Ir para conteúdo

Franciney

Membros
  • Total de itens

    54
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Franciney

  • Data de Nascimento 26-05-1984

Outras informações

  • Ocupação
    Servidor Publico
  1. Franciney

    Ajuda em La Paz!!

    Amigos mochileiros de todo o Brasil e do mundo se for preciso!!! Vamos la aos fatos fiz uma viagem para a Bolivia em Abril e como sou distraído deixei a jaqueta da minha namorada dentro do hostel Wild Rover. E o pior e que eles nao enviam nem você pagando os custos então eu queria muito que quem passar por la ou pelo Loki(fica quase ao lado do Wild Rover) pudesse pegar essa jaqueta e me mandar eu pago os custos, pago a cerveja para quem bebe a comida para quem não bebe, fale o que quer e eu pago preciso dela tem muito valor sentimental para minha namorada. Ficaria super feliz me ajudem ai, mandem email quem animar [email protected] QUe um mochileiro que me ajudar seja abençoado com a melhor viagem do mundo!!!!!
  2. Amigo vi que você vai passar em La paz dia 21 gostaria de pedir encarecidamente que caso passe perto do Hostel Loki ou WildRover se teria como pegar uma jaqueta da minha namorada que esquecemos la e tem um enorme valor sentimental para nos. Pagos os custos de envio e ate de hospedagem ou cervejas kkk ai em La Paz. Manda uma msg se possivel e-mail [email protected]
  3. 19º dia Ultimo dia em Bariloche, Refúgio Neymam Foi um dia de ressaca devido a noite que foi maravilhosa, a Anne iria embora pela manha e o Rafa pegaria o ônibus para Buenos Aires, nos encontraríamos no hostel MillHouse. A maioria das pessoas que conheci iriam embora nessa manhã, eu resolvi ir no refúgio neumeyer com minha amiga Estefi Vega. Esse passeio é muito bonito devido a beleza natural do local, quem não se cansa de ver neve recomendo. O passeio consiste em ir em um jipe 4x4 até o refúgio em torno de 40 minutos. Chegando ao refúgio tomamos café da manhã, algo bem simples um chá e uns paes. Em seguida escolhemos no cardápio o nosso almoço, tinha um prato vegetariano, carne de porco e truta. Após isso formamos grupos de dez e seguimos para a trilha, o local é deslumbrante, me senti nos países nórdicos, em todos os lugares que se olha vemos apenas neve e mais neve, as arvores altas, secas com aquele ar melancólico de inverno. Não vemos animais grandes, apenas pica-paus e algumas vezes condores. Depois de algo em torno de 1:30 de caminhada por trilhas escorregadias mas nada muito perigoso, o guia era muito bom sempre explicando a fauna e flora do local, chegamos a laguna congelada. Paramos para tirar varias fotos, nesse ponto existe um mirante de madeira com vista para todo o vale, uma vista de tirar o folego. Seguimos para a parte mais divertida da trilha, todos querem brincar com o famoso esqui-bunda, crianças se soltam e adultos viram crianças, todos descem e não se cansam de descer a pequena ladeira em trenós de plástico. O guia oferece diversas vezes um chá bem quente aos mais friorentos, passamos uma hora e meia brincando no esqui-bunda, fazemos bonecos de neve e chega a hora de voltar. Fazemos a trilha de retorno bem mais rápido, a parte divertida do retorno foi uma gorda senhora argentina que devia ter algum problema com equilíbrio, ela sem brincadeira alguma caía a cada 200 metros. Não sei se ela tomou umas la na parte do esqui-bunda, mas era muito engraçado ela caía muito e o marido ficava brigando com ela, chegou um ponto que ele foi andando mais a frente e nem ajudava ela a levantar. Ele berrava na frente "Que Papelão, você é uma palhaça" e ela chingava ele "Maricon me ajuda, cabron de mierda" kkk muito hilário.Chegou a ser um pastelão igual filme do Charles Chaplin, ela andava caía e todo mundo ria, ela dava banana para todos. Andava e caía kkkkkkk sério acho que ela estava bêbada ou o sapato dela era de sola de sabão. Eu fiquei com a barriga doendo de tanto rir da bichana, me sinti mau por rir dela mas meu lado maligno se acabava em risos, o lado negro da força prevaleceu . Depois de rir chegamos ao refugio fomos nos sentando e imediatamente já nos serviram sopas quentes, me senti até em hotel de luxo . Em seguida nos oferecem uma salada e o prato que pedimos mais cedo. Terminamos o almoço, trocamos de roupa e hora de entrar no jipe e voltar para Bariloche, o clima de despedida no carro, a Estefi tenta me convencer a ir com ela para Perito Moreno. Mesmo ela insistindo de várias formas possíveis e impossíveis que as mulheres sabem como fazer eu já tinha combinado com o Rafa que nos encontraríamos em Buenos Aires. Chegando em Bariloche hora da ultima despedida sempre chata, mas enfim a vida segue e cada qual segue seu destino. Peguei minhas malas paguei o que se devia e peguei ônibus para o aeroporto, e por ultimo senti o frio da patagônia pelos últimos trinta minutos, o vento dos infernos kkkk . Enfim peguei meu voo para Buenos Aires cheguei no Hostel por volta das 18:00 horas. Primeira impressão do Millhouse??? Amei de cara, clima jovem, o pessoal do Staff muito solicito. Muitos gringos para quem quer praticar seu inglês. Cheguei no Millhouse o Rafa já tinha feito amizade com um italiano, e pior nem inglês nem espanhol fala, coisas que só ocorrem com quem pega a mochila e encara um albergue. O deus dos mochileiros só coloca pessoas boas e interessantes na sua vida, acredite que dá certo. :'>
  4. 18º dia Aulas de tombo no cerro Catedral e Ice Bar Bom nesse dia me lembro que levantamos cedo para ir esquiar no cerro Catedral, tomamos nosso café e nos reunimos na portaria do hostel me lembro que o valor total desse dia de ski foi R$ 300,00 com tudo aulas, transfer, equipos, acesso o dia todo ao cerro. Tinha mais de duas semanas que não nevava em bariloche e exatemente nesse dia nevou bastante no cerro, o lugar estava polvilhado de flocos de neve. Ficamos impressionados como apenas gelo, igual tem no congelador da sua casa, pode torna a paisagem tão bonita para nos Tupiniquins. Levamos nossa tipica farofa, pães, queijo, presunto, agua e vinho. O cerro nesse dia não estava muito para iniciantes, O Rafa e a Anne nem se arriscaram e ficaram so passeando de teleférico e tirando fotos, eu tentei ficar na aula coletiva de esqui mas sinceramente estava sem paciência, o guia demorava muito para passar os fundamentos, eramos oito pessoas, ele ensinava um a um e todos repetiam e se alguém caía, ele fazia de novo. Pensa em uma aula que nao evoluía, eu me achando o profissional o povo nem em pé ficava, ja eram umas 13:00 horas e nada de tomar umas boas quedas. Resolvi abandonar a aula e buscar minha sorte. Chamei o Alex e fomos nos dois encarar o Cerra Catedral Primeira coisa que notei em relação ao Vale Nevado no Chile, a estrutura do Cerro Catedral achei bem velha, demorava muito para subir e descer ao cerro, as pistas eram enormes e muito íngremes, serio muito mesmo. As pistas de inciantes estavam quase todas fechadas, tinha apenas duas abertas uma que ocorriam as aulas, que era impossível usar, parecia a 25 de março em véspera de natal. A outra uma pista pequena com uma pequena descida sem muitas emoções. Como desci umas vezes e o Alex ja tinha desistido de esquiar, resolvi ir para as pistas intermediarias, afinal eu sou profissional do vale nevado. Maior besteira que fiz no dia foi isso, as pistas eram enormes e do nada vinha uma descida bem íngreme, mesmo freando você pegava uma velocidade quase da luz. Nesse dia eu descobri pela segunda vez que gelo não é macio e dói viu. Depois de muitas quedas e tombos cinematográficos, me sentindo sozinho pois estava esquiando e caindo sem amigos para rir, e os outros passavam em alta velocidade ao meu lado. Fiquei ali sentando tinha levado um ultimo tombo tinha machucado o ombro, apenas sentado vendo a paisagem, aquela cadeia de cerros e montanhas, lagos verde claro e escuro a minha frente, uma cena de filme. Comendo muito gelo para aliviar a sede, parecia que via um filme e em vez de pipoca comia gelo . Chegou o fim do dia nos encontramos e fomos devolver os equipamentos e retornar ao calor do hostel. Aqui se inicia um momento de politico que tive, sai convidando várias pessoas do hostel, fui formando um grupo enorme de pessoas chamando todos para conhecer o bar de gelo de Bariloche e depois de la iriamos ao Santino indicação do meu amigo da ultima noite. Lembro que formamos um grupo bem grande, doze pessoas. Foi uma das melhores noites da viagem, eram pessoas da Colômbia, Peru, Equador e Chile. Um caldeirão da América do Sul. Andamos por algum tempos perdidos pelas ruas de Bariloche, um frio bem acolhedor de uns -2 graus, nos lembrava constantemente a buscar um abrigo mais convidativo. O povo do grupo já me chamando de guia exigindo a chegada logo ao local que eu nem sabia mas que achei depois de muita perguntas, Chegando la fui conversar com o dono para entramos de graça. Não deu certo era um dia de semana e não tinha ninguém la dentro, ele queria 100 pesos para entrar. Tentou me convencer me levou la dentro mostrou o local as chicas que nos atendia(deviam ser selecionadas a dedo, meu deus só gata). O casal de colombianos tentaram negociar em espanhol, nada feito e o dono falou que so ía negociar comigo porque eu sabia conversar, meu castelhano era bom, enquanto chamou os colombianos de grossos. kkkkk nem falava portunhol, quanto mais castelhano. Ai foi aquela briga para reduzir os preços, falei que era filho de árabe e que era bom de pechincha e ele foi baixando o preço. Enfim ele fez a ultima proposta, 50 pesos por pessoa, um bebida de graça para minha pessoa e eu escolheria qual das meninas do bar iriam preparar Todos concordaram e entramos la tiramos fotos, é bem legalzinho porque tudo é de gelo, cadeiras, copos, tudo mesmo bem interessante, acho que não terei outra chance de conhecer um lugar assim então para mim foi bom. O problema era que la dentro fazia muito frio -5 graus. mesmo com essas roupas é bem frio. Tiramos muitas fotos e acredito que depois de uma hora já queríamos um local mais quente. Então convidei todos a irem ao Santino e assim fomos todos para la. Na minha opinião foi a melhor noite em Bariloche, tinha uma banda boa o local muito agradável. Mesmo sendo pequeno o local você tem que ficar em pé o tempo quase todo o clima era muito bom. O cantor logo viu o tanto de brasileiros fez umas gracinhas, ficou apaixonadinho pela Andréia, fazendo umas piadas e paquerando mesmo. Uma noite que será sempre lembrada com carinho, fiquei imaginando como ficamos amigos das pessoas em tão pouco tempo quando queremos, parecia que conhecia cada uma daquelas 12 pessoas de longa data. Uma noite fantásticas era a ultima noite em bariloche com todos os amigos juntos. Tem uns videos feitos pelo rafa vou tentar postar aqui. :'> :'> :'>
  5. Poxa setembro eu não posso porque ja estou indo para Colombia e Venezuela no fim de setembro 25 dias. Mas quem sabe outras trips estou indo pro Pico da Bandeira em julho estamos montando a viagem se animar avisa
  6. kkkk voltei estava preparando minha viagem pra Bolivia e Peru hoje faço mais uns dias e amanha tento fechar o relato antes de viajar. Ai começo o relato de um mochileiro bebado dois
  7. Parabens pela sua conquista e sua superação, largar o cigarro sempre é bom. Eu estou indo em Julho com mais dois amigos, gostaria de algumas dicas. Nem sabia dessa pousada, lembra valores? Não temos barracas podemos alugar la?? e a mula paga quanto? Obrigado pela ajuda e obrigado pelo relato!
  8. Mochileiro Bêbado confirmado e com umas biritas para tomar la em cima e ser o primeiro a ficar legal no Pico da Bandeira tem uma amiga interessada, então já somos quase três. Aventuras nos esperam aos que tem coragem para desbravar o desconhecido se junte e faça parte desse futuro relato.
  9. Alex, Beleza cara! Gostei muito do seu relato,me identifiquei bastante com a forma como você escreve bem natural e inteligente, parece uma cronica da vida privada do mochileiro. Uma coisa que ri muito é seu amor pelos hermanos fui a Argentina e não tive a brilhante ideia de de dar esmolas para eles, eu ri alto aqui com isso e suas outras historias. Eu pensei que eu era o mochileiro mais azarado e lazarento desse fórum mas você conseguiu me deixar ate feliz com minhas historias, meu relato ficou até normal vendo seus perrengues. Parabéns e vamos para a próxima mochilada que esse negócio vicia.
  10. Será????? Bom o macarrão é afrodisíaco dependendo da companhia .... Tem companhia que ate comendo arroz com feijão fica afrodisíaco
  11. 17º dia Bariloche...passeio cvc e noite inusitada Esse dia acordei de ressaca não costumo falar isso mas era quase sempre assim, a Anne tinha visto uns pacotes de fazer o circuito chico e mais cerro campanário, acho que foi 45 ou 40 pesos. Era um passeio se não me engano feito as 15:00 horas e ate o fim da tarde. Em uma van e um guia andamos por alguns pontos turisticos, já para começar bem paramos em um "museu da rosa mosqueda", e la vai todo mundo escutar uma mulher falar por cinco minutos das maravilhas da rosa mosqueda e lógico nos vender mil produtos milagrosos. Adoro muito isso ser feito de besta... Em seguida fomos ao primeiro mirante, como sempre nunca se pode tirar fotos por muito tempo, fomos em uma igreja até bonita que estava fechada e de la sacamos fotos do hotel Lao Lao, no pacote nos falaram que íamos passar em frente do hotel com a van...mas lembre-se esses pacotes CVC já sabem né. Nem passamos perto do hotel, depois iriamos ver uns bosques, parte muito bonita do passeio, o guia explicando e fazendo piadas sobre a cidade, os fundadores, bla bla e bla, nesse momento já era visível o mau humor da Anne que ama passeio CVC . Depois deveríamos visitar uma vila de colonos suíços, mas "devido a falta de tempo" não visitamos, só falaram ali fica a vila Suíça e segue motorista, engraçado que nessa hora o guia falou que os colonos Suíços Tinha criado um forma de fazer um churrasco, aonde se faz um buraco, coloca pedras quentes e brasas no fundo e deposita as carnes(frango,porco,peixe..verduras ou seja tudo o que quiser cozido, ai se coloca mais pedras e cobre com folhas e deixa por 24 horas cozinhando, na boa odeio mentira eu tinha visto um documentário falando que foram os índios Mapuche que ensinaram aos colonos isso, ai até eu fiquei de mau humor com o guia. Depois paramos em dois mirantes e realmente ali conseguimos perceber como a natureza é grandiosa, cada montanha enorme coberta de gelo, algumas nem vemos o cume devido as nuvens, várias ilhas que se formam ao redor de Bariloche, simplesmente indescritível. Por isso sempre falo visitem Bariloche mesmo sendo muito turistica é linda. Com tanta beleza tinha ate esquecido do guia e sua falta de tempo. Chegamos no cerro Campanário agora se paga um valor a parte creio que 80 pesos, o guia foi consultar o clima para ver a visibilidade do cerro, a vista do Cerro Campanário foi eleita uma das mais lindas do mundo. O guia voltou disse ter visibilidade de 30 a 40%, ou seja veríamos mais nuvens que naturaleza. Se não me engano apenas um casal foi ver e não gostou. Como teríamos mais 3 dias em Bariloche resolvemos deixar para ir la outro dia. Parte chata do passeio, pois eu não encontrei mais clima aberto para ver a vista tão famosa. Por fim o guia nos ofereceu em compensação por não termos visto o Cerro Campanário, uma visita a uma fabrica de chocolate, bonzinho esse guia. . Retornamos ao hotel, decidimos jantar la mesmo, teria arroz com Pollo e papas cozidas, adivinha quem adorou ???? Rafa claro a comida estava muito sem graça e ele teve a ousadia de dizer que foi a melhor comida da viagem, deixando eu e a Anne loucos. Se meu macarrão tivesse Pollo, concertesa o Rafa ia amar. Quando fui lavar o prato as americanas estavam preparando a gororoba delas, ai eu perguntei se iam sair, elas me falaram o nome la e eu entendi Volcano, inclusive me chamaram então fiquei animado e convidei o Fabian para ir comigo. Nessa noite fiquei bem amigo do Fabian, nos arrumamos e fomos atrás desse Volcano, ninguém sabia desse lugar, ai pensei lascou! Fomos em alguns bares de turistas e nada, nessa noite esta muito frio, não dava para ficar andando pela rua assim. Marcava -5 graus. Sei que ja era meia noite e nada de encontrar as americanas já bebados de tanto ir de bar em bar, resolvemos comer algo e ir para o hotel, já que iamos esquiar cedo no outro dia. Ai que veio uma das melhores coisas da viagem, vagueando pelo frio de Bariloche, lembra do vento assobiando na orelha, então nessa noite ele esta mais que danadão assobiando minha orelha. Vimos em cima de uma rua um bar com os vidros embaçados e uma musica saindo de dentro. Falei com o Fabian vamos tomar a ultima ali e voltar para o hotel. O bar era muito pequeno e simples, paredes brancas e apenas duas janelas grandes que devido a calefacion estavam embaçadas. Tinha um quadro com aquela foto clássica do Mike Jagger, Bob Marley e Jimmy Clif, outro do Jimmy Hendry e um de um cantor argentino nao sei quem. Tinha uma pequena bancada de madeira com duas chopeiras de cerveja clara e chop escuro. Umas 4 mesas dentro do bar, devia ter uns 30 metros o bar. Assim que entramos deveria ter umas 10 pessoas la dentro, todos olharam com aquela surpresa, devo ter muita cara de brasileiro só pode. Nos aproximamos no bar e pedi dois chops apenas sinalizando com os dedos nem falei nada. Ai o cara do bar gritou: - Brasileiro???? Eu sim sou ai ele começou a falar bem do Brasil, que gostava muito de brasileiros mas que quase não vinham no seu bar por estar afastado do centro. Para vocês verem como batemos pernas atras das americanas. O bar estava muito bom o Fabian estava meio bravo porque não achamos as americanos, mas como o bar so tocava musica latina vi como ele estava feliz e se divertindo. Ai o dono do bar nos deu uma dose gratis de chop. Tiramos foto com ele na maquina dele e do Fabian, que nao vi ate hoje, trocamos facebook. Pense um cara gente boa. A banda que era composta por: uma linda argentina cantando, um cara no teclado e um no violão, sendo que algumas musicas o hermano cantava e outras a moçoila e algumas os dois. Muito bom mesmo adorei a noite . O dono do bar pediu para a banda tocar uma musica para nos, advinha o que foi? MIchel Teló kkkkk. E o pior a cantora veio com o microfone pedir para eu cantar a musica porque ela nao sabia bem a letra.. Putz depois do meu pessimo inglês imagino que meu ritmo seja o pior defeito. Ai ficou aquele coisa todo mundo do bar "Canta..canta..canta hombre " e eu que não sou timido, mas nessa hora fiquei muito timido não sei cantar, a letra é dificil kkkkkkk... ta eu sei mas não sei mesmo cantar. Ficaram uns 2 minutos insistindo e eu falando muito obrigado pelo carinho de vocês mas não sei cantar e bla bla e bla. Ai a cantora falou no meu ouvido canta para mim com uma voz sensual. mas nem assim cantei porque nao sabia. Pedi desculpas e a banda continuou. AI pronto eu e fabian viramos atração do bar as pessoas ficaram em nossa volta conversando. como so tinha homem no bar, perguntaram como são as brasileiras, se é dificil beijar elas , falei que muitoooooooo !!! essas coisas de borachos. A banda fez um intervalo ai ficamos la conversando eles conhecem bem o brasil trabalhavam em um navio que viagem pela costa tupiniquim. Pensei que a cantora me deu mole mas e que ela é aquelas mulheres female fatal mesmo. O que mais gostei foi que eu me senti em casa, O cara da banda me pagou um FernetCola, eu não curti mas os argentinos amam Fernet(bebida amarga como campari) e misturam ele com Coca Cola. Ficamos la ate o bar fechar, o dono me indicou um bar que teriam musica ao vivo no outro dia que fica atras do Los Vikingos. Disse para falar com o dono que era amigo dele, o nome do bar chama Santino. Voltamos para o Hotel umas 3 da manha borachos e felizes com o fim da noite e como ela se desenrolou nem tudo são mulheres amigos também são otimos. :'> :'> :'> :'>
  12. Bom ja agradou muita gente na hora que faz muita gente torce o nariz mas são os que mais comem :'> Hoje mais uns dias de relato
  13. Vamos pro caribe em Setembro já estou montando o roteiro Colombia e Venezuela. La faremos novas farras e algumas indescritíveis kkkkk!!!
  14. Realmente o inglês mata ainda bem que além de brasileiro aqui tem muita simpatia então damos um jeito. Dei umas atualizadas nas publicações, então veja se teve alterações. hoje ainda publico mais dias é so aguardar
×
×
  • Criar Novo...