St Stephen Wallbrook Church / Monument) - St. Paul’s Cathedral (abre às 8h30 – capela onde Charles e Diana casaram, obra prima do arquiteto Christopher Wren. Subir até a cúpula a 85 metros do chão / ingresso 15 libras com direito a audioguia - Climb up to the Whispering Gallery to admire the dome’s painted decorative scheme and get a vertiginoius view, and to the Golden Gallery for an unparalleled panorama of London and the River Thames) - Tate Modern (da cathedral, atravessar o rio Tâmisa pela ponte Millenium, que termina na porta da Galeria Tate Modern / abertura às 10h00 / gratuito / além da exposição permanente ver o Turbine Hall e o restaurante do sétimo andar para vista da City / o Tate Modern ocupa antiga usina elétrica de Bankside, com um dos acervos de arte moderna mais importantes do mundo / o Tate Britain é a parte de obras antigas, é a galeria do outro lado do rio, tem um barco do Tate to Tate, avaliar) - Ver Shakespeare’s Globe (saindo do Tate Modern, à direita – edifício circular que é réplica fiel do teatro elizabetano, onde estrearam muitas peças de Sheaspeare) - Bankside Pier (pegar barco com passe para o dia “River Roamer” e seguir ao pier Tower Millenium, direção eastbound, que fica perto da Torre de Londres. O percurso é de 10 minutos e dá pra ver no caminho o HMS Belfast, navio da II Guerra, o prédio da Prefeitura de Londres e a Tower Bridge) - Torre de Londres (terça a sábado das 9:00 às 17:30 / ingresso 20,90 / pedras preciosas das jóias da coroa, coleção de Armas Reais, decoração da idade media, sete corvos que habitavam a torre) - Marina St Katharine’s dock (há bares, pubs, cafés com vista linda para a ponte e a margem sul do Tâmisa, sugestão para o almoço) - Pier Tower Millenium para barco em direção a leste, destino a Greenwich (20 minutos de percurso) - Greenwich (Old Royal Naval College onde fica o Painted Hall, uma sala de jantar barroca. National Maritime Museum abriga a maior coleção de arte da marina do mundo e o principal: Royal Observatory – vista espetacular de Londres e a linha do primeiro meridian, que marca a longitude 0 e é a divisão de hemisférios / ingresso 7 libras) - Sugestão para noite: pub em Leicester Square 22/05 (QUARTA-FEIRA) - Metrô de Paddington Station a Leicester Square Station - Trafalgar Square (coração de Londres, grandes espetáculos, praça mundialmente famosa) - National Gallery (its collection of European painting is world class / vista da Trafalgar Square e da Whitehall / funcionamento – das 10h00 às 18h00 / passeio guiado gratis 11h30 e 14h30 ou audioguia a 3,50 disponível em português) - National Portrait Gallery (ver se vale mesmo a pena entrar – duas estrelas no Guia Michelin) - Descer a Whitehall Avenue (prédios do governo britânico, centro administrative do governo, passar pelos cavalos da rainha na Horseguards e pela Banqueting House, pela Dowing Street que é a residência oficial do primeiro ministro, no meio da rua monumento em homenagem aos mortos de Guerra – Cenotaph) - Parlamento (Estrutura neogótica, construída depois que um incêndio destruiu o antigo palácio de Westminster, sede das duas câmaras do Parlamento, a dos Lordes e a dos Comuns / perto do Big Ben) - London Eye (roda gigante de 135 metros de altura construída para comemorar a chegada do milênio / funcionamento das 10h00 às 20h30, passeios a cada meia hora / ingresso a partir de 18,60) - Southbank (calçadão na margem sul do Tâmisa, entre London Eye e Waterloo, passando pelo Southbank Center. Se der sorte, pôr do sol da ponte Waterloo) - DEFINIR NOITE, sugestão: Pub Ain’t Nothing But (20 Kingly Street, Soho) 23/05 (QUINTA-FEIRA) - 7h00: Metrô da Paddington Station a Westminster Station - Churchill Museum (apenas foto) - Abadia de Westminster (local de sepultamento dos monarcas britânicos desde o século 11, cenário de casamentos e coroações / ver vão gótico francês e Capela Henrique VII / abre para visita às 9h30 / ingresso 16,00 / adquirir audioguia em portguês grátis) - 10h45 posicionar para esperar a troca da guarda - Buckingham Garden - Palace of Buckingham / Queen’s Chapel (gabinete e residência official da rainha / para chegar, da St James Square seguir pela Pall Malle virar na Marlborough Road) - St James Palace (Dating from the time of Henry VIII (1491 to 1547) this was the main royal residence from 1698 to 1837, logo em frente à Queen’s Chapel) - Royal Academy (acervo de arte permanente que inclui alto relevo de Michelangelo / decidir se vamos entrar ou não) - St James Square (badalação de Covent Garden) - 19h30 – Les Miserables (Queens Theatre) - Pub em West End (ver Aura Mayfair, baladona) 24/05 (SEXTA-FEIRA) - Sair a pé do hotel em direção ao Hyde Park - Kensington Gardens - Kensington Palace (Residência da Princesa Diana / funcionamento a partir das 10h00 / 14,50) - Apenas fotos em frente ao Natural History Museum e Science Museum - Victoria and Albert Museum (museu de arte e design / das 10:00 às 17h45 / entrada gratuita) - Royal Albert Hall e Albert Memorial (tribute ao marido da Rainha Victoria, sala de espetáculos redonda e memorial gótico da era vitoriana) - Brompton Oratory - Harrods (famosa loja de departamento na Brompton Road / funcionamento das 10h00 às 20h00 / sugestão de almoço no Food Hall da Harrods) - Marble Arch (monumento de mármore de três arcos, não foi erigido no local onde você o avista atualmente, na junção da Oxford Street, Park Lane e Edgware Road, próximo ao Speaker’s Corner do Hyde Park) - Pegar double-decker perto do Royal Albert Hall da rota 9, em direção a “Aldwych” - Descer na Picadilly Circus e visitar ruas próximas (Regent St. / Oxford St – ver loja Primark) 25/05 (SÁBADO) - Feira em Nothing Hill (ver melhor jeito de chegar) - Estação Russel Square - Passeio no Regent’s Park - Visitar Baker Street / Museu Sherlock Holmes / Madame Toussaud - British Museum (Mais antigo museu público do mundo / funcionamento das 10h às 17h / gratuito) - Seven Dials (confluência de sete ruas com lojas bacanas, brechós, bares e restaurants) - Definir nos dias anteriores a balada forte do sábado, última noite em Londres! 26/05 (DOMINGO) - Aproveitar a manhã para fazer algo que tenha faltado – sugestão é a feira de Canden Town, domingo de manhã! - Check-out no Hotel - Metrô para St. Pancras Station (nessa estação procurer a plataforma 9 ¾ do Harry Potter) - Embarque no Eurostar às 14h30 (chegar meia-hora antes) - Chegada na Paris Nord Station – comprar o Visit Paris para cinco dias 33 euros - Metrô até a Estação Pigalle - Check-in no Ibis Style Paris Pigalle Montmartre (3 Rue Frochot 75009 – Paris) - Jantar / balada no Boulevard de Clichy, no bairro Montmartre 27/05 (SEGUNDA-FEIRA) - Metrô até estação Trocadero - Bateaux Parisiens Tour Eifel (comprar jantar para a noite Paris Illuminations ou Paris Essential / 99 ou 66 euros) - Atravessar e observar o Palais de Chaillot (Palácio que abriga três museus e um teatro) e o Jardim du Trocadero, sairemos na Torre Eifel (funcionamento das 9:30 às 23:00 / ingresso 14.5 euros) - Ir ao número 29 da Avenue Rapp, onde está um dos melhores exemplos de arquitetura Art Nouveau, obra que ganhou primeiro premio no concurso de fachadas de Paris em 1901) - Caminhar em direção a Pont Les Invalides; - Musèe de l’Arme (um dos mais abrangentes museus da história military do mundo, ver a mascara mortuária de Napoleão e seu cavalo empalhad / funcionamento das 10 da manhã às 18 horas / ver preço) - Hotel des Invalides ( edifício encomendado por Luís XIV em 1670 para os veteranos de Guerra feridos ou sem lar / uma das vistas mais impressionantes de Paris / funcionamento das 10h00 às 18h00 / 9 euros) - St. Louis des Invalides (é a capela do Hotel des Invalides) - Eglise du Dôme des Invalides (túmulo de Napoleão está nessa cripta / construída de 1677 a 1706 / duas cúpulas, uma dentro da outra / abre 10:00 / ao lado ver Assembleia Nacional) - Atravessar a Ponte Alexandre III (é a ponte mais adornada com esculturas em Paris / uma das maravilhas da engenharia do século 19 / ver Grand Palais / Petit Palais / Palais l’Elisèe – decidir se vamos entrar em algum deles) - Avenida Champs Elisèe (o nome se refere aos herois da mitologia grega, linha reta de 3 km que liga a Place de la Concorde ao Arc de Triomphe) - Arch de Triomphe (a pedra fundamental foi lançada um ano depois que Napoleão prometeu a seus homens que eles “voltariam para casa sob arcos triunfais, em 1805 / entrada 9.5 euros) - Place Charles-de-Gaulle (Place de l'Étoile) - Jardin du Trocadero a noite (ver largo ornamental rectangular com estátuas de bronze) - Fim de tarde aos pés da Torre - Jantar no Bateaux Parisiens 28/05 (TERÇA-FEIRA) - Metrô até Íle de la Cité - Passar pelo Conciergerie (principal presidio do país durante a revolução) / Sainte Chapelle (jóia da arquitetura gótica, famosa pelos vitrais coloridos) e ver Palais de Justice (conjunto de tribunais de justice em prédio construído há 16 séculos) - Ir para o Marco Zero, na praça onde está a Crypte Archéologique (aqui estão remanecentes das casas de 2000 anos atrás / estende-se por 120 metros subterraneos, museu de arqueologia de Paris, com ruas e casas do periodo galo-romano) - Cathedral de Notre Dame (construída no lugar de um templo romano, começou a ser construída em 1163 e levou dois séculos para ficar pronta, foi aqui a coroação de Henrique VI e Napoleão) ((sugestão no Marais: Rue des Rosiers, patisserie de Sacha Finkelsztajn, O Korcarz é uma casa de chá, patisserie e restaurant, na esquina de Rosiers com rue Hospitalières Saint Gervais fica o restaurante Chez Marianne)) - Square Jean XXIII (jardim com fonte neogótica de 1844, vista privilegiada do lado leste da catedral) - Ile St-Louis (conjunto de ruas calmas e ancoradouros à beira do rio, com luxuosos restaurants e lojas, sede da famosa sorveteria Berthellon / construções do século 17, como a igreja em estilo barroco) - Tour St-Jacques (torre do final do period gótico é tudo o que resta de uma igreja medieval que reunia peregrinos que seguiam para Santiago de Compostela, na Espanha, edifício foi destruída pelos revolucionários) - Centre Pompidou (museu com obras de Matisse, Picasso, Miró e Pollock, representando Fovismo, Cubismo e Surrealismo / é onde fica o museu de arte moderna, três estrelas no Guia Michelin / artistas de rua do lado de fora) ((opção – pegar metrô Rambuteau a metro Bastille)) - Place de la Bastille (nada resta da prisão atacada pelos revolucionários em 14 de julho de 1830, a praça foi construída em honra das vítimas da revolução, do lado sul tem a Opera National Bastille / estátua do gênio da liberdade no alto da Collone de Julliet) - Place des Vosges (praça perfeitamente simétrica e considerada uma das mais belas do mundo, comercio de antiguidades e cafés elegantes) - Definir noite 29/05 (QUARTA-FEIRA) ((Sugestão para o café: Café Marly – No Musée du Louvre ao lado da Pirâmide 75001)) - Caminhada até o Musèe du Louvre (uma das coleções de arte mais importantes do mundo, história dos tempos medievais construída em 1.190 para proteger o país do ataque dos Vikings / ) - Passar pelo Musèe des Arts Décoratifs e pelo monument Arc de Triomphe du Carrousel (arco ce mármore rosa construído por Napoleão para celebrar triunfos militares) - Atravessar o Jardin des Tuileries - Ver Galerie Nationale du Jeu de Paume - Place de La Concorde (uma das praças mais suntuosas e históricas da Europa, foi um pântano até o século 18 / Luís XVI foi decaptado nessa praça entre outros, como Maria Antonieta / no lado norte, na rue Royale, duas mansões neoclássicas de Gabriel – Hotel de la Marine e Hotel Crillon) - Le Madeleine (igreja decorada com belas esculturas, mármore Rosado e douraduras / funcionamento a partir das 9h30) - Ópera National de Paris Garnier (inaugurada em 1875, casa de opera que é símbolo da opulência do Segundo Império) - Perto do Metrô Opera ver a Place de l’Opera, um dos cruzamentos mais movimentados de Paris - Les Passages (gallerie entre o Boulevard Montmatre e a rue St-Marc – ver Galerie Vivienne, na rue des Petits Champs, com chão de mosaic e ótima casa de chá) - Definir noite 30/05 (QUINTA-FEIRA) - Musèe d’Orsay (museu onde antes funcionava uma estação de trem / The Orsay houses the world’s finest collection of Impressionist works: paintings, sculpture, decorative arts, drawings and photographs by famous names such as Millet, Pissarro, Monet, Manet, Renoir, Toulouse-Lautrec, Cézanne and Van Gogh / 9.30am-6.30pm / 8 euros) - Seguir pela Boulevard Saint Germain (rua mais importante da Rive Cauche, arquitetura homogenea porque fez parte do planejamento urbano do século 19) - Igreja St. Germain des Prés (mais antiga igreja de paris, com origens em 542 como uma basilica para guardar relíquias sagradas) - Igreja St-Séverin (uma das mais belas igrejas de Paris que leva o nome do eremita que morou na região no século seis, exemplo perfeito do estilo gótico flamboyant) - Pantheón (igreja erguida para reverenciar santa Genoveva, a padroeira de Paris, estilo neoclássico, com a revolução se tornou um panteão para abrigar túmulos dos grandes herois do país, foi deolvido depois à igreja, a fachada é inspirada no panteão de Roma) - Jardins de Luxemburgo (ver Palácio de Luxemburgo, hoje sede do senado e Igreja St Sulpice / Fountaine de Medices) - Definir noite 31/05 (SEXTA-FEIRA) - Metrô RER linha C para Versailles (descer na estação Versailles Rive Gauche – Château) - The Palace of Versailles (maior palácio do mundo, residencia de Louis XIV / funcionamento a partir das 9 da manhã / 13.5 euros) - Grounds of the Palace (pode ser explorado a pé, de carruagem ou um pequeno barco no Grand Canal, fontes, estátuas, dá para passer o dia inteiro) - Definir noite 01/06 – SÁBADO - Igreja Sacré-Coeur (subir de funicular, aceitam o cartão do metro) - Ver também nesse bairro Espace Montmartre Salvador Dalí / Café “A la Mêre Cathêrine” (onde surgiu o termo “bistrô”) - Metrô para estação Paris Gare Lyon, trem às 11:58 É isso amigos, o que acham????? Tenho um blog, caso se interessem: http://www.porquetodefolga.blogspot.com.br. Um grande beijo!
  5. Oi pessoal, fazia um tempo que eu não passava por aqui e só agora estou vendo as mensagens! Gente, não sei mais ao certo os valores das coisas... mas gastamos sim em torno de seis mil com tudo... menos a passagem aérea pq fomos num beneficio da Gol porque minha prima trabalha lá. A centoulla não lembro mais!!! Em agosto faz sim bastante frio por lá viu... mas não levem mtos agasalhos, comprem lá pq vale muuuuito a pena! Entre El Colorado e Vale Nevado mil vezes Vale Nevado! No site da estação de esqui vcs encontram os preços atualizados!!! Espero ter ajudado!!! Beijão!
  6. Oi pessoal, que bacana que estão gostando do relato! Desculpe pela demora em responder... Comprei o espectáculo "O" com um mês e meio de antecedência, pelo que me lembro. Realmente dezembro deve ser maior a procura, tomar que vc consiga comprar! Bruno, minha escala em Houston foi super corrida mas por causa do horário do vôo... saiu muuuito atrasado de Guarulhos. Já a imigração foi bem tranqüila, rápida e organizada! O Wynn é mais ao norte da Strip mas não achei longe não, como algumas pessoas acham! Claro, não é no miolo da Strip, mas é tranquilo ir pros lugares lá! Fora que é liiiiindo o Wynn, vc vai amar! Espero ter ajudado! Abração!
  7. Que bom que gostou, Gláucia!!!! Com certeza vc vai gostar de Lãs Vegas, não tem como não se impressionar!!!! Beijão!
  8. Olá pessoal,para quem preferir, esse relato completo com fotos está no www.porquetodefolga.blogspot.com.br. Sempre utilizo o Mochileiros.com para me informar e planejar minhas viagens e, apesar dessa vez ter conseguido poucas informações aqui sobre o meu último destino, estou passando para deixar meu relato sobre minhas férias em Las Vegas! Espero poder colaborar com quem vai ou sonha em ir para lá! PRA COMEÇO DE CONVERSA... QUEM SOMOS: Acho essa informação muito importante porque acredito que o que determina o tipo de viagem a se fazer são os interesses e as características de cada um. Eu e meu marido somos um casal sem filhos, eu tenho 30 e ele 32 anos, gostamos de explorar ao máximo os lugares para onde viajamos, curtimos contato com a natureza, esportes, brinquedos radicais, vida noturna em geral, baladas, espetáculos, bons restaurantes, compras, conhecer gente nova! PORQUE LAS VEGAS: Meu marido é mágico profissional, sempre quis ir para Las Vegas pelos espetáculos desse tipo. Nesse mês de março comemoramos cinco anos de casados e eu sempre quis “casar de novo”, renovar os votos sabem??? Pronto, Las Vegas seria o lugar ideal para eu realizar esse sonho e ele enfim conhecer a cidade que tem os espetáculos como um dos principais atrativos. O PLANEJAMENTO QUANTO TEMPO FICAR: Eu sempre pesquiso muuuito antes de qualquer viagem para aproveitar ao máximo (acho que é coisa de gente que é meio sem grana, sabem... talvez eu nunca mais tenha a oportunidade de ir duas vezes ao mesmo lugar, então quero esgotar todas as possibilidades). Foi por isso que, depois de muito ler a respeito de Las Vegas, decidi que não faríamos nenhuma outra cidade próxima, como Los Angeles, por exemplo. Muita gente me dizia que ficar uma semana inteira SÓ em Las Vegas era muito tempo, que não tem tanta coisa pra fazer lá, etc e tal, mas eu me conheço!!! Se ficasse poucos dias me culparia por ter que fazer tudo correndo! E pelo que eu havia lido, vi que teria SIM muito a fazer em Vegas. Então definimos que passaríamos uma semana exclusivamente em Las Vegas! A ESCOLHA DO HOTEL: Como disse, não somos (ainda! rsrsrsrs) do tipo “cheios da grana”. Então, apesar de sabermos dos hotéis incríveis de Las Vegas, escolhemos pelos critérios que sempre usamos nas nossas viagens: ficar num hotel bem localizado, com preço razoável e um bom quarto para descansarmos todas as noites. Sim, porque não costumamos parar em quarto de hotel, só mesmo pra tomar banho e dormir! Então, pelos preços que pesquisamos e pela localização em Las Vegas, escolhemos o hotel Flamingo. Infelizmente, ao pesquisar nos blogs e sites de viagem, ouvi pouca gente falar dele. Fomos mesmo “às escuras”, então já deixo avisado aqui pra quem cogita a possibilidade de ficar hospedado no Flamingo: é um hotel ótimo!!!! Por não ver quase ninguém escrever sobre ele, eu fui com uma expectativa bem baixa... e me surpreendi positivamente! É um hotel grande, limpo, quarto amplo, com lugares onde dá pra tomar café ou fazer um lanche rápido caso seja necessário e, realmente, a localização é o maior benefício pelo custo que ele tem! Recomendo pra quem não faz questão ou não pode gastar dinheiro com o luxo dos hotéis renomados de Vegas! O ROTEIRO: Eis o ponto “chave” do meu relato de viagem rsrsrs. Gente, eu sou muito “nerd” com roteiro. Pesquiso muito antes de definir o que fazer dia-a-dia e até sofro quando fico em dúvida se o roteiro está ficando o melhor possível!!!! Por isso digo sem sombra de dúvidas: entre todos os roteiros que já fiz, o de Las Vegas foi o mais difícil de montar! Como sempre faço, estudei mapas, li muitos blogs de viagem, blogs de críticos de espetáculos, restaurantes... e talvez pelas muitas opções que Vegas tem em TUDO, às vezes não sabia como escolher o que fazer em cada dia! Qual foi a minha solução: fazer um roteiro “guia”, com base na localização dos lugares que gostaríamos de conhecer, e informações gerais de cada um desses lugares (o que tinha em cada um, o que não poderia deixar de fazer, etc). Também incluí no roteiro nomes e endereços de restaurantes, lojas, espetáculos recomendados por quem já foi pra Vegas. Dessa forma, seria possível ir adaptando o roteiro conforme as possibilidades e o andar da carruagem. Foi a melhor coisa que fiz viu, porque definitivamente NÃO DÁ PRA TER ROTEIRO DE VIAGEM PARA LAS VEGAS! Hahahah! As coisas não param de acontecer lá, pessoal... todo dia surge algo novo, uma balada é anunciada ou um show é cancelado ou você descobre algo que nem imaginava existir e resolve ir conhecer! Então minha recomendação é que vocês pesquisem muito, leiam muito e levem um roteiro para servir como guia... mas que se deixem levar pelo ritmo de Las Vegas e definam lá o que fazer dia a dia! Alguém pode me perguntar: mas e os shows? Não tem que comprar com antecedência??? Sinceramente, não! Nós só compramos o “O” do Cirque du Soleil pela internet e esse realmente eu acho melhor comprar antes, é MUITO imperdível pra correr riscos. Já todos os outros, deixem pra comprar lá! Tem muito desconto por tudo quanto é lugar, inclusive o Grand Cannyon compramos lá, até nossa renovação de votos de casamento só fechamos com a capela lá. Achei melhor assim pra não ficarmos com o roteiro “amarrado”, fizemos dessa forma exatamente por perceber que em Las Vegas o melhor é não ter planos!!!! Tem que chegar lá e se jogar! rsrsrsrsrs DICAS PARA MONTAR O ROTEIRO-GUIA: Ler MUITO sobre Las Vegas, tudo o que puder! Eu li TODOS os posts do site Viajando para Orlando (http://www.viajandoparaorlando.com), que tem um fórum de discussão exclusivamente sobre o estado de Nevada! Ía lendo e anotando, lendo e copiando e colando as informações relevantes para mim em um documento do Word, depois imprimi e li tudo para montar o roteiro-guia. Para quem tem Ipad uma dica é também baixar um aplicativo chamado “Vegas Mate” que tem muita dica de viagem, planilha de orçamento, mapa, tem muita coisa mesmo! Para ter informações variadas, pra mim o melhor blog foi o Cloez Corner, de uma brasileira que mora em Las Vegas, dando uma busca no Google já vai aparecer o link! Já em Las Vegas, peguem tudo quando é panfleto que oferecerem (menos os das mulheres peladas hahahah), distribuem muitos mapas, folderes de espetáculos, cupons de descontos! Isso me ajudou a complementar o roteiro-guia! A VIAGEM SEGUNDA-FEIRA – 12/03/2012: O VÔO: Decolamos às 21h30 do aeroporto de Guarulhos. Para a viagem de ida, a dica é aquela básica: leve pouquíssima coisa! Até quem não tem muito dinheiro (meu caso!), acaba comprando muuuita coisa lá! O limite de bagagem para os EUA é de duas malas por pessoa, cada mala pode ter no máximo 32 quilos. Nós levamos duas malas cada um e cada mala tinha cerca de 10 quilos apenas, pra não corrermos riscos com o excesso de bagagem! Voamos com a United Airlines, compramos as passagens pela internet no Decolar.com e deu tudo super certo, sem problemas algum, recomendo porque conseguimos preços melhores com a Decolar. Nosso vôo teve escala em Houston na ida, no total – de Guarulhos a Las Vegas – foram cerca de 14 horas. TERÇA-FEIRA – 13/03/2012: LOCAÇÃO DE CARRO: Pousamos pouco antes das 9h00 da manhã em Las Vegas e, do aeroporto, vários ônibus levam para uma área onde ficam todas as empresas de locação de veículos. A princípio, a idéia era não alugar carro. Fazer tudo de táxi, ônibus e a pé. Mudei de idéia com as dicas do pessoal do Viajando para Orlando. Apesar das atrações principais de Las Vegas serem todas na Strip, tem sim muita coisa afastada, principalmente os locais para fazer compras, de onde saímos todos os dias carregados de sacolas. Fora isso, depois que vi como funciona o esquema dos “Deuces”, os ônibus que cortam a Strip, agradeci mil vezes a vcs do VPO por terem me convencido a alugar o carro!!! Os ônibus ficam lotaaados, os pontos de ônibus cheios em qualquer horário do dia, a Las Vegas Boulevard tem muito trânsito, fica tudo parado e o povo dentro do ônibus lotado. Sem chance! Imaginei isso tudo em época de calor, deve ser o inferno na terra! rsrsrs Muita gente falou que, pelo transito, não valia a pena alugar carro pra ficar preso no trânsito. Não se deixem levar por isso! O GPS faz caminhos alternativos para TUDO, só fica preso no congestionamento da Strip quem quiser, há muitas estradas que ligam, paralelamente, um ponto e outro da Strip. Então acho uma economia “burra” não alugar carro principalmente pela característica que já mencionei que Las Vegas tem: tudo acontecer e mudar a todo momento! Se tivéssemos um roteiro fixo pra seguir, até daria com muito sacrifício planejar de onde pegar o ônibus, de onde descer, como ir e voltar... mas Vegas é uma surpresa a cada momento, então como mudávamos os planos conforme os acontecimentos, ter o carro foi essencial. Ônibus e monorail, como pensávamos inicialmente, nos fariam perder muito tempo frente ao ritmo frenético de Las Vegas! Para alugar o carro, pesquisamos antes pela internet para saber a média de preços de locação, mas não fomos com nenhuma empresa pré-definida. Escolhemos durante o vôo, quando, conversando com um americano, ele recomendou a Interprise. Pagamos U$ 35 por dia por um carro econômico e não tivemos nenhum problema, ficamos a semana toda com o carro, muito simples a retirada e a devolução do veículo, nem precisamos abastecer nesse período. GPS: O carro que locamos não incluía GPS, era a parte. Como nosso GPS do Brasil havia sido roubado, teríamos que comprar outro mesmo... então em vez de alugar um na empresa de locação de carro, saímos de lá e fomos direto para a Frys comprar um. Pelas informações que conseguimos, quem for comprar GPS lá para usar também depois no Brasil deve escolher por um modelo da marca Garmin, pois ele oferece os dados das estradas brasileiras no site, de onde é possível baixar quando chegarem aqui. Com a gente deu tudo certo, compramos um Garmin lá, foi perfeito por nos levar a todos os lugares com rotas alternativas fugindo do transito da Strip e, quando chegamos em casa, meu marido baixou o mapa das estradas brasileiras e já estamos usando o GPS também aqui. FRY’S: Como disse antes, o primeiro lugar onde fomos depois de alugar o carro foi para a Fry’s, uma loja enorme de eletrônicos parecida com a Best Buy, de Orlando. O endereço da Fry’s é 6845 Las Vegas Blvd S Las Vegas. Tem muito brinquedo, eletrodoméstico, itens de informática, pecinhas de tudo quanto mas o que procurávamos mesmo eram acessórios para Ipad e Ipod e nao encontramos. Sinceramente, eu esperava mais da Fry\\\'s, mas ainda assim deu pra comprar umas coisinhas! ROSS: Saimos da Fry's direto para a Ross que fica ao lado do Walmart no endereço 5200 South Fort Apache Roud NV89148. Como ja conhecíamos essa loja la de Orlando, definimos que antes de irmos em qualquer loja de roupa compraríamos tudo o que pudéssemos na Ross, por vale MESMO a pena e essa da South Fort Apache Roud e mesmo ótima, um milhão de vezes melhor que a Ross da Strip (fomos la num outro dia). Recomendo que quem esteja interessado em boas compras nao deixe de ir nessa Ross! SPORT'S AUTHORITE: Ao lado da Ross e do Walmart, no mesmo endereço que coloquei acima, tem essa loja so de artigos esportivos! Enorme! Pena que o setor que mais interessava meu marido - o de tênis - tinha poucas opcoes. Mas ainda assim vale a pena a visita para os esportistas de plantão. WALMART: Sempre maravilhoso, no mesmo complexo comercial da Ross e da Sport's Authorite. La encontramos os acessórios para Ipad e Ipod que nao tínhamos encontrado na Fry's! Fora todo o universo de produtos que o Walmart oferece! Lembrando que fica no mesmo endereço: Walmart 5200 South Fort Apache Roud NV89148. CHECK-IN NO HOTEL: Toda a maratona de compras acima fizemos com nossas bagagens dentro do carro! Fomos fazer check-in no Hotel Flamingo so as 17h00! Tinha fila pro check-in! Alias, todo santo dia, a qualquer hora do dia, tinha fila de check-in e check-out nao so no Flamingo, mas em praticamente todos os hotéis que visitamos, o que me fez pensar que JAMAIS eu faria o esquema que algumas pessoas fazem em Las Vegas, que eh passar uma noite em cada hotel para conhecer vários. So o tempo que se perde em arrumar malas, fazer check-in, fazer check-out... daria pra estar se divertindo e conhecendo outras coisas! Fica a dica entao pra quem nao tem saco com filas e afins! PASSADINHA RAPIDA NO VENETIAN: Na nossa primeira noite em Las Vegas, marcamos de encontrar um casal de amigos que estava la. Aquela seria a ultima noite deles em Vegas, iríamos para uma balada mas antes fomos fazer um "esquenta" no quarto deles no Venetian. De cara me encantei com esse hotel e olha que nessa noite so conhecemos um quarto e a área das piscinas, tudo lindo de morrer!!!! O quarto, alias, devia ser um dos tops porque alem da área do quarto tinha uma sala enorme e uma vista incrível da Strip! Gente, desculpem eu ser "deslumbradinha", pobrinho eh fogo rsrsrs! Eh que realmente nosso primeiro contato com o Venetian foi de babar pela oportunidade de entrar em um quarto sem estar hospedado la!!! BALADA "MARQUEE" NO HOTEL COSMOPOLITAN: Nossos amigos pesquisaram algumas baladas de Vegas e descobriram que nessa Marquee teria uma festa meio "prive" com a presença do Ne-Yo. Como eles chegaram antes que a gente em Vegas, conseguiram contato de um promoter, colocaram nosso nome nalistae fomos! Eh aquilo que eu disse... Las Vegas acontece a cada dia, a cada noite, tem que ficar antenado no que esta rolando para conseguir uns esquemas bons como esse! Antes da balada abrir ficamos tomando uns drinks no Crystal Bar que tem dentro do Cosmopolitan e eh LINDO! Sex on the beach de la estava ótimo! Recomendo MUITO essa balada la em Vegas! Mulher paga U$ 20 pra entrar e homem U$ 30. A Marquee tem três pisos, três andares com ambientes diferentes, tocando estilos de musica diferentes. Percorremos todos mas ficamos mais na que o Ne-Yo estava nas pick-ups. Como em todas as baladas, bares e afins de Vegas, tinha varias garotas de biquíni dançando nos balcões e eu e minha amiga nao tivemos duvidas... na primeira oportunidade subimos e dançamos também!!!! Vegas tem que entrar no clima, definitivamente!!!! EARL OF SANDUWICH (lanchonete dentro do Planet Hollywood): saímos da balada com aquela "larica", morrendo de fome e como ja era de madrugada tudo quanto eh lanchonete e restaurante estava fechado! Encontramos aberto o Earl of Sanduwich, que eu tinha na minha lista de "recomendações" dos blogs e relatos que li. Sinceramente nao sei opinar a respeito porque nem lembro o que eu comi hahahah! Mas eh sempre bom saber que eh um lugar que da pra encontrar aberto mesmo de madrugada! QUARTA-FEIRA - 14/03/2012 DORMIR PRA QUE??? Apesar de termos dormido quase quatro da manhã levantamos da cama cedo, oito e meia a gente já estava de pé!!! Dormir em Las Vegas é um pecado rsrsrs muita coisa pra fazer!!!! Nesse dia andamos pelo nosso hotel, conhecemos a área da piscina, alguns corredores de lojas, pegamos o carro e saímos sem nem tomar café da manha! LITTLE CHAPEL OF FLOWERS: Vou ter que me alongar um pouco nesse tópico porque na manhã de quarta-feira fomos direto para a capela que eu escolhi para nossa renovação de votos de casamento! Pesquisei MUITO, a exaustão, para definir em qual capela e em que tipo de cerimonia fazer o renewal of vows e decidi pela Little Chapel of Flores (http://www.littlechapel.com). Fica no endereço 1717 Las Vegas Blvd., ao North da Strip. O lugar é lindo!!! Decidi por ela por pura intuição porque nos sites de viagens, blogs, inclusive no Viajando para Orlando e no Mochileiros achei pouquíssima informação sobre quais eram as melhores capelas de Vegas... são muitas, com produtos e serviços muito parecidos, difícil escolher! O que tenho a dizer sobre a minha escolha é baseado pura e simplesmente na minha experiência... não li nada a respeito e nem tenho conhecimento para falar a fundo das outras capelas, então saibam que há uma grande chance de eu estar falando besteira rsrsrs! Pelo que eu pesquisei é o seguinte: praticamente todos os hotéis da Strip tem capelas onde é possível casar ou fazer a renovação de votos. Vi muitas noivas circulando pelos hoteis!!!! Não pesquisei produtos, serviços e nem preços de casamentos e renovação de votos nos hotéis, queria casar numa capela fora dos hotéis. Notei então, pela minha pesquisa, que as capelas mais populares de Vegas, onde o povo mais casa, são a Graceland (onde Bon Jovi se casou) e a White Little Chapel. Vasculhei os sites das duas durante muito tempo, antes de descobrir a Little Chapel of Flowers. Aí é aquela historia, dá pra casar de tudo quanto é jeito: com o Elvis Presley como celebrante, casar no drive trhru, sem precisar sair da limousine, casar no helicóptero sobrevoando a strip, casar no Grand Cannyon, casar no jardim da capela, casamento hawaiano, casamento com ou sem festa, com ou sem convidados... ou seja, sonhe e em Las Vegas vc pode realizar (desde que tenha dinheiro, claro!). Para casar DE VERDADE tem uma série de burocracias com papelada e tal, não é tão simples como vemos nos filmes (na internet vcs encontram facilmente esse tipo de informação), mas pra fazer a renovação de votos não precisa de nada, levei a certidão de casamento brasileira, achando que nos pediriam isso, mas nem precisamos apresentar! Bom, depois de navegar MUITO, em muitos sites de capelas, vi que as duas mais populares que citei (Graceland e Whitte Little Chapel) eram visualmente muito "fakes", sabem?!? Pelo menos pelos zilhões de vídeos e fotos que vi percebi que é tudo muito " cenográfico", parece cenário mesmo, senti que são capelas onde eu jamais me casaria se fosse pra ser "de verdade", entendem? Acho que elas são bem legais para quem quer fazer um casamento ou renovação de votos cômico, de zueira, gastando pouco, com o Elvis Presley como celebrante, por exemplo. Já pra quem busca uma cerimônia bonitinha, mais elaborada, como era o meu sonho, a Little Chapel of Flowers é a mais indicada, é a mais "real", com opções mais arrojadas, mais próximo da realidade sem deixar de ser uma capela de Las Vegas, tipo, une a beleza de uma capela de verdade ao clima louco de Las Vegas! Eu sinceramente até pensei em ter o Elvis como celebrante na Little Chapel of Flowers (porque lá não seria tão fake como nas outras capelas " cenográficas"), mas ficaria U$ 250 dólares a mais e nós já estávamos gastando muito dinheiro (pelo menos para o nosso bolso) com o casamento. Achei um investimento desnecessario pra quem nem é tão fã do Elvis. Falando nisso (preços), todas as capelas informam nos sites os valores das cerimônias e o que cada uma inclui. O pacote mais simples na maioria das capelas é de U$ 200 dólares. A partir daí dá pra gastar uma fábula!!!! Enfim, eu pesquisei tudo o que eu queria e deixei pra fechar lá só por desencargo de consciência, daria tranqüilamente pra fechar pelo site porque achei todos da capela super confiáveis, me deram retornos e esclarecimentos sobre tudo pela internet, então pra quem preferir fechar antecipado pelo site recomendo sem receio, já eu deixei pra ir lá pessoalmente e também não tive problema e nem dificuldade nenhuma, fui super bem atendida! Fechei uma cerimônia tradicional e fiz um upgrade pagando a parte uma sessão de fotos no jardim da capela! Depois conto os detalhes do casamento no relato da segunda-feira! PREMIUM OUTLET NORTH - Depois de passar na capela e acertar tudo, antes de percorrermos os hotéis, fomos para o Premium Outlet. Pelas recomendações que recebi, soube que o North é melhor que o South, então nem cheguei a conhecer o South, fomos direto para o Norht e é tuuuudo para compras! Igualzinho ao de Orlando!!!! Não deixem de ir, mesmo que não tiverem rios de dinheiro pra gastar, como era nosso caso! Ah, falando em dica pra quem tem o din din contado: chegamos lá e tomamos café na Starbucks, que tem wi-fi de graça! Nem precisa entrar nela pra ter o sinal, do lado de fora também rola conectar pela rede da Starbucks!!! Bom, não há muito o que falar do Premium... ele é tudo! Além das compritchas, almoçamos lá dentro mesmo no Food Court que tem várias opções econômicas. Bem que eu queria ter ido no Makino, que é o restaurante japa que tem lá, mas gastaríamos mais e preferimos um almoço mais casual! MADAME TUSSAUD (VENETIAN): Voltamos do Outlet, deixamos o carro e as compras no nosso hotel e fomos a pé para o Venetian. É o que eu falei, carro foi essencial pra gente fazer o que desse na telha, na hora que fosse! Mas para andar pela Strip, tem que gastar sola de sapato e nós gastamos muita! No Venetian fomos direto para o Museu de Cera Madame Tussaud, que dispensa apresentaçoes... pra quem não foi vale a pena, eu adorei ver as celebridades de cera! Fora que tem uma atração de terror de graça lá dentro, muito bacana! Fiquem atentos a descontos distribuídos nas ruas e hotéis e podem conseguir pagar bem menos pela entrada! PASSEIO DE GONDOLA (VENETIAN): Nunca estive em Veneza e em nenhum outro lugar da Itália... mas sem dúvidas me senti como se estivesse lá nesse passeio! Super romântico e lindo! Há a opção de ter uma gôndola só pra vc ou dividir com outro casal, claro que se for gôndola exclusiva é mais caro. Nós compramos para ir com outro casal, mas nos demos bem porque não tinha ninguém na espera, então fomos só eu e meu marido!!!! Conseguimos um descontão com aquele amigo que estava hospedado no Venetian - e por isso pagava mais barato com o cartão do quarto! - e pagamos U$ 34 pelo passeio. O rapaz que rema a gôndola conversou bastante com a gente, explicou que pra trabalhar na gôndola, além de saber cantar (pois eles cantam em parte do percurso, como em Veneza mesmo!), há a exigência de ser italiano mesmo pra trabalhar nessa função, achei o máximo!!!!! Lindo passeio, eu amei! BAR E CASSINO EMBAIXO DO HARRA'S: Gente, não estou conseguindo lembrar e nem encontrar na net o nome do bar que tem embaixo do Hotel Harra's, mas está sempre cheio e é fácil de achar porque tem um reservatório de gelo gigante, toca música agitada o tempo todo e tem duas meninas com apito na boca servindo! Na volta do Madame Tussaud e do passeio de gôndola paramos nesse bar pra tomar cerveja! Se vc compra uma Bud Light, ganha outra! Bom né??? rsrsrs FONTES DO BELLAGIO: A noite, depois daquele banho, seguimos para o Bellagio porque iríamos no espetáculo do Cirque du Soleil, mas fomos com tempo sobrando para ver o show das águas do Bellagio! Simplesmente incrível! Mesmo que você não se programe pra ver esse show, vc vai ver porque rola a todo momento, vimos vários ao longo da semana em que ficamos em Vegas. Essa noite foi a primeira que assistimos, pegamos um lugar bem no meio da fonte pra fotografar, foi LINDO! As fontes "dançam" e se iluminam conforme a música que toca! A cada quinze minutos toca uma música diferente! A primeira que ouvimos foi Lucy in the Sky with Dimonds, dos Beatles, eu até chorei!!!! Não dá pra explicar, só vendo!!!! Vejam! De graça! JANTAR NO BELLAGIO: Quer se sentir pobre??? Tente jantar num restaurante que tem vista para as fontes do Bellagio? rsrsrs Olhamos os menus na entrada do Le Cirque e quase caímos para trás! Acabamos comendo um wrap de camarão no Snack Bar do cassino do Bellagio (U$ 26,00 com refrigerante) enquanto esperávamos o horário do Cirque du Soleil. Até tentamos ir no buffet do Bellagio, mas a fila estava absurdamente gigante, não tínhamos tempo - e nem saco! - suficiente para esperar tanto! De sobremesa, tomamos um sorvete no Bellaguo, delicioso, mas enorme, compramos dois mas deveríamos ter comprado só um! Os dois sorvetes de uma bola cada um deu U$ 12,00. HOTEL BELLAGIO: Nesse dia conhecemos só as proximidades do teatro do Cirque du Soleil, mas já deu pra perceber que o Bellagio é liiindo! Pirei nos lustres com flores cor-de-rosa penduradas! As lojas, as floreiras, a área de jogos tanto de mesa quanto de maquinas, incrível, tudo lindo!!!!! Em outro dia voltamos lá e conto mais! "O" CIRQUE DU SOLEIL: Uma das perguntas que mais vi nos fórum de viagem - e que foi uma das dúvidas que nós também tivemos - foi: qual é o melhor espetáculo do Cirque du Soleil em Las Vegas??? Claro que a vontade era ir em TODOS, como não tínhamos tempo e nem dinheiro para tal, lemos muuuito e escolhemos o " O" ! Sinceramente, se existir algum outro show NO MUNDO tão sensacional quanto esse, eu saio correndo pelada pela Strip! hahahaha Que aposta ridícula! Enfim, o que quero dizer é que é incrível, imperdível, sensacional, nada que eu disser pra tentar explicar vai demonstrar o que é esse espetáculo! Claro que não tenho base de comparação com outros espetáculos como o Ka, o Le Reve, etc, mas eu acho que quem for vai amar, não tem como não sair encantado de lá! Esse foi o único espetáculo que compramos pela internet, escolhemos os assentos Section 203 Row R Seats 13-14. Upper Orchestra e foram ótimos (vou postar link de fotos depois, se o administrador do VPO me permitir rsrsrs)! Gente, não percam o "O", não percam por nada! QUINTA-FEIRA - 15/03/2012 CONVITES GRATIS DO FANTASMA DA OPERA: Isso mesmo, parece loucura, se me contassem eu não acreditaria, mas conseguimos dois convites NA FAIXA para o Phanton of the Opera. Explico como: na quarta-feira a noite, depois do passeio de gôndola no Venetian, paramos num stand de vendas de ingressos para comprar o passeio ao Grand Cannyon (vai ter um tópico só pra esse assunto depois!). Nesse mesmo stand, perguntei sobre preços para o Fantasma da Opera e eis que o vendedor me ofereceu dois ingressos de graça se eu topasse visitar um lançamento imobiliário lá em Las Vegas. Eu e meu marido teríamos que ir até esse empreendimento, tomar um café da manhã de graça, assistir uma palestra e, na volta, depois de três horas, nos dariam os ingressos na faixa (cada um nos custaria U$ 100!). Pagamos pra ver! Foi interessante, saímos 9h00 do Venetian, uma van nos levou até um condomínio no Sul da Strip, tomamos café da manhã for free, assistimos a palestra, tentaram a todo custo nos vender um apartamento nesse condomínio (não foi muito difícil recusar, afinal, temos todo o jogo de cintura brasileiro pra escapar desse tipo de situação rsrsrs) e perto do meio-dia nos levaram de volta! Pronto, dois ingressos de graça e meu marido - que é publicitário - teve uma verdadeira aula de vendas com os caras lá, eles são muito bons!!! Nossa manhã de quinta-feira foi fazendo isso, na volta a van nos deixou no Mandalay Bay e fomos voltando a pé, conhecendo cada hotel a partir do Sul da Strip! MANDALAY BAY: Enfim começava oficialmente nossa peregrinação pelos hotéis de Las Vegas! Diga-se de passagem, começamos muito bem! O Mandalay Bay é incrivelmente lindo e enooorme! Entrou pra minha relação de hotéis onde eu quero um dia ficar hospedada em Vegas (no fim do relato posto minha relação dos mais mais!). Lá dentro, almoçamos no buffet. Realmente, pra quem não quer gastar muito e ter tudo quanto é opção - de carnes a pizzas, saladas, comida japa, massas, comida árabe, sobremesas mil - vale a pena! Comemos muito bem no buffet do Mandalay Bay! Só não me imagino fazendo aquele esquema de pagar e comer o dia inteiro no mesmo buffet, deve enjoar e também deixar a pessoa presa a ficar num único lugar o dia todo, sem chance pra gente!!!! Bom, andamos o Mandalay Bay inteiro e juro que desisti de tirar foto... TUDO é lindo! Não dei conta de registrar tudo que achei bonito! Ah, fomos até o Shark Reef, o aquário de tubarões, mas não quisemos pagar pra entrar... como diz meu marido, aquário tem o de Santos e do Guarujá que a gente já conhece! Hahahah brincadeira, claro que deve ser bacana, mas não tivemos vontade de pagar pra entrar. Onde a gente não resistiu e pagou não só pra entrar, como também pela foto lá dentro foi no Minus 5, o bar de gelo com temperaturas negativas dentro! Muito legal, achei que valeu a pena, nunca vi nada parecido! Tudo tudo tuuudo de gelo, até os copos em que servem bebidas lá dentro, copos feitos de gelo, depois de beber a bebida, vc pode chupar o copo hahahah! Adorei! LUXOR: Lindo por fora, todo temático com motivos egípcios, mas não entramos... pelo que li não tinha grandes atrativos, mas fizemos bastante foto do lado de fora, bem bacana também passar por lá a noite, o pico da pirâmide fica iluminado!!!! EXCALIBUR: Também vimos só por fora, achei bonitos os castelos medievais, mas também pelas minhas pesquisas não era "obrigatória" a entrada nesse hotel! NEW YORK NEW YORK: De fora ele já é tudo de bom, com a Estátua da Liberdade imponente e a montanha russa cortando o hotel de fora a fora! Entramos, andamos pelas lojas lá dentro, tem uma loja de doces com outra Estatua da Liberdade, mas essa feita inteiramente de balas! Andamos pelas "ruas" de Nova York, incluindo a Brodway, tudo lá é bem temático meeeesmo, achei bem jovial o hotel, meu marido também gostou bastante, mas não está na minha relação dos "mais mais" rsrsrs Agora, se tem uma coisa que eu AMEI lá e que era o que eu mais esperava fazer nesse hotel era a montanha russa! É insana! Pegamos uma filinha de uns 20 minutos porque fizemos questão de ir no "first seat", o primeiro assento do carrinho! Pagamos os dois U$ 28,00 para ir na montanha russa e valeu demais! Tudo bem que na primeira subida meu marido olhou pra mim e disse: "acho que a gente tá muito velho pra essas coisas"! hahahaha Dá um médão, mas eu adoro!!!!! Não deixem de encarar! Ah, importante: pra ir na montanha russa tem que deixar todos seus pertences num locker, se vc não tiver moedas tem uma máquina que troca notas por moedas no mesmo corredor! DO SUL AO CENTRO DA STRIP: Ainda tínhamos outros hotéis pra percorrer naquela região, mas ficariam para outro dia porque tínhamos que voltar para o hotel. No caminho, sempre a pé sem problema algum, dá pra caminhar tranqüilamente sem sofrer, entramos em algumas lojas que têm parada obrigatória: M&M, Coca-cola, Hard-Rock Café! Todas maravilhosas, queria comprar TUDO o que vi na loja da Coca! Lá fizemos a "volta ao mundo": pagando U$ 7,00 você experimenta refrigerantes da marca Coca-Cola mais vendidos em cada país! Como não fizemos isso na Disney (tem uma loja dessa no Epcot), fiz questão de não perder e adorei! PHANTON OF THE OPERA: Já contei como ganhamos os ingressos, então vamos ao show, que é dentro do Venetian! Lindo! Dizem que é idêntico ao de Nova York e eu acreditei porque realmente foi incrível! Bom, eu sou suspeita porque AMO musicais, mas até meu marido que não é muito fã se surpreendeu! Conseguimos ótimos lugares, apesar do ingresso ter sido de graça! Saí de lá querendo ser a "Cristin" , a personagem principal! POS ESPETACULO: Dá pra fazer de tudo o que se pode imaginar na noite de Las Vegas, como estávamos bem cansados depois da pegada dos últimos três dias sem parar, dormindo super pouco, não entramos na balada que planejávamos pra essa noite (a Tao, no Venetian). Em vez disso, passeamos e fotografamos bastante dentro desse hotel, não faltam lugares sensacionais para fazer fotos por lá, o teto do saguão principal, que imita as pinturas das igrejas italianas, a área das piscinas, os corredores com piso que parece em 3D! Isso sem falar nos restaurantes e nas lojas! Andamos bastante comparando preços com os que encontramos lá no outlet e é claro que no Premium é mais barato, mas tem muita loja linda e quem tem bala na agulha com certeza não se conteria! Depois desse passeio no Venetian, assistimos a erupção dos vulcões no hotel The Mirage, que fica bem em frente ao Venetian! Também andei pela Sephora, tem uma loja dessa enooorme ao lado do Venetian! Depois disso, fomos passando e parando de balada em balada, as baladas e bares de rua, tem muitos e de graça! Tem uma que chama "Carnaval" e toca pop e rock, acho que pagava pra entrar, mas é aberta e mesmo estando na rua vc curte a banda, dança, pode comprar coisas no bar, que fica do lado de fora! De lá fomos para o Margaritha Village, no nosso hotel mesmo, o Flamingo, toda temática imitando barcos, tinha banda ao vivo também, não pagamos nada pra entrar! Esses são só alguns exemplos, a noite de Vegas tem todas as possibilidades possíveis e imagináveis! SEXTA-FEIRA – 16/03/2012 GRAND CANYON: Confesso que esse passeio foi o que mais me deixou em duvidas do que era melhor fazer... li muito a respeito e ainda assim embarquei pra Las Vegas sem saber ao certo qual roteiro seguir e com qual empresa! Depois de muito ler a respeito, o que entendi foi que o South Rim é mais bonito, com mais atrativos e por isso valia a pena ir de carro para curtir as belezas do caminho e pegar o helicóptero só lá, já dentro do parque para sobrevoá-lo, isso pra aproveitar bem, fazendo várias paradas e tal...! O problema é que, como eu disse, eu sou do tipo que quer fazer tudo que é possível ao conhecer um lugar, esgotar todas as possibilidades... se for pra fazer “pela metade” prefiro fazer em outra oportunidade. Por isso deixamos o South pra outra vez, quando pudermos dormir lá e tudo mais. Dessa vez decidimos fazer o West Rim, que é bem mais perto de Las Vegas e, apesar de ser fora do Parque Nacional, proporciona uma bela vista das maravilhas do Canyon! Chegando em Las Vegas dei graças a Deus por não ter fechado antecipadamente esse passeio! Lá, nos estandes, encontramos muitas promoções e sairiam bem mais em conta do que pelo site das empresas. Fechamos com a Serenity e uma van foi nos buscar seis da matina no hotel! O motorista era super gente boa e nos deu uma “aula” sobre Las Vegas e o Grand Canyon no caminho! Chegando no lugar de onde partem os helicópteros, recebemos as instruções e embarcamos com outros dois casais. Foi um momento incrível pra mim porque nunca tinha voado de helicóptero, foi o máximo! Não balançou, não tremeu, o vôo é super suave, fiquei literalmente “nas nuvens”! Melhor ainda foi começar a sobrevoar o deserto, com uma paisagem diferente de tudo que eu já tinha visto! Primeiro passamos sobre a Hover Dam, que é uma obra gigantesca, nem tudo o que eu li sobre ela antes de viajar me faria imaginar que é daquela magnitude! Depois, chegando ao Canyon ficamos boquiabertos! Incrível! Passar pertinho das montanhas, depois seguir pelo alto o leito do rio, foi lindo! Mas o mais incrível estava por vir... descer no Canyon, a uma profundidade imensa e ainda fazer picnic com direito a champagne lá! Eu amei! Vimos cactos e animais do deserto correndo pra lá e pra cá! Tiramos tantas fotos que nem sei dizer! Realmente um passeio único, que não pode deixar de ser feito! Além da parada no Canyon, na volta descemos mais uma vez num lugar lindo que o piloto que chamou “the middle of nowhere”, o meio do nada!!!! Ah, o que dispensamos sem medo foi incluir o Sky Walk no passeio... realmente pelo que conversei lá com o pessoal, é super “pega-turista”, tudo o que se vê do Sky Walk se vê muito melhor do helicóptero, não tem necessidade alguma de pagar pra entrar nessa passarela onde nem fotografar é permitido... Enfim, nosso passeio foi maravilhoso, passeio que não pode deixar de ser feito, mesmo que seja só o West Rim! Esse pacote que fizemos custou U$ 678 para os dois. FASHION SHOW MALL: a tarde, depois do Canyon, pegamos o carro e fomos até esse shopping, que até daria pra ir a pé porque também é na Strip, mas como de lá iríamos pra outros lugares, preferimos ir motorizado (mais uma das vantagens de alugar um carro, a liberdade de ter outros destinos seguidos da Strip!). Sinceramente, esse shopping é bonito, enorme... mas achei bem parecido com os shoppings que conhecemos aqui em SP, RJ... tudo muito caro, sem atrativos no quesito “preço bom”! Foi bacana porque conhecemos lojas que só vemos em seriados e programas de TV americanos (Macy’s e Blomingdales) e valeu também pela loja da Apple, a única onde gastamos um pouquinho lá no Fashion Show. Ah! Sem esquecer do melhor desse shopping: o restaurante Maggiano’s, um italiano maravilhoso que vale muito pelo preço e pelo sabor! Pagamos U$ 60 por dois pratos deliciosos de massa e duas cervejas Corona. Até salivei só de lembrar, vale a pena! WYNN: Saímos do Fashion Show, pegamos a passarela até o Wynn e de novo eu fiquei passaaaada com um hotel de Las Vegas! Eu quero ficar no Wynn um dia! Entrou pra minha relação dos hotéis preferidos! É lindo por completo, em tudo: lojas, paredes, tapetes, lustres, fontes, chafarizes... o jardim central é LINDO! As piscinas e restaurantes também são estonteantes!!! Até os banheiros são bonitos hahahah pobre é fogo, repara até no banheiro! Enfim, adorei esse hotel, não deixem de entrar e explorá-lo inteirinho! PALAZZO: Só visitamos pelo lado de fora, não entramos... mas sei que tem lojas lindas lá dentro, como no Venetian! ((NESSE DIA, DEPOIS DOS HOTEIS VOLTAMOS AO OUTLET PRA MAIS COMPRINHAS, DEPOIS A NOITE ESTÁVAMOS PODRES POR TERMOS ACORDADO CEDO DEMAIS PRO CANYON, ENTÃO COMEMOS UMA PIZZA NO NOSSO HOTEL MESMO E FOMOS DESCANSAR... O CORPO ESTAVA PEDINDO ARREGO!!!!)) SÁBADO – 17/03/2012 ST. PATRICKS DAY: Antes de contar o relato desse dia, um parênteses. Era dia de St. Patricks, os Irishs estavam por todos os lados vestidos de verde e bebendo desde muito cedo!!!! Muito legal!!!!! THE MIRAGE: Começamos o dia nesse hotel, com café da manhã no Starbucks. Vale a pena entrar no Mirage, pessoal! Na recepção tem um aquário gigante e lindo! A área do cassino também é bem bonita! Adorei um bar dos Beatles que tem lá dentro – Beatles Revolution, todo temático! A área da piscina também é SHOW! Lá no Mirage tem o Dolphin Habitat, mas não quisemos pagar pra entrar, não sei se estou enganada, mas essas coisas de golfinho, tubarão, etc, me pareceram muito parecidas com atrações que temos aqui no Brasil e que não tem necessidade de fazer em Las Vegas... sei lá! No Mirage foi isso... gostei bastante do hotel! THE FORUM SHOP: Em todos os dias anteriores ficamos “namorando” esse shopping... é lindo e imponente demais por fora... depois que entramos vimos que, por dentro, ele é mais maravilhoso ainda! Sensacional gente, nem dá pra explicar! Escadas rolante em espiral, lojas lindíssimas, esculturas maravilhosas!!!! Ah, pros pobrinhos como eu: wi-fi free em frente ao café que fica no último piso da torre principal do shopping! Hahaha Bom, andamos bastante pelo shopping olhando tudo (e comprando nada, kkkk), foi o lugar onde mais sonhei em ser rica na viagem inteira rsrsrs! CEASER PALACE: Passamos do The Forum Shop para o Ceaser pelos corredores internos, quando vimos estávamos no Ceaser! Gente... que hotel é esse... lindo, lindo, lindo é pouco... tudo relacionado a César, esculturas, praças gigantes, obras de arte... nossa, que luxo! Andamos bastante por lá, é enorme o Ceaser e na certa o mais luxuoso dos hotéis de Las Vegas! Nesse dia íamos comer no Cheesecake Factory, mas meu marido estava com o estomago ruim e deixamos pra outro dia. WALGREENS: Falando na dor de estomago do meu marido – tadinho! – foi mais um motivo pra eu ir na Walgreens! Farmácia gigante que tem de tudo!!!! Deixei o maridinho no hotel e fui lá comprar remédio, aproveitei e comprar várias outras coisinhas!!!! Na Strip tem uma Walgreens bem ao lado do Venetian! FLAMINGO: Marido medicado, tirando um cochilo, fui andar sozinha pelo nosso hotel! O Flamingo é antigo, mas ainda assim é grande, tem um jardim lindo cheio de flamingos de verdade, a capela também é uma graça, a área da piscina imensa e o restante da área de lazer está toda em reforma, com certeza vem coisa nova por aí...! A área do cassino também é imensa, tem muitos bares e casas noturnas lá dentro, apesar de sonhar com outros hotéis luxuosos, saibam que o Flamingo é bem bacana viu! MGM: No fim da tarde, marido recuperado, saímos do nosso hotel pra ir ao MGM Grand a pé... quando olhamos pela porta de saída, estava chovendo!!!! Sim, minha gente, estava chovendo no deserto!!!!! Chuvão mesmo, de não dar pra sair a pé! Thanks God tínhamos o carro! Fomos dirigindo para o MGM que também é enorme, bonito, mas não tão novo e nem luxuoso quanto outros que já citei. Jantamos no Rainforest porque amamos esse restaurante lá na Disney! Tinhamos desconto lá também de uns cupons que pegamos (desconto é tudo em Vegas pessoal, fiquem sempre atentos aos que têm nas mãos)! Depois de jantar, pela primeira vez em Las Vegas fomos “brincar de jogar” no cassino! Digo brincar de jogar porque não somos disso sabem... meu marido sabe manipular baralho, mas não curte poker, Black Jack, essas coisas... então fomos pras maquininhas! Não é que colocamos cinco dólares e ganhamos 57 dólares! Rsrsrsrs Pagou o jantar! Jogamos mais umas misérias ali e fomos para o show do David Copperfield! Como disse, meu marido é mágico, sabia todos os truques, eu sinceramente de tanto ser “cobaia” do meu marido nas mágicas achei que não me surpreenderia com o show... mas o tiozinho é fera, gostamos bastante do show!!!! THE SIGN: Saindo do David Cooperfield, aproveitando que estávamos de carro, seguimos para a placa Welcome to Las Vegas, que fica no extremo sul da Strip! A chuva tinha parado, mas estava um frio cortante! Mesmo assim tinha fila pra tirar foto no Sign! Não podíamos deixar de ir lá! Na volta, percorremos a Strip de ponta a ponta de carro tirando fotos e fazendo vídeos, a Strip é linda demais a noite! DOMINGO (18/03/2012) BALLYS: Saímos do nosso hotel e seguimos a pé em direção ao sul da Strip... fazia MUITO frio nesse dia! A chuva parou, o sol apareceu, mas o frio estava demais!!!! Paramos primeiro na frente do Ballys, mas não entramos, não sei se tem algo que valha a pena lá, como tínhamos muito a fazer, só tiramos fotos na frente! PARIS: Enfim, entramos no Paris! A Torre Eifel já tinha servido de cenário para varias fotos em dias e noites anteriores, mas entrar mesmo no hotel foi o primeiro dia! Tomamos café lá numa cafeteria se não me engano o nome é algo parecido com Madeleine e... tem wi-fi free! Rsrsrs Fica a dica! Bom, andamos bastante pelo Paris inteiro, lindo de morrer, tudo... o céu, as construções, as lojas... preciso urgente ir pra Paris de verdade! Hahahah me apaixonei pela Paris de Vegas! Do lado de fora, além da Torre Eifel, tem que tirar foto com o Arco do Triunfo, muito lindo! MIRACLE MILES / PLANET HOLLYWOOD: Entramos pelo Miracle Miles, que é o shopping do Planet. Lá – assim como no Venetian, no Ceaser, no Paris – tem aquele céu falso que parece de verdade, com a diferença que em um dos corredores, o tempo “fecha” de hora em hora e chove minha gente! É mto bacana, vale a pena esperar dar a hora cheia pra assistir! Depois do Miracle, que tem bastante loja bacana (mas nem entramos porque já tínhamos gastado tudo o que podíamos e mais um pouco!), acessamos o Planet Hollywood que é um hotel bem jovial, achei muito bonito o cassino, assim como toda a área do hotel! No Planet tem um show muito badaladinho em Vegas que é o Pipshow – ou algo do tipo – que é um show de strip com uma atriz famosinha, que fez o filme “Show de Vizinha”. Pra quem quer ver “peitinho” em Vegas é um show que dá pra levar a esposa ou namorada sem grandes constrangimentos rsrsrs (aliás, Vegas tem de TUDO né gente, só estando lá pra descobrir, vai de cada um, mas esse show é, entre os shows de strip tease, o que parece mais “familiar”, se é que é possível dizer isso...). LOJAS: Entramos na Ross da Strip e realmente... a outra que fomos é zilhões de vezes melhor! Também entramos na Harley Davidson, meu marido pirou lá dentro!!!! MONTE CARLO: Só vimos de fora. Quando estávamos pesquisando hotéis que não fossem caros e tivessem boa localização, cogitamos esse hotel e realmente... a localização é ótima! ARIA / CRYSTAL SHOPPING: De fora já se vê que esse Crystal Shopping é chiquerrimo! Entrando então... eu babei! Lindo! Escadarias, quiosques, árvores falsas, tudo de madeira mas sem ser rústico e sim sofisticado! Assistimos uma apresentação musical dentro desse shopping, que tem wi-fi free em todo seu interior, sem que vc precise dar senha ou consumir em alguma loja! Por falar em loja, só loja de patricinha nesse shopping rsrsrs Tudo lindo! Tem um jardim com flores gigantes, lindo, tem um espaço que espirais de água se movimentam e um outro que totens de gelo derretem e formam um espelho d’água! Sensacional! Adorei esse shopping que pertence ao hotel Aria, um hotel lindo também, onde também gostaria de ficar um dia!!!!! Rsrsrs COSMOPOLITAN: Tinhamos andado no Cosmopolitan no nosso primeiro dia em Vegas, já que fomos numa balada lá. Entramos de novo para mais fotos, dessa vez de dia, achei bem bacana o Cosmopolitan também... difícil né gente, todos os hotéis são ok, não lembro de um que eu tenha entrado e falado: que lixo! Acho que dá pra ficar tranquilamente em quase todos os hotéis da Strip! BELLAGIO: Antes de entrar de novo no Bellagio assistimos mais uma vez o show das águas, não tem como, é só passar e ver que está rolando que a gente já queria parar pra ver, assistimos dessa vez olhando do Bellagio para a Strip, com a Torre Eifel de fundo, a trilha sonora era do filme Titanic! Entramos no hotel também por um lado diferente dessa vez e eis que me deparo com aquele jardim lindo de morrer que tem perto do saguão! Pirei, me apaixonei, queria ficar morando ali pra sempre! Na hora comecei a pensar que o Bellagio passava a ser o meu preferido, só por causa daquele jardim com carrousel, ponte, abelhas gigantes feitas de flores, aroma de flor por todo lado... um sonho! Eu achava que isso era suficiente pra eu querer o Bellagio na minha vida, isso até eu chegar na Jean Philippe Patisserie! Gente, Deus existe! Foi isso que eu pensei quando vi aquela cascata de chocolate, que é reconhecida pelo Guiness como a maior do mundo! Não deixem por nada no mundo de ir nesse lugar. Amei tanto que ficamos lá pra almoçar e, claro, comer um daqueles doces divinos de sobremesa! Antes de deixar o Bellagio, assistimos maaais um show das águas, dessa vez de frente pra fazer um videozinho e mostrar pra família! LOJAS: Fomos numa loja de brinquedos acho que chamava Toys for us, pra quem não tem problema em pagar excesso de bagagem e tem bastante criança na família aquilo é o paraíso... igual em Orlando, brinquedo é muito barato, dá até raiva ao comparar com o Brasil!!!! GOLDEN NUGGET: A noite fomos para downtown, o centro de Las Vegas, onde tudo começou, e paramos direto no Golden Nugget. Tem que ir de carro ou táxi, achei o lugar meio isoladinho pra pegar ônibus até lá... Não sei se é porque estávamos com expectativa baixa em relação a esse hotel por ser na parte antiga da cidade e tal, mas me surpreendi muito positivamente! Achei lindo o Golden, a área da piscina é sensacional, não deixem de ver, tem um toboágua que passa dentro de um aquário com um monte de peixe e até tubarão! Fiquei sonhando em entrar naquela piscina! Tinha também uns fogareiros ao redor da piscina, estavam acesos porque estava frio! Também vimos bastante restaurante bacana no Golden e curtimos a área do cassino. Jantamos no Buffet do Golden (dois jantares sem champagne U$ 47) e eu me acabei, era uma noite especial de frutos do mar, que eu adoro! Vale a visita ao Golden Nugget! FREEMONT EXPERIENCE: Saímos do jantar no Golden Nugget e quando pisamos na Freemont o espetáculo começou! A rua toda coberta por telas de projeção, de uma em uma hora tem uma exibição acompanhada de música, uma grande balada na rua. Eu A-M-E-I! Tocou Bon Jovi que eu adoro! Tocou Queen que eu amo! Estou velha, eu sei, mas só musicão tocou! Comprei uma daquelas bebidas gigantes que vendem na rua e curtimos muito a balada lá! Inesquecível a Freemont, tem que ir! O mais engraçado é que conversando com varias pessoas que já estiveram em Vegas, muita gente só conheceu a Strip, nem andou pros outros lados, como a Freemont! Não cometam esse erro, tem que conhecer a Freemont! Além das projeções, assistimos a show de música num palco montado lá! BINION’S: É outro dos vários cassinos que têm na Freemont, lá você pode tirar uma foto de graça com um milhão de dólares! Uma pilha de dinheiro protegida por uma redoma de vidro, se vc não ganhar nada no jogo – como nós, que perdemos 20 dólares nesse dia na roleta! – pode ter uma foto impressa com esse dinheirão como premio de consolação rsrsrs DE VOLTA À STRIP: Estavamos no pique nesse dia e depois da Freemont voltamos pra tentar assistir o último horário do show de piratas no Treasure Island, mas não conseguimos chegar a tempo, já estava tarde... então andamos pelo Treasure que achei ok mas nada de mais... pegamos o trenzinho até o Mirage, andamos um pouquinho até o Bellagio, vimos mais um show das águas e voltamos para o hotel exaustos! SEGUNDA-FEIRA (19/03/2012) SIGN – Queríamos mais uma vez tirar fotos na placa “Welcome to Las Vegas”, dessa vez de dia, com o céu azul lindo que fazia na segunda-feira! Então acordamos cedo e fomos direto pra lá de carro. Realmente ir a pé até o Sign seria de matar!!!! STRATOSPHERE – Do extremo Sul ao Norte da Strip. Fomos enfim conhecer o famoso Stratosphere, o hotel que tem a torre gigante, o ponto mais alto de Vegas, cheia de atrações radicais! Uma dica: vá bem cedo pra evitar filas nos brinquedos e, principalmente, vá antes do café da manhã hahaha! Os brinquedos são insanos! Chegamos quando a bilheteria pra subir na torre ainda estava fechada (acho que abre às 10h00). Então andamos pelo cassino do hotel, jogamos um pouco nas maquininhas, depois compramos o ingresso que incluía a subida mais duas atrações (pagamos U$ 52,00 os dois – duas subidas, mais dois brinquedos pra cada um). No andar onde é possível ver Las Vegas inteirinha, todo entorno é de vidro! Visual incrível, dá pra ver até as montanhas com neve na ponta no horizonte! É desse mirante que saltam os corajosos do Sky Jump! Gente, juro que queria ter coragem de encarar, mas queda livre não é pra mim... o pessoal salta preso por uma espécie de corda nas costas e não é elástico igual bung jump, a descida não tem volta, só pára no chão! Quem ainda não viu, procure vídeo no youtube e perca o fôlego! Rsrsrs Nós ficamos vendo o povo pular e eu sofri só de olhar!!!! Coração na boca! Depois de muitas fotos nesse andar do mirante, subimos mais um andar para encararmos o X-Scream! Também é looouco esse brinquedo, tb tem vídeo no youtube pra quem quiser! O carrinho fica pendurado daquela altura e, claro, nós fomos no “first seat”! Depois subimos mais ainda e encaramos o Big Shot, que é um elevador igual tinha no Hopi Hari. Arrancada louca, vista animal lá de cima, achei menos assustador que o X-Scream, mas mto legal também!!!! Depois de tanta aventura, finalmente paramos pra tomar café na Starbucks do Stratosphere, andamos mais um pouco por ele, que é mais antigo que a maioria dos hotéis que visitamos e onde eu jamais ficaria hospedada por ser longe do burburinho da Strip. Já a visita até ele é obrigatória, tem que ir lá pelo menos uma vez! Se não fosse nosso último dia em Vegas teria voltado pra brincar de novo!!!! PINK’S HOT DOG: Do Stratosphere passamos em mais alguns lugares relacionados ao casamento (conto alguns tópicos à frente) e na hora da fome fomos almoçar no Pink’s Hot Dog, nos disseram que é o mais famoso de Vegas, fica na entrada do Planet Hollywood. Quem não curte comida meio apimentada tem que pedir “no sauce”, eu gosto, então pedi um tradicional e achei uma delícia (gordinho ama um hot dog rsrsrs). Boa pedida, gostoso e preço bom (dois hot dogs, mais um acompanhamento que são tipo salsichinhas a milanesa com um molho, pagamos U$ 19,40). CHEESECAKE FACTORY: Antes de voltar para o quarto para a hora do casamento, fomos mais uma vez ao Ceaser, agora sem dor de estomago do meu marido, era hora do Cheesecake Factory. Ouvi tanta gente falando dele que não podia ir embora sem provar! Covardia né gente... delicioso demais!!!! Compramos um pedaço (U$ 8,59) sabor Godiva, huuum! Realmente o Cheesecake Factory merece a fama que tem! RENOVAÇÃO DE VOTOS: Como já contei, no segundo dia em Vegas já havíamos feito a reserva do pacote. Contratamos um pacote do Tradicional Wedding que incluía um bouquet com sete rosas, uma flor de lapela para o noivo, 14 fotos da cerimônia, transmissão da cerimônia ao vivo pela internet, um CD com a gravação da cerimônia e transporte de limousine do hotel pra capela e depois da capela para o hotel. Esse é um dos pacotes mais básicos, custou U$ 395. Fizemos upgrade com uma sessão de fotos no jardim da capela por U$ 99. O bacana que achei dessa capela é que dá pra customizar qualquer pacote com mais um milhão de coisas, então fica com a cara da pessoa! Pra mim o importante eram fotos porque AMO fotos, por isso achei que valia a pena gastar mais com esse upgrade, mas para quem ama flores, por exemplo, pode fazer o upgrade do bouquet! Tudo é possível! Os caras sabem MESMO ganhar dinheiro com isso!!!! rsrsrs Bom, depois de escolher o pacote e fechar com a capela, não é preciso se preocupar com mais nada... eles cuidam de tudo, são muito organizados! Só precisa ver, é claro, o que vc quer vestir na cerimônia. Vc pode se vestir como quiser! Só que eu, que AMO vestidos de noiva, achei que Las Vegas - por ter vááárias capelas - teria também vááárias lojas de aluguel ou venda de vestidos de noiva por preços que compensassem realizar, de novo, o sonho de me vestir de branco! Ledo engano... andamos MUITO todos os dias pela cidade inteira e eu não vi sequer uma loja desse tipo. Então, entrei em contato com a consultora lá da Little Chapel of Flowers e ela me indicou uma loja que tem parceria com a capela. Ela me passou o endereço e é bem afastado de tudo, com o GPS foi fácil chegar, mas não é muito pertinho não... procurando aqui achei o site da loja: link. Lá os vestidos para locação custam a partir de U$ 200,00 e eu não resisti: aluguei um dos mais baratos pra matar minha vontade! rsrsrs Meu marido usou calça social e um blazer, normal, mas por baixo colocou uma camiseta que compramos na Strip. A camiseta tinha um desenho de dois noivinhos, a noivinha sorridente e o noivinho triste, com os dizeres: "Game Over - Las Vegas"! Para quem quer fazer cabelo, maquiagem e afins, praticamente todos os hotéis têm salão e SPA, as capelas também oferecem esse serviço em parceria com outros salões. Eu bem que queria, mas sem chance de gastar dinheiro com isso, então dei um jeitinho eu mesma, no quarto! Nossa renovação de votos foi marcada para as 19h00 (escolhi esse horário porque o cair da noite em Vegas é lindo, pegamos um por-do-sol incrível a caminho da capela!). A limousine ficou de passar no hotel entre 18h00 e 18h30. Quando deu 18h00 em ponto ligaram no quarto falando que em vinte minutos o motorista estaria no saguão do hotel. Descemos do nosso quarto, eu toda "montada" no vestidão de noiva (hahahaha) e fiquei me sentindo uma princesa! Todo mundo passa por mim e dizia: "congratulations!", "you are beautiful"! A mulherada gritava ao me ver, pediram até pra tirar foto comigo hahahahaha!!!!! Muito bom, recomendo pro ego de toda mulher, se eu soubesse que seria assim teria descido antes e ficado andando pela Strip vestida de noiva (hahahaha mentira!). A limousine chegou e quando entramos nela, parecíamos duas crianças! Nunca tínhamos entrado num carrão daquele! Tiramos mil fotos com a nossa máquina, ficamos mudando a estação do rádio, cantando, dançando, já estava valendo realizar essa loucura só pela bagunça na limo! Quando chegamos na capela, o motorista abriu a porta e já tinha três pessoas nos esperando: a recepcionista, que ficou nos acompanhando em tudo, a fotógrafa principal e o segundo fotógrafo, que tira fotografias mais "despojadas" (que eles chamam de "life style") e, apesar de não estar isso incluso no nosso pacote, ele estava lá porque depois eles tentam vender mais e mais fotos maravilhosas pra vc! Fomos até a entrada da capela, assinar vários papéis, entregaram a flor de lapela pro meu marido, o bouquet para mim e o celebrante nos levou a uma salinha fechada. Gente, quando começamos a conversar com aquele homem, dei graças a Deus por não ter caído na tentação de contratar o Elvis Prestey pra ser o celebrante! Claro, é MUITO legal esse clima de Vegas, com Elvis, etc e tal, mas é pra quem quer mesmo algo meio de deboche! Com esse celebrante foi muito personalizado, ele perguntou da gente, da nossa história, de quanto tempo estávamos juntos, de quem estaria assistindo pela internet... aí perguntou se queríamos repetir os votos (tem a opção de repetir ou de só dizer "I do" pra quem não tem o inglês mto afiado), explicou que haveria na cerimonia um ritual das velas, perguntou também se queríamos uma benção no final ou não (porque há casais "não-religiososos" ou que têm religiões muito rígidas que não permitem uma benção de outra religião que não a dos noivos, então tem essa opção). Tipo, super pessoal mesmo a coisa! Fora que todo mundo na capela foi super atencioso... meu cabelo eu prendi suuuper mal pq sou um zero a esquerda em arrumar meu próprio cabelo, aí tinha um fio soltando, me trouxeram dois grampos pra eu arrumar... gente, não tenho o que falar da Little Chapel of Flowers, just perfect! Às 19h00 em ponto fomos posicionados na entrada da Victorian Chapel (a Little Chapel tem várias capelas, vários ambientes que vc pode escolher, nós escolhemos a Victorian). Quando começou a música nós entramos e - juro - parecia que eu estava casando pela primeira vez! A cerimônia foi linda, os dizeres do celebrante foram lindos, meu marido até chorou durante as juras (e olha que ele nem é tão manteiga derretida quanto eu!) e o ritual das velas é lindo de doer! São três velas, duas menores, acesas, e uma maior, apagada... aí ele fala pra cada um pegar uma das velas acesas e diz que quando duas pessoas se casam ou renovam seus votos, se tornam uma pessoa só. São duas chamas que se transformam em uma terceira, muito mais brilhante! Ou seja, cada um continua tendo seu próprio brilho, mas juntos, iluminam ainda mais! Aff to quase chorando de novo de lembrar hahahah! Depois no final veio a benção (que nós quisemos sim e foi lindo!). Aí nos beijamos e na saída da capela meu marido abriu o blazer e mostrou a camiseta escrito Game Over, mostrando pra câmera onde nossos familiares estariam assistindo! Muuuito legal! Amei tudo, sem palavras!!!!! Depois que termina, eles nos levaram de novo pra salinha privativa, pro casal ter um momento só dele antes de terminar oficialmente a coisa! Tudo de fofos! Aí depois veio a sessão de fotos no jardim que eu ameeeei, foi muito divertido, a fotógrafa era uma querida e as fotos ficaram lindas! Todas as fotos - tanto as inclusas no pacote quanto caso vc feche mais fotos a parte - vc pode escolher no dia seguinte ao casório e já leva com vc. O problema é que nosso vôo de volta pro Brasil era cedo dia seguinte, então combinamos de escolher tudo pelo site e deu super certo, quando chegamos em casa marcamos pelo site a conferência pra selecionar nossas fotos preferidas, foi cobrada uma taxa de U$ 20,00 pra eles me enviarem essas fotos e pronto, deve estar pra chegar! Logo depois que termina todo esse processo, eles mandam um formulário de satisfação do cliente pra vc responder sobre cada serviço e dar sugestões. Tudo muito organizado, recomendo essa capela de olhos fechados!!!!! PARIS - Bom, depois que terminaram as fotos, entramos na limousine que nos levou de volta pro hotel. No quarto troquei de roupa - pq iiiiinfelizmente não dava pra andar com a cauda do vestido pela Strip! - e saímos pra jantar e comemorar! Jantamos no Le Cafe, no Paris, que é uma delícia, recomendo, preço bom e comida divina (gastamos U$ 60,00 - dois pratos de massa e duas taças de vinho)! Lá mesmo no Paris assistimos um pouco do duelo de pianos (eu toco piano, então não podia perder!) e depois subimos na Torre Eifel (U$ 31,00 dois tickets)! Deixamos pra subir nela só nessa noite, pra comemorar mesmo nossas bodas! O visual de lá é LINDO! A vista que se tem das fontes do Bellagio é maravilhoso e nós demos a sorte de assistir lá de cima o show das águas ao som de Michael Jackson, que a gente adora! Foi tudo de bom! Depois do Paris, corremos até o Treasure Island porque nos dias anteriores não tínhamos conseguido ver o show dos piratas. Li nos blogs de viagem algumas pessoas que não gostaram desse show, que é em frente ao hotel... mas eu e meu marido adoramos! São dois barcos que "duelam", o das mulheres e o dos homens, com direito a música, dança, explosão e até um naufrágio! Achei super bem produzido, mas sou suspeita porque amo musicais e é bem musical o show! Andamos mais, tiramos mais fotos na Strip e assim nos despedimos de Las Vegas... dia seguinte, terça-feira de manhã, voltamos para o Brasil com a sensação deliciosa de ter aproveitado o quanto pudemos essa cidade incrível!!!!! CONSIDERAÇÕES FINAIS: Gente, só pra terminar meu relato, algumas outras informações que acho válidas: TIPS: Muito mais do que em Orlando, TUDO em Vegas são "tips", as gorjetas. Tem gente que vive disso. Tipo, nosso hotel tinha manobrista, o serviço era de graça, mas tinha que dar "tip" pro manobrista e, se vc esquece, ele cobra! No casamento foi o que mais "sentimos" essa coisa de "tips". No fim de tudo, eles dão um envelope pra vc colocar as gorjetas tanto para o celebrante, quanto para os fotógrafos e o motorista da limousine. Ou seja, não importa se vc já pagou pelo serviço, rolam as "tips" MESMO em todos os lugares possíveis e imagináveis rsrsrs PERSONAGENS DE LAS VEGAS: Em toda calçada, a cada esquina, tem alguém fantasiado ou de Homer Simpson com uma garrafa na mão ou d0Mário Bross demitido pela Nintendo ou do personagem do "Se Beber não case" para os turistas tirarem fotos (e darem gorjetas, é claro!). É divertido!!! Fotografamos com vários personagens bacanas! SIN CITY: Não tem jeito, Vegas é mesmo a "sin city" rsrsrs A mulherada dança mesmo de biquini no balcão dos bares, nas mesas de jogos, nas festas e baladas tem sim muita pegação, não faltam anúncios de garotas e garotos de programa pelas ruas. Mesmo assim, em NENHUM momento me senti constrangida ou envergonhada por isso. Ninguém mexeu comigo e nem com meu marido, ninguém tocou em mim, só entra na dança quem quer!!!! Sinceramente pra quem já encarou algo como Carnaval em Salvador vai achar que lá é até light nesse quesito. Mesmo assim, quem é o tipo de casal ciumento neurótico é melhor nem ir pra Vegas... tem que ter maturidade pra ir pra lá desencanado porque ver vc vai ver de tudo mesmo! BEBIDAS: Em Las Vegas vc vai ver um moooonte de gente com uns copos gigantes, com canudos gigantes, bebendo o dia inteiro! Nos primeiros dias eu olhava e não entendia o que era, mas - é claro - não demorei pra provar e descobrir! Vc escolhe o tipo de copo que quer (tem zilhões de tipos!) e escolhe sua bebida preferida, eles enchem o copão com a bebida e vem muuuita bebida! LAS VEGAS PARA CRIANÇAS: Vejo muita gente perguntar o que tem lá pra criançada, se dá pra curtir a viagem com criança... pelo que vi, até dá... mas com restrições. Eu sinceramente não levaria um filho muito pequeno pra lá, procuraria outro destino porque todo mundo fuma em todo lugar, a música é alta em todo lugar, tem muitos locais que não pode mesmo entrar menor... enfim, pra levar criança seria bom levar alguém junto - tipo uma babá pra quem pode ($$$$) - pq aí os pais vão sozinhos curtir o que não é adequado pra criança. Claro que vai de cada um né, é só minha opinião e eu ainda não sou mãe, então também não sou parâmetro pra falar disso! HOTÉIS: como são muitos hotéis bacanas e rola sempre aquela dúvida de onde se hospedar, vou deixar aqui uma relação dos meus preferidos só pra ser mais uma referência pra quem está em dúvida. Se eu tivesse grana escolheria entre o Venetian, o Ceaser Palace e o Bellagio, não necessariamente nessa ordem de preferência... em qualquer um que eu ficasse me sentiria realizada! Depois desses três, meus preferidos foram o Aria, o Wynn e o Mandalay Bay. Onde eu não gostaria de ficar: Stratosphere (muito longe do burburinho da Strip), Circus Circus (muito cara de "velho"). De resto, se o preço compensar, acho que dá pra ficar em quase todos... mas olha, se vc tiver um tiquinho de din din a mais, fique em um dos seis primeiros que eu citei! Não tem como não curtir! COISAS QUE EU QUERIA TER FEITO E NÃO FIZ: Das coisas que estavam no meu roteiro ou que descobri depois e acabou não dando pra fazer, estão ir na balada Tao, do Venetian; ir na Guns Store pro meu marido atirar (eu não curto, ele sim!); dirigir super carros na Las Vegas Motors Speedyway; ter muuuito dinheiro pra provar todos os restaurantes dos top chefs; ir ao South Rim do Grand Canyon; ir com uma galera de amigos pra alugar uma limousine pra ir pra balada!!!!! Bons motivos pra eu voltar pra Vegas um dia!!!!! É isso pessoal, desculpem por ter me alongado tanto, mas é que eu sou do tipo que pesquisa muito sobre os destinos de viagem e me realizo quando encontro um relato bem detalhado e informativo! Então fiz o meu pensando em retribuir minimamente com quem tanto me ajudou no meu planejamento de férias! Lembrando que o que escrevi são apenas as opiniões de quem foi uma única vez pra Vegas, são minhas impressões pessoais, então fiquem a vontade pra discordar de algo que eu tenha dito e deixar suas dicas para quem ainda vai viajar! Um abraço e obrigada! Quem quiser trocar idéias sobre Las Vegas e ver minhas fotos pode me escrever: [email protected]
  9. Gente, estou no mesmo dilema... duvida entre excursão ou carro para o GC... Duvida se vou ao South ou West... Meu roteiro esta pronto, só faltando definir isso! Help!!!
  10. Olá pessoal, para quem preferir, esse relato completo com fotos está no www.porquetodefolga.blogspot.com.br. Antes de começar meu relato, algumas consideraçoes: o Mochileiros.com me ajudou MUITO com meu planejamento de viagem, mas muitas vezes me vi perdida em meio a tanta informaçao... por isso, em vez de um relato meramente dissertativo, vou escrever por tópicos, creio que essa seja uma forma de tornar mais fácil o entendimento e mais prática a localizaçao de informaçoes a respeito de cada detalhe da viagem! Lembrando - é claro - que é preciso levar em consideraçao a época do ano, a sorte ou o azar na prestaçao de cada serviço e o perfil de cada viajante! De qualquer forma, espero poder ajudar! PARA COMEÇAR: QUEM SOMOS: um casal de trinta e poucos anos, sem filhos, que gosta de esportes, aventura, lugares históricos, culturas diferentes, baladas, bons restaurantes e bons descontos em compras. QUANTO TEMPO TIVEMOS: 9 dias (da madrugada do dia 5 â madrugada do dia 14 de agosto de 2011) QUANTO PODÍAMOS GASTAR: em torno de R$ 6.000,00 (seis mil reais) É BOM SABER: SOBRE A LÍNGUA: Nao há razao para se preocupar com a fluencia em espanhol para viajar para o Chile. Eu estava meio preocupada com isso porque estudei espanhol básico há muuuuito tempo e já nao lembrava muita coisa, mas nem foi preciso: falei o bom e velho "portunhol" e foi suficiente! Meu marido SÓ falou portugues e a grande maioria dos chilenos entendem se falarmos devagar, assim como nós conseguimos entender tranquilamente o espanhol deles desde que falassem nao muito rápido! Fora que, aqui, tem MUITO brasileiro, entao quanto a isso nao há com que se preocupar! A MOEDA: em média, cada 1.000,00 pesos chilenos equivalem a R$ 3,50 (dado de agosto de 2011), parece simples, mas na hora das compras me fez muita falta uma calculadorazinha de mão sabem, para saber exatamente quanto se está gastando. Agora, nos últimos dias, já estamos craques, mas como fizemos compras logo no primeiro dia de viagem, quase enlouquecemos em fazer cálculos de cabeça, entao fica a dica para quem nao trouxer celular que já tem calculadora (nós nao trouxemos celular), arranjar uma calculadorazinha! Isso, é claro, para quem nao é tao bom em matemática (eu sou um fracasso!). BAGAGEM: gente, eu nao me conformo até agora por nao ter me dado conta disso... o limite de bagagem para o Chile é de 23 quilos por pessoa... qdo embarcamos em Guarulhos já estávamos cinco quilos ACIMA desse limite!!!!! Ou seja, ferrou né... chegamos em Santiago e ao ver os preços absurdamente mais baixos se comparados ao Brasil, queríamos cortar os pulsos! Enfim, a dica importantíssima: mesmo sabendo do frio chileno, tragam poucas roupas, comprem tudo aqui! Quando fui para Miami fiz isso, já pra Santiago eu nao tinha noçao do quando valeria a pena comprar coisas aqui! Fica a dica! A VIAGEM DIA 05/08 TRANSPORTE DO AEROPORTO PARA O HOTEL: há muitas dicas dos mochileiros sobre formas de economizar com esse transporte, como a Transvip, por exemplo, uma empresa de vans que se dividida entre várias pessoas sai mais barato, mas como chegamos por volta de duas da manha e estávamos em apenas duas pessoas preferimos um táxi. Logo no desembarque há um guiche escrito "Táxi Oficial", que é o mais indicado. Eu preferi entrar em contato antes por email com um taxista indicado por amigos para que ele já nos esperasse no desembarque. Deu super certo e chegamos tranquilos de que haveria alguém esperando! Como levamos dólares para depois trocarmos por pesos chilenos, combinamos com ele e ele aceitou o pagamento em dólar. A corrida do aeroporto até nosso hotel no bairro Paris-Londres saiu 30 dólares (ou 15.000 pesos chilenos). Para quem se interessar, o nome do taxista é Maurício Rojas: 09-9-428 4527 ou ma[email protected], ele responde de pronto os emails! O HOTEL: Para mim, um hotel tem que ser: 1) limpo; 2) bem localizado; 3) preço justo. Por isso escolhemos o Vegas Hotel, no Bairro Paris-Londres, centro histórico de Santiago. Perto de tudo, inclusive da estaçao de metrô Universidad de Chile. Apesar de ser um tres estrelas, o hotel é um charme, arquitetura colonial, decoraçao também de época, tudo muito limpo! Reservamos tudo por email sem problema nenhum, pagamos por dia 61 dólares pelo que eles chamam de quarto matrimonial (apenas uma cama de casal) com café da manha incluso. Foi na medida para nós, exatamente o que precisávamos! Cama macia, banheiro ajeitado, limpo, chuveiro bom, água quente, calefaçao no quarto, armário, saleta com janelas viradas para a rua charmosa do centro histórico, café da manha bem simples mas limpo e gostoso... enfim, tudo de bom! O único "porém" desse hotel para quem tem sono leve é um barzinho que tem bem ao lado, nossa janela ficou virada para ele, por isso ouvíamos a música que toca lá de quinta a sábado, para quem se incomoda com som esse sem dúvida é um problema, mas nao foi para nós, as outras vantagens do hotel compensaram esse leve incomodo! Segue entao o contato: Vegas Hotel - R. Londres, 49 (56-2) 632-2514 - http://www.hotelvegas.cl. SHOPPING PARQUE ARAUCO: Decidimos deixar o primeiro dia para compras no Shopping Parque Arauco (http://www.parquearauco.cl). Vimos no site que há um onibus que percorre vários hoteis e leva os turistas de graça até o shopping. Um desses hotéis é o San Francisco, praticamente ao lado do nosso hotel! Fomos até lá no horário que está indicado no site, 9h00 da manha! Aí deu 9h20, a gente congelando de frio e nada do tal onibus! Como estávamos do lado da estaçao de metro, resolvemos ir de metro! É claro que logo que saímos da frente do hotel, quando olhamos pra trás, adivinhem... o onibus estava passando!!!!!!! Enfim, esse onibus existe mesmo, é só ver no site do shopping os horários em que ele passa e ter paciencia porque nao é pontual! Nós perdemos esse onibus mas no final foi bom... vimos pelo metro que o shopping é distante do nosso hotel, de onibus levaríamos muito tempo, de metro foi rapidinho até a estaçao Escola Militaire. Descemos nessa estaçao e de lá pegamos um táxi até o shopping, pouco mais de mil pesos chilenos foi o táxi, baratinho porque nao é longe! Chegando no shopping ficamos deslumbrados! É lindo e enorme! Lojas imperdíveis: Fallabella, Ripley e Paris! Várias marcas top de linha dentro de cada uma dessas lojas e preços simplesmente incríveis! No terceiro piso, nao deixem de ir na Casa e Idéias, simplesmente AMEI essa loja! MALL SPORTS:: do Parque Arauco pegamos um taxi - também por pouco mais de 1.000,00 pesos chilenos - para o Mall Sports, um shopping só de lojas de artigos esportivos. Os preços nao sao lá aquelas coisas, mas para quem gosta de esportes, super vale a visita! Fora que esse shopping tem pista de patinaçao no gelo, parede ENORME de escalada e uma onda artificial onde se pode surfar de verdade! Como nesse dia estava muito frio, nao tinha nenhuma aula de surfe agendada, por isso ficamos de voltar outro dia já que meu marido é surfista e queria muito surfar essa onda (desça até o relato de sexta-feira, 12/08 que vc vai ver os detalhes). ÔNIBUS EM SANTIAGO: Para viajar de onibus do transporte coletivo em Santiago é preciso ter um cartao, nao dá pra pagar a passagem em dinheiro dentro dos onibus, tanto que nem tem cobrador! Maaaas nós desavisados resolvemos ir do Mall Sports até uma estaçao de metro de onibus e eis que o motorista simplesmente falou que tudo bem de viajarmos sem pagar, olhem só! É claro que foi uma exceçao visto que ele percebeu que estávamos desavisados! Entao fica o toque, para viajar de onibus, precisa antes comprar um cartao! SHOPPING APUMANQUE: Esse é um shopping menor e mais popular que os outros de Santiago mas que também tem coisas bem bacanas. Nao tem grandes lojas de redes e marcas conhecidas como o Parque Arauco, mas para quem quer ver coisas mais simples vale a visita! Comprei gorros e luvas por preços bons nesse shopping, que fica em frente à estaçao Manquehue do metro! Aliás, vou criar um tópico aqui abaixo sobre o metrô!!!! METRÔ EM SANTIAGO: Um grande aliado para os mochileiros que visitam Santiago - o metrô! Logo nesse nosso primeiro dia na capital santiaguina notamos isso, como é fácil se locomover no metrô! É claro que ele nao chega a todos os lugares, mas por exemplo, aos shoppings... vc vai de metro até o máximo que puder e só depois pega um táxi! Vai gastar muito menos do que se pegar um táxi em todo trajeto, do hotel até o shopping! Fizemos isso todo o tempo, usando o metrô o máximo que pudemos! Em horários de pico, como em toda grande cidade, é lotado, mas nada que nao dê para encarar!!!! Recomendo! RESTAURANTE COMO ÁGUA PARA CHOCOLATE: O melhor restaurante de Santiago, sem dúvidas! Todo charmoso, ambiente rústico, decoraçao sem igual e a comida... ah a comida! MARAVILHOSA! Nosso primeiro jantar em Santiago foi inesquecível! É preciso fazer reserva porque é concorridíssimo! Nao é barato, mas vale cada centavo! Anotem o site: http://www.comoaguaparachocolate.cl. Para chegar lá é fácil: é só descer na estaçao de metro Baquedano, andar uns dez minutinhos até a rua Constituicion e pronto! Nem precisa de táxi! PISCO SAUER: Foi no restaurante citado acima que o conheci. A bebida típica do Chile: pisco sauer! Maravilhoso! Nao deixem de experimentar! DIA 06/08 CAMBIO DE GUARDA LA MONEDA: Nosso segundo dia em Santiago foi para conhecer os pontos turísticos e o primeiro deles foi o Palácio La Moneda, é o palácio do governo daqui. Em frente a esse lugar, a cada dois dias, tem a troca da guarda! Em agosto deste ano foi nos dias pares, mas dando uma busca no google é possível achar em quais dias acontece essa cerimônia! Chegamos um pouco antes para garantir um bom lugar e tirarmos fotos do prédio e dos arredores, que sao lindos! Um jardim maravilhoso está bem em frente e as calçadas que circundam sao um charme, entre bancos e postes de luzes no estilo colonial, ótimo lugar para tirar fotos! A troca da guarda acontece pontualmente âs 10h00 e é uma cerimonia bonita de se ver, com música, cavalaria, marcha, vale a pena!!!!!! Depois da cerimônia, entramos no Centro Cultural La Moneda, que fica embaixo do prédio, mas nao é nada de mais, dispensável! PASEO AHUMADA: No caminho do Palácio La Moneda para a Plaza de Armas, passamos por essa rua que é um calcadao! Eles chamam de "paseo" as ruas que sao de pedestres, fechadas para o transito de veículos, como um calçadao mesmo! Além da Paseo Ahumada tem outra paralela, cheia de gente e comércio de todo o tipo! Na Paseo Ahumada, tomamos o tradicional "Cafe con Pernas"! O que é isso: um estabelecimento que vende vários tipos de café e nada mais, mas que tem como diferencial garçonetes vestidas com saias curtíssimas, com as pernas totalmente de fora! Por isso o nome: "café com pernas"! O café é muito bom e o ambiente diferente! Como, para mim, viajar é conhecer os costumes locais, essa é parada obrigatória!!!! PLAZA DE ARMAS:: É na seqüencia do calçadao da Paseo Ahumada, logo nos deparamos com a Plaza de Armas, é impossível nao reconhecer! Ali estao vários prédios históricos e importantes: a Catedral Metropolitana (vale entrar pra ver, maravilhosa por dentro e por fora!), o Correo Central, a Municipalidad de Santiago e o Museo Histórico Nacional. Sobre o museu, o que resolvi fazer: como Santiago tem MUITOS museus, elegi alguns que, pelo que pesquise, valiam mais a pena conhecer. Se fosse para ir em todos tomaria muito tempo e também seria um saco! rsrsrs Entao escolhi aqueles que mais retratam a história do Chile e o Museo Histórico Nacional é um deles! A entrada custou $ 600 por pessoa e realmente valeu a pena, mostra toda a história desse país com coisas que nem imaginamos! MUSEO CHILENO DE ARTE PRECOLOMBINO: É uma rua abaixo da Plza de Armas e vale MUITO a pena conhecer! Foi outro dos museus que elegi para entrar e visitar, sem dúvida incrível! A entrada é mais cara, 3.000 pesos chilenos, mas nao sei por qual motivo nesse dia nao pagamos nada pra entrar! Adorei o lugar, tem peças inimagináveis! MERCADO CENTRAL: Na continuaçao da rua onde fica o Museo de Arte Precolombino está o Mercado Central, é só ir perguntando que vc chega lá! Visita obrigatória, apesar de ser um mercado de peixe como outros que temos no Brasil, é uma marca da cultura santiaguina porque tudo aqui sao frutos do mar! Várias barracas com peixes frescos podem dar náuseas nos mais enjoados - o que nao é meu caso! - mas a variedade impressiona! Lá dentro também há vários restaurantes e já sabíamos que o Donde Augusto é o mais tradicional... mas também o mais caro (caríssimo, aliás)! Olhando, conversando e pesquisando, elegemos o restaurante Tio Lucho para almoçarmos a tradicional Centoia por um preço mais em conta! É o prato típico do lugar e nao podíamos deixar de provar! Valeu a pena! Muito, muito bom para quem gosta de frutos do mar como nós! CERRO DE SANTA LUCÍA: Depois do almoço no Mercado Central, caminhamos até o Cerro de Santa Lucía, também nas proximidades do nosso hotel. Logo que nos aproximamos vimos as escadarias! Que lugar maravilhoso! Uma construçao única, com paradas para admirar a vista a cada lance de escada! Sao muitos degraus SIM, mas nada que o mínimo de condicionamento físico nao permita encarar a chegada até topo! Nesse dia o céu estava meio encoberto... ainda assim valeu a vista de toda a cidade e de parte da Cordilheira dos Andes! Uma dica: separe no bolso uma moeda de 100 pesos para colocar na luneta que permite a visao aumentada de cada detalhe dessa vista maravilhosa! PARQUE FORESTAL: Saindo do Cerro de Santa Lúcia por trás, está o Parque Forestal. Arborizado e bonito, ótimo para uma caminhada!!!! Uma curiosidade desse parque é que tem uma biblioteca onde se pode alugar livros para ler no parque! Bem bacana! PÁTIO BELLA VISTA: Depois de bater perna o dia inteiro, a noite nosso destino foi o Pátio Bella Vista, no bairro Bella Vista, point dos barzinhos de Santiago (http://www.patiobellavista.cl)! Tínhamos passado por lá um dia antes, a caminho do restaurante Como Água para Chocolate, e decidimos que nosso sábado a noite seria em uma das baladinhas desse lugar que tem vááárias baladinhas, pra todos os gostos, além de lojinhas e espaços culturais! Escolhemos o bar Back Stage (http://www.bksexperience.com). Pisco sauer maravilhoso, chopp do bom, petiscos ótimos e música de primeira! Recomendo!!!! Para chegar lá também fomos de metro, descendo também na estaçao Baquedano! Já na volta nao tem jeito... tem que ser de táxi! 07/08 CERRO SAN CRISTOBAL: O dia amanheceu com céu limpo, por isso esquecemos tudo que havia antes no roteiro e fomos direto para o Cerro San Cristobal, de onde o bom tempo nos permitiria uma vista maravilhosa! Pra chegar é também pelo metrô, descendo na estaçao Baquedano, caminhando pela Rua Constituicion até o fim, sai no Cerro San Cristóbal! Muito bacana pegar o funicular (uma espécie de bondinho sobre trilhos, como do Cristo Redentor no RJ) e ir até o zoológico! Gostei muito desse zoo! De lá é só embarcar de novo no funicular e ir até o topo do cerro! Vista linda, clima incrível, uma santa padroeira no topo, visita indispensável, obrigatória!!!!! Separe mais que uma manha toda para esse passeio, leva tempo e cada minuto é bem aproveitado! MUSEO LA CHASCONA: A casa de Pablo Neruda em Santiago é numa rua quase sem saída, escondidinha mesmo, mas bem na descida do Cerro San Cristóbal, é só perguntar, é coladinho mesmo com o cerro! É uma graça, tem uma lojinha e uma cafeteria na entrada, onde se vende o bilhete para entrar no museu a 2.500 pesos chilenos. O problema é que nao se tem visitas a toda hora, sao horários determinados e como na hora em que fomos faltava muito para a próxima visita monitorada, nao entramos! Até porque me disseram que muito do que se tinha nessa casa foi perdido em terremotos, claro que ainda asim deveria ser bacana, mas nao entramos. Mesmo assim, vale pelo menos uma passada por lá... em frente â casa tem uma espécie de uma praça com vigas de concreto que tem frases do Neruda, bonito de se ver! BARRIO BELLA VISTA: Na saída do museu acima, aproveitamos para passear pelas ruas desse bairro cheio de bares e agitaçao! É uma passadinha só para apreciar as ruas e os bistrôs espalhados por todos os lados! EMPÓRIO LA ROSA: Aqui no Mochileiros li muita gente recomendando o sorvete desse lugar. No dia em que fui no Cerro de Santa Lucía eu procurei mas nao achei o tal empório... mas insisti e na volta dos passeios da manha paramos para o sorvete mais incrível que já provei! Empório La Rosa, na junçao da Calle Mercedes com a calle Monjitas, ao lado do Parque Forestal, perto também da Estaçao Baquedano, nao deixe de procurar e provar! O que eu recomendo: uma bola de chocolate com laranja e outra de doce de leite! Bom demais, nenhum sorvete no Brasil é como o sorvete do Chile! SHOPPING ALTO LAS CONDES: A ida a esse shopping nesse dia foi um acaso. Iríamos para um restaurante, mas nao conseguimos a confirmaçao da reserva, entao decidimos conhecer esse shopping que ficou faltando no dia que havíamos separado para as compras. Fica na regiao do Parque Arauco, um pouco mais distante. É um shopping mais "comum", mas também grande e bonito. Destaque para o supermercado Jumbo que tem dentro do shopping: vinhos baratíssimos! Isso fora tudo mais que se encontra por lá, o mercado é enorme! Aproveitamos pra comprar as coisas que levaríamos de lanche no passeio do dia seguinte! Para chegar nesse shopping fomos até a estaçao de metrô Escuela Militar e de lá pegamos um táxi até o shopping. 08/08 DIA DE NEVE: Estávamos ansiosos para conhecer a neve, mas deixamos para segunda-feira porque soubemos que aos fins de semana as estaçoes de esqui ficam muito lotadas! Escolhemos ir primeiro em El Colorado porque pretendíamos fazer snowboard e El Colorado é mais indicado para iniciantes em comparaçao com outras estaçoes de esqui, como nao tínhamos nenhuma experiencia, essa foi nossa opçao! SKI TOTAL: Pesquisamos várias operadoras que levam até as estaçoes de esqui, tentamos inclusive a Sousa´s Tour, muito recomendada aqui no Mochileiros. Acontece que nos dias que queríamos a Sousa´s nao tinha os passeios que nos interessavam e depois ainda soubemos que a locaçao do traje para esqui era mais caro com a Sousa´s, entao optamos pela Ski Total. Para chegar lá é bem fácil, pegamos o metro bem cedo até a estaçao Escuela Militar, tres quarteiroes a frente, na Avenida Apumanque fica a loja da Ski Total. Chegamos lá antes das 7h00 da manha e, se soubéssemos, chegaríamos ainda antes! Já tinha gente lá esperando para alugar os equipamentos de neve. A dica é essa: chegar cedo porque fica lotado, com filas para tudo, nós fomos os terceiros a chegar lá, mas foi meio assustador ver um monte de gente chegando quase ao mesmo tempo, se nao madrugar lá o bicho pega! Bom, locamos botas e prancha para snowboard, luvas, óculos e calça impermeável para neve (casaco tínhamos os nossos próprios, nao precisamos locar). Contratamos também o transporte de ida e volta e compramos aula de snowboard com um instrutor. No total, eu e meu marido pagamos 90.000 pesos chilenos por tudo isso. Fomos num onibus que subiu as montanhas maravilhosas, cobertas de neve, parando primeiro em Farellones para o desembarque de parte do grupo e depois seguindo a El Colorado. EL COLORADO: Nao tínhamos experiencia nenhuma com neve e muito menos com snowboard, mas a impressao ao conhecer El Colorado é que lá é mesmo ideal para quem quer começar a aprender a esquiar ou fazer snow. Nessa estaçao de esqui tem pistas pequenas, intermediárias e um topo maior, mas para iniciantes é o ideal porque dá pra se arriscar até nas intermediárias. Fizemos aulas de snowboard na escola "El Zorro" e eu sinceramente nao recomendo. Nosso instrutor era um frances que falava espanhol mas nao conseguiu se comunicar conosco com facilidade como os chilenos... aprendemos apenas o básico com ele, mas desenvolvemos mais mesmo depois que terminou a aula, quando ficamos livres para treinar e arriscar por conta própria!!!! O valor que pagamos na Ski Total pela aula deu direito a ficar na pista de treinos e numa outra pista nao muito grande, entao pagamos mais 10.000 cada um para subir de teleférico até o Mirante, onde tem um restaurante. Tomamos uma cerveja lá por 4.000,00 cada uma e depois meu marido desceu de snow! Ele tem experiencia com surfe e skate entao foi mais fácil... já eu, desci com a prancha debaixo do braço só fotografando!!!! As paisagens sao incríveis, a vista maravilhosa, a neve é algo indescritível para quem nunca tinha visto, como nós! Vale a pena e eu recomendo El Colorado para quem quer aprender a fazer esportes de neve! (ATENÇÃO PESSOAL, ATÉ ESSE PONTO DO RELATO ESCREVI LOGO DEPOIS DE RETORNAR DA VIAGEM. DO DIA 09 EM DIANTE ESTOU COMPLETANDO SÓ AGORA - EM 26 DE DEZEMBRO! ENTÃO NÃO TENHO MAIS MUITOS DETALHES, AS INFORMAÇÕES SÃO MAIS GERAIS, MAS TAMBÉM POR TÓPICOS PARA PODER AJUDAR NO QUE PUDER, OK!) 09/08 VIÑA DEL MAR E VALPARAÍSO: Nossa ida ao litoral foi só no quarto dia de viagem propositadamente. Esperávamos encontrar nos dias anteriores pessoas que conhecemos aqui no Mochileiros.com para racharmos uma van e economizar no passeio! Deu certo! Não tenho aqui os contatos da van que nos levou porque quem fechou esse serviço foi uma das nossas companheiras de passeio, a Juliana, mas não é difícil encontrar esse serviço por lá! O motorista da nossa van era super gente boa, no caminho parou em uma viña para nós conhecermos, na viña Santa Emiliana! Na época em que fomos, o vinhedo está seco, afinal, é a época de friozão no Chile, mas ainda assim é lindo e vale a paradinha! Depois fomos para Valparaíso, uma cidade que sinceramente é feia, mas valeu a pena pela ida à Casa Museu de Pablo Neruda. Gente, não deixem de ir! Se não me engano a entrada custa em torno de $ 3.500 pesos chilenos. Não tem guia, em vez disso, os visitantes ganham um aparelho parecido com um telefone, aí vc disca o número do andar em que vc está e uma narração explica tudo o que tem em cada andar, é enorme, se não me engano cinco andares com uma narração mega detalhada de cada objeto e cada ambiente do imóvel de veraneio do Neruda! E o melhor: tem opção de ouvir a narração em português! Bom né! Não fizemos mais nada além disso em Valparaíso, seguimos direto para Viña del Mar. Essa sim é uma cidade linda! Super florida e bem planejada, ruas bonitas, shoppings, cassinos! Almoçamos à beira mar e depois, mesmo com o friozão, andamos na praia e colocamos o pezinho no mar gelado do pacífico! Paramos também no lugar onde tem o Moai original da Ilha de Páscoa! Foi isso nosso dia de passeio, claro que nada comparado às opções de Santiago e à neve das montanhas, mas acho que não dá pra ir pro Chile e não conhecer Viña del Mar! RESTAURANTE GIRATÓRIO: Li aqui no fórum muita gente falando que o Giratório é coisa de turistão, que nem é bom, mas eu AMEI! O chão gira mesmo, beeem lentamente, mas permite uma vista 360 graus da cidade! E a comida também é maravilhosa, comemos muito bem lá e o preço é mais ou menos o mesmo dos bons restaurantes de Santiago, não é barato mas vale o preço! Atendimento também foi nota 10! Depois de "Como Água para Chocolate", foi o melhor restaurante onde estivemos! 10/08 VIÑAS: Fiquei muuuito em dúvida em relação às viñas. O que li aqui no Mochileiros deixou muitas dúvidas, por isso não sabia o que decidir. Como uma prima minha me disse que tinha amigos na viña Santa Carolina, ela me deu de presente uma visita exclusiva à essa viña, por isso nem pesquisei mais sobre as outras! Só não posso recomendar muito essa viña porque não sei como é o preço e o atendimento lá às pessoas que agendam visitas comuns. A nossa foi maravilhosa mas foi num esquema "vip" então a própria diretora de marketing nos acompanhou na visita monitorada e depois fizemos uma degustação com cinco tipos de vinhos diferentes além de vários petiscos! De qualquer forma, foi muito bom, o enólogo de lá é ótimo, saímos de lá nos achando os mais experts em vinhos! Só não posso comparar com outras viñas porque não pesquisei muito a respeito. CERRO DE SANTA LUCÍA (de novo): voltamos lá porque esse dia estava com céu bem mais azul do que no outro dia em que fomos. Valeu a pena! Com o tempo mais aberto, o contorno das cordilheiras fica lindo margeando o céu azul! Amei o cerro! FERIA DE ARTESANATO DE SANTA LUCÍA: é bem em frente ao cerro, zilhões de lojinhas com zilhões de artesanatos! Só não comprei porque já tinha gastado bastante nos shoppings, mas lá tem bastante opção pra quem gosta de artesanato local! PIZZARIAS E MERCADOS: Tem várias pizzarias na Passeo Ahumada, pertinho do nosso hotel. Como a noite desse dia antecedia um dia em que tinhamos que acordar cedão para ir esquiar, em vez de jantarmos fora, compramos uma pizza e levamos para o hotel! Ah, primeiro passamos num mercadinho também perto do hotel para comprar empanadas e água para levarmos no passeio às cordilheiras e aproveitamos para comprar um vinho! Resultado: pizza e vinho no quarto do hotel! É uma boa dica pra quem não quer sair a noite, quer gastar pouco e aproveitar para curtir o quartinho do hotel rsrsrs! 11/08 VALLE NEVADO: Fomos mais uma vez pela Sky Total e de novo chegamos bem cedo para escolhermos o equipamento e sairmos nas primeiras vans para as montanhas. Como já tínhamos feito a aula de snowboard em El Colorado (e tinha sido um fracasso para mim), só alugamos o equipamento mesmo, mas eu escolhi o esqui desta vez! Aliás, para quem não tem experiência com esportes na neve, faça esqui! Mil vezes mais fácil!!!! Peguei as manhas sozinha, sem precisar de instrutor! Logo já estava descendo montanhas enormes, sério! Aliás, que montanhas! O Valle Nevado é mais caro que El colorado mas vale a pena: é muito mais lindo e a estrutura de atendimento aos turistas achei bem melhor no Valle Nevado! Até nas pistas de aprendizado tem sistema de subida é mais ágil, são vários teleféricos para vários níveis de dificuldade! Ah, uma coisa ruim em Valle Nevado e que nos demos mal: ao comprar as chaves dos lockers que são os guarda-volumes, uma vez fechado o armário, quando vc abrir seja pra pegar uma coisinha de nada, já perde a chave! Tipo, abriu perdeu, tem que pagar de novo pra guardar de novo as coisas no locker! Isso se tiver vaga, porque no nosso caso quando abrimos não conseguimos outra chave e tivemos que carregar a mochila o resto do dia! Fora isso foi tudo maravilhoso! Pra mim, o melhor dia da viagem! Descer a montanha de neves é viciante! Delicioso! E o Valle é lindo, agora que já conheço Santiago, na minha próxima ida ao Chile vou com certeza querer ficar hospedada no VAlle Nevado! PIMENTA: Esse é o nome do barzinho ao lado do nosso hotel! No dia pós neve, foi lá que ficamos e a dica - não só lá, mas em outros pubs de Santiago - é tomar cerveja artesanal! Deliciosa! 12/08 CENTRO ARTESANAL LOS DOMINICOS - Gente, li a respeito desse centro artesanal aqui no Mochileiros mas não imaginava que era tão maravilhoso! Mil - aliás, um milhão! - de vezes melhor que qualquer outra feirinha de artesanato! Tem centenas de lojas com muitas opções de TUDO que se pode imaginar. Para chegar lá é só ir até a estação final Los Dominicos, fica pertinho da estação, dá pra ir a pé! Recomendo, é um charme! MALL SPORTS (de novo): voltamos lá porque meu marido queria porque queria surfar a "olla", a onda artifical! Primeiro almoçamos na pizzaria que fica colada na "olla", é uma pizzaria meio natureba que também tem massas e outros pratos, preço razoável, pratos delicinhas! Compramos massa e ganhamos uma taça de vinho! Depois disso, meu marido comprou a aula de surf por cerca de R$ 60,00, dá direito a uma hora de aula! Agora atenção a quem - como o meu marido - surfa em praias reais: a onda artifical é totalmente diferente em termos de movimento para ficar de pé na prancha e surfar a olla! Meu marido apanhou! Mesmo assim curtiu e eu me diverti muito rindo e tirando fotos!!!! PARQUE ARAUCO (de novo): esse shopping vale muito a pena gente, por isso voltamos lá no fim do dia e ficamos até a noite, lá é maravilhoso porque além das lojas tem música ao vivo e vários restaurantes, comemos numa creperia divina enquanto assistíamos ao show de música. 13/08 PARQUE DE LAS ESCULTURAS: Parque bonito e diferente pelas esculturas, vale a pena para um dia lightzinho como foi esse nosso último dia em Santiago! Bom, essa foi a nossa viagem pessoal, espero poder ter ajudado em algo! Abaixo, o link público do Facebook para quem quiser dar uma olhada nas nossas fotos! O Chile é incrível, vale muito a pena, eu quero em breve voltar pra lá!!!! Segue o link: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.1682732007465.66274.1812547733&type=1&l=8e673ab5f4 Um grande abraço!
  11. Poxa, só agora estou vendo as respostas aqui... nao acessei mto a net durante a viagem, cheguei dia 4...! Uma pena!
  12. Poxa, que pena!!!! Estamos indo embora hoje a noite, acabamos nao indo ao Bali Hai, nossa prioridade mesmo era a neve, entao como sai caro tivemos que priorizar algumas coisas!!!! Aproveite bastante seus dias aqui, eu estou indo embora com a certeza de que vou voltar bem breve! Amei Santiago, amei Valle Nevado, amei tudo! Qdo voltar pra casa vou postar meu relato aqui no site! Beijos
  13. Oi Patrícia! Ainda estou aqui em Santiago, mas a Juliana e a Larissa tentaram confirmar com vc o encontro no Bali Hai e disseram que nao tiveram resposta... aí na segunda-feira foi o dia em que eu e meu marido fomos esquiar em El Colorado, aí já viu né... chegamos podres no hotel e nem saímos... uma pena!
  14. Oi Vanessa! Olha, não coloquei os gastos na ponta do lápis, mas sempre que viajo com meu marido estabelecemos o que podemos gastar a cada dia e vamos adaptando, acho que depende muito dos lugares onde vc pretende ir e o que pretende comer. Em relação aos transportes, para as estações de esqui variam de 10.000 a 12.000 pesos chilenos ida e volta. Também fiz algumas modificações no meu roteiro, quero incluir Isla Negra depois que pesquisei sobre o lugar! Você vai dormir em Viña del Mar ou Val Paraíso pra ir pra Isla? Porque acho que de bate-volta ficaria mto corrido... ou será que dá?
  15. Oi Larissa, bacana! Vamos conversar por email sim, vou te escrever! Obrigada por comentar meu roteiro, estava triste por ninguém ter dito nada (snif!)! Ebaaaaaa!
×
×
  • Criar Novo...