Ir para conteúdo

Ronaldo Paixão

Membros
  • Total de itens

    142
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Ronaldo Paixão postou

  1. Sem problemas. Na verdade eu não fui. Já tinha definido o roteiro e tudo mais. Mas daí surgiram uns problemas aqui em casa e não pude ir. Mas está na agenda. Abraço e obrigado.
  2. Fico feliz que tenha ajudado em alguma coisa. A intenção é essa mesmo, além de despertar em outras pessoas a vontade de conhecer os lugares mencionados. Do nosso grupo que tinha se formado durante o Caminho da Fé, todos foram por "Pedrinhas" (Guaratinguetá) e não por Pindamonhangaba, como eu. Eles também gostaram bastante do trajeto. Procure saber sobre as duas opções. Abraço e bom caminho.
  3. A Caminhada 50 litros da Trilhas e Rumos é muito durável e cabe bastante coisa. Mas ela só tem abertura por cima. Acho que para o seu tipo de viagem talvez não fosse a melhor escolha. Falo isso porque já vi mulheres reclamando da dificuldade de acesso às coisas que estão dentro da mochila. A Quechua indicada é muito boa. Mas se fosse você, gastaria um pouco mais e optaria por uma dessa duas: https://www.decathlon.com.br/mochila-de-viagem-travel100-60l/p https://www.decathlon.com.br/mochila-de-trekking-easyfit-60-l-feminina-quechua/p Daria preferência para a segunda, porque
  4. Vai depender muito do tipo de mochilão que você vai fazer. Se você não for levar barraca e saco de dormir, acho que uma de 40 litros seria suficiente. A Quechua de 30 litros que o amigo citou acima, eu acho pequena demais. Ainda mais sendo mulher, que sempre carrega mais coisa que homem. Se eu fosse você e fosse ficar 3 anos rodando e quisesse comprar uma mochila da Quechua, eu ficaria com uma de 50 ou 60 litros. Como, por exemplo, essa duas aqui: https://www.decathlon.com.br/mochila-de-trekking-easyfit-60-l-feminina-quechua/p https://www.decathlon.com.br/mochila-
  5. Eu estive lá em setembro de 2018, numa quarta ou quinta-feira. Estava fazendo o caminho da fé e nesse dia estava indo de Consolação até Campos do Jordão e decidi subir a Padra do Baú. Eu não entrei pelo mesmo lugar que você, portanto tive que contornar a Pedra para alcançar a face norte. Naquela tarde não havia ninguém solicitando nada, nem funcionários na subida. Havia sim algumas pessoas subindo com guia. Acho que eram dois casais e mais duas duplas de rapazes. Todos com seus guias. Eu cheguei e subi sem guia e quando encontrei alguém que estava descendo, foi só esperar passar e c
  6. Caminho da Fé – Pedra do Baú – Travessia da Serra Fina – Agulhas Negras e Prateleiras (PNI). Estou escrevendo este relato um ano depois que fiz esse passeio. Talvez eu esqueça alguma coisa. Eu estava precisando me desligar da vida que eu vinha levando. Estava precisando fazer o que eu mais gostava, caminhar bastante, travessias em trilhas, subir montanhas, me isolar do mundo “civilizado”. Tinha decidido que eu iria “largar tudo” e sair, sem saber até onde eu iria ou quando voltaria. Tinha uma grana guardada (cinco mil) e deveria ser suficiente para eu viver por pelo menos uns 3 mes
  7. beatrizz, em abril fez 3 anos que voltei de Torres del Paine. Também fiz o circuito completo. Até hoje, de vez em quando, eu me vejo sonhando que ainda estou lá. Eu durmo pensando em amanhã ir até o Glaciar Grey. Eu sonho que estou subindo para as Torres, ou no mirador Britânico. Torres del Paine nunca mais sairá de dentro de quem lá esteve.
  8. Mais uma vez vou dar um pitaco. Minha primeira bota foi uma Finisterre (Nômade), comprada em 2011. Bota excelente. Macia, confortável, durável, bom "agarre" tanto em pedra quanto em lama. Boa impermeabilidade. Foi ressolada. Ainda tenho ela só que quase não uso mais. De vez em quando para trabalhar. No começo de 2013 comprei uma Salomon Mid GTX. Também muito boa, porém não tinha a mesma aderência que a Finisterre. Escorregava principalmente em rocha se tivesse aquele pozinho por ciima. Usei bastante. Em várias travessias, subidas de montanha, caminhadas, etc. Foi para doação no fim d
  9. Muito bem. Uma grande verdade: -quem faz meio, não fez. Eu fiz a Serra Fina em setembro passado. Sou um pouco mais novo que você, estou com 52. A Serra Fina é realmente bem exigente, principalmente o trecho entre a Mina e o Pierre, pela escassez de água. Tem muito "jovem" que não aguenta o tranco. Eu já estou mais acostumado com a marimba e fiz até que de boa. Mas no caminho encontrei uns caras. Ficamos amigos e terminamos juntos. Um deles passou mal mesmo no final. Dessa vez eu fiquei 23 dias "rodando". Fiz o Caminho da Fé. A Pedra do Baú. A Serra Fina. E por fim Agulhas N
  10. Parabéns pela aventura. E parabéns por conhecer o PP. A vista que se tem dele, a partir do Itapiroca é incrível. Do Caratuva também Quanto ao lance da idade, isso não existe. Tanto que os dois véinhos chegaram ao cume, enquanto os novinhos ficaram pelo caminho. Já vi muito disso. Sei que vão querer voltar ao PP. Quem vai uma vez, quer voltar. Na próxima vez, vão direto ao PP. Acampem no cume. Vão num dia de semana, que quase sempre não tem muita gente na trilha. Dormir lá em cima é inesquecível. No outro dia vão para o Caratuva se quiserem. Outra coisa. Não sou nem de longe
  11. Parceiro, será que poderia me tirar umas dúvidas. Estou planejando ir pra chapada agora em maio de 2018. Pretendo chegar em Palmeiras, pegar transfer até caeté e no primeiro dia ir até a cachoeira da fumaça por cima. Os outros 4 dias seguintes pretendo fazer um trekking no Pati, partindo do Bomba e visitando os pontos mais conhecidos, tipo Cachoeirão, Castelo, Cahoeira dos Funis, Cachoeira do Calixto. No último dos 4 dias, quero terminar em Lençóis, onde no dia seguinte pretendo ir no Morro do pai Inácio. A minha dúvida é se faço um circuito circular terminando no Bomba, ou se
  12. Há limite de horário sim Nenhum guarda parque vai deixar você sair para trilha se estiver escuro, ou escurecendo Agora, se você já estiver na trilha e ficar enrolando até escurecer, já é outra estória.
  13. Estive lá em março de 2016. Os 3 campamentos gratuitos eram o Paso, o Italiano e o "Base Torres" (não o Las Torres). O Las Torres já era administrado pela Fantástico Sur e ao que parece está sendo chamado de campamento Central. Segundo o site da Conaf, o campamento Base Torres está fechado para essa temporada. Portanto, gratuitos somente o Paso e o Italiano. No primeiro dia lá, depois de ter pernoitado no Las Torres (Central), pela manhã subi até as Torres, voltando pelas 3 horas e seguindo até o Seron. No segundo dia eu fui até o Dickson. No terceiro dia até o Los Perros,
  14. Olá, Se você for alugar em Puerto Natales, encontrará excelentes barracas, geralmente da Doite (pelo menos quando estive por lá). Só que são barracas mais pesadas. Se você for comprar as Nature Hike, que a loja Alta Montanha e outras no Brasil também já estão vendendo, existem vários modelos que te atenderiam bem. A Silent Wing é um deles. Note que no site da Nature Hike, esse modelo é chamado de Wind-Wing. O modelo vendido pela Alta Montanha é na cor azul, é um pouco mais pesado e o material de confecção não é o mesmo. Eles possuem dois modelos dessa barraca, a cinza claro é mais leve e
  15. Hostel 148. Bom, bem localizado e barato. Além de limpo. Se quiser um almoço legal, tem o "restaurante" do Tourinho, bem perto da portaria do parque. Não se engane pelo aspecto "sujo" ou rústico do lugar. A comida é caseira e deliciosa, além de barata.
  16. Boa Val. Mais uma prá conta. O importante é se divertir, conhecer lugares, pessoas. Parabéns pela viagem e pelo relato.
  17. Um amigo foi em lua de mel para Paris, Roma e uma outra cidade da Alemanha que não me lembro. Assim que desceu em Paris disse que já veio um monte de malaco oferendo passeio, etc. Na conversa roubaram um anel da mulher dele. Bateram a carteira de um cara que estava com o grupo deles também em Paris. Disse que empurraram um monte de passeios caros nele. Que se tivesse ido por conta e pesquisado tinha gastado 30% a menos. A mulher dele comeu alguma coisa que não bateu bem em Roma e ficaram dois dias "de molho". Só da Alemanha que ele disse que foi tudo perfeito. Então par
  18. Essa Naturehike parece muito boa. Além de ser mais leve, é autoportante. Outra vantagem é o pequeno volume que ocupa. Parece que pode ter problemas de condensação. Não é muito ventilada. Se quiser dá para levar aquelas "bexigas tipo tubo e colocar entre teto e sobreteto. Fui com uma barraca européia, que não é autoportante. Bem mais leve que a Nepal. Não tive problemas de condensação. Se fosse para comprar nova eu iria de Nature hike, apesar de não conhecer. A Loja Alta Montanha vai receber o modelo Cirus Ultralight, que é mais leve, mais ventilada e tem mais resistencia a ventos. Provav
  19. Quer um guia. Vou te indicar dois. Os melhores. Geovane Rento e Diego Mariano. Procura os dois no facebook e combina preço. Também tem o Mariano, que não lembro o sobrenome e também é bom, só que é mais fechadão. Acho que ele ainda trabalha no Parnaso.
  20. Cara, tem duas opções se você for de carro. Pode ir até Teresópolis e deixar o carro. Se não me engano pode deixar o carro no próprio estacionamento do parque. Pega um táxi (caro pacarai) e vai para Petrpolis. Ou vai até a rodoviaria e pega o buzão até Petrópolis. Vai ser uma função, por que em Teresópolis os ônibus urbanos não funcionam tão bem quanto em Petrópolis. Demoram para passar na frente do parque. Dificilmente você chega em Teresópolis e consegue ir até Petro para iniciar a travessia no mesmo dia. Se for de ônibus acho meio impossível fazer isso. A outra opção seria deixar o ca
  21. Concordo em tudo sobre Arraial do Cabo. Estive aí em fevereiro de 2007. Tenho muita vontade de voltar. A praia do forno foi a preferida da família, mas eu gostei de todas. Também tem o Pontal do Atalaia que oferece uma paisagem especial. Sem falar que a cidade é muito acolhedora e tranquila, pelo menos quando estive aí. Andava por tudo a pé, a qualquer hora do dia ou da noite, sozinho ou com a família. Também não achei caro comer e passear por aí. Já Búzios não gostei muito. É bem mais caro e muito mais "CVC" pro meu gosto. Exceção feita às praias mais afastadas. Abraços.
  22. A permanência no Campamento Torres e Italiano já requeria reserva prévia quando estive lá em março deste ano. Tanto que eu não pude ficar nesses campamentos. No Paso não exigia, mas tinha vaga sobrando para barracas. Quanto aos campamentos pagos, está escrito que a falta de reserva deixará o trekkeiro sujeito à disponibilidade. Em janeiro, fevereiro pode ser complicado. Em Março, quando estive lá, com clima excelente, sobrava muito espaço em todos os campings pagos. Que houve um aumento muito grande de gente indo prá lá isso houve. Estive conversando com um guarda-parques no Dickson e
  23. Vai viajar. Quando voltar mostra as fotos prá esse pessoal e deixa eles mortos de inveja.
  24. Quinto dia em Torres del Paine. 16-03-2016. Quarta-feira. A intenção inicial era seguir até o campamento Italiano, pernoitar lá e no dia seguinte subir o Vale Francês. Só que ao chegar ao Italiano veio a surpresa. Estavam com problemas nos "banheiros" e não seria possível acampar por lá. Teríamos que seguir até o campamento Francês. Quando você já andou por mais de 7 ou 8 horas, com uma mochila nada leve nas costas e se vê forçado a caminhar por mais 30 minutos, você fica meio desapontado, mesmo que essa caminhada tenha sido por paisagens lindas. Muita coisa boa tinha acontecido.
×
×
  • Criar Novo...