Ir para conteúdo

Murilo Pagani

Membros
  • Total de itens

    81
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Murilo Pagani postou

  1. Uma reflexão sobre a realidade da nossa amada América Latina! ⇒ Carta à América Latina: uma história de amor e ódio como nosso continente
  2. Um super post com 7 opções de roteiro pela América do Sul! Tem pra todos os gostos. ⇒ 7 roteiros de mochilão pela América do Sul
  3. Que bom que ajudou Pedro! Depende... hehehe Você pensa em comprar o esquipamento e usar outras vezes futuramente ou não?? Acho que essa é a principal questão entre levar daqui ou alugar lá! O aluguel sai mais barato do que comprar tudo aqui e levar, porém, o equipamento não será seu... Abz Murilo
  4. Olá Giancarlo!!! Fico contente que tenha ajudado!!! Safe Travels Abz
  5. Tudo certo e vc? Então cara, não tenho uma planilha com o roteiro que fiz certinho e tal! Mas lá no meu blog tem dicas de praticamente todos os ugares que visitei. Além disso, lá tem uma seção só de roteiros por país. Exemplo: "Dica de roteiro de 10 dias pela Nicarágua" Da uma olhadinha lá. Espero que ajude! Abz
  6. Que bom que gostou Bruno! Bom vamos lá... hehehe 1) Em Calafate há algumas agências que oferecem passeios para esporte de aventura, tipo tirolesa entre outras coisas, assim que se curtir isso talvez vale a pena dar uma pesquisada. Outra coisa para fazer em Calafate é visitar o bar de gelo... também há o museu, que é no mesmo lugar..você consegue fazer esse passeio em uma tarde. 2) Em El Chaltén vai depender do tempo. Como fui no verão, cheguei na cidade depois do almoço e consegui fazer uma trilha de umas 7 horas +- (ida e volta). Isso foi possível porque no verão fica claro até bem tarde, tipo umas 21:30. 3) Você até pode fazer o passeio bate volta para tdp mais de uma vez, tipo em dois dias... Mas não tem jeito, há paisagens que você só verá fazendo o circuito mesmo. Caso opte em fazer mais de um passeio bate-volta, acredito que 2 dias sejam suficientes e deixaria o outro dia que sobrará para Ushuaia. Pense em conhecer a Pinguinera ou algum outro lugar nesse dia extra por lá. 4) Sobre a questão da grana é complicado dar uma opinião não conhecendo o seu estilo de viagem... hehehe Não estou muito por dentro dos preços atuais da Argentina/Patagonia. O que posso te dizer é que em 2013, 6mil+passagens/pessoa seria mais do que suficiente para MIM. Isso porque sempre fico em hostel, quase não como em restaurantes e não faço compras. Bom espero que tenha esclarecido um pouco as sua dúvidas.... hehe Abz
  7. Murilo Pagani

    Medellín

    Cara fora esse ônibus que sai de hora em hora acho que a única saída seria táxi mesmo. A corrida em Novembro/2014 custava aproximadamente U$30,00. Pra quem quem perguntou sobre os barzinhos, na Calle 70 também há muitos... Abz
  8. Na verdade a única coisa que você fecha com agência é o transporte terrestre até o porto de San Blás. Que por sinal é bem longe da Cidade do Panamá. Em Novembro/2014 paguei US$ 60,00 pelo transporte de ida e volta. A agência também fará a reserva para a sua hospedagem na ilha com os Kuna, no entanto, você não paga essa grana para a agência. Tanto o valor de hospedagem como transporte marítimo você vai pagar diretamente para os Kuna Yalas quando chegar em San Blás. Abz
  9. Boa tarde galera!! Fiz uma trip por toda América Central 2014/2015, e recomendo muitissimo essa trip!!! Fui do Panamá ao México e cada país possui suas particularidades. Os que eu mais gostei foram Nicarágua e El Salvador. Preços baixos, muito o que conhecer e povo bastante simpático. Se precisarem de alguma informação especifica é só chamar ae ou então dar uma olhadinha no meu blog, o Volto Logo. Tem várias dicas lá! Safe Travels Murilo Pagani
  10. Cara infelizmente não sei te responder! Mas uma coisa é certa, depende muito das cidades que você quer conhecer! Se forem cidades próximas tudo bem. Porém, se você quer conhecer o litoral norte (Cartagena, Santa Marta) e ir dirigindo até Bogotá ou Medellín, enfrentará viagens muitooo longas.
  11. A primeira vez que pensei em incluir Santa Ana no meu roteiro por El Salvador, foi depois de ver a foto de um incrível lago azul formado na cratera de um vulcão. Não me lembro exatamente onde a vi pela primeira vez, mas tive certeza de que queria conhecer esse lugar. E para minha surpresa, depois de um pouco de pesquisa descobri que o Vulcão Santa Ana é apenas um dos lugares fantásticos que se pode conhecer tendo essa cidade como base. Localizada a apenas 65 quilômetros da capital San Salvador, Santa Ana é uma das maiores cidades do país. Por estar em uma região privilegiada e próxima de vários destinos turísticos, a cidade está acostumada a receber muitos viajantes e possui boa infraestrutura para isso. Confesso que a cidade em si não tem lá muitos atrativos, mas como já citei anteriormente, ela será a porta de entrada para você explorar boa parte do pequeno El Salvador. Como chegar Saindo de San Salvador, há ônibus frequente até Santa Ana. Eles saem do Terminal Occidente e a viagem leva aproximadamente uma hora e meia. A passagem do ônibus turístico custa US$1,50, são aqueles grandes convencionais que estamos acostumados aqui no Brasil. Já saindo de Santa Ana, uma rota bastante tradicional entre os mochileiros é ir para a Guatemala. Aqui você tem duas opções: Opção 1- Fronteira San Cristóbal: Para ir até essa fronteira não tem segredo, há ônibus direto de Santa Ana até lá. Depois basta atravessar a fronteira para o lado guatemalteco e pegar outro ônibus para a Cidade da Guatemala (se não me engano esse é o único destino a partir da fronteira). Não foi a que utilizei, pois o Carlos do hostel Casa Verde me alertou que nessa fronteira os ônibus não são muito frequentes. Opção 2- Fronteira Las Chinamas: Essa foi a minha escolha, e apesar de você ter que fazer mais “conexões”, ela é mais rápida. Pegue um ônibus em Santa Ana com destino a Ahuachapán. Chegando lá, você terá que caminhar cerca de dez minutos e ir até o ponto de onde saem os ônibus para a fronteira. Após cruza-la, mais uma vez você encontrará ônibus com destino a Cidade da Guatemala. Onde ficar A região central é sem dúvida o melhor lugar para você se hospedar na cidade. Há muitas opções de hostels e pequenas pousadas, mas quero recomendar a vocês, simplesmente o melhor hostel que já fique na minha vida, o Casa Verde. Juro que tentei encontrar algum defeito no hostel, mas não consegui. Lá você encontrará diárias em dormitórios e quartos privados, ambos sem café da manhã. Como de costume fiquei no dormitório e paguei US$10,00/ noite. Para os valores de El Salvador esse preço é um pouco acima da média, mas vale muito a pena. Carlos, o dono do hostel, faz de tudo para agradar os hospedes e fazer com que eles se sintam em casa. O hostel possui duas cozinhas super bem equipadas e limpas. Cada pessoa tem direito a um armário identificado com o número da sua cama para poder guardar sua própria comida. O wifi funciona extremamente bem em todas as partes da casa: dormitório, cozinha, áreas comuns e até na piscina. Os dormitórios são impecáveis. As camas são muito confortáveis (NÃO são beliches), há um banheiro masculino e outro feminino dentro do dormitório, ventiladores individuais no teto (um acima de cada cama), lockers, tomada e luz de leitura ao lado de cada cama, criado mudo e até um suporte metálico onde você pode por sua mochila e não deixa-la jogada no chão. Enfim, um luxo para os mochileiros econômicos que não estão acostumados com isso. O que fazer • Vulcão Santa Ana- Localizado no Parque Nacional los Volcanes, esse é apenas um dos vulcões que você encontrará no parque. Os outros dois são o Cerro Verde e Izalco. Há ônibus que saem de Santa Ana e te deixam na portaria do parque. Para fazer hiking, é necessário o acompanhamento de guia. Eles disponibilizam esse serviço na entrada e o valor é simbólico. Algo em torno de US$ 3,00. • Lago Coatepeque- A pouco mais de uma hora de Santa Ana, esse lugar é uma ótima opção para passar uma tarde, almoçar ou simplesmente tomar uma cerveja com uma vista incrível. Ao redor do lago há diversas opções de restaurantes e bares. Você também pode fazer algum passeio de barco pelo lago. • Ruínas de Tazumal- Esse conjunto arqueológico Maia é um dos mais expressivos de todo o país. Situado apenas a 13 quilômetros de Santa Ana, visita-lo é uma ótima maneira de conhecer um pouco mais sobre essa cultura tão interessante. • Ruta de las Flores e Parque Nacional El Imposible- Infelizmente não pude fazer esses passeios por falta de tempo, mas também me parecem boas opções. Um pouco mais afastado da cidade de Santa Ana, ambos atraem muitos turistas. Post publicado originalmente no meu blog. (http://www.voltologo.net/santa-ana-uma-parada-obrigatoria-em-el-salvador/)
  12. Olá Vanisa! Se você mandar um email para o pessoal do Hostel Lunas Castle acredito que eles te passam o valor atual. Esses preços que citei no post são de um ano atrás. Acredito que não aumentou mais do que 10%. Boa viagem!
  13. Priscila, até o ano passado era 8kg, no voo entre Medellin- San Andrés... Talvez tenha mudado... Da uma olhada no site deles que é mais confiável... hehe
  14. Não fui... hehehe Mas uma boa opção é pela companhia aérea Viva Colômbia. Há voos saindo de Bogotá e Medellín com bons preços. O inconveniente é o limite de bagagem. Outra coisa é que até o ano passado eles não aceitavam cartão de crédito internacional!
  15. Olá Wesley! Cara, como você vai pra Costa Rica depois, essa é a melhor opção de logística! Recomendo todos esses lugares que estão no seu roteiro! hehehe Se precisar de mais alguma informação é só avisar! Ah, e lá no meu blog tem bastante dicas desses países! www.voltologo.net Abz
  16. Falaa João, Fico contente em saber que o post foi útil!!! Sem dúvida nenhuma a Patagônia é um lugar fantástico! Se precisar de mais alguma informação é só avisar! Safe Travels
  17. O Equador é um país muito barato para se viajar... Gastava uma média de US$ 20,00/dia com alimentação, transporte público e hospedagem em quarto compartilhado.. Não entendi muito bem essa questão da moeda que você mencionou...Até porque a moeda do Equador é o Dólar Americano! Portanto, acho que é mentira... hehe
  18. Apesar dos chilenos contestarem e não serem de acordo com esse título, não tem jeito- é a argentina Ushuaia que é mundialmente conhecida como “La ciudad del fin del mundo”. Os chilenos não contestam essa fama sem nenhum fundamento, muito pelo contrário. Na verdade, a cidade mais austral do mundo é a chilena Puerto Willians, porém, os argentinos alegam que a cidade não passa de um vilarejo com uma única função portuária. Discussões a parte, sendo ou não sendo a cidade mais ao sul do planeta, Ushuaia merece sua atenção na hora de você montar seu roteiro pela Patagônia. A cidade é extremamente turística, mas nem por isso deixa de ser um lugar incrível. Uma curta caminhada pelo centro te mostrará que não faltam opções de restaurantes, bares, agências de turismo e hospedagens. No assunto belezas naturais Ushuaia dificilmente decepciona algum viajante. São tantas as opções que é difícil escolher o que fazer primeiro. Mas como tudo que é bom tem seu preço, prepare-se, pois essa região não costuma ser muito amiga dos mochileiros econômicos. Quando ir Para os amantes do sol e calor sinto lhes informar que em Ushuaia não tem muita escapatória, mesmo durante o verão é bom estar preparado para dias frios e gélidos. Durante todo o ano é o frio quem da as caras em Ushuaia. Durante o verão a temperatura média está em torno dos 10 °C, no inverno essa média cai para 2 °C. Acrescente a isso um vento gelado que está presente praticamente durante todo o ano e a sensação térmica será muito menos que isso. Por conta disso, a alta temporada por lá é durante o verão- de fim de novembro a começo de abril mais ou menos. Nessa época os dias são bem longos, é comum ter claridade natural até às 23 horas. O inverno é a época para os amantes da neve. Como vantagem você encontrará melhores preços, a cidade estará mais tranquila e caso queira praticar esportes na neve, essa é a época ideal. Em contrapartida, muitos hostels e restaurantes fecham as portas nessa época diminuindo a oferta. Linhas de ônibus também sofrem uma queda. Os dias são mais curtos, muitas vezes às 16 horas a escuridão já tomou conta da cidade. Onde ficar Tudo que você precisa está na região central da cidade, foi lá onde eu fiquei hospedado e gostei bastante. Há muitas opções, de hostels simples a hotéis luxuosos. Fiquei hospedado no Free Style e recomendo. Esse hostel não é a opção mais barata, mas tem um ótimo custo beneficio. Os dormitórios são espaçosos, a cozinha bem equipada, staffs atenciosos, boa área comum, banheiros limpos e o mais importante: ótimo sistema de aquecimento. Gastos Na mesma proporção que Ushuaia é incrível ela é cara. Uma dica que pode fazer seu dinheiro render um pouco mais é trocar seus dólares ou reais ainda em Buenos Aires, caso seja possível. A cotação por lá é bem melhor do que em Ushuaia. Meu gasto na cidade incluindo quarto compartilhado em hostel, alimentação e cervejas foi de US$ 40,00/dia. Você pode gastar menos ou muito mais, depende do seu estilo. Lembrando que a parte disso você deve incluir o transporte tanto pela cidade ou intermunicipais e mais os passeios que pretende fazer. O que fazer • Isla Martillo: Um dos passeios mais tradicionais em Ushuaia é visitar a Isla Martillo, também conhecida como Pinguinera. Esse passeio só pode ser feito em tours específicos e com a única agência autorizada a visitar o local, a Piratour. A pequena ilha abriga mais de mil pinguins durante os meses de outubro a abril. • Glaciar Martial: Um passeio que é relativamente perto do centro de Ushuaia e não precisa fechar com nenhuma agência ou guia. Cercado de belezas naturais, você pode chegar ao ponto mais alto do parque através de caminhadas ou teleférico. • Parque Nacional Tierra del Fuego: Um parque gigante, com muitas opções de trilhas, mirantes, lagos e paisagens incríveis. Apenas a 11 km de Ushuaia, é aqui que você pode andar no famoso “Trem del fin del mundo”, uma réplica que anda pelos mesmo trilhos do trem usado a mais de cem anos para transportar presidiários que iam trabalhar na floresta. • Canal Beagle: O passeio pelo Canal Beagle costuma ser um dos mais procurados em Ushuaia. A bordo de um catamarã, o tour tradicional inclui visitas a Isla Pajaro, Isla Bridge e ao Farol do fim do mundo. • Cerro Castor: Que tal começar a esquiar nas pistas mais austral do mundo? O Cerro Castor possui uma das temporadas de esqui mais longas da América do Sul devido a sua localização estratégica. Possui pistas de todos os níveis e a cada ano recebe mais e mais turistas do mundo todo. Post originalmente publicado no meu blog (http://www.voltologo.net/ushuaia-la-ciudad-del-fin-del-mundo/)
  19. Post completo para quem ainda tem dúvidas de como calcular um orçamento de viagem! ⇒ Orçamento de Viagem: 10 passos simples para não errar na conta
  20. Oláa Jeh, Peço desculpas pela resposta super atrasada... Pensei que recebesse alguma notificação quando alguém respondesse no post mas não aconteceu... Enfim, antes tarde do que nunca... hehe De fato Novembro é uma época bem chuvosa na Colômbia. Mas sabe como é o tempo né.. hehe Em San Blas conheci a Isla Perro também... Você pode fazer passeios de um dia por várias outras ilhas. Basta negociar diretamente com os índios quando chegar lá e eles te levão.
  21. Opa, valeuu... Desculpa a demora em responder, mas antes tarde do que nunca né?! hehe Minha viagem foi em Janeiro/ 2013 (são esses preços que vou informar), então os valores atuais provavelmente serão um pouco mais caros. Passagem aérea SP-Buenos Aires/ Buenos Aires- São Paulo : R$ 800,00 Passagem aérea Buenos Aires- Ushuaia (só ida porque voltei subindo de ônibus): R$ 600,00 Média de hospedagem (quarto compartilhado em hostel) e alimentação: US$40,00/ dia Passeios: Depende muito do que você quer fazer, mas reservaria pelo menos US$ 400,00 para fazer os principais Espero ter ajudado! Abz
  22. A Patagônia é um destino super popular não somente entre os brasileiros, mas entre turistas do mundo inteiro. Paisagens incríveis em um dos lugares mais isolados do mundo, proporcionam uma experiência única que não pode ser encontrada em nenhum outro lugar do planeta. Os meses mais procurados pelos viajantes é durante o nosso verão, ou seja, de dezembro até inicio de abril. Nessa época as temperaturas não são tão congelantes como no inverno, todas as atrações estão disponíveis e dificilmente você terá problemas na estrada por causa de nevadas. Durante o inverno muitos hostels, restaurantes e agências de turismos fecham as portas devido a baixa procura, limitando as opções dos turistas. Organizar um roteiro pela Patagônia pode parecer um pouco complicado a primeira vista, muitas cidades, dois países envolvidos (Argentina e Chile), distâncias que parecem curtas mas que podem levar horas de viagem e surpresas no orçamento caso você não se planeje direito. Por isso resolvi escrever esse post para te orientar na hora de montar seu itinerário por esse lugar fantástico. Em relação as passagens e transporte entre as cidades, eu apenas comprei uma bilhete aéreo de ida de São Paulo até Ushuaia (escala em Buenos Aires) e volta de Buenos Aires para São Paulo. Todos os outros trajetos eu fiz de ônibus, e ia comprando as passagens conforme chegava em cada cidade. Caso você não tenha muito tempo para ficar viajando de ônibus, você pode pesquisar a passagem aérea de múltiplos- destinos, muitas vezes o valor acaba compensando. Ushuaia-Torres del Paine- El Calafate- El Chatén Pegue um voo de Buenos Aires até Ushuaia e comece a descobrir a Patagônia pela cidade mais austral do mundo, quer dizer, pelo menos para os argentinos, que defendem essa fama com todas as forças. Pergunte a um chileno se isso é verdade e você escutará um sonoro NÃOO como resposta. A situação é a seguinte, a pequena cidade chilena de Puerto Willians está de fato localizada mais ao sul do que Ushuaia, porém, a maioria dos argentinos alegam que Puerto Willians trata-se apenas de um porto, e com uma população tão pequena que não pode ser considerada uma cidade. Discussões a parte, reserve quatro ou cinco dias inteiros para conhecer a gelada, porém encantadora Ushuaia. Afinal você não veio tão longe para passar apenas duas noites, certo?! A cidade pode ser percorrida a pé. Reserve um dia para conhece-la, passando pelas praças e parques, museus, e organizando/reservando os passeios dos próximos dias caso você ainda não tenha feito isso. Há muitas, mas muitas agências de turismo que oferecem diversos passeios pela região de Ushuaia. Pesquise bastante antes de fechar negócio. Alguns dos passeios que fiz e recomendo são: Glaciar Martial, Parque Nacional Tierra del Fuego, Isla Martillo (Pinguinera) e passeio pelo Canal Beagle. Você não precisa fazer todos esses, ou se achar pouco, há muitos outros que você pode incluir no roteiro, tudo depende do seu tempo e orçamento disponível. Hora de atravessar a fronteira e ir até um dos parques mais bonitos do Chile, o Parque Nacional Torres del Paine. Para ir até o parque, é interessante você ter como base a cidade de Puerto Natales. De Ushuaia há ônibus que fazem esse trajeto, porém não diariamente. Caso não coincida com o dia que você quer, uma opção é ir primeiro até Punta Arenas (Chile) e de lá para Puerto Natales. Independente de qual for sua opção, esteja ciente que gastará praticamente todo o dia no trajeto. Dica Importante: Compre sua passagem para Puerto Natales/Punta Arenas assim que chegar em Ushuaia ou com uma antecedência de pelo menos três dias. Você pode conhecer Torres del Paine em um passeio de um único dia, saindo bem cedo de Puerto Natales e retornando quase a noite. Nesse caso, será necessário ir com alguma agência de turismo, pois além de incluírem o transporte de ida e volta até o parque, você conhecerá o lugar basicamente de dentro de uma van, parando apenas nos “principais pontos de interesse” para uma pequena caminhada e fotos. A outra opção e que é muito mais interessante na minha opinião é o trekking. Nesse sistema você pode ir por conta própria, sem contratar nenhuma agência. Os circuitos mais tradicionais é o W, que dura quatro dias; e o circuito O, também conhecido como circuito completo. Nesse segundo você conhecerá praticamente todo o parque, e precisará de sete a dez dias. Caso você não tenha todos os equipamentos necessários para trilha e acampamento, em Puerto Natales há muitas lojas que alugam esses itens como saco de dormir, isolante térmico, barraca entre outros. Depois de conhecer esse lugar incrível no Chile, voltaremos para a Argentina, rumo a El Calafate. A viagem desde Puerto Natales até El Calafate é bem tranquila e dura mais ou menos seis horas. Reserve dois ou três dias inteiros para essa cidade. A grande atração que você não pode deixar de conhecer é o Parque Nacional los Glaciares, onde fica o grande e imponente Glaciar Perito Moreno. Essa incrível geleira é considerada uma das reservas de água doce mais importantes do mundo. Outros lugares legais para se conhecer em El Calafate é o Glaciarium (bar e museu de gelo) e a Laguna Nimez. A última cidade do roteiro foi a que eu mais gostei na Patagônia, El Chaltén. O pequeno povoado localizado dentro de um parque nacional possui em torno de 600 habitantes e está apenas a três horas de El Calafate. A pequena cidade é considerada a capital mundial do trekking devido as inúmeras opções disponíveis. E o melhor é que a grande maioria é de graça, você não precisa pagar nem um centavo para faze-las. A maioria das trilhas você pode fazer em um dia, ou seja, sair bem cedo de El Chaltén e retornar no fim do dia. As mais procuradas são: as que levam até o Cerro Fitz Roy e Cerro Torre. Reserve pelo menos três dias inteiros para El Chaltén. Texto publicado originalmente no meu blog (http://www.voltologo.net/dica-de-roteiro-pela-patagonia/)
×
×
  • Criar Novo...