Ir para conteúdo

Gabi CP

Membros
  • Total de itens

    143
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Muito bom ! obrigada pelas informações Estou pensando em fazer a rota pela amazônia boliviana e você me esclareceu e encorajou a descer para Sucre via Villa Serrano muito poucas as informações na internet sobre esse trecho! Encontrar uma mulher que passou por essa rota sozinha encorajou bastante !!!! Arrasou
  2. Bom dia Fred. Primeiramente, obrigada por compartilhar sua rica experiência aqui no mochileiros. Tenho algumas dúvidas e gostaria de saber sua opinião Estou programando uma viagem para percorrer a Bolívia em julho de 2016 com foco na amazônia boliviana, visto que já percorri a Bolívia por outros pontos, mais turísticos e digamos que essa "parte" faltou Bem, gostaria de saber se existe nessa região que percorreu, uma estrutura mínima de turismo que possibilite que eu vá até o Valle Tuvaca e arredores, bem como águas calientes, SoZiNhA, com segurança. Pretendo chegar a região em pe
  3. Fiz um vídeo da minha viagem, bem caseiro, mas dá pra ter uma ideia de como foi Tô postando pra quem tiver curiosidade de ver mais imagens e vídeos.
  4. Muito obrigada ! Fico feliz que tenha acompanhado e gostado! Muitas viagens a nós mochileiros ! Abraço
  5. Acordei as 5h00 e às 5h20 o taxista, que reservei no hostel, já estava a minha espera. Homem de boa índole, me levou ao aeroporto. Fiz meu check in, andei pelo aeroporto e meu voo saiu no horário previsto. Fiz a viagem de dia e as paisagens foram incríveis. Cheguei no final da tarde em São Paulo e minha sobrinha de 9 anos me esperava com um papel na mão com boas vindas, quase chorei . Estava muito feliz, missão cumprida. Cheguei com saudades de casa e já com saudades de viajar novamente... Viajar é investir na própria vida. Viajar é desapegar, por um tempo, de tudo
  6. Esse dia, confesso que estava um pouco desanimada. O dia amanheceu nublado, com cara de chuva, bem cara de fim de viagem. Eu tinha vários planos para esse dia em Lima, como conhecer o centro histórico e ir ao Museo Larco, e percebi que não ia rolar. A grana que eu tinha dava certinho pra continuar hospedada no muquifo (Hostel 2Circus), comer e pegar o táxi para o aeroporto no dia seguinte. Conclusão: Tudo que eu tinha a fazer era ir onde dava à pé e sem pagar entradas. Ok... ultimo dia... até que eu tinha aguentado bem até então... Coloquei um sorriso no rosto e saí andando por Mirafl
  7. Nesse momento da história... devo confessar um grave erro no meu relato... Em todas as minhas planilhas de viagem estavam datas... do dia 10 de maio à 05 de junho... em nenhum momento numerei a viagem como fiz aqui, dia 1, dia 2... Pois é... simplesmente escrevi 25 dias pela conta 10/05 à 05/06, que fiz na minha cabeça com um raciocínio matemático incrível , que dava 25 dias. Falei pra todo mundo que viajei 25 dias, sendo que na realidade eram 27. Eu simplesmente não contei o dia da saída nem o dia 31. Já ri muito disso, confesso... é minha cara esse tipo de coisa. Bem... Vol
  8. Esse final de ano foi uma correria. Peço desculpas a todos que acompanharam o relato. Entrei hoje aqui e deparei com mensagens que me contentaram muito, vocês não imaginam a minha alegria em saber que pessoas leram meu relato e ainda melhor, gostaram. Saber que inspirei alguém a viajar ou a viajar comigo por aqui mesmo, me faz acreditar ainda mais que não viajei sozinha. Mesmo. Fico muito feliz. Hoje termino. Sem falta. Me desculpem a demora. Agora vai.
  9. Paracas tem mil passeios a se fazer, quem gosta de esporte como trekking e outros, lá tem um monte. Quem gosta de moto, quadriciclo essas coisas, também tem um monte. Quem gosta de sossego, praia e piscina, tem também. Paracas é bem turístico e a reserva é enorme e linda! Dá pra passar uns dias ali tranquilamente... Mas... eu tinha apenas 1, então tive que escolher no dedo as opções. A missão do dia era ver o candelabro, a fauna marinha e dar uma “passada na reserva”. Fechei os passeios no próprio Kokopeli e ganhei um desconto por fechar os dois: Islas Ballestas (manhã) + Reserva N
  10. Acordei e tomei um café da manhã esperto, daquele com ovo, pra aguentar bem o dia! Saí às 9h30 de Nasca, novamente com a Soyus e cheguei em Ica 12h e pouco. Comecei a pesquisar a melhor forma para chegar em Paracas: Vi que tem ônibus toda hora para Pisco por 5 soles. De Pisco, você tem que pegar um táxi para Paracas com preço estimado de 20 soles. Somente a Cruz del Sur e a Oltursa fazem o trecho Ica X Paracas - DIRETO. Fui na Cruz del Sur e a passagem Direta custa 20 soles. Conclusão: Em grupo, pode ser que compense ir por Pisco, sozinha não, sairia mais
  11. Obrigada ! Eu fico muito feliz de saber que tem gente lendo e gostando. Abraços
  12. Me perguntaram por que escrevo Nasca e não Nazca. As duas formas são corretas Eu escrevo Nasca por que eles usam assim. Nasca com Z, me soa Brasil com Z. Então optei pelo S.
  13. Descansada, comecei minha maratona de retorno à Nasca. Sim, eu voltaria e voaria. Saí sem pressa de Huacachina, umas 10h e pouco da manhã e fui à Ica. Comprei a passagem ICA X NASCA para às 11h, na empresa Flores, por 10 soles. Cheguei às 14h em Nasca, nem acreditando que eu estava ali novamente. Consegui! Desci do ônibus e peguei um táxi direto para o aeroporto. Eu estava me sentindo muito esperta por não comprar o voo com nenhuma agência da cidade, nem com o Jesus do Hostel. No fim descobri que comprar o voo com agência na cidade ou comprar direto no aeroporto, não faz
  14. Pois é D fabiano... foi o que aconteceu, juro pra você... não aumentei uma vírgula, muito pelo contrário tentei resumir bem , É que menos eu não consegui... Inclusive, eu tenho muitas provas de toda a saga, e mails não respondidos, protocolos de ligação, fotos de caixas eletrônicos com data e horário, a procuração em nome da minha mãe, a transação de dinheiro... e por aí vai. Eu não entendo dessas coisas, quase não uso cartão, esse me disseram que funcionava e acreditei... O por que o cartão não funcionou, porque ninguém me instruiu direito, por que de tudo, eles que vão respo
×
×
  • Criar Novo...