Ir para conteúdo

onuma.fabio

Membros
  • Total de itens

    12
  • Registro em

  • Última visita

Bio

  • Ocupação
    Jornalista

Conquistas de onuma.fabio

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Dae beleza? Fiquei no Alto Atacama. Ele não fica no vilarejo, mas existe o transfer do hotel na hora que você quiser.
  2. Valeu cara, mas o cenário ajuda para caramba. Obrigado
  3. Ana, beleza? Meu, amo aquele lugar e preciso voltar para lá com mais tempo. No salar fui no entadercer e a luz estava muito boa para fotografar. Eu prefiro a luz do entardecer. Abração.
  4. Ana, beleza? Meu, amo aquele lugar e preciso voltar para lá com mais tempo. No salar fui no entadercer e a luz estava muito boa para fotografar. Eu prefiro a luz do entardecer. Abração.
  5. Ana, beleza? Meu, amo aquele lugar e preciso voltar para lá com mais tempo. No salar fui no entadercer e a luz estava muito boa para fotografar. Eu prefiro a luz do entardecer. Abração.
  6. Ana, beleza? Meu, amo aquele lugar e preciso voltar para lá com mais tempo. No salar fui no entadercer e a luz estava muito boa para fotografar. Eu prefiro a luz do entardecer. Abração.
  7. Segundo dia Acordamos e fomos tomar o café no hotel. O dia estava lindo e frio às 8H da manhã, depois fomos procurar o pessoal da agência que fica no hall do Hotel. Uma grande vantagem do esquema All Incluse é que você olha o que quer fazer e distribui nos dias e o pessoal se encarrega do resto. Neste dia, decidimos ir para a Laguna Cejar na parte da manhã e na parte da tarde conhecer o vale dos cactus gigantes. Ganhamos uns regalos, garrafinhas de inox para colocar na bike, que foi bem útil em certa altura do passeio. Saímos da Pukara Quitor, pegamos a estrada de terra em direção a cidade, ventinho gelado no rosto e sol esquentando aso poucos...o passeio tem uma bela vista. A estrada de terra, os morros que circundam o vale, a cidade pitoresca e ao mesmo tempo aconchegante, transformam um simples trekking de bike em um evento mágico. Eita lugar lindo. Passamos por dentro da cidade e começamos a nos afastar, a guia, creio que pro ser mulher, pedalava feito doida na frente, eu que tenho um problema no joelho fui mais devagar. Ela e o Fernando estavam doidos lá na frente. Continuamos a seguir pela estrada e as casa deram lugar a uma vegetação rasteira a guia parava em alguns breves momentos e meu joelho doendo acada vez mais. Paramos em uma árvore, tiramos algumas fotos, creio que ao total são uns 50 minutos de bike, no final começa a ficar chato estrada longa, vans passando por nós levantando poeira. Quando finalmente chegamos, pensei que lugar feio, um monte de matinho e uma laguinho sem graça, mas ao virar em direção ao outro lado, passando pelo mato, você chega e vislumbra dois lagos grandes, de cor azul que muda de tom...é de ficar de queixo caído, tamanha a beleza do lugar. Paramos as bikes e a equipe do hotel já tinha preparado duas cadeiras, daquelas de diretor, roupão e bebidas. A guia disse que não tem como afundar tamanha a quantidade de sal. Bom fui arriscar para ver se era verdade, mas era impossível entrar na água. Nenhum brasileiro conseguiu entrar na água, rs. Era impossível, para mim, ficar com os pés na água, mesmo para tirar fotos. Mas de qualquer forma, o lugar é lindo e calmo. Tiramos várias fotos do lago. Ao sentar a guia vem com uma água morna e joga em seus pés e serve bebidas e algumas frutas secas. Ficamos algum tempo sentados apreciando aquela paisagem que é linda também. Pegamos a van de volta para o Hotel e fomos nos preparar para o passeio da tarde. Após o almoço, percebi que meu joelho estava dolorido e achei que seria correto ficar na pousada enquanto o Fernando iria para o Vale dos Cactus Gigantes. E a ainda estava meio tonto por conta da altitude e do ar muito seco. Decidi dormir, mas quem disse que eu conseguia, aquele lugar causa uma insônia e uma sensação doida de estar perdendo...decidi fazer um passeio por Pukara Quitor, a última resistência Atacamenha, contra os espanhóis, ao passar pela recepção gentilmente eles me deram o voucher para entrar no parque. Optei por ele, pois era do lado do hotel, fui a pé mesmo e o sol já tinha esquentado o clima e estava bem agradável. A fortaleza fica em um morro bem ingreme, subindo por um sinuoso sendero, onde estão as ruínas das casas dos atacamenhos, subi numa caminhada sossegada de uns 10 minutos apenas, lá no alto começa a vertigem, é muito alto e as pedras são muito soltas. A vista compensa, é linda e de lá você consegue ver SPA, as cordilheiras, os vulcões e percebe que a cidade é na verdade um oásis. As montanhas ao redor tem um amarelo intenso absurdo, em contraste com o céu de um azul intenso...Fiquei pouco tempo lá, pois o lugar era pequeno e tinha um nativo que não tirava os olhos de mim e estava com a cara bem fechada. canastra.zip Desci, e ele veio junto. Mas mesmo assim consegui tirar algumas fotos. Como o Fernando não tinha chegado do passeio, fui conhecer as instalações do hotel, fique sentado em um lugar bem gostoso que tinha a visão das montanhas em volta, pensei nossa se tiver um terremoto forte todas aquelas pedras rolam bem em cima do quarto do hotel. Enfim, o medo deu lugar ao encantamento, o sol foi se pondo, o frio chegando, as pontas dos morros vão escurecendo e ficando apenas com as pontas amarelas...em dado momento todas as montanhas ficam sem o amarelo do sol, mas no último ponto onde o sol bate na montanha mais alta fica iluminada uma cruz, dourada. Uma visão linda e que inevitavelmente você agradece a Deus por estar naquela lugar. A noite fomos novamente dar uma volta pela cidade após o jantar. Mais para fazer digestão e ver se passava o efeito do álcool do vinho, que sobe que é uma beleza na altitude. Não importa a quantidade, você passa mal como se tivesse tomado muitooooo. Continua...
  8. O Chile é um país simplesmente fantástico. Em poucas horas você pode esquiar na neve, tomar um bom vinho em uma das centenas de vinículas, e ver o mar gelado do pacífico. A facilidade de locomoção, estrutura, segurança e respeito pelo turista você encontra em qualquer lugar do Chile. Na região de Santiago, você tem Valparaíso, Vinã del Mar, Valle Nevado. Ao sul, temos as regiões lindas e paisagens deslumbrantes de Púcon, Villarica, Torres del Paine. Ao norte a região desértica de San Pedro de Atacama...não existem palavras ou sentimentos que possam ser descritos, para traduzir o que é o Atacama, a região é de uma beleza absurda, a presença do Vulcão Likankabur, as cores que os seus olhos não conseguem acreditar que existam fora da sua TV FullHD, a comida, as pessoas, os passeios, a vibe e o céu...ah o céu do Atacama, o que dizer dele? Somente vendo...em vários momentos você irá se emocionar com os espetáculos que a natureza irá lhe proporcionar. Quanto a parte prática, existem vários hostels, hotéis e pousadas, fiquem espertos com a estrutura que eles oferecem, pois faz frio de noite e durante o dia a temperatura é amena. Fiquei no Hotel Alto Atacama no esquema que incluía todos os passeios. Ah os passeios são o ponto caro da viagem, procure bastante. Tem uma uma rua no centro, que corta a Caracoles, que tem algumas casas de câmbio, você pode trocar o seu real sem problemas, mas faça a pesquisa por lá, o valor varia muito de uma lugar para outro. Se for de avião, você terá que ir para Santiago e pegar uma conexão para o aeroporto de Calama e pegar um transfer (alguns hostels têm esse serviço). Existe uma forma de ônibus pela Turbus, empresa muito boa e as estradas chilenas são muito boas e seguras. A cidade de SPA, é pequena então você pode conhece-la rapidamente. Existem muitos restaurantes, bares, casas para cambiar, agências e mercados. 1. dia Encontrei o meu amigo Fernando, e seguimos para o aeroporto de Santiago, fizemos o Checkin, decolamos rumo a Calama. Depois de uma hora, podemos ver que a paisagem muda, o verde e a neve das cordilheiras cede lugar para a paisagem típica dos desertos...Ao pousar no pequeno aeroporto de Calama, um susto, o frio absurdo que faz com que você bata os dentes. Calama costuma ser mais frio do que SPA. No saguão, o pessoal do hotel já nos aguardava para fazer o transfer de uma hora. Entramos na Van e fomos recebidos com bebidas geladas,no caminho o guia/motorista, gente boníssima, discorreu sobre a beleza de SPA, no meio do caminho ele parou no Vale de La Luna para uma breve sessão de fotos. Chegamos ao Hotel sensacional, ele fica dentro da reserva indígena, e por este motivo ele não agride o ambiente em volta. Estando no hotel, você tem todo o conforto, mas sem agredir visualmente o ambiente a sua volta. Tanto que de noite, não existem muitas luzes, para que você possa sempre olhar aquele céu extremante e impressionantemente estrelado. Deixamos nas coisas no quarto e fomos marcar os passeios do dia, marcar o almoço e tentar pegar um passeio na parte da tarde. A vantagem de vocie fazer um All Incluse, é não se preocupar com mias nada, somente vontade para fazer todos os passeios. Neste dia, fomos para Salar de Atacama. Conhecemos uma cidade, que não me recordo o nome, pequena cidade com uma igreja feita com cactos, verdade, lá eles são usadas em algumas construções e são bem resistentes. Lá no vilarejo tivemos o primeiro contato com uma lhama, a Madona, que adora batatas fritas e invade a loja atrás delas. Depois fomos ao Salar de Atacama, que é o segundo maior do mundo e onde temos a maior mina de lítio do mundo, dizem os nativos que ninguém fica mal humorado por perto, ao chegar a visão é linda, uma imensidão de pedras porosas e alguns flamingos. Bonito mas não parecia tanto, a guia disse que não deveríamos perder o entardecer, segui pelo local demarcado fotografando, foi quando o sol começou a sumir e aí a natureza começou o seu espetáculo. As rochas mudaram os tons, as montanhas ficaram com vários tons e você fica perdido, não sabendo o que fotografar. Impressionante mesmo. Só vendo as fotos para vocês saberem do que falo. Ao final, tinha um lanche com um suco animal de framboesa( indo para o Chile experimente os seus "jugos", são animais, doces saborosos, nossa). Pegamos a van e voltamos para o Hotel. Banho tomado, fomos marcar a van para o transfer para a cidadela, pois o hotel ficava há 5 km do centro, fomos jantar rapidamente, tomar o bom e emblemático Carmenere, sensacional, mas não beba muito, pois no Atacama as bebidas alcoólicas tem o efeito potencializado por conta da altitude, fiquei doidão com uma pequena "copa"de vinho, rs. Seguimos para a cidade, ela é muito bonita e você vai se apaixonar, fomos cambiar um pouco de grana e a cotação estava bem melhor que em Santiago, vários bares abertos, muitos estrangeiros e brasileiros. De noite faz frio, por isso é bom estar com uma blusa, mas nada de anormal. Fomos a praça que tem WiFi grátis e rápida, falei com uns amigos pelo vídeo pelo skype e mostrei um pouco onde estava. Essa praça fica ao lado da igreja de SAN PEDRO, que também foi feita de cactus. Na cidade você encontrará várias lojas com roupas para enfrentar o frio, mas elas são caras. Tem uma Northface, mas o preço é padrão, ou seja, caro, rs. Mas gorrós, luvas, vestimentas típicas feitas de lã de lhama você encontra bastante e os preços são bons, mas não se engane, pois a lã da Lhama é grossa, pinica e tem cheiro forte. MAs esquenta.rs No horário e local combinado a van do hotel veio nos buscar, na van encontramos o staff do hotel, sempre pessoas educadas, alegres e simpáticas, aliás, em SPA, as pessoas são muito simpáticas, principalmente com brasileiros. Ao chegar no hotel, cruzamos a recepção e fomos para o bangalo, como estava mais escuro inevitavelmente você olha para o céu e lá vem mais surpresa da natureza...a quantidade, mas a quantidade mesmo de estrelas que tinham...ficamos mais uma hora olhando para o céu e tentando fotografar, mas não deu. rs. Dica, tente escolher as noites que não sejam as de lua cheia, pois fica claro e ela esconde as estrelas. Fomos dormir, as noites no deserto não são muito agradáveis, apesar do conforto do hotel, não sei o por que? O Fernando dormiu tranquilo eu não muito. Depois continuo a contar como foram os outros 4 dias em Atacama.
  9. Pessoal, estou indo para Santiago no dia 01 de setembro/2012. Provavelmente, subirei para esquiar no dia 03/set, 04/set, segunda e terça respectivamente. Se alguém for nesta data dá um toque. Fiz um orçamento e cada dia com a locação dos equipamentos, algumas peças de roupa, transporte para El Colorado ou Vale Nevado, entrada, sai por volta de R$ 300,00. Farellones sai mais barato mas até onde sei não tem neve, o mesmo acontece com as outras que estão com pouca neve. Mas acho que ainda via nevar em agosto e a situação da neve irá melhorar. Meu email é: [email protected]
×
×
  • Criar Novo...