Ir para conteúdo

Mariliafefe

Membros
  • Total de itens

    30
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Mariliafefe

  • Data de Nascimento 20-04-1989

Bio

  • Ocupação
    Arquiteta e Urbanista

Outras informações

  1. Não vale a pena ir por conta propria não... vai por mim... o que as agências cobram é um valor pequeno perto do que as escolas combram. A kaplan (minha escola de ingles) cobra 255 dolares POR SEMANA... e aqui na australia ou NZ tudo que vc for pagar é por semana, seja escola, moradia e por ai vai. Vai em alguma agencia e se vc nao tiver grana pede para eles tentarem orçar com as escolas mais baratas. Fora que quando vc chega aqui, é a agencia que te ajuda a fazer conta do banco, e todos os esquemas pra vc poder trabalhar e viver aqui. se tiver mais duvida eu tenho um canal no youtube em que explico mais coisas sobre o intercambio na australia. https://www.youtube.com/channel/UC9ilaMZkVMspD2zHZMLvZxg
  2. Show demais o seu relato!!! Anotei os lugares e preços, que ajudou bastante!!
  3. Oi Thiago tudo bom? Então gostei demais do seu relato, e estou planejando fazer esse ano (proximo a agosto) um mochilão pegando mexico, Belize e Guatemala, e com isso queria tirar umas dúvidas, tem problema? Então a 1 dúvida é o seguinte, é bem provável que eu vá sozinha, é perigoso? 2º duvida, queria muito fazer os mergulhos no mexico e principalmente em Belize, mas nunca mergulhei na vida hauhaua, você sabe se lá eles dão um curso ou algo do tipo para iniciantes? 3º tem caixas eletrônicos fáceis de se encontrar por lá ou você levou muita coisa em dinheiro vivo? 4º questão de segurança de equipamentos eletônicos (celular e cameras) como tem muito passeio na água, teria que deixar muito dos equipamentos ou na mochila, ou nos lockers, como você fez? beijos
  4. Que coincidência! Eu conheço o Daniel hahahaha mundo pequeno demais! PS: estou adorando o relato
  5. Dia 17 – CUSCO, PERU Ultimo dia de viagem (snif) acordei, não sei como as 7 da manha, me arrumei para o ultimo passeio, tomei o desayuno e fiquei aguardando a van me buscar. As 9 chegaram e fui para Moray, antes passaram em uma comunidade e uma mulher mostrou como elas fazem as lãs e como pintam usando produtos naturais, achei bem legal e interessante. Obviamente depois dessa aula, elas tentaram vender tudo pra gente, normal. Depois disso andamos mais um tempo de ônibus e chegamos nos círculos de Moray. Sabe aquele passeio despretensioso, que não damos nada por ele? Foi esse, depois de ver todos aqueles templos, ver Machu picchu, achei que esse passeio seria algo sem graça depois de tudo que vi, mas me enganei totalmente. Chegando em moray fiquei chocada de ver de perto aqueles círculos perfeitos e com a explicação do guia achei mais fantástico ainda. Pra mim esse passeio foi uma das provas mais fantásticas de como os Incas eram evoluídos. Os círculos têm alturas e larguras diferentes fazendo com que a temperatura mude em cada descida. Bom, idai? Acontece que por cada circulo tem uma temperatura diferente eles plantavam vegetais diferentes, além de fazer um laboratório agrícola para saber o que pode ser plantado em cada cidade do Peru. Depois de toda explicação o guia fez com a gente um ritual que os incas faziam, ao som de flauta e meditação, coisa de 5 min, mas super relaxante e da para sentir uma paz interior muito boa, além de podermos fazer pedidos a pachamama. Seguimos o passeio nas salinas de Maras, onde eles fazem a extração de Sal, mas só funciona nos períodos que não tem chuva. Nesse passeio tivemos que pagar entrada porque não esta inclusa no boleto turístico, lá além de conhecermos as salinas, pode comprar diversos tipos de sal que tem desde sal para gastronomia até os medicinais e banhos. Voltamos para Cusco por volta das 14:30, aproveitei que estava sozinha e comi no MC Dolnalds, e me encontrei com a Pati e a Ka no hostel. Aproveitamos o fim da tarde e uns soles que sobrou e compramos Pisco e balas de coca para levar para o Brasil, e voltamos para o hostel onde conhecemos vários brasileiros que haviam acabado de chegar em Cusco, combinamos de nos encontrar mais tarde para sairmos e fui tomar banho, arrumar a mala e jantar. A noite encontramos com todo mundo no saguão do Hostel e fomos para um bar bem legal (do lado do The temple, que só tocava rock clássico, ficamos la por um bom tempo e depois fomos para o The Temple. E quando foi uns 3 e pouca da manha voltamos para o Hostel e dormi algumas horas. As 6 acordei, tomei o desayuno, fiz o check out e as 7 o taxi já estava me esperando para me levar ao aeroporto. Gastos: Entrada Maras: 7 Sl. Mcnífico: 14Sl. Balas de coca e Pisco: 40sl Janta:12sl Taxi para o Aeroporto: 14 Sl. Hospedagem 2 dias:65 Sl. Donuts Aeroporto Lima: 10Sl. #17Dia: 162sl. DIA 18 – CUSCO – LIMA – SÃO PAULO. Bom é isso, espero que tenham gostado do relato, e se precisarem de alguma ajuda, é só perguntar ou aqui nos comentários, ou por inbox, email, facebook... Beijão galera, e até a próxima mochilada
  6. 16 DIA – MACHU PICCHU, PERU Acordamos as 4:30 da manha, arrumamos nossa mochila apenas com as coisas que usaríamos em Machu Picchu, colocando apenas água, salgadinhos, protetor solar e repelente, o resto das coisas deixamos no lockers do hostel, depois disso tomamos o desayuno e fomos pegar o ônibus. O percurso durou no máximo uns 25 minutos em um caminho com muitas curvas, quem tem estomago fraco recomendo tomar um dramin, pois a pati passou realmente mal. Chegamos em Machu Picchu as 6:00 da manha e estava com muita pouca gente, após passar pela bilheteria, seguimos em frente e já dava para ver um pouco, mas subimos mais um pouco a pé e depois de 5 minutos aparece A visão, a típica visão onde todo mundo sai nas fotos, ver essas fotos é demais, mas presenciar isso, principalmente pela primeira vez, é algo que fica marcado na memoria. E lindo, as montanhas, as ruinas, o gramado, o sol nascendo, tudo. Fiquei uns 10 minutos parada apenas observando e agradecendo a Deus por estar la. Depois disso tiramos varias fotos e ficamos andando pelo lugar até dar 8 horas da manha, chegando nesse horário voltamos para a portaria e conforme combinado com o guia na noite anterior, encontramos com ele 8:30 na portaria com o resto do grupo. O passeio guiado durou aproximadamente 2hr30min e eu gostei muito, andamos em todos os lugares e salas, sem pressa e o guia era muito bom e muito engraçado o que deixou o passeio bem mais agradável. No final no tuor uma família Peruana ainda tirou várias fotos comigo e com a pati (acho que eles confundiram a gente com alguém famoso), quando foi 12:00hr o passeio guiado já havia terminado, depois disso tiramos mais fotos e lá pelas 13:30 hrs voltamos para a entrada onde pude carimbar meu passaporte (só da para carimbar a partir das 9 da manha e não é obrigatório, mas é super legal ter o Machu Picchu no passaporte), e la mesmo encontramos a Karina, então juntas fomos ‘’almoçar’’ (o restaurante que tem lá é mega caro, então recomendamos que levem salgadinhos para o almoço). Após o almoço pegamos o ônibus de volta e as 14:30 já estávamos em Águas Calientes novamente, nos despedimos da Karina (o trem dela saía as 15:30) e ficamos andando pela cidade por um tempo, mas estava tão cansada de subir e descer a manha/tarde toda aquelas escadarias de Machu Picchu, fora o sol que estava fortíssimo e me queimei mais que imaginava, mesmo usando protetor solar, que resolvi voltar para o Hostel. Ficamos por la a tarde toda, dormi um pouco, jantamos (comida saudável a viagem toda, sqn), e as 8:30 fomos para a estação de trem. Chegamos em Ollantaytambo as 23 hrs, e tinha uma van esperando para nos levar para Cusco. Chegamos no Hostel a 1 da manha destruídas, fizemos o check in e cama. Gastos: Ônibus ida e volta: 19$ Pringles: 10 Sl. Hamburguer (janta): 12 Sl. Guarda Volume em Machu Picchu: 3 Sl. Banheiro: 1 Sl. #16dia: 19$ + 26 Sl.
  7. 15 DIA – VALLE SAGRADO, PERU Como iriamos do Valle Sagrado direto para Aguas Calientes, deixamos a mochila arrumada na noite anterior, e acordamos cedo para deixa-la no locker fazer o check out, e tomar o desayuno antes do pessoal da van passar no hostel para nos pegar. O vale sagrado é basicamente 2 templos, bem afastados de cusco. Andamos bastante com a van em direção a Pisac, com algumas paradas em mirantes para fotografias, e no mercado de Pisac, para caso alguém quisesse fazer mais compras ou ir ao banheiro, e depois de 1 hra e pouca chegamos ao templo de Pisac. Bem grandioso, gostei bastante, mas ele era enorme, a guia delimitou 30 min para conhecermos e voltarmos para o ônibus, odeio fazer essas visitas as pressas, andamos pelo sítio, tiramos algumas fotos no meio daquele bando de gente e voltamos correndo com medo de perder o ônibus. Saindo de Pisac (templo) chegamos em na cidade Pisac, o que achei um pouco desnecessário, porque era para entrar em uma loja de produtos de prata e aprender a distinguir o que é prata e o que é bijuteria, tinha também mais uma galeria de artesanato, com nada de diferente do de Cusco por preços um pouco mais elevados. Sinceramente uma parada para fazer turista gastar... preferiria ter perdido esse tempo ficando um pouco mais no templo, mas enfim acontece. Depois de Pisac, paramos em um restaurante e fomos obrigados a comer la, obrigados, porque era a única opção no local onde estávamos, o restaurante era self service,(por 35 Sl, sem bebida) a comida era mais ou menos (comi por mais barato e mais gostoso em Cusco), tirando a sobremesa que estava muito boa. O 2º ponto do passeio, foi o templo de ollantaytambo ou templo do sol, na qual só tenho uma palavra. DEMAIS! Chegando na entrada, a primeira coisa que eu pensei quando vi foi: puta que pariu, vou ter que subir tudo isso de escada? Bateu um leve momento desespero, mas a guia parava em pontos específicos para explicar sobre o local, e contar mais um pouco de história inca (amo, amo, amo) e chegando no topo, fiquei feliz por ter aguentado subir tudo porque a visão é de arrepiar, da para ver todo o templo, além de ver toda a cidade de ollantaytambo, algo que vai ficar marcado para sempre. Graças a Deus nesse templo a guia deixou ficarmos bastante tempo então deu pra além de tirar as fotos, ficar sentindo um pouco a energia do lugar e apenas ficar observando. Quando deu umas 5 hrs o ônibus seguiu para Cusco, mas eu e a Pati permanecemos em Ollantaytambo, pois pegaríamos o trem para Águas Calientes, mas como o horário era só as 8:30 da noite ficamos conhecendo a cidade, e o resto do tempo esperando em um café perto da estação junto com mais dois cariocas gente finíssimas. Pegando o trem, chegamos em Aguas Calientes as 23:00hr e logo que desembarcamos já tinha uma moça esperando para nos levar para o Hostel (o mesmo hostel que ficamos em Cusco, ele se chama Ecopackrs), fizemos o check in, tomamos um banho e cama. Gastos: Água: 2 Sl Almoço: 35 Sl Foto com lhama: 1 Sl. Empanada: 6 Sl. 10 Sl – perdi L Hostel Cusco 3 dias: 127 Sl #dia15: 181 Sl.
  8. 14 DIA CUSCO, PERU Acordamos e a primeira coisa que fizemos foi ver se o cartão foi desbloqueado e graças a Deus, foi. Com isso pagamos o Valle Sagrado + Machu Picchu e o passeio de Maras e moray (esse só eu fui, a pati não quis) e iriamos fazer o city tuor com os meninos por conta própria, depois de resolvermos tudo, tomamos o desayuno com tranquilidade, saímos para passear e ajudar a pati e a ka nas compras.Na noite anterior havíamos combinado de almoçarmos e encontrar com os meninos na igreja principal as 2:30 da tarde, mas esperamos, esperamos e nada deles aparecerem, resolvemos não esperar mais e fechamos o city tuor com uma empresa X na praça das armas mesmo. O City tuor foi muito bom, gostei bastante mesmo, mais até do que acharia que iria gostar, achava que era seria aquele passeio de ônibus com o guia falando aquele discurso decoradinho, mas me surpreendeu. O ruim é que o city tuor começa as 2 da tarde e só conseguimos pegar esse ônibus as 3, então perdemos o passeio do ao Qorikancha uma pena, mas o passeio não ficou menos interessante por causa disso, chegamos primeiro no Saqsaywaman, incrível e grandioso, nesse sítio arqueológico era na época inca uma cidade onde vivia apenas a elite, o guia foi explicando mais coisas o que deixava o passeio muito mais interessante. O segundo lugar que visitamos foi Qenqo, um dos mais simples e mais místico, entramos em uma caverna onde eles realizavam as mumificações e as demais cirurgias, de acordo com o guia, eles escolheram esse local, literalmente dentro de uma caverna pois de acordo com a filosofia e crença inca, a pachamama (mãe terra) ofereceu esse local para eles, e com toda a ligação com a terra e o céu, não teria melhor lugar que aquele. O terceiro lugar visitado foi Tambomachay, ou templo das águas, com um caminho agradável em pedra e com fontes d’água. Na volta para Cusco, passamos em um vilarejo e aprendemos a diferenciar produtos feitos de alpaca e produtos industriais, e depois voltamos para o hostel. Comemos no próprio hostel e depois encontramos com os meninos no bar de um outro hostel que esqueci o nome, onde diz a lenda teria uma festa, mas acontece que o dj faltou (oi Murphy) e ficamos só bebendo Pisco. Gastos: City tuor: 15 Sl. Boleto Turistico: 130 Sl. Almoço: 12 Sl. Janta: 12 Sl. Colar: 20 Sl Água: 2 Sl Foto com lhama: 5 Sl Canecas: 22 Sl. Maras e moray: 35 Sl. Valle Sagrado + Machu Picchu: 225$ #14dia: 253 Sl + 225$
  9. 12 DIA COPACABANA>PUNO>CUSCO, PERU Acordamos cedo para terminarmos de arrumar as mochilas e ter tempo de fazer o check out e tomar o desayuno, o ônibus partiria as 9 da manha. Acontece que quando descemos para a recepção descobrimos que estávamos trancadas dentro do hotel (tem uma porta de vidro entre a recepção e os quartos e essa porta estava trancada), chamamos o dono e nada, gritamos e nada, foi quando começou a me bater o desespero, até que descobri outra porta do outro lado do corredor que estava destrancada. Estava começando a pensar na possibilidade de deixar o dinheiro junto com a chave do quarto no balcão da recepção quando o dono do hotel chega com o pão para o desayuno Coisas que só acontecem na Bolívia o dono do hotel sai, deixa os hospedes trancados para poder comprar pão ahahaha. Passado o stress pergunto para a pati que horas eram para saber se dava para tomar o desayuno tranquila quando ela responde: 10 para as 9. Momento stress nº2 do dia! Peguei as mochilas e sai correndo para a rodoviária com medo de perder o ônibus, quando chego la percebo 2 coisas. 1 havia perdido a minha passagem e 2 não havia nenhum passageiro, nem ônibus nem nada, mas como não estava com cabeça para pensar o porque disso, comecei a procurar desesperadamente a passagem sem sorte alguma. Conversei com a moça que me vendeu para ela procurar o recibo e ela procurando na maior má vontade, enquanto a pati comendo no canto na maior calma da face da terra. Pqp aquela situação me deixou em um stress que soltei faísca pra tudo quanto é lado, quando finalmente a moça deixou de ser menos lerda e achou um comprovante. E foi nessa hora que eu relaxo e descubro que o relógio da pati estava 1hr adiantado então na verdade estávamos na rodoviária as 8 e não as 9, o que foi bom porque deu para resolver esse problema mas o ruim é que fiquei sem café da manha. A viagem para Puno foi bem tranquila, estava com medo porque li muitos relatos falam coisas horríveis desse trajeto mas na minha opinião foi tranquilíssimo, viajamos com os meninos passamos pelas duas alfândegas numa boa e chegamos em Puno em 3 hrs. Em Puno tivemos que sair entrar na rodoviária, pegar a passagem para Cusco, e trocar de ônibus. O ônibus para Cusco foi um dos mais confortáveis, mas mesmo assim pegamos alguns perrengues (claro o Murphy me persegue). Primeiro aconteceu um fato estranho de duas mulheres cismarem que eu e a pati tínhamos que guardar umas blusas delas, o que é logico não aceitamos (primeiro achei que era bruxaria, sim fiquei impressionada com os fetos de lhama, depois começamos a perceber que elas querias esses casacos longe delas a todo custo, então deduzimos ser drogas ou roubado) enfim começamos a ficar um pouco alerta nessa viagem, vai que essas mulheres resolvem colocar o casaco nas nossas coisas ou pior resolva pegar as nossas coisas... Resolvemos que iriamos ficar um pouco alertas (deu 1hrs acabei dormindo mas tudo bem), a viagem em si ocorreu tudo bem, tirando o fato de eles colocarem praticamente durante todo o percurso uma musica peruana chata pra krl sem termos a opção de desligar o som pelo menos na nossa cadeira, e o fato de uma senhora ir vomitando do nosso lado a viagem toda. Fora isso, foi bem normal. A viagem durou 7hrs e chegando em Cusco dividimos um taxi com uma chilena que fizemos amizade na saída do ônibus e fomos para o hostel. Após fazermos o check in, encontramos com a Karina (a chilena) no saguão e fomos comer pizza com limonada Gastos: Rodoviaria de Puno: 2 Sl. Taxi: 3 Sl. (pra cada) Jantar: 11 Sl. #12dia: 16 Sl. 13 DIA CUSCO, PERU Dia livre, acordamos não tão cedo (não sei o que acontecia para sempre acordar cedo... quando tenho que trabalhar é uma dificuldade mas enfim...) e a ideia era sacar o dinheiro no caixa eletrônico para pagar todos os passeios, mas a pati bloqueou o cartão dela, então enquanto ela passou a manha ligando pro brasil e falando com o pessoal pela internet para resolver esse pequeno problema fiquei deitada de boa tomando sol no hostel. Quando foi 13h o problema foi resolvido (em partes, só iria desbloquear no dia seguinte pela manha) encontramos com a ka (intima já) e fomos pesquisar preços de passeios e almoçar. O dia foi basicamente de fotos, andar pela cidade para conhecer, a ka comprou um carregador para a maquina dela, e eu uns chaveiros e a noite depois de jantar, nos encontramos com os meninos e fomos para um karaokê que não era Karaokê pois só tinha uma banda muito ruim por sinal cantando. Fugimos de lá rapidinho e a fomos para o Mama África (vazio), com isso encontramos um cara que nos deu umas pulseiras de graça e um vale drink e chegamos no The Temple. O que valeu a noite. Lugar divertidíssimo musica legal. Muito bom. Gastos: Almoço: 15 Sl. Chaveiros e etc: 30 Sl. Jantar: 15 Sl. Cerveja: 5 Sl. #13Dia: 65 Sl.
  10. Aletucs hahahaha pensando por esse lado, da até para entender o acontecimento catastrófico no banheiro hahaha, acho que se eu tivesse que fazer esse trajeto novamente ou pagaria mais caro por um ônibus melhor (os meninos brasileiros fizeram em 15 hrs) ou pensaria seriamente em pegar um avião. Tem que ter paciência mesmo, principalmente na Bolívia, que o tempo é doido, ou chove, ou neva....
  11. DIA 11: COPACABANA/ISLA DEL SOL, BOLIVIA Acordamos as 7, nos arrumamos e fomos tomar o desayuno, bem simples porém gostos, e quando foi 8:30 fomos para o barco onde iria nos levar para a Isla del Sol. A viagem é de 1hr quase 1:30hr e para quem passa mal em barco um dramin resolve, eu não precisei mas minha prima tomou quase o vidro todo do dela haha. Chegamos na parte norte da ilha e tinha um guia local esperando o grupo, ele fez uma breve explicação de por onde andaríamos e nos levou para um ‘’museu’’ que tinha na ilha, nesse museu de uma sala só tínhamos que pagar 10 bl para continuar o passeio, após pagar andamos por mais ou menos 1:30min e chegamos na parte sagrada da ilha onde eles faziam os rituais, fizemos pedidos a pachamama (mãe terra) em frente a pedra sagrada e voltamos para a parte norte. Tinha a opção de continuar o trekking de mais 3 hrs até a parte sul, mas só essa 1 hrs e pouco que andei quase morri com a altitude, lembrando que sou meio asmática e sem condicionamento físico nenhum, ou seja não ia rolar em 3 horas nem ferrando. Voltei com mais calma até a parte sul, e peguei o barco que nos deixa na parte norte. Chegando lá, me cobraram mais 5 bolivianos só pra entrar, um absurdo mas tinha que pagar então não reclamei, esperamos junto com o Maurício o Ricardo que resolveu fazer a trilha (os brasileiros simpáticos que conhecemos em Atacama), e quando o Cado (virei intima já) chegou, comemos em um restaurante que tinha por la. A volta foi bem tranquila, mais 1hr de barco, chegamos em Copacabana por volta das 5 hrs da tarde, compramos a passagem para Cusco, passeamos mais um pouco pela cidade (a Pati não quis visitar Puno e acabei decidindo ir com ela direto para Cusco, me arrependo um pouco por isso, mas fazer o que...). Momento fudeu, estava tarde e nenhuma casa de câmbio aceitava meu dólar, até que resolvemos ir ao restaurante e pagar com a nota, o cara só viu quando já havíamos comido e dissemos que não tínhamos nada além do dólar, depois de pago os meninos me deram o valor em boliviano. Gastos: Entrada parte norte: 10bl Banheiro parte norte: 2 bl Entrada parte sul: 5 bl Almoço (Hambúrguer + coca cola): 10bl Janta (tacos com guacamole e coca cola s2): 30bl Blusa de alpaca + lembranças: 120bl Onibus Copacabana - Puno – Cusco: 110bl Hospedagem: 120bl. #11DIA: 407bl
  12. 9 DIA: COPACABANA,BOLIVIA Acordamos as 7, tentamos tomar o desayuno, mas sem sucesso pois o restaurante não estava aberto ainda, fizemos o check out e as 8 em ponto a empresa nos buscou no hotel, lembram dos dois brasileiros que encontramos em Atacama? Então encontramos com ele no dia anterior por coincidência e por coincidência novamente eles sentaram ao nosso lado no busão, pegamos os contatos durante a viagem bem tranquila, que durou 5hrs. Chegando em Copacabana, havia reservado um quarto duplo no Hotel Utama, mas chegando la a reserva não estava la, e eles cobraram um valor muito caro padrão Bolivia e principalmente padrão Copacabana, então resolvemos procurar outro até achar o Hotel Paraíso, que é muito bom e recomendo. Pagamos 120 Bolivianos por noite em um quarto duplo com 1 cama de casal e 1 de solteiro, internet, tv a cabo, banho quente privativo. Deixamos nossas mochilas no quarto, fechamos o passeio para Isla del Sol no próprio hotal e fomos almoçar em um restaurante meio caro, porém muito bom, depois disso andamos para conhecer um pouco da cidade e voltamos para o hotel. A noite a pati estava meio mal então ficou vendo tv , enquanto isso fui comprar alguma coisa para comer e passear um pouco mais. A cidade que já é pacata a noite é de assustar, tudo fecha muito cedo (umas 9:00hr) e a rua fica uma escuridão e vazia, dá um pouco de medo, então comprei uns snacks, coca cola e as 9 já estava no Hotel. Gastos: Almoço + coca: 45bl. Janta (batata + coca) 20bl. Passeio Isla del Sol: 35bl. #10dia: 100bl.
×
×
  • Criar Novo...