Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

fernandos

Membros
  • Total de itens

    471
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

17 Boa

1 Seguidor

Sobre fernandos

  • Data de Nascimento 15-01-1979

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    RS:
    Agudo;
    Alegrete;
    Arambaré (Praia e Figueira da Paz);,
    Balneário Pinhal (Abelhas, Tunel Verde);
    Cacequi (Bossorocas);
    Cachoeira do Sul (Zoológico Municipal, Chateau D'eu);
    Caibaté (Caaró);
    Caçapava do Sul (Guaritas);
    Candelária (Auqueduto);
    Canela (Catedral de Pedra);
    Capão da Canoa (Acqua Lokos e Marina Parque);;
    Cidreira (Camarões);
    Dona Francisca (Tobogã e Teleférico);
    Faxinal do Soturno;
    Fontoura Xavier (Parque das Tuias);
    Garibalde;
    Gramado (Gramadozoo);
    Imbé (Ceclimar);
    Itaara (Museu ufológico);
    Ivorá (Memorial das Águas);
    Jaguari;
    Jari (Rincão da Glória);;
    Julio de Castilhos (Jardim das Esculturas);
    Lajeado (Parque dos Dick);
    Magistério;
    Mata (Jardim Paleobotânico, Cachoeiras);
    Mato Queimado (Prefeitura);
    Nova Esperança do Sul (Gruta);
    Nova Palma (Balneário Municipal);
    Nova Petrópolis (Praça das Flores);
    Novo Cabrais (Parque Witeck);
    Osório (Memorial, Morro da Borrussia);
    Paraíso do Sul;
    Pelotas (Laranjal, João Gilberto Bar, Caixa D'Agua de Fero, e etc);
    Porto Alegre (Cidade Baixa);
    Santa Cruz do Sul (Oktober);
    Santana Do Livramento;
    Santo Angelo (Igreja Angelopolitana);
    São João do Polesine (Vale Veneto);
    São Martinho da Serra (Cruz dos Degolados);
    São Miguel das Missões (Ruinas Jesuiticas);
    São Francisco de Assis;
    São Pedro do Sul- (Sitio Arqueológico da Pedra Grande);
    São Sepé;
    São Vicente do Sul (Bal.Umbu);
    Silveira Martins (Buraco de Vento);
    Restinga Seca (Balneário das Tunas);
    Rio Grande (Praia do Cassino);
    Tapes (Bal. Pinvest);
    Teutônia (centro Adm);
    Toropi (Fenda da Mãe de Ouro);
    Torres (Guaritas);
    Tramandái;
    Venâncio Aires (Centro);
    Vera Cruz;
    Viamão (igreja);


    SC:
    Araranguá;
    Arroio do Silva;
    Criciúma;
    Laguna;
    Floripa;
    Garopaba;
    Ferrugem;
    Praia do Rosa;

    PR:
    Foz do Iguaçu (Cataratas, Centro Budista);

    BA:
    Porto Seguro;
    Arraial D'Ajuda;
    Santa Cruz Cabrália;
    Trancoso (O Quadrado);

    AR:
    Puerto Iguazu (Ice Bar);
    Buenos Aires (Cassino, Puerto Madero; San Telmo);
    Tigre (Delta do Tigre);

    URU:
    Rivera;
    Rio Branco;

    PAR:
    Ciudad del Este
  • Próximo Destino
    Derrubadas
  • Meus Relatos de viagem
    http://rotasetrips.blogspot.com.br
  • Ocupação
    Policial Civil
  • Meu Blog

Últimos Visitantes

1.115 visualizações
  1. Rotas&Trips Segundo dia na Normandia, e bora desbravar, havia tirado carteira internacional, é só pagar a taxa uns R$ 60,00, esperar uns 3 dias, e já pode dirigir na Europa. Então pegamos o carro do nosso amigo francês "e se fomos"! 1ªParada: Le Crotoy, Bei de Some: primeiro chegamos a praia, com aquela cara de praia no inverno, cheia de pedras, com algumas bonitas edificações ao entorno, seguimos a costa, e chegamos a um bonito castelo pintado de vermelho, com um letreiro escrito Le Crotoy, algumas fotos, e saímos a perambular pela cidadezinha, entre as ruelas e belas casinhas, a cidade é toda bonitinha na verdade, mas pouca coisa estava aberta, pois era feriado de natal. Algumas padarias e bancas de frutos do mar apenas. Fomos a igreja, estilo medieval, depois pedimos informação a um senhorzinho, que quebrou qualquer esteriótipo que podíamos ter de francês ser mal educado, pois o mesmo foi simpaticíssimo, se postou a conversar e não parou mais. Tivemos que ir saindo e deixar ele falando sozinho. Ainda fomos a um tipo de pier onde haviam barcos de pesca, e uma ruína de um castelo onde Joana D'Arc ficou presa, mas da ruína na verdade só restou um muro. 2ª Parada: San-Valery.Sur-Somme: A cidade é parecida com a anterior cheia de casinhas bonitinhas típicas, mas tem uma cidade medieval bem no centro. demos uma percorrida pela cidade, que parece cenário de filme, compramos quitutes em um armazém local. Daí o cara vê que Europa é outro nível, em qualquer bodega, se encontra queijos incríveis, vinhos, pães, cervejas belgas, e tudo mais de delicioso. Abrimos tudo e fizemos um piquenique em frente a Igreja medieval, olhando os barcos passando por um canal em frente. Simples assim. 3ª Parada: Le Tréport: Agora a coisa começou a ficar realmente séria, a cidade é maior, possui um porto também, e falésias, monumentais rochedos, fazendo plano de fundo a bela cidade, e melhor ainda um funicular, onde se pode passar por dentro das falésias. Me senti como criança, passeio legal de mais. No topo das falésias uma linda vista da cidade com suas casinhas coloridas, um farol, mais falésias, um encanto aos olhos e a alma. Ficamos ali um bom tempo curtindo, e depois sair da cidade, outra aventura. Dirigir pelas ruas estreitas do interior da europa, é uma diversão a parte pra quem gosta de "pilotar". As ruas são estreitas que só passa um carro, mas eles estacionam dos dois lados, e fazem de mão dupla, aí já viu, além dos patinetes, bicicletas e pessoas passando, aquele frio na barriga, além disso passamos por meio de castelos, e outras edificações, foi legal de mais, me senti no filme tipo férias muito loucas! Le Tréport foi uma surpresa incrível! 4ª Parada:Étretat: A cereja do bolo. Lugar icônico, um dos mais famosos e procurados da Normandia, pelas suas majestosas falésias, com formas surreais, arcos, tromba de elefante e outras. Chegamos a Étretat a tardinha, e subimos a trilha que leva ao topo das falésias, o lugar todo é lindo, ótimo para se tirar belas fotos, parecendo um cenário de filme do senhor dos anéis. A trilha é fácil de subir, e como estava anoitecendo, não fomos muito adiante, depois descemos e fomos ao centrinho. A cidade é bem movimentada, repleta de restaurantes, bistrôs, acabamos no Auberge Express, comendo Creps, café, cerveja, e outros quitutes, para fechar com chave de ouro nosso dia. Fotos: Le Crotoy San-Valery-Sur-Somme: Le Tréport: Étretat: Rota:
  2. Rotas & Trips Senta que lá vem a história: Conhecer a Europa, um sonho que parecia impossível, mesmo tendo amigos que moram lá. Nunca cheguei a pensar sério sobre a hipótese. Eis que estes mesmos amigos nos visitam em julho de 2018, 02 meses depois, estávamos nós lá comprando as passagens, aquele frio na barriga, e não me saia da cabeça: Que loucura que estamos fazem...? A grana era curta, a viagem longa, e não falamos linguá nenhuma, como iriamos nos virar? Pouco tempo para fazer o passaporte, organizar as coisas. Na saída voo cancelado em Garulhos, aquele transtorno todo, que parecia não ter fim, certa altura parecia que nunca ia acontecer. E não é que no dia 25.12.2018 desembarcamos no Charles-de-Gaulle. Aí começaram 08 dias que pareceram 30. Desbravando 13 cidades, entre França, Bélgica e Holanda. Então bora lá! Chegamos no aeroporto de Paris, com aquele medão, de tanto ouvir falar da imigração, com a "bendita" pastinha embaixo do braço, cheia de documentos. Tremendo as pernas que o oficial do controle de passaporte perguntasse alguma coisa. Qual nada! Pediu o passaporte, carimbou, Merci Boucault e já era! O Vinicius amigos de nossos amigos Celestin e Rosa (casal Franco-brasileiro), já estava nos esperando, para nos guiar pelo louco metro parisiense, até o ônibus para Le Havre, onde nossos anfitriões moram. primeiros impressões: De paris não deu pra ver nada nessa primeira passada, apenas sentir os odores variados e fortes do metro, mas logo o nariz acostuma. O ônibus para normandia demorou umas 2 horas e 30, desbravando pradarias, muito semelhantes com as do pampa gaúcho, mas edificações bem diferentes. Aí o resumo da Europa pra mim: Tudo muito parecido, mas completamente diferente. Tantas diferenças que são impossíveis de assimilar, muito menos citar todas aqui, vou tentar sem ser enfadonho. Chegamos a Le Havre, cidade bem a norte da França, com um dos mais importantes portos da França. Fomos recepcionados por Rosa, que nos pegou de carro, e fomos para sua casa, onde Clestin e Daniel nos esperavam, este ultimo, outro amigo d casal, fuguraça, que juntamente com Vinicius tornaram nossa estada extremaente divertida. Fora isso fomos muito mimados por Rosa e Celestin. Na recepção mesa farta, pizzas e vinho. Um preludio do que seria nossa passada pelo Europa, muita comida boa, e bebida boa, uma melhor que a outra. Bem alimentados fomos dar uma volta pela cidade, antes que anoitecesse, pois, anoitece em torno das 17 horas no inverno, e amanhece pelas 8h e 30 min. O amanhecer tardio foi o que mais estranhei na verdade, o frio foi tranquilo, pra um gaúcho, criado quebrando geado, na media de 0 (zero) a 8 graus. Levamos roupa até de mais, não usamos nem a metade dos casacos e blusões, nem dava tempo. Fomos caminhando pelas ruas de Le Havre, e eu me encantando com a arquitetura Colombages, que segundo pesquisei, a grosso modo, é o Enxaimel Francês. Muitos prédios típicos, e casas bonitas, até chegarmos a prefeitura (Hotel Deville), com uma fonte a frente, e uma roda gigante próxima, modinha na França, rodas gigantes próximas a pontos importantes das cidades. Depois visitamos a praia de Le Havre, indo de VLP (veiculo leve sobre trilhos- tipo tem no Rio de Janeiro), toda cidade europeia tem, estranho o negocio de validar a passagem, assim como no ônibus ou metro, se pode entrar sem passagem, e arriscar, se não houver fiscal, você viaja de graça, se tiver se ferra e paga multa, vai da sorte. Chegamos a praia bem movimentada, mas é claro que pelo frio ninguém estava na água, interessante que ao invés de areia o lugar tem pedras, pequenas pedras redondas como pedras de rio (me lembrou o Balneário do Rio das Antas em Cotiporã.RS). Lugar bacana para curtir o por do sol. Depois seguimos para o Vulcão, ou Le Volcan, Centro Cultural Le Havre, situado em frente à Place du Général-de-Gaulle, obra projetada pelo nosso Oscar Niemeyer e inaugurada em 1982. A construção abriga um teatro, uma sala polivalente, uma cinema, estúdios de gravação e salas de exposição (Wikipédia). Monumento bem tipico do arquiteto, belo lugar. A noite nos deleitamos com queijos deliciosos, vinhos diversos, cervejas, Licor Calvados, etc... etc.. sem hora para acabar, e no patio da casa, um porco espinho, comendo os restos da janta. Le Havre tem ainda uma bela ponte, várias fabricas, um monumento que diz que são algas, pra mim parece dois parafusos, kkk. Ficamos por la 3 dias, saindo para explorar outras paragens da Normandia, e na ultima noite, fomos ao pub Trapist, onde enchemos a cara com cervejas belgas deliciosas, tipo Gulden Draak, Duvel, Tete Mort, e outras. Não teria desfecho melhor, um porre grandioso, para acabar com chave de ouro nossa estadia na Normandia. Fotos: Rota:
  3. https://rotasetrips.blogspot.com/ Lagoa do bacupari- Mostardas: A dita lagoa fica no a 145 km de Porto Alegre, e ao longe parece aquelas cenas do Caribe, pois a água transparente cria diferentes tonalidades de azul. A água não é azul turquesa como no Caribe, mas transparente, geralmente morna, um verdadeiro paraíso! A lagoa é rasa, e em quase toda sua extensão não passa da cintura, dando para ver nossos pés tamanha limpidez da água. Quando sentamos na areia, dentro da água, podemos ver vários peixinhos ao nosso redor. Museu Ceclimar-Imbé: ]É o centro de Pesquisa Marítima da UFRGS, A 125 km de Porto Alegre. Um Baita Lugar! Cheio de exemplares vivos ou empalhados da vida marinha, como um enorme esqueleto de Baleia, esqueletos de golfinhos, pinguins empalhados, diversos aquários com peixes, e até lagosta. Morro da Borrussia- Osório: A 105 km de POA. O morro além de proporcionar uma vista linda se destaca pela gastronomia, possuindo ótimos restaurantes, um deles é o Dodô, não devendo nada para os de Gramado-Canela. Restaurante de arquitetura alemã rustica, com mesas de madeira, penduradas por correntes. A gastronomia é fartissíma, tendo como carro feche pratos alemães, carne de porco, linguiça com queijo, torresmo, e um série de iguarias de dar água na boca. O pessoal da casa é muito prestativo e simpático com a clientela, e a simplicidade e cortesia do anfitrião impressionam. Possuindo também uma bela cascata, onde há um balneário muito arborizado, com entrada paga. Ótimo lugar para se tomar um bom banho cachoeira para tirar a preguiça. E para finalizar podemos desfrutar da bela vista do Mirante, com uns quatro ou cinco andares de escadarias, fortemente reforçado com aço, a beira do precipício. Local que nos oferta uma visão de toda Osório, assim como dos “jardins de cataventos” (parque eólico).
  4. DEC 18 https://rotasetrips.blogspot.com Seguindo viagem fomos rumo a Passo Fundo, uma das maiores e mais tradicionais cidades do estado com seus mais de 200.000 hab. Da cidade lembrava apenas de uma rápida passada nos tempos de infância e dessa vez não seria muito diferente. 1ª Parada. Passo Fundo.RS: Meu objetivo principal em PF (como é também conhecida), era visitar o complexo turístico Roselândia, pois, segundo minhas pesquisas, lá fica o Pórtico em forma de botas e chapéu, que tanto achei interessante via internet. Algo que me remetia ao Velho Oeste. O complexo fica bem antes da cidade, e é simplesmente enorme, uma vila na verdade, com pistas de rodeio, e toda uma estrutura voltada para o tradicionalismo e campeirismo. E muito rodei me enfiando pelas ruelas do lugar, e lá estava ele, imponente! No local estava acontecendo algum evento, pois, estava bem movimentando. Feito o registro fotográfico, fui percorrendo a cidade sem bem saber o que procurar, fiquei impressionado com a estrutura modernista do Passo Fundo Shopping, e a grande quantidade de altas edificações da cidade, fora isso mais uma vez passei a margem da cidade, sem conseguir desbrava-la mais a fundo. Então sabendo que PF é um destino a ser degustado com maior dedicação, preferi seguir viagem, mas com aquele sentimento de querer voltar. Pois a cidade possui inúmeros atrativos como: Praça Marechal Floriano, Praça Antonino Xavier, Praça do Teixeirinha, Praça Tamandaré, Parque da gare, Chafariz da Mãe Preta, Muzar- Museu Zoobotãnico, Monumento ao Teixeirinha, Praça Armando Sbeghen, Parque Banhado da Vergueiro, Museu de Artes Visuais Ruth Schneider, dentre outros. 2ª Parada. Carazinho.RS: Na verdade a passagem por Carazinho não estava programada, apenas parei para tirar uma fotografia do lindo pórtico em forma de pássaro, até dei uma volta a avenida central procurando algo interessante para registrar mas não encontrei. Além disso próximo ao pórtico, existe um avião bem no trevo, mas o lugar era de difícil parada, e não deu para fotografar. Mas Carazinho tem sim seus atrativos como: Museu Olívio Otto, Parque Municipal João Xavier da Cruz, Parque de Exposições Vali Albrecht, Aeroclube de Carazinho e Monumento ao Gaúcho Bombeador. 3ª Parada. Não-Me-Toque.RS: A cereja do bolo, a cidade mais holandesa do RS, e com um dos nomes mais curiosos também. Dizem que Não-Me-Toque se deve a um tipo de arbusto com esse nome. O maior atrativo da cidade é ser a unica colonia Holandesa do Rio Grande, o que esta evidente na praça central da cidade, Praça Dr. Otto Schmied, onde existe uma réplica de uma casa estilo Holandês, e monumentos em homenagem aos imigrantes. Na mesma praça existe também monumentos aos imigrantes Italiano e aos Alemães. A praça é bem bonita e estava toda decorada para o natal. A cidade é pequena com seus 15.000 hab, mas muito bem desenvolvida, com grandes fabricas. Foi uma delicia passear pela praça, tirar muitas fotos, e curtir a calmaria bem estilo cidadezinha. Depois degustar um cachorro quente em frente a praça, no Conteiner Lanches antes de seguir viagem. 4ª Lagoa dos Três Cantos.RS: Ultima parada, Praça do Lago Municipal, da Lagoa do Três, a cidade é beeem pequenininha. Se for rápido cruza reto. Seu maior atrativo é o lago em frente a prefeitura, muito bonito, com um belo parque, vários gansos nadando no local. Um convite a sentar tomar um chimarrão e ver a vida passar. Um recanto de pura calmaria e beleza. E assim acabou mais essa turnê pelos Rincões desse meu Rio Grande, vendo o por do sol, e os gansos nadando no lago. Fotos: Onde Fica:
  5. Da Terra da Cultura e Tradição a Mais Holandesa das Cidades Gaúchas. Passo Fundo, Carazinho, Não-Me-Toque, Lagoa dos Três cantos.RS. Dez.2018 https://rotasetrips.blogspot.com Seguindo viagem fomos rumo a Passo Fundo, uma das maiores e mais tradicionais cidades do estado com seus mais de 200.000 hab. Da cidade lembrava apenas de uma rápida passada nos tempos de infância e dessa vez não seria muito diferente. 1ª Parada. Passo Fundo.RS: Meu objetivo principal em PF (como é também conhecida), era visitar o complexo turístico Roselândia, pois, segundo minhas pesquisas, lá fica o Pórtico em forma de botas e chapéu, que tanto achei interessante via internet. Algo que me remetia ao Velho Oeste. O complexo fica bem antes da cidade, e é simplesmente enorme, uma vila na verdade, com pistas de rodeio, e toda uma estrutura voltada para o tradicionalismo e campeirismo. E muito rodei me enfiando pelas ruelas do lugar, e lá estava ele, imponente! No local estava acontecendo algum evento, pois, estava bem movimentando. Feito o registro fotográfico, fui percorrendo a cidade sem bem saber o que procurar, fiquei impressionado com a estrutura modernista do Passo Fundo Shopping, e a grande quantidade de altas edificações da cidade, fora isso mais uma vez passei a margem da cidade, sem conseguir desbrava-la mais a fundo. Então sabendo que PF é um destino a ser degustado com maior dedicação, preferi seguir viagem, mas com aquele sentimento de querer voltar. Pois a cidade possui inúmeros atrativos como: Praça Marechal Floriano, Praça Antonino Xavier, Praça do Teixeirinha, Praça Tamandaré, Parque da gare, Chafariz da Mãe Preta, Muzar- Museu Zoobotãnico, Monumento ao Teixeirinha, Praça Armando Sbeghen, Parque Banhado da Vergueiro, Museu de Artes Visuais Ruth Schneider, dentre outros. 2ª Parada. Carazinho.RS: Na verdade a passagem por Carazinho não estava programada, apenas parei para tirar uma fotografia do lindo pórtico em forma de pássaro, até dei uma volta a avenida central procurando algo interessante para registrar mas não encontrei. Além disso próximo ao pórtico, existe um avião bem no trevo, mas o lugar era de difícil parada, e não deu para fotografar. Mas Carazinho tem sim seus atrativos como: Museu Olívio Otto, Parque Municipal João Xavier da Cruz, Parque de Exposições Vali Albrecht, Aeroclube de Carazinho e Monumento ao Gaúcho Bombeador. 3ª Parada. Não-Me-Toque.RS: A cereja do bolo, a cidade mais holandesa do RS, e com um dos nomes mais curiosos também. Dizem que Não-Me-Toque se deve a um tipo de arbusto com esse nome. O maior atrativo da cidade é ser a unica colonia Holandesa do Rio Grande, o que esta evidente na praça central da cidade, Praça Dr. Otto Schmied, onde existe uma réplica de uma casa estilo Holandês, e monumentos em homenagem aos imigrantes. Na mesma praça existe também monumentos aos imigrantes Italiano e aos Alemães. A praça é bem bonita e estava toda decorada para o natal. A cidade é pequena com seus 15.000 hab, mas muito bem desenvolvida, com grandes fabricas. Foi uma delicia passear pela praça, tirar muitas fotos, e curtir a calmaria bem estilo cidadezinha. Depois degustar um cachorro quente em frente a praça, no Conteiner Lanches antes de seguir viagem. 4ª Lagoa dos Três Cantos.RS: Ultima parada, Praça do Lago Municipal, da Lagoa do Três, a cidade é beeem pequenininha. Se for rápido cruza reto. Seu maior atrativo é o lago em frente a prefeitura, muito bonito, com um belo parque, vários gansos nadando no local. Um convite a sentar tomar um chimarrão e ver a vida passar. Um recanto de pura calmaria e beleza. E assim acabou mais essa turnê pelos Rincões desse meu Rio Grande, vendo o por do sol, e os gansos nadando no lago. Fotos: Onde Fica:
  6. https://rotasetrips.blogspot.com/?view=magazine Uma linda tarde de sol, e ouço o chamado da estrada, bora desbravar caminhos nunca dantes trilhados. Saindo de Caxias, Road trip rápida por Casca, Vila Maria e Marau. 1ª Parada: Casca a Capital gaúcha do leite. A cidade não é muito grande com seus 8.000 habitantes, e fomos passando pelas rua até chegar a praça independência, onde fica a linda igreja São Luiz Gonzaga, principal atrativo do centro da cidade. A igreja impressiona pelos requintes de seus detalhes e ornamentos. A praça também é bonita e bem arborizada, também conseguimos ver algumas belos casarões em madeira bem preservados no centro da cidade. Uma tipica cidadezinha, calma e pacata, mas bem desenvolvida. A cidade possui ainda como outros atrativos a Praça Dr Jorge Haroldo Moneiro Pífero, o Museu e Casa Pinzetta, Museu Besson, alguns Sítios Arqueológicos, com habitações indígenas, localizadas em diversos pontos do interior do município; e o Rio Carreiro que cruza a cidade. além de diversas cascatas no interior do município. 2ª Parada: Vila Maria, Capital Regional do Ecoturismo. Vila Maria é uma cidade bem pequena, mas cheia de atrativos, no dia que passamos por lá, ficamos encantados com o divertido Pórtico da cidade, que anuncia a vocação para o esporte de aventura no município, com homenzinho fazendo rapel nas letras do pórtico. Depois fomos na praça node fica a igreja, e rende belas fotos, havia uma turma de jardim da infância, sendo guiada pela professora para admirar o presépio de Natal. A cidade é um belo convite para quem gosta de cachoeiras, rappel e esportes na natureza, oferecendo ao turista, como principal atrativo da cidade a Cascata do Maringá: localizada a 10 km da cidade, uma das mais belas quedas de água da região com 54 metros de altura; mas as opções são inúmeras como: Monte di Vedana: Localizado a 4Km da cidade, este paredão de rocha com 60 metros de altura, rodeado de mata nativa, onde acontecem as atividades de rapel e a trilha que leva até aos mirantes naturais no topo do morro com uma vista fantástica do vale, no local também se pratica a escalada e o rapel. Cascata das Bruxas: A 13Km da cidade, a Cascata das Bruxas, com 37 metros de queda de água, além de ter uma estória incrível, ainda oferece uma fantástica vista do cânion, formado por uma garganta com mais de 1Km de extensão e 80 metros de profundidade. No local ainda se pratica o Cascading (rapel de cachoeira) e o Canioning (caminhada dentro do cânion pelo leito do rio). Refúgio Ecológico Colônia Paraíso: A 17 km do centro de Vila Maria, esta área de preservação permanente situa-se na parte inferior do Cânion da 18 Roso; Cascata do Porongo: camping localizado a 4 km da cidade com uma bela cascata de 31 metros de queda d'água, campo de futebol, área para acampamento e quiosques com churrasqueiras. Fonte: pesquisando cidades 3ª Parada: Nossa passagem por Marau foi bastante rápida, fomos direto ao centro na Praça Elpidio Fialho, toda enfeitada para o Natal, possuindo uma bela fonte. Em frente a praça, fica a Igreja Matriz Cristo Redentor com seu bonito campanário. A cidade é de porte médio com seus 43 mil habitantes, e estava bem movimentada. E possui diversos atrativos naturais como Cascata do Cachoeirão, Cascata do Carascal, Cascata do Tope, Cascaca do Tigre, Cascata das Pedras, Cascata da Ponte e a Cascata dos Tibolas. Além desses, outros atrativos são: Eco Parque Taquari:No local tem uma cascata de 30 metros de altura. Trilha de caminhada com duração de 01h30min e cascading no meio da água; Museu Municipal:Acervo de objetos de uso pessoal, utensílios domésticos e de trabalho, vestuário, mobiliário da colonização italiana; Atividades de exposição permanente e exposições temporárias. Horário de Funcionamento das 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h, de segunda a sexta-feira; Parque Municipal Lauro Ricieli Bortolon: Na Rua Lauro Ricieli Bortolon, 139 - Vila Angela Borella; E a Rota das Salamarias: com trilhas ecológicas, e onde o turista pode saborear a cachaça produzida em alambique artesanal, apreciar as vinícolas, com degustação e varejos de produtos coloniais. Fotos: Rota:
  7. Muito bom, mais 2 pontos na serra para conhecer.
  8. https://rotasetrips.blogspot.com/?view=magazine Passagem rápida por Casca.RS, Vila Maria.RS e Marau.RS.Dez.2018 Uma linda tarde de sol, e ouço o chamado da estrada, bora desbravar caminhos nunca dantes trilhados. Saindo de Caxias, Road trip rápida por Casca, Vila Maria e Marau. 1ª Parada: Casca a Capital gaúcha do leite. A cidade não é muito grande com seus 8.000 habitantes, e fomos passando pelas rua até chegar a praça independência, onde fica a linda igreja São Luiz Gonzaga, principal atrativo do centro da cidade. A igreja impressiona pelos requintes de seus detalhes e ornamentos. A praça também é bonita e bem arborizada, também conseguimos ver algumas belos casarões em madeira bem preservados no centro da cidade. Uma tipica cidadezinha, calma e pacata, mas bem desenvolvida. A cidade possui ainda como outros atrativos a Praça Dr Jorge Haroldo Moneiro Pífero, o Museu e Casa Pinzetta, Museu Besson, alguns Sítios Arqueológicos, com habitações indígenas, localizadas em diversos pontos do interior do município; e o Rio Carreiro que cruza a cidade. além de diversas cascatas no interior do município. 2ª Parada: Vila Maria, Capital Regional do Ecoturismo. Vila Maria é uma cidade bem pequena, mas cheia de atrativos, no dia que passamos por lá, ficamos encantados com o divertido Pórtico da cidade, que anuncia a vocação para o esporte de aventura no município, com homenzinho fazendo rapel nas letras do pórtico. Depois fomos na praça node fica a igreja, e rende belas fotos, havia uma turma de jardim da infância, sendo guiada pela professora para admirar o presépio de Natal. A cidade é um belo convite para quem gosta de cachoeiras, rappel e esportes na natureza, oferecendo ao turista, como principal atrativo da cidade a Cascata do Maringá: localizada a 10 km da cidade, uma das mais belas quedas de água da região com 54 metros de altura; mas as opções são inúmeras como: Monte di Vedana: Localizado a 4Km da cidade, este paredão de rocha com 60 metros de altura, rodeado de mata nativa, onde acontecem as atividades de rapel e a trilha que leva até aos mirantes naturais no topo do morro com uma vista fantástica do vale, no local também se pratica a escalada e o rapel. Cascata das Bruxas: A 13Km da cidade, a Cascata das Bruxas, com 37 metros de queda de água, além de ter uma estória incrível, ainda oferece uma fantástica vista do cânion, formado por uma garganta com mais de 1Km de extensão e 80 metros de profundidade. No local ainda se pratica o Cascading (rapel de cachoeira) e o Canioning (caminhada dentro do cânion pelo leito do rio). Refúgio Ecológico Colônia Paraíso: A 17 km do centro de Vila Maria, esta área de preservação permanente situa-se na parte inferior do Cânion da 18 Roso; Cascata do Porongo: camping localizado a 4 km da cidade com uma bela cascata de 31 metros de queda d'água, campo de futebol, área para acampamento e quiosques com churrasqueiras. Fonte: pesquisando cidades 3ª Parada: Nossa passagem por Marau foi bastante rápida, fomos direto ao centro na Praça Elpidio Fialho, toda enfeitada para o Natal, possuindo uma bela fonte. Em frente a praça, fica a Igreja Matriz Cristo Redentor com seu bonito campanário. A cidade é de porte médio com seus 43 mil habitantes, e estava bem movimentada. E possui diversos atrativos naturais como Cascata do Cachoeirão, Cascata do Carascal, Cascata do Tope, Cascaca do Tigre, Cascata das Pedras, Cascata da Ponte e a Cascata dos Tibolas. Além desses, outros atrativos são: Eco Parque Taquari:No local tem uma cascata de 30 metros de altura. Trilha de caminhada com duração de 01h30min e cascading no meio da água; Museu Municipal:Acervo de objetos de uso pessoal, utensílios domésticos e de trabalho, vestuário, mobiliário da colonização italiana; Atividades de exposição permanente e exposições temporárias. Horário de Funcionamento das 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h, de segunda a sexta-feira; Parque Municipal Lauro Ricieli Bortolon: Na Rua Lauro Ricieli Bortolon, 139 - Vila Angela Borella; E a Rota das Salamarias: com trilhas ecológicas, e onde o turista pode saborear a cachaça produzida em alambique artesanal, apreciar as vinícolas, com degustação e varejos de produtos coloniais. Fotos: Rota:
  9. fernandos

    Passagens compradas para o Natal em Paris e agora?

    Valeu as dicas. A viagem esta de pé. Vamos aproveitar o que der, e tentar outras alternativas também.
  10. Temos viagem marcada para París, agora dia 23, estamos um pouco receosos com todas essas manifestações. E agora o que fazer? Ir igual? adiar a viagem? Alguém tem noticias de como esta realmente a situação por lá?
  11. fernandos

    Serra Gáucha Muito além do Óbvio

    Blog: https://rotasetrips.blogspot.com Via Genova. Serafina Corrêa.RS: A VIA GENOVA é onde estão os atrativos maiores atrativos da cidade. Onde somos surpreendidos com construções realmente impressionantes. São réplicas de construções medievais como o Castelo de Romeo, o Castelo de Julieta, La Rotonda (uma réplica de casa de campo da aristocracia Italiana), réplica do Coliseu, Castelo de Marostica e La nave degli immigranti. Imagina uma rua repleta dessas construções, é de impressionar o visitante, da um ar medieval ao local. As que mais me surpreenderam foram o Castelo de Morostica, muito bem feito, e caracterizado, e La Nave Degli Immigranti, este ultimo todo em ferro, com impressionantes estatuas. Caldas do Prata. Nova Prata.RS: Chegando a Nova Prata, já me surpreendi com o letreiro escrito: Capital Nacional do Basalto. Na entrada da cidade existe um belo painel, em basalto, que vale a pena uma parada para fotos. A praça central da cidade é muito bonita diga-se de passagem, a cidade toda aliás. Até o Parque Caldas do Prata, o caminho é quase todo de calçamento, razoável até, e parte em asfalto, e bem sinalizado. O lugar possui realmente uma boa infraestrutura, a entrada custa R$ 5, 00, por pessoa a entrada. Se quiser desfrutar as piscinas de águas termais, são 25 por cabeça. O lugar tem piscinas livres, gratuitas. E algumas trilhas pela natureza, restaurantes, e uma bela cachoeira para se admirar. Belvedere Sonda- Nova Pádua: Nova Pádua é vizinha a Flores da Cunha (a uns 30 km de Caxias do Sul), autointitulada “Pequeno Paraíso Italiano”. Na chegada encontramos algumas pessoas sentadas, conversando em algum dialeto veneto, para mim indecifrável, e bem curioso, confirmando o nome de pequeno paraíso italiano. Quanto ao belvedere, é realmente encantador com uma bela vista. O lugar proporciona um linda paisagem, ao fundo a balsa que liga os município de Nova Pádua e Nova Roma. Nova Roma do Sul: No caminho entre Nova Paduá e Nova Roma existe uma balsa. Balsa puxada a muque, por dois homens, onde se atravessa calmamente o rio, bem caudaloso, e desfrutamos de um momento impar, curtindo a calmaria e a vista do Rio. Mais adiante mais incrível ainda, um mirante de onde se pode ver uma Usina jorrando águas a plenos pulmões. Ainda no caminho para a cidade mais umas cachoeiras pequenas a beira da estrada, e também tem o tal do Cachoeirão, onde existe local para se fazer rafting. No centro da cidade, uma bonita praça com igreja, alguns casarões de madeira estilo Italiano. E se formos seguir rumo a Farroupilha pero interior seremos brindados com uma das estradas mais lindas da serra gaúcha, repletas de curvas e paisagens de cinema dos abundantes parreirais. Parque do Salto Ventoso- Farroupilha: Do centro da cidade uns 10 km de estradas de chão, boas até, cercados de cenários da serra, parreirais e vinícolas. No parque paga-se R$ 8,00 por cabeça a entrada, para visita autoguiada. No lugar tem as cachoeiras, trilhas, ruínas e outros atrativos. Passeamos pelo lugar andamos por uma pinguela, bem divertida, apreciamos o que parecia um córrego de água, que mais tarde descobrimos se tratar da própria cachoeira. E apreciamos os mirantes, bem legais, que proporcionam belos cenários, de uma queda d’agua generosa, por cima de um paredão de pedra, formando tipo uma caverna. Depois a caminhada pela trilha, e a chegada a queda d’agua, deslumbrante! Com um ponte armada que possibilita a passagem por dentro da cachoeira. Lago São Bernardo- São Francisco de Paula: Na entrada São Chico, como é carinhosamente conhecida, oferece um centro de recepção ao turista bem estruturado. E o lago realmente é tudo que as fotos da internet mostram. Pois, ficava embasbacado com as fotos fantásticas publicadas desse lugar, e é lindo mesmo, a água forma um verdadeiro espelho refletindo as arvores flamboyant e plátanos, com suas folhas avermelhadas pelo inverno, formando um visual "deslumbrante". Lugar perfeito para um passeio romântico, onde podemos encontrar bandos de patos atrás dos turistas pedindo comida. A cidade é pequena com ar interiorano, mas com algo de sofisticado. Parque Aldeia do Imigrante- Nova Petrópolis-RS: Nova Petrópolis fica a cerca de 30 km de Caxias do Sul, uma cidadezinha cheia de encantamento. Dentre eles: A Praça das Flores, com seus labirinto verde. Alias a cidade toda é muito bonita, com sua arquitetura germânica, muito similar a Gramado. O Parque Aldeia do Imigrante, fica a umas cinco quadras da Praça das Flores, com entrada a R$ 5,00. O lugar é magnifico, possuindo dois belos lagos, com pedalinhos, muitas arvores, ótimos lugares para passear e tirar fotos, e uma aldeia germânica, com diversas edificações. Impossível fazer uma visita rápida ao lugar, pois, tem muita coisa a ser vista. Com certeza um dos parques mais bonitos do RS. Outras Fotos:
  12. Bergamotas e Tesouros Coloniais.de São Sebastião do Caí à Triunfo.RS. Nov.2018 https://rotasetrips.blogspot.com Sexta-feira ensolarada, perfeita para se pegar a estrada, e lá vou eu, descer a Serra mais uma vez. 1ª Parada: São Sebastião do Caí.RS: Me sentia com certa divida com esta cidade, sendo que já passei por elas inúmeras vezes, pois, é um dos caminhos entre a Serra Gaúcha, e a Região Central do Estado. Mas meu único registro havia sido uma foto desfocada da igreja. Então "bora lá". Marquei como destino o Parque Centenário, palco da principal festa do município. A FESTA NACIONAL DA BERGAMOTA (que ocorre geralmente no mês de maio). Para quem é estrangeiro, ou seja não é gaúcho, bergamota é como chamamos aqui a tangerina. A cidade é famosa também pela fabrica da Oderich, empresa de alimentos bem conhecida no Rio Grande do Sul, tanto que um dos símbolos da cidade é o "Latão da Oderich". Um monumento que imita uma lata de salsicha da empresa, e fica no parque centenário. O parque esta muito bem conservado, bem florido, e convida a dar um passeio. O parque estava vazio e consegui boas fotos, e até um lago tem. Bom lugar para levar as crianças, ou simplesmente tomar um mate e ver a vida passar. De resto dei uma volta pela cidade e tirei umas fotos da bela igreja luterana e da prefeitura. São Sebastião do Caí, possui algumas bonitas edificações, e um centro bem interessante, com barzinhos e quiosques. 2ª Parada: Triunfo.RS: Cidade muito mais conhecida pelo seu Polo Petroquímico, do que pelo seu potencial turístico, mas vamos lá! O lugar se encontrava agitado, pois, estava acontecendo a feira do livro do município, o que dificultou um pouco os registros fotográficos no local. Estava até difícil de encontrar um lugar para estacionar, naquela quente tarde de primavera gaúcha. Estacionei próxima a Orla. Sim Triunfo possui uma Orla, pois é banhada pelo Rio Taquari. Haviam alguns barcos ancorados, e deu para curtir um pouco aquela vista nostálgica de algumas embarcações passando lentamente. Depois foi seguir registrando os imponentes casarões coloniais, que circundam a orla. Como a prefeitura, a secretaria de turismo e outros. Fui subindo aquelas ruas estreitas sentindo estar em outra época, admirando suas casas com sua arquitetura rebuscada, muitas em ótimo estado de conservação. Cheguei a igreja, bela e ao mesmo tempo singela, em branco e azul, e seu interior em estilo barroco, lembrando muito a igrejinha de Trancoso na Bahia, que visitei anos atrás. Próximo haviam várias outras edificações interessantes, casas e casarões. Como o Teatro União, a Secretaria Municipal de Educação, dentre outros. A cidade possui uma atmosfera antiga, mas das cidades com legado Colonial no estado é uma das mais bem conservadas. Só vi tanto capricho na cidade de Lavras do Sul, que também possui um belo acervo histórico arquitetônico. Então fica a dica para quem quiser aproveitar um passeio cheio de história e belezas arquitetônicas. Mais Fotos: São sebastião do Caí.RS Triunfo.RS Rota:
  13. Parque de Mosaico/ Caminho da Serpente Encantada. Morro Reuter.RS.Nov.2018 Parque de Mosaico/ Caminho da Serpente Encantada. Morro Reuter.RS.Nov.2018 https://rotasetrips.blogspot.com Lindo dia de finados e a estrada chamava para um passeio. Destino da vez: Parque do Mosaico ou Caminho da Serpente Encantada, na cidade de Morro Reuter/RS, a 65 km de Porto Alegre. O lugar é um misto de Parque e Ateliê a céu aberto, criado pela artista Cláudia Sperb. Chegamos ao parque em torno das 16 horas, pagamos a entrada de R$ 15,00 (por pessoa). O lugar não atoa é chamado de parque do Mosaico, pois, a artista o construiu quase todo repleto de mosaicos, que me lembraram muito a escadaria Selarón do Rio de Janeiro. Proporcionando ao visitante um mergulho, nesse mundo mágico e fantástico, criado pela artista. A visita é auto guiada, e o parque não é muito grande, sendo fácil de percorrer, é só seguir as escadarias, e ir se encantando na profusão de obras de arte, escadarias repletas de azulejos, mosaicos, esculturas e painéis. Se me pedissem para resumir o local em uma palavra diria: "Good Vibes". O parque tem um ar riponga, e é um convite ao relaxamento, com vários locais para que o turista sente e curta o ambiente. No dia que fomos, haviam pessoas tocando violão, o que contribuía para essa sensação. No Parque existem umas três edificações, sendo uma a residência da artista, outra um sala de convivência, onde o turista pode sentar, e apreciar mais de 150 obras de artistas diversos, e também tomar um café se assim preferir. O ponto alto do lugar é o por do sol, no mirante, que oferece ao visitante uma linda vista. Então fica a dica de um belo lugar próximo a Porto Alegre, para quem quer fugir do stress da cidade grande e recarregar as baterias. Morro Reuter, possui também outros ateliês e restaurantes para visitação, é só pesquisar e ir. Outras Fotos: Rota:
  14. https://rotasetrips.blogspot.com Lindo dia de finados e a estrada chamava para um passeio. Destino da vez: Parque do Mosaico ou Caminho da Serpente Encantada, na cidade de Morro Reuter/RS, a 65 km de Porto Alegre. O lugar é um misto de Parque e Ateliê a céu aberto, criado pela artista Cláudia Sperb. Chegamos ao parque em torno das 16 horas, pagamos a entrada de R$ 15,00 (por pessoa). O lugar não atoa é chamado de parque do Mosaico, pois, a artista o construiu quase todo repleto de mosaicos, que me lembraram muito a escadaria Selarón do Rio de Janeiro. Proporcionando ao visitante um mergulho, nesse mundo mágico e fantástico, criado pela artista. A visita é auto guiada, e o parque não é muito grande, sendo fácil de percorrer, é só seguir as escadarias, e ir se encantando na profusão de obras de arte, escadarias repletas de azulejos, mosaicos, esculturas e painéis. Se me pedissem para resumir o local em uma palavra diria: "Good Vibes". O parque tem um ar riponga, e é um convite ao relaxamento, com vários locais para que o turista sente e curta o ambiente. No dia que fomos, haviam pessoas tocando violão, o que contribuía para essa sensação. No Parque existem umas três edificações, sendo uma a residência da artista, outra um sala de convivência, onde o turista pode sentar, e apreciar mais de 150 obras de artistas diversos, e também tomar um café se assim preferir. O ponto alto do lugar é o por do sol, no mirante, que oferece ao visitante uma linda vista. Então fica a dica de um belo lugar próximo a Porto Alegre, para quem quer fugir do stress da cidade grande e recarregar as baterias. Morro Reuter, possui também outros ateliês e restaurantes para visitação, é só pesquisar e ir. Outras Fotos: Rota:
×