Ir para conteúdo

Odair Massao

Membros
  • Total de itens

    7
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Odair Massao postou

  1. post anterior ilha-grande-mais-de-10-dias-t82126.html Já faz uma semana que estou na Ilha Grande, o sentimento de não querer voltar vai tomando conta. A Paz de se morar em uma Ilha é realmente magnífico. Acho que pelo fato da natureza estar tão perto, de fácil acesso e muito longe todo mau da civilização. Realmente é um privilégio. Aqui não tem o sentimento consumista, futilezas, ostantações. A Ilha Grande também impressiona por ser um lugar sem vilolência, onde não se tem ambiente para que esta se sustente. Mas como estamos no Brasil, infelizmente, a Ilha é jogada as traças pelos governantes, um bem tão belo, sendo muito mau cuidado. Mas fiz minha parte, divulgar o lugar para que todos possam conhece-la e fazer sua parte em preserva-la. Como já tinha conhecido bons lugares da Ilha fui então para um passeio de lancha que haviam me recomendado. Um colega suiço que me recomendou esse passeio. É um passeio principalmente para quem gosta de passar grande parte do tempo navegando pelos mares de Angra.O destino é a Ilha de Botinas em Angra dos Reis e na Ilha de Cataguases. São lugares muito bonitos, que nada se perde para o Caribe. Me preparo no dia anterior minha mochila, como sempre na Ilha grande o recomendável é água e algum lanche, já que TUDO é fora do real quando se trata de preços na Ilha grande. O dia amanhece, mais um dia lindo, o que é primordial para um bom passeio de lancha. Agradeço a Deus pelo maravilhoso dia, tomo meu café e vou para a lancha. No dia anterior havia combinado com uma empresa então vou ao ponto de encontro. Lá já estavam alguns outros que iriam fazer o passeio. Foi um pouco roteiro de filme, porque o grupo bem diversificado, eu paulista, dois ingleses, um escoses, dois goianos, uma de cuiabá outro de minas e um casal do ABC. Quase ia esquecendo o pior tripulante, o barqueiro. O nome do cidadão é FABRÍCIO da empresa COMO UMA ONDA. Eu raramente sou tratado com tanto descaso por uma empresa, mas infelizmente, se descobre isso quando está em alto mar... aí fica difícil desfazer o negócio. Resumindo o descaso, era como se a empresa estivesse fazendo um favor para nós, como se não estivéssemos pagando duzentos reais por pessoa... O tratamento todo era com muita má vontade, o cidadão nao se apresenta, não se comunica, faz cara feia pra tudo, como se encomodássemos por estar em sua lancha. Uma comédia.. para não dizer trágico, sem falar no GOLPE. E atenção para o golpe, na compra do passeios, eles informam que tem uma parada para almoçar, o que é verdade. Porém é um grande GOLPE, eles param em um lugar o mais tarde possível, ou seja, vc está muito faminto pois acordou cedo e irá almoçar as quatro da tarde. Somado esse fato eles combram aproximadamente R$ 150 reais por um prato para duas pessoas, com qualidade de boteco ao lado de faculdade. Eu investiguei e todas as empresas de lancha combinam com o dono do restaurante e ganham mais de 100% em cada prato. Obviamente eu já sabia disso antes e levei um lanche e rejeitei o almoço. Como não tenho medo de cara feia, comi meu lanche e vi os inocentes terem que pagar qualquer preço pois estavam famintos. Era uma vergonha ver os turistas estrangeiros serem submetidos a isso... A viagem em si é muito agradável, se navega próximo a ilha por grande tempo em direção a Angra, com o sol e o sacudir das ondas. Passa pela casa que foi do nosso grande Airton Senna, a da ilha do Pitangui e outras mansões. Primeiro paramos em botinas, onde é o caribe no Brasil. Mergulhei e pude ver até tartaruga marinha sem falar nos milhoes de peixes coloridos. Depois de duas horas fomos para cataguases, uma Ilha pequena onde muito milionários gostam de ir também com suas lanchas. É um lugar que só tem turistas na grande temporada. A água é igual de piscina, areia branca, vc só sabe que está no mar devido a água salgada, caso contrário imagina que se está em uma grande piscina. Depois de duas horas, se para para o GOLPE da empresa da Lancha do almoço e depois paramos para ver o por do Sol, único, lindo ver o Sol desaparecendo atrás do oceano. DICAS: 1- Custo de passeio de lancha é um cartel combinado entre as empresas. Na alta temporada fica difícil negociar, pois a demanda é enorme. Mas sempre negocie TUDO na ilha, jamais se sinta constrangido em espremer as empresas de lancha. 2- O Cartel é desunido e fazem o GOLPE do almoço em todos. Assim faça um lanche ou compre um na padaria da Ilha (mesmo sendo caro), sairá mais barato que o almoço. 3- Cuidado com bebida alcóolica no alto mar, fui testemunha em ver alguns ao meio dia passando mal e nem curtindo o passeio. 4- Se não gosta tanto de mergulho e de navegar, não indico passeios de lancha. 5- Fiz todos os passeios de lancha, mas se escolher por volta inteira na Ilha cuidado com qual empresa escolher. Já a meia volta é mais tranquilo. 6- O mais honesto foi a empresa Veracel ( a única que dá mais desconto e cumpreo que fala) e a que NÃO ACONSELHO JAMAIS É A empresa COMO UMA ONDA. 7- Custos de passeio volta inteira R$ 200 meia volta R$ 100 Botinas e cataguases R$ 200 8- Se gosta de mergulhar, alugue o equipamento, pq o fornecido pela lancha é pessimo, Se gosta muito, alugue as nadadeiras. veja os outros dias anteriores... ilha-grande-mais-de-10-dias-t82126.html ilha-grande-mais-de-10-dias-t82126.html
  2. Enfim LOPES MENDES, segundo dois sites de turismo e o tripadvisor, essa praia foi eleita entre as dez mais bonitas do mundo. Ela concorre com nada menos com Fernando de Noronha... Eu chego em LOPES MENDES através da trilha T10. Caminho pela trilha, em seu último trecho, estou em uma descida e começo ouvir o forte barulho das ondas. Bem forte, cada metro o barulho vai ficando mais intenso. A ladeira acaba e fica tudo plano, a areia branca começa misturada a mata Atlântica, ando mais alguns metros e de repente aparece um portal rústico de madeira com a inscrição da praia LOPES MENDES. Ao passar pelo portal aparece cinco Kilometros de praia e o mar aberto com a Ilha de Jorge Grego bem a frente, e sabendo que do outro lado do oceano o continente Africano... As ondas são fortes com seu som único e estrondoso, é a única praia com ondas assim em toda ILHA GRANDE. A cor do mar diferente de todas as praias que fui no Brasil, ela é azulada e a areia branca. É um azul muito parecido com de Cancun porém menos intenso. Caminho pela areia, e a sensação é única, pois parece que vc está caminhando na neve, a cada passo que dou, faz o barulho igual quando se caminha na neve. Só tive essa mesma sensação nas praias de Guarapari - ES. Com tantas coisa para serem vista, começo na parte da arrebentação das ondas nas rochas, na ponta da praia. É bem fácil subir nas rochas e tirar fotos panorâmicas e ver o mar estourar nas rochas. Depois decido caminhar ao longo da praia e capturar o máximo de imagens possíveis. Quando caminho, percebo que o perfil que frequenta essa praia, são jovens entre 18 a 30 anos em sua maioria, e sem crianças e sem os idosos, ou seja, sem famílias. São jovens de todo lugar do mundo, no caminho converso com um grupo formado por meninas da Rússia, Grécia e Austria. Todos encantados com a beleza de nossas praias, a maioria deles fica sabendo da Ilha Grande quando passam pelo Rio de Janeiro. Também durante a caminhada, muitos casais de outros estados e dois ou três surfistas. Chegando no final da praia é um ponto onde muitos iates param e também onde começa outra trilha. Percorro toda praia, gasto uma hora e meia, e muitas fotos. Mas infelizmente fico chocado com o tamanho do descaso com os cariocas em relação ao turismo. É algo diferente de todo o Brasil. Os ambulantes, moradores, locais, pescadores não dão nenhuma importância para educação ecológica. Pra eles recolher o lixo não é problema deles e sim do governo. Ambulantes vendem lanches águas e possui um tambor para jogar o lixo. No final do dia, os mesmos viram o tambor e amontoam o lixo na praia, alegando que alguém virá recolher e o que realmente acontece é muito lixo na praia. Outra coisa muito importante em se dizer é o desrespeito aos turistas, quase todas operadorasde lancha da Ilha engana com preços exorbitantes de almoço e desonestos e mau educados. ILHA GRANDE é um lugar que recomendo não confiar muito na primeira pessoa que te aborde oferecendo algo, muitos só tentam enganar e extorquir turistas. O que salva são alguns poucos tentam fazer um trabalho honesto. Na Ilha percebi que reina o descaso e se aparece alguém tentando organizar, rapidamente é censurado pelos locais e cariocas que moram lá agora. E percebi que isso gerou um círculo vicioso. O empresário que chega e investe, tem problemas, e explora também os locais em seus salários e benefícios, sem falar na ausência do poder público. O futuro de Lopes Mendes e da Ilha Grande é ser puro lixo e destruída por turismo descontrolado, será como a praia de Copacabana. Se visitar dê os exemplo como muitos estrangeiros EUROPEUS que levam o lixo que fazia e nítido como sabiam fazer turismo, agora sem palavras para os brasileiros e argentinos em sua maioria, um péssimo exemplo. Aproveite Lopes Mendes como consciência ecológica! Dicas: 1- Um casal comprou lanche no local e passou mal, outros comeram o mesmo lanche e nada aconteceu, mas fica a dica em levar um lanche e muito liquido para Lopes Mendes. 2- Leve toalha de praia para descansar na sombra em Lopes Mendes. É uma praia que venta muito. 3- Muito cuidado ao nadar nessa praia, correntes perigosas e já histórico de afogamentos. 4- Por 25 reais vc pode ir e voltar de escuna, a vantagem é chegar mais cedo e ir mais tarde embora. Indico a empresa Athos, compra em frente do cais. É o melhor barco e melhor atendimento. CONTINUA.... ilha-grande-rj-dia-cinco-t84907.html
  3. Não percebi as horas passando dormi como uma pedra. Acordei acelerado e decidido a fazer algo diferente de trilha. Tomo o café da manhã, faço um contrabando de sanduíche, bolos e decido que o destino do dia é praia do Abraazinho. Preparo minha mochila, levo meu kit mergulho nadadeiras e snorkel, repelente, lanche(contrabando), toalha, rede kampa e muita água. Como bebo muito água, levo três litros no meu streamer. Tudo pronto pego o mapa e Abraazinho vamos lá. O caminho é muito parecido com a T10, vou novamente pela praia e inicio a T10. Tudo igualzinho até a bifurcação onde pego a esquerda no orelhão azul da Oi, sigo fielmente as dicas dos locais. Nesse ponto muitos voltam ou se perdem. Sigo adiante e percebo que é uma trilha beirando a costa, caminho olhando a imensidão do mar. A trilha é suave, apenas um pouco confusa para quem faz pela primeira vez. O caminho faz alguns zig zags, ora caminho pela praia, depois trilha, depois pela praia novamente. Percebo que não é tão bonita quanto a T10 ao seu longo, mas tem outros encantos. Por toda trilha para Abraazinho o barulho das ondas vai me seguindo. Passo pela Praia da Julia, uma praia bem pequenina mas muito linda, e finalmente chego em Abraazinho. Chego na praia e percebo que tem bastante casais e famílias, que preferiam chegar de taxi boat. Olho ao redor e consigo ver o pico do papagaio que fica em Abraao bem pequenininho no horizonte. A praia cercada pela mata atlântica e por enormes coqueiros. É uma praia um pouco mais povoada mas nada que possa aborrecer. Escolho uma sombra na ponta da praia próximo a uma propriedade particular e me instalo com minha rede. Fica bem em frente de um cais abandonado. Com o sol estalando, pego meu kit e vou para o mar. Na praia percebo que tem bóias para demarcação para não acesso para os barcos, o que aumenta a segurança para quem nada e mergulha. Começo o mergulho e fica poucas palavras para descrever. É magnífico, foi a praia que vi mais tartarugas e peixes, que por sinal dispensa comentários. São milhares!!! Tive a brilhante idéia de usar a dica de um local e mergulhei com pedaços de pão na mão. Cheguei a me assustar do tanto de peixe que vem buscar o pão. E depois que o pão acabou, ganho de brinde várias mordidinhas nas mãos e nas costas. nada sério, mas assusta em primeiro momento aqueles que não estão acostumados com muitos peixes te cercando. Muitos mesmo!!!! Fico mergulhando até quase derreter a minha pele, e depois vou para minha sombra fazer meu lanche. Tenho a tese que quanto maior a fome, melhor o lanche. Nessa praia vejo tem um quiosque muito simples que cobra uma fortuna, alguns corajosos decidem pelo quiosque. Com barriga cheia descanso um pouco na rede e logo em seguida vou para uma sessão de fotos. Consigo fotos muito boas e uma em particular que lembra meu pai, que faleceu a três anos atras. De forma muito rápida, termina o dia, percebo que o Sol vai se despedindo, olho ao redor e vejo inúmeros taxi boats chegarem. Decido voltar pela escuridão da trilha novamente então começo a arrumar minhas coisas Enquanto arrumava minhas coisas, as pessoas vão deixando a praia nos taxisboat, muitos combinaram horário para irem buscar. Em quarenta minutos ela fica vazia. Eu sou um dos últimos. Enquanto amarrava o cadarço da minha bota um dono de taxi boat desesperado por pessoas me oferece o serviço e me cobra quinze, e eu respondo só tenho dez, ele com uma expressão não muito feliz, mas em uma posição nenhum pouco privilegiada aceita a proposta. Assim volto para vila do Abraão rapidinho de lancha. São apenas quinze minutos. DICA MASTER: 1- Vale a pena comprar streamer para usar na ilha grande, pq se usa muito. 2- Leve toalha de praia para se instalar em alguma sombra, no verão é muito necessário uma sombra. 3- Na Vila do Abraão é possível alugar equipo para snorkel. R$ 50 na alta temporada R$35 na baixa ou até R$25 4- Poucos honestos donos de taxi boats. São oportunistas, negocie sempre antes. NUNCA o primeiro preço é o real. 5- Leve lanterna se for voltar após o por do sol pela trilha, evita grandes tombos e escorregões.
  4. Minha primeira noite em Ilha Grande, durmo o sono dos justos. Acordo ansioso para explorar a Ilha, com tantos destinos, decido ir para Praia Lopes Mendes pela trilha T10. Os dias anteriores estavam nublados, mas graças ao maravilhoso Deus, hoje o tempo está magnífico com céu de brigadeiro. Depois do café da manhã dos deuses, começo a trilha. Ela tem início na rua da praia, que nada mais é a própria praia. Eu decido ir pela dica dos locais, e pego um atalho simples. Vou pela Rua Getúlio Vargas até o final, que irá dar no finalzinho da praia. Digamos que é 6 por meia dúzia em relação a ir pela praia. A única vantagem é para os que tiverem usando botas, pois tem um rio que desemboca na praia, e teria que tirar as botas, enquanto pelo atalho, não. Durante o caminho pela av Getúlio Vargas, vejo que a Ilha Grande é um grande descaso de turismo ecológico. Os locais e os cariocas imigrantes, pouco se importam com lixo, ecoturismo, turismo honesto. Ninguém tem consciência de que se tratar bem os turistas eles voltarão. Vejo lixo a cada esquina, cachorros soltos por toda ilha sem nenhum cuidado, pessoas carecendo de trabalho, locais se aproveitando da ingenuidade dos estrangeiros, dois garis para toda a ilha, restaurantes com preços absurdos e qualidade pequena. E isso vi, em apenas cem metros de civilização. Muito diferente de todo turismo que fiz por outros estados do Brasil. Enfim, a rua termina e continua pela praia até o seu final. Terminada a praia é possível ver a trilha meio escondida. É então que começa a trilha T10. Ela começa suave, entre as árvores, ainda com o barulho do mar quebrando na encosta me seguindo. É claro e notável a beleza da mata atlântica, com suas árvores com mais de vinte metros, o canto dos pássaros, borboletas e até o grito do bugio (macaco). Em poucos minutos já não se escuta mais o barulho do mar e apenas o barulho da mata, até o cheiro muda também. A umidade aumenta, a temperatura fica mais amena, o sentimento que se está na selva e a civilização longe. A cada metro que dou percebo que a trilha fica mais íngreme e a cada passo percebo que os degraus vão aumentando sua altura, mas o esforço se perde pela beleza da trilha é linda. Alguns trechos pedras gigantescas onde percebo que passa um rio com sua agua cristalina. As subidas vão ficando cada vez mais difíceis, nada impossível, para os que não praticam atividades físicas, paradas pequenas resolve fácil. Depois de trinta minutos, chego ao mirante, onde é possível ver a praia de Abraão, um ponto maravilhoso para fotos e tomar um folego. Daquele ponto percebo que não tem por onde subir mais, percebo que estou no ponto mais alto da trilha T10. Nesse trecho é possível ver a imensidão do mar pelas brechas da mata, nesse ponto consigo sentir que estou em uma ilha. Após cruzar pequenos talvegues, começa a descida na trilha. Um trecho muito bonito pois não se consegue ver o céu apenas as árvores de vinte metros se fechando por cima. De metro em metro, escuto o barulho das ondas e vai aumentando a cada metro. No decorrer da descida ganho companhia dos gringos da Áustria, que estavam na dúvida se estavam no caminho certo. O barulho das ondas está bem alto, aumenta a cada passo, os austríacos ficam em extase e começam a gritar "The waves". Então consigo ver o mar, é o final desse trecho da trilha. Fico diante de uma bifurcação, onde fiquei sabendo que muitos erram. A direita praia de Palmas e esquerda a trilha continua. Tem que pegar a direita!!!! No final desse trecho da trilha, como disse, pego a direita e começa na praia de Palmas. Ela começa na descida de uma pedra gigante, que até tem uma corda para ajudar na descida, para os mais cerelepes, dá pra descer sem ajuda da corda. A praia é vazia e pequena, porém magestoja. Nesse ponto cruzamos com patricinhas se aventurando em fazer trilha, uma comédia, pois demoraram dez minutos para descer uma pedra de dois metros. A praia, sem lixo, sem ambulantes, sem crianças chorando, apenas pessoas que estao fazendo a trilha ou os milionários dos iates tomando sol. Um cenário de filme, é possível ter a impressão que se está em uma praia de uma ilha no meio do nada. Ando cem metros e acaba a praia e começa um novo trecho. A entrada desse trecho, é bem escondida, se não ficar atento, irá passar desapercebido. O início é bem íngreme, pelo menos cinquenta metros de paredão, mas nada que assuste. Depois de mais uma hora de trilha chego a praia do Pouso . No final desse trecho de trilha, a entrada da praia do Pouso tem uma ponte, onde ela foi destruída em sua metade, mas não tem outro caminho, caminhei até o fina e pulei na areia, nada impossível. A praia é maravilhosa, calma, em sua baia muitos iates, tinha até um deles fazendo churrasco. Ela é pequena e majestosa, a areia misturando com a grama, um pequeno cais e um bar vazio. Após percorrer a praia do Pouso começa o último trecho até Lopes Mendes, é um trecho pequeno de apenas dez minutos. Não muito íngreme, e finalmente Lopes Mendes (farei um post somente sobre Lopes Mendes) Atenção para o horário na volta, eu decidi voltar no final da tarde para aproveitar ao maximo Lopes Mendes, e o preço foi caminhar na escuridão da noite pela trilha. Foi a minha escolha voltar por trilha, mas muitos escolhem voltar de barcotaxi a 15 reais, uma escolha sábia para os que não gostam de trilha tanto assim. Na volta eu estava preparado com lanterna de cabeça adequada, porém via inúmeros desavisados que só não sofreram mais pq me seguiram aproveitando a luz mas mesmo assim alguns caíram devido a escorregões e tropeços por não enxergarem muito. Parece bobo, mas após as seis horas da tarde (quando não é estação de verão) vc nao consegue enxergar NADA. Por a mata ser muito fechada, a escuridão aumenta, e a visibilidade é ruim. Em determinado momento avistei uma cobra, nesse momento percebo que a lanterna valeu o seu investimento. Chego na vila do Abraao as oito da noite, volto para pousada para banho e vou no melhor restaurante na minha opinião. Lua e Mar e janto maravilhosa muqueca de peixe. DICAS MASTER: 1- Levem um lanche e muita água, caso não queira ficar na mão de alguns ambulantes aproveitadores. 2- Dois gringos passaram mau após lanche de ambulantes. Assim se comprar, escolha os industrializados. 3- Leve na mochila de ataque, toalha, lanche, lanterna, repelente, protetor solar, capa de chuva, anorak e maquina fotográfica. 4- Não se aventure a nadar no fundo em Lopes Mendes, caso contrário é bem possível não voltar mais. Praia perigosa, mesmo para os nadadores profissionais. Ocorrência de cinco afogamentos em apenas um ano. 5- Apenas um dia não é possível para curtir totalmente Lopes Mendes, separe pelo menos dois dias. 6- Voltar de barco ao custo de 15 reais, no horário das 17:30 o por do Sol paga os 15 reais investidos. continua.... proximo post especial LOPES MENDES
  5. Michael, Os preços de SP /Angra foi R$ 66,56 aproximadamente 67 reais. Na Ilha tudo é caro, mas vc encontra PF em TODOS os restaurantes em baixa temporada, pois é um numero mais baixo de turistas. O valor flutua entre R$ 15 até R$22. Se for dar a volta na Ilha indico o guia Paes, ou o João Pontes. Ambos conhecidos de toda ilha. São na minha opinião os mais qualificados em todos os quisistos para volta Ilha. Quanto aos campings em baixa estão custado R$15 o DIA, agora em baixa temporada é tudo negociavel ou se o fizer com antecedencia. Os campings mais movimentados ficam na Rua Getúlio Vargas. vc poderá achar no site oficial da Ilha Grande. DICA MASTER: para dar volta na ilha leve alimentos de casa como: castanha de caju, castanha do pará, potes de nutella, balas de goma, e pé de moleque. Sao alimentos leves e muito energéticos, vc irá precisar. Sem falar em um preparo físico, vi muitos gringos com dores musculares por falta de preparo. Boa Viagem
  6. ILHA GRANDE mais de dez dias. Pra quem é de Sampa ou do interior de SP, na teoria é muito fácil chegar em Ilha Grande. Tem pela empresa REUNIDAS PAULISTA ônibus com saída em 3 horários da rodoviária do Tietê. Todavia na prática...nem tudo é maravilha e nem tudo é um mar de rosas, como dizia minha avozinha. Chegar na Ilha Grande vindo de Sorocaba foi uma verdadeira labuta, foram doze horas no total.Tudo começou com um taxi de casa até a rodoviária, depois ônibus (COMETA) até SP, chegando em SP - rodoviária Barra Funda, depois ir de metrô até a Rodoviária Tietê, até conseguir o ônibus de SP até Angra e pra acabar com ânimos um Catamarã, navegação de Angra até Ilha Grande. Dentro das doze horas, mais especificamente no trajeto de SP até Angra, as paradas são o ponto alto. Toda parada, o ideal é esticar as pernas e ir ao banheiro. A emoção já começa aí. Na minha primeira parada acho que fui premiado. No mictório, onde todos os homens sabe pra que serve, tinha um monte de alguém que usou para fazer o 2, devia estar lá horas... O cheiro, acho que sinto até hoje só de lembrar. A comida, parecia quando fui a India, tudo tinha cara de dias, muitos dias. Preferi não arriscar e comprei um todinho e um pacote de bolachas. Há que se arriscou, e chegou vivo. Não tenho certeza se 100%, mas vivo. As outras paradas era de igual qualidade e disputa pra quem tinha o pior banheiro. Quanto ao trajeto, era uma emoção a cada curva quando chega na serra. É bem sinuoso, pra quem é mais sensível, te prepare bem. A emoção é maior se ficar olhando a janela, pq a sensação é que o ônibus sairá voando a cada curva na ribanceira abaixo. O porquê das 12 horas. Geralmente de SP até Angra essa empresa faz em sete horas e meio. Mas tudo foi agravado devido as OBRAS DE DUPLICAÇÃO DA TAMOIO, que fecha a rodovia de segunda a quinta feira das 23 horas até cinco da manhã. Portanto fiquei no ônibus encostado na rodovia da meia noite até as cinco. Essa obra irá durar até 2014, fica o recado para quem ir em dias de semana no ônibus da noite. Cheguei na rodoviária de Angra, é minúscula, bem sinalizada, taxis na porta disponíveis, um quiosque para turistas e um stand de venda para tickets para Catamarã. Comprei meu ticket e fui a pé para o cais. É perto, uma caminhada agradável passando pelo centrinho de Angra. O Catamarã faz em uma hora, dificilmente possibilidade de balançar muito. O visual é bacana para tirar fotos. Depois da labuta cheguei e fui tirar uma soneca justa. Porque dormir em um ônibus meia boca nas curvas da Tamoio onde a emoção de sair voando a cada curva, digamos que é um sono pouco agradável. No final deu pra dar um rolê antes e depois do jantar que foi um PF e comer um maravilhoso doce da banca do seu DÉcio de sobremesa. Dicas e recomendações: 1- Se for de mochila cargueira como eu, aconselho não pegar o metro em horário de pico. E se for em temporada ir com a capa da mochila com cadeado. Em temporada é comum furtos de bagagem haja vista que o ônibus para em Sao José e em Paraty e abre o bagageiro de malas. 2-Para travessia, existe a barca que é a bagatela de 4 reais ou escuna que é 25 reais, mesmo preço do Catamarã. Recomendação é conciliar os horários de chegada dos ônibus e das embarcações, PRINCIPALMENTE se for pegar o barca. O site oficial da ilha grande tem os horários de todos. Pra quem não tem problema de custo o Catamarã é uma boa pedida, já que é o único que faz em uma hora. 3- Se chegar de madrugada, recomendo pegar um taxi e dormir no hotel. 4- Leve dinheiro, pois a maioria dos pequenos lugares não aceita cartão de débito e nem crédito. E Não tem caixas eletrônicos na ILHA. 5- Compre a passagem de volta antecipada para não ter surpresas, eu vi muitos que deixaram pra ultima hora e tiveram que esperar horas e horas até o próximo ônibus com vagas. Exemplo de um gringo que chegou comigo as onze da manhã na rodoviária mas teve que esperar até as oito da noite pra pegar o ônibus. 6- Banca de doces do seu DÉCIO, fica a tarde até a noite na rua da praia. São muitas variedades de doces e muito bem feitos, não perde em nenhuma maneira para o amor aos pedaços. Ótima pedida de sobremesas todos os dias, haja vista que a maioria dos restaurantes trabalha com sobremesas semiprontas, diferente da banca do seu Décio que é tudo caseiro, limpo e delicioso. 7- PF na Rua do Bicão com Rua Getúlio Vargas, bom barato, limpo e bem servido. Não tem como errar, ele é verde água com título de comida caseira. O único PF de esquina. 8- Se for ficar menos de sete dias, planeje bem sua viagem, a Ilha tem muitas atrações e as melhores na minha opinião não necessariamente são as mais frequentadas.
×
×
  • Criar Novo...