Ir para conteúdo

fernandinhas

Membros
  • Total de itens

    23
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre fernandinhas

  • Data de Nascimento Fevereiro 17

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Para resumir - atravessar a fronteira não é difícil. Só tem que ficar atento e não dar ouvido a ninguém. Na hora de chegar no hotel, seja firme. Eles são muito bons de lábia, verdadeiros profissionais. Eles querem te convencer a ficar nos hotéis que eles ganham comissão. Se preciso, invente namorado (a), irmão (a), mãe, pai ou qualquer pessoa. Assim, você os intimidará. Vá de van ou ônibus só até a fronteira e depois faça tudo por conta própria. Mantenha a calma. Respire fundo e "keep walking". Não precisa ter medo. É tudo muito seguro. Não pague os 100 baht da propina dos policiais corruptos. Caso você esteja sozinho e não arranje gente para dividir o táxi, mantenha a calma e pegue o ônibus. Demora 3 horas e custa U$9.
  2. Olá pessoal! Terminei minha volta ao mundo há 2 semanas. Passei por 20 países e postei sobre todos no meu blog, mas percebi que os tópicos mais procurados por lá são os que falam da Tailândia. Resolvi postar aqui também algo que postei lá no blog, explicando as diferentes maneiras de se viajar pela Tailândia. Em breve, vou fazer um post parecido para todos os outros países. Espero que seja útil para vocês. Bom, muita gente me pede dicas de como viajar pela Tailândia, então resolvi fazer um post específico sobre isso. A Tailândia é grande e quem quer visitar os principais pontos turísticos – Chiang Mai (norte), Bangkok (centro) e alguma ilha no sul vai ter que viajar vários km. E não esqueça de contar o tempo de deslocamento no seu roteiro. Porque tem gente que quer abraçar o sudeste asiático em 1 mês visitando 3,4, 5 países e esquece de contar tempo de deslocamento, tempo perdido na imigração, transfer para o hotel, entre outros. Avião É a melhor maneira obviamente. Lógico que essa também é a mais cara, mas sempre há a possibilidade de arranjar alguma coisa barata na Air Asia, Bangkok Airways e até mesmo na Thai Airlines. Minibus (van) Outra alternativa muito popular é usar os serviços de minibus (como eles falam), que seriam as vans. Muita gente reclama, diz que demora mais, que eles param em uma agência de turismo e fazem você comprar algo, que vão te trocando de van no meio do caminho, que o ar-condicionado não funciona e por aí vai. Em partes, isso é verdade, mas vou contar aqui minha experiência com as vans. Cheguei no aeroporto em Phuket e precisava ir a Patong Beach (mais ou menos 1 hora de viagem). O táxi custava uns 700 baht (U$23) e a minivan 150 baht (U$5). Não tive dúvidas e peguei a van. Paramos no meio do caminho numa agência de viagens? Sim. Mas, sinceramente não ficamos mais do que 20 minutos lá. Eu desci do carro, entreguei o endereço do hostel para eles escreverem em tailandês para o motorista e voltei. Não comprei nada e ninguém ficou me enchendo o saco para comprar. Depois, o motorista seguiu viagem e deixou cada passageiro em seu respectivo hotel. Perdi no máximo dos máximos, 40 minutos a mais com as paradas, mas economizei U$18 (que é bastante dinheiro na Tailândia). O ar-condicionado funcionava perfeitamente. Minha segunda experiência com as vans foi de Phuket para Ao Nang (praia próxima a Krabi). O táxi custava 2500 baht, o ônibus normal da rodoviária me falaram que custava 200 baht (mas eu gastaria pelo menos mais 400 baht para ir de Patong para o centro de Phuket via táxi) e a minivan depois de muita pechincha eu paguei 500 baht (começou em 800). Esse era um trajeto de 3, 3 horas e meia, mas com a minivan demorou 5 horas. Mas, isso porque um dos passageiros teve a capacidade de esquecer sua mala em Patong e lembrar quando chegamos em Krabi. Aí paramos na famosa agência de turismo (novamente, eu não comprei nada e ninguém me encheu o saco) para tentar resolver o caso da mala. Nisso, um casal resolveu ver opções de hotéis ali na agência e perdemos uma meia-hora. Aí 1 hora depois, quando a van estava pronta para partir, o amigo do cara que esqueceu a mala tinha ido dar uma voltinha ali perto e desapareceu. Aí ficamos uns 15 minutos esperando o cara. Ou seja, se não fossem esses incidentes, a viagem poderia ter sido feita em 4 horas e não 5. Novamente, nenhuma diferença gritante entre os outros meios de transporte e eles também me deixaram na porta do hostel. Valeu a economia na minha opinião. Minha terceira experiência com as vans foi de Ao Nang para Koh Lanta. Paguei 300 baht (via ferry era mais rápido, mas custava 500 baht). Foi a melhor van. Super moderna, ar-condicionado no último, não estava lotada, parou em poucos hotéis e apenas uma vez no caminho (adivinhem? Em uma agência de turismo). O prometido é que demoraria 2 horas e meia de viagem e de fato demorou isso até a entrada de Koh Lanta. Mas, chegamos e o trânsito estava absurdo, perdemos o primeiro ferry. Resumindo – chegamos em 3 horas graças ao congestionamento. Novamente, tudo foi como prometido e eu não tive que mudar de van. Porém, entrou um casal na van no último ferry que estava vindo sabe Deus da onde e aparentemente já tinham mudado de vans várias vezes. Joint ticket É o famoso “você vai andar em tudo“. Comprei esse ticket para ir de Ao Nang para Bangkok. Uma van passou para me pegar no hotel em Ao Nang, de lá fomos pegando mais um pessoal no caminho e paramos em Krabi Town para esperar o tal do ônibus “VIP” que nos levaria até Bangkok. Paguei 500 baht por tudo isso, mas vou dizer que a economia não compensou. A viagem foi um pesadelo. Durou 14 horas e meia (ao invés das 12 horas do ônibus convencional), tivemos que trocar de ônibus 3 vezes durante o caminho. O ônibus era horrível, muito ruim mesmo. Minha mochila chegou com o zíper aberto (diz a lenda que pessoas viajam no bagageiro abrindo as malas). Chegamos 5 e meia da manhã na Khao San Road e ainda tive que sair procurando um hotel. No joint ticket, o sistema que eles usam é engraçado. Como muitos motoristas não falam inglês, eles colam uns adesivos na sua roupa. Exemplo – quem está indo para Koh Samui, recebe um adesivo “Samui” ou “S”, quem está indo para Koh Lanta recebe um adesivo “Lanta” ou “L” e por ai vai. Porque muitas vezes você não pega só a van. Você pega a van, o ferry e às vezes até um trem junto. Aí eles vão te movendo para onde você precisa ir. E, inacreditavelmente tudo funciona e todo mundo chega onde tem que chegar (mesmo tendo que mudar várias vezes de transporte durante o caminho). Ônibus convencional É uma ótima pedida também, porque são modernos, tem ar-condicionado, oferecem comida e vão para todos os lugares. Porém, tem a questão de ter que ir até a rodoviária comprar seu ticket, depois ir novamente até a rodoviária pegar o ônibus e depois pagar um táxi até seu hotel. Um amigo inglês fez o mesmo trajeto que eu de Krabi para Bangkok e com certeza a experiência dele foi bem melhor que a minha. O ticket dele custou 580 baht + uns 200 baht (no máximo) de táxi para chegar na rodoviária e depois no hotel. Ele gastou pouco mais de U$7 e conseguiu dormir 12 horas no ônibus. Minha experiência no ônibus VIP foi a pior possível. Ferry Esse é outro meio popular para viajar principalmente entre as ilhas. Aqui vale a dica que você deve comprar tudo com as agências de viagens e não no pier. Novamente, olhe os preços nas agências, entre em uma e negocie. Pelo menos 50 ou 100 baht de desconto são garantidos. Paguei 300 baht no ferry de Koh Lanta para Koh Phi Phi. Já tinha visto até por 400baht. Entrei numa agência e perguntei o preço e ela falou – 350. Eu respondi, ok, eu vi por 300 lá perto do píer. Estou indo para lá comprar. Aí ela respondeu - “I give you discount”. Trem Não usei nenhuma vez, porém li no Lonely Planet que são confiáveis e tem preços bons. Mas, eu sinceramente não sou fã de trem, ainda mais quando preciso carregar uma mochila de 16 kg nas costas. Conheci 2 americanos no hostel que tinham vindo de Bangkok até Krabi de trem e adoraram. Porém, o preço é mais alto que os joint tickets ou os ônibus tradicionais. Carro Óbvio que também existe a possibilidade de você alugar um carro e ir dirigindo para onde quiser. Acredito que o aluguel não seja caro. O litro da gasolina custa mais ou menos 30 baht. Mas, aí é por sua conta e risco. Eu não me arriscaria a dirigir na mão inglesa e no trânsito da Tailândia. Minha recomendação seria: Se você tem dinheiro – voe! Se você tem dinheiro, mas não o suficiente para voar – use o trem ou o ônibus convencional Se você está no limite do seu orçamento – use os joint tickets, use e abuse das vans e dos ônibus VIPs, só que depois não reclame do perrengue.
  3. Ola Isa! 2 semanas da para fazer bastante coisa la. Eu deixaria uns 3 ou 4 dias para Bangkok (se vc quiser fazer os arredores, se quiser fazer bangkok so uns 2 dias da, mas vai ser corrido). Ficaria 1 semana em alguma praia. Sempre fui fa de Phi Phi, mas depois que voltei de Koh Tao, descobri o verdadeiro paraiso. E, o bom eh que Koh Pangan (praia da full moon) eh perto de Koh Tao, entao fica tudo na mesma costa. Se voce quiser fazer o norte, da para ir para Chiang Mai, mas foi a parte que menos gostei na Tailandia. Logico que varia de pessoa para pessoa, mas para mim, o forte da Tailandia eh a costa. So reserve acomodacao para a full moon bem antes, pq a festa eh concorrida, principalmente o reveillon. E, se o mundo acabar, vc ja chega no paraiso mais rapido (pequeno transfer). hehehe
  4. Ola Franklin! Terminei minha volta ao mundo, mas voltei para a Tailandia mais uma vez e se posso deixar um conselho, diria - va para Koh Tao. Adoro Koh Phi Phi, mas na minha humilde opiniao, Koh Tao eh muito melhor. Atualizei os textos e fotos do meu blog com a parte de Koh Tao. Se quiser conferir e se inspirar, fique a vontade. www.fernandaviajante.blogspot.com. Btw - amei o Japao. Foi um dos paises preferidos de toda minha volta ao mundo.
  5. Muitos sabem o quanto pode ser estressante cruzar a fronteira da Tailandia para o Camboja
  6. Passei pelo Camboja na minha viagem de volta ao mundo e me apaixonei pelo pais.
  7. Ola Fernanda, Juliana e Edward, Desculpem pela demora na resposta, mas estou na China e aqui o acesso a varios sites eh complicado. Quem bom que gostaram do relato. Se precisarem de qualquer ajuda para montar roteiro para a Tailandia, me avisem. Acabei de postar o relato da minha viagem ao Japao aqui no site. Em breve vou postar o relato da China tambem. beijos
  8. Japão – sugiro uma visita! Entrou no top 3 dos meus países favoritos no mundo junto com Nova Zelândia e Tailândia.
  9. ei mais de U$100 dólares pegando o ônibus.
×
×
  • Criar Novo...