Ir para conteúdo

Luiz Paulo Ferrero

Membros
  • Total de itens

    34
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Eliana, A locadora de moto Goldwing que usei foi a Road2luxe. O contato é o Joel. Esse ano vou fazer outro passeio desses, porém para outro destino. Quero assistir um MotoGP, o de Brno (25 de agosto). Abraço e boa viagem. LP
  2. Grande Chinaf! Você é referência! Chegamos bem, mas super cansados. Eu acho que dei sorte na viagem. Os ventos foram suportáveis, apesar de fortes. O frio foi grande, mas estávamos preparados. A capa de motoboy foi fundamental. Aguentava o frio, a chuva e o vento. O piso de ripio foi tranquilo depois de aprender. Basta fazer força na pedaleira. A moto nova, uma Adventure 2009 foi maravilhosa, sem problemas. Eu não tive problemas com combustível, mas os outros tiveram. O Paso San Francisco foi o pior piso e somado a altitude foi bem dificil, mas passamos sem grandes problemas. Mas a soma
  3. Pessoal, Eu encontrei o tal americano em Fiambalá. Ele estava com uma Adventure sozinho. Estava com uma mala lateral sem a tampa. Realmente o cara estava bem cansado e sujo depois do San Francisco. Disse que ia descer a ruta 40 até o Ushuaia. Eu não vi ele por lá! Minha passagem pelo paso foi tensa e difícil. Cai num monte de brita grauda, que eles chamam de gravia, sorte que estava a 30 por hora. Comigo não aconteceu nada, apenas o ego avariado. A moto quebrou o suporte do milha, que arrumei ali mesmo com silver tape. Foi numa tentativa de mudar de trilha. Duro foi levantar a moto, se
  4. Obrigado Robson e Otavio Luiz. Vou concluir esse relato. Só falta a passagem pela Suiça e a volta pela Itália. Suiça, o pais da perfeição e das coisas caríssimas. O trabalho apertou um pouco. Grande abraço, LP
  5. INNSBRUCK Innsbruck é a capital do Tirol, na Áustria, com cerca de 120 mil habitantes. É uma cidade bem interessante, rodeada pela beleza impressionante dos Alpes. É claro que tem muitos outros atrativos, outras épocas foi uma cidade imperial e, hoje, é repleta de cultura e história, além de ser uma animadíssima estação de inverno, tendo inclusive sediado as olimpíadas de inverno em 1964 e 1976. Depois de nos instalarmos no hotel, por sinal próximo do centro e com instalações honestas pelo preço que pagamos. Enquanto dava uma descansada, Marilia foi fazer suas pesquisas de praxe para saber o
  6. 13º dia – Trajeto saindo de Rothemburg, pasando por Fussen na Alemanha e seguindo até Innsbruck na Áustria. Saímos do hotel em Rothemburg de manhã com chuva fina. As ruas todas de paralelepípedo bem escorregadios. E arrumar as bagagens na moto não era uma atividade simples e com chuva, pior ainda. Sempre fico imaginando o pior prá ficar preparado, aquele peso todo, chovendo, piso liso. Tava ferrado e precisava sair dali com cuidado. Logo chegou o asfalto e fomos para Fussen, pequena cidade com uma única atração: um castelo que foi a inspiração do castelo da cinderela. É isso. Fomos lá ver.
  7. 11º e 12º dia Saida de Munique para Rothemburg Saindo de Munique, o plano era conhecer algumas cidades da “Rota Romântica” daquela região. Romântica por ser cidades que teem estilo medieval. A rota começa em Wurzburg e termina em Fussen. São uns 350 km e 27 cidades. Não era possível fazer esta rota por completo, então escolhemos as cidades que julgamos mais representativas. Para os próximos 2 dias, escolhemos Rothemburg ob der Tauber para dormir e no trajeto passamos por Dinkelsbuhl. A primeira cidade que demos uma rápida parada, Dinkelsbuhl, bem pequena, mas muito interessante, começamos
  8. 8º, 9º e 10º dia – Munique. Em Viena ainda, prá nossa alegria, o dia amanheceu fechado. Arrumei a bagagem e a moto pegou de primeira. Bom. Sempre que ia dar partida ficava numa preocupação danada. Logo na saída de Viena veio a chuva, não tão pesada, mas molhada. Não tiramos foto nenhuma, só alguns filmes. A moto estava bem firme e segura, assim fomos sem muita preocupação. E ficamos em Munique 2 dias inteiros, 3 pernoites. O hotel era bem do tipo executivo, cheio de pessoas de terno e suas pastas. Alguns eram turistas como nós. Gostamos do local. Não tinha estacionamento, então parava a mo
  9. 6º e 7º dia – Viena Ficamos 2 dias em Viena. Ali estava presente o velho e o novo. De manhã demos uma volta de moto, na primeira parada, um edifício grande e cheio de alarme fez interferência na no sistema de segurança da moto. Não adiantou nada, a moto não dava partida. Como já tinha acontecido isso de outra vez, empurrei a moto para longe do prédio e consegui fazer a moto pegar. Mas foi um trabalho de corno. Resolvemos deixar a moto no hotel e passear a pé. O tempo estava agradável e o hotel ficava perto do centro. Rodamos a cidade a pé. Fizemos certo. A cidade é bem típica no centro, c
  10. 5º dia – Trajeto Cortina D’Ampezzo (Itália) até Viena (Austria). Este dia sabíamos que seria longo ( 568km) prá quem tá fazendo turismo. Tinha um primeiro trecho, ainda nos Alpes, uma estrada muito bonita, cheia de curvas, como todo motociclista adora. Logo alcançamos uma pequena cidade, Piéve, a beira de uma represa (a segunda que encontramos), era ainda bem cedo e apanhamos a cidade acordando bem preguiçosa (bem tarde por sinal) que parecia um domingo. E continuamos seguindo por uma estrada bem sinuosa, passamos por Ampezzo e depois chegamos a Tolmezzo. Ali o GPS deu um “tilt”. Ficou b
  11. Saímos para dar uma volta na cidade e fazer o reconhecimento do que poderíamos fazer no dia seguinte. O passeio foi muito legal e entendemos que essa é uma cidade para pessoas que podem gastar muito. As lojas são todas de grife e olhando nas vitrines começamos a entender que os custos ali praticados não eram para o nosso “bico”. Mas ainda estávamos com aquela expectativa de comprar algumas roupas, mas tivemos que esperar. Só abrimos “o cofre” para a compra de um casaco de frio para Marília, que daí prá diante ficou super-satisfeita. As fotos, daqui prá diante, começaram a d
  12. Prosseguindo... Próximos do entroncamento que seguia para Cortina, paramos num posto para informações. Com quem? com a polícia. Uso esse estratagema de sempre solicitar a ajuda dos policiais. Eles são super solicitos e sempre ajudam. Nesse momento começou uma pequena garoa, que foi nos amedrontando, pois viajar com chuva é uma mer... Mas fomos seguindo, faltava pouco e ficou só na garoa, bem fraca e conseguimos chegar em Cortina D’Ampezzo sem problemas. A cidade nos impressionou de cara pela beleza. Rodamos um pouco e o GPS nos levou até o hotel reservado. Hotel médio, sombrio e estr
×
×
  • Criar Novo...