Ir para conteúdo

Luiz Barboza

Membros
  • Total de itens

    33
  • Registro em

  • Última visita

Conquistas de Luiz Barboza

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Fala, Allan. Devo ir à Colômbia em janeiro. Adorei seu relato. Vai me ajudar muito. Velório? Abração, Luiz Barboza:.
  2. Oi, Samanta. Acabei de ler todo o seu relato. Gostei demais. Vou aproveitar muitas dicas. Amanhã, na verdade daqui a 10 horas, estarei embarcando pro Equador. Em tempo, acredita que eu conheci o André e a Luana na Patagônia? Mundo muito pequeno. Abraços, Luiz Barboza:.
  3. Oi, Martinha! Adorei o relato! Foi bom reler e reviver alguns momentos. Pudemos nos encontrar 3 vezes na trip: Ushuaia, El Calafate e El Chalten. Tudo de melhor! Fiquei aqui rindo de outros momentos que lembrei... "Pisa na árvore!", "Expectativa... Realidade...", escondidos do vento na barricada na laguna do Cerro Torres, "Holaaa!" (gritando do alto na trilha escondida no Cerro Torres) e, claro, "Luiz, você está com pressa?" (eu correndo dos tábanos na volta do Cerro Torres). Obrigado pelas dicas e por sua ajuda na trip. Em tempo, o almoço em El Chalten estava ótimo! Beijos e espero nos encontrarmos de novo! Luiz Barboza:.
  4. Oi, Marta. Respondi acima. A próxima trip será em janeiro rumo ao Equador. Vamos? Beijos, Luiz Barboza:.
  5. Oi, Janaina. Eu fiquei hospedado no El Viajero. Tem hostels dessa rede em Montevídeu, Punta e Colonia. Recomendo o de Montevideu e o de Punta :'>. Eles são legais, baratos e me pouparam tempo, pois são bem localizados, dão boas informações, ofereciam os tours que eu queria e tinham parrilada de interação no fim da noite (churrasco uruguaio perfeito + taça de vinho com bom preço) . Dá uma olhada no site e veja os preços de hospedagem: http://www.elviajerohostels.com/pt-br/ Os preços de lá são como os preços do sul do país. Nada absurdos, mas não tão baratos. Sorte na sua trip! Luiz Barboza:.
  6. Oi, Luisa. Como eu fui no inverno e curto MUITO andar, 1 dia inteiro foi suficiente em Montevidéu. Mas acorde cedo e prepare-se para andar. Se você pegar sol, dizem que é legal pedalar na Rambla. Isso toma mais um dia porque fica perto na região nobre de Montevidéu e já que você vai estar lá, aproveite para ver a arquitetura. Não faço ideia do tempo em Punta em outubro, mas deve estar meio frio ainda. Nada se compara com Punta no verão. Se for no verão, há discos, cassinos e a praia. No inverno, um dia inteiro para mim foi suficiente :'> pois tinha um tour que cobria tudo, exceto o cassino (e eu não curto jogar). Sorte na trip! Luiz Barboza:.
  7. Oi, Marta. Muitas saudades de você e de todos. Passar o réveillon com vocês na Patagônia foi um dos melhores momentos da minha vida. Obrigado por você ter me ajudado em tudo! Ainda estou licenciado, mas terei alta total em agosto. Pronto pra próxima. Mande notícias. Beijos, Luiz Barboza:.
  8. Fala, galera! Estou aqui, mais uma vez, bem atrasado , escrevendo sobre o meu segundo mochilão, como forma de agradecer e também colabora com todos. Dessa vez, fui para o Uruguai e a Argentina de 09/08/2012 a 19/08/2012. Diferente da primeira experiência, nesse mochilão que durou 10 dias fui acompanhado, com a Valéria, minha colega de trabalho, estreiante como mochileira. O bom de viajar juntos é poder se conhecer melhor. Hoje somos amigos! 09 de agosto de 2012 (5a feira) - Montevidéu Após arrumarmos as malas às pressas, com medo da nossa chefe mudar de ideia e não nos deixar viajar, nos encontramos no aeroporto e compramos nossas passagens na Aerolineas Argentinas. Foi minha segunda experiência pela empresa e não tive problemas ainda :'> (ao contrário do que muitos relatam!). Após escala rápida em Buenos Aires, chegamos já de noite em Montevidéu. Nos hospedamos no hostel El Viajero. Ficamos na filial que fica próxima a Plaza de Cagancha. A equipe é atenciosa e há sempre "parrilladas" rolando de noite para fazer a galera interagir. Aprovado! :'> Nessa primeira noite, já estava bastante frio. Se forem nessa época (inverno), preparem-se. Fomos comer no El Fogon, um restaurante do outro lado da rua, por recomendação do hostel, para podermos provar a famosa parrillada uruguaia. O preço é um pouco salgado, mas é muito bom. Vale a pena! :'> Mervan, o garçom de 26 anos que já tem 5 filhos, nos apresentou o medyo & medyo. Adoramos! :'> Não deixem de provar. Fiquei surpreso, mas muitos uruguaios falam português! 10 de agosto de 2012 (6a feira) - Montevidéu De manhã bem cedo, saímos para explorar Montevidéu com um mapa fornecido pelo hostel. Começamos pelo mercado de artesanato na Plaza de Cagancha e fomos caminhando por inúmeras plazas até o Teatro Solis. A arquitetura é linda e pode ser feita a pé tranquilamente (para aqueles que gostam de 'bater pernas'). A cidade é limpa e pareceu ser bem segura. Os motoristas respeitam os pedestres! Após cliques com a estátua do General Artigas na Plaza San Martin, pagamos pela visita guiada no teatro. É muito lindo! Há uma surpresa durante a "excursão". Tivemos ainda a oportunidade de ver uma orquestra ensaiando. Não deixem de visitá-lo e de ir ao subsolo ver a parte do teatro infantil. :'> Para continuar o passeio, passamos por debaixo da Puerta del la Ciudadela e fomos visitar o Museu Gurvich, a Catedral de Montevidéu, o Mercado Municipal e, quando percebemos, havíamos esgotado o mapa! Como estava no inverno, cortamos a parte de passeio de bicicleta pela orla. Assim esgotamos a cidade em 1 dia apenas! De noite, rolou uma parrilada no hostel e passamos a noite conversando com uma galera animada, tomando medyo & medyo num frio de 9 graus. Brrr... 11 de agosto de 2012 (sábado) - Punta del Este De manhã bem cedo, após fazermos reservas no El Viajero de Punta del Este, partimos para a rodoviária já com nossas mochilas. Compramos nossas passagens na hora e partimos. Punta del Este é paradisíaca mesmo no inverno com direito a pássaros e leões-marinhos na orla. Pagamos um 'tour' oferecido pelo hostel para o mesmo dia. O guia falava português! Só havia brasileiros no grupo, fora a Karina, uma equatoriana muito fofa! Conhecemos o farol, a ponta de Punta del Este (onde o rio encontra o mar com direito a um lobo marinho de bobeira por ali), a famosíssima Las Manos, descemos pela ponte com curvas que dá frio na barriga, passeamos por Beverly Hills (o bairro mais caro de lá) e terminamos (claro!) tomando café assistindo ao por do sol, na encantadora Casapueblo, ouvindo aquele belíssimo poema. De noite, mais parrillada no hostel, quando pude conhecer uma chilena, a Bárbara (hoje somos amigos!). Gostei muito do hostel. Recomendado! Como a praia estava descartada (pois era no inverno) e decidimos não arriscar a sorte no cassino, esgotamos Punta del Este em 1 dia também. A cidade é linda demais! 12 de agosto de 2012 (domingo) - Colonia del Sacramento De manhã bem cedo, voltamos para Montevidéu, para de lá, irmos para Colonia del Sacramento. Como chegamos numa linda manhã de sol, deixamos nossas mochilas na rodoviária e fomos conhecer a Ciudad Vieja a pé mesmo. Entramos pela antiga porta da cidade e viajamos no tempo passando por casas antigas, ruas de pedra e calhambeques. Subi até o farol para poder ver o rio del Plata. A subida valeu a pena! :'> Ao entardecer, voltamos para a rodoviária, compramos nossas passagens e partimos de Buquebus para Buenos Aires, cruzando o rio del Plata, bebendo prosecco. Sim, fizemos o Uruguai em 3 dias! 13 de agosto de 2012 (2a feira) - Buenos Aires Nossa hospedagem foi no Suites Florida. Foi um dos melhores hostels que eu estive até hoje. Recomendadíssimo! :'> De manhã, após um desayuno incluído muito bom, eu e Val saímos para um passeio livre por conta própria. Visitamos o Obelisco e o Teatro Colon. Passamos ainda pela Plaza San Martin, pela Catedral, pela Casa Rosada e por outros pontos turísticos nos arredores (marcados no mapa que o hostel nos forneceu). 14 de agosto (3a feira) - Buenos Aires Infelizmente, Val teve que retornar ao Brasil. Continuei meu mochilão sozinho. De dia, andei pelos arredores da Calle Florida. De tarde, fui andando até Puerto Madero :'> e à Reserva Ecológica Costanera Sur (que não estava bonita por ser inverno) . 15 de agosto de 2012 (4a feira) - Buenos Aires Na parte da tarde, fui até a Recoleta visitar o túmulo de Evita. Havia uma tempestade rolando e só tinha eu, entre raios e trovões, passeando entre os mausoléus. O túmulo de Evita só tem valor histórico. Foi até difícil localizá-lo de tão simples que é. Dica: não deixem de ir até a parte de trás do cemitério. É bem mais "artística". Após experimentar o delicioso sorvete de doce de leite do Freddo , caminhei por entre algumas plazas famosas até chegar na Biblioteca Nacional. Fiz um tour gratuito (de quatro horas). Encerrei o dia no Café com Perón. 16 de agosto de 2012 (5a feira) - Tigre No dia seguinte, peguei um táxi até a estação ferroviária e parti para Tigre, uma cidade cortada por um rio e que serve de cenário para algumas novelas de época na Argentina. Gastei cerca de R$ 1-2 apenas. Uma hora depois, cheguei à encantadora cidade. Peguei um tour de ônibus e passei por três museus. Resolvi retornar de barco pelo rio Paraná até Buenos Aires. O entardecer foi lindo (mas o passeio de barco é caro e não é imperdível). Pra quem curte, há um cassino lá. Dica: há um parque que funciona somente nos fins de semana. Valeu muito a pena conhecer Tigre! 17 de agosto de 2012 (6a feira) - Buenos Aires Pela manhã, fui de ônibus a La Boca, percorrer o famoso El Caminito. É interessante, mas é muito curtinho. Os preços de lá são um absurdo. Por isso, voltei pra almoçar na Calle Florida mesmo. De tarde, fui de metrô conhecer o Zoológico de Buenos Aires (que é muito lindo para quem gosta de animais), o Jardim Botânico (do outro lado da rua, mas que estava feio por ser inverno), o Jardim Japonês (muito lindo) e o Rosendal (obviamente sem nenhuma rosa nesse período). Esse, apesar da chuva, foi o dia mais agradável que tive em Buenos Aires. 18 de agosto de 2012 (sábado) - Lujan Acordei bem cedo e fui conferir o que tinha ouvido um dia antes. Peguei um metrô até a altura do Zoo de Buenos Aires e, no quarteirão em frente, comprei um ticket para o ônibus rumo a Lujan. Preparem-se pois são 3 horas até lá. Eu fui junto com o Rafael, um gaúcho, que eu tinha conhecido no hostel. Pedimos para o motorista nos avisar onde tínhamos que descer. Descemos, para nosso susto, no meio de uma estrada! Atravessamos as pistas e lá estávamos: Zoo Lujan. Foi uma experiência fantástica poder ter proximidade com animais "selvagens". :'> Dar mamadeira para o leão foi surreal! A volta foi complicada. Anotem as dicas. Não tem como voltar dali (a menos que você tenha ido com um tour). Você deverá pegar o ônibus onde desceu e ir até a rodoviária. A volta custa 25 pesos, mas você tem que depositar tudo em moedas. Leve trocado! Como eu e Rafael não tínhamos as benditas moedas, me deu um estalo e fui até o banheiro e pedi para o funcionário de lá trocar pra mim. Eles sempre recebem moedas de propina. Pra nossa sorte, ele tinha. Bom, como eu já sabia disso, também já tinha trocado algumas nas tendinhas dentro do zoológico. Ao entrarmos no ônibus, que era o último do dia, ainda faltavam 2 pesos em moedas. O motorista não aceitou o restante em notas! Eu, carioca da gema, sai então pedindo na maior cara de pau para os outros passageiros enquanto o gaúcho depositava as moedas morrendo de vergonha . No final, deu tudo certo! Na volta, fui lanchar no tradicional Café Tortoni. É uma viagem no tempo imperdível! :'> 19 de agosto de 2012 (domingo) - Buenos Aires Para o último dia do meu mochilão, deixei dois passeios que só podem ser feitos ao domingo. Aproveitando a linda manhã de sol, fui até a tradicional Feira de San Telmo. Ela é enorme e levei umas duas horas caminhando por lá. Se forem comprar presentes, esse é o local! Muito boa! :'> Depois de lá, fui até a Casa Rosada, bem ao lado, pois ela é aberta para visitantes nesse dia em tours guiados gratuitos. :'> Saindo de lá, como eu ainda tinha tempo, descendo apenas um quarteirão, visitei o belíssimo Museu Bicentenário (que também é gratuito). :'> Antes do cair da noite, me despedi de Buenos Aires, no caís em frente ao Aeroparque, assistindo a um lindo entardecer. Espero ter contribuído com todos. Abração!
  9. Juliano, Não lembro o NOME da empresa do tour Bolívia-Atacama, mas ela fica do lado do Hostel Loki em La Paz. Do lado mesmo. Fácil de achar. Quanto à rodoviária Em San Pedro, é super fácil achar porque só tem uma (rs). Inclusive é melhor ir de ônibus mesmo. É mais barato. Mas assim que chegar na cidade, compre logo a passagem. É concorrido e não há saída sempre. Se for de tranfer, só tem 2 agências que fazem o tour. São na mesma rua. Tudo é muito fácil de se achar em San Pedro. A cidade é um ovo. Não se preocupe. Abraços, Luiz Claudio:.
  10. Fala, Angel. Respondi isso acima. Contratei um transfer. Dá uma lida no post anterior. Mas há a opção de ir de ônibus. Mas se liga que não tem ônibus todos os dias fazendo o trajeto. Pisou na cidade, compre logo sua passagem. É muito mais barato ir de ônibus. Abs, Luiz:.
  11. Fala, Juliano. Que bom que curtiu. Eu fui num tour de 3 dias e já agendei pela própria agência um transfer para me pegar na fronteira. No último dia do tour, o guia me deixou na fronteira (sozinho) e seguiu com o restou do grupo. Lá entreguei minha papelada e consegui o "visto" de entrada. Aguardei o transfer (e horas depois) e entrei no Atacama. É super tranquilo. Eu fui de transfer do Atacama pra Salta. Você contrata 2 transfers simultaneamente na verdade. Um te leva até a fronteira e você dá saída do Chile. Do outro lado, assim que você passa a imigração, o outro motorista te aguarda e te leva pra onde você quiser. Questão de emplacamento do veículo. O problema disso é que a fronteira é no meio do nada e (acho que) não fizeram meu registro de entrada e só me entregaram um papel mesmo. Quando apresentei o papel, a Aerolineas não quis aceitar, dizendo que não era válido e que eu estava ilegal. Estranho demais... Mas aí paguei 50 pesos e pude embarcar. O que é mais estranho ainda uma agência poder regularizar a situação, não acha? Mas valeu muito a trip. Sorte aí! Abraços, Luiz Cara, muito bom seu relato! Parabéns Luiz! Mas agora me da uma força ai... Como que funciona essa saida da bolivia e entrada no chile? Tipo tu deu saida em uyuni quando foi pro salar e deu entrada no chile em atacama mesmo? E na argentina funcionou como? Disseram que tu estava ilegal? Como assim???? Eu to querendo fazer a mesma coisa que tu fez, sair do salar ir pro atacama e depois ir pra salta pelo passo de jama que todo mundo fala que é muito bonito... valeu!
  12. Oi, Barbara. Que bom que gostou! Seu mochilão vai ser tudo de bom! Os perrengues acontecem, mas acaba sendo depois o mais divertido de contar. Boa viagem!
  13. 20 de janeiro - Atacama Acordei cedo. Eu ainda estava com diárreia e agora, pra piorar, com o nariz sangrando e os lábios meio rachados devido à aridez! Fui dar uma volta pela cidade e procurar uma agência para fechar algum pacote. Há muitas agências com preços idênticos. Fechei numa agência em frente ao supermercado Sol. O nome do dono é Marcelo. Eles são atenciosos e descolados. :'> A cidade é muito pequena e você pode fazer um tour por conta própria. De tarde, ingressei no tour do Vale da Morte. Como eu estava sozinho, fui na frente com o guia/motorista. O cara era uma figura de rastafari, muito zoador. Nós só falávamos abobrinhas. O trajeto é árido de doer. Paramos num canyon onde você escuta toneladas de rochas estalarem em cima da sua cabeça. Eu estava passando protetor solar 55 e não adiantou muito. Vejam o bronze nas fotos. Um camarão! Levem LITROS de água e protejam os lábios. Tinha uma européia com os lábios sangrando! Depois paramos em frente a uma caverna de sal e fomos explorando o local no escuro. Meu chaveiro com lanterna de lad me ajudou nesse momento. Outras usavam o flash das câmeras digitais. O caminho é curto, mas é muito legal. Não deixem de ir e cuidado com a cabeça! Após isso, houve uma pequena escalada para ver as formações rochosas do alto. VENTA MUITO! Não esqueçam os óculos escuros e um tênis que não escorregue. Na sequência, houve uma parada no Vale de la Luna. Não achei muita graça. Há pontos melhores no passeio. As formações rochosas são muito mais maneiras e o passeio seguiu pelas minas de sal (desativadas), as Três Marias (formações rochosas) e , por fim, fomos conhecer o Vale da Morte. Nossa! Gigantesco, assustador e lindo. Parece que você está em Mercúrio! Venta muito! MUITO MESMO! Na hora da partida, o guia piscou pra mim e deu ré rumo ao desfiladeiro. Todos gritaram e só eu que entendi que era brincadeira cai na gargalhada! Para terminar o tour, subimos uns penhascos e assistimos ao por do sol no vale tomando pisco sour! Inesquecível! 21 de janeiro - Atacama Acordei várias vezes de noite por causa da diarréia e, de manhã, havia uma crosta de sangue coagulado dentro do nariz. Eca! Fui pedir no hostel para ficar mais um dia e fiquei sabendo que estava lotado. Rapidamente, encontrei outro hostel: o Florida. No meu quarto, estava uma paulista, um americano e o King. Fui eu que dei o apelido pro cara. Eu e Benjamin, o americano, estávamos conversando e o cara entrou com cara de sono, dizendo que estava muito cansado. Eu entendi que ele queria que conversássemos em outro lugar, MAS era 12 horas do dia, estávamos num dormitório e sem chances de sairmos para hablar no sol a pino. Aí apelidei o cara de 'King' (rei) e a apelido pegou. Toda vez que ele chegava perto, dizíamos: "The king is coming!". Gozação geral com a cara dele. Depois de procurar uma farmácia (sim, existe uma lá) e me entupir de remédio para diarréia, fui procurar passagem para sair de lá. Pra minha surpresa, não existe ônibus todos os dias saindo. Só havia ônibus para a semana seguinte e meu dinheiro estava quase no fim. A única solução foi pegar uma van que custou US$70 (dólares mesmo) que me levaria até Salta na Argentina. Eu já tinha lido um relato que o caminho era lindo e resolvi arriscar. Sem falar que lá, eu poderia usar o cartão de crédito. Na tarde, fui realizar um sonho: nadar. Já tentei de tudo, mas só aprendi o nado pedra, ou seja, direto pro fundo. Saímos rumo à uma laguna tão cheia de sal que, de acordo com o pessoal, você não afunda. O problema é que ela é um buraco com profundidade maior de 30 metros. Quando chegamos lá, todos entraram, menos eu pagando mico na beirada. Eu já tive um acidente no mar que quase morri. Precisou surgir um professor de natação da Suiça, importado o cara , para me convencer a entrar. Galera, pode entrar sem problemas mesmo. Você não consegue afundar nem que você queira. :'> Para não dizer que só eu estava pagando mico, um peruano entrou de cueca branca e quando saiu correndo os amigos ficaram rindo e apontando a bunda dele que ficou toda marcada. De lá, o passeio foi para os Ojos Cesar. Duas lagunas de água doce normal que eu não iria entrar mesmo, mas que o guia disse que eu tinha que tirar o sal da laguna anterior senão eu ficaria com doença de pele. Por que ele não disse antes de eu ter entrado? Consegui entrar segurando, mas segurando na beirada. De lá seguimos ainda para um lago que está secando e virando uma salina. Assistimos o por do sol lá mesmo, claro, tomando pisco sours! :'> O passeio continuou até um ponto longe da cidade, no meio do escuro. O guia parou o carro e pediu para sairmos. Depois apontou para o alto. Galera, como não tem luz da cidade, você vê o universo estrelado em cima. Mas aviso logo que no meio do deserto de noite é MUITO FRIO! Deitei no chão e fiquei olhando o céu. Havia um brasileiro fazendo aniversário no grupo naquele dia e, naquele lugar lindo demais, cantamos parabéns pra ele em várias línguas. O passeio foi show demais! Cheguei no hostel já passava de 22 horas. Entrei devagar no dorm, afinal, "the king was sleeping" (o rei estava dormindo!). 22 de janeiro - Atacama -> Salta No dia seguinte, encarei 14 horas de estrada rumo à Argentina. Você sai de dia e somente chega lá de noite. Sem dúvida, a paisagem é linda demais. A altitude varia o tempo todo: tira o casaco, põe o casaco... Atenção: a fronteira é no meio do nada e, apesar de pegar meu papel de saída, tive problemas depois. O motorista do lado da Argentina parece o Speed Racer e, algumas vezes, eu levava susto com a velocidade. Enquanto isso, uma chinesa dormia de babar na pickup. Quando cheguei em Salta, de noite, o guia me ofereceu uma proposta que achei muito interessante: ficar na casa de uma família argentina. Aceitei e foi muito bom. Paguei 80 pesos por um quarto com cama de casal, TV, ar condicionado, banheiro próprio, sem falar nessa experiência! :'> 23 e 24 de janeiro - Salta Salta é linda. O clima é agradável. Há todas as facilidades de uma cidade comum. Fiquei dois dias lá passeando livremente e participando da vida de uma família argentina: tomando café da manhã juntos, assistindo notícias em espanhol com o pai, preparando o almoço com a mãe, interagindo com outras pessoas lá hospedadas e, pasmem, participando de um almoço de família tradicional com filhos, sobrinhos, primos, tias e tios. Foi demais! E minha diarréia passou com o chá caseiro! 25 de janeiro - Salta - Iguazu - Rio de Janeiro O último perengue! Comprei minha passagem de retorno via Iguazu. Depois de ficar horas esperando a conexão, na hora de embarcar, a Aerolineas disse que eu estava ilegal no país e que não poderia sair a menos que eu pagasse 50 pesos em dinheiro. Eu só tinha doláres e reais e, segundo eles, não servia. Não havia onde sacar. O aeroporto lá é minúsculo. O atendente informou que eu deveria dormir na cidade e, no dia seguinte, resolver a situação, porque o avião estava em atraso e deveria sair. Comecei a xingar em português mesmo! Pra minha sorte (como sempre), havia uma fila enorme de brasileiros que vieram tomar satisfação com o cara por mim! ::vapapu:: O atendente foi encolhendo de tamanho. Perguntei se a galera tinha pesos e enquanto o povo segurava o voo, saí trocando. Consegui , mas atrasei o voo deles em 45 minutos! Quando entrei no avião, a galera brasileira aplaudiu por eu não deixar barato! E assim voltei pro Brasil! Galera, esse foi meu primeiro mochilão. Espero que ele tenha informações que ajudem a planejar o de vocês ou que, pelo menos, arranque uma risada de vocês. Abraçãozão!
  14. Oi, Barbara. Obrigado por acompanhar. Está faltando meu post do Atacama. Vou ver se faço isso hoje. Abs,
  15. Fala, Petrus. Espero que te ajude! Pelo menos, você já não cai na pegadinha do fuso horário na fronteira! Bom viagem e não deixe de dizer depois como foi! Abs,
×
×
  • Criar Novo...