Ir para conteúdo

jackese

Membros
  • Total de itens

    13
  • Registro em

  • Última visita

Conquistas de jackese

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Nos dias subsequentes, andamos muito por Santiago. Dá para conhecer muita coisa on foot. E quando precisamos de um transporte público, não há receio. Gostei do sistema de transporte santiaguino. Achei eficiente. ônibus, metrô, gostei. vale a pena ir aos Cerros ( umas colinas enfeitadas para agradar à família real, segundo um guia q arranjamos). os parques tbm são bem legais, museus, enfim, culturalmente falando, santiago é dez. tbm vimos umas manifestações de estudantes.Vimos muita coisa legal. Voltaria ao Chile, mas em um período de clima mais ameno.Quanto aos custos, creio q gastei lá, em torno de 1.000 reais, incluindo lembrancinhas. conheci uma família de peruanos, testemunhas de Jeová, que foi super atenciosa e nos convidou, muitas vezes, para jantar, almoçar. Conhecemos a Viña Undurraga, pena que foi numa época sem uvas nos vinhedos. Mas provamos alguns tipos de vinhos e ganhamos uma taça. Marquei o horário por e-mail. para chegar até lá pegamos um coletivo até o parque arauco, e de lá, saem ônibus para Undurraga. Ah, chocolate em santiago é bem barato e gostoso. E é vendido em barracas e bancas na rua .Dez! Para a compra de lembrancinhas recomendo o Mercado central. Para quem é amante de pescados e frutos do mar, lá tbm é o lugar. Também fomos a Viña del mar e a Valparaíso. É estranho visitar cidade de praia com um frio tão rigoroso(ao menos para mim, baiana rsrrs). Gostei muito de conhecer uma das residências de neruda. Gosto dele e foi maravilhosa a experiência. A entrada custou 4.000 pesos. A vista de lá, tbm é deslumbrante. Em Valpo há uma ar de antiguidade inundando a cidade. Em Viña, não vi tanta coisa, não. A viagem de santiago até lá tem duração de 1 h e meia, mais ou menos. Imagino que depois do incêndio em Valpo algo tenha se perdido, mas como os chilenos são bem organizados e estruturados, já devem estar tratando de recuperar. Encerramos a nossa viagem indo a Valle Nevado. Na verdade, não fomos a Valle, propriamente dito, porque havia nevado muito na noite anterior, e os carros não podiam passar. Ficamos em farellones. brincamos na neve. rsrrs é muito lindo! Mas procurem uma pacote barato, fomos "enganadas": só fizemos uma parte do passeio, e o cara deu uma desconto mínimo. E tbm descobri, que para quem pechinchou mais, ele deu descontos maiores. Poxa!
  2. Débora, obrigada! hoje tentarei terminar este relato. Infelizmente, muita coisa se perde em um ano:preços e detalhes. Mas darei o máximo de informações que lembrar. Chegamos ao Chile por volta de uma da tarde. Ficamos esperando nossas malas, mas elas não apareciam na esteira.Então, pedimos ajuda a um funcionário da Tam, e ele as encontrou jogadas em um canto. Deu um alívio. Ufa! Fui tentar sacar dinheiro em um caixa, no aeroporto mesmo, e um taxista muito "espertinho" se intrometeu na hora e disse que eu estava fazendo errado. Ele nos "ajudou", e acabamos indo com ele para o nosso hostel, que estava localizado no bairro Brasil. Ele nos levou por 20.000 pesos( essa coisa de lidar sempre com milhares atrapalhou um pouco no início, mas depois, como havia lido aqui, dividia por 4, e cortava dois zeros, acho q era isso! rsrs, no fim deu certo).Deixamos as mochilas no hostel (http://www.travellersplacehostel.cl/pt/) e como não podíamos fazer o check-in por causa do horário, fomos dar uma volta pelo centro. Comemos umas "empanadas". E procuramos um "centro de llamados". Nesses locais fazemos ligações internacionais a um preço mais em conta(são cobradas por minuto), e , se pesquisar bem, encontrará ótimos preços. Nos comunicamos com os nosso familiares. E voltamos para o hostel. Agora sim, fizemos o check-in e fomos para o nosso quarto. Incialmente, os chuveiros estavam quebrados, mas depois isso foi resolvido. Saímos à noite: fomos comer em uma lanchonete. Foi legal. Tinha muita comida com cara de boa. mas não lembro o que comi . rsrsr. No chile, devemos dar gorjetas às garçonetes, empacotadores. É cultural. Não demoramos muito porque estávamos meio perdidas e com um pouco de receio do desconhecido. Tínhamos uma boa referência para chegar ao hostel, ele estava bem próximo de uma das praças principais de Santiago. Tbm estávamos bem cansadas e voltamos para o hostel para recarregar nossas energias.
  3. Continuando... Andei meio preguiçosa e acabei não concluindo o relato. Espero que hoje consiga fazê-lo! Estávamos em pleno inverno chileno: muito frio, realmente. Andamos pela cidade e tentamos conhecer o máximo possível sem ônibus: o parque Florestal, o Cerro de Santa Lucía. Plaza de Armas, a Biblioteca, os Museos, enfim, muitos lugares e impressões. Os chilenos são bem educados mesmo, mas um tanto quanto " na deles". Digo isso, em comparação conosco, brasileiros. Não tive problemas quanto a postura deles. Gosto muito do espanhol, e o falo. E percebi, que realmente, eles não fazem questão de hablar portunhol. cada um que se vire. rsrrs Vi muitos brasileiros suando para se fazerem entender. ãã2::'> Nosso hostel estava localizado numa área central, o que nos permitiu grande mobilidade pela área. Uma coisa interessante: vi muitos imigrantes no chile: bolivianos e peruanos, principalmente, mas havia também: costariquenhos, haitianos, etc. Eles se sentem atraídos ao Chile, devido ao fato do país apresentar uma certa estabilidade econômica,oferecendo assim , maiores oportunidades de emprego. A maior parte destes imigrantes está no comércio informal: à noite, por exemplo, são muitos que vendem comida: arroz, pollo( frango) e muitas outras coisas. Não gostei da cara da comida: era tudo servido com a mão. Isto me causou uma estranheza aguda. De forma geral, achei CARAa comida no Chile, mas pra quem quer viajar e não liga de comer cachorro -quente ou papas fritas con huevos,rsrrsrs, dá para passar.
  4. 21 de junho: Nossa viagem começa com a partida para Guarulhos. O voo saiu de Ssa às 18:50. Tivemos que passar a noite no aeroporto devido a Tam, que realizou várias mudanças nos voos. A noite em Guarulhos foi horrível: frio e sono. O voo rumo a Santiago saíria às sete da manhã. Até que tenttamos dormir, mas alguns fiscais da Infraero não deixaram que deitássemos no chão. 22 de junho: chega o tão aguardado momento de decolar. Voamos com a Lan. Foi bem legal. O lanche foi um maravilhoso café da manhã. O voo levou umas quatro horas e meia. mas foi tranquilo. Dica: se vai conhecer Santiago no inverno, se prepare porque faz muito frio. Comprei luvas e cachecol lá mesmo. Nunca senti tanto frio na minha vida. E quando descobri, um dia, que estávamos nos 14 graus, quase morri. Pensei: e quando chegarmos nos negativos?
  5. Como forma de agradecimento por todas as informações que encontrei aqui, neste site, postarei um relato da viagem que realizei no período de 21 de junho a 01 de julho deste ano. De forma geral, tive uma boa impressão do Chile, pelo menos da parte que conheci: Santiago, Valparaíso, Viña del mar e Farellones. Os chilenos são bem educados, especialmente no trânsito. Gostei do sistema de transporte público: muito eficiente comparado ao que estou acostumada. Não farei um relato muito detalhado, mas darei uma visão geral do que foi cada dia, dicas e informações que julgo úteis. Realizei a viagem com uma amiga. Estávamos planejando desde o ano passado e aproveitamos o período de recesso aqui, na Bahia, para realizar o nosso "empreendimento". Sabíamos que enfrentaríamos frio, mas não imaginávamos que seria tanto. Meu Deus, achei que fosse congelar: pegamos temperaturas que foram de -2 a 14 graus. Mas sempre estava frio. Eram botas, meias, casacos e afins.Mas valeu a experiência!!
  6. Olá! Gostei de suas dicas, mas vc poderia me dizer quanto gastou no período em que esteve no chile? Abraços!
  7. Olá! estou programando uma viagem para o Chile, no ano que vem.Gostei das informações trazidas pelo seu relato. Você poderia dizer quanto gastou durante toda a viagem? Obrigada, Jackeline.
  8. Olá! Tudo bem, Carla? Olhe, no período em que ficamos por lá, o Sol começava a se por às 18:30. No verão, os dias são beeem longos.Às vezes, nem nos dávamos conta de que já passava das oito da noite, porque o" dia" ainda estava bem claro.rsrs Espero ter ajudado.
  9. E aí ,Thiago? Tudo certo? Olhe, a gente também teve essa dúvida, foi aí que li em algum lugar que poderia ligar pro banco e liberar meu cartão para uso internacional. Mantive o dinheiro em conta e sacava em pesos lá no Uruguay em caixas que tinham a bandeira correspondente. O cambio é feito com base na cotação do dia. Vc paga uma taxa a cada saque, por isso é bom sacar uma quantia para tres dias ou mais, conforme vc queira.A taxa é de 78 pesos para qualquer valor!Mas, como tinhamos também um valor em reais, trocamos em uma das muitas casas que há na avenida 18 de julho. Um real sempre vale pelo menos 10 pesos, mas andando vc pode conseguir quem te compre R$1,00 por quase 10, 50 pesos.
  10. Bem...Vou tentar concluir: Chegamos em Colonia. Ficamos no Hostel Colonial, muito legal , limpo e organizado! À tarde fomos ao centro Histórico(pretendíamos ir a Bas, mas as passagens estavam bem caras pro nosso bolso). O centro é um lugar bem interessante mesmo e ver o sol se pondo sentada à beira mar del Plata foi espetacular... [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120323223941.JPG 500 375 Legenda da Foto] Por do soll em Colônia . [ ].[/picturethis] Mas não há muita coisa para se ver em Colonia, No dia seguinte pegamos umas bicicletas e demos outra volta pela cidade e depois fomos conhecer os museus que são muitos(vc paga 100 pesos e conhece quase todos!).Depois do almoço( uma parrilla, 350 pesos para duas pessoas) já não tínhamos muito o que fazer, mas fomos andar ....rsrs No dia seguinte, voltamos a Montevideo com destino a Punta... RESUMINDO: Punta é um lugar lindo, um dia é muito pouco. Nosso hostel estava bem localizado(Punta del Este Hostel) , mas não recomendo. Meio desorganizado. Conhecemos somente as Praias Mansa e Brava. [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120323225334.JPG 500 375 Legenda da Foto]Pôr do Sol -Playa Mansa.. [ ].[/picturethis] No Domingo, voltamos a MOntevideo. Ficamos no mesmo hotel ( A diária foi de 45 dólares com direito a café). Almoçamos, e fomos ao Mercado del Puerto...Só dá Brasil, por lá ...rsrrss À noite demos uma volta pelo bairro. E, no dia seguinte, compramos as lembrancinhas e voltamos ao Brasil. Recomendo: Spléndido Hotel Hostel Colonial Andar pelas Ramblas de MOntevideo Conhecer Ciudad Vieja Conhecer o centro Histórico de Colonia Dedicar mais de um dia a Punta Levar água do Brasil...rsrsrrs( a água é cara, cheguei a pagar 40 pesos por uma garrafa pequena) Eu gastei cerca de R$ 900,00 por lá... Enfim, espero que lhes ajude...
  11. Olá, Juliana! Tudo bem? Claro que posso! À medida que vou relatando, darei as dicas, mas se vc quiser algo mais especifico, me fale que respondo por aqui, o mais rápido possível...rs Abraço!
  12. Olá!! En janeiro deste ano, realizei um grande sonho: conhecer um país de habla hispana. Sou licenciada em Espanhol e a realização de uma imersão é um desejo de 10 entre 10 estudantes e amantes de uma lingua estrangeira. Ao planejar a viagem, que realizei com um amiga, visitei muitas vezes este site em busca de informações, as quais foram super importantes para o sucesso de minha viagem.O plano era passar uns quinze dias, mas minha amiga achou q era muito tempo e que a grana poderia não dar . Reduzimos para sete dias e embarcamos no dia 10 pela Gol (as passagens custaram R$917, 00, partindo de Salvador). Chegamos a Montevideo às três horas mais ou menos, passamos pela imigração e fomos procurar uma táxi( os do aeroporto são muito caros, mas o próprio funcionário da empresa colocou mais uma casal no carro e aí divimos o valor que era de uns 1000 pesos). Chegamos ao nosso hotel (Spléndido), muito legal por sinal, os atendentes foram super legais, na verdade todos lá foram legais. O hotel é bem localizado , se encontra no coração de Ciudad vieja, em frente ao teatro Solis. Só não gostei muito do café da manhã, estranhei o cheiro de ovo que possuíam alguns bolos, mas enfim, tapei o nariz e comi ... Na tarde em que chegamos, fomos conhecer a área nas redondezas, uma caminhada pela Plaza de la Independencia e uma volta pelas ramblas. Comemos em uma padaria. Andamos mais un pouco e voltamos ao hotel. Lá, acabamos caindo em sono profundo, mas foi legal porque recuperamos as forças para o dia seguinte... [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120323230448.JPG 500 375 Legenda da Foto] Caminhando pelas ramblas.. [ ].[/picturethis] No nosso segundo dia em Montevideo, decidimos ir ao "Centenario", mas o grande detalhe...fomos andando... com um mapa nas mãos. Foi legal pq íamos parando e tirando fotos das praças, biblioteca e até da Universidad de la República... Foi cansativo, mas bem divertido .Quando chegamos ao Estádio, pagamos 100 pesos pra entrar e conhecer o museu e o restante...na volta pegamos um`ônibus e descemos perto de um supermercado, onde "almoçamos" rsrss [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120322121806.JPG 500 375 Legenda da Foto]Com karine, andando pela Calle 18 de Julio rumo ao estádio Centenário.. [ ].[/picturethis] Depois de almoçar, voltamos ao hotel. À tarde, visitamos o teatro Solis( nas quartas, as visitas guiadas são gratuitas, desde que sejam em espanhol...) e depois fomos a Pocitos.Este é um lugar legal, acho que deve ser uma espécie de Copacabana ou Leblon.Andamos por lá e paramos para comer em uma hamburguesería. Pedi um ( não lembro o nome) , muito bom!!Tinha tanta coisa dentro... DEpois, voltamos a Ciudad Vieja(é bom andar de ônibus por lá, é barato e me pareceu seguro e confortavel tbm..). No dia seguinte , pegamos o ônibus no Terminal TRes cruces e fomos para Colonia del SAcramento... Continua... [picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20120323001408.JPG 500 375 Legenda da Foto] O luxuoso teatro Solis por dentro.... [ ].[/picturethis]
×
×
  • Criar Novo...