Ir para conteúdo

Carlinhabh

Membros
  • Total de itens

    96
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Carlinhabh

  • Data de Nascimento 03-06-1983

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

Conquistas de Carlinhabh

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

2

Reputação

  1. Não vai continuar? Tem noção no quanto gastou nesses quinze dias? Tirando passagem claro, so uma média, estou querendo fazer essa trip! Bjs
  2. Muito bom seu relato...pretendo ir em fortaleza em Julho montando roteiro ainda... Uma dúvida do seu relato: o que seria cardapio ao vivo??? kkkkkkkkkkkkk
  3. Para uma viagem de 12 dias, fazendo Bogotá, Cartagena e San Andres gastaria uma média de quanto em reais??? Pensando em fazer em Novembro.... em que época vc foi?
  4. Olá.... Fiz essa Trip em Abril/2012. Na minha opnião 03 dias em Colonia você vai ficar entediado, principalmente viajando sozinho. É uma cidade muito linda, conchegante, mas cheguei la cedo e no por-do-sol ja tinha visto tudo. É um vilarejo, não tem muito o que fazer. Realmente em 02 dias em Punta Del Este, vc faz tudo, porém Janeiro é alta temporada lá, dizem que a cidade bomba, pois é local de veraneio. Eu deixaria em aberto ficar mais um dia lá, caso goste. 03 Dias em Montevideo esta de bom tamanho. Eu tiraria 01 dia de Colonia e acrescentaria em BsAs, la vc vai encontrar o que fazer certamente. So vc se programar com horarios direitinho e não vai ter que pernoitar uma noite a mais em MVD.A distancia de Colonia-MVD-PDL são quase a mesma, de estrada boa e plana e tem onibus com intervalos muito pequeno. Verifica ai na rodoviaria: http://www.trescruces.com.uy/horarios.php Good Luck and Have a Nice Trip!
  5. Como ja disseram tanto faz entrar por BsAs ou Montevideo. Lembrando que MVD esta no meio do caminho Colônia-Punta. Se for fazer o trajeto de ônibus é duas horas cada trecho. Na minha opnião 03 dias em MVD é muito, não tem muito o que fazer na cidade. Eu acrescentaria 1 em BsAs e iria ate o Zoo de Lujan! Abços
  6. Esta bacana seu roteiro! Vale muito ir ao zoo de Luján tente encaixar para ser meio de semana, pq FDS as filas para entrar nas jaulas são enormes e cansativas. As vans da Fabus são as melhores opções para chegar até lá. Se vai fazer apenas um day trip a Punta vale a pena pegar a van que faz o roteiro turistico, pq vai ganhar tempo e ver tudo principalmente o por do sol na Casa Pueblo que é bem afastada.
  7. Muito bacana seu relato!!! :'> Querendo fazer roteiro parecido em 2013!
  8. Em 4 horas da para passar pela Ciudad Vieja toda e vale muito a pena ir ao mercado! Mercado é bem interessante, principalmente se tiver com fome, experimentar a famosa Parrilada (preço não é muito atrativo). Na Plaza Independência vc visita o cartão postal da cidade, da para ver o teatro Solis, a Puerta da Ciudadela e tal!
  9. Oi Gustavo! Vou no FDS do dia 19/10. Hostel não vale a pena para a festa. Estamos fechando casa lá, sai uma média de 100/ dia. Estou com contato de uma casa a 400mts na festa! Se for no mesmo FDS e quiser se juntar, sera bem vindo! Abços
  10. Eu fiquei hospedada em Hostel, no Elviajero. Eu recomendo, muito boa localização na Av. Francia. Esse Hostel fica bem pertinho da Praia Brava onde esta o cartão postal de Punta, a " La Mano", mais ou menos uns 200mts. O terminal rodoviario também esta pertinho, 2 quadras, assim como a avenida Gorlero. Mas hospedagem lá tem varias e para varios bolsos!
  11. Dia 4- Punta Del Este Levantamos cedo novamente........ alias não dormimos, afinal balada aos fins de semana em MVD dura até as 09hs da manhã........ e seguimos novamente ao terminal Tres Cruces agora para embarcar para Punta Del Este, dessa vez pela empresa Copsa: http://www.copsa.com.uy/horarios.htm São quase duas horas por estradas retas e ônibus confortável e passagens a 188,00 UYU. O terminal rodoviário fica em frente a Playa Brava onde tem o monumento “La Mano” e a 03 quadras o Hostel El Viajero, muito melhor do que a filial em Montevideo, estrutura maior, recepção com sala de jogos, TV , barzinho e tal, localização bacana! Punta del Leste tem apenas 10 mil moradores fixos então imagina como fica a cidade em baixa temporada.... cidade é agitada durante o verão, e só no verão, entre dezembro e março. Após acomodadas fomos definir o destino, como minha companheira Jana so teria um dia na cidade optamos por fazer o City tour, que ao contrário dos outros começa as 15:00hs e custa R$50,00 por pessoa e te busca no hostel. O tour passa por todas as praias,em Punta o mar não se mistura mais com o rio La Plata, portanto já temos denovo mar azul...porém gelado! De um lado da península, voltado para o continente, as águas são calmas e rasas, como na Playa Mansa e La Pastora enquanto do outro, virado para o mar aberto, há ondas fortes para surfe, como na Playa Brava, El Emir e Playa de Los Ingleses, inclusive a um barco naufragado quase na costa. No ponto de união entre rio e mar foi fincado na areia da praia o monumento conhecido como, a Mão do Afogado, cinco dedos gigantes esculpida pelo artista chileno Mario Irarrazabal em 1982 que parecem emergir da terra, segundo o guia significando a interferência do homem na natureza. Segue pelos bairros explicando a história da cidade, durante todo o percurso você só visualiza mansões, apartamentos de luxo ,todos vazios, fechados e o guia falando preços de mercado dos imóveis, assim como identificando as dos “famosos”. Hoje mercado imobiliario de Punta é aquecido na maioria por brasileiros e argentinos.Passamos pelo bairro de Beverlly Hills, bairro mais nobre, onde tem uma casa por quadra e todas tem nome próprio. Seguimos pela ponte ondulante Leonel Vieira que liga Punta ao balneário de La Barra. Confesso que andei dando umas cochiladas pelo caminho e perdi partes da história,mas como o motorista para em cada ponto para tirar fotos e tal, peguei a maior parte O final do percurso logicamente é na Casa Pueblo,construída a mão em um penhasco à beira-mar no bairro de Punta Ballena pelo do artista plástico Carlos Vilaró, é uma mistura de hotel, estúdio,museu, que abriga um acervo de pinturas do próprio Vilaró. Lembra uma construção grega. Minutos antes do pôr-do-sol começa a cerimônia, um poema feito pelo idealizador da casa ecoa pelas caixas de som do lugar lido pelo próprio Vilaró; “Chau Sol…! Gracias por provocarnos una lágrima, al pensar que iluminaste también la vida de nuestros abuelos, de nuestros padres y la de todos los seres queridos que ya no están junto a nosotros, pero que te siguen disfrutando desde otra altura.Adiós Sol…! Mañana te espero otra vez. Casapueblo es tu casa, por eso todos la llaman la casa del sol”. Isso é apenas um trecho, que se pode apreciar sentado tomando chocolate quente, um vinho ou estourando uma champanhe como presencie no dia. É uma sensação muito gostosa esse momento, todos sentados contemplando o sol, a vista onde o único som que se ouve é o Carlos Vilaró, fechando com uma salva de palmas. A Casa Pueblo esta a 13 km do centro de Punta, ônibus passam na estrada e te deixam a 3km da Casa Pueblo é uma boa caminhada, não se esqueçam que na volta já vai estar escuro. Se quiserem contar com sorte de carona na baixa temporada, eu não me arrisco. Lá é um penhasco em uma parte alta, e o vento frio é marca registrada de Punta! Taxi são raros e caros. Umas gurias do hostel alugaram bicicleta, gastaram 02 horas para ir e 02 para voltar, pela expressão delas ao contar, acho que não gostaram muito não! 19:00 hs de volta ao hostel, cardápio da noite Parrillada! Lembrando que exitem alguns raros restaurantes abertos pela Gorlero e o Burguer King, Mc Donalds so na alta temporada! Recepção do hostel lotada e muitos brasileiros que se identifica rapidinho, rsrsrs.... Algumas cervezas enquanto sai o jantar e muitos amigos feitos, parrillada e já enturmadas bora apostar, afinal quem vai a Punta e não conhece o Cassino, não foi a Punta! Mesmo que como eu para perder 5 dólares! A pouco mais de 01 quarteirão o imponente Conrad Hotel que possui um gigantesco cassino que funciona o ano todo,é a maior sala de jogos da América Latina, com milhares caça-níqueis , mesas de roletas e carteados, no auge da curiosidade perguntei e uma diária mais barata na baixa temporada é a partir de 460,00 dólares, quem sabe na próxima! Eramos a essa altura: Janaina, Kley ( se lembram do kley la do karaokê de MVD?),Fabiano, Dênis, um casal carioca,Juliana, Patrícia, Marcelo e eu! Depois de algumas apostas frustadas seguimos para o MobiDyck,único bar aberto lá no porto, uma mistura de pub com banda de rock e boite. Estava cheio, animado, nos divertimos bastante, a compania da galera foi 100%. E foi-se uma garrafa de absolut e muitos energéticos. As 04;30 os sobreviventes Fabiano, Kley, Marcelo, Jana e logicamente eu, seguimos de volta ao hostel a pé, caminhada boa, conversa animada sobre ET´s e gnomos que rendeu boas risadas Dia 5- Punta Del Este Seguimos cedo para o porto para pegar os pescadores voltando do mar e poder ver os lobos marinhos, que ficam a espreita de ganhar um pescado. Muito fofo eles, parecm até “de estimação” dos pescadores, é so você pedir e os pescadores lhe dão restos de peixe para você mesmo dar os lobos. La vendem passeios para a Isla Del Lobos, achei caro o preço $50,00USD com duração de 02 hs, isso ida-permanência-volta, segundo eles pode nadar com os lobos.Caminhamos pela orla, passsamos pelo Faro, o monumento das Sereias.... Voltamos pela av. Gorlero com suas lojas de griffes vazias, implorando por clientes, feira de artesanato fechada, após comprar alguns souvernis uma parada no Burger King para almoço, falta de opção mesmo, mas para amenizar uma salada. Aqui me despedi da Jana, amiga de viagem, aventura e gandaias pelo Uruguay,ela embarcou no ônibus das 13hs direto para o aeroporto de Carrasco. La mesmo no terminal peguei um ônibus para “ La Barra” que fica a uns 20 minutos ao norte de Punta. Primeira parada Playa do Bikini, achei a mais bonita e mais movimentada, mar com boas ondas para surfistas,logo ao lado fica a praia de Montoya, repleta de adolescentes. Mais para frente uma prainha pequena, com ondas suaves, boa para banho. Fiz uma longa caminhada e voltei a pista para tomar o ônibus de volta e assistir o por-do-sol da ponte na praia de La Pastora. De volta ao hostel, encontrei meu amigo Kley e fomos tomar uma cerveza, jogar sinuca e se despedir de Punta, não sem antes uma ultima volta na Gorlero e comer um Chivitos, como diz o Kley: sanduiche mais caro que já comeu, R$30,00. Mas vem com fritas! Nada como após uma enfim noite de sono.....perder o horário, perder o ônibus ( passagem já estava comprada), próximo ônibus dai a 45 min e chegar no aeroporto faltando 3 min para encerrar o check-in! e não conseguir passar no Dutyfree,não tem preço!!! aff.... primeira vez que consigo sair de uma cidade sem gastar minha cota! Viajar é sempre bom, cada um com sua experiência, valores e perspectivas, mas nunca viaje sem ler, pesquisar bastante sobre o lugar! Espero ter contribuído em algo!
  12. Elisângela, È o seguinte : Para entrar no Uruguay, a melhor forma é travessia BsAs ...... Colônia ou vice-versa caso comece pelo Uruguay. Colônia é muito charmosa porém pequena. 01 dia é suficiente, não tem mais o que fazer. MVD em 02 dias vc faz tudo com folga, tbm é pequena. Se gostar de sair a noite, passe o FDS por lá! 02 dias em Punta tbm são suficientes, por ser baixa temporada. Minha opnião é que Ushuaia é meio fora tbm, deixaria para uma próxima! Eu remanejaria e colocaria mais dias em BsAs, passando por lá um FDS tbm par aproveitar o domingo em El Caminito e na feira de São Telmo. Abçs
  13. Bom, respondendo a ajuda que tive do site..... vai ai meu relato: Não costumo detalhar muito minha aventura para não ficar longo, mas com certeza vai o que considero de mais importante, dicas, valores e infos importantes. Caso deixe passar alguma coisa, só me perguntar que terei prazer em responder! Dia 1 – Montevideo Viajei do Brasil levando somente reais, primeiro susto logo de cara já no aeroporto de Carrasco, casa de câmbio com cotação a R$8,75 , já sabia que a cotação deles era ruim mas não imaginava que fosse tanto, vi algumas pessoas na minha frente trocando R$2.000,00 e fiquei pensando como tem gente que viaja sem se informar antes. Bom, troquei somente o dinheiro para o ônibus até Montevideo. Um taxi do aeroporto até MVD custa 900,00 UYU enquanto o ônibus custa 330,00 UYU e tem inúmeras linhas que te levam até o centro e Ciudad Vieja, passam ônibus de 5 em 5 min, é bem tranqüilo. Fiquei hospedada no Hostel El Viajero Ciudad Vieja, quarto misto feminino a 320,00 UYU a diária, aceitam pagamento em real com cotação R$10,00. A localização na ciudade Vieja é boa, como todo centro é deserto a noite, mas não tive problema algum com isso,porque a noite utilizei taxi que é bem barato por sinal. Do hostel vc vai a pé ( quando falo a pé é coisa de 02 quadras):Teatro Solis, Plaza Independencia, Plaza Constituicion ( fica ao lado ho hostel, tem Mc Donalds, Burguer King, pizzaria). Minha opnião sobre o hostel é que ele é bem razoável, staff atencioso, cama muito confortável, café bem mais ou menos e apenas um banheiro ( um sanitário, um chuveiro) para cada 03 quartos. No hostel conheci uma mochileira de Brasilia, a Janaína que foi minha companheira de viagem, ela já tinha conhecido nas ramblas de MVD outro mochileiro tbm de Brasília, Kley e seguimos os 03 a bailar! Balada começa as 02 da manhã, como saímos as 23:00hs começamos pelo famoso El Pony Pisador( Bartolomé Mitre 1325 ente Sarandí y Buenos Aires), barzinho maneiro começa com Karaokê com animador ( bem popular por lá) depois tem banda, após algumas doses de Whisky, tequila nosso amigo Kley subiu ao palco e adivinhem o que ele cantou? Nossa, Nossa...Assim vc me mata! Depois de aquecimento seguimos para boite Azabache,casa grande com vários ambientes, a noite era de salsa, muito legal ver os nativos dançando e nos intervalos muita música brasileira! As 03:00hs a casa começa a lotar( será que esse povo todo não trabalha?) Dia 2-Montevideo Chegar cedo e levantar cedo...essa foi a rotina de Montevideo! Nada que um energético não ajudasse, alias Energizzante. Levantamos cedo para conhecer toda MVD em 01 dia (coisa que da pra fazer tranquilamente). Subimos pela Plaza de La Constitución onde tem a igreja matriz, logo a frente tem a Puerta de La Ciudadela que entra na Plaza Independencia cercada de prédios antigos e famoso Palacio Salvo que é cartão postal da cidade. A direita da Puerta de La Ciudadela você vê o Teatro Solis. Teatro Solis caso queira fazer a visita guiada os horários são as 11:00,12:00 e as 16:00hs em inglês,português 40,00 UYU ou espanhol 20,00 UYU, quarta-feiras são gratuitas. Média de 40 min, eu particularmente não vi nada demais, durante a visita entra alguns atores fazendo encenação de uma música de candomblé um ritmo africano que usa “tambores”. Descemos rumo ao recomendado Mercado Del Puerto, recomendo seguir pela Calle Rincon, atravessa a Plaza Zabala e desce a Calle Perez Castellanos que vai sair em frente o mercado. Tivemos a oportunidade de passar pela parte de baixo e definitivamente não passem por lá, é cabuloso, ir ao mercado solamente de dia. O mercado é muito bacana, adorei, vale muito a pena conhecer,muita gente aqui no site reclama dos preços da comida do mercado, eu particularmente não viajo sem experimentar uma comida típica e lá é o lugar, tem restaurantes que cobram o cobierto outros não, só pesquisar. Muita bacana a churrasqueira com toda aquela carne exposta, da um charme ao lugar, tem a opção de ficar no balcão ou mais confortável nas mesas, preferi uma mesa a ficar com cheiro de Parrilada, o restaurante que escolhi me deu de brinde 2 taças do falado Medio&medio, bem saboroso é uma mistura de champanhe e vinho branco. O cardápio tem bastante opção, tudo com bastante carne e pescados também, meu almoço com bebida e boa comida ficou na média de uns R$60,00. Os planos seriam depois do almoço alugar uma bicicleta e passear pelas Ramblas até o Bairro de Parque Rodo que dá uns 15km, porém depois de alguns medioymedio( tomei o da Janaína, afinal ela não gostou e é tão docinho) e uma garrafa de Zillertal, não achei uma boa idéia. Resolvemos caminhar pela 18 de Julho para fazer a digestão e de lá tomamos um ônibus 19,00 UYU até o bairro de Pocitos, do ônibus podemos observar vários bairros bons de Montevideo como o Bairro Sur, Palermo, Parque Rodo para tirar aquela impressão de cidade velha que estávamos tendo da cidade e enfim Barrio Pocitos, fomos direto a Playa Pocitos, la descansamos um pouco, gostamos do que vimos,muitas pessoas fazendo caminhada, crianças brincando nos parques, gente bonita.... e antes de voltar fomos conhecer o shopping ( mulher não tem jeito mesmo). [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120428181556.JPG 500 375 Playa Pocitos] Bairro muito bacana. De volta a 18 de Julho fomos ao mercado comprar uns energizzantes para aguentar mais tarde ,comprar meus souvernis e fazer câmbio, ao longo da avenida tem várias e com variadas cotações também, a melhor que achei pagava R$10.20. De volta ao Hostel para dormir e dar conta da balada as 02:00hs..... antes um lanchinho no McDonalds para compensar o preço do almoço. A balada de hoje, prefiro não contar.... mas nossas companheiras dorminhocas de quarto não gostaram muito de dividir quarto comigo e com a Jana! Povo desanimado! Minhas devagações sobre MVD: O povo fica inventando ponto turístico, sendo a maioria dispensáveis, não fico entrando em museos, gastando tempo e minhas pernas. Ciudade Vieja tem seu lado mórbido, charmoso é bem bacana. Balada boa e com gente bonita é em Pocitos. Não deixe de ir ao mercado! Taxi e ônibus são baratos, deu para conhecer bastante de MVD andando de taxi pela noite! Quem foi ao estádio gostou, não fui porque ia ter jogo, Vasco ia jogar, inclusive o hostel tava cheio de cariocas e que foram assistir! Povo Uruguaio é muito receptivo, gostam de brasileiros e se dispõe a ajudar, então qualquer dúvida não exite em perguntar! Dia 3 - Colônia Del Sacramento Do terminal Três Cruces fica de taxi uns 150,00 UYU, optamos por ir de coletivo mesmo, afinal não tinhamos bagagem seria um bate-volta. Coletivo passa na Calle Buenos Aires e custa 19,00UYU. Levantamos cedo ( a intenção é dormir dentro do ônibus), Colonia fica 180 km a oeste de Montevidéu (110 km em estrada duplicada). De ônibus, o trajeto é feito em 2 horas e meia. Nos programamos em ir pela COT. Tarifas: http://www.cot.com.uy/tarifas01092010.htm Horários: http://www.cot.com.uy/horarios_colonia1.htm A rodoviária de Colonia fica ao lado do terminal hidroviário e na entrada do bairro histórico, La mesmo tem centro de informações turísticas que oferecem mapas turísticos gratuitos, porém a cidade não precisa de roteiro, basta caminhar, fotografar, tomar um café ou taça de vinho curtindo o charme do lugar. O mapa serve de referência e mostra todos os museus que comprando apenas um ingresso pode-se visitar todos da cidade. Colônia Del sacramento: É uma cidadezinha colonial, à beira do rio La Plata, fundada por portugueses, patrimônio da Unesco desde 1995, povoada por pousadas e restaurantes e galerias…A maioria das edificações é colonial espanhola ou neoclássica, com uma ou outra casa mais moderna no meio. Depois de pegar o mapa seguimos a pé pela General Flores, apreciando a cidade e procurando um restaurante para almoçarmos,tem vários para todos os gostos e bolsos. Tem casas de Cãmbio com boa cotação também. Depois de experimentarmos o famoso Chivitos continuamos pela General Flores até o centro histórico. Decidimos alugar alguma coisa para conseguirmos conhecer toda a cidade em um dia, cotamos Buggys, bicicleta, carro elétrico e fechamos na Thrifty car rental um carro elétrico por $50,00USD a diária, a bicicleta é bem barata porém não tínhamos condições nem preparo físico para tal feito. P.S: em Buenos Aires aluguei uma bicicleta...foi bacana...porém no outro dia mal conseguia andar. Achei que valeu muito a pena porque me permitiu conhecer toda a cidade não só a parte histórica, conhecemos toda as praias, voltamos nos lugares que mais gostamos no final e podemos devolver no porto que é ao lado da rodoviária, ganhamos boas horas com isso, caso tenha intenção de fazer o mesmo, não esqueça de levar cartão de crédito e habilitação. Seguindo pela Plaza Mayor, chegamos ao Faro de Colonia del Sacramento,em frente ao farol estão as ruínas do Convento de San Francisco, que foi construído em 1694, e destruído por um incêndio apenas 10 anos depois,são impressionantes as paredes que sobraram de pé, com mais de 1 m de espessura… A vista de cima do Faro compensa a escadaria para chegar até lá. Seguimos pela rua de baixo até chegarmos no famoso Portón de Campo a entrada oficial do Barrio Histórico que é parte da estrutura de uma antiga fortaleza, agora em ruínas,. Da fortaleza em si sobraram poucos vestígios… Voltamos pela Plaza Mayor e seguimos então nosso caminho em direção à Calle de los Suspiros, a rua mais bem preservada de Colonia, é uma das poucas ruas que mantém o calçamento de pedra original . Em boa parte das outras ruas, o calçamento é de paralelepípedos, um pouquinho mais confortável para caminhar, sem dúvida, porém exigindo habilidades que eu não tenho com a bicicleta. Comprei algumas souvernis e voltamos a plaza para uma pausa na Freddo, afinal sorvete de Dulce de Leite não tem igual. O ar de tranquilidade que a cidade transpira é muito acolhedor, não da vontade de ir embora. Seguimos de carro até a Basilica del Santisimo Sacramento, em frente o recomendado El Drugstore entramos mesmo para conhecer, muito interessante, colorido e do lado de for a um barzinho a oar livre e como decoração carros “vintage” um funciona como barzinho, com mesa enfeitada, cadeiras e tudo, já o outro cheio de flores, matos que se juntam a lateral da parede, muito bacana! Entramos por quase todas as ruas, subindo e descendo as ruas cercadas por aquelas arvores de outonos alaranjadas, passamos pelo aquário, fomos até o píer e de lá seguimos pela rambla conhecendo as praias, Playa El Alamo, playa Oreja Negro, Playa El Balneario e Playa Del Real calmamente, parando em todas. No final viramos a direita na Nicolas Mihanovich e chegamos a Plaza de Toros, seguimos andando até o museo Naval. Voltamos pela rambla novamente, o sol começava a descer e resolvemos assisti-lo na beira do Rio La Plata no centro histórico, em um barzinho que imita um moinho, tomando um bom vinho e experimentando uma pasta. Devolvemos o carro, pegamos o ônibus das 20:00 hs e cansadas voltamos dormindo, nem sentimos o tempo da viagem e chegamos em Montevideo revigoradas para mais uma noite de balada. No hostel teria a noite da Parrilada, a R$25,00 por pessoa incluso bebida nessa hora interagimos com a galera do hostel, bastante cariocas que foram ver o jogo do Vasco, nossas “ amigas de quarto” e lá conhecemos a Maria Clara uma carioca animada que mais tarde seria mais uma integrante para nossa noite, hoje na Calle Rincon na boite La City,despedida de Montevidéo.....muito boa!
×
×
  • Criar Novo...