Ir para conteúdo

matiasp9

Colaboradores
  • Total de itens

    98
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que matiasp9 postou

  1. Dia 17 - 806Km - Rio Colorado-ARG a Buenos Aires-ARG Mais um dia longo na estrada. Com alguns contratempos. Nos perdemos no trevo de Bahia Blanca, pois desviando por Coronel Pringles é mais perto que seguir pela RN 3. Porém, não existe placas para ajudar, sem o GPS eu teria desistido e seguido pela 3. São no mínimo 4 trevos até chegar a estrada correta. Não existe mais sinal de vento e estamos oficialmente fora da Patagônia. Agora é o calor que incomoda, está realmente impossível. A única maneira é tomar muita água. A dica é um almoço leve, deixe o churrasco pra de noite. Digestão + Calor + Retas = sono que pode ser igual a um acidente. Já na grande Buenos Aires, pegamos a autopista para chegar à capital. Andamos alguns poucos km e tivemos uma surpresa. Mais um bloqueio por protestos e tivemos que pegar uma estrada de chão para desviar, isso por uns 10km. Eu ainda prefiro o rípio. Pó e suor não foram uma combinação interessante para o momento. Voltando à autopista, é preciso atenção. Os argentinos não andam a menos de 120km/h, a maioria a 140. Então é preciso ficar atento às placas e para não ser atropelado pelos malucos. É importante já deixar dinheiro no bolso, a cada 5km tem um pedágio e as motos também pagam. Chegamos ao centro da cidade onde ficamos em um bom hotel dessa vez, até com piscina. Faltou foi tempo pra aproveitar (MONSERRAT APART HOTEL - http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/argentina-buenos-aires-hotel.html). Amanha 12:45 embarcamos no buquebus com destino a Colonia del Sacramento! Resumo do dia: 806Km Média Consumo: 16,8 Km/L Média Gasolina: R$2,24 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-17-806km-rio-colorado-arg-buenos.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=RN+22&daddr=Buenos+Aires,+Argentina&hl=pt-BR&geocode=FaMfrf0dNrYt_A%3BFTX97_0d5yqF_Cm9DPlOO8q8lTGHjuiILoGzoA&aq=0&oq=buenos&sll=-40.78886,-63.446045&sspn=8.058926,16.325684&mra=ls&ie=UTF8&ll=-40.78886,-63.446045&spn=4.382992,5.73336&t=m[/googlemap] fiquei com inveja desses porquinhos na piscina buenos aires
  2. Dia 16 - 920Km - Comodoro Rivadavia-ARG a Rio Colorado-ARG Dia longo, mas muito bom. Temperatura agradável e vento a favor a maior parte do tempo. Não baixamos de 150, tocada boa, a estrada permite. Pegamos chuva e protestos na estrada mas chegamos ainda de dia ao destino. O Hotel aqui em Rio Colorado é muito bom, tem tudo que um motociclista precisa, uma cama confortável, garagem e um restaurante em anexo, com cerveja gelada e comida TOP. Aqui os dados para contato (HOTEL SASSO - http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/argentina-rio-colorado-hotel.html). Resumo do dia: 920Km Média Consumo: 14,8 Km/L Média Gasolina: R$2,21 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-16-920km-comodoro-rivadavia-arg-rio.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=RN+22&daddr=RN+3&hl=pt-BR&geocode=FaMfrf0dNrYt_A%3BFVLPQ_0d8qD5-w&aq=0&oq=rio+colorado&sll=-39.812756,-63.934937&sspn=4.088579,8.162842&mra=dme&mrsp=0&sz=8&ie=UTF8&ll=-39.812756,-63.934937&spn=4.088579,8.162842&t=m[/googlemap]
  3. Dia 15 - 432Km - Puerto San Julian-ARG a Comodoro Rivadavia-ARG Hoje o dia foi light, conhecemos a pinguinera em Puerto San Julian. Um passeio simples, rápido e barato. Deu pra ver os pinguins de pertinho, várias aves e a baleia tonina overa, a menor do mundo. Vale a pena! Ainda tentei sem sucesso trocar reais nos bancos da cidade, sem chance! Já estamos praticamente sem pesos e os últimos dólares foram trocados em Ushuaia, a última esperança é Comodoro Rivadavia pois não tenho pesos suficientes para chegar em Buenos Aires, e a maioria dos postos não aceita cartão. Amadorismo... fica a dica do que NÃO FAZER. Dólar é moeda de troca quente, Real é bem mais complicado. Almoçamos ainda em Puerto San Julián e seguimos pela Ruta. Não tem muito o que falar pois é sempre a mesma coisa, retas e desertos. Por esse motivo não indico de forma alguma IR e VOLTAR ao Ushuaia pela Ruta 3, é muito tédio. O vento seguiu atrapalhando, até de forma perigosa. Tem um trecho bem complicado perto de Comodoro, que está em obras de duplicação, com trânsito pesado e lento. Ao entardecer, chegamos em Comodoro Rivadavia. Antes de qualquer coisa saímos a procura de câmbio. A casa de câmbio que pesquisei na internet havia fechado, não existe mais. Fomos então pedindo informações em agências de turismo e hotéis, sem sucesso. Após mais de 1h, achamos uma agência que troca REAIS. Ufa, foi a salvação. Ainda conseguimos uma boa cotação, cerca de 3,80 pesos por real. O anto está abaixo pra quem precisar... Ficamos no HOTEL ESPANOL(http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/argentina-comodoro-rivadavia-hotel.html), muito bom e o dono é atencioso, nos deu várias dicas de passeio e um guia de viagem. Nossa meta agora é Buenos Aires, se fizermos uma boa quilometragem amanhã, conseguimos chegar em 2 dias, caso contrário faremos em 3. Resumo do dia: 432Km Média Consumo: 20,8 Km/L Média Gasolina: R$2,63 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-15-432km-puerto-san-julian-arg.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Puerto+San+Juli%C3%A1n,+Santa+Cruz+Province,+Argentina&daddr=Comodoro+Rivadavia,+Chubut+Province,+Argentina&hl=pt-BR&geocode=FQmmD_0d1ZH2-ynVKo0TnALEvTFh45OeiUAsmA%3BFXAcRP0dIAj6-yn1JEjgTVTkvTFL7rg7jn-fXQ&aq=0&oq=comodo&sll=-49.306103,-67.726891&sspn=0.054228,0.127544&mra=ls&ie=UTF8&ll=-47.587634,-67.492594&spn=3.439647,0.585026&t=m[/googlemap]
  4. Dia 14 - 800Km - Rio Grande-ARG a Puerto San Julian-ARG Saímos por volta das 9h de Rio Grande, sob forte vento e possibilidade de chuva. O trecho até San Sebastian é tranquilo porém o vento contra era assustador. A média nesse trecho ficou por volta 10km/L, a pior de toda a viagem. Abastecemos no YPF anexo à aduana, fizemos a migração e seguimos novamente ao rípio. A aduana chilena fica aproximadamente 2km da aduana argentina. Dessa vez até que foi rápido, poucas filas, e em 20min estávamos prontos. Passando a aduana, logo se chega em uma bifurcação. Segundo a placa, Cerro Sombrero é pela esquerda. Mas eu tinha quase certeza que viemos pela direita. Resolvi confiar na placa e seguir pela esquerda. Realmente o caminho não foi o mesmo da ida. Descobrimos que existem 2 opções de trajeto, ambas com praticamente 120km. A diferença é que na ida pegamos 100% rípio e nesse outro trecho são cerca de 30km de asfalto, e boa parte em obras. Deve-se ir em direção a ONAISIN e não CULLEN. (veja o POST http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/tierra-del-fuego-o-trecho-de-ripio.html). Transcorrido o rípio novamente (já estamos craques), chegamos à balsa do Estreito de Magalhães, aproveitando para almoçar no restaurante novo que existe do outro lado da travessia. Não posso deixar de falar que conheci o chão mais intimamente, de novo. Dessa vez com a Jana na garupa e tudo. Subindo na balsa a moto pendeu pro lado e não tem perna que segure: CHÃO! Novamente, só o vexame de trancar a fila de veículos e precisar de ajuda pra erguer a moto. Nenhum dano, os baús não deixam a moto encostar no chão hehe. Mais alguns km chegamos ao Paso Integração Austral, onde novamente foi tudo rápido. Aqui já utilizei o galão reserva, pois devido ao alto consumo não conseguiria chegar em Rio Gallegos somente com um tanque. É possível abastecer em Cerro Sobrero mas lá a gasolina custa um absurdo. A polícia nos parou próximo a Rio Gallegos, somente pedindo para que assinássemos um registro deles. Aqui para o sul não se vê relatos de propina, os policiais são corretos. A partir disso, a estrada realmente rende, a Ruta 3 é praticamente só reta e muito monótona. O vento lateral continuou companheiro fiel da nossa viagem. Não chega a ser perigoso, mas cansa muito pois assumimos uma postura "torta" na moto e começa a doer tudo, principalmente pescoço. Colocamos como objetivo chegar em Comodoro Rivadavia ou Caleta Olivia, mas realmente seria muito complicado. O trecho mais longo sem abastecimento é até Comandante Luis Piedrabuena, são 240km. Devido ao baixo consumo, cheguei na "baba" hehehe. Em seguida, entramos em Puerto San Julian, a procura de um posto e decidimos ficar por aqui mesmo. A cidade é muito tranquila e agradável. Acabamos descobrindo que é uma cidade com muitos atrativos turísticos e reservamos um passeio para o dia seguinte (ver os pinguins). Achamos umas CABANAS(http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/argentina-puerto-san-julian-cabanas.html) a um preço interessante e fizemos nossa própria janta. A curiosidade ao fazer as compras no mercado, é que a salada saiu mais caro que a carne hehheeh. Tudo é relativo. Resumo do dia: 800Km Média Consumo: 13,8 Km/L Média Gasolina: R$1,90 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-14-800km-rio-grande-arg-puerto-san.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Ruta+257&daddr=-53.2678663,-69.2340411+to:R%C3%ADo+Grande,+Argentina&hl=pt-BR&geocode=FYT_3vwdeTPb-w%3BFWYy0_wdh5Lf-ylF6-UpT2izvTH2lQvkGw0KwQ%3BFUtKy_wdAPr2-ynLwX6pRBZLvDEoc1IBRT8nSA&aq=0&oq=rio+grande&sll=-53.396432,-68.307495&sspn=3.174349,8.162842&mra=dpe&mrsp=1&sz=8&via=1&ie=UTF8&t=m&ll=-53.396432,-68.307495&spn=3.174349,8.162842[/googlemap] [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Ruta+257&daddr=-52.3682659,-69.7314643+to:Puerto+San+Juli%C3%A1n,+Santa+Cruz+Province,+Argentina&hl=pt-BR&geocode=FXWS3_wdBtLa-w%3BFXfs4PwdePvX-yk1AglvW_6zvTE6io1MvleENg%3BFQmmD_0d1ZH2-ynVKo0TnALEvTFh45OeiUAsmA&aq=0&oq=puerto+sa&sll=-52.459357,-69.532471&sspn=0.405422,1.020355&mra=dpe&mrsp=1&sz=11&via=1&ie=UTF8&ll=-52.459357,-69.532471&spn=0.405422,1.020355&t=m[/googlemap]
  5. saulo, muito obrigado pelos elogios... pois saiba que um dos relatos mais legais que li aqui no mochileiros foi aquele seu, rumo a Ushuaia... pena que não conseguiu teu objetivo, mas certamente o fará em breve! quanto a viajar em grupo, n foi problema pois já estamos na nossa 3° viagem juntos. Realmente, o Miguel foi um Chef espetacular durante o trajeto eheheh, valeu a pena! Eu posto as rotas pelo maps, pois acho mais facil a interface, mas não são 100% confiáveis. Sempre confiro antes pelo site ruta0.com, e se ainda assim tiver dúvidas tento entrar em contato com alguem que já fez o trecho
  6. Dia 13 - 212Km - Ushuaia-ARG a Rio Grande-ARG Dia de se despedir de Ushuaia e começar o regresso para casa, não sem alguns desafios pela frente. Ficou marcado, no dia anterior saida para as 8h. Todos prontos, mas eis que chega uma chuva muito forte acompanhada de um vento típico da patagônia. Postergamos por 1h na esperança de acalmar. A situação melhorou mas ainda chuviscava, decidimos sair sob fina garoa, e muito frio. Nem paramos no pórtico, alguns ficaram sem foto nesse ponto clássico, fica para a próxima!! Seguimos em direção ao Paso Garibaldi, com pouca visibilidade devido a chuva e névoa. Depois de alguns km chega mais um elemento da viagem, a NEVE. Com exceção do Miguel , ninguem havia pilotado na neve. Gostei da sensação, não me pareceu tão frio e os flocos batiam suavemente no capacete, a cada pouco tinha que retirar o acúmulo pois "grudava" e ficava difícil enxergar. Não durou muito, mas quando chegamos em Tolhuin já estavámos devidamente congelados e ensopados. Ficamos por cerca de 2h nos esquentando esperando a chuva passar ou diminuir. Junto no posto mais 3 motociclistas em BMW's seguindo para Ushuaia, também se protegendo da neve/chuva (horas nevava, horas chovia). A Janaína realmente se molhou muito, e provavelmente ia pegar uma gripe forte. O tempo melhorou mas seguimos sob forte vento até Rio Grande, onde abastecemos e almoçamos. Para não agravar a situação da Janaína, decidimos ficar aqui mesmo, achar um hotel e repousar até o dia seguinte. Desse ponto em diante nos separamos do grupo, que seguiu até Rio Gallegos, então estamos com cerca de 1 dia de atraso no cronograma em relação aos demais. Achamos logo um bom Hotel (HOTEL VILLA) e aproveitei pra trocar o óleo da moto e comprar lubrificante para correia. Aqui em Rio Grande tem uma loja enorme de acessórios para moto, realmente tem de tudo, jaquetas, pneus, comunicadores, capacetes, enfim, o que precisar vai encontrar aqui. Amanhã seguimos pelo rípio com objetivo incerto, vamos no mínimo até Comandante Luis Piedrabuena. Resumo do dia: 212Km Média Consumo: 15,7 Km/L Média Gasolina: R$1,77 [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Ushuaia,+Argentina&daddr=R%C3%ADo+Grande,+Argentina&hl=pt-BR&geocode=FQjKu_wdmcft-ym_CdG6tSJMvDH860O6PUeYVA%3BFUtKy_wdAPr2-ynLwX6pRBZLvDEoc1IBRT8nSA&aq=0&oq=rio+grande&sll=-54.801912,-68.302951&sspn=0.191759,0.510178&mra=ls&ie=UTF8&t=m&ll=-54.291085,-67.743755&spn=1.022479,1.124228[/googlemap] MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-13-ushuaia-arg-rio-grande-arg.html Esperando o tempo melhorar em Tolhuin Aproveitando para trocar o óleo em Rio Grande
  7. Dia 12 - Ushuaia-ARG - Fin del Mundo Dia de passeios, sem quilometragem significativa. Conhecemos a cidade, fizemos compras e descansamos. Subimos até o Glaciar Martial, que sempre tem neve em seu topo... subimos com os teleféricos e nos divertimos um pouco na neve. A noite, mais uma excelente janta do Mr Miguel, regada a vinho e Fernet. Amanhã começamos a volta pra casa! MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-12-ushuaia-arg.html
  8. Dia 11 - 410km - Cerro Sombrero-CHI a Ushuaia-ARG Depois dos imprevistos do dia anterior parcialmente resolvidos, seguimos pelo ripio de Cerro Sombrero, foram 120km deste piso (depois descobrimos que existe uma alternativa com menos rípio) percorridos tranquilamente, observando as mesmos cuidados dos trechos anteriores. Uma coisa que sempre se repetia eram os comentários com outros motociclistas e motoristas em conversas de posto... que a estrada era horrível e que sofreríamos muito... é aquela velha história, "sem saber que era impossível, ele foi lá e fez". Pegamos todas as condições de estrada possível, com chuva, vento e rípio e em nenhum momento a tarefa pareceu impossível, parece que corpo e mente se adaptam rapidamente às novas condições e acaba passando rápido, nem paramos nesse trecho e logo chegamos à aduana. Demorou um pouco, tem muitas filas nesse trajeto, mas em 1h já estávamos prontos. Mais alguns km de rípio, chegamos a Aduana argentina onde os tramites são rápidos. No local tem posto onde se abastece ao preço "argentino". Chegamos a Rio Grande por volta do meio-dia, a cidade não é muito bonita mas tem diversos monumentos em homenagem às Malvinas então acaba tendo algum atrativo. Debatemos rapidamente a questão da manutenção da XJ e os pneus das Harleys, que precisavam ser trocados. Para não penalizar todo grupo decidimos então que o Márcio, Marcelo e Miguel ficariam aqui fazendo a manutenção das motos e o restante, Matias, Janaína e Jociel seguiriam para Ushuaia, achando uma hospedagem e já providenciando a janta para os "retardatários". Almoçamos e seguimos viagem, este trecho até Ushuaia é um dos mais bacanas da viagem, logo a paisagem árida se transforma em belas florestas, ora intercalando com lagos e montanhas. Acabamos nem parando para fotos, rodamos um pouco tensos devido aos problemas com nossos amigos. Chegamos finalmente ao nosso destino: USHUAIA, após quase 6mil km de paisagens surpreendentes e desafios aqui estamos... A cidade com certeza não é apenas a de latitude mais ao sul do planeta, não sabemos bem porque mas o lugar e definitivamente especial, sensação semelhante a de estar no Atacama ou Machu Picchu. Infelizmente não chegamos em grupo, mas no momento pareceu a decisão mais correta a ser tomada. Passado o deslumbre inicial, saímos procurar uma hospedagem. Depois de quase 2h, achamos uma com vagas, as CABAÑAS ONASHIN (http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/argentina-ushuaia-cabanas.html). A dica é reservar antes, agora em janeira está tudo lotado. Nos ajeitamos na hospedagem, mandamos uma mensagem pro grupo e fizemos umas compras no mercado. Acabamos tirando um cochilo quando já passado da meia-noite ouvimos o ronco das Harleys... finalmente todos chegaram a USHUAIA, pneus trocados e corrente nova na XJ6. O pessoal pegou muito frio no "Paso Garibaldi", já nem sentiam as mãos mais... Jantamos e finalmente fomos descansar para o dia seguinte... Resumo do dia: 410km, sendo 121km de rípio Média Consumo: 17,7 Km/L Média Gasolina: R$1,83 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-11-410km-cerro-sombrero-chi-ushuaia.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Ushuaia,+Argentina&daddr=Ruta+257&geocode=FQjKu_wdmcft-ym_CdG6tSJMvDH860O6PUeYVA%3BFdxe2_wdNZje-w&aq=0&oq=ushu&sll=-52.928775,-68.807373&sspn=0.80218,2.04071&hl=pt-BR&mra=dme&mrsp=1&sz=10&ie=UTF8&t=m&ll=-53.735716,-68.708496&spn=3.899763,6.591797&z=6[/googlemap] Marcelo e a XJ6 na oficina em Rio Grande
  9. ola noellen, parabens pelo roteiro desde já seguem algumas dicas: 1 - O trecho entre capixaba e Cuzco não é possivel fazer em 1 dia, ainda mais de moto 250cc, divida em 2 dias, o pessoal normalmente fica em Puerto Maldonado 2 - da mesma forma, entre Antofagasta e Potosi... inclusive boa parte desse trecho é de rípio, se for isso mesmo, reserve de 2 a 3 dias. sugiro que voce vá de La paz para Arica (Paso Chungara), depois iquique e antofagasta, esse trecho é 100% asfalto. tambem serão necessários no minimo 2 dias. 3 - achei exagero essas trocas de óleo, acredito que 1 no meio da viagem é suficiente, fiz assim na minha... 4 - hospedagens: http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/ 5 - lugares para conhecer, cuzco (2 dias), trocar puno por copacabana (bolovia - 1 dia), atacama (2 a 5 dias) 6 - trechos que requerem mais atenção: puerto maldonado -> cuzco / la paz -> chile / atacama -> salta todos trechos com altutudes acima de 4000m, sair cedo, chegar cedo... se pegar noite... fud$%!!, muito frio e risco de neve, se o tempo ameaçar fechar, procure local para passar a noite...na cordilheira chuva = neve. 7 - atacama -> salta, a rota está errada, vc deve ir pelo paso de jama, a nao ser que queira pegar chao (paso sico) 8 - vc pode e DEVE se hospedar no atacama, o lugar é espetacular... tem hospedagens com preço bom sim, basta procurar... se levar barraca, o problema esta resolvido acho que é isso boa sorte, e no q precisar estamos ai
  10. Dia 10 - 468km - El Calafate-ARG a Cerro Sombrero-CHI Saímos de El Calafate e ficou decidido que não iriamos mais a Puerto Natales e Punta Arenas no Chile, indo direto para Rio Gallegos/Rio Grande/Ushuaia. O Objetivo do dia seria Rio Grande, chegando lá tomaríamos a decisão de ir até Ushuaia ou não... Tocamos até Rio Gallegos, estrada muito boa, o que pegou realmente foi o frio, colocamos todas as roupas disponíveis e mesmo assim estava de congelar, o vento ainda não chegava a incomodar... Chegamos por volta das 11h e já aproveitamos fazer um lanche. Daqui em diante o trecho não rende mais, até Rio Grande são 2 aduanas, balsa e o famoso trecho de rípio de Tierra del Fuego. Primeiro, se faz a aduana no "Paso Internacional Austral", para quem entra no Chile, deve-se passar a aduana argentina, pois todos os tramites são feitos na aduana chilena. Depois na volta acontece o inverso, tudo é feito na Argentina. Isso agiliza um pouco, mas mesmo assim, é muita gente, então demora um pouco. Pra pelhorar um pouco, a chuva, nossa companheira nessa viagem veio de novo pra dificultar as coisas. Depois, é a balsa do Estreito de Magalhães, essa é rápida, são uns 20min de travessia. A medida que chega uma, ela já leva os carros para o outro lado, então não é muita espera. Seguindo mais um pouco, pegamos a esquerda em direção a San Sebastian, passando por Cerro Sombrero... logo começa o rípioo. Não chegamos a completar 1km, eu estava na frente, com o Marcelo uns 20m atrás e um pouco mais a esquerda, quando pelo retrovisor, vi ele freando forte, travando a roda traseira e se debatendo pra deixar a moto em pé. A principio não entendi, depois ficou claro... a corrente simplesmente saltou fora, ficando enganchada na pedaleira do carona, travando tudo... A única explicação que encontramos foi ter saltado alguma pedrinha entre a corrente e a coroa, na hora errada e no lugar errado, não é possível acontecer isso com a relação sem um fator externo. Menos mal que o Marcelo, piloto experiente, conseguiu dominar a moto com a roda travada e "sem leme" a cerca de 60km/h, a maioria teria ido para o chão. Merda feita, desmontamos a roda pra liberar o giro. A corrente danificou alguns elos e um estava seriamente comprometido, assim como coroa e pinhão danificados. Dali a moto só saia rebocada. Paramos alguns caminhões e carros mas ninguém se dispôs a rebocar a moto até Rio Grande, onde certamente teríamos mais chance de um conserto. Sem mais opção, voltamos a Cerro Sombrero, achamos um lugar pra ficar enquanto um mecânico local tentava operar um milagre para colocar a moto em condições de rodar até Rio Grande. Já noite, veio ele até nosso precário Hostel, avisar que tinha encontrado um elo compatível e conseguiu deixar a relação funcionando. Não era o ideal, mas é o que havia para o momento, sendo que cobrou 60.000 pesos do Marcelo, melhor que rebocar a moto até Rio Grande... Amanhã seguimos viagem, a cidade aqui é terrível. Resumo do dia: 468km Média Consumo: 15,7 Km/L Média Gasolina: R$1,90 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-10-468km-el-calafate-arg-cerro.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=El+Calafate,+Santa+Cruz+Province,+Argentina&daddr=-50.7357845,-71.18598+to:-52.396663,-69.755813+to:Ruta+257&hl=pt-BR&geocode=FYre__wdVD2x-ynLYo8TwAy7vTFp3OSIXQPUMA%3BFVjV-fwdxMnB-ynJ2cVMbDm6vTH208k9UIh2Bg%3BFYl94PwdW5zX-yk1AglvW_6zvTE7io1MvleENg%3BFXWS3_wdBtLa-w&sll=-51.512161,-70.296021&sspn=3.326755,8.162842&mra=dpe&mrsp=1&sz=8&via=1,2&ie=UTF8&t=m&ll=-51.248163,-70.883789&spn=2.750896,4.372559&z=6[/googlemap] [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Ruta+257&daddr=Y-665&hl=pt-BR&geocode=FRT83vwdjDPb-w%3BFR7D2vwdD87e-w&aq=1&oq=rio+grande&sll=-52.759775,-69.251289&sspn=0.201324,0.510178&t=m&mra=dme&mrsp=1&sz=12&ie=UTF8&ll=-52.62306,-69.400635&spn=0.666934,1.09314&z=8[/googlemap]
  11. Dia 9 - 150km - El Calafate-ARG / Parque Nacional Los Graciares Dia de passeios e descanso na cidade de El Calafate, cidade do onde saem diversos passeios, sen o o principal a visita ao Parque Nacional Los Glaciares. Fica distante cerca de 80km do centro que devem ser feitos de moto pois as paisagens no caminho são espetaculares. Cabe salientar que a temperatura cai bastante a medida que se aproxima do parque. A entrada custa 90 pesos para habitantes do Mercosul. Os passeios de barco ou trekking na geleira são comprados a parte. Desnessário fazer qualquer comentário sobre o passeio, é O LUGAR, que já paga toda viagem que fizemos até aqui... indispensável... Passeamos um bom tempo pelas passarelas, de onde se pode contemplar Perito Moreno de diversos ângulos. Almoçamos no local e à tarde aproveitamos e tempo livre para conhecer a cidade e comprar algumas lembranças. Para quem tem mais tempo, disposição e dinheiro, daqui saem excursões para El Chaltén (Fitz Roy), Torres del Paine (Chile), dentre outros... MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-9-150km-el-calafate-arg-parque.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=El+Calafate,+Santa+Cruz+Province,+Argentina&daddr=-50.465731,-73.0289611+to:Av+17+de+Octubre&hl=pt-BR&geocode=FYre__wdVD2x-ynLYo8TwAy7vTFp3OSIXQPUMA%3BFT30_fwdn6ql-ylTg4uERDa7vTGrIwlX9EitKQ%3BFX_e__wd2DCx-w&sll=-50.348856,-72.286949&sspn=0.101652,0.255089&mra=dme&mrsp=2&sz=13&via=1&ie=UTF8&t=m&ll=-50.341955,-72.575684&spn=1.051735,1.647949&z=8[/googlemap] Caminho a "Los Glaciares" Parque Nacional Los Glaciares Lago Argentino Micro Comil Piá em El Calafate
  12. Dia 8 - 331km - Gobernador Gregores-ARG a El Calafate-ARG Ressaca de ano novo... só que não... A virada de ano foi diferente, as 10 da noite já estávamos dormindo hehe. Não havia internet nas cabanas então foi totalmente "fora da mídia". Às 8hs todos prontos, demos uma rápida passado na avenida principal e seguimos para a ruta. Uma curiosidade que observamos desde Perito Moreno (a cidade, não confundir com o Glaciar) foi a quantidade de lhamas mortas na estrada (tanto atropeladas como em cima das cercas ao lado da estrada). A principio ninguém entendeu porque havia tantas esticadas em cima da cerca... logo veio a resposta. Elas ficam presas ao tentar passar e morrem ali mesmo. Presenciamos a cena e tivemos o privilégio de salvar uma delas (vídeo abaixo), foi um momento muito legal.... Seguindo, são exatamente 60km de asfalto até o "empalme" com a antiga Ruta 40 e a RP29. A partir daqui não tem jeito, o piso é rípio. Ali se pega a esquerda, pela Ruta 40, sentido 3 Lagos. Dali, são 113km até 3 Lagos, sendo que faltam cerca de 80km para conclusão do asfalto. Boa parte já está preparada para receber o pavimento, o resto ainda vai demorar um pouco. O trecho não é de todo ruim, bem variável, chegamos a andar a 100km/h, as vezes 30/40... na média se anda a 60km/h com segurança. A parte boa, como sempre, fica por conta das paisagens... logo somos recebidos pelo Lago Cardiel, parece um oásis em meio ao deserto... Ainda cruzamos com alguns cavalos selvagens que habitam a região. Um dos macetes aqui é acessar o asfalto que está pronto em alguns pontos, burlando os desvios. Foram 4 ou 5 trechos que andamos no asfalto clandestinamente... Em alguns desses "gatos", teve gente comprando terreno no exterior, inclusive eu, como o vídeo comprova. Ainda que nessas partes a Janaína descia e em caso de queda, só eu que me estoporava. Aos trancos e barrancos chegamos em Tres Lagos, a cidade fantasma. Não havia uma alma na cidade (também, quem que quer passar o ano novo aqui??), muito menos gasolina. Abastecemos os galões reservas e seguimos nosso instinto de direção para voltar a ruta. E nada de asfalto, estranho... A sorte que cruzamos com um carro que nos corrigiu... "Vocês estão indo pra Piedrabuena, Calafate é para o outro lado!" Cacete de agulha, prontamente voltamos e logo chegamos ao asfalto, agora a preocupação era outra, a gasolina é suficiente? O trecho aqui é matador, difícil de descrever a beleza do trecho... passamos ao lado do Lago Viedma, sempre com enormes montanhas a nossa volta, entre elas o Fitz Roy que vai ficar para outra viagem. Chegamos ao parador La Leona nos abrigar do frio e chegamos a conclusão que nem todos teriam combustível suficiente. De qualquer forma ficou decidido que seguiríamos em frente. Dito e feito, fui o primeiro a ficar sem, restando 50km para El Calafate. Tinha uma autonomia teórica de 400km, mas aqui quem manda é o vento, que muda tudo sem pedir permissão, ou seja, consumo péssimo. Encostamos junto com o Miguel e ficamos mendigando gasolina... 4 de 5 carros que acenamos pararam, o pessoal aqui ajuda bastante. Conseguimos 2 litros a muito custo, estava difícil retirar com a mangueira e seguimos viagem. Detalhe, ninguém deixou a gente pagar a gasolina, tudo na parça. Mais 20-25km paramos de novo, a gente já conseguia avistar El Calafate. Assim, esperamos mais uns minutos e logo chegou o Jociel com 5L pra nos resgatar... Assim, eu e a Janaína nos instalamos em um HOTEL (bom bonito e barato, para o padrão da cidade - http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/argentina-el-calafate-hotelcabanas.html) enquanto os guris ficaram em um Hostel. Amanhã, dia de descanso e visita ao Parque Nacional Los Glaciares!!! Resumo do dia: 331km, sendo 80km de rípio Média Consumo: 15,5 Km/L Média Gasolina: R$1,74 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-8-331km-gobernador-gregores-arg-el.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Gobernador+Gregores&daddr=El+Calafate,+Santa+Cruz+Province,+Argentina&hl=pt-BR&geocode=FRgeGP0drBHQ-ynfT1QQxom_vTE6ZypyxhkfMQ%3BFYre__wdVD2x-ynLYo8TwAy7vTFp3OSIXQPUMA&aq=0&oq=el+cala&sll=-48.75108,-70.250068&sspn=0.013709,0.031886&mra=ls&ie=UTF8&t=m&ll=-49.539469,-71.257324&spn=2.138834,3.295898&z=7[/googlemap] Gobernador Gregores ruta 40 Lago Cardiel cavalos selvagens La Leona Lago Viedma Sem gasolina, 50km antes de El Calafate Só alegria em El Calafate
  13. Dia 7 - 588km - Coyhaique-CHI a Gobernador Gregores-ARG Saímos 8h de Coyhaique com objetivo de chegar as 10h em Puerto Ingeniero Ibanez, o horário da balsa segundo informações. Seguimos pela Ruta 7 (Carretera Austral), e não podia ser diferente, por paisagens incríveis. Logo se entra no Parque Nacional Cerro Castillo, belíssimo, parece que estamos no Canadá ou Europa, cena de filme. Extremamente frio, um chuvisco chato nos acompanhou e os raios de sol teimavam em não sair, acredito que pegamos perto de 0° no parque, pois estava quase congelando. Importante observar nas rutas chilenas daqui, que para seguir na ruta 7 é preciso fazer algumas conversões. É contra o nosso instinto, a teoria é que seguindo sempre em frente continuamos na mesma rodovia, mas aqui é necessário fazer algumas conversões para seguir o caminho correto. A dica então é seguir as placas, e não nosso instinto... Na saída do parque, começa um trecho de descida, uma espécie de Caracoles... bela visão da estrada. E tão logo se chega no fim da descida, saímos da Ruta 7 e dobramos a esquerda, em direção a Puerto Ibanez. Dessa forma, cortamos um trecho de cerca de 300km de rípio, um dos mais belos, mas consideramos que seria abusar das nossas motos, que já estão fazendo muito mais do que se espera delas. Chegamos na cidade, e grata surpresa, é uma cidade muito limpa, organizada. Isso sem falar do Lago General Carrera, de cor esverdeada. Acabamos chegando cedo demais e aproveitamos fazer um "desayuno" em um hotel da cidade, muito bom!! Por fim, embarcamos na balsa, o custo é de 6000 chilenos a moto e mais 1000 cada tripulante (não tenho certeza absoluta dos valores). A travessia leva 2hs e desembarcamos em Chile Chico (destino planejado do dia anterior) e daqui seguimos em direção a fronteira argentina (Los Antiguos). A aduana foi rápida, o sol já estava firme quando olhando pra trás, uma tempestade forte se aproximava. Vento descomunal, pensei PQP, é chegar perto da Ruta 40 começa isso?? Colocamos as capas e enrolamos o cabo, felizmente a tempestade ficou pra trás. Abastecemos e almoçamos em Perito Moreno. Aqui, fizemos a primeira alteração de roteiro da viagem, a ideia inicial era contornar a 40 e seguir pelo litoral (Ruta 3), porém conforme informações do nosso experiente amigo Gedson Frasson (http://gedsonfrasson.blogspot.com.br/) que havia feito a "40" algumas semanas antes e de Biz(!!!) poderíamos ir tranquilamente, pois está quase tudo asfaltado. Perguntando para o pessoal, quanto de rípio havia "Hasta El Calafate", as respostas variavam de ZERO a DUZENTOS... bom vamos pela média, são 100km, vamos encarar... Seguimos pela maravilhosa e lendária RUTA 40, que está para a Argentina assim como a ROUTE 66 está para os EUA e convenhamos... não é preciso ir até os staites, para andar em uma rodovia de cinema, aqui está ela, a poucos quilômetros de casa... LA CUARENTA Logo chegamos em Bajo Caracoles, "cidade" que segundo nos informou o frentista, possui 12 habitantes no inverno... o frentista, o cara do hotel, o policia, o mecânico... loco Abastecemos e seguimos, aqui o trecho rende... são somente 218km até Gobernador Gregores, nosso objetivo. Mesmo assim, logo acendeu minha reserva... pudera, chegamos a andar a 190km/h quando o vento ficava a favor... tirei um pouco a mão para não precisar usar o galão (pura preguiça). Avistamos uma nuvem negra a frente, mais chuva... e lá vamos botar as capas de chuva... terceira vez no dia, isso é um saco. Mal terminamos de nos vestir, se foi a nuvem... Aqui o vento é tanto que a tempestade foi pra longe, que beleza, mas agora não tipo mais a capa huehueheu... Nada de rípio, apenas um desvio de 50m em uma ponte que não está concluída. Nesse ponto, o Miguel se emocionou e foi o primeiro a conhecer intimamente o rípio. Nada grave... Chegamos a Gobernador Gregores, bela cidade... nos encontramos novamente com um pessoal de Antônio Prado/RS que também fez a Carretera Autral (já havíamos encontrado eles em Esquel e adesivos nos postos). Ficamos em umas cabanas bem bacanas (http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/argentina-gobernador-gregores-cabanas.html) onde passamos o Ano Novo. Nossa comemoração vai ser na estrada, rípio e El Calafate, TOP! Resumo do dia: 568Km, sendo 40km de balsa Média Consumo: 14,0 Km/L Média Gasolina Chile: R$4,23 Média Gasolina Argentina: R$2,01 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-7-588km-coyhaique-chi-gobernador.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Coihaique,+Coihaique,+Chile&daddr=Puerto+Ingeniero+Ib%C3%A1%C3%B1ez,+Coihaique,+Chile&hl=pt-BR&geocode=FTSpSP0dE120-ym3bGB6cNnyvTGBpS8FjZGFRQ%3BFUWpPf0d10y2-ynXO0h_F7WSvTHkc0HmSbEuXQ&aq=0&oq=puerto+ing&sll=-46.301347,-71.911011&sspn=0.057459,0.127544&mra=ls&ie=UTF8&t=m&ll=-45.828799,-71.905518&spn=1.1483,1.647949&z=8[/googlemap] [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Gobernador+Gregores,+Santa+Cruz+Province,+Argentina&daddr=X-763&hl=pt-BR&geocode=FRgeGP0drBHQ-ynfT1QQxom_vTE6ZypyxhkfMQ%3BFbieOv0dore3-w&aq=0&oq=gobernad&sll=-46.512334,-71.766129&sspn=0.22895,0.510178&mra=ls&ie=UTF8&t=m&ll=-47.620975,-71.05957&spn=4.443305,6.591797&z=6[/googlemap] Espetacular Lago General Carrera "La Cuarenta" opaaaa Miguel
  14. Dia 6 - 333km - Villa Santa Lucia-CHI a Coyhaique-CHI Hoje podemos dizes que o dia foi "punk"!! Conhecemos parte da famosa Carretera Austral, a Ruta 7 chilena, toda sua beleza e dificuldades. Devido às complicadas características geográficas do território, no qual predominam os Andes Patagonicos, lagos, turbulentos rios e a presença de campos de gelo, a rodovia está em permanente manutenção. Por outro lado, grande parte da rodovia carece de pavimentação. Sua construção iniciou-se em 1976 por ordem do Regime Militar, sendo um dos projetos mais caros e ambiciosos de todo o século XX no Chile. O trabalho dos membros do Exército do Chile habilitaria os diferentes trechos da rodovia ao longo dos anos 1980 permitindo a conexão da Patagônia chilena com o resto do país após anos de isolamento. A rodovia ainda não está completa e vários trechos são percorridos através de balsas. Questão de soberania nacional, alguns vilarejos só tinham acesso através da Argentina antes dessa estrada... O trecho inicial, até La Junta, está em processo de pavimentação. Estão preparando o terreno para o asfalto, o que para nós motociclistas significa um pesadelo, rípio do grosso! Ou seja, muito cascalho solto, sem o "trilho" que tanto nos ajuda. Em determinados trechos, grandes "bolsões" de cascalho quase nos derrubavam, e frente ficava louca e a moto sai de traseira o tempo inteiro. Nessa condição, paciência e bom senso são fundamentais. Mão longe do freio dianteiro e da embreagem, marcha reduzida e sempre dando gás... impressionante como a moto "alinha" hehehhe sempre vale a máxima "NA DÚVIDA ACELERA!". A suspensão absorvia bem as imperfeições, óbvio que o curso da CBR é muito pequeno, não é adequado para isso então várias vezes "dava o batente". Pra piorar, a chuva foi companheira constante, motivo pelo qual não tiramos muitas fotos. Devido ao mau tempo e neblina, não podemos apreciar a paisagem em sua plenitude... mesmo assim a Patagônia nos revelou alguns de seus encantos. São dezenas de riachos, montanhas, geleiras e lagos. A paisagem aqui chega a ser opressiva, a floresta densa nos "espreme" no meio da estreira estrada, como que para exigir respeito daqueles que ousam passar por ali. A região é extremamente isolada de tudo, cruzamos por 2 ou 3 carros até Puyuhuapi e por 2 motos BMW. É interessante abastecer aqui, pois o próximo posto só em Coyhaique, coisa que não fiz. Essa região atravessa o Parque Queulat, 30km depois da cidade, é o acesso para o Ventisquero Colgante, glaciar suspensa que forma uma linda cachoeira. Como tínhamos horário para chegar à balsa em Puerto Ibanez, resolvemos seguir em frente. Os últimos quilômetros de rípio são os piores, subimos vertiginosamente até quase encostar em uma montanha completamente coberta pela neve. O frio e a umidade estava acabando com nossas forças, mas seguimos firme! Finalmente, no trevo para Puerto Cisnes, o asfalto, para nós um benção! A temperatura estava baixíssima, passamos muito frio. Felizmente a chuva parou e timidamente alguns raios de sol apareceram, e deu pra sentir as mãos novamente. O trecho até Coyhaique continua maravilhoso, chegamos na cidade em torno das 16h e entramos para abastecer. Eu havia anotado que seriam mais 60km até Puerto Ingeniero Ibanez, sendo que chegaríamos até as 17h a tempo de pegar a balsa para Chile Chico. Porém, a informação estava errada, são 120km. Dessa forma, poderíamos arriscar ir até Puerto Ingeniero Ibanez na esperança de algum atraso da balsa ou ficar hospedado lá. Como não sabia nada a respeito do lugar, ficamos aqui mesmo em Coyhaique, cidade grande com estrutura e muito bonita, rodeado por montanhas.Dividimos um "Pisco" no posto e fomos procurar hospedagem. Em meio a algumas manobras, um dos integrantes caiu parado (efeito do pisco???) o qual não posso revelar a identidade pela ética motociclista hehehhe. Achamos uma excelente opção de cabanas (http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/chile-coyhaique-cabanashostel.html) e aproveitamos para deixar as motocas em dia, tirar o barro do radiador, lubrificar correntes e etc. A propósito, a carretera Austral levou mais um parafuso do meu para-lamas e o arame, sendo que tive que descarta-lo pois estava roçando no pneu já. Fiquei sem protetor de corrente. VAMO QUE VAMO!! Resumo do dia: 333Km, sendo 170km de rípio Média Consumo: 18,4 Km/L Média Gasolina: R$3,95 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2014/01/dia-6-333km-villa-santa-lucia-chi.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Ruta+235&daddr=Coihaique,+Coihaique,+Chile&geocode=FQacaf0dnMKv-w%3BFTSpSP0dE120-ym3bGB6cNnyvTGBpS8FjZGFRQ&aq=0&oq=coyha&sll=-43.397065,-72.016754&sspn=0.96692,2.04071&hl=pt-BR&mra=ls&ie=UTF8&t=m&ll=-44.496505,-72.290039&spn=4.701837,6.591797&z=6[/googlemap] Glaciar, Ventisquero Colgante, Queulat Rípio do grosso na Carretera Austral e a garupa segue firme!!
  15. marshal, estamos ansiosos para descobrir como terminou essa aventura... abraço
  16. Dia 5 - 437km - Bariloche-ARG a Villa Santa Lucia-CHI Começamos nosso dia na famosa Ruta 40, estrada que atravessa a Argentina de norte a sul, trecho espetacular até El Bolsón, todo rodeado de montanhas com neve no cume e com muitas curvas para divertir a galera. Em El Bolsón abastecemos e tivemos uma grata surpresa, daqui em direção ao sul a gasolina recebe subsídios do governo, uma forma de incentivar o desenvolvimentos das regiões mais remotas. A partir de agora a gasolina sai por 6,80~7 pesos, o que em reais fica R$1,80 mais ou menos. Seguindo na 40 a paisagem muda abruptamente, logo nos distanciamos das montanhas e a paisagem ao redor se transforma em um deserto típico da Patagônia Argentina. Tudo muito bonito, até pegarmos uma ventania assustadora... coisa de 80km/h. Já tínhamos visto relatos de caminhões tombados por aqui, mas encarar essa realidade na prática é outra história. Seguimos a 120km/h no inicio, depois 100 e por fim 80. Não dava pra andar mais rápido que isso. O vento nos mantém o tempo inteiro com a moto inclinada e as rajadas nos jogam de um lado pra outro da pista, coisa de louco!! A situação melhorava ou piorava conforme a estrada mudava de direção ou algum morro nos protegia do vento. Foram 80km complicados até chegar em Esquel, onde saímos da RN40 em direção ao Chile. Pensei... se esse vento piorar mais ao sul não vamos conseguir... O vento pressiona constantemente o capacete contra a cabeça lateralmente e nos obriga a andar tortos na moto, cansa muito, principalmente o pescoço. Seguimos em direção a Trevelin, e logo começa o rípio. No início andamos tensos, nossas motos não são para esse tipo de terreno, mas logo se acostuma. Dá pra manter um ritmo de 60km/h sem maiores problemas, as paisagens são difíceis de descrever, por isso as fotos. O rio Futaleufu que acompanha boa parte do trajeto é muito bonito, aqui a prática de rafting é a principal atividade turística da região. Chegando na fronteira argentina, notei que as cintas do para-lama tinha caído... substituímos por um pedaço de borraça e um arame. Paramos para almoçar em Futaleufu, cidade no Chile. Aproveitamos para trocar os dólares por pesos chilenos. Começou uma garoa fina e decidimos não colocar as capas, pois essa chuvas rápidas estão nos acompanhando a vários dias. Seguimos em frente e logo todos estavam ensopados, nada a fazer a não ser seguir em frente e chegar ao nosso destino, Villa Santa Lucia. Chegamos e as opções na cidade são precárias, conforme já era previsto. Achamos um hostel estranho, ficamos meio que hospedados com os próprios donos do lugar. Pelo menos tinha uma boa lareira, que usamos para secar as roupas. Comida também nada... o negócio foi usar o miojo que trouxemos junto. Amanhã começa oficialmente a Carretera Autral, mais rípiooo! Resumo do dia: 437Km, sendo 173km de rípio Média Consumo: 19,8 Km/L Média Gasolina: R$1,84 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2013/12/dia-5-437km-bariloche-arg-villa-santa.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=San+Carlos+de+Bariloche,+R%C3%ADo+Negro+Province,+Argentina&daddr=RN+259&hl=pt-BR&geocode=FWBajP0dOuS_-ynlYMggFXsaljFlmnvLl64Qgg%3BFZL7bP0d1027-w&sll=-43.114017,-71.589661&sspn=0.485711,1.020355&mra=mift&mrsp=1&sz=11&ie=UTF8&t=m&ll=-42.05745,-71.641846&spn=2.447083,3.295898&z=7[/googlemap] [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Ruta+235&daddr=Ruta+231&hl=pt-BR&geocode=FQacaf0dnMKv-w%3BFQMrbf0dfgq5-w&sll=-43.394072,-72.210388&sspn=0.483482,1.020355&mra=dme&mrsp=0&sz=11&ie=UTF8&t=m&ll=-43.2932,-72.108765&spn=0.599733,0.823975&z=9[/googlemap]
  17. Dia 4 - Bariloche-ARG Reservamos o dia para descansar, passear e conhecer San Carlos de Bariloche. Passeamos no centro, fizemos algumas compras e almoçamos. A tarde, fizemos o "Circuito Chico", pequeno roteiro onde se passa por uma mata fechada e se tem vários ângulos da beleza do Lago Nahuel Huapi . Tentamos subir no teleférico do Cerro Otto mas devido ao vento, não estava operando. Acabamos subindo a estrada que leva ao Cerro Catedral, dar uma olhada na estação no esqui, é o maior complexo de esqui da América do Sul! Ainda deu tempo de entrar no museu do chocolate, que fica junto a fábrica da Havana. À noite, finalizamos com uma macarronada feita na própria cabana, espetáculo. Nos recolhemos cedo pois o dia seguinte promete, tem Chile e o temido rípioooo... MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2013/12/dia-4-bariloche-arg.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=San+Carlos+de+Bariloche,+R%C3%ADo+Negro+Province,+Argentina&daddr=-41.047522,-71.522031+to:-41.100646,-71.493651+to:Acceso+A+Cerro+Catedral&hl=pt-BR&geocode=FWBajP0dOuS_-ynlYMggFXsaljFlmnvLl64Qgg%3BFR6qjf0dEam8-ymZaFAjgXUaljGtX_34KDiyIA%3BFZrajP0d7Re9-ymnesC7qnYaljG79hjnJpWPeQ%3BFazRi_0dMOK9-w&sll=-41.150223,-71.397743&sspn=0.075616,0.169086&mra=mrv&via=1,2&ie=UTF8&t=m&ll=-41.10833,-71.475677&spn=0.310419,0.411987&z=10[/googlemap]
  18. Dia 3 - 858km - General Acha-ARG a Bariloche-ARG Saimos com o sol nascendo, estratégia pra fugir do calor... Até deu pra passar um friozinho, coisa boa... Saindo, ouvi um barulho com a moto em movimento, o Marcelo conferiu e viu que era o para-lama estava solto, faltando um parafuso. Mesmo assim, seguimos para fazer o reparo só na próxima abastecida. A paisagem ficou relativamente bonita, diferente dos dias anteriores. Aqui se atravessa o Parque Nacional Lihuel Calel, não sei quais são os atrativos mas tem umas serras bonitas por aqui. Já começamos a cruzar com alguns animais na estrada como tatus e raposas. Esse trecho de asfalto esta precário, é necessário cuidado pra não pegar uma "panela" e acabar com a viagem, depois de Puelches melhora. Na abastecida, substitui o parafuso perdido por 4 cintas, deve aguentar... Depois de 300km, chegamos a província de Rio Negro, muitos pinheiros e bonitas plantações. Mas o trânsito ficou movimentado, pista simples, não rende. Decidimos que almoçariamos em Neuquen, já na província de mesmo nome. Entramos no Carrefour da cidade, com a idéia de comer em algum restaurante do shopping... não havia nenhum. Para evitar maiores transtornos, fizemos um rancho lá mesmo, pão, queijo, salame e condimentos... Sem mesa, o rango foi no estacionamento mesmo... imagino o que pensaram os outros clientes hehehe... Saindo de Neuquen, são mais 50km de trânsito complicado, depois a pista fica livre e a estrada rende. Passamos por diversas represas, todas de uma cor azul muito bonita. Logo vem a primeira visão das cordilheiras, é sempre um momente especial ver essas montanhas imensas cobertas de neve. Nesse ponto, a altitude não passa de 1100m mas o ambiente da cordilheira contagia mesmo assim, é uma sensação muito boa que nos toma conta. A última parada para abastecer foi em Piedra del Aguila, aqui pegamos bastante fila no posto (primeira vez na viagem), mas foi bom pra descansar. Os últimos 100km são demais, uma curva após a outra seguindo o curso de um rio belissimo e rodeado por montanhas. Não é tão impressionante como os outros "pasos" de cordilheira que já percorremos mas mesmo assim é show! Aqui tem muito trânsito então não da pra bobear, os argentinos aceleram!! Em Bariloche, a recepção é feita pelo Lago Nahuel Huapi, espetáculo total. Já com o sol se pondo, chegamos a hospedagem pesquisada, o Camping Petúnia(http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/argentina-san-carlos-de-bariloche.html), com opção de camping ou cabanas. Acabamos ficando com um quarto para todos, saiu mais em conta que acampar. Amanhã é dia de descanso e passeio por aqui, depois de quase 3000km rodados, fazemos uma pausa!! Resumo do dia: 858km Média Consumo: 15,9 Km/L Média Gasolinal: R$2,49 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2013/12/dia-3-858km-general-acha-arg-bariloche.html [googlemaps]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=San+Carlos+de+Bariloche,+R%C3%ADo+Negro+Province,+Argentina&daddr=General+Acha,+La+Pampa+Province,+Argentina&hl=pt-BR&geocode=FWBajP0dOuS_-ynlYMggFXsaljFlmnvLl64Qgg%3BFXCvxf0dFEgm_CnpuRjzsO7nlTHLzW9SHsBgIA&aq=0&oq=bariloc&sll=-34.976002,-60.490723&sspn=8.719213,16.325684&mra=ls&ie=UTF8&t=m&ll=-39.266284,-67.939453&spn=10.202395,13.183594&z=5[/googlemaps]
  19. Dia 2 - 921km - Parana-ARG a General Acha-ARG Saímos cedo para mais um dia corrido, são mais de 900km até General Acha, o planejado. Seguimos em direção a Santa Fé, passando pelo túnel sub-fluvial que conecta as duas cidades com 3km de comprimento. Bom lembrar que nesse trecho a moto paga pedágio. Depois disso se pega a auto pista Santa Fé-Rosário, também pedagiada (10 pesos a moto). Mal passava das 10h o calor novamente começou a pegar, isso realmente desgasta bastante. Esse trecho não tem absolutamente nada de interessante, passamos por meia dúzia de pequenas cidades, nenhuma bonita. A única mudança na paisagem são as plantações de girassóis, pelo menos a gente se distraia um pouco. Encontramos 2 paulistas de BMW em um posto, estavam indo até Bariloche também. Acabamos nos encontrando em mais 2 postos... normal, a rota é a mesma para todos. Encontramos ainda mais um brasileiro, esse de Erechim/RS, nosso conterrâneo Marcelo(http://www.projetorodar.blogspot.com/), também de BMW. Pra variar um pouco, 2 argentinos de Falcon também. Por sorte após o meio-dia caiu uma chuvinha e a temperatura ficou boa. Adentramos na província de La Pampa, oficialmente estamos na Patagônia!! Em Santa Rosa, capital da província, entramos para fazer compras em um mercado, aquilo que seria nossa janta! Chegamos ao nosso destino já com o sol se pondo, achamos umas cabanas e foi lá que ficamos, mais informações (http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/argentina-general-acha-cabanas.html). A janta, foi carreteiro, preparado pelo mestre Miguel, show de bola! No dia seguinte a expectativa era de menos calor e pela chegada a Bariloche!! Resumo do dia: 921km Média Consumo: 15,6 Km/L Média Gasolina: R$2,38 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2013/12/estamos-em-general-achaarg.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=T%C3%BAnel+Hernandarias&daddr=-36.1541004,-62.9801396+to:General+Acha,+La+Pampa+Province,+Argentina&hl=pt-BR&geocode=FbBEHP4dPspk_A%3BFQxV2P0d1f8-_CmDXx_T7yzClTFdA96X-SMlZw%3BFXCvxf0dFEgm_CnpuRjzsO7nlTHLzW9SHsBgIA&aq=0&oq=general&sll=-34.976002,-60.490723&sspn=8.719213,16.325684&mra=mrv&via=1&ie=UTF8&t=m&ll=-34.052659,-62.666016&spn=10.913906,13.183594&z=5[/googlemap] Tunel Parana-Santa Fe Pare-Olhe-Escute La Pampa, aqui já é Patagônia General Acha Carreteiro gaucho
  20. Dia 1 - 1077km - Erechim-BR a Parana-ARG Finalmente o dia chegou, hora de partir... difícil acalmar os ânimos nessa hora, os medos de sempre estão a nossa volta: Será que trouxe tudo? A moto vai aguentar? Ninguem vai passar mal? O dinheiro vai dar? etc... O único remédio para isso é pegar a estrada! O grupo que se encontrou em Carazinho/RS, posto do avião às 7hs, O Jociel chegou de Erechim e o Miguel de Chapecó/SC. Motos abastecidas e a foto obrigatória da saída. PARTIMOS. A manhã fluiu bem, boa temperatura, sem trânsito... Pouco depois do meio dia já estávamos em Uruguaiana/RS, sendo que nos últimos 150-200km o calor já ficou insuportável. Sem filas na aduana, o processo foi rápido, cerca de 30min estavamos "listos". O policial argentino solicitou os documentos e pediu que fosse mostrada a CARTA VERDE, que já haviamos feito antes de sair de casa (sai mais caro mas isso poupa um bom tempo e incomodação depois). Nem bem paramos no posto 50m adiante, um cambista já nos atacou oferecendo pesos. Importante nesse momento que vive a Argentina, aproveitar o mercado "paralelo", onde o peso custa quase metade que o oficial. Levamos dolares e reais para fazer os câmbios pelo caminho. Cada um trocou cerca de U$ 500, sendo que a cotação foi de 1U$ = 9 pesos. 1R$ era trocado por 3,33 pesos. Boa troca. Não almoçamos, era feriado e tudo estava fechado, seguimos viagem. Nos atrapalhamos um pouco no trevo, mas seguimos certo pela RN14. Depois de um trevo novo que estão construindo, se pega a RN127, caso contrário iriamos para Buenos Aires. Havia um posto novo no trevo, mas teriamos que fazer o retorno, seguimos em frente... Passados 100km sem uma árvore, muito calor e nenhuma cidade paramos em um vilarejo, que se resumia a um posto de gasolina sem gasolina e uma estação rodoviária fechada. Ainda faltava um bom trecho até Federal, encontramos por sorte um Mercado/Oficina/Posto de fundo de quintal e colocamos uns litros para garantir a chegada até Federal e completar o tanque. Nisso a Harley do Márcio enroscou um chicote na roda traseira, fazendo com que ele ficasse sem a luz de freio e piscas. Aproveitamos a parada para consertar tudo, comer uma coisa e repor os líquidos. Seguimos, com um calor próximo dos 40°C, essa parte da Argentina sempre é terrível. Fomos presentados com uma parada da famosa Policia de Entre Rios, mas dessa vez, só conferiram os documentos (tudo certo) e nos mandaram seguir. Chegamos em Paraná/ARG por volta das 19hs, horário da Argentina (lá não tem horário de verão), ficando no Buena Vista Hostel, mais detalhes AQUI(http://guiamotoviajante.blogspot.com.br/2014/01/argentina-parana-hostel.html). A noite se resumiu a uma tábua de carnes e frios a beira do Rio Paraná e Quilmes. Resumo do dia: 1077Km Média Consumo: 17,9 Km/L Média Gasolina Brasil: R$3,10 Média Gasolina Argentina: R$2,80 MAIS FOTOS: http://www.aduaneirosmc.com.br/2013/12/saida-de-carazinho.html [googlemap]https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=embed&saddr=Erechim+-+RS&daddr=Paso+de+los+Libres,+Corrientes+Province,+Argentina+to:Paran%C3%A1,+Entre+R%C3%ADos+Province,+Argentina&hl=pt-BR&geocode=FbCPWf4dCvri_CmFiFwKxRPjlDGK9XBCfWt3pQ%3BFdKaOv4diPGY_CmhPz20xFxTlDGhVZPv5IHGpQ%3BFXiqG_4dxapk_CkxUoO58k20lTGa-lyq4L1OVQ&aq=0&oq=parana&sll=-29.702506,-56.362303&sspn=9.240245,16.325684&mra=ls&ie=UTF8&t=m&ll=-29.878755,-54.887695&spn=11.418542,13.183594&z=5[/googlemap] Saída do grupo: 7h em Carazinho/RS Parada para almoço, abastecimento e mecânico, tudo no mesmo lugar Tradicional parada na policia de Entre-Rios, dessa vez sem propina Chegada no Hostel em Parana-ARG
  21. Olá galera... há poucos dias finalizamos a mais dificil e espetacular viagem feita de moto até agora... saímos dia 25 de dezembro e retornamos dia 12 de Janeiro. Foram 19 dias e 10.490km de muita emoção sobre 2 rodas, destino final Ushuaia! Vou relatar, o diario da nossa viagem e espero trazer para voces um pouco do que foi essa aventura, e quem sabe motivar ou ajudar alguem que pretende chegar a esse destino único!! Nosso roteiro foi: RS > Bariloche > Carretera Autral > Ruta 40 > El Calafate > Ushuaia > Retorno pela RN3 > Buenos Aires > Colonia > RS fomos em 5 motos, sendo somente eu de garupa!! - CBR 600 F (Matias e Jana) - Hornet (Jociel) - XJ6F (Marcelo) - HD Fat Boy (Miguel) - HD 883 (Marcio) Ja temos alguma coisa relatada no BLOG http://www.aduaneirosmc.com.br/, mas a partir de agora farei o relato detalhado! ai vão algumas fotos pra começar!! um abraço e sigam acompanhando...
  22. nao fui Daiana... acabei mudando os planos e tirei os 30 dias de férias agora e fui para o Ushuaia... vou abrir um topico sobre a viagem abraço
×
×
  • Criar Novo...