Ir para conteúdo

L.R.H.

Colaboradores
  • Total de itens

    74
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que L.R.H. postou

  1. Olá Luka! Você conseguiu tirar o visto fazendo o envio via correio??? Foi tudo tranquilo? Quanto tempo demorou para concluir tudo? Desde já agradeço a atenção!
  2. Bom... é isso ae pessoal... a parte da Itália acaba por aqui... Espero que possa ajudar alguém a fazer um bom planejamento!!! Qualquer coisa estou à disposição para tirar qualquer dúvida!!! Grande abraço e boas viagens!!!!
  3. 06/06/14 – Sexta-feira – ROMA Para este dia, o último em Roma, não havíamos feito nenhum planejamento especial... Na verdade ficamos este dia a mais apenas porque não encontramos vôo para Dubrovnik na sexta... Acordamos tarde, e acabamos resolvendo ir passear pelo parque da Villa Borghese... Passamos no super mercado, compramos umas frutas, saladas e bebidas, e fomos fazer um picnic no parque. Depois passemos pelo centro, entrando em várias igrejas... No fim da tarde, voltamos para o hotel, e levamos nossas roupas sujas para lavar eu uma lavanderia perto... Na volta, novamente passamos no Super Mercado, compramos comida e fomos para o hotel... 07/06/14 – Sábado – ROMA - DUBROVNIK Aproveitamos para dormir até mais tarde, tomamos café da manhã com calma, e por volta de 11:00 fomos para Termini para pegar o shuttle para o Aeroporto de Fiumicino, para pegar o avião para a Croácia. O shuttle era da empresa TERRA VISION, e custou 6,00 euros. Vimos um pessoal desesperado porque não conseguiu comprar a passagem... Como os ônibus saem lotados, acho bom chegar com antecedência ou comprar as passagens antes. Fizemos o check in, e embarcamos rumo a DUBROVNIK, na Croácia.
  4. 05/06/14 –Quinta-feira – ROMA Acordamos, tomamos o café da manhã e pegamos o metro até a estação do Circo Massimo. De lá fomos a pé até as TERMAS DE CARACALLA... Legalzinho o lugar, mas não julgo imperdível... De lá voltamos a pé para o Circo Massimo, passamos pela Boca della Verità, Teatro de Marcello e subimos na praça do Campidoglio. De lá tem-se boas vistas do Foro Romano. O calor estava muito forte neste dia... Já estávamos ficando muito cansados... Meio que pelo alto da praça entramos para o MONUMENTO A VITTORIO EMANUELLE, cuja entrada era gratuita... Dentro dele havia um museu, mas como era apenas em italiano, passamos bem rápido... O monumento em si é bem bonito, representando a unificação da nação italiana. Vale a visita. De lá seguimos a pé para o PANTHEON. O monumento por fora, exceto pela fachada da entrada, não é muito impressionante, mas seu interior, já muito modificado ao longo dos séculos, é incrível! Com entrada gratuita, achei que valeu muito a pena a visita. De lá pegamos um ônibus e voltamos para Termini, e fomos para o hotel...
  5. 04/06/14 – Quarta-feira – ROMA Para este dia o planejamento era ir ao MUSEU DO VATICANO logo pela manhã, e de tarde ir ao COLISEU e FORO ROMANO. Havíamos comprado o ingresso do Museu do Vaticano pela internet... No site do museu eles dizem que, apesar de custar 4,00 euros a mais comprar pela internet, e ser marcado um horário para a visita, a compra não dá o direito de cortar a fila de entrada, e sim somente a de comprar o ingresso... Quando chegamos, por volta de 08:30, a fila para comprar os ingressos já era ABSURDAMENTE GRANDE... mas, como já tínhamos comprado os mesmos, simplesmente não pegamos FILA NENHUMA!!!!!! Para entrar, também não tinha fila alguma, ou seja, foram 4,00 euros muito bem investidos! Recomendo MUITO comprar antecipado pela internet... Quando saímos, parecia não ter fila também para entrar... apenas para comprar o ingresso... e continuava cabulosamente grande!!!! O Museu é muito bacana. Gostamos muito da parte egípcia, esculturas gregas e romanas, e principalmente das pinturas das várias salas e Capela Sistina. Ficamos por volta de 3 horas nele... Saindo de lá, paramos no MC Donalds para almoçar, antes de pegar o metro e ir para o Coliseu. Chegamos lá por volta de umas 14:00. Se a fila para entrar no Museu de Vaticano era absurdamente grande, a do COLISEU era algo SURREAL... Mas, como tínhamos o Roma Pass, não pegamos fila NENHUMA!!!! Outro dinheiro muito bem investido... Só o fato de não ter que pegar aquela fila debaixo do sol já valeu o valor pago! Ficamos por volta de 01:30 no Coliseu, passeando com bastante calma... No andar de cima havia meio que uma pequena exposição sobre a história do lugar e de como foram feitas as pesquisas para saber como era a utilização e os eventos no mesmo... achei bem interessante... Saindo de lá, fomos para o FORO ROMANO, entrando pela Via di San Gregorio. A entrada do Foro Romano/Palatino já está incluída na bilhete do Coliseu... Tendo em vista que ao entrar, resolvemos tomar a direita, indo para o Foro propriamente dito, deixando o Palatino para o final da visita, uma vez que já estávamos ficando mais cansados... Achei que o Foro tinha poucas placas explicativas nos templos e ruínas... Acabei usando o meu Lonely Planet para ir identificando os templos e sua história... Caso possua um guia impresso, acho uma boa idéia levar para não ficar perdidão... Após o Foro, prosseguimos meio que bem rapidamente pelo Palatino... Era até legalzinho, mas já estávamos bem cansados do resto do dia... Do templo di Apollo Palatino, na extremidade Sudoeste do Palatino, tem-se uma boa vista do Circo Massimo, dando para se ter uma boa idéia da grandiosidade que o Estádio tinha nos tempos de Império Romano. No caminho de volta para hotel passamos no super mercado da Termini e compramos nosso jantar para comermos no quarto.
  6. Pela enésima vez peço desculpas pela demora em continuar a postar o relato... mas vamos ao que interessa!!!!! 03/06/14 – Terça-feira – ROMA Para este dia planejamos ir à BASÍLICA DE SÃO PEDRO, CASTELO DE SANT’ANGELO e outros “pontos de oportunidade” que fossem aparecendo... Tomamos café e saímos bem cedo para chegar logo ao Vaticano para não pegar fila. Na estação de Termini, compramos o ROMA PASS por 36 euros cada. Pegamos o metro e chegamos à basílica. Tinha uma fila muito pequena para passar no detector de metais. Não ficamos mais de 10 minutos (ainda bem, porque o sol já estava forte). Dentro da basílica estava cheio, mas nada demais... Deu para passear com calma apreciando bem o ambiente... Na saída resolvemos subir no DOMO. Há a opção de subir tudo de escada, e uma que deixa no meio do caminho de elevador e somente a cúpula mesmo de escada... Como a diferença era só 2,00 euros, fomos de elevador mesmo (para evitar a fadiga!!!! Rsrsrsrsrs)... Pagamos 7,00 euros... A vista é muito animal! Achei que valeu a pena! Saindo da basílica, ficamos um pouco na Praça de São Pedro, fomos descendo pela Via da Conciliação em direção ao Castelo de Sant’Angelo. Aproveitamos para fazer um lanche-almoço... Usamos o Roma Pass (usamos como uma das 02 entradas gratuitas que o cartão permite... A outra que usaríamos seria a do Coliseu) para entrar no Castelo, que não tinha absolutamente fila nenhuma. Foi legal o passeio... Incrível ver como uma estrutura projetada e construída na época do Império Romano ainda está lá, firme e forte! As salas reformadas pela Igreja Católica também estão muito bem conservadas e bonitas... Saindo do Castelo, resolvemos ir para a PIAZZA NAVONNA, ficando um tempo lá, tomando um gelatto e curtindo o movimento... Atravessamos a Ponte Sant’Angelo, que é bem bonita e com menos de 5 minutos chegamos à praça. Tomamos nosso gelatto, ficamos curtindo os artistas de rua, apreciando as esculturas das fontes e tentamos ver se dava para visitar a Embaixada do Brasil, que só abre para visitas para cidadãos brasileiros nas quintas feiras (em outra viagem que fiz a Roma, fiz a visita, garanto que se houver oportunidade, vale muito a pena!!! O Palácio, repleto de obras de arte, é realmente incrível). Antes de partir, resolvemos passar na Igreja de Santo Agostinho, que fica fora da praça, mas meio que na sua “quina” nordeste. Se tiver tempo, vale a visita, com pinturas como Nossa Senhora dos Peregrinos de Caravaggio e alguns dos Profetas de Raffaello. De lá resolvemos ir descendo a pé até o Coliseu, sem intenção de entrar nele... A idéia era ir passeando pela cidade e lá pegar o metro para Termini. No caminho vimos por fora o Monuento a Vittorio Emanuele II, e uma parte do Foro. Ficamos do lado de fora do Coliseu dando uma olhada... Infelizmente o Arco di Costantino estava em reforma, todo rodeado por andaimes... Voltamos já bem cansados para o hotel. No caminho compramos nosso jantar e comemos no hotel mesmo.
  7. 02/06/14 – Segunda-feira - SIENA – ROMA Acordamos cedo, e para nossa surpresa, sem água quente de novo... Fui reclamar na recepção, e ficaram de me fazer um reembolso no cartão de credito (o qual estou esperando ate hoje!!!!)... Tomamos café da manhã, fizemos uma hora e fomos para a Piazza Gramsci para pegar o ônibus para Roma. Compramos a passagem (24 euros cada) na hora mesmo, meio que no subsolo da praça... Após um pequeno atraso, o ônibus apareceu, na plataforma 3. Embarcamos e após 3 horas chegamos em Roma, no terminal rodoviário de Tiburtina. Atravessando a avenida, chega-se na estação ferroviária de Tiburtina, a qual tem também o metrô. De lá pegamos um metrô para a estação de Termini, perto do nosso hotel. A estação de Termini, a maior de Roma, é bem estruturada, e tem várias lojas, restaurantes e um super mercado. Compramos um lanche e partimos para o hotel. Fizemos o check-in, tomamos um banho e demos uma relaxada. Por volta de umas 4 da tarde, resolvemos dar uma volta pela cidade. Fomos de metro até a estação Flaminio, com o interesse de ir na PIAZZA DEL POPPOLO. A praça é bem legal, cheia de gente e artistas de rua... Logo na entrada, do lado esquerdo, fica a Basílica de Santa Maria Del Popolo, onde estão duas obras de Caravaggio (A Crucificação de São Pedro, e A Conversão de São Paulo). De lá subimos uma escadaria perto da igreja que vai dar em uma praça no alto, meio que na imediação com o Parque da Villa Borghese... A vista da Piazza del Popolo e do resto da cidade era bem legal... valeu a subida... Descemos e fomos descendo pela Via Del Babuino até a PIAZZA DI SPAGNA... Chegando lá, ela estava meio que em reforma, cheia de tapumes... Como as escadarias estavam muito cheias (sem espaço nenhum para sentar... só uns poucos caminhos para quem estava subindo ou descendo), acabamos resolvendo passar direto, e seguir até a FONTANA DI TREVI. A fonte realmente é incrível apesar de estar sempre lotada de turistas... Ficamos por volta de uns 40 minutos ali, buscando os melhores lugares para tirar fotos, e curtindo o lugar também... De lá voltamos a pé para o hotel (uns 40 minutos de caminhada), aproveitando para curtir a cidade... No caminho jantamos...
  8. Mirian e José... acabei de enviar a planilha para vocês dois!!! Chequem se chegou certinho o arquivo... espero que ajude no planejamento!!!! Abraço e boa viagem!!!!
  9. 01/06/14 – Domingo – PISA - SIENA Acordamos cedinho para pegarmos o trem para Siena. Na verdade o trem não vai direto para Siena. Tivemos que pegar o trem de Pisa para Florença, descer em Empoli, e ali, após uns 5 minutos pegar o trem para Siena. Foi bem tranqüilo fazer esta conexão. Para quem vai direto de Florença para Siena, a melhor opção é pegar um ônibus no terminal rodoviário que fica logo ao lado da estação de trem de Florença... Chegando na estação de trem de Siena, para ir para o centro da cidade deve-se pegar um ônibus. Para pegá-lo, ao sair da estação de trem, deve-se entrar em uma espécie de shopping em frente à saída e ir seguindo as placas... Tem que ir subindo as escadas rolantes e ir confiando... É muita escada mesmo!!! No final chega-se em uma rua bem no alto... Deve-se atravessar a rua e então pegar o ônibus (ônibus indo para o sentido esquerdo de quem acabou de sair do shopping). Chegamos ao hotel, fizemos o check in e partimos para explorar a cidade... Siena foi bem bacana... O centro é todo fechado para veículos, o que deixa a atmosfera do lugar bem bacana... Paramos para almoçar, e quando voltamos para a rua estava rolando uma espécie de procissão... Era um pessoal com bandeiras e instrumentos de percussão... Foi bacana... Fomos seguindo pelas ruas até chegarmos no Il Campo, que é a famosa praça da cidade, onde ocorre a tradicional corrida de cavalos Il Palio. A atmosfera da praça é muito bacana, cheia de gente e com um visual incrível! Acabamos nos deitando no chão, relaxando e curtindo o local... Depois tomamos um sorvete e continuamos a passear pelas ruas... Fomos até o Duommo... Como já era perto de 18:00, o mesmo já estava fechado, porém por fora já valeu a ida... muito bonita a catedral! De lá acabamos voltando para a região perto do hotel... Ouvimos uma música clássica ao fundo e fomos seguindo o som... Estava rolando um concerto de uma igreja na Piazza La Lizza, logo ao lado da Piazza Gramsci, que é meio que a “rodoviária” da cidade, mas muito arrumadinha... Ficamos curtindo um pouco e como estávamos quase que do lado, resolvemos conferir a Fortezza Medicea. Esta antiga fortaleza hoje meio que virou um pequeno parque, bem arborizado e com bonitos jardins... Demos meio que uma volta pela muralha, onde se tem boas vistas da cidade... Achei que valeu a pena... De lá procuramos um lugar para jantar e voltamos para o hotel... Fomos tomar banho, e para nossa surpresa, não havia água quente... A recepção não era 24 horas e já não havia ninguém lá... Tentei ligar para um número de telefone que tinha no balcão e ninguém atendia... Enviei um e-mail para o hotel, explicando a situação, na esperança de que talvez alguém viesse auxiliar... Tomamos um “banho de gato” e fomos dormir...
  10. Olá Mirian! Muito obrigado... ainda estou acabando de postar o relato... está meio corrido este começo de ano, e por isto estou colocando aos poucos... Então... quanto aos custos, excluindo as passagens aéreas, gastei na Itália um total de 2.285,00 euros... Se você quiser, posso te passar a minha planilha de excel, na qual que coloquei discriminado exatamente TUDO o que gastei... Eu tentei anexar ela no relato, mas parece não ser permitido pelo site... Se você quiser, posso enviar via e-mail... Grande abraço, e ótima viagem!
  11. 31/05/14 – Sábado – FLORENÇA – PISA- LUCCA – PISA Após o café da manhã, pegamos as mochilas e partimos a pé para a Estação de Trem. Pegamos o trem regional para Pisa Centrale por volta de umas 09:50 (há saídas a cada 20 minutos, custando 7,40 cada). Após 01:00 chegamos a Pisa Centrale, que estava bem cheia... Como nosso B&B era bem perto da Piazza del Miracoli, resolvemos partir para lá de ônibus... Compramos o ticket na tabacaria e fomos para o ponto, que fica do outro lado da rua de quem sai da estação, em frente a um hotel (se não me engano, Novotel). O ônibus que passa na região da Piazza Del Miracoli (onde fica a torre) é o LAM ROSSA (vermelho). Fomos para o B&B, deixamos nossa bagagem e fomos almoçar. Na sequência fomos para a Piazza Del Miracoli para ver a torre... Não sei se foi devido ao fato de ser por volta de 13:00 em um sábado, mas a praça, apesar de ser bem grande, estava absurdamente cheia... era difícil até de tirar fotos... Ficamos um pouco lá, e resolvemos não entrar nem no batistério, nem no Duommo, tampouco na torre. A multidão estava realmente incômoda... Resolvemos partir para a Estação para seguir para LUCCA. Há trens a cada 30 minutos a 3,30 euros. A viagem deu por volta de uns 30 minutos... Chegando na estação fomos seguindo o fluxo das pessoas e facilmente achamos a entrada das muralhas para o interior da cidade... Lucca é uma cidade realmente adorável, bem tranquilinha... Nossa idéia inicial era alugar umas bicicletas para explorar as muralhas, mas acabamos resolvendo passear a pé pela cidade mesmo... Foi bem tranquilo passear a pé... Fomos passeando pelas ruas, parando em várias praças e igrejas, chegando até a Piazza Anfiteatro. A partir daí começamos a voltar bem devagar... Paramos em uma praça para almoçar (meio tarde já) e curtir o tranqüilo movimento da cidade... Quando o sol começou a baixar voltamos para a estação e pegamos o trem para Pisa. Voltamos a pé para o B&B. Fomos por um caminho diferente, passando pela Piazza Del Cavalieri, o que foi bem legal, uma vez que a rua estava fechada para carros e cheia de pessoas... Demos uma passada na Piazza Del Miracoli que finalmente estava vazia e mais tranqüila. Jantamos e fomos dormir.
  12. 30/05/14 – Sexta Feira - FLORENÇA Após o café da manhã partimos direto para o domo do Duommo, uma vez que nosso ingresso expirava 11:00. Chegamos umas 10:20 e tinha uma fila entre razoável para pequena... o problema é que ele não andava praticamente nada... Perto de 10:50, conseguimos entrar. As escadas são mais longas que as do Campanário e bem mais apertadas e abafadas, mas a vista lá do alto vale a pena. Além da vista, um dos pontos altos é a pintura do domo, com cenas do Céu e Inferno... Tudo bem "ameaçador"... Olhando as pinturas lá de baixo, na visita à igreja, elas já são bem bacanas... De perto então, nem se fala... O tamanho real delas assusta, principalmente percebendo-se que o artista conseguiu manter a proporção em tudo... Muito bacana mesmo. Após sairmos do Duommo, resolvemos ir na Galeria de La Academia. Não havíamos feito reserva on line, pois não tínhamos certeza se iríamos nela... resultado, pegamos uma fila de uns 30 minutos... Pagamos 6,50 euros na entrada... Nosso interesse em ir à galeria era ver o DAVID de Michelangelo. A escultura é realmente incrível! Valeu cada centavo!!! Há ainda outras esculturas e pinturas no museu, mas não tão impressionantes como as da Ufizzi... Gostamos também da escultura-esboço do Rapto de Sabine (a obra final e original fica exposta na Loggia della Signoria). Dentro da galeria não eram autorizadas fotos, sendo bem fiscalizado... Várias pessoas estavam tomando esporro!!!! Saindo de lá, resolvemos dar uma conferida na Santa Croce. No caminho aproveitamos para fazer um lanche. A igreja é bem grande, tendo em seu interior os túmulos de grandes celebridades, como Galileu, Maquiavel, Dante e outros... O interior é bonito, mas nada demais... Acho que se estiver com o tempo apertado dá para ser ignorada... Achei caro o valor para a entrada (6,00 euros). Saindo de lá resolvemos tomar um gelatto e eis que começou uma chuva forte e fria... Fomos para o Palácio Vecchio para nos abrigarmos. Quando a chuva passou, fomos ao mercado e compramos nosso jantar para o quarto e voltamos para o hotel. No dia seguinte iríamos embora de Florença.
  13. 29/05/14 – Quinta Feira – FLORENÇA Para este dia havíamos planejado visitar o Duommo (catedral), tentando subir o campanário ou o domo, e visitar a Galeria Ufizzi (já havíamos comprado os ingressos pela intenet, só havendo o horário de 13:15 para tal). Acordamos e após tomar o café já partimos para visitar o Duommo. Chegamos por volta de umas 09:30 na praça onde fica a catedral. Logo que chegamos, havia uma fila média para entrar... Ficamos um pouco assustados, mas não demorou mais que uns 15 minutos... Foi até bom para ficarmos apreciando a fachada da igreja que é muito bem decorada e bonita... A entrada na Igreja é gratuita, devendo-se pagar 10,00 euros caso queira subir no campanário, no domo e visitar o batistério e a cripta (01 ingresso para as 04 atrações junto – o Museu estava em reforma...). Deixamos para comprar o ingresso quando saíssemos da igreja, uma vez que o mesmo tem duração para exatas 24 horas... No fim da visita à igreja, descemos na Cripta, onde compramos o ingresso conjunto, sem pegar ninguém na fila... Sinceramente não vi nada demais na cripta, mas como já estava incluído no ingresso, demos uma volta de uma 10 minutos e saímos... Já era perto de 11:30... Como nosso ingresso para a Ufizzi era para 13:15, resolvemos visitar logo o batistério, que é menor, e na sequência ir para a Ufizzi, deixando o campanário ou o domo para mais tarde. O BATISTÉRIO é muito bonito... Sua decoração interna é praticamente toda de mosaicos em estilo bizantino... Bem bacana mesmo... Valeu muito a visita! Lá detntro estava rolando uma exposição de 03 esculturas de profetas de Donatello. Apesar de o Batistério ser bem pequeno, ficamos entre uns 30 a 40 minutos lá dentro apreciando os mosaicos e esculturas... Como vimos que o tempo estava meio apertado para um almoço, resolvemos tomar só um gelatto mesmo e de lá partimos para a Ufizzi, chegando com uns 10 minutos de caminhada, por volta das 12:40. Na Ufizzi exitem 02 filas... Uma para quem comprou o ingresso pela internet, e outra para quem compra na hora... A fila para quem compra na hora não estava muito grande, mas deu para ver que ela andava ABSURDAMENTE devagar... Desta forma, eu recomendo bastante comprar antecipadamente o ingresso pela internet, para poupar tempo... Quem compra pela internet deve levar o voucher na bilheteria de número 3 e trocar pelo ingresso. Fizemos isto, e apesar de estar um pouco adiantado, a atendente disse que já poderíamos prosseguir para a entrada... Praticamente não havia fila para quem tinha a reserva on line, e acabamos entrando por volta de 12:50, 25 minutos antes, sem ficar mais que 1 minutor em uma "micro" fila. A galeria é bem bacana... As obras são no geral expostas em ordem cronológica, o que faz perceber o quão impressionante foi o Renascimento... É incrível ver o salto na qualidade das obras de Giotto comparadas com seus antecessores... Já o Médio e Alto Renascimento, dispensa comentários... A Sala de Botticelli é bem grande e bacana, tendo destaque O Nascimento de Vênus... Tem ainda a Anunciação de Da Vinci, Retrato de um Velho de Caravaggio, algumas de Rafael, etc... Enfim... VALE MUITO A VISITA... eu diria que é IMPERDÍVEL!!! Gastamos por volta de umas 03:30 lá dentro. Saindo da Ufizzi resolvemos ir para o Campanário apenas, deixando o domo para o dia seguinte. A vista é bem legal e não cansa muito a subida... A parte final da escada é um pouco apertada, mas dá para ir bem sossegado... Depois do Campanário almoçamos/jantamos na Piazza de La Signoria, e depois voltamos passando pela Ponte Vecchio indo no super mercado logo a sudeste da mesma. Compramos uma comidas para jantar no quarto mais tarde.
  14. 28/05/14 – Quarta Feira – VENEZA – FLORENÇA Acordamos, tomamos o café da manhã no quarto com o que tínhamos comprado no super mercado no dia anterior. Fizemos o check out no hotel e fomos para a estação de mestre. Como havíamos comprado o bilhete pela internet e não era um trem regional (havia os lugares selecionados), não havia necessidade de validar os tickets. Bastou apenas que ocupássemos os lugares previstos e, quando o funcionário passou conferindo os bilhetes, mostramos o papel impresso. Chegamos antes do almoço em Florença, e fomos caminhando para o hotel (uns 20 minutos com as mochilas). Fizemos o chek-in, tomamos um banho, deixamos as malas e partimos para passear. No caminho aproveitamos para almoçar às margens do Rio Arno. De lá seguimos até a Piazza de La Signoria. A praça por si só já é bem legal, sendo bem grande, com vários cafés em volta e o Palácio Vecchio em uma de suas pontas. Meio que de frente dele fica a Loggia de La Signoria, com várias esculturas incríveis! Mesmo algumas não sendo as originais, vale muito a visita, principalmente porque é gratuito!!!! Ficamos um tempo bom lá (acho que 01 hora), curtindo a praça e as esculturas. De lá passamos pela Ponte Vecchio, e na sequência fomos para a Piazza Michelangelo, que, por ser um dos pontos mais altos da cidade, tem uma vista muito bonita... Queríamos ver o por do sol, mas como este só ocorreria ãs 20:45, ficamos até umas 19:30 apenas... Valeu a visita... Lugar legal para ficar curtindo tomando um sorvete e conversando sentado em um banco ou na escadaria mesmo. De lá procuramos um lugar para jantar, e de lá fomos para o hotel.
  15. 27/05/14 – Terça-feira – VENEZA Finalmente acordamos bem descansados!!!!! Nada como uma boa noite de sono! Fomos tomar nosso café da manhã na estação de Mestre. Compramos nosso bilhete para Veneza nas máquinas de auto-atendimento. Com uns 10 minutos de viagem já estávamos na estação de Veneza Santa Lucia. Já saindo da estação, a vista é encantadora!!! O Grande Canal, como se fosse uma avenida, com um vai e vem de barcos, e várias pessoas andando nas calçadas... Incrível!!! Resolvemos dar um pouco de gás para chegar à Piazza de San Marco, uma vez que havia lido que ficava muito cheia... Não fomos com muita pressa, mas tbm não muito devagar... A idéia era visitar logo ela, e depois ficar passeando pelas ruas de Veneza com bastante calma. Há várias placas nas ruas da cidade, mas mesmo assim você acaba se perdendo... e isso é bem legal!!!!! Parece um labirinto!!!! Você vai caminhando crente que na rua vai ter uma saída, ou uma pontezinha, e dá de cara com uma parede, ou um canal!!!! Fica até engraçado!!!!! Acabamos chegando na Piazza San Marco por volta de 10:30... Estava cheia, mas não “transbordando” de gente. Queríamos entrar na Basílica de San Marco... Já tinha lido no Lonely Planet que é proibido entrar com mochilas, e que em uma rua do lado pode-se deixar a mesma gratuitamente por até 01 hora. Logo do lado da porta de acesso à Basílica há um painel mostrando a localização do lugar para guardar a mochila. Deixamos lá e fomos para a fila... A mesma não estava muito grande... Não deu mais do que 10 minutos de espera (durante o decorrer do dia passamos ali outras vezes e não vimos a fila muito maior...). No Lonely Planet também dizia que não podia entrar com bermuda ou os ombros de fora, mas não vimos ninguém sendo barrado por causa disto... Na verdade, vi um pessoal entrando de bermuda sem problema algum... Para o pessoal com os ombros de fora na entrada eles fornecem tipo um pano para a pessoa se cobrir. O interior da Basílica é muito bonito... Tendo sido inspirado na Igreja dos 12 Apóstolos de Istambul, lembra bastante a Aya Sophia, com mosaicos em estilo bizantino... Valeu a visita. Saindo de lá, resolvemos comer e dar uma descansada antes de voltar a passear. Após comermos um sanduíche em um café um pouco mais afastado da Piazza de San Marco (que é absurdamente cara), voltamos para a mesma, para subir o Campanário. O bilhete custou 8,00, sendo a subida de elevador... Apesar da vista ser muito bonita de lá, achei que não valeu o preço... Impressão pessoal... De lá resolvemos partir para o Palácio Ducalle. A entrada custou 12,00 euros... Caro, mas achei que valeu cada centavo... Repleto de obras de arte, e salões bem luxuosos, achei a visita imperdível!!! Gastamos umas 3 horas lá dentro... Na saída resolvemos tomar um gelatto ali na própria Piazza San Marco... Enquanto saboreávamos o sorvete, no café do lado da sorveteria alguns músicos começaram a tocar... Ouvimos algumas músicas de Vivaldi e para fechar o repertório, Nessum Dorma!!!! Ah... imperdível!!!! Pagamos apenas com calorosos aplausos!!! Nesta hora resolvemos fazer o passeio de gôndola... O primeiro lugar que procuramos era meio que de frente ao Palácio Ducalle... O preço era de 80,00 por 40 minutos. Ficamos tentando pechinchar e nada... Todos os gondoleiros diziam a mesma coisa... que o preço era tabelado por toda a cidade e que eles não poderiam fazer mais barato... Tentei ver se podia fazer um passeio de 20 minutos por 40,00 e novamente não obtive sucesso... Resolvemos tentar dar uma procurada em algum canal mais para dentro da cidade... Em um canal, perguntei a um gondoleiro se ele poderia fazer os 20 minutos pelos 40,00, e ele disse que não, mas que poderia fazer os 40,00 por 60,00... Ainda achei caro, mas como sabia que não voltaria tão em breve a Veneza, resolvemos fechar por este preço... O passeio foi legal... o cara foi passando por vários canais menores, cruzando pontes, e meio que na metade, foi até o grande canal, cruzando até a Ponte Rialto... Mesmo sendo um pouco caro, achei que valeu a pena... Se tiver o dinheiro, aconselho a fazer o passeio... principalmente se estiver com mais pessoas (o preço é rateado e fica mais em conta!) Começamos a dar uma passeada ao longo da calçada ao sul da Piazza San Marco quando começou a cair uma chuva forte... Ficamos em baixo de uma marquise por mais ou menos uns 30 minutos, quando a chuva deu uma enfraquecida... Jantamos pizzas, passamos em um super mercado para comprar água e nosso café da manhã do dia seguinte... Voltamos para a Estação Santa Lucia, para pegarmos nosso trem para Mestre. Desde este momento já ficamos com saudade desta cidade incrível... Um dia a mais teria caído muito bem...
  16. 26/05/14 – Segunda Feira – MILÃO – VERONA – VENEZA O planejado para este dia era chegar em Verona, deixar as mochilas no guarda-volumes da estação e sair para explorar a cidade, indo de tarde para Veneza. Acordamos bem cedo, ainda cansados, fizemos o check-out, tomamos nosso café da manhã no Mc Café da estação e pegamos o trem para Verona... Após umas 02:00, chegamos na estação de Verona, e como planejado, deixamos as mochilas (6,00 por volume... Caro!!!!!!). Olhamos os horários dos trens para Veneza, para podermos controlar nosso passeio... Decidimos que pegaríamos o trem das 15:36... Pegamos então o ônibus para ir da estação para o centro de Verona... A distância não era muito grande (pelo GPS, deu uns 2 km), acho que dá para ir a pé tranquilamente... Mas preferimos ir de ônibus mesmo... Descemos na Piazza Bra, onde já fica a Arena Romana, um antigo Anfiteatro Romano, do Secúlo I A.D. Muito bonito e bem conservado... Eu já tinha lido no Lonely Planet que nas segunda-feiras as atrações de Verona ficam fechadas de manhã... Dito e feito... Fomos então passear pela cidade, e decidimos voltar às 13:30 para a Arena. Fomos caminhando pela Via Mazzini até a Piazza Erbe... A cidade é bem legal.... A Piazza Erbe é bem maneira... rola uma feirinha nela com artesanato e comidas italianas. Demos uma volta nas redondezas, passando pela Piazza Signori, Casa de Julieta, e por fim voltamos para a praça, onde fizemos um lanchinho comprado na feira aos pé de uma escadaria. De lá fomos até o Castelo Vecchio, atravessamos o seu interior e a ponte, apreciando a vista do rio do outro lado... Voltamos para a Arena Romana e desta vez entramos na mesma... Achei até legal o interior, mas sinceramente achei que não valeu o preço (8,00 por pessoa)... Pegamos o ônibus na mesma rua onde descemos mais cedo (do lado oposto), voltando para a estação Central. Compramos os passagens para Veneza Mestre para 15:36. Nosso hotel não era em Veneza propriamente dita... Ficamos em Veneza Mestre, que é a cidade logo antes de Veneza, no continente... Como planejamos e fizemos as reservas com menos de 3 semanas, os preços dos hotéis disponíveis em Veneza estavam extremamente caros (tipo 90 euros para um quarto com várias camas e com banheiro compartilhado)... Resolvemos pegar um hotel bem perto da estação de Mestre, que tem trens praticamente a cada 10 minutos para Veneza, ao preço de 1,25 euros... No final, achei que foi uma ótima escolha.... Chegamos em Veneza Mestre por volta das 17:40. Fomos caminhando para o hotel... Apesar de ele ser bem perto da estação, o cansaço já era grande... Não havíamos descansado bem desde nossa saída do Brasil... Nossa idéia inicial era tomar um banho e partir para Veneza para jantar por lá... Como estamos mortos, resolvemos ficar por Mestre mesmo... Após tomarmos um banho e dar uma leve relaxada, procuramos algum restaurante nas redondezas do hotel.... Achamos todos caros (média de uns 18 euros por prato, sem as bebidas)... E adivinha o que “jantamos”??? Sei que não tem nada a ver com Itália, mas acabamos de novo no Mc Donalds da estação... rápido e barato... rsrsrsrs... Conseguimos ir para a cama umas 21:00.
  17. 24/05/14 – Dia 01 – Chegada em Milão Praticamente o dia inteiro foi de viagem. Chegamos em Londres do vôo de Guarulhos por volta das 7:00 local. Nossa conexão era somente 14:50... Ou seja... Chá de aeroporto... ãã2::'> Depois de ficar sentado, caminhar, ficar sentado, caminhar de novo, encontrar um antigo professor no aeroporto, fazer um lanchinho, chegou a hora do vôo, que acabou saindo com um atraso de uns 30 minutos. Chegamos em Milão, no aeroporto de Malpensa, e foi bem tranqüilo passar pela imigração e pegar as bagagens... Tudo muito eficiente. Procuramos o ônibus para ir para a Estação Central de Milão, o qual ficava logo na porta número 4. Compramos com o motorista o bilhete, que custou 10,00 euros para cada (o trajeto é relativamente longe, por volta de 01 hora). Tinha a opção de ir de trem também, mas que sai com menor freqüência... Preferimos o ônibus para poder já ir vendo a cidade, e por já ter um saindo logo. O ônibus nos deixou logo do lado da Estazione Centrale. Dali fomos para o hotel a pé... era bem perto. Estávamos extremamente cansados... Tomamos um banho e fomos jantar no Mc Donalds do lado da Estação... Eu sei que é quase um “crime” isto, mas estávamos mortos de cansados, sem um pingo de paciência de procurar um restaurante e ficar esperando comida, etc... Voltamos rápido para o hotel e fomos dormir. 25/05/14 – Dia 02 – Domingo – MILÃO – LAGO DI COMO – MILÃO O objetivo deste dia era conhecer o Lago di Como, ao norte de Milão, perto da fronteira com a Suíça. A idéia era deixar para passear em Milão na volta, no fim da viagem... Acordamos cedo, e saímos do hotel por volta de 09:00. Pegamos o metro na estação bem pertinho dele e fomos para a estação CADORNA, de onde sai o trem para COMO. Tinha umas máquinas de comprar os bilhetes, mas acabamos preferindo comprar em uma tabacaria na estação mesmo. Pagamos 4,50 euros em cada bilhete... No total foram 04, sendo 02 idas e 02 voltas. Compramos nosso café da manhã na estação de trem mesmo... Com aproximadamente 01 hora de viagem o trem chegou na estação de Como... Não me lembro bem o nome completo da estação, mas além de ser a última, tem o nome “Nord” nela... Algo do tipo Como Lago Nord... Na dúvida, é a última... Logo que se desce, já se dá de cara com o lago em meio às montanhas... Vista bem legal... Da estação saímos para explorar o lago pelo lado direito... Fomos para este lado pois era o lado da Furnicular, a qual queríamos subir... Chegando na porta da mesma, uma decepção... A furnicular estava em manutenção todo o mês... Bom... fomos então continuar nossa caminhada... Fomos seguindo a margem no mesmo sentido... Confesso que estava achando legal a vista por onde íamos andando, mas estava “levemente” frustrado... esperava algo a mais... Chegou uma hora que não dava mais para seguir, tipo uma rua sem saída... Fizemos então o sentido inverso... Começamos a ouvir uma música clássica... fomos então indo em direção a ela... Após cruzar a estação de trem, vimos que o calçadão para o outro lado era muito mais arrumado... Ahhhhhh... Agora sim o lugar estava fazendo jus a tudo o que ouvimos!!!!! O calçadão tem várias praças, todas muito bonitas, e a vista das montanhas vai ficando cada vez melhor também... Assim que chegamos em uma das primeiras praças, estava acabando a apresentação de música clássica que havíamos ouvido... Continuamos caminhando ao longo do lago, parando em vários bancos à sombra para descansar e apreciar a vista... Foi tudo muito agradável! Fizemos um lanche em uma lanchonete com uma vista muito bacana! Na volta para a estação, resolvemos explorar um pouco a cidade... Entramos na Catedral, a qual é magnífica!!!!! Várias estátuas renascentistas, lindos vitrais e obras de tapeçaria... Tudo muito bacana. Demos mais uma volta na cidade e resolvemos voltar para Milão umas 17:00. Na chegada, resolvemos ir caminhando até a Duommo para ver o movimento da cidade... Logo ao lado da estação de Cadorna, fica o Castelo Sforzesco. Passamos pelo meio dele e de lá seguimos para o Duommo... Para um domingo a tarde/noite, a rua estava bem movimentada... Na Piazza do Duommo estava sendo preparado o palco para uma apresentação da Orquestra Filarmônica!!!! Pena que a apresentação não seria neste dia... Fiquei imaginando poder assistir a este espetáculo ali de graça, com aquele cenário... Fica para a próxima... Apreciamos um pouco a catedral por fora (já estava fechada para entrada), entramos na Galeria Victorio Emanuelle, e voltamos para a região do hotel. Compramos as passagens para Verona para 08:30 no dia seguinte, jantamos em um restaurante com uma comida muito boa e relativamente barata... O nome era Niko`s, bem perto do hotel, na região da estação. Deixamos as mochilas “pré-prontas” para o dia seguinte e fomos dormir.
  18. Fala ae galera mochileira!!!! Este relato é da viagem que fiz com minha esposa para Itália, Croácia e Hungria em Maio e Junho de 2014. Antes de mais nada, peço desculpas pela demora em escrever e publicar o relato, mas não acredito que as informações estejam muito desatualizadas, tendo em vista que a viagem foi há menos de um semestre... Neste ano já tínhamos planejando ir para a Tailândia, Camboja e Vietnam (passagens já até compradas), mas devido a uma troca de emprego da minha esposa, tivemos que cancelar nosso planos e tivemos só 3 semanas antes do embarque para programar nossa viagem... Começamos a pesquisar passagens baratas e achamos uma promoção relâmpago da British Airways para Milão, sendo a ida e volta por U$800,00!!!!! Não pensamos duas vezes... compramos logo e começamos a montar o roteiro a partir desta cidade... Após pegar muitas informações aqui no Mochileiros.com e no Lonely Planet, fechamos o roteiro, que ficou assim: Dia 1 – 23/05 – Saída do Brasil para Milão Dia 2 – 24/05 – Chegada em Milão (fim da tarde) Dia 3 – 25/05 – Milão – Lago di Como - Milão Dia 4 – 26/06 – Milão – Verona – Veneza Dia 5 – 27/06 – Veneza Dia 6 – 28/05 – Veneza – Florença Dia 7 – 29/05 – Florença Dia 8 – 30/05 – Florença Dia 9 – 31/05 – Florença – Pisa – Lucca – Pisa Dia 10 – 01/06 – Pisa – Siena Dia 11 – 02/06 – Siena - Roma Dia 12 – 03/06 – Roma Dia 13 – 04/06 – Roma Dia 14 – 05/06 – Roma Dia 15 – 06/06 – Roma Dia 16 – 07/06 – Roma – Dubrovnik (Croácia) Dia 17 – 08/06 – Dubrovnik Dia 18 – 09/06 – Dubrovnik - Zadar Dia 19 – 10/06 - Zadar Dia 20 – 11/06 – Zadar - Plitvice Dia 21 – 12/06 – Plitvice - Split Dia 22 – 13/06 – Split Dia 23 – 14/06- Split – Roma – Budapeste (Hungria) Dia 24 – 15/06 – Budapeste Dia 25 – 16/06 – Budapeste Dia 26 – 17/06 – Budapeste Dia 27 – 18/06 – Budapeste – Milão (Itália) Dia 28 – 19/06 – Milão – Brasil Para fins de organização, neste post vou colocar o relato apenas da parte da ITÁLIA... A parte da Croácia e Hungria fica nos seguintes: Tendo em vista que cada pessoa tem seu estilo de viajar, vou fazer algumas considerações quanto ao nosso estilo de viagem bem como o que eu achei válido, e o que trocaria em uma nova oportunidade na viagem. CONSIDERAÇÕES: ESTILO DE VIAGEM: Este foi o quinto mochilão que fiz com minha esposa. No geral, nosso estilo de viagem é mais cultural, buscando visitar sítios arqueológios ou pontos históricos das localidades, além de buscar vivenciar ao máximo a cultura dos locais... Não temos o costume de ficar pegando baladas durante a viagem por acabar comprometendo os passeios do dia seguinte... Tempo é dinheiro!!!! TEMPO NAS LOCALIDADES: em geral, buscamos otimizar o tempo em cada lugar, sem ficar demorando além do necessário em cada cidade, e nem ficar aquele passeio corrido demais... No geral, achei que acertamos satisfatoriamente nossa escolha, porém faria 02 alterações. VENEZA - Ficaria 01 dia a mais. Logo que descemos da estação de trem, já ficamos tão encantados com a cidade, que percebemos que merecia um dia a mais... Mas para quem estiver com o tempo corrido, 01 dia inteiro de passeio dá para aproveitar e conhecer os principais pontos da cidade... Não ficou corrido... Conseguimos ver tudo o que queríamos, mas 01 dia mais para passear aleatoriamente pelos canais teria sido bom. ROMA – tiraria 01 dia... A cidade é muito legal, com muitos prédios históricos... Mas a cidade é muito grande, ou seja, o trânsito está sempre muito denso, as pessoas estão mais na correria e sem paciência... Enfim... No último dia, já estávamos cansados de Roma... LOCOMOÇÃO NAS CIDADES: sempre que possível gostamos de utilizar o transporte público dos locais onde visitamos... Além ser muito mais barato, acaba permitindo visualizar melhor o cotidiano e a cultura do lugar... Em toda a Itália achamos o transporte público bastante eficiente, intuitível, confortável e acessível. Sempre que não havia uma máquina de auto-atendimento, bastava procurar uma tabacaria para comprar os bilhetes de metro, trem ou ônibus. LOCOMOÇÃO ENTRE AS CIDADES: fizemos todos os trajetos de Milão até Roma (exceto de Siena para Roma) utilizando trem. Achamos o sistema de transporte ferroviário italiano muito organizado e eficiente. Ele é administrado pela TRENITALIA (http://www.trenitalia.com). Pelo site é possível checar os horários e preços das passagens. No geral buscamos pegar os trens regionais, que são mais baratos, porém mais lentos (mas nada que atrapalhe a viagem). Além disto, estes trens regionais não permitem que a passagem seja comprada pela internet com grande antecedência, além de não permitir a reserva de assento. Não tivemos problema algum quanto a isto... Na verdade todos os trens que pegamos estavam até bem vazios... O único trajeto que pegamos um trem rápido foi o de Veneza para Florença, pois não havia trem regional neste trajeto. De Siena para Roma, o melhor era pegar um ônibus, tendo em vista que a estação de trem era muito afastada da cidade... ACOMODAÇÃO: como qualquer mochileiro, buscamos escolher o local mais barato e mais bem localizado o possível. Como somos casados, acabamos não optando mais por quartos coletivos com banheiros compartilhados, para termos um pouco mais de privacidade. Além da localização, o principal item que olhamos é a limpeza do local... Em geral, se há a opção de tirar o café da manhã para o preço ficar mais em conta, assim o fazemos, comprando nosso “café”em algum mercado na cidade. Sempre faço a busca e as reservas de hotéis pelo BOOKING.COM... Nunca tive problemas com o site e as reservas. Como fizemos as reservas todas meio em cima da hora (2 a 1 semana antes de sair do Brasil), não encontramos acomodações muito baratas como nas outras viagens que fizemos... A seguir vou listar os locais onde ficamos em cada cidade, com os respectivos preços e nossas impressões: - MILÃO: Hotel Bolzano (62,00 euros, sem o café da manhã). Muito bem localizado, próximo da estação central de trens e da estação de metro. Quartos limpos, bem mobiliados e espaços. Bom custo benefício. - VENEZA: Hotel Regit (em Mestre), por 80,00 euros a diária, sem o café da manhã. A cidade de Mestre é a cidade no continente logo antes de Veneza (10 minutos de trem, que custa 1,25 euros)... O hotel ficava a menos de 5 minutos da estação. Quando fomos procurar hotel em Veneza, praticamente todos os lugares estavam cheios... Só achávamos quartos com várias camas e banheiros compartilhados, e ainda assim muito caros (entre 70,00 e 90,00 euros)... Optamos por ficar em Mestre, em um hotel praticamente em frente à estação de trem. Achei ótima a escolha... O hotel era novo, com cama muito confortável e banheiro bem espaçoso. Pelo que pesquisei, se pegássemos um hotel com a mesma qualidade em Veneza mesmo, não pagaríamos menos que uns 130,00 euros... - FLORENÇA: Mia Palace (75,00 com café da manhã). Tivemos o mesmo problema de Veneza na hora de procurar. Este B&B era novo, bem familiar, sendo uma casa que foi adaptada... Muito confortável, limpo e organizado. Não era nem perto nem longe da estação de trem. Gastamos por volta de 20 a 30 minutos a pé para chegar lá com as mochilas... - PISA: Bed & Tower (69,00 sem café da manhã). Não gostamos nem do quarto nem da limpeza... De manhã acabou a água quente. Não recomendo este B&B. - SIENA: Piccolo Hotel Il Palio (72,00 euros com o café da manhã). Somente a localização boa, bem perto da Piazza Gramsci. Quarto bem velho com mobília bem surrada. De noite acabou a água quente, ficando assim até o dia seguinte. A gerente ficou de nos fazer um estorno da nossa diária, o qual, mesmo reclamando muito via e-mail, até hoje estou esperando. Não recomendo. Além de ter qualidade ruim, achei desonesto. - ROMA: Palma Residence ( 85,00 sem café da manhã). Quartos bem simples, mas limpos. Localização boa, perto da Estação Termini, com lavanderia e super mercado perto. Tinha uma cozinha comunitária. Tendo em vista que em Roma tudo era mais caro, achei o custo benefício razoável. ALIMETAÇÃO: era um dos pontos no qual buscávamos economizar... Em geral comprávamos nosso café da manhã no dia anterior para tomarmos no hotel, na hora do almoço fazíamos um lanche, e a noite jantávamos em algum restaurante. No geral comíamos pizza ou alguma outra massa, o que era bem em conta e autêntico do país... Em Roma, passávamos no Super Mercado, compramos salada pronta e uns pratos resfriados e comíamos no próprio hotel. Em média gastamos 40,00 euros por dia quando comíamos em restaurantes, para 02 pessoas. Feitas esta considerações iniciais, vamos ao relato propriamente dito!!!
  19. Muito obrigado Lucas!!!!! Esta era a idéia!!! Fico feliz por ter sido útil!!!! Abraço e boas viagens!!!!
  20. Olá Thainá! Desculpe a demora em responder! Fiquei muito tempo sem entrar aqui no site e só vi a sua mensagem agora... Espero que esteja a tempo ainda... Então... O translado entre o aeroporto e a cidade de Athenas fizemos em um ônibus que sai do próprio aeroporto em frente ao portão de desembarque. O ponto final dele é na praça Syntagma, bem perto do hotel onde ficamos... De Athenas até Mykonos, fomos de ferry boat da Blue Star, saindo do porto de Piraeus. Da praça Syntagma para o Porto de Piraeus é só pegar o metro... Bem fácil... Espero que tenha ajudado...
  21. Bom... é isso ae pessoal... Toda história tem seu fim... Peço desculpas por ter demorado para finalizar o relato, e espero que o mesmo possa servir de ajuda no planejamento!!! Qualquer dúvida, estou à disposição!!! Grande abraço!
  22. DIA 30 – 13/10/13 – JERUSALÈM Chegamos no local combinado para o pick up do tour e ficamos esperando... Após 01:00 esperando comecei a achar bem estranho a demora (muito maior que a do outro passeio) e resolvi ligar para o empresa do tour. A atendente me disse que o horário para a saída era às 05:30, e não às 07:30, e que a van ficou 20 minutos nos esperando e então foi embora... Fiquei puto e voltei para o hotel, onde falei com a recepcionista, que por sorte era a mesma de quando eu havia feito a reserva... Ela ligou para empresa, que então ficou pedindo mil desculpas, e nos ofereceu um tour para o dia seguinte pela metade do preço... Disse que este era nosso último dia no país... Eles lamentaram muito e acabou tendo que ficar por isto mesmo... De qualquer forma, não recomendo a ninguém esta empresa, a UNITED TOURS... pisaram na bola duas vezes conosco... atraso até vai, mas o cara não saber nem o horário que sai o tour eu achei amadorismo total... Ficamos chateados com a situação e começamos a pensar em o que fazer para ocupar o dia... Pensamos em ir para Tiberíades por nossa conta, mas tendo em vista que o acesso de volta não era tão simples, e que teríamos pouco tempo para passear mesmo, acabamos desistindo... Indo para Nazaré teríamos os mesmos problemas... Pensamos em ir para Tel Aviv, mas achei que chegar meio dia lá, em um calor animal, passar um pedaço da tarde e voltar também não seria um programa tão legal... Resolvemos então ir para o Museu do Holocausto... Pegamos então o tram que passava em frente ao hotel e fomos até Yad Vashem, que é o nome da região onde fica o museu. A entrada no mesmo é gratuita... O museu é muito bem montado, e bem explicado... A visita é muito instrutiva, apesar de ser bem triste... Passamos quase que 5 horas no museu, e ainda não conseguimos ver tudo... no final tivemos que ir correndo pois já estava fechando... Acho que valeu a visita... Na volta resolvemos dar uma passeada pelas ruas ao redor do hotel, comprar os últimos souvenirs, jantarmos e descansar um pouco tendo em vista que nosso voo para Atenas sairia às 06 da manhã (logo teríamos que ir na madrugada para o aeroporto). Durante a preparação para a viagem lemos bastante que a saída de Israel é muitas vezes pior que a entrada no país... Logo a recomendação é que chegue-se no aeroporto com 04:00 horas de antecedência, que no nosso caso seria 02:00 da madrugada... Reservamos assim o Sherut para 00:30, imaginando que chegaríamos umas 01:30 ou 02:00 da manhã... Pouco antes fomos para o local da empresa que controla os táxis, e ficamos esperando ali mesmo... Na hora marcada saiu a van. Após ir parando em vários outros lugares para pagar outros passageiros, chegamos ao aeroporto Ben Gurion por volta das 01:50. Antes de se fazer o check-in passa-se por alguns agentes que fazem algumas perguntas relativas à pessoa e a viagem. Tentamos entrar nesta fila assim que chegamos, mas uma das agentes ao perguntar qual o nosso voo, pediu para esperássemos e retornássemos às 03:00. Esperamos e neste horário nos deixaram passar. Após responder às perguntas, nossas malas foram passadas um Raio-X bem grande. Após uma análise deste, pregaram uma etiquetas de vistoria em nossa bagagem. Só a partir daí fomos autorizados a ir para o balcão da Cia. Aérea para fazer o check-in. Como ainda era cedo para o voo, fomos os segundos da fila. Rapidamente fizemos o check in. Após, seguimos para fazer os procedimentos de emigração. Nesse ponto a fila estava bem cheia, mas não demorou muito... Logo que chegamos em Israel, recebemos um cartão de visto ao invés de um carimbo no passaporte... Pediram para ver o cartão, além de checarem o passaporte... Na nossa frente havia uma senhora brasileira que havia acabado de perder o cartão... Até onde vimos, os agentes não deixaram ela passar... Continuamos seguindo, e em um ponto mais à frente passamos por um novo controle, onde, desta vez, recolheram estes cartões. Daí fomos para a parte central do aeroporto, onde ficam vários lanchonetes e free-shops em volta. Tomamos nosso café, compramos algumas coisas no duty free e fomos depois para o portão de embarque. Na hora prevista nosso voo saiu para Atenas... Era o começo da nossa volta para o Brasil...
  23. Parabéns pela viagem e pelo relato!!!!! Muito completo!!!!! Estou indo com minha esposa em Novembro!!!! Seu relato já é de grande ajuda para nosso planejamento!!!!! Parabéns!!!!! Abraço!
  24. DIA 29 – 12/10/13 – JERUSALÉM Acordamos bem cedo este dia, uma vez que queríamos visitar a Basílica do Santo Sepulcro bem cedo para ver se a pegávamos vazia, e na seqüência queríamos tentar pela terceira vez visitar o Temple Mout. Quando chegamos na basílica, ela ainda não estava cheia... Foi bom o começo da visita... Quando subimos para o Calvário, onde, dentro da própria basílica, fica a pedra onde acredita-se que foi fincada a cruz de Jesus, chegaram 02 grupos de turistas acabando com a paz do lugar... Um destes grupos inclusive era de brasileiros... O pessoal conversando alto, e para variar, um ou outro tentando furar a fila daqui, outro empurrando dali... Comecei a ficar chateado de novo... Na hora que chegou nossa vez de ir para a pedra do Calvário em si, foi só minha esposa se ajoelhar que veio um padre mandando ela acelerar... Pela cara que olhei para ele, ele se afastou... Eu volto a repetir... Sinceramente fiquei EXTREMAMENTE DECEPCIONADO com a visita aos locais sagrados cristãos, principalmente devido ao comportamento destes... Como pode alguém em peregrinação para estes locais não ter o mínimo de respeito com o próximo, furando filas, gritando, não deixando as pessoas fazerem suas orações... Fiquei muito chateado mesmo... De lá seguimos para o Temple Mount. Desta vez estava aberto! Chegamos perto das 8:30, e a fila ainda estava pequena, apesar de andar bem devagar... Uns 30 minutos depois já estava gigantesca... Logo, acho que o bizú é ir o mais cedo o possível! Antes de passar pela passarela que passa sobre o muro das lamentações, há um controle de documentos e raio-X/ detector de metais... Nisso veio do nada um guia com um grupo de mulheres meio que furando a fila... Junto de um casal de britânicos, perguntamos para ele qual a idéia... O cara deu uma risada e disse: “Achei que podia passar direto...” Confesso que fiquei assustado com nível de cara de pau do cidadão... Obviamente, impedimos ele de furar a fila na nossa frente... Após passarmos pela passarela, chegamos ao alto do monte, onde há 2 milênios ficava o Templo dos Judeus, e onde hoje fica o Domo de Rocha e a Mesquita de Al Aqsa. É importante estar vestido com Calças/saia longa, além de ter os ombros cobertos para visitar o lugar... Vimos uma mulher sendo barrada por estar com uma saia pouco abaixo do joelho... A mesquita só permitia visita de muçulmanos, portanto só vimos a sua fachada, que não nos chamou muito a atenção. O Domo de Rocha é onde se acredita ser o local no qual Deus iniciou o mundo, onde Abraão ofereceu seu filho Isaac em sacrifício e onde o profeta Maomé subiu aos céus em sua última noite na Terra, ou seja, é um local sagrado tanto para judeus como muçulmanos, apesar de ser “controlado” por estes últimos... Não muçulmanos não podem entrar no interior da construção, que é toda em estilo árabe-otomano... Achamos todo o lugar muito bonito, principalmente por ser muito calmo e silencioso, diferentemente dos outros lugares sagrados que visitamos na cidade. Ficamos por volta de 01 hora passeando pela “praça principal” e pelos bosques... De lá resolvemos descer para a Igreja de Todas as Nações ao lado do Jardim de Getsêmani, onde se acredita ser o local onde Jesus se escondeu com seus discípulos antes de ser traído e preso. O lugar não estava muito cheio, e pela primeira vez em toda a viagem conseguimos ter um pouco de paz e silêncio para fazer algumas orações... A igreja é bem bonita, com o interior todo feito em mosaicos, e tem-se uma boa vista do cemitério muçulmano e das muralhas da Old Town. De lá voltamos para o Old Town, e resolvemos visitar a Citadela, ou Torre de Davi, como também é conhecida... Não se sabe ao certo a origem do lugar, mas sua última utilização foi como principal fortaleza da cidade de Jerusalém no período Otomano. Hoje funciona como um museu sobre a história da cidade, sendo bem puxado em favor dos judeus... Acho que valeu a visita, apesar de se estiver com o tempo corrido, achar que pode ser ignorada... De lá resolvemos ir comer alguma coisa, e voltar para o hotel para dar uma descansada... No próprio hotel, reservamos um tour pela Galiléia (Tiberíades, Cafarnaum e Nazaré) para o dia seguinte, sendo que este era nosso último dia em Israel... Optamos por fazer com uma agência tendo em vista o pouco tempo que teríamos, e o fato de que, como iríamos embora do país no dia seguinte, não poderíamos ter muitos imprevistos... O atendente da empresa do tour (novamente a United Tours, a qual utilizamos para ir para Masada e Mar Morto) passou o horário de 07:30 para a saída. Aproveitamos para reservar nosso Sherut (táxi compartilhado para o aeroporto no dia de nossa ida).
  25. Pessoal... foi mal a demora em continuar o relato... vou ver se essa semana acabo de colocar tudo... Segue o dia de Masada e Mar Morto... DIA 28 – 11/10/13 – Masada e Mar Morto Saímos cedo do hotel e fomos para o ponto onde haviam combinado de nos pegarem para irmos para Masada e o Mar Morto... Reservamos com a empresa United Tour, a qual não recomendo (ver o dia 30 para entender o porque)... Com uns 40 minutos de atraso, a van nos pegou... No caminho, com uns 20 minutos saímos de Jerusalém e pouco mais a frente, chegamos nas imediações do Deserto da Judéia... Achei bem legal, por ser bem diferente de qualquer paisagem que eu já havia visto... Pouco mais a frente, passa-se por uma placa que informa que chegou-se ao nível do mar... daí, continuamos a descer muito mais... e com pouco tempo já podíamos avistar o Mar Morto, bem como a cidade bíblica de Jericó. Com mais ou menos 01:30 h de viagem, chegamos aos pés de Masada... Masada foi uma fortaleza construída no século I antes de Cristo no alto de uma montanha isolada... Devido a este fato, sua invasão era praticamente impossível, sendo que durante a Revolta dos Judeus contra os Romanos no século I D.C., o lugar foi o último reduto a ser conquistado... A fortaleza foi alvo de um cerco Romano, porém conseguiu resistir anos sem se render... Havia um sofisticado sistema de obtenção de água, bem como um grande estoque de grãos... Após anos de cerco, os romanos construíram uma rampa ao lado da montanha para conseguir invadi-la... Ao perceberem que perderiam a batalha, afim de não se renderem e tornarem-se escravos, os judeus selecionaram 10 entre todos os ocupantes da fortaleza, os quais foram incumbidos de matarem todos os demais... ao sobrarem estes 10, foi selecionado 1 deles, que matou os outros 9, tendo assim que se suicidar ao final... Quando os romanos finalmente invadiram a fortaleza, a mesma já estava deserta (segundo historiadores, apenas uma mulher e algumas crianças se esconderam e não participaram do “sacrifício coletivo”). Devido a isto, o lugar é um dos símbolos máximos para os judeus... Ao se formarem, os soldados prestam seu juramento no local dizendo “Masada nunca mais caíra!” A visita se iniciou com uma rápida explicação em uma maquete na entrada do parque e após a subida até o alto da montanha em um teleférico. OBS: NÃO DEIXE DE LEVAR CHAPEU OU BONE, ALÉM DE IR COM ALGUMA CAMISA DE MANGA COMPRIDA OU UM LENÇO PARA COBRIR-SE. O sol lá era realmente algo bizarro!!!!!! Nunca havia visto um sol tão forte e incômodo... e olhe que tenho a pele morena!!!! Para quem quiser, é possível subir a montanha a pé, pela Snake Path, que é uma trilha que vai serpenteando até o alto... Acho que além de coragem é preciso de várias garrafas de água e um ótimo preparo físico pra conseguir!!!!!! A visita às ruínas duraram por volta de 01:30... Achei que valeu a pena ter o guia... Ele passou muito mais coisas do que havia no meu Lonely Planet, além de que achei um pouco mal sinalizado lá em cima... A vista do Mar Morto de lá de cima é incrível... Após a visita, descemos pelo teleférico, almoçamos lá embaixo em uma praça de alimentação muito boa (uns 5 restaurantes além de 1 Mc Donalds) e depois partimos para o Mar Morto... O lugar que fomos era uma espécie de balneário (resort) com uma ótima estrutura... Haviam cadeiras e vários chuveiros de água doce... Ficamos curtindo a “praia” um bom tempo... era muito legal ficar flutuando... Perto do horário combinado, e com o sol já se pondo, tomamos nossa ducha de água doce e fomos para o vestiário nos trocar... De lá pegamos a van e partimos de volta para Jerusalém... Chegamos à cidade já no começo da noite... Deu para ver que tudo estava voltando a funcionar... As ruas estavam cheias de Judeus Ortodoxos... O Shabat chegara ao fim! Passamos em uma padaria e em um mini mercado e compramos uns salgados e cerveja para comermos no terraço do hotel. Feito isto, fomos para a cama descansar.
×
×
  • Criar Novo...