Ir para conteúdo

a_vida_do_viajante

Membros
  • Total de itens

    661
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que a_vida_do_viajante postou

  1. A Cracóvia preenche bem uns 4 a 5 dias de viagem, com visitas a Zakopane e o campo de Auschwitz-bikernau. Mas não é uma cidade com deslocamento fácil para outras cidades por trem. Combina bem com brastilava e Varsovia que dá um roteiro bem legal.
  2. Pelo que entendi , vocÊ que sair de berlin dia 01 e voltar por bruxelas dia 10. Recomendaria o seguinte : Berlin -> Hamburgo, rende uns 3 dias por lá, seus filhos irão pirar no miniatur wunderland se gostarem de trem. O passeio de barco pelo porto também é interessante para crianças; Depois de hamburgo uma cidade interessante seria Bremen, tem um lado folclórico interessante, muitas estátuas, creio que pode manter crianças entretidas. De Bremen siga para Colônia, de uma passeada pelo rio visite a Catedral e no dia seguinte pegue o trem para Bruxelas. Por lá, não esqueça de visitar a mini europe e o atomium com as crianças. Meu filho tambem gostou dos parques e cisnes em bruges.
  3. Não acho Bruxelas uma cidade particularmente insegura, porém de uns tempos para cá observei um aumento grande na população "suspeita" , especialmente na região mais comercial do centro (rue neuve) à noite. Uns desocupados inclusive tentaram furtar o celular da minha esposa no metro da gare du midi. Nada muito diferente de andar em um ônibus no brasil, mas enfim, serve o alerta para Ficarmos atentos;
  4. Apesar dos deslocamentos serem possíveis de se fazer de carro , não se pode ignorar todos os contratempos que se tem num tipo de viagem do estilo que vocês pretendem fazer. O mais clássico deles é o grande número de cidades de pernoites que vai tomar muito tempo para checkin/checkout, fazer/desfazer malas. Ainda mais com o agravante de se deslocar em um grupo de 9 pessoas, basta uma pessoa do grupo atrasar todo o planejamento atrasa. É receita para stress fácil. Outra questão que vocês devem considerar é que o carro em uma cidade grande como munique , berlin e praga é um verdadeiro estorvo, não vai servir de muita coisa para vocês, além de arrumar um problemão para estacionar o carro pagando uma fortuna de euros por noite. Ainda chamo atenção que algumas companhias tem restrição de permitir que seus carros alugados cruzem a fronteira com a república tcheca. É preciso saber um pouco mais de quais são as expectativas de vocÊs nessa viagem para poder ajudar melhor, porque do jeito que está vocês não terão praticamente nenhum tempo livre para de fato conhecer e muito menos curtir todas essas cidades. Eu não recomendaria fazer algo assim.
  5. Tenho acompanhado as previsões de tempo no Norte da Alemanha e esta semana começou com previsão de geada e neve fraca. Não sei onde você encontrou a previsão de -10 graus, mas isso seria tempo para uma nevasca, não é uma situação comum de acontecer, mas se tiver esse azar costuma-se forma-se uma camada de gelo muito escorregadia, além do risco de pisar em neve fofa que torna bastante desconfortável o uso de um calçado não apropriado. Uma bota de trilha brasileira impermeável resolve bem para tempo chuvoso, o problema é que o solado delas não funciona bem para neve acumulada e gelo. Qual seria mais precisamente o período da sua viagem? Pretende viajar por montanhas, parques?
  6. Uma rota interessante de se fazer a partir de paris é luxemburgo->bruxelas. Cinco dias cabem bem. Luxemburgo tem casamatas impressionantes e jardins interessantes , cabe bem em 2 dias. Na Belgica, além de Bruxelas há muitas cidades interessantes que cabem em uma day trip, como Bruges, Ghent, Antuerpia, Mechelen, Leuven e Namur. Três dias são preenchidos facilmente.
  7. Se fosse realmente visitar tudo o que citou vocês teriam que ter aproximadamente um mês inteiro para que essas férias não virem uma maratona. Mesmo assim eu diria que o problema maior do seu roteiro é a quantidade de cidades e não o tempo. pois inclui uma quantidade absurda de deslocamentos que já costumam ser bastante desgastantes para adultos viajando só e mais ainda quando tem criança ou idosos no grupo. Limitem-se a três ou quatro bases que aproveitarão muito melhor seu dinheiro e as férias.
  8. Se não for passeio para montanhas, a bota não é um requisito indispensável. Existem tênis impermeáveis ou botas de cano curto que são mais confortáveis para andar.
  9. Bem, primeiramente essa observação da "cidade que tem a vista mais bonita dos Alpes" é bem genérica e subjetiva, seria melhor detalhar o que você pretende realmente fazer (e ver) nas terras helvéticas para ajudarmos melhor. Existem pessoas que se apaixonam pelas vistas de campos e lagos com as montanhas cobertas de gelo ao fundo, outros gostam de estar em um vilarejo contemplando um vale com vaquinhas com sino, rosas e cachoeiras e ainda há os que prefiram a vista do topo das montanhas, aquela imensidão de gelo por todos os lados... No primeiro tipo de paisagem, o passeio do trem de Montreux a Interlaken é sensacional. É chamado de Golden-Pass Line e cabe muito bem no seu caso já que de Paris o jeito mais fácil de chegar na Suíca é por meio de trem para Genebra. De lá para Montreux é fácil chegar e depois de três horas você estará em Interlaken, que é a cidade ideal para fazer passeios para lagos e o topo das montanhas. Não existe propriamente uma cidade com a melhor vista dos Alpes, mas tem dezenas de vilarejos com vistas espetaculares, como Murren e Grindenwald. E muitas trilhas, para contemplar lagos, vacas se equilibrando com os sinos, etc. Desses vilarejos você consegue acessar o terceiro tipo de paisagem, o topo das montanhas, que normalmente são passeios caros e que se o tempo estiver ruim não tem muito retorno pro dinheiro investido. A não ser que queira apenas curtir neve e frio. Nessa categoria, existe o Jungfrauroch, o First, o Schilthorn e muitos outros. Agora pesquise o que mais lhe interessa e qualquer coisa poste novamente que tentaremos ajudar no que for possível.
  10. Na minha opinião, Brugge não cabe em um passeio de meio dia. Na teoria, até dá para andar a cidade inteira em uma manhã ou tarde, mas a verdadeira alma da cidade só se revela em um passeio sem pressa, admirando os canais e praças e se perdendo pelas ruas longe do movimento das dezenas de ônibus de turismo que lotam a cidade diariamente. O tempo em Ghent depende do que você queira fazer. O que toma mais tempo é a visita do castelo e o passeio de barco, mas se não for do seu interesse dá para fazer um passeio básico em 2-3 horas. Em relação a Bruxelas, tendo apenas um dia eu sinceramente não iria para o Atomium. A área mais central concentram muitos restaurantes e principalmente barzinhos interessantes, que já consomem um tempo razoável. Um giro pelos arredores Mont Des Arts/Sablon/Pl St Catarina complementam bem o dia.
  11. Temo que vocês terão bastante dificuldade em alguns trechos desse roteiro. Primeiramente, se o objetivo é curtir cidades pequenas, porque os pernoites são todos em cidades grandes? Já pensaram seriamente no estorvo que é um carro alugado em uma cidade como Amsterdã ou Bruxelas Da primeira vez que fui para a Europa cometi esse erro e acabei tendo que pagar 18 euros por noite para estacionar o carro em Munique (e nem era perto do hotel). As cidades de lá cada vez mais se movem no sentido de privilegiar o tráfego de pedestre ou transporte público, sobretaxando quem teima andar de carro. Fui em Bruxelas mês passado e o centro da cidade praticamente está todo abolido de carros. Pensem bem. Fora isso, os trechos que ficam realmente legais de fazer de carro, estão muito corridos e também não trarão muito valor para sua viagem. Eu fiz por exemplo o trecho Freiburg-Triberg-Lindau recentemente em 3 dias , chegando em Freiburg no meio dia de uma sexta e saindo de Lindau na tarde de domingo e já me arrependi de ter ficado muito corrido. Na prática, eu planejei passar em 10 cidades/pontos de interesse pelo caminho, mas só consegui conhecer 5 ou 6. De Baden-Baden a Triberg, por exemplo, eu lhe diria que já vale um dia inteiro de viagem. O legal da floresta negra é absorver a atmosfera e cultura das vilas pelo caminho e não ver a floresta em si, que para nós não tem nada demais e acaba ficando repetitivo. Em resumo, eu pensaria em limitar a parte do carro no trecho Frankfurt-Munique ou Innsbruck e o resto fazer de trem.
  12. Seu roteiro ainda está bem cru, por isso seria interessante saber seus interesses para que possamos ajudar melhor. Além disso, forneça mais informações como se tem alguma data já fixada, como por exemplo, se já comprou alguma passagem. Mas falando genericamente, esse roteiro tá bem a cara de mochilão do tipo "quero ver tudo de uma vez só". Não há nada de errado com isso desde que o objetivo de vocês seja querer conhecer o máximo de lugares no menor tempo possível. Mas estejam cientes que isto costuma custar caro, tanto fisicamente, quanto mentalmente e até financeiramente. Um detalhe importante de lembrar é que apesar das distâncias serem relativamente curtas para nós que moramos em um país continental, sempre haverá um bom tempo gasto com deslocamentos, especialmente se tiverem que ser realizados de forma aérea, o que praticamente é o caso de todos os deslocamentos do seu roteiro. Na prática, serão seis dias praticamente perdidos para vocês. TEMPO : Dia 2- 6 Lisboa - 3 dias livres em Lisboa acho bastante razoável, daria até para fazer um bate e volta a sintra, cascais, evora, etc, opções não faltam. De lisboa a barcelona só dá pra ir de avião. Dia 6-11 Barcelona - 4 dias livres para mim seria até muito em Barcelona, especialmente considerando que nesta época as praias já estarão muito frias para vocês aproveitarem Dia 11-14 Paris - 3 dias livres em Lisboa, 4 em Barcelona e 2 em Paris? Sinceramente, não faz muito sentido. Sugiro no mínimo quatro dias livres em uma primeira viagem. De Barcelona a Paris tem opção de trem, é bem demorado (6 horas) , mas menos estressante que o avião. Dia 14-18 Roma - 3 dias livres em Roma também é bastante corrido, mas é factível. Agora setiver interesse interesse em museus e visitar o Vaticano, tente ficar 4 dias. Dia 18-20 Veneza - OK. Dia 20-24 Grécia - Eu não conheço bem a Grécia, mas imagino que Outubro não seja um mês atraente para uma visita. Talvez seja um lugar candidato para eliminar do seu roteiro para deixa-lo mais enxuto e fluido.
  13. Concordo que amarrar os dias das visitas a Fussen e ao Zugspitze em Fevereiro não é boa idéia. O melhor é tentar passar o fim de semana em Munique e deixar para utilizar o bayern ticket somente se o tempo estiver bom.
  14. Berlin não é das cidades mais belas da Europa, até porque parece estar sempre em construção, em uma interminável reforma . Mas para mim isso também é uma das coisas mais legais da cidade, que influenciada por esse espírito de renovação parece estar sempre se reinventando. É a Alemanha moderna, liberal e vanguardista que se encontra com seu passado autoritário e conservador em cada esquina. O luxo e beleza dos arranha-céus e shoppings gigantescos contrasta com os prédios austeros e sem graça da época comunista no lado oriental. Em algumas estações de metrô, mesmo no centro da cidade, é muito interessante observar que um lado é completamente moderno e o outro lado parece saído de um filme de terror. Os memoriais de guerra estão por todos os lados para lembrar um passado não muito distante e sombrio, bem diferente do presente. Em relação aos museus, há opções interessantes até para quem habitualmente não gosta de museus, vide o Pergamon e o museu de Tecnologia. Além deles , Potsdam tem atrações para agradar todos os públicos. Em uma primeira visita a cidade, eu não recomendaria ficar menos que 4 dias completos. Também não creio que dois dias em Praga seja adequado ara conhecer a cidade propriamente. Apesar de pequena, tem muitos atrativos, alguns bem escondidos, além do que vale a pena reservar um tempo para curtir também as tavernas locais, algumas das quais verdadeiras atrações turísticas por si só.
  15. Muito comum o stopover . Já utilizei várias vezes dessa prática com a TAP e funciona muito bem, na maioria das vezes sem custo adicional nenhum mesmo, alias atualmente acaba ficando mais barato do que uma passagem direta para Lisboa.
  16. A Decatlhon costuma ter preços bons para roupas de frio, especialmente na Europa, mas a loja brasileira de vez em quando tambem tem boas promoções.
  17. Bem vamos lá, primeiro é difícil fazer qualquer roteiro pensando em Países, o ideal é sempre focar em cidades. Reforçando que realmente o ideal seria limitar ao máximo a quantidade de cidades de pernoite. O começo do planejamento de viagem sempre é a fase mais difícil. O que eu costumo fazer na prática normalmente é fazer roteiros simulados : defino as cidades de entrada e saída, depois algumas variações das cidades de pernoite e tipo de deslocamento entre elas , estimando o custo total da viagem. A que tiver melhor custo benefício é normalmente a minha escolha. Agora em relação as sua dúvidas pontuais. Itália : Se gosta de museus reserve muito tempo para a Itália, especialmente Florença. Eu fiquei 10 noites no esquema Veneza-Florença-Roma e saí completamente exausto , é uma verdadeira overdose de cultura. Na ocasião viajava com pais idosos e filho pequeno, então minha recomendação é : pegue leve, reserve pelo menos uns 18 dias para fazer esse eixão Roma (5 noites com bate e volta a Pompeia) - Florença (6 noites com bate e volta a Sam Gimignano/Siena/Lucca/Pisa) - Veneza (2 noites) - Milão (3 noites com bate e volta a Bergamo/Lago Como). Suíça : De Milão há trens diretos para Berna. Fique 4 ou 5 noites por lá e compre o swiss pass. Sugestões de bate e volta : 1 dia para os alpes centrais (Interlaken, Murren, Grindelwald,...) , 1 dia para Lucerna (com Mt Pilatus e/ou passeio de barco), 1 dia para Zermatt ou passeio de trem panoramico se o tempo estiver ruim. É importante ser flexível porque o tempo nas montanhas é imprevisível , mesmo na primavera, e você não vai querer torrar um monte de grana subindo a montanha para ver um monte de nuvem. Se o tempo estiver ruim pegue um trem panorâmico (com o vagão clássico de madeira) até Montreux e visite o castelo. A partir daí você teria por volta de 6 noites, correto? Considerando que você mencionou que tem vontade de conhecer Munique, lhe diria que a viagem de trem até Munique é longa, mas pode ser dividida praticamente no meio com uma parada de uma noite (stopover) em Lindau, cidade em uma ilha interessante no lago constança. De lá há vários trens diretos para Munique onde você ficaria as últimas noites até a volta por Frankfurt.
  18. Mês passado eu desembarquei em Frankfurt vindo do Brasil , para fazer imigração , recolher mala despachada e pegar trem para Freiburg. Deixei duas horas para isso. Mesmo o vôo atrasando a decolagem um pouquinho (cerca de 30m) e em Frankfurt tendo que ir de ônibus até o terminal, ainda sobrou tempo para passar no supermercado e comprar o primeiro joelho de porco da viagem para comer dentro do trem 😃 Resumo da estória, em condições normais 2h seria um tempo bastante confortável para um vôo doméstico com bagagem de mão. E só para constar, alguns dias depois no trem Stuttgart-Estrasburgo houve checagem de passaportes, como é comum nos trens que se destinam a França.
  19. Na realidade eu quis dizer 40 euros, foi ato falho. Isso com o tal voucher, mas como o motorista estava com o taximetro ligado eu vi que a tarifa normal deu por volta de 47 euros. De uma outra vez, de Uber Van pagamos 55 euros para 2 casais com muitas malas.
  20. Agora como chegar de Barcelona até Zurique, se não quiser usar avião tem o trem Barcelona-Paris. Como é meio demorado (6h) eu fiz uma parada no caminho em Nimes, achei a cidade bem interessante. Nas redondezas ainda tem Avignon, Arles, Aigues-Mortes... é uma cidade interessante para 3,4 dias e por ser inverno creio que não se perde tanta coisa, diferentemente da região de praia (Nice, Marseille) que com certeza tem um clima bem diferente dos meses mais quentes nessa época do ano. De Paris tem trem fácil para Suíca. Creio que Genebra é a mais próxima de onde voce pode chegar facilmente a Zurique.
  21. Zurique está longe de ser a cidade mais atraente da Suíça, a maioria das pessoas procura os Alpes, mas é bom saber que essa época de inverno é altissima estação nessa parte do Mundo, além do que é uma época mais atraente para quem quer fazer esportes de inverno. Se for para curtir paisagens vai precisar de uma baita sorte para o tempo deixar ver algo além de um palmo. Agora se tiver compromisso por Zurique mesmo, dá pra fazer um bate e volta bacana para Lucerna e/ou Berna, cidades bem mais atraentes da região.
  22. Bem, as idéias ainda me parecem um tanto confusas na sua cabeça, vamos começar por algumas dúvidas básicas : porque dia 05 você teria que estar em Zurique? Tem vôo comprado de volta para Barcelona já?
  23. O que me chamou atenção aí é a quantidade de dias que vocês têm disponível, se entendi bem vocês teriam no máximo uns 15 dias descontando o tempo ida e a volta do Brasil, correto? Não me parece uma boa idéia conhecer cinco cidades deste porte nessa quantidade de tempo. Conte pelo menos 4 noites para Berlin e 3 noites para as demais. Só aí já vão 16 noites, isso sem contar as inúmeras possibilidades de daytrips, stop overs, bate e voltas que tem entre essas cidades. Eu, sinceramente, recomendaria você enxugar seu roteiro em, no mínimo, uma cidade, provavelmente Budapeste, já que ela tem o deslocamento mais complicado considerando o restante do roteiro.
  24. Peça ao hotel arranjar o táxi para você. Eu peguei um nesse horário recentemente e deu menos que 40 reais com um voucher de preço fixo do hotel.
  25. Acho que você tem a idéia que todo mundo aluga o carro em Frankfurt porque é normalmente a cidade de entrada/saída da Alemanha para quem chega no país de avião. Eu particularmente nunca aluguei carro em Frankfurt, até porque acho totalmente desaconselhável a estratégia de alugar um carro depois de uma viagem transatlântica. Nunca aluguei carro em wurzburg também, mas já fiz em Munique, Nuremberg e Freiburg. É verdade que em Freiburg, o atendente não sabia falar algumas palavras em inglês, mas nada que atrapalhasse a comunicação. Pelo contrário, nas duas cidades menores o atendimento foi bem mais atencioso, o próprio funcionário veio comigo até o carro e tirou algumas dúvidas básicas. Em Munique é tipo : - taí a chave do carro e retira ele no edifício garagem, boa sorte!
×
×
  • Criar Novo...