Ir para conteúdo

Koioz

Membros
  • Total de itens

    21
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. O que mais me chamou a atenção nessa faca foi o uso de talhadeira na ponto, que em muitos casos faz bastante falta. E o fato de a ponta não ser perfurante é muito bom para o uso em estricagem (salvamento de pessoas presas em ferragens de veículo os estruturas metalicas) Mas eu não entendi o porque afiar como talhadeira na ponta e acrecentar o carbeto de silicio atras, onde eu poderia bater E outra coisa que tem que ser observada é a chave para bateria, que funciona em carro Chevrolet multinacional ou importado, porque no terminal da bateria de outros carros o parafuso é voltado p
  2. ( E ) Ta ficando bem legal mesmo o desenho dela ta ficando muito bem feito. Você ta fazendo tudo a mão, ou ta usando lixadeira?
  3. Esse teste funciona mesmo, mas usa uma lima murça e nova, pq lima bastarda escorrega em qualquer aço um pouco mais duro. Já que você vai fazer tenta por curiosidade fazer um fio gastando bem pouco material, e depois tira um pouquinho mais e testa o fio novamente, só pra ver se dá diferença, quando eu fazia dava diferença na resistência ao desgaste, Meu professor, o "Seu Querubim" me dizia que era devido a queima do carbono do aço mais superficial, por isso perfia um pouco da resistência ao desgaste, mas não era tanto assim.
  4. Se tiver como usar uma maçarico para esquentar só o fio durante a tempera, fica mais fácil de controlar o aquecimento por igual, só cuidado para não mandar muito oxigênio que dai acaba cortando o metal
  5. ***NÃO SEI E NUNCA FIZ UMA FACA*** Quando fazia a tempera em aço 1045 (martelo e machado era isso que dava pra usar, mais carbono não valia a pena pois produzia trinca fácil com as pancadas) ou 5160 e não usava forno elétrico com controle de temperatura era esquentar até o vermelho cereja e verifica no imã de neodímio até não ser mais atraído. Depois esfriava na salmora (aço médio carbono dá pra fazer na salmora, já com facas que são mais finas e mais carbono, só no óleo ou ventilação forçada, mas nunca usei ventilação forçada) Única coisa que eu aconselho e cuidado na tempera, e não test
  6. De verdade pessoal, não queria ter causado nada de incomodo no ambiente do forum Prometo que agora passo a mais ler do que escrever (e sem causar bagunça) Quanto ao Cabral, eu peço descula se fui xarope na minha argumentação, é sincero quando eu digo que não é pessoal com pessoal alguma, só não concordava com poucas coisas.
  7. Mais um equipamento que conheci e aprendi mais uma pouco
  8. ( E ) Te dou razão que o forum serve para debater idéias e compartilhar idéias, e como eu disse, leio o forum praticamente todos os dias porque acredito que o pessoal aqui sempre apresenta coisas novas e informativas Antes de ser bombeiro fui metalúrgico (fazia machados e martelos por desgaste e forjamento), sem gostei de lâminas, participei de torneios de corte (machado e faca, mas no machado era melhor), e agora só uso lâminas por hobby (exceto no serviço), e por isso vim partilhar minha opinião. Quase todo modelo de faca (exceto as puramente artísticas) possuem muita utilidade,
  9. Concordo tanto com o Trauco quanto com você VDM. Quando disse da possibilidade de usar a faca para tarefas que exigem mais precisão como descascar frutas afirmo que que é perfeitamente usável, porém não é adequada mesmo tenho de concordar. Mas como foi dito por alguns cada lâmina para uma tarefa, mas desde de que isso não te cause mais prejuízo, como mais bagagem a ponto de te atrapalhar. Já quanto ao uso domestico/culinário, dai sim não veja problema algum ter facas para cada tipo de tarefa, ta tudo a mão muito fácil, tanto que tenho várias (maioria por luxo e gosto). Como o assun
  10. Não é a imbel que faz a Lobo-guara não, quem faz é o Ricardo Vilar, o primeiro cuteleiro brasileiro que recebeu o titulo de Journeyman Smiths, e faz as facas para os guerreiros de selva e paraquedistas do exército. Para quem tiver curiosidade segue o link da demonstração que ele fez para o COE da Policia Militar de São Paulo.
  11. Queria compartilhar com todos a minha esperiência com facas, principalmente porque meu conceito de facas diverge um pouco do que é apresentado pela maioria. Falar que uma faca como a imbel não cumpre sua função como faca (que é cortar), e que a geometria de lâmina e aplicabilidade torna o custo/benefício negativo, considero complicado, explico o porque disso. Uso facas praticamente todos os dias no meu trabalho (sou Bombeiro de São Paulo) e uso uma faca muito parecida com a imbel em discução, mas a minha foi feita pelo cuteleiro Ricardo Vilar, é a Lobo-Guara: E digo que par
  12. Não fica ai sofrendo que só piora Frico Compro bastante coisa pelo Ebay e site de vendas diversos, e já fui tachado em adesivos para minha bike no valor de U$ 2,20, e o frete foi grátis por vir como carta O que ta esquisito nisso ai é que o Tahar manda como pessoa física, dai a isenção de imposto até 50 dólares é aplicada, e se foi esse o caso você pode até pedir revisão de imposto. Mas espero que seja outra coisa... Essa notificação é da sua Kabar e o envio foi feito com down value, por isso tão te cobrando imposto por 40 dólares
  13. Ele não mede na lamina pq esse teste com os durometros deve ser feitos em superfícies e bases paralelas (pode-se fazer suportes mas o suporte não pode ceder nenhum mícron), além de que o teste que ele fez foi HRC (hardness Rockwell Cone), onde a penetração do cone de diamante é muito grande para o fio da lamina (literalmente faz-se um buraco no material de aproximadamente 0.3 mm), além de que para materiais com menos de 3mm não se usa medida HRC, mas sim escala Vickers, pois o HRC provocaria deformação até a base do material, retornando valores incorretos de dureza, além de estragar a lamina (
  14. Exagero mode ON Eita pão duro mineiro. kkkkkkkkk
  15. Não sei se alguém precisa disso mesmo, mas que me deixa babando deixa. Esse tais aços amorfos quando puderem ser produzidos em escala comercial deverão levar as lâminas para outro nível.
×
×
  • Criar Novo...