Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Marcio_CWB

Membros
  • Total de itens

    80
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Outras informações

  • Ocupação
    Analista de Sistemas

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Danilo, mandarei mais fotos sim, pode deixar. Trilhoteiro, não entendi o "retirar as reduções". Tem alguma adaptação relativamente simples (sem ter que trocar toda a caixa) que possa ser feita para aumentar a relação? Qualquer dica é bem-vinda, pois para uso em estrada (90%) o motor fica berrando demais... Abraços
  2. EBA!!! A "Mercedes" já está em casa, com a parte de marcenaria completa. Agora começa a elétrica e hidráulica. Ainda bem que ambas serão simples. Ficou uma "tetéia". Vou ver se mando as fotos para o mmwanderley.multiply.com Logo, logo poderemos inaugurá-la. Pena que o cronograma atrasou, era para inaugurar na Oktoberfest... já imaginou poder beber e ir dormir sem ter que dirigir??? No mercadolivre vendem até câmbio de 5 marchas para ela... aí acho exageiro, se conseguir somente aumentar a relação já ficará muito boa. Abração pessoal, mandarei notícias da inauguração!!!
  3. Que legal ver a diferença dos equipamentos descritos no começo deste tópico (2004) para hoje. Em 5 anos não há mais nada analógico sendo citado... que diferença! Meus cabelos continuam os mesmo (um pouco mais brancos), mas meu equipamento fotográfico? Quanta diferença: Estou com uma Nikon D-80 com objetiva 18-200 VR e uma 100 macro, além de dois flashes SB-600 que uso para macro, geral e estúdio. Ficou uma configuração bastante flexível. Porém ainda mantenho a analógica Yashica FX-D... só falta coragem para voltar a comprar filmes, etc... Abraços!
  4. E aí pessoal, quem é vivo sempre aparece!!! E falando em Kombi, acabei de comprar uma 1.4 flex e estou montando um mini-motorhome. Para quem não lembra montei um micro-motorhome em um Kangoo, com direito a climatizador e DVD (aliás estou vendendo para quem se interessar). Agora resolvi aumentar um pouco o espaço e parti para a Kombi. Gostei do motorhome no Kangoo, mas precisava de mais espaço e também uso como carro auxiliar aqui para casa (para quando estiver chovendo - muito constante atualmente - e não der para sair de moto...) daí uma Ducato, Master, etc, além do preço, serem muito grandes. O Marcelo da http://www.kombihome.com.br está vendendo a "Alice" (nome que a batizaram), eles são de Floripa e a Kombi pareceu muito bem montada e confortável. E eu vendendo o Kangoo. Nesses tipos de viagem, se você não quiser parar em qualquer lugar (segurança, conforto, etc) acaba sendo quase mais barato pagar uma pousada do que um camping. Fiz uma viagem para Salvador há um tempo e tinham pousadas muito mais confortáveis e baratas que os campings do CCB - Camping Clube do Brasil, praticamente os únicos disponíveis em algumas cidades (Ouro Preto, Alcobaça, etc...) Mas tem a contra-partida, durante uma etapa longa, se bater um soninho, nada como parar em um posto de gasolina (hoje com estruturas espetaculares), tomar um banho, abrir uma cerveja gelada e assistir um bom DVD abraçado com a patroa. Esses momentos compensam com sobra a menor média horária, etc. Vou ver se posto fotos do andamento da montagem no http://mmwanderley.multiply.com (que aliás também anda bem parado...) Abraços!
  5. Olá rbarbone36, faz tempo que não me atualizo em facas de mergulho, principalmente depois de ter perdido duas em Abrolhos... Uma delas era TUSA, muito parecida com a FK220, porém mais antiga. Não me adaptei com o uso de facas para mergulho em acampamentos (multiuso), usava-as somente para mergulho mesmo e, neste caso, o tamanho da lâmina é algo de pouca importância (cortar linhas, redes, etc). Creio que todas as facas da TUSA sejam de qualidade e a compra vai pelo gosto pessoal. Novos tipos de aço estão sendo desenvolvidos e, hoje, a linha é muito ampla com aplicações extremamente específicas. Nunca ouvi falar deste aço H-1, deve ser mais uma nova variação que, certametne, está adaptada para o uso em água salgada. Desculpe não poder ajudar mais...
  6. Olá Raffa, na minha opiião sempre vale a pena deixar as ferramentas amoladas, pois mesmo que percam um pouco o fio com alguma oxidação, ainda assim será mais fácil recuperá-lo. Para guardar, o melhor é, depois de limpar bem e tirar todas as manchas de ferrugem, passar um pano com óleo mineral (daqueles de máquina de costura ou mesmo WD-40) e enrolar as lâminas em um filme plástico (destes de PVC de cozinha). O importante é manter o oxigênio afastado do aço, portanto uma camada de óleo e um plástico bem coberto garantirão a durabilidade de suas lâminas.
  7. Ambas me pareceram muito boas, e os preços estao excelentes tambem. Sao da Sony, lentes Carl Zeiss, bom zoom otico, etabilizador de imagem, night shot. Claro que a HC-42 eh melhor por possuir cartao para fotos e ENTRADA DE AUDIO E VIDEO, isso eh muito importante para poder digitalizar filmes diretamente da TV, ou video cassete. Substitui uma placa de captura!!! Tenho usado este recurso frequentemente. Se tiver $$ suficiente, eu optaria pela HC-42, creio que voce ficara muito satisfeito!
  8. Pois é o calcanhar de aquiles da FZ-30 é o ruído quando usa ASA 200 ou 400 (só vai até aí). Já a Fuji S9000 vai a ASA 1600 com ruído, é claro, afinal o sensor ainda é muito pequeno se comparado às D-SLR. De qualquer modo, acho que se for necessária uma qualidade profissional, invista em uma D-SLR, e, caso seja amador, mesmo que avançado, não creio que pequenos problemas de velocidade no foco, pouco mais de ruído em situações específicas ou uma resolução não tão grande sejam problemas. Aí vale as Canons, Nikons, Fujis, Kodaks, Panasonics, Minoltas, etc. Tá tendo uma variedade imensa de máquinas digitais avançadas para o público amador. É escolher a que mais gosta. Entretanto estou achando difícil de achar a FZ-30 para comprar, mesmo no exterior. Alguém sabe de uma boa loja de artigos fotográficos em Buenos Aires?
  9. Como é bom poder ter opções, pena que estas praticamente só existam para quem vai ao exterior... Um exemplo é a citada Panasonic FZ-30. Custa US$ 550,oo nos USA, CA$ 850,00 no Canadá (quase US$ 600) e R$ 2600,00 no Brasil (quase US$ 1100,00). Devo comprar a minha no Canadá com uma viagem de parentes... só assim mesmo... Agora tem como fazer alguns comparativos bem fáceis entre os modelos no www.dpreview.com
  10. Pois é Carolina, acho que os modelos citados acima Canon ZR-80 e Sony HC-30 são os mais baratos e certamente serão suficientes para qualquer registro de viagem! Aproveite também para comprar uma placa FireWire para seu computador, pois ela será necessária. Boa viagem!
  11. É o Windows Video Maker mesmo, ele vem no XP. Para captura e edição (cortes) funciona muito bem e é bem leve também. Uma grande sacada é a separação automática de clipes, fica uma baba para apgar cenas que não deram certo (tipo "Falha nossa!") rsss. Só é meio complicado o padrão de gravação dos vídeos. Se usar o WMV a qualidade cai demais e se gravar em AVI o arquivo fica gigantesco. O que faço é gravar em AVI e depois compactá-lo com DivX ou mesmo em Mpg, usando o VirtualDub (excelente e muito poderoso) ou o TMpgEnc. A qualidade fica boa e o tamanho aceitável. Como creio que seus vídeos sejam de pequena duração (senão haja cartão!!!), então qualquer micro dará conta do recado. Mas se for baixar 1 hora de vídeo e gravar em AVI no MovieMaker, os arquivos atingem 25 GIGABYTES!!!
  12. Boa pergunta Ana Paula, também analisei a P880 e, embora um pouco mais caras, minha dúvida atual está entre a Panasonic DMC-FZ30 e a Fuji Finepix S9000. Também fiquei em dúvida quanto a qualidade da Kodak em câmeras mais avançadas. Os reviews que li não a depreciam. E as lentes (ponto mais fraco em marcas menos "tradicionais" de equipamentos profissionais) é de boa marca. Creio que a parte eletrônica, hoje em dia, não tenha como fazer feio em qualquer marca. Uma pergunta, você achou a P880 por US$ 500 aqui no Brasil??? Se não, onde você pretende comprá-la?
  13. Olá Robério, não creio que haja qualquer problema em despachar facas ou outras ferramentas. Nunca despachei grandes lâminas, mas diversos canivetes sem problemas e tenho amigos que o fazem costumeiramente. Assim também vale para encomendas, sem problemas. E na hipótese de esquecer de despachar o canivete (ou faca), você pode pedir no balcão da companhia que esta seja levada pela tripulação. Também já fiz isso sem traumas. No destino basta procurar o balcão da companhia e apanhar sua companheira!
  14. Também estou com uma Trilogia há quase um ano. Não tive problemas com aderência, no meu caso achei a aderência, inclusive, muito boa tanto em pedra como em lama. Não sei explicar o porquê desta diferença para o caso descrito pelo Hugo. Em relação à impermeabilização, também achei muito boa. Só entro água por cima mesmo. Entretanto quanto ao conforto, apesar de ser "uma luva" na hora de calçar (muito confortável mesmo!), sempre tive problemas com bolhas. Usei vários tipos de meias (Seleme, social+trekking, etc) e sempre tive problemas de bolhas no calcanhar. Ok, tem que amaciar a bota... mas como ela é muito rígida, estou há um ano "amaciando" e ainda hoje tenho problemas, principalmente em dias quentes, quando (apesar do Sympatex) o pé sua um bocado e lá vai bolha... Porém, como "Sou Brasileiro e não desisto nunca" vou continuar tentando amaciá-la. Quem sabe ainda poste aqui sobre um ótimo trekking sem bolhas!!!
  15. Hehehe, se tiver que escolher fico com o mosquito... rss O divertido do caiaque e seu baixo custo, é que, tendo um carro, pode ir qualquer final de semana a alguma represa, lago, etc. coisas que qualquer cidade brasileira tem. Outro fim de semana fomos a um parque aqui de curitiba fazer um churrasco. levamos bebidas, carnes, churrasqueira, carvão e até radinho de caiaque para um canto isolado do parque e passamos o dia. Bom, bonito e barato!
×
×
  • Criar Novo...