Ir para conteúdo

ricardovalente84

Membros
  • Total de itens

    36
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que ricardovalente84 postou

  1. Fala ai joao. Cara seguem algumas dicas: 1) Faça um roteiro sem entrar e sair pelo mesmo lugar do brasil. Por exemplo, voce pode sair pelo chui, no RS entrar no uruguai, depois ir pra argentina, dar a volta e voltar pro brasil via Foz do Iguaçu. 2) Uruguai é um país que o custo de vida é maior. Argentina é mais barato e o Chile é mediano. Voce sem grana e animado eu indicaria ir pra Bolivia, que é o mais barato de todos e tem paisagens magnificas. 3) Avalie quantos dias voce te e se nao vale a pena fazer alguns trechos de aviao. Voce economiza tempo e as vezes acha passagens e
  2. Fala ai meu caro! Sim, levamos dolares desde o Brasil. Nas cidades perto da fronteira tambem e facil trocar os dolares, não sei como fica mais para o interior. Fico ai na torcida pra voce conseguir pegar o teleferico de Merida aberto.
  3. Bom, o resultado dos dias agitados em Cartagena pôde ser sentido quando a gente estava se encaminhando para Medellin. Nosso vôo, como quase todos os vôos na Colômbia, tinha uma conexão em Bogotá de umas 4 horas. Nessa conexão nós éramos três defuntos apagados no aeroporto de Bogotá. Eu ainda tava manco (por causa do pulo burro do barco), sem voz e com bastante dor nas costas, resultado claro de uma viagem muito boa! Mas o fato de estar bem destruído fez com que aproveitássemos menos Medellin, mas também não deixamos de ter histórias. O aeroporto de Medellin é longe da cidade, na verdade ele f
  4. Fechamos o passeio para a Playa Blanca no dia anterior. Não me lembro do preço que paguei pelo passeio mas lembro que comprei em uma agencia na rua. Paga-se praticamente o mesmo preço em qualquer lugar, então não precisa perder tempo pesquisando. No dia seguinte acordamos mais cedo e nos dirigimos ao lugar onde saem os barcos para o passeio. O lugar é bem perto da cuidad amurajada e da pra chegar a pe de boa. La vira uma bagunça muito maluca!! Tem uma porrada de gente esperando um barco, parece que você nunca vai conseguir o seu barco e que tomou uma pernada, mas, de alguma forma, você acaba e
  5. Por volta do meio dia partimos de Santa Martha para Cartagena. Conseguimos uma van que nos buscou no nosso hostel em Santa Martha e nos levou até a porta do hostel em Cartagena, a van não foi lotada e foi bem rápido, bem diferente das nossas viagens anteriores. O hostel que arrumamos em Cartagena era até legal, bem estruturado, com muitos quartos, bar, bem localizado, dentro da ciudad amurajada, e bem cheio de gente, principalmente brasileiros. Só que era meio parado em termos de festa, o bar fecha muito cedo e voce tem que ir pra rua. No primeiro dia que chegamos resolvemos dar uma volta gr
  6. No dia seguinte pegamos um taxi que nos levou de volta a Colômbia. Esse taxi nos levou até uma cidade chamada Maicao e de lá pegamos outra condução até Santa Martha. A viagem de saída da Venezuela foi mais tranquila que a de entrada, mas também não deixou de ter suas emoções. Primeiro foi o carro do taxista que nos levou, era mais um desses carros velhos da Ford, acho que o modelo era o sauna... Naquele calor de Maracaibo o ar condicionado não funcionava direito e o cara não deixava abrir a janela nem ferrando!! Tava mais suado que Jebus Lavado!!! As emoções ficaram por conta da estrada, pra c
  7. Antes de continuar o relato sobre o nosso período na Venezuela, tenho que fazer uma observação sobre o câmbio venezuelano que afetou diretamente a sequencia da nossa viagem. Por causa das políticas cambiais do governo Maduro, a oferta de dólares no país é muito escassa. Então, isso faz com que surja um mercado paralelo de dólares que fez com que ficássemos ricos na Venezuela. Só pra se ter uma noção, no câmbio oficial 1 dólar valia 8 bolívares, no paralelo conseguimos trocar 1 dolar por 50 bolívares na divisa com a Colombia! Então, tendo em vista a quantidade confortável de dinheiro que tínha
  8. Bom, reservei um capítulo do relato para contar o caminho que fizemos de Bogotá até Mérida porque realmente foi o trajeto mais complicado que já fiz na vida! Começamos esse trajeto pegando um vôo de Bogotá até Cúcuta, que é a cidade da Colômbia mais próxima da fronteira com a Venezuela que tinha um aeroporto. Nossa ideia inicial era chegar até lá de avião, e, de lá, pegar um ônibus até Mérida. No máximo imaginamos que precisaríamos antes atravessar a fronteira até San Cristóbal, que é a cidade da Venezuela a 30 km da fronteira, e de lá pegar o ônibus. O fato é que de Cúcuta, estávamos a aprox
  9. Segunda feira decidimos ir até a Laguna Guatavita. Trata-se de um parque ambiental próximo de Bogotá onde tem uma lagoa muito maneira. Assuntamos com a atendente meio sequelada do hostel de como podíamos fazer pra chegar la e ela garantiu ser muito facil, além disso ela encheu o parque de elogios o que nos fez animar ainda mais com o passeio. Segundo a atendente, tínhamos a opção de ir de passeio organizado por agência ou de ir por conta própria, que foi nossa opção. Seguimos para o misterioso transmilênio de novo para pegar um ônibus até uma estação específica ao norte de onde saem ônibus de
  10. Chegada em Bogotá Peguei um vôo direto RJ- Bogotá pela Avianca. O vôo é bem tranquilo, apenas 6:30 horas, e o aeroporto de Bogotá é excelente. A parte internacional do aeroporto é moderna e confortável, com wifi livre e funcionando bem! Na saída do aeroporto peguei um taxi para me levar ao hostel, em um bairro chamado Charpinero. Os taxis todos cobravam 40 mil pesos colombianos, que dá aproximadamente 50 reais. O Hostel lá é excelente, bem confortável, com uma mesa de sinuca e bar! Foda! Como cheguei em Bogotá ainda a tarde e meus amigos só chegariam a noite, resolvi so dar uma volta
  11. Fala galera, Esse é o terceiro relato do "Viagens de um Gordo" a ser descrito aqui no Mochileiros. Segue um resumão da viagem: Período: 29/03/2014 a 20/04/2014 - 23 dias Roteiro: Bogotá - Cucuta - Merida - Maracaibo - Santa Martha - Cartagena - Medelin Transportes: Variados!!! Hospedagens: Quartos coletivos de hostels Valor total gasto: Aproximadamente R$7.500,00
  12. Então "Marcos4", muito bom a galera estar aproveitando meu relato de viagem para se planejar. Principalmente os gordos. heheheheheheh. Quanto ao preço, eu gastei R$5.000,00 por todo o período de viagem contando todas as passagens aéreas que eu comprei. So de passagem aérea, eu gastei uns R$1.500,00. Então o gasto com a viagem foi R$3.500,00. Outra coisa, gastei um pouco mais que o necessário bebendo bastante e comendo em alguns lugares legais. So um ponto, o norte do Chile realmente é caro, os 2 pontos mais caros da viagem são o Atacama e Machu Pichu. Principalmente os passeios são bem caros.
  13. Cheguei em Lima na segunda feira pela manhã com a sensação de alívio e tristeza por ser a última parada da viagem. Antes de ir pra Lima, uma peruana que eu conheci em Cuzco me disse, entre outras coisas sobre Lima, que os taxistas da cidade não são muito confiáveis. Segundo ela, os motoristas costumam roubar alguns turistas que chegam no aeroporto. Então, logo que eu cheguei, fui pegar um taxi credenciado ate meu hostel. Me cobrou meio caro, mas valeu a pena pela segurança. 4 gordinhos para o final da viagem 0 gordinhos para os taxistas! Me lembrou o RJ da pior forma. A sensação de ter a
  14. Depois de voltar pra Cuzco, eu tomei um banho e fui direto para o bar do hostel para aproveitar minha última noite na cidade. Novamente o bar do hostel estava movimentado e animado, bebi bastante, conheci bastante gente nova, inclusive uma inglesa muito maneira, que faz trabalhos voluntários em Ollantaytambo, pena que ela não quis ficar até mais tarde ali no bar. Mas a noite continuou boa e acabei indo para um outra boite em Cuzco chamada Templo. A boite é mais legal que a outra em termos de estrutura, mas o público estava péssimo, tinha aproximadamente 10 homens pra cada rapaz. As poucas mulh
  15. A viagem de trem até Aguas Calientes é bem legal de fazer. O trem é muito confortável e arrumado, tem serviço de bordo com um lanche bom e um chocolate delicioso que eles dão de sobremesa. A paisagem no caminho do trem também é algo que merece um destaque, nós vamos pelo vale do rio Urubamba, sendo um vale já temos umas belas montanhas no entorno, e, ao fundo, montanhas ainda mais altas cobertas de neve. Os únicos problemas do trem são o preço, caríssima a passagem, e que ele é muito lento, leva aproximadamente 1 hora e meia para fazer um caminho de aproximadamente 50km, mas a demora foi ate p
  16. Não preciso nem começar essa parte do relato dizendo o tamanho da ressaca que eu acordei na manhã seguinte né! Foi uma quinta feira que eu acordei perto de meio dia e completamente estragado pela noite anterior. O pouco que eu consegui fazer nesse dia foi: buscar minhas roupas que eu tinha deixado na lavanderia, almoçar pouco e voltar para dormir o resto da tarde no hostel. Acordei de novo no fim da tarde e voltei ao mesmo bar, porém esse dia eu não poderia pegar pesado, já que na manhã seguinte eu iniciaria cedo o passeio pelo Valle Sagrado. Então só comi um sanduiche, tomei poucas cervejas,
  17. A viagem entre Arequipa e Cuzco não é curta, a gente passa aproximadamente 10 horas dentro de um ônibus. Então, para não passar o mesmo aperto do trecho anterior, eu me adiantei na compra da passagem e busquei o melhor ônibus que tinha. Definitivamente eu mandei bem, peguei um ônibus da Cruz Azur, com cama, uma TV por poltrona, na qual voce pode escolher o que assistir, e um jantar no qual se escolhe o prato principal. Apesar de a viagem ter tudo pra ser boa, infelizmente meu estômago não permitiu que fosse. Acho que uma mistura de alimentação estranha, com uma barra de chocolate inteira que e
  18. O último dia em Arequipa não foi lá muito emocionante. Eu não tinha tempo nem ânimo de fazer um novo passeio pela região, as opções eram um rafting em um rio qualquer, ou trekkings longos, não topo esportes radicais que envolvem água, frio e esforço e nem trekkings longos. A noite em Arequipa também não é animada, principalmente em uma segunda feira. Por último, não conheci nenhum brasileiro la em Arequipa, e os gringos que estavam no meu hostel, não foram muito com minha cara. Ou seja, minha última noite e último dia foram de um tédio de fazer pena! A sorte é que, como eu citei anteriormente,
  19. Bom, como eu citei na parte anterior, o dia começou cedo, as 3:30 da manhã eu já estava de pé na porta do Hostel aguardando a van que me levaria para o passeio. O frio voltou a me assombrar nesse passeio. Arequipa faz até uma temperatura agradável durante o dia, porém a noite o frio pega, a essa hora da madrugada então dá pra imaginar o sofrimento, um frio próximo a 0 graus. A boa notícia é que, logo que você entra na van, o guia te indica a dormir um pouco porque a primeira parada demora um pouco para acontecer. Como eu não precisava nem de incentivo para voltar a dormir, eu mal acabei de ouv
  20. Cheguei em Arequipa já no início da noite. Arrumei um táxi na rodoviária para me levar até o hostel. Os táxis no Peru são bem baratos, mas sempre vale a pena negociar antes de entrar em um, eles sempre põem os preços acima do normal. O hostel onde eu fiquei era excelente, realmente o melhor que fiquei até esse momento da viagem, ele era completo, com mesa de sinuca, sala de cinema, video game, computadores e internet wifi, entre outras facilidades, além de ter muitos quartos com muitas pessoas hospedadas. A princípio esse monte de facilidades parecem besteira, você sempre pensa que tem muitas
  21. Bom, resolvi fazer um tópico só sobre a ida de Arica para Arequipa porque tem algumas informações importantes para passar para os próximos que pretendem fazer esse mesmo caminho que eu. Em primeiro lugar existem 2 opções para fazer esse trajeto, ou ir direto de ônibus de Arica para Arequipa ou pegar uma lotação de carro até Tacna, primeira cidade Peruana depois da fronteira, e de lá pegar um ônibus até Arequipa. Eu escolhi essa segunda opção por dois motivos: 1) Essa opção fica mais barata, o ônibus partindo do Peru sai pela metade do preço e a lotação de carro é bem barata. 2) O tempo
  22. Bom, depois do meu passeio de bike, as meninas seguiram para um outro passeio no Atacama e eu esperei, num tédio da porra, até o horário do meu ônibus a noite. Eu não queria dormir para me dar sono no ônibus, porque a viagem seria longa, 10 horas. Cheguei na garagem da saída do ônibus e minha viagem começou com uma boa notícia, quatro espanholas, que eu tinha conhecido mais cedo em uma lanchonete, iam no mesmo ônibus que eu, ou melhor, nas poltronas próximas a minha. Bom, o ônibus é muito confortável e a viagem é bem tranquila, aliás foi o melhor trajeto de ônibus que eu fiz no caminho. O únic
  23. Esse foi meu último passeio pelo deserto. Dali, nesse mesmo dia a noite peguei um ônibus e fui pra Arica. Dali pra frente eu estava sozinho. O passeio pelo Deserto do Atacama é realmente fantástico, cada cenário que você vai é mais deslumbrante que o outro. Ainda deixei de fazer 3 passeios que parecem incríveis: Salar de Tara, Lagunas Altiplânicas e O Tour Astronômico. A cidade de San Pedro do Atacama é bem cara, cada refeição que vai fazer na rua voce gasta pelo menos uns R$20,00. Uma água já custa uns R$10,00. Os passeios também não foram baratos, os três que eu fiz pagando agência gastei
×
×
  • Criar Novo...