Ir para conteúdo

casal100

Membros de Honra
  • Total de itens

    2.579
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    49

Tudo que casal100 postou

  1. ÚLTIMO CAPÍTULO: Correndo contra a noite! Saída do topo da Pedra da Mina, retorno à fazenda Serra Fina, ida de carro a uns 4 kms na casa do Zé (onde pernoitamos) ...no topo da Pedra da Mina, comemos bastante castanhas/nozes, frutas secas e doce de amendoim com rapadura, nossa reserva energética estava baixa, isso deu um up enorme. Achávamos que faríamos em menos de 04:30 até a fazenda Serra Fina(a idéia era chegar durante o dia), mas o desgaste de termos subido rápido(para nós) mais as descidas fortes por pedras soltas, aliadas ao sol forte, quase gastamos mais tempo na descida do que na subida. .. Na descida não encontramos ninguém na trilha, era somente nós, se desse alguma coisa errada, ia complicar a nossa vida, mas correu tudo bem. Minha parceira arrumou um galho de árvore para auxiliar na descida. Nosso tempo na descida foi de 05:08hrs, muito próximo do tempo da subida. Conseguimos chegar na fazenda Serra Fina por volta das 19 horas, cansados mas felizes por, apesar de tudo, conseguir fazer esse dificílimo trekking. Pegamos nosso carro, e depois de alguns minutos chegamos na casa do Zé, onde pernoitamos(foi muito importante dormir na casa do Zé). A família do Zé, num ato gentil, esperaram nós para jantarmos juntos(era domingo), explicamos que estávamos tão cansados que não dava para ir até a casa deles jantar. Gentilmente eles levaram a comida para nós, jantamos e dormimos que nem uma pedra. UM AGRADECIMENTO A ESSA FAMÍLIA ESPECIAL, QUE NOS ACOLHEU IGUAIS MEMBROS DA FAMÍLIA. Super recomendo ficar aqui! TUDO MUITO BOM MESMO! RESUMO: A trilha têm muitas subidas/descidas fortíssimas, fortes mesmo, algumas regiões de charcos/valas/pedras pequenas, médias e grandes/capim alto/bosques/expostas ao sol e vento. portanto é uma trilha para todos os gostos. Ela exige muito de quem faz o bate/volta no mesmo dia. Apesar de termos levado mochilas de +-9 kgs cada um, o esforço foi muito grande. Ela realmente nos maltratou muito kk MARCOS E SINALIZAÇÃO: essa trilha tem marcos reflexivos nas árvores, mas durante o dia não tem marcos/setas. .. , mas ela é bem óbvia (só no início que complicou mesmo), isso pq uma parte não tinha esses marcos reflexivos. A trilha tem somente 3 pontos complicados: Depois de 1 km da fazenda Serra Fina, é o mais complicado. É que no final se não virar à esquerda no local certo, entrará num imenso LABIRINTO de trilhas para todo lado, segundo o pessoal essas trilhas não levam a lugar algum (MUITA GENTE SE PERDEU AQUI, alguns tiveram que ser resgatados), acontece que a sinalização reflexiva antes da virada à esquerda foi retirada. Então, depois de +- 1 km é VIRAR À ESQUERDA, só vire à DIREITA depois do rio. OBS.: ENTATIZANDO BEM PARA NÃO SE PERDER: DEPOIS DE 800 A 1000 METROS DE CAMINHADA DESDE A FAZENDA SERRA FINA, SE PORVENTURA PASSAR RETO DA "VIRADA À ESQUERDA", ENTRARÁ NUM LABIRINTO DE TRILHAS, SINAL QUE ESTÁ ERRADO. VOLTE E SIGA À ESQUERDA. PARA NÃO TER ERRO: Logo depois da "virada à esquerda" uns poucos metros à esquerda tem uma bifurcação (à esquerda vc volta), o certo é seguir reto. Qualquer coisa volte a fazenda Serra Fina e peça ajuda. CUIDADO MESMO, MUITA GENTE JÁ SE PERDEU AQUI. Depois da subida da "misericórdia" tem algumas trilhas, mas é só seguir rumo ao pico (morro mais alto). Antes do ataque final, tem uma região com algumas trilhas siga sempre em direção ao pico. No ataque final ao pico da mina a subida é em laje de pedra, aqui a sinalização é feita com totens. O outro problema é depois da descida do MISERICÓRDIA(na volta), no topo de um dos morros tem uma trilha à esquerda descendo. NÃO É ESSA, a certa é a que segue reto passando no topo, depois vc entra num capim alto e logo à frente tem outra subida. Obs.: o que eu faço: Sempre olho para trás tentando memorizar o caminho de volta. Outra coisa que funciona bem é ir tirando foto do retorno (ficou em dúvida, é só ver a foto). Como faço o meu relato no trekking, na dúvida recorro a ele para tirar a dúvida. PONTOS DE ÁGUA: tem alguns, pra quem faz bate/volta, suba com no minimo 3 litros de água para cada pessoa, principalmente se tiver calor, pois exige muita água na subida e ainda tem que sobrar, pois no retorno têm várias subidas também e o ponto de coleta de água fica distante(uns 1600 metros do topo da pedra da mina) e o sol na volta é muito forte, se o tempo estiver aberto. Valeu? Se valeu! Faria de novo? Claro Ué, mas a volta tem subida também? Claro! E muitas. ..descidas também aí aí Que visual Tínhamos que chegar lá embaixo Subidas e descidas, até parece o misericórdia Descendo na laje de pedra num calor infernal, apesar do inverno Piso escorregadio, descidas fortes em valas e o sol se pondo. Mas no final deu tudo certo! AGRADECIMENTOS: .Ao Odair, filho da dona Maria da fazenda Serra Fina, que largou seu trabalho naquele dia, para nos ensinar o caminho certo. NOSSA ETERNA GRATIDÃO .Ao Zé e toda a sua família, que nos acolheu como membros da sua família. NOSSA ETERNA GRATIDÃO. .A todos montanhistas que encontramos pelo caminho que nos incentivavam e davam um novo ânimo a nós, naquele terrível trekking. NOSSA ETERNA GRATIDÃO .💖💗💚💜💓❤💟❣💞💝💛💛
  2. Realmente foi uma decisão difícil a ser tomada, tínhamos "gastado" boas calorias na "perdida". O sol tinha dado as caras, sinalizando que, apesar de ser inverno, ele seria muito forte, o que diminui o ritmo de caminhada. Troquei idéia com minha parceira, ela assegurou que dava para fazer, então de comum acordo, decidimos que iamos fazer. Respiramos um pouco e partimos num ritmo acelerado, apesar de levarmos comida pra 2 dias e muita roupa de frio extremo, NÃO QUERÍAMOS DORMIR NA MONTANHA, pois não tínhamos barraca e nem saco de dormir, pois a previsão do tempo para aquele período era de temperaturas negativas. Obs.: é super importante esse tipo de decisão ser tomada pelo casal ou grupo, não pode ser tomada unilateralmente, pois se der algo errado as responsabilidades serão divididas. Tivemos que acelerar o ritmo na subida, o que cobrou seu preço na descida, pois chegamos cansadissimos no final (sem sombra dúvida, foi o trekking mais difícil que fizemos até hoje). Esse bate/volta mostrou que tomamos a decisão acertada de deixar ele para o final da viagem, se tivéssemos feito no início da viagem, teríamos sérios problemas. CAPÍTULO 4: Na ida, só alegria! .....Depois de virarmos à esquerda, seguimos descendo no meio de uma mata, após poucos minutos(OLHA COMO ESTÁVAMOS PERTO, mas no resumo não tinha um rio) atravessamos pequeno riacho, mais 2 minutos atravessamos riacho mais largo, e chegamos num descampado (pequeno ) e viramos à direita (panela velha) 00:50hrs - 1685msnm.(aqui na panela velha tem um caminho seguindo mais à esquerda(inclusive colocaram galhos de árvores bloqueando essa trilha), cuidado, mas o caminho à direita e mais óbvio)). Começamos a subir em lugares com pedras soltas, até mirante do lado direito 01:20hrs - 1 895msnm +- 4km Sempre subindo, sem refresco até ponto de água do lado esquerdo, antes do "Deus me livre"(aqui tem uma pequena cachoeira com água bem gelada, PARECE QUE ÉO ÚLTIMO PONTO DE ÁGUA) 01:43hrs - 2030msnm - +- 4,43km Começa subida fortes em pedras e logo a seguir entra numa área de capim alto com pedras e charco. Depois começa a parte mais forte, o famoso "Deus me livre", subimos muitas pedras até o topo: 02:55hrs - 2455msnm Depois do "Deus me livre" entramos numa região de subidas e descidas em alguns morros e, depois de uma descida chegamos num bambuzal (parece que é área de camping). Começamos a forte subida do famoso "misericórdia", até que conseguimos subir sem grandes problemas, na verdade esperava que era muito pior essas duas subidas famosas (mas estávamos mais bem preparados do que pensávamos, mas a descida...) Até topo misericordia: 04:19hrs - 2645msnm Aí pensamos : "acabaram as subidas/descidas fortes" UFA, só alegria! , mas não, ainda tinha umas rebarbas, e o ataque ao cume da pedra da Mina. Até aqui foi "até" tranquilo". Mas a descida..... Até o topo da pedra da mina (no caderno) 05:12hrs - 2760msnm - 7,85 kms (segundo um relato) Tiramos algumas fotos, curtimos excepcional visual proporcionado(serra fina, pn do Itatiaia, MUITO SHOW), mas o vento forte/frio nos expulsaram do topo, sem contar que teríamos que retornar tudo de novo.....como foi doído viu... Na ida, após um certo tempo, encontramos muita gente voltando, isso amenizava um pouco, pois parávamos um pouco para conversar e divertir, obs.: como as pessoas na montanha são divertidas e procuram ajudar uns aos outros! Obs.: como era domingo, encontramos com muita gente durante o trekking(eles voltando e nós indo), tinha muitos paulistas, mineiros, cariocas, paranaenses e um paraibano (que encontrei novamente quando fizemos o pico o Capim Amarelo uns dias depois, como esse mundo é pequeno). Continua.... Início da trilha depois das "perdidas", notem que o sol já se fazia presente Algumas valas e pedras soltas que foi complicado, principalmente na descida Aqui começa as subidas fortes depois do último ponto de água, observem que o céu não tinha nenhuma nuvem. Esse é uma parte da subida "Deus me livre", não encontramos tantas dificuldades na subida, estávamos esperando coisa muito pior...mas a descida É aí mesmo, tem que desbravar o capim alto e encarar a subida Aqui começou subida em pedras Lindo visual do topo do "Deus me livre" Te apresento a subida "misericórdia" Agora era só subir a pedra da mina, mas não é "logo ali" Outro visual estonteante. . Mais outra subida Mais outra subida, já no ataque final Ainda falta um "cadinho" que visual viu Sem comentários Pico da mina, ao fundo pn do itatiaia parte alta - Mg No topo da PEDRA DA MINA, que pode ser chamada de pica da mina Outra singela homenagem ao MOCHILEIROS.COM Mais outra foto minha, mas a alegria era muita mesmo!
  3. CAPÍTULO 3: De perdidos na trilha, ao encontro do SALVADOR! Primeiro trecho de subida da PEDRA DA MINA: 17° - dia 14.07.2019 - Domingo Saída da casa do Zé, ida de carro até fazenda Serra Fina. Subida/descida Pedra da Mina e retorno à casa do Zé(hospedagem). +-16 kms em aprox. 10:20hrs Acumulado total: 180 Kms Ontem dormimos às 19:30hrs, nossa intenção era sair o mais cedo possível, caminhar na madrugada rende muito mais. Acordamos às 02:40hrs, rapidamente tomamos nosso café da manhã(nossas mochilas já estavam arrumadas), pegamos o carro e +-4kms e 15 minutos já estávamos na fazenda Serra Fina, início da trilha para a pedra da minha. Ontem estivemos com a dona Maria(aos domingos ela não dorme na fazenda, e não tem ninguém para recepcionar o pessoal), acertamos com ela que deixaríamos o dinheiro do estacionamento($20 por veículo) na casa dela, a uns 3 kms da fazenda, no Paiolinho ou debaixo da porta da casa da fazenda, mas não foi preciso. Da casa do Zé até fazenda Serra Fina 00:20hrs - 3,8kms de carro. DOIS PERDIDOS NA TRILHA: Chegamos de carro na fazenda Serra Fina por volta das 03:45hrs e deixamos o carro no estacionamento. No dia anterior a dona Maria disse que a trilha estava muito bem sinalizada, pois na semana passada teve uma prova de corrida nela. Subimos tranquilos (estava com um mapa detalhado com distância e onde virar) de repente a sinalização reflexiva sumiu justamente antes de várias bifurcações, e o que aconteceu: achávamos que estávamos num lugar, mas não, ao invés de virar a esquerda(MAS O MAPA FALAVA PRA VIRAR À DIREITA NÉ), seguimos reto e entramos num LABIRINTO de trilhas, e começamos a procurar a "tal" virada à DIREITA, e todas elas não chegavam a lugar algum(tinha pra todo lado kkk...), perdidos literalmente(ficamos UNS 40 MIN procurando a saída kkkk), entramos numa trilha que achávamos que era a certa. ..kkk....só que não. .kk depois de 15 minutos, chegamos onde????? Na fazenda Serra Fina, no início da trilha kkkkk, até assustei a hora que vi as placas kkkkk isso já passava das 05 da manhã. .kkk Nessas ocasiões, em vez de discutirmos ou brigar, nós se unimos e vamos ver onde erramos, pior não dava pra ver onde estava o erro. Aí decidimos subir mais 1 km e tentar achar a trilha certa.....fizemos isso, e nada de achar...... quase 1 hora procurando. Resolvemos voltar pro carro, vai que aparece alguém que vai fazer a trilha(difícil alguém subir num domingo) ou o pessoal que estava acampado no final do retorno e deveriam chegar até às 08 horas(difícil também), mas mesmo assim ficamos lá, esperando alguém chegar. .. Lá pelas 08 da manhã chega um rapaz em cima de um cavalo branco, pronto chegou a salvação. .. O rapaz era o ODAIR filho da dona Maria da fazenda Serra Fina, batemos um papo com ele, e expliquei a nossa saga, ele tentava dar as dicas e nós não entendíamos. kkk Aí ele disse: VOU LEVAR VCS ATÉ O INÍCIO DA TRILHA. Aceitamos prontamente ....aí voltamos ao jogo.. Subimos rapidamente com ele (eu sempre na frente dele ditando o ritmo). Ele mostrou o início da trilha.kkk...inexplicável. .passamos do lado dela umas 100 vezes kkk, inclusive quando estávamos perdidos, caminhei nela uns 100 metros e vi os marcos reflexivos, e achava que era o caminho de retorno à fazenda Serra Fina kkk para vcs terem idéia, inclusive fiz uma seta no chão e coloquei uns galhos pra marcar a trilha de retorno kkk como perdido é perdido. .kkk MAS SINCERAMENTE, ACHO QUE FIZERAM AQUILO LÁ PARA O PESSOAL SE PERDER MESMO. Segundo umas pessoas, já teve vários resgates de pessoas perdidas nesse trecho. Quando estávamos indo pra a pedra da mina no caminho certo kk, encontramos umas 60 pessoas retornando para fazenda Serra Fina, e muitos deles disseram que se perderam lá também kk, então não foi só nós os PERDIDOS NA TRILHA kk isso não é desculpa de perdido kkk Depois que o ODAIR mostrou o "início" da trilha, perguntei pra ele: no ritmo que subimos com você, quanto tempo gastaríamos até o topo da pedra da mina? Ele respondeu rápido, sem pensar: nesse ritmo que subiram e, se não pararem muito pelo caminho, devem fazer em, no máximo 5 horas. Aí ponderamos e vimos que dava pra ir, pagamos um cafezinho e, aproveitamos e já acertamos o estacionamento $20. A escuridão que nos esperava Depois de subir 3 vezes, a trilha certa começa em frente a essa "árvore"... Na foto aparece o ODAIR, tentando fechar essa trilha. Quando chegamos aqui não tinha esses galhos no chão e nem esse pau de lado, nós que colocamos para outros não entrarem reto. Pois a trilha certa começa a alguns passos antes desse lugar da foto. OBS IMPORTANTE: A trilha inicial da pedra da mina não tem nenhuma entrada à direita. Somente quando atravessa o riacho que pega mais à direita. Na panela velha tem que seguir à direita. Não sei o local que esse casal se perdeu, mas é bem comum isso por lá: https://www.google.com.br/amp/s/www.em.com.br/app/noticia/gerais/2019/08/05/interna_gerais,1074847/amp.html
  4. CAPÍTULO 2: PERDIDOS NO INÍCIO DA TRILHA PARA PEDRA DA MINA Antes de começar o relato é bom enfatizar a razão de termos perdido no início da trilha duas vezes(depois conversei com outras pessoas que se perderam também, justamente neste local). Da fazenda ao topo da subida DEUS ME LIVRE...ESSE É O ROTEIRO QUE PEGUEI NA INTERNET Bandeira verde e duas amarelas - Fazenda serra fina início da trilha 1574msnm 0 metro OK Primeira bandeira amarela depois da verde e duas amarelas, vira à direita 1619msnm 640mts OK A segunda amarela vira à direita 1628msnm. +-740mts A terceira amarela vira à esquerda 1643msnm 1,03 kms (DEVE SER ESSA, ACONTECE QUE NÃO TINHA ANTES NENHUMA ENTRADA À DIREITA, ATÉ PENSEI QUE FOSSE SER ESSA, MAS PERDIDO É PERDIDO MESMO, ACHO QUE FALTOU EXPERIÊNCIA EM TRILHA PARA NÓS, SOU JOVEM UM DIA APRENDO) A quarta/quinta e sexta(CACHOEIRA) 1603msnm 1810mts A séxtima amarela água 1698msnm 2880mts A oitava amarela vira à direita 1718msnm 3100mts A nona amarela primeiro mirante 1974msnm 4050mts A décima amarela Clareira pré subida Deus me livre com agua perto 2860mts 4400mts A décima primeira amarela último ponto de água (pegar água aqui) 4430mts A décima segunda amarela camping pré Deus me livre 4580mts A décima terceira início subida Deus me livre 4700mts A décima quarta amarela cume do Deus me livre 2514msnm (é a última bandeira amarela no canto inferior da foto acima quase escondida). 5600mts Gravei essa foto do roteiro que peguei na Internet, fiz um resumo bem detalhado de cada bandeira (neste relato a pessoa informava o que tinha), ou seja, chegar na primeira bandeira amarela(depois da verde e duas amarelas) e VIRAR À DIREITA, ok simples assim....MAS NÃO FOI. Obs: tinha tanto confiança que nem me informei com o Zé sobre os possíveis lugares que poderiamos ter dúvida ou mesmo, se perder. Saímos bem cedo, 04 da manhã, sabíamos que era para virar à direita a uns 640 metros adiante, fácil né! Não foi! Geralmente aquela subida nosso ritmo é de +-2 kms por hora, calculamos que chegaríamos nesta primeira bandeira no máximo em 25 minutos....acontece que parei para fazer um 2. Ou seja, demorariamos mais um pouco. Continuamos a subir, seguindo as marcas fluorescente nas árvores, mas de repente essas marcas desapareceram, logo a seguir entramos num labirinto de caminhos(várias trilhas que iam para todo lado kkkk) até achei que ali era área de camping kkkkk. Procuramos essa tal de "virar à direita" uns 40 minutos(entrava num caminho a direira e ele terminava num matagal, ACHO QUE MUITA GENTE MESMO SE PERDEU POR AQUI), e nada(olhava a bússola do meu relógio, o Googlemaps....a lua...kkkkkkkk). Mas uma coisa que acontece conosco, nestas ocasiões nos unimos e ficamos calmos, se desesperar nesses momentos só vai piorar a situação. Sabíamos que sairíamos dali. De repente achamos um caminho à esquerda com sinalização florescentes nas árvores, pronto! ACHAMOS O CAMINHO CERTO UFA.....kkkkk descemos tranquilos, aninados e felizes kkkkkk pouco tempo depois, chegamos na fazenda Serra Fina(ainda escuro) de volta. ...LEVAMOS UM SUSTO, mas depois divertimos muito com a situação. .kkkkkkk como assim. .. Decidimos voltar até o local onde nos perdemos, pois um tempo depois estaria claro e ficaria "mais fácil" achar o caminho certo. Subimos rápido, ainda era noite, entramos em todas bifurcações, sempre virando à direita. Um tempo depois entramos numa trilha e logo à esquerda tinha uma espécie de barreira feita de galhos de árvore, alguem fez aquilo para o pessoal não seguir aquela trilha. Resolvemos voltar a fazenda Serra Fina e esperar por um Salvador, como estava frio, ficamos dentro do carro! Continua......
  5. Em julho de 2.019, realizamos bate/volta nos 3 Picos mais importantes da Serra Fina (Mina, Capim Amarelo, 3 estados) A NOVELA: PEDRA DA MINA Para muitos o bate/volta na Pedra da Mina é um dos trekkings mais difíceis de se fazer em um dia, devido a quantidade de subidas e descidas fortes, tem dois lugares complicado, até pelos nomes já dá para preocupar: o "Deus me livre" e o "Misericórdia". Sem contar os relatos de pessoas que se perderam e tiveram que ser resgatados pelo corpo de bombeiros.Diante disso, esse trekking me consumiu muito tempo e estudo (coisa que geralmente não faço). Apesar de se preparar adequadamente, ainda assim, se perdemos justamente no início da trilha. Faz parte da aventura. Farei um relato diferente, é muito difícil pessoal que se perdeu em determinado lugar, explicar o que aconteceu depois. Vou procurar descrever o máximo possível para outras pessoas não errem o início da trilha para o Pico da Mina. Apesar de ser bate/volta no mesmo dia, tivemos que levar muita roupa de frio (na semana no pn itatiaia pegamos -4°), muita água (3 litros cada) e comida para 2 dias (se perdemos na trilha teríamos mantimentos até o resgate), nossas mochilas ficaram com +-10 kgs. CAPÍTULO 1: PEDRA DA MINA - Conhecendo o caminho até a fazenda Serra Fina, início da trilha. 16° dia - 13.07.2019 - Sábado 1° dia - Saída de Santana do Capivari-Mg de carro, ida até a cidade de Passa Quatro comprar lanternas (1 se cabeça a $9,90 e 1 de mão $12), luva de moto $10, pilhas, comida para subida da Pedra da Mina. Fomos até o Paiolinho/fazenda Serra Fina conhecer o caminho e ver se tinha onde ficar, descobrimos a casa do Zé, dono dum restaurante antes do paiolinho.. Para não se perder durante a madrugada de carro, na subida entre Passa Quatro e a fazenda Serra Fina(na nossa previsão iríamos dormir em PASSA QUATRO, acordaríamos as 02:30 da manhã e subiríamos até o início da trilha de carro). Tiramos o sábado para ir de carro até lá para gravar bem esse roteiro, quando se faz bate/volta longo e difícil, como a PEDRA DA MINA, tem que começar bem cedo, pois pode acontecer de se perder(FOI O QUE ACONTECEU). Saímos do centro de Passa Quatro-Mg e chegamos no trevo da rodovia asfaltada, atravessamos e pegamos estrada que começa neste local, não pega a Br(tem um restaurante do lado esquerdo da estrada asfaltada que vai para a fazenda Serra Fina, essa estrada começa do lado direito desse restaurante). Dirigimos +- 1 km, asfalto com muitos buracos, chegamos numa bifurcação (tem uma placa informando que são 12 kms até o Paiolinho) viramos à esquerda e pegamos estrada de terra em boas condições, mas subida forte, depois de uns 6 kms pegamos um pequeno trecho com pedras médias(devagar, passa tranquilo), após uns 100 metros chegamos numa bifurcação (do lado esquerdo tem uma casa amarela com piscina) seguimos reto - 1125msmm OBS.: Já fizemos esse trecho à pé várias vezes, no caminho dos anjos(2 vezes), na Estrada Real (4 vezes) e no CRER (1 vez), até essa bifurcação não teríamos problema na madrugada. Logo depois da bifurcação tem um pequeno trecho com muitas pedras. Continuamos sempre subindo, alguns trechos com algumas pedras(tem algumas entradas de fazenda) e quebra mola. Após um tempo chegamos numa bifurcação(tem uma casinha branca em cima dum morrinho à esquerda), SEGUE À ESQUERDA (tem uma plaquinha branca no início desse trecho) - 1185msnm. Começa trecho de descida e logo à frente subidas fortes, chegamos num entrocamento(tem um grupo escolar do lado esquerdo) continuamos reto, logo a seguir chegamos numa bifurcação que tem uma árvore bem alta, seguimos reto (NÃO vire à esquerda) (depois de umas casas - bairro PAIOLINHO) - 13 Kms desde Passa Quatro-MG - 1305msnm . A subida ficou mais forte, tem um quebra mola (CUIDADO) tem duas entradas à esquerda, CONTINUE RETO, chegamos numa virada e logo a seguir uma PONTE COM VÃO NO CENTRO (CUIDADO), depois de poucos metros chegamos na fazenda Serra Fina (muitos carros estacionados). Dona Maria, de Segunda-feira a sexta fica o dia todo. No sábado ela fica até meio dia, sai e fica no Paiolinho +- 3km(casa branca com um pé de maracujá, em frente a escola) até domingo no final da noite. Estacionamento $20. Se por acaso chegar na fazenda e não tiver ninguém, deixe o carro no estacionamento e na volta paga para dona Maria, sem problema ok Esporadicamente pode armar barraca no estacionamento da fazenda Serra Fina (não cobra, mas não tem banho nem refeição). Obs.: acredito que se tiver chovido nos dias anteriores, dificilmente carro sem tração nas 4 rodas conseguem subir até lá. No restaurante do Zé, +-4kms antes da fazenda Serra Fina: Tem camping: $20 por pessoa por dia (refeição +-$25 por pessoa, frango caipira $60 só o frango inteiro) porções à parte). Arroz $9 Feijão $9 Salada $8 (alface tomate cebola) Linguiça $15 Boi $10 Truta $30 porção Porções servem 4 pessoas. Tem hospedagem(na casa do Zé e da mãe) a uns 500 metros antes do restaurante: Casa pequena: $80 casal Casa grande: $80 casal Por pessoa: $40 por dia Só o banho: $10 cada Cozinha completa sem microondas tem fogão à lenha. Zé: 35 99934-6593 sem whattsap O sinal da operadora vivo não é constante na casa do Zé. Do restaurante a fazenda Serra Fina são aproximadamente 4 kms Se for chegar à noite tem que pedir para deixar refeição pronta para quem ficar hospedado na casa(eles deixam a comida pronta e você esquenta quando chegar, tem fogão à gás na casa que alugam). Negociamos com o Zé e pernoitamos na casa dele, e já deixamos encomendada a comida para o outro dia, pois chegaríamos tarde na volta do pico da Mina. Preço: $80 o casal sem caféda manhã. Jantar $25 por pessoa.
  6. Tivemos a satisfação de participar da reportagem da EBC, quando realizamos o Caminho de Cora Coralina em Goiás. Para nossa alegria, recebemos hoje a notícia que essa reportagem é finalista ao Prêmio Prêmio Braztoa de Sustentabilidade. O nosso parabéns a toda equipe da EBC, capitaneada pelo repórter Maranhão Viegas. https://m.panrotas.com.br/abav-expo-2019/operadoras/2019/09/veja-os-finalistas-do-premio-braztoa-de-sustentabilidade/167979 Os três finalistas: MÍDIA - Grupo RBS - Zero Hora Editora Jornalística S/A Ação: Descobrindo a floresta - TV Brasil Ação: No rastro da poesia, no Caminho de Cora - Janelas Abertas Ação: Turismo responsável e sustentável: reflexões e dicas práticas
  7. @Juliana ChampiPra vc realmente não compensa fazer isso, mas fica a dica para outras pessoas. Algumas lojas de câmbio se vc comprar seguro viagem com eles , o dólar tem um desconto. Faça citação do seguro em outros lugares e vê se compensa (isso pra quem não tem cartão de crédito). Mas no cartão de crédito é bem mais vantajoso.
  8. @rodrigo-whisky Concordo com esse estudo sobre torções. Já caminhei uns 20.000kms em estradas e trilhas, fiz vários trekkings mais pesados e numa tive nenhuma torção. Pra vc vê, a única torção que minha esposa teve foi quando estava de bota. Obs.: e olhe que caminhamos rápido viu! Nota: quando for atravessar rios com pedras escorregadias, coloque meias de algodão, por incrível que possa parecer, ela não escorrega. (Dica de um programa de TV). Em contrapartida, a única desvantagem que eu acho do tênis é nos trekkings em ambiente mais extremo(serra fina por exemplo), onde tem muitas pedras, o desgaste dele é maior. Mas uso um tênis mais surrado. Mas nunca descolou a sola, igual as botas. Os dois têm vantagem/desvantagens, portanto estude bem onde vai usar e defina.
  9. @Juliana Champi Quando meu filho ia comprar as nossas passagens, deu problema no cartão de crédito, ele ia até o escritório deles em São Paulo e efetuaria o pagamento. A Emirates vende passagem em Reais, mas tinha opção de pagar em dinheiro. Será que essas empresas que você disse não faz o mesmo procedimento de receber no escritório e em dinheiro? Como vc fará o pagamento direto, talvez não incidiria IOF. Mas vc terá que conhecer alguém na cidade que eles têm escritório. Será que eles não vendem via boleto bancário? Se vc ver isso, informe para nós.
  10. casal100

    Cãibras

    @Ariene Dias Essa travessia que vc realizou não é fácil. Muitas subidas e descidas bem fortes(essas que mais dói), aliado ao frio, se a pessoa não estiver com os equipamentos corretos e bem preparados fisicamente, vai sofrer muito com as dores. Em julho/19 fiz um bate/volta Petropolis x Castelos Açu, encontramos um casal retornando próximo da Isabeloca, desistiram no primeiro dia, pois os equipamentos não eram ideais para aquela travessia. Isso acontece muito na montanha.
  11. casal100

    Cãibras

    @Ariene Dias As fortes dores nas pernas podem ser por vários fatores, desde problema de hernia de disco, até desidratação, problema no pé (chato ou cavo), bem como mochila desregulada, excesso de esforço físico, falta de preparo, desiquilibrio, mais um monte de fatores ..as caimbrãa, como o @lobo_solitário disse é remediado por banana...... Eu tenho pé cavo e sofri muito com dores nas pernas, resolvi utilizando tênis adequado. .
  12. @4m4 Complicado mesmo essa questão. Quando fiz a ciudad perdida na Colômbia, usei uma bota, como choveu muito a bota encharcou, foi complicado secá-lá, ela secou após dois dias, só depois que coloquei ela próximo do motor do ônibus, ela ficou ali 4 horas, durante uma viagem, assim mesmo não ficou 100% seca. No Monte Roraima adotei outra postura, seguindo pessoas mais experientes: fui de bota e atravessava os rios com meias de algodão para não escorregar nas pedras, mas choveu e a bota encharcou também. Hoje meus trekkings faço somente com Tênis leve com bom amortecedor, acontece que não carrego mochila pesada, no máximo 12 kgs. Quando atravesso rios, tiro o tênis e atravesso com meias, sempre deixo uma meia molhada fora da mochila quando tem muitos rios para atravessar.
  13. @Edu34 Faço caminhadas longas também. Mas não acampo, por isso outras pessoas aqui podem te ajudar mais. .além da barraca o pessoal usa saco de dormir e isolante térmico .procure comprar uma mochila leve e ergonômica .se for cozinhar, compre fogareiro pequeno e leve. .itens indispensável pra mim: Boné, tênis com bom amortecimento, calça que transforma em bermuda, camiseta manga longa pra proteger do sol, protetor solar, se vc tiver problema no joelho compre bastão (eu não uso), repelente, canivete......
  14. @Gaia Piá manda uma mensagem particular para ele. Vai no seu perfil e clica no ícone e manda pra ele. Sua história vai ser muito boa!
  15. @Gaia Piá Primeiro você cria um tópico aqui, igual vc fez esse aqui ok Posta o seu dia a dia, ou semana.. os preparativos da viagem, os perrengues. ... Aí vc manda uma MP para o Silnei(administrador do mochileiros.com), colocando o link desse tópico e peça a ele para divulgar nas outras ferramentas que ele administra. Com certeza vc terá uma ótima divulgação, e sua história fará muito sucesso. Pois todo mundo quer fazer uma viagem igual a sua. Sucesso aí
  16. @Gaia Piá Não tenho Instagram!sou das antigas.. Mas para quem é mochileiro, será um baita aprendizado acompanhar as suas postagens. Abra um tópico aqui no Mochileiros.com sobre a sua viagem e peça ao Silnei para divulgar sua viagem e suas redes sociais, nas outras ferramentas que dispõem nosso site(Facebook, blog....). Aqui são mais de 700 mil pessoas que conhecerão vc e alavancaram suas postagens lá. E nós aqui vamos incrementar seu tópico. Ok
  17. @Gaia Piá Realmente é muito difícil vender na sua cidade, principalmente se for tímido. Mas vc deu a volta por cima, é isso aí. Vc passou do estagio pra pós sem lenço e documentos.
  18. @Gaia Piá Parabéns pela iniciativa, então o espírito vendedor apareceu e vc está conseguindo fazer dinheiro. Muita sorte no seu caminho!
  19. PICO 3 ESTADOS BATE/VOLTA - ITAMONTE - MG 31° dia - 28.07.2019 - Domingo Saída da casinha fazenda do Pierre, ida até pico dos 3 estados +-18 kms em aprox. 10:08hrs Acumulado total: 306 kms IDA Acordamos bem cedo, arrumamos as coisas rapidamente e começamos a trilha à esquerda da casinha, no inicio subida leve em trilha bem larga, dentro dum bosque, a noite estava bem escura. Depois de 30 minutos chegamos na primeira bifurcação e viramos à direita(como estava escuro dava para ver as plaquinhas reflexivas nas árvores à partir dali). NOTA IMPORTANTE: Cuidado na subida, principalmente nas regioes que tem bambus, pois foram cortados e ficam virados para quem sobe, são pontiagudos, alguns na altura do rosto, quase entrou um no meu olho, poderia perder um, se ele entrasse um centímetro abaixo. Alguns relatos asseguram que não existem bambus desse jeito, mas realmente tem, PORTANTO CUIDADO NOS TRECHOS COM BAMBUS. Na volta os bambus servem de apoio para descer os lugares íngremes. Depois de 01:30hrs chegamos num descampado e seguimos à direita com lindo visual de montanha - 2085msnm, logo a seguir começa subida forte em pedras e terra com mais bambus e capim elefante Após 15 minutos chegamos numa bifurcação e viramos à direita subindo ...mais 2 minutos outra bifurcação viramos à esquerda Mais alguns metros chegamos num mirante e começamos a descer, pouco tempo depois começa outra subida com muitos bambu e capim alto, trecho de trilha com difícil marcação. Obs.: esse trecho tem algumas bifurcações que podem facilmente se perder, siga a trilha mais batida. Chegamos, 02:23hrs - 2160msnm, na base de um Pequeno pico com capim(com uma trilha bem nítida subindo esse pico), seguimos essa trilha e chegamos ao topo. Obs.: apesar da trilha ser bem demarcada, não é essa que leva ao pico dos 3 estados. Funciona assim: Assim que chegar na base desse pico, tem uma trilha que começa à esquerda(tem um pequena árvore do lado direito, é em frente a ela) e logo a seguir tem uma pequena clareira e depois pega trilha com descida forte e muito capim elefante e depois bambus até o vale, começa outra subida e mais a frente uma descida leve, chegamos numa pedra preta, seguimos reto (têm 2 caminhos a esquerda e a direita). Começa outra subida forte, mais descida e subida até o picos dos Ivos (03:45hrs - 2410msnm), começa descida forte escorregadia e capim elefante até vale chegamos numa área de campina e pegamos trilha à esquerda e começa outra subida forte. ..e mais à frente descida forte....aí começa outra subida forte...mais uma descida forte até vale em 04:55hrs - 2370msnm. Aqui começa a última subida até o pico dos 3 estados ...achávamos que era....kk Mais em cima começa outra descida leve e curta, aí sim a ataque final ao pico dos 3 estados. 05:51hrs - 2575msnm. RETORNO O retorno foi bem mais tranquilo, pois diferentemente da Pedra da mina, aqui não tinha piso com pedras soltas, o que facilitou muito. Sem dúvida o visual na volta é muito mais bonito, pois ficamos de frente com as montanhas e o Pn do Itatiaia bem em frente. Chegamos no Ivos com 01:48hrs de caminhada. Continuamos descendo, como já conhecíamos bem o trecho chegamos rapidamente à casinha onde dormimos na fazenda do Pierre 04:17hrs - 1780msnm, pegamos nosso carro que estava embaixo das árvores, descemos pela mesma estrada toda esburacada e logo chegamos a casa do Luciano, onde efetuamos o pagamento, ali resolvemos dormir novamente no Hostel Serra Fina. Passamos num supermercado em Itanhandu e compramos nossa janta. Hospedagem: Hostel Serra Fina, Passa Quatro-mg, ver descrição dias anteriores Na ida não deu pra tirar fotos pois estava muito escuro, aqui uma das inúmeras subidas fortes Esse é o lugar que erramos e muita gente também, pela quantidade de trilhas existentes no topo desse pequeno pico, se notarem bem tem uma trilha subindo, bem batida, aqui sim tem risco de se perder mesmo O céu sem nenhuma nuvem e alguns picos para subir Trecho com muitas pedras e um visual maravilhoso, depois desse topo tem uma descida bem complicada numa laje de pedras Lindo visual da parte alta do PN do Itatiaia Agora é bem fácil, era só descer e subir aqueles picos, logo ali...mas para chegar ali foi bem complicado mesmo, e o sol batendo forte apesar de ser inverno. Aqui já começamos a encontrar o pessoal que estava terminando a serra fina, muitos deles com pouca ou nenhuma água Essa foto não está errada e nem foi tirada na subida da "Misericordia" no Pico da Mina, esse é mais um pico dos inúmeros que subimos para chegarmos ao topo do pico dos 3 estados Alguns trechos complicados em pedras, com calma subimos sem grandes problemas Outro "misericórdia" para subir Agora é "só" descer e subir aqueles morrinhos ali e pronto chegaremos...mas não foi "tão" fácil chegar até lá no topo Chegando ao topo do pico dos 3 estados, e o céu ainda sem nuvens. Outra simples homenagem ao nosso site, ao fundo a parte alta do PN do Itatiaia, com destaque ao pico das agulhas negras Agora voltar tudo de novo, aqui início da descida desde o topo Terminando uma grande subida Esse lugar é simplesmente maravilhoso Agora é só descer Reta final..... Trecho bem arborizado na chegada à Fazenda do Pierre THE END
  20. Quando forem fazer quaisquer caminho, principalmente no Brasil, levar celular e máquinas fotográficas baratas, pouco dinheiro. E sacando aos poucos nas agências bancárias e lotericas pelo percurso.
  21. @joaobr Muito obrigado por compartilhar essa informação. Ajudará futuros peregrinos que farão esse caminho. Uns anos atrás um policial que estava fazendo o caminho num grupo que estava sendo assaltado atirou e matou um assaltante próximo de Pínda.
  22. PICO 3 ESTADOS VIA PIERRE - PREPARAÇÃO 30° dia - 27.07.2019 - Sábado Saída de carro Hostel Serra fina Passa Quatro-Mg e pernoite fazenda do Pierre, 3 kms antes da garganta do registro, base do pico 3 estados. Dormimos até mais tarde, batemos um longo papo com o Felipe, e o Milton, guia da região (já administrou o Camping da base do Pico dos Marins), eles me perguntaram se não íamos subir o Pico dos 3 estados. Respondemos que esse Pico (segundo um relato que tinha lido algum tempo antes), a sinalização era meio confusa, o Milton disse que era de boa fazer esse bate/volta, desde a fazenda do Pierre. Como era sábado, e no domingo, sabíamos que alguns grupos iam terminar a travessia da Serra Fina, na fazenda do Pierre, animamos e mudamos nossos planos (que até então era ir para São Paulo). Despedimos do pessoal, retornamos de novo para Passa Quatro e passamos em Itamonte para consertar o carro(a grade de proteção do motor soltou de novo), foi só apertar uns parafusos), almoçamos selfservice $12 à vontade na saída de Itamonte para o Rio de Janeiro(nesta região tem comida bem barata devido a concorrência). Passamos no Hostel Picus mas estava lotada, depois de uns 2 kms(numa curva à direita (cuidado) tem um estacionamento e um portão) viramos à direita numa estradinha de terra até a entrada da fazenda do Pierre (parece que ele vendeu a fazenda para outra pessoa ) conversei com o responsável(Luciano) e ele me mostrou uma casinha desativada mais acima, uns 2 kms numa estradinha de terra com muitas pedras e buracos, mas devagar chegamos sem problema(no início da trilha para o pico dos 3 estados)(o problema que não tem energia elétrica na casa, e estava abandonada mesmo). Nós fizemos uma faxina na casa e resolvemos passar a noite neste local. A casinha fica no meio de pinheiros, na casa principal (que também está abandonada) que foi do Sargentelli (antigo apresentador de televisão), tem um lindo visual de montanha e um belo pôr -do-sol. Hospedagem: casa abandonada no início da trilha para pico 3 estados, contatar o Luciano na casa na entrada da fazenda, verificar se ainda está alugando. A casinha tem um fogão a lenha, uma cama de casal com colchao bom, banheiro privativo, não tem energia elétrica. Preço: $30 por pessoa sem café da manhã + $20 do estacionamento do carro. Apesar de nao ter energia elétrica, dá pra ficar numa boa, fica no início da trilha a uns 3 kms da rodovia asfaltada. Ou seja, iríamos começar a trilha mais acima. Casa principal que também está abandonada. Outra visão do lugar Visual do pico Picus próximo dali Entardecer, no alto parte da Serra Fina Idem Casinha abandonada num lindo bosque de pinheiros Fizemos uma grande faxina para ficar assim. Detalhe: a cortina da porta do banheiro era tão velha que estava desintegrando, vc colocava a mão nela e ficava com os plásticos nas mãos. Depois de muita dificuldade, conseguimos acender o fogo, por sorte tínhamos óleo e um saco de pipoca, acedemos umas velas e curtimos uma linda noite estrelada comendo pipoca quentinha.
  23. @rafacarvalho33 estive subindo a pedra da Mina ano passado, encontrei com um pessoal que disse que não tá podendo subir sem guia. Procede essa informação?
×
×
  • Criar Novo...