Ir para conteúdo

Rezzende

Colaboradores
  • Total de itens

    372
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    5

Rezzende venceu a última vez em Agosto 29

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

169 Excelente

Links para Redes Sociais

2 Seguidores

Últimos Visitantes

2.062 visualizações
  1. Essa era uma dúvida que eu tinha também e fiz questão de frisar bem essa parte no meu relato. A internet não é as mil maravilhas da velocidade mas não fiquei incomunicável, usei whatsapp de boa e até post no instagram deu pra fazer. Pode variar a potência de wifi de um hostel pra outro mas quanto ao meu não tenho nada a reclamar. No meu relato coloquei até a senha do wifi do restaurante Ahonikenk que eu fui várias vezes e era mto boa tb, mesmo que vc não entre pode aproveitar, só não sei se trocaram hahaha
  2. Samaipata não vou opinar pois não fui O tour do Salar está OK No terceiro dia do tour do Salar vc chega em San Pedro mais ou menos meio-dia, ainda dá pra fazer um passeio como o Valle de la Luna à tardezinha Eu fiquei 3 dias no Atacama e foi suficiente, não sei quais são suas prioridades lá mas defina quais passeios vc quer fazer e veja se compensa ficar tanto tempo lá, afinal será o destino mais caro do seu roteiro Dia dos mortos em La Paz...sei lá hein...lá não é México não 🤣
  3. Vou aproveitar que já tenho esse relato sobre o Paraná e vou completá-lo (alguns anos depois...😂) com viagem pra Foz do Iguaçu Já estava cansado de conhecer gringos pelo mundo afora que quando eu falava que era brasileiro eles sempre mencionavam logo as cataratas (sempre achei que falariam do Rio) e eu, vergonha alheia, não conhecia Fui no começo de outubro, final da época seca, vazão baixa, mas tem suas vantagens pois as cataratas ficam mais nítidas Fiquei 6 dias em Foz, no Che Lagarto, pois já conhecia a rede e o hostel lá é muito grande, são 8 andares com jacuzzi e piscina no terraço e meia hora de caipirinhas grátis por dia que fizeram estragos num colega de quarto Dia 1 🇧🇷 No primeiro dia, uma segunda-feira, cheguei em Foz por volta de 15h e não fiz nada além de descansar no hostel, que tem esse espetáculo grátis de por do sol no terraço Dia 2 🇧🇷 Fui conhecer as cataratas do lado brasileiro. Fui de ônibus (R$3,75) peguei a linha 120 no terminal urbano que é pertinho do hostel. A entrada no parque custa 41 reais. Um ônibus leva até o começo da passarela que é curta e com 2 horas já dá pra visitar todo lado brasileiro. Não fiz o Macuco Safari pois li que do lado argentino é mais barato. Na saída do Parque eu fui ao Parque das Aves, entrada 45 reais. Achei caro pelo que oferece, afinal eu fui criado na roça, meu pai tinha uns pavões na fazenda, araras apareciam por lá e até hoje tucanos voam perto do meu apartamento. Também vi muitos flamingos no salar de Uyuni ano passado. Então pra mim ficou aquela sensação de nada muito interessante, exceto o borboletário que eu achei bem legal e umas aves vermelhas diferentes. Na minha opinião uns 20 reais seria justo. Fui pra conhecer...não voltaria...mas como disse, é porque pra mim não foi muito surpreendente, pra quem nunca teve contato com aves pode ser melhor. O parque é interessante, bem estruturado, só achei que o preço não condizia... Dia 3 🇵🇾 Desde a noite anterior, a galera do meu quarto no hostel já tinha virado uma família e tínhamos combinado de ir pro Paraguai. Eu não tinha nada específico pra comprar, fui só bater perna a toa e riscar mais um país na minha lista. Eramos 4 e fomos de Uber até a Aduana Brasileira e atravessamos a ponte a pé já que o transito é terrível. A dica é guardar bem seus pertences pois há muitos casos de roubos na ponte Ciudad del Este é aquela babilônia de sensações, gente pra todo lado, motos cortando aqui e ali, ambulantes...enfim...uma bomba de estímulo aos sentidos. Basicamente são poucas as lojas mais famosas e confiáveis, todas elas ficam à esquerda ao entrar no Paraguai. A mais cara é a Monalisa (nem fui) e as indicações de melhores compras são na Mega Eletrônicos e na Cellshop (a que eu mais gostei, são 5 andares e tem de tudo) Comprei só um carregador portátil e um perfume. Minha meta no Paraguai era aproveitar o câmbio sem IOF e trocar uns euros pro projeto 2020. Aproveitei e troquei uns pesos argentinos por 14.35 pra usar no parque de lá. Em Puerto Iguazu aceitam reais (exceto na entrada do parque) e a cotação deles era 13.00. Então fiz bom negócio em cambiar no Paraguai Fui até a Cambios Chaco que tinha a melhor cotação e ela fica mais pra dentro de Ciudad del Este, uns quarteirões pra frente da muvuca das lojas. Deu pra perceber que depois de sair da ponte e passar pela loucura da área comercial, Ciudad del Este é bem mais bonitinha quando se avança mais pra dentro. Tava querendo fazer a visita em Itaipu do lado paraguaio, que é de graça, mas como a galera que foi comigo garrou muito na Cellshop e o tempo começou a fechar, ficamos só pelas lojas mesmo. Voltamos novamente a pé pela Ponte da Amizade, como clássicos sacoleiros . Na entrada do Brasil a Receita Federal parou um cara de um grupo que tava na frente da gente, mas aquela coisa aleatória, a maioria passou sem inspeção nenhuma. Fiquei lembrando daquele programa que passa na Natgeo...Fronteras Peligrosas de Latinoamerica😜 Dia 4🇧🇷 Passei a manhã na piscina do hostel e à tarde fui ao Marco das 3 Fronteiras no ônibus da linha 103 Jardim das Flores que vai até lá depois de rodar por 427 bairros...😅 Tinha comprado a entrada no Parque do Iguaçu por 22 reais pois a moça me disse que lá era promocional e se eu comprasse na hora no Marco seria 28,50 Eu achava que era só um marco e pronto, mas não, tem toda uma estrutura bacana, um museuzinho, restaurante, um ambiente bacana e que combina com o fim de tarde. A galera do hostel, que tinha ido pras cataratas brasileiras, foram pra lá e voltamos de Uber, que juntando mais gente fica mais barato que o ônibus Dia 5🇦🇷 Dia de ir nas cataratas argentinas. A gente ia de ônibus mas um taxista cobrou 100 reais pra levar na porta do parque e como estavamos em 4 (R$ 25 pra cada) foi bem melhor. Vai mais rápido e mais fácil na fronteira tb A entrada custa 640 pesos (aceita só pesos ou cartão de crédito, então se não quiser trocar pesos pode pagar a entrada no cartão e de resto usar reais, mas a conversão deles não é tão boa) Logo já tratamos de comprar o passeio de barco, o Gran Aventura (concorrente argentino do Macuco Safari brasileiro). Tinha o Aventura Nautica que é um passeio menor mas ele tava suspenso. Acho que os passeios (argentino ou brasileiro) são bem similares. A diferença vem no preço. O brasileiro é 250 reais e o argentino 2500 pesos ou 193 reais. Eu que paguei em pesos na cotação paraguaia de 14.35 ficou por 174 reais. Então veja que compensa ir com pesos em vez de reais. No lado argentino não tem ônibus, é um trenzinho que leva até a entrada das passarelas. Fomos primeiro na Garganta del Diablo e a gente chega até a boca da queda. Depois fizemos o circuito inferior e não deu tempo de fazer o superior pq chegou a hora do passeio de barco. Difícil dizer qual lado é melhor, o ideal é ir nos 2, mas em resumo, o lado brasileiro tem uma vista panorâmica melhor e o lado argentino chega mais perto das cataratas. Matando a sede 😀 Lembra do Pica Pau nas Cataratas? Quanto ao passeio de barco...passeio é modo de dizer...foi a aventura mais insana que eu já fiz na vida pois o doidão do barco vai com tudo até a gente entrar debaixo da catarata, adrenalina pura Voltamos de onibus até Puerto Iguazu. Tem onibus de 20 em 20 minutos. Custa 180 pesos ou 20 reais. Melhor com pesos, que na minha cotação paraguaia saiu a R$ 12,54 Fomos no centrinho de Puerto, tem uns restaurantes lá e comemos um bife de chorizo e umas cervejas. Ficamos até umas 21h e até 22:15 tem ônibus da Easybus mas como eramos 4 e o taxista cobrou 70 reais (R$ 17,50 cada), voltamos com ele. O ônibus acho que são 20 reais, então compensou. Dia 6🇧🇷 Uma colega de quarto tava indo embora e como ela tinha comprado um passaporte (Cataratas, Marco e Itaipu) e não teve tempo de ir em Itaipu, ela me passou o passaporte dela. Só por isso fui em Itaipu pq já tava desistindo. Não achei nada demais. A usina é realmente grande, uma obra enorme de engenharia, gostei da vista do lago, mas não empolguei. Depois passamos no Templo Budista, lugar calmo e bonito. Pra fechar a noite e a viagem, fomos num barzinho de rock (Zeppelin) e depois numa balada famosa na cidade (Looby) Achei Foz muito pacata, minha cidade tem a metade da população, não é nada turística e o movimento de fim de semana é o mesmo de Foz 😆 Dessa vez não fiz um relato muito detalhado como costumo fazer, mas deixei registrada aqui minha passagem por Foz e qualquer dúvida estou à disposição 👍
  4. Fiz essa viagem em abril, passei pelos mesmos lugares que vc, só que ao contrário México é um país incrível, realmente muito mais que Caribe, me apaixonei pela cultura do país em si e pelo interior. Na parte do Caribe gostei de Isla Mujeres e amei Bacalar, é um lugar realmente lindo e ainda um pouco desconhecido Belo relato!
  5. Rezzende

    Sargaço Cancun

    Isla Mujeres é uma boa opção, lá praticamente não tem sargaço. Eu fui em abril, na maioria das praias não tinha nada de sargaço, as que tinha era bem pouco
  6. O meu que eu falei acima é Nubank tb Esse spread já vem incluido na tabela de cotação. Já é adicionado na conversão do câmbio que vem cobrado. Ex: Se um câmbio de dólar vale 4.00 reais o Nubank já inclui os 4% de spread e aparece pra vc a cotação de 4,16. Na hora que vc faz a compra e chega a notificação já vem com essa taxa incluída, só o IOF que vem discriminado separado. O bom é que o valor total já aparece em reais na notificação e vc já pode fazer a conta na hora pra ver se valeu a pena a compra no crédito ao invés de trocar dinheiro vivo
  7. Eu fui em outubro do ano passado e levei de tudo. Na Bolívia troquei reais pois passei por Santa Cruz onde a cotação de reais sempre é muito boa. No Atacama é melhor trocar dólar pois a cotação de reais é ruim por lá, mas se vc tiver levando apenas reais consegue trocar numa boa, quase todas as casas de câmbio trocam reais. Vc pode também trocar uma quantidade maior de bolivianos e levar pro Atacama pois quando eu fui a troca de bolivianos por pesos era bem vantajosa. No Peru o dólar leva vantagem também, mas curiosamente lá compensava mais usar o cartão de crédito. Essa taxa que cobram no cartão de crédito é o IOF e é 6,38% sobre o valor de cada compra. Meu aplicativo do cartão de crédito já me dava o valor da compra com IOF e lá mesmo eu calculava e via que no Peru, mesmo com o IOF, o câmbio saía mais barato no cartão de crédito do que nas casas de câmbio (seja real ou dólar), então lá valia a pena usar o cartão de crédito. Mas câmbio é uma coisa muito volátil, o cenário de outubro passado já não é o mesmo de hoje e o que era vantagem naquela época pode já não ser hoje. Minha dica, que é o que eu faço também, é levar de tudo. Até cartão de débito pra sacar em caso de emergência, pois esse é o que sai mais caro no caso de taxas, pois além do IOF vai uma taxa do seu banco e uma taxa do banco do país que vc tá sacando. Mas pro caso de emergências é bom ter. Se vc já tiver dólar em casa, leve. Se não tiver, acho que com o preço do dólar hoje não compensa trocar dólar aqui pra levar. Dá pra se virar com reais. E procure sempre várias casas de câmbio, compare e faça as contas pra ver se é melhor fazer câmbio ou usar cartão de crédito. 👍
  8. Tem analisar bem a situação atual, o dólar subiu bem nos ultimos dias então fica caro comprar dolar. Se vc passar por Santa Cruz compensa levar real e fazer todo seu câmbio lá. Se possível, tente descobrir como está a cotação de reais em Santa Cruz atualmente e faça as contas pra ver se vale a pena levar real ou dólar. Ano passado eu fui em outubro, época de eleição e dólar nas alturas, levei reais e foi mais vantajoso. Mas câmbio é uma coisa muito peculiar, varia demais, o que foi bom ano passado já pode ser ruim esse ano. Sempre o jeito é tentar descobrir quanto tá o câmbio no local pra onde vc vai e fazer as contas
  9. Ilha do Mel merece uns 3 dias pra conhecer a ilha com calma. Um dia só vai ser como se vc tivesse ido numa praia qualquer, nem compensa pegar o barco pra ir lá e voltar no mesmo dia, acho muito corrido, além das praias tem muita trilha bacana pra fazer
  10. A violência hoje está presente em todas as cidades do Brasil, desde as menores até as maiores. A mesma coisa pelo mundo inteiro. Quem nunca ouviu falar de roubos em Londres, Tokio, New York...? e por aí vai.... As medidas de cautela e segurança que a gente deve tomar são as mesmas em toda parte do mundo. O que ocorre nesse post é que a pessoa foi vítima de um assalto em São Thomé, claramente ficou traumatizado com isso e se inscreveu no Mochileiros exclusivamente para expressar o ocorrido. Não creio que haja uma onda de violência em São Thomé, nem que a cidade esteja mais perigosa...ocorre que é mais uma cidade inserida no Brasil e no mundo e onde essas coisas são passíveis de acontecer. Já fui várias vezes em São Thomé e nada me ocorreu assim como também já fui várias vezes ao Rio de Janeiro sem transtornos e já fui furtado em cidades onde ninguém fala nada sobre violência. Alarmismo não ajuda, deixar de ir em São Thomé não é solução. Como diz o velho ditado, cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém
  11. Eu não fui assim tão recentemente, fui em novembro/2017 e tava compensando levar dólar. Na verdade o que mais compensava era cartão de crédito, mesmo com IOF valia a pena. Hoje, eu levaria um pouco de dólar e passava tudo o que desse no crédito
  12. Eu fui pra Patagônia em fev/17, achei uma região cara (isso é até óbvio pelo "isolamento" do resto do país) mas como atualmente o peso desvalorizou mais, pode ser que tenha ficado mais barato viajar pra lá Eu levei reais e troquei no câmbio do aeroparque durante a conexão Tenho um relato da minha viagem nesse link caso queiram ler pra pegar mais detalhes. Não vai dar pra usar tudo como base principalmente por causa da época. Eu fui no verão e no final do inverno/início da primavera, algumas coisas não dá pra fazer como a Pinguinera em Ushuaia (os pinguins fogem de lá nessa época) e algumas trilhas de El Chaltén podem estar cobertas de neve. Já outros dá pra fazer normalmente É uma região linda, a beleza da Patagônia é difícil de ser superada, vale mto a pena, pode ser caro ou ter barateado, mas vale cada centavo!!
  13. Já que vc vai com família, tb acho que Airbnb pode ser uma opção melhor no seu caso. Se optar por hostel, lembre-se que janeiro é altíssima temporada em Ushuaia. Eu fui em fevereiro e reservei meu hostel em dezembro, já eram as últimas vagas. Durante todo o verão (principalmente janeiro) a cidade fica lotada
×
×
  • Criar Novo...