Ir para conteúdo

Tamim

Membros
  • Total de itens

    14
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. E ainda há o problema nos Marins, de marcações erradas, levando os inexperientes, como eu, a ir parar em um lugar errado. No meu caso, como estávamos acompanhados por um marinzeiro que não subia lá há mais de 05 anos e baixou uma neblina violenta, acabamos passando um perrengue noturno com a chuva, que já foi relatado e não chegamos ao topo, o que foi o menos pior... Então, sugiro que, se não for com guia, vá com alguém que conhece o caminho certo. Ao menos na primeira vez... Abraços!!!
  2. Tamim

    Barracas AZTEQ

    Comprei a minha lá, sem problemas. Infelizmente, só não consegui usar a barraca ainda, diante de alguns problemas pessoais... Boa sorte na escolha e na compra!!!
  3. Bem, a Náutika me devolveu o jogo de varetas com a haste consertada, não houve troca, mas reparo. Ao montar a barraca novamente, tudo ok. No entanto, em razão de alguns percalços particulares, o investimento ficou parado, pois não tive condições nem de retornar aos Marins, nem de acampar em algum outro lugar para testá-la em campo. O jeito agora é esperar um pouco e controlar a ansiedade da aventura. Não tenham dúvidas que assim que isso acontecer, relatarei o desempenho do equipamento. Abraços!!! Tamim
  4. Acabei comprando a Azteq Katmandu 3/4. AO montá-la dentro de casa, houve um pequeno problema, com um encaixe de metal simplesmente abrindo ao encaixar a haste de fibra de vidro. Como a assistência e garantia são da Nautika, mandei hoje o equipamento para lá. Postei o ocorrido no tópico barracas-azteq-t13618-300.html#p744158. Vamos acompanhar... Tamim
  5. Tamim

    Barracas AZTEQ

    Após muito pesquisar, comprei a Katmandu 3/4 no site da Cioccari, que foi o mais barato em minhas pesquisas virtuais. Recebi dentro do prazo e fui montá-la dentro de casa para conferir se estava tudo ok. Ao montar o segundo jogo de varetas, encaixando as hastes, uma haste de fibra simplesmente abriu o encaixe de metal. Entrei em contato com a loja e com a Azteq, sendo que ambos responderam prontamente, encaminhando meu problema à Nautika, que é agora quem dá assistência às barracas Azteq. Entraram em contato, encaminhando um documento para postagem e hoje encaminhei todo o conjunto de varetas.
  6. Sendo eu montanheiro de primeira viagem, sequer levantei tal possibilidade. Mas pode ter certeza que sim, irei atrás do que sobrou dela. Inclusive havia um desenho personalizado no pequeno sobreteto da idade da barraca, feito por um grande amigo, que também me deixou angustiado em abandoná-lo ( o desespero para sair dali depois da noite tenebrosa era tanto que nem pensei em soltá-lo do teto e colocar no bolso). Na ida já vinha recolhendo algumas poucas embalagens encontradas e colocando no meu lixo (que voltou comigo). Para não desvirtuar o tópico, após o atestado de qualidade da Azteq, por
  7. Tamim

    Mochilas HUMMER

    Comprei uma mochila Hummer em fevereiro, em uma promoção pela internet (daquelas que duram 02 dias). O modelo foi a Explorer 55+15. Na minha ida aos Marins agora no final de abril, não tive do que reclamar. Achei resistente, vários ajustes e bem confortável. Antes que alguém diga que foi só um uso, como estive lá em condições adversas, a mochila ajudou a me segurar na descida das pedras e não desgastou, sendo que usei uma bota da Macboot que voltou com uma pequena rachadura na lateral. Não conheço os outros modelos, mas se forem no mesmo padrão, acho que vale, principalmente pela diferença d
  8. No final de abril fui para o Pico dos Marins, eu a mulher e o filho, com uma Capri Delta3, com cerca de 10 anos de vida e último uso a mais de 8 anos ãã2::'> . Estávamos com uma família de amigos, já que o guia era o chefe dela, e já tinha subido o Pico 18 vezes, ainda que fizesse um tempinho que não fosse para lá. Depois de alguns erros no caminho (inclusive por conta dos totens errados), já a 2050m de altitude, 17:30h fomos pegos por uma neblina repentina. Estávamos fora do caminho certo e tivemos de montar as barracas onde foi possível, lugar pequeno, com desnível, piso de pedra e a enco
  9. Acho que esses R$ 30,00 serão bem pagos. Eu tinha pensado nisso, mas na dúvida quanto à qualidade da Katmandu, fiz o questionamento por aqui. Lendo o relato de outras barracas da Azteq, acho que dá pra confiar. Quanto à barraca nos Marins, ninguém com um pouco mais de noção sai para um camping para largar lixo no meio da natureza, tampouco uma barraca. Ainda me penitencio pelo fato , pois não faz parte da minha conduta denegrir a natureza. Inclusive o colega que nos levou foi guia de turismo ecológico por muito tempo e, assim como eu, adota condutas de turismo limpo. No entanto, considerando
  10. Dos sites em que encontrei as barracas mais baratas, a SE4 sai por R$ 386,00 em 12x sem juros, enquanto que a Katmandu 3/4 sai por R$ 417, em 3x sem juros Como a volta para os Marins deve ocorrer mais para o final de julho, vou monitorando alguma eventual promoção e pesando os prós e contras. Esse peso a mais da SE4, 1,2kg, está fazendo a diferença, mas a economia de R$ 30,00 e as suaves prestações a seu favor também...
  11. Valeu, Erick, é mais uma boa opção a ser considerada, a pesar a questão do avanço x ventilação. Devo comprar a barraca no próximo mês e estou pendendo mais para o lado da Azteq Katmandu 3/4, ainda que faltem relatos concretos de seu uso. Enquanto isso, fico esperando uma promoção de algum dos modelos, o que pode ser um fator de desempate
  12. Obrigado pela resposta!!! Ajudou sim, mais um referendando a SE4, enquanto a Katmandu 3/4 ainda é uma "incógnita", apesar da Azteq ser conceituada. Pelo site da Azteq (http://www.azteq.com.br/barracas/barraca-katmandu-3-4/), a Katmandu3/4 mede 2,4 x 2,1 e com o avanço (1,1) vai para 3,2m, ou seja, o tamanho varia quase nada. Você já usou sua SE4 em quais condições? Dá pra encarar uma boa caminhada com ela na mochila? Muito embora outros modelos da Azteq tenham boas referências, são diferentes, então não dá pra falar sobre ventilação, condensação, resistência à chuva, vento etc. Já a SE4, pel
  13. Boa tarde, Mochileiros! Primeiramente, faço um agradecimento geral pois as informações dos vários integrantes tem sido muito úteis para delimitar minha busca na compra de uma nova barraca. No final de abril fui para o Pico dos Marins, eu a mulher e o filho, com uma Capri Delta3, com cerca de 10 anos de vida e último uso a mais de 8 anos. Estávamos com uma família de amigos, já que o guia seria o chefe dela, que tinha subido o Pico 18 vezes, ainda que fizesse um tempinho que não fosse para lá. Depois de alguns erros no caminho, já a 2050m de altitude (faltavam uns 350 para o topo), fomos pego
×
×
  • Criar Novo...