Ir para conteúdo

andre.stryker

Membros
  • Total de itens

    20
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Sobre andre.stryker

  • Data de Nascimento 06-03-1982

Bio

  • Ocupação
    Fotografo e designer.
  1. Olha que coincidência: esses dias eu estava lendo relatos sobre Santiago e um deles foi o seu ótimo relato sobre sua viagem ao Chile. Muito obrigado pelo elogio, Karine.
  2. Fui olhar os endereços e tem uma na esquina da Barata Ribeiro com a Figueiredo Magalhães. Belíssima dica, Rezzende. Muito obrigado.
  3. Muuuuito obrigado, Rosenilton. Eu amo fotografia, mas por medo da violência eu acabei usando apenas o celular em alguns momentos.
  4. Poxa, Luciana. Mto obrigado. Qdo voltar vou encher seu saco perguntando coisas.
  5. Resolvi tirar uma semaninha de folga viajando sozinho "sem fazer nada". Voei com a TAM e não paguei para despachar uma mochila com menos de 8kg em Guarulhos. Durante o vôo de 38min até o Galeão serviram apenas um suco/refri/café ou água. De lá até o bom hostel "Che Lagarto Anita" paguei R$59,00 de taxi. Obs: É bom confirmar o valor com o taxista ao entrar no taxi. Eles são metidos a malandros. Me hospedei na Rua Anita Garibaldi, uma ótima localização ao lado do metro Siqueira de Campos. O quarto tinha NET, internet e banheiro privativo, além de uma cama muito boa. O café da manhã contava com pão pullman, pão frances, presunto, mussarela, café, leite, água quente para fazer chás, sucos, mamão, melão, banana, bolo, ovo mexido e salsicha além saches de mel e geléias. Primeiro dia: 03/07 - Segunda Feira - Copacabana/Pedra do Arpoador/Ipanema Era minha primeira vez na cidade do ziriguidum, assim que cheguei no hostel pouco antes das 16hs e apenas tomei um banho, troquei de roupa e fui a praia de Copacabana. Que bela praia, ao menos para quem esta acostumado com a Praia Grande e Mongaguá. Era uma semana fria aqui no Sudeste, mas mesmo assim a água estava quente. Passei pela estátua de Carlos Drumound, pela colônia de pescadores e fui andando até a Pedra do Arpoador, nos dias de verão certamente é um excelente local para observar o pôr do Sol. Como o nome já sugere, lá é uma pedra, então é bom ir com calçados com solado antiderrapante. De lá fui andando por Ipanema até a estação Nossa Senhora da Paz, onde me lembrei que não havia comido nada durante o dia todo. Entrei num mercado Rio Sul e comprei uma bolacha e uma Coca. Voltei ao hostel e fui jantar. Aqui dois pontos negativos do Rio, ao menos para quem esta acostumado com a culinária paulistana, o Rio além de muito caro tem uma cozinha ruim. Peguei o metro e fui até a Av Voluntários da Pátria para comer algo bom, mas lá você não gasta menos de R$50,00 pra comer. Voltei a Copacabana e paguei R$33 num arroz oriental num restaurante simples na esquina da Barata Ribeiro com a Figueiredo Magalhães. Com esse valor aqui em SP eu almoço e janto mesmo em Pinheiros. O que mais eu poderia ter feito nesse dia? - Ir a Pedra do Sal: Embora eu seja negro, nunca tive muita ligação com o samba, mas nem por isso eu deveria ter deixado essa oportunidade passar batido. Ainda mais em tempos de Uber. Segundo dia: 04/07 - Terça Feira - Jardim Botânico/Parque Lage/Estátua Cristo Redentror Acordei e logo no café da manhã já comecei a fazer aquilo que tem de mais legal ao ficar em hostels: Fazer amizades! Conversei com a Lucia, uma vendedora que todos os meses vai ao Rio, com o Márcio, um manauara que já estava há uns 15 dias no Rio curtindo aquilo que a cidade oferece de melhor e com o Guilerme, um rapaz de Palotina-PR que também pela primeira vez estava no Rio. É incrível como 10min de papo pode mudar nossa opinião sobre várias coisas. Terminei meu café e peguei o ônibus rumo ao Jardim Botânico. O parque é muito calmo, bonito e muito bem cuidado. São poucos os turista que vão até lá, é uma ótima opção ao carioca que precisa relaxar um pouco. Embora o de SP e de Curitiba tenham agradado mais o meu gosto, ele também não deixa de ser lindo. Saindo do Jardim Botânico andei uns 20min até chegar no Parque Lage, a entrada é franca e você entra em um local muito bonito que não parece ser natural de nenhuma cidade das américas. A foto é clássica, ainda mais com o cristo logo a cima. Vale saber que muitas linhas do ônibus do Rio são circulares, logo, você tem que pegar o ônibus no mesmo ponto que desceu e dar a volta na cidade para voltar ao seu local de partida. Quando eu estava em Botafogo começou a chover e isso me preocupou, pois eu já havia comprado os ingressos para o trenzinho/cristo redentor. Ao chegar no hostel eu até liguei para confirmar se ele iria continuar funcionando e até cogitei remarcar o passeio, mas ai meti o louco e fui assim mesmo. Durante a subida do trenzinho, você TEM QUE FICAR do lado direito dele, assim terá por umas 3 vezes uma excelente visão da Zona Sul cidade. Assim que cheguei la em cima bateu uma raiva tão grande, pois além da garoa tinha uma neblina tão forte que não dava nem para ver o Cristo... ...mas ai como se fosse um milagre, em menos de 5 minutos o céu limpou e eu pude ver toda a cidade la de cima. Minha ideia era ficar até depois do por do sol para ver a cidade durante a noite S2: Na volta fui procurar algum lugar para comer e novamente tive dificuldades. Ou eu entrava num restaurante onde o atendente achava que estava me fazendo um favor ou eu entrava num que achava que vendia arroz com ouro em pó. Acabei comendo um croissant da semana passada com um açai esquisito cheio de guaraná. Terceiro dia: 05/07 - Quarta Feira - AquaRio/Museu do Amanhã/Pão de Açúcar Fiz mais amizades durante o café da manhã com duas chilenas. Dali em diante essas pessoas estiveram comigo em ao menos 60% do tempo que eu estava acordado e ajudaram a enriquecer muito a minha viagem. Fui até a estação Candelária da metrô... ...onde fiz badeação para o VLT. Ele coisa de primeiro mundo e assim como na Alemanha, as vezes entra um fiscal pedindo para verificar se seu bilhete foi validado quando você entrou no VLT. Desci e rumei ao AquaRio. Ele é maravilhoso! Imperdível!!! Passei rapidamente pelo Museu do Amanhã e fiz algumas fotos, ele também é lindo: Aproveitando que eu estava ali perto eu já deveria ter ido ao Mosteiro de São Bento, mas não me toquei disso e voltei ao hostel para matar tempo com o pessoal que estava hospedado por lá. No final da tarde eu fui ao Pão de Açucar. Lá vale a pena chegar antes e fazer a trilha do Morro da Urca e também visitar a Praia Vermelha. O que mais eu poderia ter feito? - Talvez esse fosse o dia perfeito para ir a Pedra do Telégrafo. Um Uber de Copacabana até la custa R$70,00. Duas das pessoas que conheci no hostel foram e gostaram bastante. Se as 10hs da manhã eu já estivesse de volta, isso não teria atrapalhado meu dia. - Ido ao Mosteiro de São Bento. Quarto dia: 06/07 - Quinta Feira - Centro/Leblon/Ipanema Esse dia foi louco. Andei mais ou menos 15km à pé pela cidade. Assim que cordei eu liguei na LATAM para ver quanto ficaria para remarcar a passagem para o Sábado e assim ficar mais um dia no Rio, mas ficaria em R$250,00, o que nem é tão caro pelos padrões da empresa, mas mesmo assim era mais do que me dispus a gastar. Desci na estação carioca e fui a igreja de São Francisco da Penitência. Uma igreja legal, vale a pena a visita se estiver por perto. Depois fui até a Catedral da Candelária. Legal! Passei pelos Arcos da Lapa, mas não fiz fotos, pois achei o local perigoso. Logo cheguei a escadria Saleron: Depois o Parque Ruinas Visão da Baia de Guanabara a partir do Parque Ruinas. Visão da catedral da Candelária a partir do Parque Ruinas. A linda igreja Nossa Senhora do Carmo. Quem a vê por fora não imagina o quão linda é por dentro. De lá resolvi ir andando até a estação Botafogo, passando pela Marina da Glória, Praia do Flamengo, Aterro do Flamengo e Praia de Botafogo. Lanchei e voltei ao hostel. Conversei com o povo e voltei ao metrô para ir até Ipanema e de lá fui andando até o Mirante do Leblon. Minha intenção inicial era subir no Vidigal, mas já estava tarde e resolvi tomar só uma agua de coco e deixar a subida para uma outra oportunidade. Cheguei no hostel e fui recebido com uma dose de pisco das minhas colegas chilenas. Mano, as minas bebem... Bebem mesmo! Depois ainda rolou tequila numa balada que ficar perto do Copacaba Palace. Eu nem tentei acompanhar pra não passar vergonha. uhauhauhua Era 2hs e 30min da madrugada de Quinta para Sexta e nós andando pelas ruas de Copacabana após sair da balada. Quinto dia: 07/07 - Sexta Feira - Volta a SP. --------------------------- Considerações: + Positivo: Eu era muito preconceituoso em relação ao Rio e na Quinta Feira confesso que senti um nó na garganta ao perceber que me restavam menos de 24 horas por lá. O carioca que vive na Zona Sul tem uma qualidade de vida muito melhor que a minha aqui no bairro onde moro em São Paulo capital. Talvez eu tenha tido sorte por não ter presenciado nada de errado por lá, mas gostaria muito de poder viver nessa cidade por alguns anos. O Hostel: eles foram uns amores, me ajudaram com tudo o que precisei e conversavam como se fosssemos amigos. Fotos do meu quarto: Outro fator extremamente positivo foi encontrar pessoas que pensam na mesma frequência que eu. Querem se divertir sem precisar ficar ouvindo música ruim, tentando "pegar" mulher a força nos bares ou contando vantagens uns aos outros. Espero reencontrá-los um dia. Uber: Todos foram super legais. Transporte público: Bom! Talvez por ter ficado na Zona Sul eu quase não vi pessoas andando em pé nos ônibus. Isso é um paraíso para um morador da Zona Norte de São Paulo. Além disso, você chega e volta de qualquer ponto turisco com o transporte público. - Negativo Taxi: Usei só uma vez e fiquei com a impressão que ele queria me enrolar, além de ter ficado putinho qdo eu insisti que ele me dissesse o valor da corrida. Fiquem espertos com esses caras. Além disso, ele ficou o tempo todo no whattsapp brigando com outro taxista que não havia gostado de ser chamado de boi. Comida: Na próxima vez vou levar miojo, pois além do mau atendimento a comida é ruim e cara.
  6. andre.stryker

    Esqui no Chile

    Olá pessoal, Estou começando a programar meu primeiro contato com a neve, porém, minha esposa é uma linda fofolete. Lá é possível alugar trajes tamanho XL ou XXL (GG)? Obrigado.
  7. Olá esse é o relato com preços e impressões da viagem que eu (André) e minha amiga Lice fizemos por Buenos Aires em Junho/Julho de 2013. Espero que gostem: 25/06 - Ter - (Transfer - Calle Florida - Puerto Madero - Barco Museu) Nosso vôo saiu às 8:10 da manhã de Guarulhos, chegamos pouco depois das 10:30 no Aeroparque. Depois de lermos várias histórias de pessoas que tiveram problemas com os taxis, nós resolvemos contratar um transfer até San Telmo pelo valor de AR$100,00. A viagem foi rápida e tranquila poderia ter sido mais barata se contratássemos um taxi, porém, valeu a pena a tranquilidade pelo valor equivalente a R$15 cada um. Chegamos no hotel e logo saímos para conhecer a Calle Florida onde almoçamos 2 pedaços de pizza e 2 7up por AR$62,00. Muitas pessoas oferecem serviço de câmbio e venda de passeios nesta rua. Os valores dos passeios é muuuito inflacionado, é melhor fazer por conta própria. Após isso fomos até o Puerto Madero e ao Barco Museu (AR$2,00) que fica na margem do porto. 26/06 - Qua - (Troca de Dinheiro - Mafalda - Shopping Abastos) Acordamos e fomos até uma das galerias da Rua Florida para fazer nosso Cartão SUBE. Foi super fácil, apenas pedimos e o balconista o fez sem pedir nenhum documento. Fizemos apenas um cartão para nós dois. Esse dia estava programado para fazermos nosso citytour, porém uma conhecida nossa indicou o Jean, um brasileiro que trabalha com câmbio em BUE só que ele so trabalha à partir das 11hs da manhã. Enquanto esperávamos o Jean começar a trabalhar, fomos comer algumas empanadas e conhecer a Mafalda. Após trocar dinheiro fomos até o shopping Abastos e pela primeira vez provamos as deliciosas casquinhas de doce de leite do McDonalds Argentino. Muuuuuuuuito booooom!! Como o dia já estava meio perdido, resolvemos voltar ao centro de Buenos Aires para conhecer melhor a região, pois sempre que viajo gosto de conhecer também o modo de vida da região. 27/06 - Qui - (Lujan - Restaurante Madero) Saimos do hotel por volta das 8hs e 30min, seguimos até o metro e depois a Plaza de Italia. A nossa ida a Lujan foi feita pelo ônibus intermunicipal ele torna-se vantajoso para quem quer economizar, pois custou em torno de AR$15,00, porém ele para muuuuuuuitas e muuuuuitas vezes durante o trajeto e chega a ficar com muitas pessoas em pé. Como "sou muito esperto" fiquei sentado logo na primeira fileira e essa foi uma boa idéia até o momento que o ônibus já estava cheio e entrou um deficiente visual no ônibus. Vale ressaltar que os argentinos não tem o habito de se levantar para dar lugar a pessoas mais velhas, grávidas ou até mesmo deficientes. Sem pensar duas vezes, levantei e cedi meu lugar ao rapaz. A viagem demorou mais de 2hs, sem contar com um rapaz que dormiu e roncava assim como um zombie do walking dead. Ufa! chegamos! Contando comigo, apenas 4 pessoas desceram no zoo, o motorista foi muito solícito e nos explicou que bastava passar por baixo da ponto, em frente ao ponto, e virar a direita. Não tem erro. O ticket da acesso ao parque, a um passeio de ponei e também a um passeio de dromedário. Logo que entramos os patos, gansos e marrecos já vieram ao nosso encontro, pois sabem que muitas pessoas compram alimento para eles. Como haviamos perdido muito tempo no trajeto até o parque a Lice sugeriu que fôssemos direto a fila do tigre branco. Eram dois, um estava dormindo e o outro estava deitado. Nota-se que os responsáveis pela jaula ficam o tempo todo distraindo os animais com carne e leite. Após o tigre branco, nós fomos conhecer o rei das selvas. Confesso que fiquei meio chateado, pois vimos umas 16 pessoas entrando na jaula e todos eles sairam sem fazer uma única foto com o leão acordado, porém, quando faltavam apenas umas 6 na nossa frente Uhdererê!!! Uhdererê!!! Uhdererê!!! O LEÃO ACORDOOOOOOOOU!!! Entramos e conseguimos fazer as fotos com o leão de pé!!! Realmente, da um certo medo quando percebemos que um leão esta olhando para nós, mas a sensação é simplesmente sensacional! Após o leão fomos ver o filhotinho de tigre, andamos de dromedário e alimentamos o elefante. Sem filas em apenas 1hr e 30min você conhece e fotografa todo o parque, além do zoo la também é um museu de carros agricolas e militares: Uma amiga que foi ao parque em 2010 entrou no viveiro das aves, porém dessa vez ele estava fechado. Para voltar nós nem cogitamos a possibilidade de voltar com o intermunicipal. Logo na saida do parque, reservamos nossos lugares no Faberbus (acho que AR$20 ou 40 cada). A viagem foi bem mais rápida e ainda passamos ao lado do estádio do Velez Sarsfield. Descemos na frente do obelisco as 17hs e 20min e fomos até o Teatro Colon, porén já não era mais possível entrar naqueles dia. Voltamos ao hotel, descansamos e fomos até o restaurante Madero. Muuuuuuuuito bom!!! Um dos melhores restaurantes que fui em minha vida. Cada um gastou entre AR$120 a AR$150 com bife, sucos e sobremesa. 28/06 - Sex - ( Caminito - La Boca - la Bombonera - Alto Palermo - Floralis Genérica - Jardim Japonês - Recoleta) Imaginando que seria muito cansativo ir até Colonia del Sacramento e voltar ao Brasil no dia seguinte, nós resolvemos mudar nossos planos e deixar a ida até a cidade uruguai para a Sexta Feira. Acordamos tomamos o café da manhã no hotel e rumamos à pé mesmo até a sede da Buquebus, chegando lá descobrimos que as passagens são mais caras se compradas lá para o mesmo dia. Para pagar o valor menor teríamos que ir até o escritório de vendas que fica na Av Códoba, 770. Pensamos e resolvemos ir até lá e comprar as passagens para a Segunda-Feira. Na volta passamos na Farmacity para comprar um remédio para a Lice e depois fomos ao hotel. Chegando no hotel a Lice percebeu que havia comprado o remédio errado e então voltamos a Farmacity para tentar a troca, a balconista que nos atendeu fez o procedimento correto e nos levou até o caixa para trocarmos o remédio, nesse momento fomos muuuuuito mal atendidos pela operadora de caixa. Eu não iria perder meu tempo e muito menos meu bom humor naquele momento e ai comecei a rir da atendente que ficou mais nervosa ainda quando percebeu que outras pessoas da fila também estavam rindo dela. Com o remédio trocado, voltamos a Plaza de Mayo para pegar o ônibus rumo ao Caminito, esse foi o único momento que pegamos garoa na Argentina. Chegando lá sentimos o astral mais agradável da cidade, os dançarinos de tango, o sósia do Maradonna, os artesanatos, o comércio... Tudo! Tudo muuuito agradável. Após comprar algumas lembranças fomos ao La Bombonera, conhemos o campo e o museu: Foi a primeira vez que usei um dos vouchers de desconto que ganhei da empresa onde reservamos o hotel. Com esse voucher você paga uma entrada e ganha a outra. Voltamos ao caminito e almoçamos onde vimos um show de tango: De la fomos de ônibus e metrô até Palermo onde passamos pelo Jardim Botânico, Jardim Japonês e Floralis Generica. Passamos também em frente ao cemitério da Recoleta, porém já era tarde e estava fechado para a visitação. Aproveitamos para ir até o Shopping Recoleta Mall e provamos pela primeira vez o sorvete Freddo. Simplesmente sensacional!! Sem dúvida nenhuma o melhor sorvete que já tomei. 14 Obs: Nossa intenção era visitar o lado de Palermo na Quarta-Feira, porém perdemos muito tempo ao trocar dinheiro com o vizinho de nossa conhecida e ai deixamos para fazer esse lado no mesmo dia que fizessemos o lado do Caminito. Para aumentar nosso atraso, nós também perdemos tempo ao ir até a sede da Buquebus, depois ao escritório de vendas e depois ainda trocar o remédio na Farmacity. Se não fosse isso, nós teríamos ido também ao Rosendal, Cemitério da Recoleta e talvez o zoo de Buenos Aires. 29/06 - Sab - ( Tigre ) Para ir até Tigre deixamos de lado o Tren de la Costa usamos o trem comum, apenas AR$3,00. Para esse passeio eu também tinha um voucher (2x1) então aproveitamos e compramos 1 passeio de 2hs e o segundo foi gratuito. Valeu muito a pena! Havia a possibilidade almoçar no catamaram, mas preferimos almoçar uma hamburguesa que é vendida em uma barraca ao lado de onde saem os passeios. Além disso, alim perto tem o mercado de frutos, cassino e um grande parque de diversões. 30/06 - Dom - Casa Rosada e El Ateneo Era o dia da final da copa das confederações e por isso não reservamos nenhum passeio para que pudesse não perder o jogo. Acordamos cedo e fomos até a casa Rosada para fazermos a visita guiada. Chegando lá, nos disseram que a casa só abriria 2hs mais tarde, o que nos fez ir até a feira de San Telmo. No caminho passamos por uma feira paralela que eu imaginei que era a feira de San Telmo. Chegando na feira em si, ela não chamou muito minha atenção, acho que qualquer grande cidade daqui tem várias feirinhas mais ricas que a de lá. Poucas pessoas fazem a visita a Casa Rosada, porém eu considero imperdível a oportunidade de entrar em um gabinete presidêncial. Durante o passeio, vimos vários itens que são considerados tesouros para a política Argentina assim como um vestido usado por Evita Peron. A Ateneo realmente é um lugar muito aconchegante tanto para os mais tranquilos quanto para os que tem um espírito mais jovens. Sua arquitetura, sua variedade de títulos realmente merecem uma visita. Voltamos ao Hotel para comemorar a vitória da Seleção sobre a Espenha e mais tarde fomos almoçar no restarante Lille. 01/07 - Seg - Teatro Colon e Colonia del Sacramento Como nossas passagens de ida para Colonia del Sacramento era quase para a hora do almoço, nós aproveitamos para ir logo cedo até o teatro Colon. Realmente a arquitetura é impressionante, é uma pena que não possamos ter mais liberdade para andar pelo teatro, pois valeria belas fotos. Pegamos o metro e fomos até o terminal da Boquebus. O embarque é bem tranquilo, porém vale a pena ter em mente que você estará fazendo uma viagem internacional, então as exigencias são as mesmas que são feitas quando viajamos de avião. Devemos ter os documentos em mão, despachar bagagens, não portar itens cortantes e etc... A viagem é super agradável, foi minha primeira vez viajando em um transporte marítimo. Você escolhe o local onde vai viajar, as poltronas não são marcadas. Após um tempo de viagem, é possível fazer compras no freeshop existente na embarcação. Durante o atendimento já é possível sentir a diferença do uruguaio para o argentino. Os urguaios são mais calorosos que os portenhos, são quase parecidos com os brasileiros e os colombianos. A cidade é super agradável, porém cara. Logo na entrada na entrada já é possível alugar uns carrinhos para andar pela cidade. Conhecemos vários pontos Históricos, subimos no farol, vimos as casas construidas pelos portugueses, a muralha, tomamos sorvetes no freddo e vimos o por do Sol. Vale a pena salientar que a temperatura teve uma variação bastante brusca após o por do sol, é bom estar com agasalhos. Retornamos no mesmo dia para Buenos Aires. 02/07 - Ter- Compras e Retorno Era dia de voltar pra casa. Fomos bem cedo até a Calle Florida para comprar tudo o que não haviamos comprado até então. Lembrancinhas, roupas e é claro, os alfajores da Havanna Saimos do hotel um pouco mais cedo, pois estava acontecendo uma manifestação que bloqueava a estrada que liga BUE ao aeroporto de Ezeiza. Chegando no aeroporto foi só aguardar no Obs: Havíamos levado em consideração alguns lugares que acabamos deixando de lado: Terra Santa, Estádio Monumental de Nuñes, Temaiken (Bioparque) AR$120,00 por pessoa, Rosendal, Recoleta e Zoo De Buenos Aires. Compania Aérea: - Gol: Havia a opção de vôos mais baratos pela Turksh e pela Qatar, mas eles chegariam tarde em Buenos Aires, sendo assim preferímos ir com a Gol e chegar um pouco mais cedo para aproveitar mais nossa viagem. Vô de ida tranquilo: Só não gostei do fato de não permitirem a marcação dos acentos pela internet. O acento só foi marcado no momento do Checkin. Vôo de retorno concorrido: Chegamos cedo para fazer o checkin e mesmo assim só conseguimos sentar juntos na penultima fileira. A Gol havia cancelado um vôo de Buenos Aires para Porto Alegre e isso lotou nosso voo. Chato saber que muita gente que chegaria em POA às 17:30, à partir daquele momento teria que vir até São Paulo para só depois pegar outro voo até POA, só chegando em casa após a meia noite. Hotel: - Uthgra de las Luces: Hotel 3 estrelas reservado pelo decolar.com. Tem uma excelente localização. A apenas 3 minutos a pé da Casa Rosada. Limpo, uma café da manhã muito bom, cozinha até as 23hs, cofre, Internet wi-fi insatisfatória, atendente respondendo em português porém muito frios. O único ponto fraco além da internet extremamente instável que chegou a ficar um Domingo inteiro fora do ar foi o box de banho que é muito pequeno. Uma pessoa obesa não tomaria banho naquele box. Câmbio: São Paulo: R$1,00 = AR$2,63 (Shopping SP Market) e AR$2,12 (Shopping Eldorado) Argentina: R$1,00 = AR$3,23 Decolar.com Tenho um certo orgulho de fazer tudo por conta, então sempre fujo de agências de viagens e afins, porém, dessa vez reservei o hotel pelo decolar.com. Além de valor final ser melhor que o anunciado pelo site do hotel eu gostei muito do suporte oferecido pela empresa, como um telefone para ligar em caso de problemas, um guia sobre BUE e vááááários cupons de desconto que foram muito úteis durante a viagem.
  8. Olá Callu. Nós optamos pela categoria turística. A guia trabalhou muito bem contando a história da estrada de ferro além de ser bastante animada. A viagem de trem valeu muuuuuito a pena. O visual é sensacional.
  9. Carnaval em Curitiba/Morretes Ha alguns anos ensaiava minha ida a Curtiba/Morrtes/Ilha do Mel, mas sempre esbarrava nas datas e valores. Neste carnaval, encontrei bons preços e não pensei duas vezes. A intenção era pegar o voo bem cedo para fazermos o City Tour no mesmo dia e usar um dos dias para ir a Ilha do Mel, porém os voos disponíveis só sairiam pela tarde e por isso deixamos a Ilha para uma próxima vez. Voamos pela Tam, pois tinha os melhores valores e escolhemos o Hostel Roma pela localização, preço, café da manhã e avaliação positiva por parte dos mochileiros que já passaram por la. 09/02 - Sáb - Idá e Chegada. Chegamos no aéroporto de Congonhas e ele estava bem cheio, a ex-paniquete e ex-BBB Jacky Khoury estava la também. O voo foi super curto e tranquilo, serviram um lanche de peito de peru e couve, além de uma mini coca-cola. O aérporto de Curitiba, fica em São Jose dos Pinhais que é uma cidade vizinha e chegando lá temos 3 opções para chegarmos ao centro de Curitiba. Como não conhecíamos a cidade, a 1ª opção seria o taxi, mas este custava R$40,00, então optamos por um ônibus executivo que pelo valor de R$10,00 leva os passageiros até o centro da cidade. O ônibus intermunicipal é uma outra opção, porém é ruim para quem esta com malas e não conhece a cidade. A última parada do ônibus executivo é na entrada do Shopping Estação e à pé de la até o hostel não da nem 4 minutos. Além de ser muuuuuito bem localizado, o hostel é legal e tem Wi-Fi. Aproveitamos a noite para conhecer o shopping e os arredores do hotel. O shopping é bonito, tem várias opções de comidas. Já valeu como um passeio. Como em todas as regiões centrais das grandes cidades, foi possível ver o tráfico de drogas próximo ao shopping e na Praça Eufrásio Correa que fica enfrente ao hostel. 10/02 - Dom - City Tour em Chuvitiba Acordamos cedo e fomos aproveitar o farto café da manhã do hostel. Realmente não tenho do que reclamar quanto a isso. Tinha 5 tipos de bolo, 2 tipos de pães, salsicha, presunto, mortadela, doce de leite, margarina, geléias, chás, leite, café, sucos de caju e laranja, pão de forma e torradeira (...). Saimos meio pesados do hostel e fomos conhecer o centro de Curitiba, nesse dia estava rolando a Zombie Walk curitibana e foi possível ver os jovens se maquiando antes do evento. Fizemos algumas fotos na região da Praça Tiradentes e como ainda faltava algum tempo até os ônibus começarem a circular, nós resolvemos ir à pé até o Passeio Público e o Memorial Árabe. (P.S: Poderíamos ter ido também ao estádio/museu do Curitiba que fica ali perto) Voltamos a Praça Tiradentes e pegamos o ônibus da linha turística que funcina da seguinte forma: A cartela com 5 ticketste da direito a um embarque e mais 4 reembarques. Se não me engano o valor é de R$29,00. A primeira parada foi o Jardim Botânico: Não que eu esteja menosprezando minha cidade natal, mas qualquer paulistano se vê na Europa quando entra no Jardim Botânico de Curitiba, além de ser bonito e muito bem cuidado, ele é extremamente limpo, sem copinhos de plástico, tampinha de garrafas ou espetinhos de churrasco jogados pelo chão. A chuva ia e voltava a todo instante, mas nem isso atrapalhou o passeio. Nossa Segunda parada foi o Ópera Arame, quando entramos lá era difícil acreditar que aquele local já havia sido uma mina. O teatro e todo o lugar é si são muito bonitos e bastante diferente de tudo que ja havia visto na vida. Quando descemos em nossa terceira parada, o Bosque Alemão, achamos que havíamos feito uma má escolha, pois só nós descemos nesse local. A chuva continuava presente, mas o local também é mto bonito. Não havia sido uma má escolha, mas talvez poderia ter escolhido uma outra opção A Torre Panorâmica foi nossa quarta e última parada. Pagando mais R$3,00 subimos na torre que da uma vista de toda a cidade. 11/02 - Seg - Estrada Graciosa / Morretes / Barreado / Trem Serra do Mar Acordamos cedo, tomamos café e partimos à pé mesmo para a rodoviária. Como já imaginávamos, as passagens de trem para a descidade já haviam acabado sendo assim, compramos passagens de ônibus para descer e as passagens de trem para subir. Durante a ida estávamos ansioso por conhecer a estrada graciosa, domorou um pouco, mas quando chegou entendemos o por que do nome. As hostências que enfeitam a estrada a tornam única. Realmente é um passeio imperdível que já vale só pela estrada. No caminho, paramos duas vezes onde pudemos aprecisar a vista, fazer um pipi-stop e comprar bugigangas. A rodoviária de Morretes fica um pouco longe de centro turístico da cidade, sendo assim é importante ter em mente o mapa da cidade para evitar perder tempo andando por lugares menos interessantes. Morretes também é uma cidade para se descansar. É bonita e tem de tudo inclusive tranquilidade. O tempo era curto, e além de comprar algumas coisinhas como doces e artesanato, nós TÍNHAMOS pq TÍNHAMOS que comer o tal do barreado. Da pra se dizer que lá comida é sinônimo de barreado, acho q todos os restaurantes servem o tal prato. Paramos em um restaurantes self service que tinha entre outras coisas o barreado. E não é que o tal do barreado é bão demais da conta, sô? Antes de irmos a estação, nós empanturrados, pensamos: Bem que poderíamos passar uma noite aqui. Porém, como já havíamos comprado as passagens deixamos isso para a próxima. Pedimos informações e achamos a estação. O trem é gigaaaaante, não cabe na plataforma e por isso, as vezes o embarque chega a ser feito em 3 fases. O trem começou a subir e realmente a viagem se revelou imperdível. Estivemos acompanhados de uma guia mto competente e muito bem humorada. A paisagem é sensacional. Só estando lá para saber como realmente é. As montanhas, a vista do mar, as araucárias, as construções antigas... sensacional! 12/02 - Ter Acordamos, tomamos café e como ainda estava cedo, fomos à pé até a Arena da Baixada para ver as obras do estádio curitibano da Copa de 2014. Voltamos ao hostel, onde já havíamos feito o check out, pegamos a bagagem e fomos almoçar no shopping. Qdo estávamos esperando o ônibus executivo na frente do shopping, um taxista parou e nos ofereceu a corrida até o aeroporto pelo preço do onibus. Ele era de SJ dos Pinhais e como o dia estava fraco, ele iria voltar para casa e nos levou cobrando o valor do ônibus para não perder a viagem. Chegamos cedo e então ficamos tirando fotos no aeroporto até dar a hora de embarcarmos. Tch.... ops... até logo Curitiba
  10. Levei minha Canon XS e mais 4 lentes. Não passei por apuros em nenhum momento, porém, a câmera ficou em uma mochila no meu colo sempre que estiver no ônibus ou no avião.
  11. Stevan: Com R$2.500,00 eu poderia ter feito essa viagem, incluindo as passagens aéreas. Porém, como foi a nossa primeira vez no exterior, nós exageramos um pouco na quantia de dolar comprada. Catthy Até Puno durou 5 horas. Muita gente chega nas cidades pela manhã e sai durante o final da tarde ou início da noite. Se você puder comprar os passeios antes, da para fazer um bate-volta Cuzco à Puno sim, mas se eu voltasse a Puno, eu aproveitaria mais de um dia, pois vale a pena. Lukaz.rio Pow cara, muuuuito obrigado
  12. Eu e a Lice planejamos por 8 meses uma viagem confortável ao Peru que pudéssemos fazer tudo sem agência e com bons preços. Passagens: Compramos em Março pela http://www.submarinoviagens.com.br passagens para voar de Taca. Os preços e os horários eram melhores que os da http://www.decolar.com . Vacinas: Tomamos a vacina contra a febre amarela, porém em nenhum momento nos pediram o comprovante. Hospedagem: A ideia inicial era ficarmos hospedados na rede Pirwa, pois foi a que passou mais confiança. Fizemos as reservas apenas para Cuzco e preferimos resolver as outras por lá mesmo. 23/07 – Sábado. Embarque e primeiras impressões Saindo de São Paulo às 6:20min em um AirBus A320. Estávamos um pouco apreensivos, pois foi nossa primeira vez voando, porem o check-in e o embarque já são preparados pensando também no passageiro que embarca pela primeira vez e por isso tudo aconteceu tranquilamente. Fora do avião os funcionários da Taca são atenciosos e falam português, já dentro do avião são mais sisudos e só falam espanhol e inglês. Durante o voô SP – Lima foram servidos quiches como almoço e bolinhos como lanche. Serviam também Coca-Cola, café, suco de laranja, suco de pêssego, leite e até whisky. Após algum tempo de vôo pudemos contemplar a magnífica cordilheiras dos Andes. O avião foi sobrevoando as fazendas verdinhas do Brasil, Paraguai e Argentina e do nada o solo se tornou montanhoso e sem vegetação nenhuma. Era o inicio das cordilheiras, mais a frente já podíamos ver os picos nevados das cordilheiras. Quando chegamos no Peru a entrada foi muito tranquila sem burocracias e tals. O único problema foi terem perdido momentaneamente uma de nossas malas e terem danificado 2 delas. Assim que o problema com a mala foi resolvido, saímos correndo para embarcar rumo a Cuzco, pois estávamos encima da hora, mesmo assim ainda tivemos que ficar quase pelados para passar pelo detector de metais. Nossas botas tinham partes de metal e isso nos tomou tempo, coisa de viajante inexperiente. Entramos no Embraer ERJ-190, muito confortável, rumo a Cuzco. Avião com filmes e música, nesse voo a tripulação foi mais atenciosa. Novamente nos serviram alguns lanchinhos. O momento mais emocionante realmente é a curva em 180° perdendo altitude para chegar no aeroporto de Cuzco é sensacional, parece que estamos em uma montanha russa. Tinha um turista argentino q ficava gritando Uooou!! Uooouuuu!! cada vez que o avião balançava enquanto fazia a curva. Assim que chegamos no aeroporto já estávamos contagiados por aquela sensação de olhar para cada canto e ver pessoas de lugares diferentes, logo já comecei a conversar com uma simpática senhora americana que estava supercontente por estar em Cuzco. Dessa vez não houve problemas com nossas bagagens e logo saímos para encontrar o taxista que iria fazer o serviço de Pick-Up. O serviço de pick-up talvez seja dispensável, pois em nenhum momento tivemos problema com os taxistas de Cuzco, mas é uma garantia que o turista deve ter para ter certeza que chegará com segurança ao hostel. Durante o caminho era impossível não se emocionar vendo aquela cidade que estávamos namorando a quase 8 meses. Os carros, a arquitetura, as pessoas... tudo ao vivo e a cores do jeito que sonhamos por tanto tempo estava ali na nossa frente. Certamente a cereja do bolo era a Praça de Armas. Vista sensacional desse lugar tão especial. Chegando no hostel Pirwa B&B Suécia, nosso plano era de descansar para evitar o mal da altitude, porém a vontade de conhecer aquela cidade era tão grande que apenas tomamos um banho, tomamos chá de coca e saímos para conhecer a praça e ligar para nossos parentes aqui no Brasil. Aproveitamos e comemos um dos deliciosos lanche do Bembos tomando Inka-Cola. Ainda nesse dia tive uma certa dificuldade para dormir, pois exagerei nas folhas de coca que contem uma boa quantidade de cafeina. 24/06 – Domingo. Desbravando a Cidade Acordamos e já rumamos para o Pirwa Posada Del Corrigidor para tomar nosso café da manhã. Um dos motivos que nos fizeram escolher o Pirwa foi a possibilidade de tomar café da manhã de frente para a Praça de Armas. Andamos muito pela cidade, compramos doces, gorros, conhecemos as feiras, igrejas, o mercado municipal, outras praças, o comércio e começamos a pesquisar os valores dos passeios. Além disso estava acontecendo as comemorações do Inti Raime. Obs: Já que é válido por 10 dias deveríamos ter comprado o boleto Turístico nesse dia. 25/06 – Segunda-feira. Compras. Tínhamos que acordar cedo, pois nesse dia a intenção era comprar os passeios, boleto turístico, trem para Aguas Calientes e as entradas para Machu Picchu. Os tickets do trem foram comprados na PeruRail que fica na Praça de Armas mesmo, ao lado do McDonald's. US$100.00 ida e volta. O boleto turistico na Calle Marquez S./130 Compramos os 3 passeios que queríamos fazer na agência ???? na praça central ???. City Tour = S./12,00. Maras e Roray = S./20,00. Vale Sagrado = S./20,00. As entradas para Machu Picchu foram na avenida de de la Cultura 238 S./86,00 Era segunda-feira, a cidade estava mais tranquilamente, então fizemos tudo isso muito rapidamente e então pudemos apreciar mais a cidade. 26/06 – Terça-feira. City Tour. Nosso primeiro passeio começaria ao meio dia, então aproveitamos para ir até um dos mirantes da cidade, San Blaz e também até a pedra de 12 ângulos. Após isso voltamos a praça de armas para iniciar o city tour. Passamos por Catedral, Koricancha, Sacsayhuaman, Quenqo, PucaPucara . No inicio não me adaptei muito ao jeito aceleradão do guia, mas isso foi só em Qoricancha, no restante, o Harvey (Carvey??) mostrou ser um excelente guia. Durante o passeio conhecemos um casal da Bahia que nos assustou quanto a Puno. Disseram que haviam detestado , que o lago fede esgoto, que iríamos nos arrepender. Mas não levamos isso em consideração, pois lendo o fórum, percebemos que a visão que uma pessoa tem sobre Puno é muito pessoal, depende muito de qual perfil turístico a pessoa tem. Antes do final do passeio, passamos por um local onde nos mostraram a diferença entre as lãs de alpca e as de artificiais. Durante a noite, fomos até a praça e um peruano nos ofereceu maconha. No, no... Gracias, no me gusta marijuana. 27/06 – Salineeeraaaaaaaaaas!!! Que lugar sensacional!!! Tanto os aneis de Maras quanto a Salineras de Morai!! Talez pelo fato de as pessoas não darem muito valor a Salinera , nós quase cortamos esse passeio para ir a outro local, mas felizmente fomos a esse local e fizemos um passeio sensacionaaaaaal!! São mais de 5000 poços de sal alimentado por apenas um filetinho de agua extremamente salgada. Lá tem um pequeno comercio onde é vendido desde salgadinhos (milho, feijão e etc) até artesanato feitos de SAAAAL. Fantástico!!! Durante a ida passamos por um povoado onde nos foi mostrado como a lã é tingida. Durante todo o caminho podemos ver os sensacionais picos nevados. Somos paulistanos, cresci idolatrando o Pico do Jaraguá pela sua imponência na cidade de SP, então imagina como eu estava vendo aquelas inúmeras montanhas com o cume nevado. Experiencia sensacional!!! Na volta fomos até o Terminal Terrestre para comprar as passagens de ônibus até Puno. 28/06 – Quinta-Feira. Valle Sagrado Acordamos cedo, fomos tomar café e voltamos para fazer o check-out, pois a noite seguinte seria em Aguas Calientes. Fizemos as malas e as deixamos em um quarto no hostel que servia apenas para guardar malas. Fizemos o Check out e rumamos a praça central. Começamos o passeio passando pelo mercado de Qorao. A visão que temos durante o trajeto é sensacional, tudo lindo. A vista do vale de Pisac é incrível!!! Chegando na cidade, fomos até o tão badalado Mercado de Pisac. Tirando as deliciosas empanadas, esse mercado não tem nada de muito especial, ganhamos uma aula para aprender a diferenciar a prata verdadeira da prata falsa e vimos lojinhas com os mesmos artesanatos que estávamos vendo desde que saímos do aeroporto. Saímos do mercado e ai sim o passeio começou a valer a pena, subimos mais um pouco e logo chegamos até as ruínas de Pisac, um local muito bonito e cheio de história: Após isso, fomos almoçar e depois fomos a Ollantaytambo. O passeio terminaria em Chincero, mas ficamos em Ollanta, pois pegaríamos o trem com destino a Aguas Calientes. Por precaução compramos os tickets das 9:30, mas poderíamos ter comprado o das 19hs pois saímos de Ollanta as 18hs. O caminho até a estação é muito fácil e mais uma vez cercado por montanhas e com um cume nevado ao fundo. Embora seja meio que no fim do mundo, próximo a estação tem uma Lan house, alguns restaurantes, hostels e tals. Pegamos o trem sem nenhuma dificuldade e fomos até Aguas Calientes. Logo que saímos do trem fomos abordados por pessoas oferecendo local para ficarmos, porém quando chegamos em Cuzco, já haviamos reservado um quarto no Pirwa de AC. Tenho rinite alérgica e as toneladas de poeira q respirei no passeio da Salineira me deixaram meio resfriado justamente na noite que antecedia minha ida a Machu Piccho. Tomei um banho, uma aspirina e dormi. 29/06 – Sexta-Feira. Machu Picchu. Acordei super bem, nem parecia que a 7 horas atras eu estava ficando resfriado. Tomamos o café da manhã e logo saímos para comprar os tickts do ônibus que nos levou até MP. Para quem curte fotorafia, Aguas Calientes é um vilarejo que merece ao menos um dia para ser fotografado e melhor conhecido. Chegando na entrada de MP, o parque ainda estava fechado. Sobre Machu Picchu, lembro de ter lido dois relatos que chamaram minha atenção. Um dizia que o turista teve que dispensar o guia para realmente poder aproveitar MP e outro dizia que MP sem guia é um monte de pedras sem sentido. Sabe, o guia realmente faz sentido, mas MP é um lugar lindo demais para se dizer que sem guia ele é um monte de pedras sem sentido. Quase tudo o que a guia nos disse nós havíamos lido durante a nossa pesquisa, a diferença é que ela explica com mais clareza os locais. Bom, após apressar a guia, começamos a curtir o lugar mais sensacional que estive em minha vida. Saímos de MP e descemos para almoçar em AC, após comermos um bela truta, a atendente me cobrou uma taxa de serviço de 24%. Eu disse que não iria pegar, porém e continuava insistindo que eu deveria pagar o valor extra e ai eu repeti pela 2° a frase magica: “Vou chamar a Polícia”. Na hora ela desistiu e eu paguei apenas pelo o que comi A viagem a Poroy foi tranquila, porém, não havíamos reservado taxi/van para nos levar até Cuzco, sendo assim pagamos S/.25,00 pela viagem até Cuzco. Voltamos ao hostel, jantamos e dormimos. 30/06 – Sábado. Cuzco/Puno. Como a passagem haviam sido compradas com antecedência não tivemos problemas para rumar a Puno. Fomos em um ônibus turístico muito bom da Tour Peru. Pagamos entre S./35 e 45. O bom de viajar durante o dia é poder ver as belas paisagens Peruanas. Paramos uma única durante a viagem em La Raya. Chegamos na rodoviária e fomos abordados por uma senhora que nos ofereceu hospedagem no hostel Qoricancha por S./40 com café da manhã (não aos Domingos ¬ ¬). O hostel é bom, tem um belo quarto e chuveiro a gás. Compramos la mesmo o passeio para as Ilhas de Uros por S./25. Almoçamos e fomos à pé novamente ao terminal para comprar as passagens para irmos no dia seguinte para Arequipa. Obs: Talvez esse tenha sido o único equivoco da viagem, me arrependi por não ter ido a Ilha Taquile e deixar para viajar novamente pela manhã. Chegando novamente no terminal descobrimos que era feriado no Peru e algumas agências não estavam abertas, fomos até a Tour Peru e la informaram que não teriam ônibus para Arequipna no Domingo, mas que por S./35 poderiam conseguir outro ônibus de outra companhia. Como havíamos gostado da Tour Peru, resolvemos confiar no figura e voltamos ao centro para ligar para família e conhecer melhor a pequena cidade. 01/07 – Domingo – Ilhas de Uros/ Puno - Arequipa. Acordamos, tomamos café e voltamos ao hostel onde uma vam nos buscou para iniciarmos o passeio pelas ilhas. O passeio foi muito bom, eu sinceramente acreditaria que o povo mora lá mesmo. O ponto negativo fica para a tentativa de tentar vender de tudo para o turistas e a sujeira do povo. Voltamos ao hostel almoçamos e ficamos esperando o rapaz que iria nos buscar para nos levar até a rodoviária e faltando uns 20min para a saida do ônibus ele chegou à pé, buscou um taxi e fomos até o terminal para embarcar. Era dia de final de Copa América, todo estavam prestando atenção no jogo e nesse instante aconteceu nosso único problema no Peru. O rapaz ainda não havia comprado as passagens e é claro que após ficar correndo igual um tonto procurante pelas passagens para as 14hs, ele encontrou um similar ônibus para as 18hs. Não aceitei e começamos a discutir, pois ele disse que não iria devolver o dinheiro, muita gente deixou o jogo de lado para nos ouvir quando eu disse pela 3ª vez a frase mágica: Vou chamar a polícia. É incrível como essa frase resolve as coisas no Peru. Ele devolveu o dinheiro e nós embarcamos as 16hs para Arequipa. Infelizmente o ônibus não era turistico e fez vááárias paradas, isso aumentou o tempo de viagem em 1hr, não vimos a paisagem e chegamos bem tarde na Cidade Branca. Arequipa tem ao menos dois terminais de ônibus e nós acabamos desembarcando no terminal comum (não no turístico) e la foi dificil conseguir um taxi. 02/07 – Segunda-feira – Cidade Branca? Na noite anterior conseguimos taxi do lado de fora do terminal, um taxista bastante simpático que nos contou muita coisa legal sobre Arequipa, porém, chegar a noite não nos deu uma boa impressão. A cidade estava cheia de prostibulos, tive a impressão de estar andando anoite no centro velho (Cracolândia) de SP. O taxista nos levou até um hotel que só depois fui me tocar que eram “conveniados”, acabamos pagando meio caro, mas valeu a pena, pois quando acordamos, da cama era possível ver o cume do vulcão El Mist. Fizemos o City tour com um guia que parecia estar com dor de barriga. Ficou claro que em Arequipa o povo tem mais orgulho de ascender de europeus do que dos incas. 03/07 – Catedral Decidimos não ir até o Vale Del Colca e fomos até a Catedral de Santa Catalina. Além disso, andamos por alguns lugares legais da cidade e procuramos o Mall Sport Plaza, mas ninguém conhecia. 04/07 – Retorno a SP Em Arequipa, devemos ficar esperto com o “convênio” entre os taxistas e os hoteis, no. Arequipa foi a cidade onde mais senti maldade com o turista. No hotel, tentavam a todo o instante vender coisas com o dobro do valor. Saímos de Arequipa as 19hs e chegamos em SP as 4:30 da manhã. Mesmo com o probleminha no final, a viagem foi sensacional, me lembro dela com gostinho de qro mais todos os dias. Apenas trocaria um dia de Arequipa por Lima ou Paracas.
  13. andre.stryker

    Ilha do Mel

    Otávio Luiz, muito obrigado. Ficarei menos de 24hs na Ilha, e usarei os barco taxi para me locomover. MUITO OBRIGADO!!
  14. andre.stryker

    Ilha do Mel

    Olá pessoal. Uma dúvida, como é feita a locomoção dentro da Ilha? Estou afim de passar uma noite na Ilha (em Nova Brasília ou Encantadas), mas quero muito chegar até a Fortaleza e também ao farol. É muito difícil chegar a fortaleza estando em Encantadas? Obrigado.
  15. O mercado de Pisac é dispensável. Tudo o que se vê por lá, vc vê andando por Cuzco. A unica coisa boa são a empanadas As ruinas são legais e valem a pena, acho que ficamos 1:30 com o tour por lá, e na saida/entrada ficam várias pessoas vendendo artesanato por ótimos preços (bem melhor q no mercado). Para mim, as melhores ruinas do Valle Sarado são as de Ollantatambo,
×
×
  • Criar Novo...