Ir para conteúdo

regish

Membros
  • Total de itens

    28
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Bio

  • Ocupação
    Analista

Outras informações

  1. Olá @ahkpolo, Eu escrevi errado o nome da cidade é Bethel, você pode encontrar no Google Maps sim. Basicamente você toma um ônibus/van que te leva até a fronteira de Bethel (Guatemala) com Corrozal (México). De lá você toma uma lancha pequena que atravessa o rio Usumacinta e depois mais 3h de ônibus até Palenque. Perigoso não é, mas é uma aventura. Logicamente que como qualquer país de terceiro mundo, você tem que tomar muito cuidado com seus pertences, não leve objetos de valor, não mostre seus aparelhos eletrônicos, esconda qualquer dinheiro que você tenha, etc...Lembre-se que Chiapas é uma
  2. É bem longe....da cidade do méxico até oaxaca que é razoavelmente perto são 6h de ônibus, até san cristóbal de las casas é mais de 10h, deve ser umas 14-15 horas até mérida...
  3. ok...fico feliz de ter te ajudado!! qualquer coisa me avise...
  4. Olá Joana...se as crianças são pequenas complica um pouco porque a maioria dos lugares tem que caminhar bastante...e ir nas ruínas e não caminhar para explorá-las é um desperdício...Uma praia "alternativa" e muito bonita é Tulum...pena que eu não tive tempo de ficar mais por lá...mas vale muito a pena e não tem muitos turistas...é relativamente perto de Cancun, Praia del Carmen e Chichén Itza...e também dá pra ir ver as ruínas de Tulum que são pequenas...daria até para fazer um roteiro mais tranquilo para ir com as crianças... Na cachoeira de água azul pode entrar sim! Tem um lugar que é b
  5. Entre estes paises tenho a comentar: - Chile: o custo de vida em Santiago é muito caro, fora da capital é mais barato. Ao sul de Santiago a paisagem é mais parecida com o norte da europa e faz bastante frio durante os períodos de inverno, bem ao sul estão os glaciares. A norte de Santiago o clima é muito árido a paisagem é desértica. A costa é sem dúvida mais bonita (de se ver) no sul do Chile...mas até mesmo a praia mais parecida com as que temos no Brasil (Iquique) ainda é muito gelada. A temperatura da água em Iquique no verão é parecida com as praias de Santa Catarina no inverno. O mar
  6. É, creio que vc está correta mesmo, eu também nao consegui ir, mas vi algumas fotos da chiva rumbera feita no barco....fiquei com bastante vontade de ir, mas próxima à Calle Uruguai tem bastantes lugares bons...
  7. Coloquei um relatório da viagem no tópico abaixo. http://www.mochileiros.com/viewtopic.php?p=305033#305033
  8. 20- No dia seguinte partimos pela manhã para Veracruz, onde chegaríamos em 4 horas. Passamos por Orizaba e Córdoba. Chegando em Veracruz visitamos o museu naval e fomos para a Boca del Río onde encontramos a Ariadna, sua prima Geraldine e uma amiga para tomar café. Foi muito legal encontrá-la. Elas nos deram algumas dicas para conhecer no dia seguinte. 21 – Fomos tomar café no Gran Café de la Parróquia, um café tradicional desde 1808. Pedimos um Lechero (café com leite) em que nos trazem um copo com café e deve-se tilitar a colher no copo para que o garçom traga o leite. Em seguida fomos v
  9. 15 – Acordamos, tomamos café bem reforçado (tortilhas, feijão, ovos com queijo, café adoçado com leite condensado) e fomos em no tour para Lamanai, um passeio de barco de cerca de 40 mins até as ruínas maias a través do New River. O passeio saía de um cais próximo à praça, mas fomos de van até o local. O guia Gilberto ia parando no caminho a cada animal, planta ou curiosidade. Logo de início vimos um filhote de crocodilo. Paramos também para ver pássaros, flores, outros crocodilos e morcegos, que voaram em nós. Nos faziam companhia um casal de americanos, um casal de ingleses, uma japonesa e s
  10. 12 – De manhã fomos para Chichén Itzá. Não gostei muito. Parecia uma Disneylândia Mexicana. Tudo muito comercial e feito para vender. Bancas de artesanatos por todos os lados e pessoas tentando fazer com que você gastasse. Nos templos não se podia subir, não se podia tocar e sempre havia muita gente na frente para que você conseguisse tirar uma foto legal. Sem embargo o local é muito bonito, isto não podemos negar! É uma beleza plástica. Logo em seguida fomos almoçar em um restaurante para turistas com shows de danças típicas e em seguida fomos para Playa del Carmen. O ônibus originalmente iri
  11. 09-. O casal de franceses de Oaxaca nos havia indicado um albergue chamado Mi Casa e lá nos hospedamos. A dona era uma suíça que acordou quando chegamos. Ela havia ido para San Cristóbal e resolveu ficar por lá. Enquanto tomávamos café, conhecemos um casal de americanos e convidamos eles para irem à San Juan Chamula (uma aldeia indígena) conosco pela tarde. Pela manhã fomos então no mercado da cidade e compramos mantimentos para preparar o almoço. Preparamos uma galinhada e convidamos a Carmela, uma moça que trabalhava no albergue para comer conosco. Ela gostou bastante. Ela nos contou que não
  12. México, Belize & Guatemala 03 – Chegada a Cidade do México. Decidi ir de Metrô até o Albergue, atravessei todo o aeroporto e encontrei a estação do Metrô. O Metrô da cidade do México é incrivelmente barato (2 pesos, o que é por volta de R$ 0,30). Mas as baldeações são muito mal projetadas, eu fiquei prestando atenção em uma delas. Assim que saímos de um trem, descemos uma escada, subimos outra e viramos à esquerda, caminha-se uns 300 mts, vira-se à esquerda novamente e caminha-se mais uns 300 mts por outro corredor, desce mais dois lances de escada e chega no outra linha de trem. Aff!
  13. Estou postando o relatório que eu fiz da minha viagem ao México, Belize e Guatemala com meu colega Cláudio entre os dias 03 e 23 de janeiro de 2008. Vejam o slideshow da viagem: Coloco um breve itinerário e em seguida o relato: Itinerário: Dia 1: chegada na Cidade do México Dia 2: visita à Catedral e Templo Mayor (Cidade do México) Dia 3: Visita ao Museu de Antropologia e o Bosque de Chapultepec (Cidade do México) Dia 4: Teotihuacán e partida para Oaxaca (ônibus noturno) Dia 5: Chegada em Oaxaca e tour para Monte Albán, Santa María del Tule, Tenotitlán del Valle e San
  14. O balboa é como os panamenhos chamam o dólar americano. As notas que são utilizadas são exatamente as do dólar americano mas as moedas não, as moedas utilizadas são as moedas locais com o brasão do país. Para sair à noite vá à Calle Uruguai, lá estão as melhores baladas da cidade...você pode caminhar pelas redondezas. No entanto, é muito popular no Panamá as Chivas Rumberas que são baladas que são realizadas em barcos ou em ônibus. O ônibus vai andando e parando, com bebidas e DJ's...Para ir nas chivas Rumberas, vá até o Causeway que é um dos lugares mais bonitos da cidade, um estrada con
  15. Entre Panamá City e San José tem alguns lugares bonitos que você pode conhecer: 1) Provincia do Coclé: tem a antiga capital Prenomé, o Valle de Anton (montanhas) e a cidade histórica de Natá. 2) Província de Los Santos: uma cidade importante para o folclore e a cultura panamenha é Las Tablas, muito popular entre os habitantes locais, especialmente durante o Carnaval. 3) Província de Chiriquí: é uma região mais protegida e com bonitas paisagens, muitas atividades campestres. Os próprios panamenhos dizem que as pessoas de Chiriquí são como se fossem de outro país. 4) Província de
×
×
  • Criar Novo...