Ir para conteúdo

gabs_ferraz

Colaboradores
  • Total de itens

    42
  • Registro em

  • Última visita

Bio

  • Ocupação
    Diretora de Criação na Pictorama Design

Outras informações

Conquistas de gabs_ferraz

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Olá, Kamila e Ronaldo, muito bom saber que o relato está sendo útil. Abraços!
  2. Oi, Juli, em Paris, eu sugiro o Hostel Bastille (não confundir com Hotel Bastille). Como o nome indica, ele fica na região da Bastilha, a 5 minutos andando da estação de metrô Ledru-Rollin. É uma boa região, com um mercado Monoprix perto, além de padarias e restaurantes. O staff do hostel é meio bronco, mas o ambiente é muito limpo, e os quartos são pra duas pessoas com banheiro e chuveiro a um preço ótimo. Fiz minha reserva pelo site: http://www.bastillehostel.com/ Observação: entrei agora no site deles e eles têm uma nova regra de só reservarem pra pessoas com menos de 30 anos. Em Munique, recomendo o Euro Youth Hostel, e em Berlin sugiro o Hotel Meininger. Ambos são colados nas respectivas estações centrais. Eu priorizo muito a facilidade de acesso em um hostel, pois durante uma viagem dessas, no fim do dia o cansaço é grande e tudo o que se quer é chegar pra descansar. Se quiser ler mais impressões sobre cada um desses lugares por onde passei, está tudo no meu relato na assinatura. Abraços!
  3. Não é que seja impossível, mas também acho que é pouco mesmo pra visitar os pontos principais. Até porque tem o deslocamento até o lugar, as filas são grandes, e aí facilmente você consume metade do seu dia envolvido com uma atração só. Além disso, acontece o que a CrisB falou, de uma vez na cidade, você ver tudo o que ela oferece e ficar frustrado por não poder ficar um pouco mais. Tendo pouco tempo, você pode se informar sobre como otimizar ainda mais a sua visita comprando o que der com antecedência – que é o caso do ingresso da Torre Eiffel, que dá pra comprar pelo site e não precisar enfrentar fila na hora – além de dicas de como evitar honestamente as filas do Louvre. No meu relato (na assinatura), tem um arquivo de resumo com um mapinha das entradas alternativas pra esse Museu, se interessar. Abraços!
  4. Oi, Derossi, nessa época, Buenos Aires é quente de dia mas de noite faz um friozinho. Passei minha lua de mel lá em dezembro de 2007 e cheguei a ficar gripada com a friagem da noite. Recomendo levar um casaquinho leve. Não tenho uma dica específica pro Reveillón, mas o que eu fiz de legal em BAs: - caminhar sem destino pelo bairro de Palermo, que é o mais hype da cidade. Tem inúmeros barzinhos e restaurantes interessantes, além de pequenas lojas/ateliers; - ir a um restaurante gourmet erótico chamado "Te Mataré Ramirez" (http://www.tematareramirez.com/), onde a cada noite há um show burlesco diferente; - comer um bifão de chorizo no "La Caballeriza" de Puerto Madero; - visitar o Malba pra poder ver o Abaporu. O museu também tem uma lojinha de souvernirs moderninhos que é uma graça. Eu não fui a Montevidéu, mas se você quer conhecer Monte, Punta e Colônia, acho dois dias pouco; eu reservaria pelo menos um dia pra cada lugar. Nós fomos pra Colônia de Buquebus e passamos um dia inteiro lá. Em Colônia, a graça é ficar andando pela cidade, que é um dos lugares mais tranquilos que já visitei, e alugar uma scooter pra visitar alguns pontos interessantes que são distantes (e imperdíveis), como a Plaza de Toros. Abraços!
  5. Oi, Paulo, não seu quanto às outras cidades, mas acho 3 dias pra Paris pouco... No seu lugar eu cortaria Bruxelas e ficaria mais um dia por lá. Abraços!
  6. Essa dica de Bruxelas é bem boa, Adriano. Eu não sabia que era tão pertinho, vai pras anotações das próximas viagens.
  7. Oi, Ivan, se vocês gostam de cultura, Berlim é a pedida. A cidade tem muita coisa pra fazer. Pessoalmente, recomendo que fiquem uns 5 dias. Para Munique, eu reservaria 1 ou 2 dias. Eu passei um dia só lá e achei que deu pra conhecer bem; separando 2 dias, considere visitar Füssen ou Rotemburgo, que ficam próximos. Além das indicações clássicas do que visitar em Berlim, minhas dicas fora do circuito são: - Museu da DDR (http://www.ddr-museum.de/en/), que é um museu interativo da Alemanha comunista. Tem até uma réplica de uma casa de família da época. Imperdível! - Museu da Stasi. A Stasi era a polícia secreta da Alemanha Oriental, e nesse museu eles contam como ela agia na espionagem à vida das pessoas, como davam sumiço em quem era contra o regime comunista, entre outras coisas. Fica na Zimmerstraße 90, pertinho do Checkpoint Charlie. Dica de noitada eu infelizmente não tenho nenhuma, pois super comi mosca e não fui a nenhuma boate. Mas o cenário underground é super intenso! Se você se interessar, taí o relato da minha eurotrip, com um arquivo .doc contendo um resumão dos principais pontos: franca-alemanha-e-republica-tcheca-em-16-dias-t66110.html Abraços!
  8. Oi, Ilma, Não sei de quanto tempo você dispõe, mas 6 dias em Berlim eu até acho muito. A cidade é muito interessante, mas acho que dá pra fazer em menos dias e ficar mais tempo em Paris, por exemplo. Pra incluir a Eslovênia, você poderia inverter a ordem das cidades e começar por Paris, fazendo: Paris > Colônia > Amsterdan > Berlim > Eslovênia sendo que entre Berlim e a Eslovênia você pode incluir uma visita a Munique ou Praga. Abraços!
  9. Oi, Julia, Eu acho mais jogo você entrar na Europa por Paris, e de lá partir pra viajar de trem pelos lugares. Quando eu fui, meu roteiro foi: Rio > Paris > Munique > Rotemburgo > Praga > Berlim, voltando de lá pro Brasil. Não fui em Dresden, mas li na época uns relatos contando que é mesmo lindíssima. E se você for pra Praga, ela fica bem no caminho. Outra cidade nos arredores de Berlim que vale a pena conhecer é Potsdam; dá pra ir e voltar no mesmo dia. Abraços!
  10. Oi, Silvia, vamos lá: - Berlim: fiquei no Hotel Meininger. É uma rede grande com várias filiais por Berlim, sendo que fiquei na da Estação Central (Hauptbahnhof). Tem alguns probleminhas de limpeza, mas no geral achei ótimo por ser acessível. - Praga: recomendo 100% o Czech Inn Hostel, que foi o melhor hostel de toda a viagem. É muito limpo, seguro e moderno! - Munique: fiquei no Euro Youth Hostel, e também achei muito bom. Eu agendei minha hospedagem nesses 3 lugares pelo site Hostel World (http://www.hostelworld.com/), e todos eram bem rankeados nos quesitos segurança, limpeza e preço. Fiz um relato da minha eurotrip onde falo um pouco dos hostels e mostro algumas fotos, se se interessar, o link está na assinatura. Abraços!
  11. Oi, Ratoker, Concordo com o Marcelo: acho que você deveria explorar o sul da Alemanha até chegar na Suíça. Um lugar incrível pra você passar o Natal, onde é tudo enfeitado e super temático é a cidade de Rothenburg ob der Tauber. Essa data é tão importante que eles têm um museu do Natal, com uma árvore de 5 metros! Além disso, a cidade é super romântica, perfeita pra uma viagem de casal. A cidade é pequenininha é dá pra conhecer em um dia tranquilamente. Quando fui pra lá, fiquei na Pensão Becker. Ainda no sul da Alemanha, acho que vale dar uma chegada em Munique pra visitar as cervejarias típicas. Pra se hospedar, eu recomendo o Euro Youth Hostel. Se você se interessar, tenho um relato contando da minha viagem pra lá, o link está na assinatura. Abraços!
  12. Oi, Isouza, um lugar nos arredores Paris que você precisa conhecer é o Palácio de Versailles, onde morou a Maria Antonieta. Fica a 30 minutos de trem.
  13. Oi, Pablo, tenho duas dicas para você: - a feira de antiguidades de San Telmo, que acontece todo domingo; - e um restaurante gourmet afrodisíaco chamado "Te Mataré Ramirez", que fica em Palermo (http://www.tematareramirez.com/). Cada dia da semana rola algum tipo de espetáculo burlesco, e os pratos tem nomes doidos como "Mi boca implora bajo su cielo femenino". Pra mim, é um dos lugares mais diferentes de Buenos Aires. Abraços!
  14. 14º, 15º e 16º dias - Encerrando a trip (e o relato) Pessoal, vou contar bem rapidamente sobre os três últimos dias da nossa trip. 14º dia Começamos indo visitar o Relógio Mundial, na Alexanderplatz e em seguida a Torre de TV, que fica do lado. A fila para subir na Torre é muito (muito) grande, e depois de uma hora de espera, vimos que você não entra direto pra visitar. Ocorre um tipo de agendamento, onde você é avisado de que horas irá entrar. Recomendo então que vocês comprem online com antecedência os ingressos, pra não perderem tempo. Depois ali, demos um pulo em Prenzlauer Berg, que é um bairro descoladinho de Berlin, mas que no inverno não tem muito pra se ver. Imagino que no verão seja bem hype. Tem muitos brechós legais lá. No fim da tarde, fomos visitar o Museu da Stasi, que fica na Zimmerstraße 90/91, pertinho do Check Point Charlie. A Stasi era a polícia secreta da DDR, que torturou e matou muita gente durante o regime comunista. Saí de lá pesada, mas ainda assim recomendo a visita. Pra fechar a noite, fomos pro bairro de Kreuzberg, que é um bairro com grande concentração de imigrantes turcos, e é bastante underground. Tem muitos bares maneiríssimos pra quem curte uma coisa cult e sujinha (o/). 15º dia Day trip pra Potsdam e em seguida Dessau! Compramos os tickets na própria estação de trem A principal atração de Potsdam é o castelo Sans Souci. Importante: a visitação ao castelo não é livre. Ela é feita em grupos com lotação limitada e horários pré-determinados. Se você quer segurança, recomendo a compra com antecedência em qualquer estação, pois pode-se ir até lá e descobrir que todos os grupos do dia já estão fechados. Nós demos sorte e conseguimos visitar na boa. Detalhes interessantes: você precisa pagar a mais pra poder fotografar lá dentro. Sem a pulserinha, a guia vem em cima de você se te vê tirando foto. Outra coisa é que a visita é SUPER controlada, e é feita em um aposento de cada vez, à portas trancadas. Sem brinks, a tensão é tanta que parece que eles estão guardando o terceiro segredo de Fátima lá dentro. Depois de lá, partimos pra Dessau, para conhecer o prédio original da Bauhaus. Não recomendo pra todos essa visita, pois ela é muito específica. A ida até lá tem mais valor se você se interessa por design. 16º dia Dia de visitar o parlamento! A visita tem que ser agendada com antecência, no site do parlamento. A experiência é muito legal e a cúpula de vidro, construída como um sinal da transparência na política desejada pela Alemanha, é linda. Também fomos nesse dia até a Coluna da Vitória, que é aquela torre com um anjo dourado no topo, com quem o Bono Vox aparece sensualizando no clip de “Stay (Far Away, so Close)”. Depois dali, fomos até a Ilha dos Museus, que garante fotos lindas. Deixamos pra comprar souvenirs no último dia. Além dos básicos imãs de geladeira que você vai levar pra toda a sua família, recomendo uma passada na loja do Ampelmann. Ampelmann, ou homem da lâmpada, é o personagem dos sinais de trânsito da antiga DDR. Hoje ele é um ícone do design e uma das marcas registradas de Berlim, e há lojas por toda a cidade que vendem produtos com sua imagem, desde toalhas até cerveja. Pra fechar o dia, fomos ao museu da Bauhaus em Berlim (Klingelhöferstraße 14), que é outro programa bem específico (e imperdível) para quem curte design. Bom, pessoal, e essa foi a nossa viagem. Tudo foi muito maravilhoso, e faço abaixo um rápido apanhado com a impressão geral das nossas escolhas: Dias gastos em cada local: Achei tudo bem adequado. Berlim foi a cidade em que passamos mais dias, por conta do Reveillón que travava o cronograma, mas se eu pudesse fazer um pequena mudança, ficaria um dia a menos lá e um dia a mais em Paris. Berlim tem menos coisa pra se ver que a capital francesa. Melhor hostel: Sem dúvida foi o de Praga. Pior hostel: Não achei nenhum péssimo e acho que escolhi bem cada lugar, mas o da França perde pontos pela simplicidade e mau atendimento, enquanto que o de Berlim perde pontos pela pouca higiene. Ainda assim, ficaria nos mesmos locais se voltasse. O que faltou fazer: Ah, sempre falta muita coisa, né? Mas você precisa ter algum motivo pra voltar. Em Paris eu gostaria de ter passado mais tempo no Louvre, e de ter visitado a Place de la Concorde e os Jardins de Luxemburgo. Em Rotemburgo, deixei de conhecer a famosa bifurcação Plöenlein. Em Munique, não fui ao Allianz Arena. Em Praga e em Berlim, faltou curtir um pouco das boatchys, que são bem alternativas. Sem falar que eu passei o natal na Europa e não vi sinal de neve, né (passadan)? Pra ajudar a quem está planejando a sua viagem, estou anexando um documento de word com o resumo dos locais onde ficamos, o que visitamos, e alguns preços. Espero que esse relato seja bastante útil! Eurotrip França-Alemanha-Rep Tcheca.doc
×
×
  • Criar Novo...