Ir para conteúdo

FrancoBatalha

Membros
  • Total de itens

    28
  • Registro em

  • Última visita

Sobre FrancoBatalha

  • Data de Nascimento 10-01-1976

Bio

  • Ocupação
    Servidor Público

Conquistas de FrancoBatalha

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Seu desejo é uma ordem patrão, já tenho tentado ajudar, dentro de minhas limitações, assim como o Luciano, mesmo sem ter ido ao local. Esse é o espírito. Valews. Forte abra.
  2. Verdade... Não costumo beber muitos vinhos Argentinos, por isso não tenho tanta referência... Em regra bebo mais os Chilenos, Portugueses (os que mais gosto) e alguns Espanhois.
  3. Rapaz, gosto muito mesmo, só do Chile ano passado trouxe 36 garrafas. Pretendo trazer umas 24 da Argentina. Principe Conheço a Catena, Luigi Bosca, Norton e Beijamin Nieto. Não gosto do Nieto, os demais gosto bastante. Vou procurar por lá o Mundus, Matilde, Punto Final, Arroba, etc.. Também gosto muito desses. Vou deixar meu email para contato caso vc (Principe) ou o Luciano, e quem mais desejar, queira entrar em contato. [email protected] Tenho alguns doc´s legais sobre vinhos que eu compilei e resenha de vinhos que tomei, posso encaminhar a vc´s se desejarem. Abra e obrigado.
  4. A ideia era essa mesmo Luciano, tentar organizar o máximo de informações possíveis em posts próximos a fim de facilitar. Vc é de onde Luciano? Chego lá em Bariloche dia 11 às 10:30 e vou a Buenos Aires dia 15 às 18:30. Vou com minha namorada. Caso deseje tomar um goró por lá, ou bater um papo (pra falar mal do Principe. hehe, brincadeira - olha aí já a intimidade), ou tentar fazer algum passeio junto para economizar (alugando carro ou pedir desconto em agência) é só falar. Abra.
  5. Principe, deixe eu lhe perguntar algo, vc gosta de vinhos? Eu AMO!! Ano passado tomei um excesso de bagagem no Chile de 270 doletas, tudo de vinho.. arffff. Caso vc goste, me indica algum lugar mais barato para comprar para trazer de Buenos Aires para o Brasil? Digo barato em relação ao valor no Brasil e não necessariamente vinhos baratinhos (mas ordinários). Sabe se o preço no Free Shop do Aeroporto Ezeiza é bom?? Por exemplo, no Chile (Supermercado Diez) o preço é fantástico, mas no Free Shop nem tanto.. alguns vinhos valem a pena, outros não. Valews
  6. KKKKKKKKKKKKKK Você é figuraça Principe... Primeiro me perdoe em ter feito vc ler isso tudo. Na verdade imaginei que algumas informações pudessem estar erradas mesmo, pois tirei de vários lugares diferentes (inclusive com muito marketing), mas o intuito mesmo era dar só um panorama geral das atrações para aqueles que não têm ideia do que fazer. Acho que tantas informações num mesmo post facilita a vida de quem procura. Digo isso pq já fiquei tonto várias vezes de tantas páginas que li. hehehe A questão da gratuidade das crianças de 12 anos era para entrar no Campanário e não para beber o chocolate quente Falha minha pela redação. Eu já tinha lido um comentário seu sobre a F. Weiss, mas como muita gente fala dele aqui no site, preferi deixar ... É até bom esclarecer que as informações postadas são de mochileiros diversos, ou seja, não são minhas, pois AINDA não fui a Bariloche. Assim, aos que estiverem lendo, relativizem um pouco as informações de gosto, pois cada um com seu cada qual né... Bom, hoje estou feliz, recebi meu aviso de FÉRIAS!!! UUUUhuuuu... Bariloche e BA que me esperem.
  7. Eu também vou em Agosto, de 11 a 15/08. Alguém vai estar lá nessas datas?? Vou deixar para analisar melhor o câmbio quando estiver mais próximo, mas por agora acho que suas contas estão certas.
  8. Manu, meu roteiro para PB e Otto ficou mais ou menos assim Piedras Blancas e Cerro OTTO Piedras Blancas - fazer pela manhã ($280 - 6 descidas). Abre às 9hrs. Melhor pista do Piedras Blancas eh a 3! Eh a mais rápida e onde os trineos fluem melhor, sem paradas durante o trajeto (so se vc realmente quiser parar). Tarde: Remi para o Cerro Otto. Cerro Otto ($120) + Almoço e visual na Confeitaria Giratória. Ir à Galeria de Arte. A melhor foto com cachorros São Bernardos eh a do Cerro Otto. Transporte: 1- Ônibus de linha. Ir nos ônibus de línea (Línea 50 ou 51) que custam perto de R$ 1,50. 2- Bus onde se compra o ticket no centro pro Otto. Você pode comprar o ingresso no centro, a uma quadra do Centro Cívico, e o translado Centro-Cerro (ida e volta) está incluído. O primeiro ônibus passa as 11:00, o segundo as 11:30 e a partir de ai de hora em hora. 3- Remi. Roupa: Impermeável para neve. OBS: O dia mais fácil para conhecer a cidade seria após Cerro Otto, pois você vai almoçar e rodar um pouco, depois estarás bem próximo do Centro (5Km).
  9. A NOITE DE BARILOCHE À noite na cidade – como em toda a Argentina – só começa mesmo depois das duas horas da manhã. É fácil ficar sabendo da programação do que vai rolar à noite na cidade, pois tem sempre panfletos pelas ruas e nos albergues, principalmente de shows de pequenas bandas locais que enchem pequenas casas de show improvisadas. PUB´s - Os principais e mais conhecidos Pubs estão na Av. San Martin Pilgrim – Palácios 167 - Pub irlandês muito bacana com todo tipo de cerveja e chope feitos artesanalmente na região. O som também é legal com um bom atendimento. Duas cervejas bem recomendadas no local são a Blest Stout e El Bolsón, de onde saem os melhores chopes da casa - como o tradicional chope de framboesa. Wilkenny (http://www.wilkennybariloche.com.ar) – Av. San Martín 435 - Tipo Bar Irlandês. Tem comidas, vários tipos de cervejas e vinhos. Ate a meia noite e tranquilo, e partir de ai começa a encher. Pub muito bom também para se tomar uma cerveja artesanal com excelentes músicas. O QUE E ONDE COMER Compre alguns potinhos de geléia de El Bolsón – a de framboesa é deliciosa! O alfajor da loja de chocolates Del Turista é crocante, bom demais, principalmente o de mousse de chocolate. As lojas de chocolate são um show. Os da Rapa Nui são ótimos para trazer para os amigos e parentes, mas os da Del Turista são bons (provar o alfajor de mousse de chocolate e as deliciosas ramas de chocolate). Dentro das galerias da Calle Mitre pode se encontrar chocolates mais em conta. Os sorvetes da cidade, como os da Fenolio, também são excelentes. Os churros argentinos de doce de leite são muito bons também. RESTAURANTES CUIDADO, ao pedir um prato de massa nos restaurantes. O preço, normalmente barato, é sempre convidativo, mas quase sempre não está incluído o molho que chega a ser metade do preço da massa. A culinária de Bariloche é de bastante variedade, mas seus pratos típicos são as carnes – de cervo, javali e cordeiro –, a truta e os foundues. Nos restaurantes, o almoço é servido a partir das 13h e o jantar a partir das 21h. Muitos estabelecimentos oferecem refeições rápidas a toda hora. Entre 17h e 20h é difícil achar um bom restaurante aberto. Alguns restaurantes recomendados pelos mochileiros do fórum: Butterfly (http://www.butterflypatagonia.com.ar) – Restaurante para reservar com antecedência para garantia de bom atendimento, pois só há seis mesas no pequeno e aconchegante estabelecimento. Refeições elogiadíssimas com uma bela vista. Berlina - Bustillo 11,750 - Tem uma boa movida noturna. Do lado (um pouco depois) de Blest. Cervejas artesanais e alguns pratos (boa a truta). Melhor q Blest. Cervecería Blest - Bustillo 11,600 - Elaboração de cerveja própria (muito boa). Pratos típicos (recomendo truta). Dentro funciona uma loja de roupas e presentes. Lugar muito lindo. Ambiente legal, mais esta nos quilômetros. Cassis (http://www.cassis.com.ar) – Belo e sofisticado - porém aconchegante - restaurante com excelente vista para o Lago Gutiérrez cercado de montanhas normalmente nevadas. É um bom local para jantares apaixonados deliciando-se de especialidades patagônicas e até fazendo degustação de vinhos. É considerado pela imprensa argentina o melhor restaurante de Bariloche, mas prepare-se economicamente pois só aceitam pagamento em dinheiro. Días de Zapata (http://www.diasdezapata.com.ar) – Ótimo restaurante Mexicano com vinhos em um bom preço. Don Molina – Ótimo restaurante para um jantar, com boas opções de vinho. Oferece boa variedade de pratos, mas o forte da casa é a carne. El Boliche de Alberto (http://www.elbolichedealberto.com) – Há três restaurantes com esta marca dentro da cidade de Bariloche – dois de carnes, o Parrilla, e um de massa, o Pastas. O Parrilla é um ótimo local para almoçar uma boa carne argentina, como um belo bife de chorizo. Os pratos são bem servidos, principalmente os com batatas fritas ou com saladas, e o vinho da casa é barato. A carne do Alberto agrada até os que não gostam muito do corte argentino e está um pouco abaixo dos preços dos restaurantes da região. Os pratos são individuais, mas é mais do que suficiente para um casal. Já o Pastas é um pouquinho inferior, mas nada que prejudique a qualidade. Tem a melhor lasanha de Bariloche, mas já o nhoque deixa a desejar. O preço geral das massas é econômico. Recomendações: Bife de chorizo, almendrado e bombom suizo. No Km 8 e melhor lugar para comer Parrilada (carne), mas não por isto e o melhor lugar para comer. Acresentando o que falou Camila, também acho que não e um lugar lindo, e que nas muitas vezes que fui, a maioria comi bem, mas algumas não tão bem. El Cocodrilo – Bar alemão para comer bem e barato, inclusive uma boa pizza de cervo. El Vegetariano – Ótimas opções vegetarianas no país da carne com muitas sopas e saladas. A única carne servida é peixe. Um ambiente agradável e com atendimento atencioso. El Mundo Pizzas y Pastas - Mitre 759 (centro) - O melhor em Pizzas. Pode ser em massas. Familia Weiss (http://www.ahumaderoweiss.com) – Ótimo restaurante para se comer pratos típicos da região como javali, cervo e truta em um ótimo ambiente. Costuma ter muita fila, mas vale a pena esperar. O preço da comida e dos vinhos é bom e a tábua de frios é excelente, sempre bem recomendada. É um bom local para apreciar o fim da tarde com seu visual do lago Nahuel Huapi. (javali, cervo, fundue de carne e truta). Lá é bonito e os pratos são muito bem servidos, pedimos entrada, um prato para dividir, uma garrafa de vinho, não lembro valor da conta, mas foi menos de 100 reais. Full YPF (http://www.ypf.com/ar_es/productos_y_servicios/servicios/tiendas_full_ypf) – Loja de conveniência do posto YPF, da Repsol, que vive cheia e oferece diversas opções para lanches rápidos. A empanada da loja é super elogiada, mas não é tão barata como os sanduíches. Jauja – Restaurante para saborear carnes regionais com grande variedade de vinhos. Kandahar (http://www.kandahar.com.ar) – 20 de Febrero 698 - Local para jantar em um ótimo ambiente com sistema de calefação por mesa. Possui uma decoração bem diferente e bonita. Vale a pena experimentar a truta do restaurante. Sempre cheio, importante fazer reserva antes de ir. Se quiser uma noite Romântica, vai mesmo a Kandahar, e prepara o Cartão de Credito também, rsrs. Esta do lado do Vegetariano. La Cueva – Restaurante caro, localizado em uma caverna no Cerro Catedral, onde seu acesso é feito através de veículos 4x4, geralmente quadriciclo, ou com raquetes nos pés. É mais do que um restaurante, é um belíssimo passeio. O passeio e o jantar no La Cueva ainda dá direito a beber vinho e a um belo visual. La Marmite – Rua Mitre 329 - Bom local para se jantar um fondue ou uma truta com um preço razoável. Possuem opções de carnes também, como o ciervo a la cazadora, mas o preço já não é tão bom e os pratos não são tão bem servidos. Há muita variedade de bons vinhos no restaurante. (lomo, fondue e truta) La Alpina - Comi Foundue, ambiente legal, preço bom, gostei mais que o do La Marmite La Fonda del Tio - Mitre 1130 - Não é um restaurante turistico, mas a comida é boa, é o famoso BBB. Restaurante familiar de comidas caseiras MUITO BOAS. Para comer e não ficar com fome!! Os turistas normalmente não conhecem. Se preparar para fazer fila porque esta cheia a toda hora. La Trattoria de La Famiglia Bianchi – A melhor opção de massas em Bariloche em um ambiente moderno e com atendimento pelo próprio dono. Pratos individuais bem saborosos, diferentes e na média do preço da cidade. Há opções de carne também. Linguini – Ótimos e justos preços com grande variedade de pratos bem servidos. Lo de Tony – Pizzaria pequena com boas pizzas. Morphy’s – Lanchonete de bons preços de sanduíches e cachorros-quentes com atendimento em português. Refugio Arelauquen (http://www.arelauquen.com) – Restaurante bem recomendado para jantar e proporciona um ótimo passeio de snowmobile, mas para isso tudo possui um preço caro. Na cabana do refúgio é servida uma excelente tábua de frios, mas o atendimento do restaurante deixa a desejar. Como bebida incluída no preço, pode-se servir de refrigerantes e bebidas alcoólicas como vinhos Malbec e cervejas até whisky e champanhe. Atualmente, o Arelauquen é a melhor opção em restaurantes deste estilo. Há apenas dois grupos por dia, um às 18h e outro às 21h. Rincón Patagónico (http://www.rinconpatagonico.com) – Restaurante típico patagônico com ótimo atendimento, ambiente agradável e com uma parrilla excelente, assim como sua especialidade – o elogiadíssimo cordeiro patagônico. Fica na estrada para o Hotel Llao Llao. Tarquino – Restaurante familiar agradável, com boa comida, especialmente pratos a base de carne, e bem servida. O restaurante possui boas opções de saladas também. Fundo Colonia Suiza - Colonia Suiza - Lugar muito lindo e preços excelentes. Todo tipo de comidas. Se vão ir para Colônia Suiza, recomendo.
  10. BARILOCHE E ARREDORES – Principais Atrações (Corrijam-me se alguma informação estiver em desacordo) De quatro a seis dias é um tempo razoavelmente bom para se conhecer diversas coisas de San Carlos de Bariloche. No Centro Cívico está a Secretaría de Turismo, não deixe de passar no local e pegar algumas dicas, mapas e informações sobre as atrações da cidade. A maioria das atrações da cidade fica dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi. O esqui é uma atração a parte e a estação em funcionamento na cidade é o Cerro Catedral, com mais de 50 pistas. Outras estações próximas à cidade são o Cerro Bayo, em Villa La Angostura, e Cerro Chapelco, em San Martín de Los Andes. CENTRO CÍVICO O Centro Cívico de Bariloche é a principal localidade da cidade e também uma bela atração. Ali se pode apreciar a arquitetura peculiar da cidade de Bariloche e nos edifícios ao redor. As principais ruas de comércio têm início aqui, onde também se encontra o ponto de informações turísticas. No meio da praça do centro cívico se encontra a estátua do General Roca. É possível tirar belas fotos com os típicos cães São Bernardo com barris pendurados no pescoço na praça. Apesar dos preços cobrados pelas fotos, não se pode ir a Bariloche e não tirar uma foto com eles. Pode pagar por uma foto, impressa na hora, ou paga para tirar três fotos com a sua própria máquina. Fique esperto, pois achá-los em domingos e feriados é quase impossível A principal atração do centro é o Museo de La Patagônia que retrata a história patagônica e mostra um pouco da fauna da região através de animais empanados, bastante material histórico e arqueológico sobre os povos mais antigos da região e sua conquista pelos colonizadores. Seguindo pela costanera que percorre o lago Nahuel Huapi, é possível se chegar à bela catedral da cidade. Não perca o nascer do sol sentado no Centro Cívico (amanhece perto das 9 horas) nem o pôr do sol (por volta das 21 horas, na primavera)... Demais! Calle Mitre Passeio obrigatório para o turista, é o "point" da cidade. Mil lojas de casacos, moletons, artigos de ski, anoraks, chocolates, lembranças, restaurantes, cachecóis, luvas, gorros, casacos de pele, presentes, mais chocolates, botas, recuerdos de madeira, peças de alpaca, lanchonetes, etc. É a rua principal, onde todo mundo passa. Possui também farmácia e supermercado. Museo de la Patagônia (Centro Cívico) Localizado no Centro Cívico, apresenta salas de Ciência Natural, Etnografia, Pré-história, História Regional e local. Bem interessante, mostra a história de Bariloche, artigos indígenas, com importante acervo e interessntes exposições temporárias. De 2ª à sábado das 10 às 13:00 hs. - 3ª e 5ª das 10 às 12:30 hs, e das 14:00 às 19:00 hs. Grátis para menores de12 anos. Site Oficial Museo Paleontológico Exibe interessante mostras de matriais provenientes de diferentes períodos geológicos, além de aranhas gigantes e outras curiosidades. Fósseis impressionantes de 300 milhões de anos, até o esqueleto de um dinossauro de 1,50m, que viveu há 90 milhões de anos atrás...bom para aprender! Aberto de 2ª à sábado das 16 às 19hs, entrada livre. (O end. Av. 12 de Octubre com Sarmiento próximo ao Lago Nahuel Huapi) CIRCUITO CHICO O circuito é o passeio mais tradicional da cidade, obrigatório. Dura meio dia. O circuito Chico pode ser feito por agência ou por conta própria – de ônibus ou bicicleta. Começa na Avenida Bustillo, com belíssimas construções, tem algumas paradas panorâmicas margeando lagos, como o Lago Nahuel Huapi, tem seu ponto alto na subida de cadeirinha no Cerro Campanário – uma das sete melhores vistas do mundo, eleita pelo National Geographic, vai até a península Llao Llao, depois há uma parada em um balcão natural onde se avista o Lago Moreno, onde tem uns artesãos locais. A paisagem no caminho é maravilhosa. Vá agasalhado, pois o Campanário fica a 1050 metros e venta muito! Pode ir ao Cerro Campanário sem ser pelo tour, dá pra ir de ônibus. Se for possível escolha como primeiro passeio. O Circuito Chico trata do percurso do centro de Bariloche até o porto, que passa por vistas de lagos, hotéis, pousadas, restaurantes, Cerro Otto, Cerro Campanário e, no final, o Hotel Llau-Llau, a Capela San Eduardo e o Parque Municipal Nahuel Huapi, podendo ser estendido até a Colônia Suíça. Se não estiver em excursão, aproveite e vá até o Lago Escondido, é bem legal. Cerro Campanário Teleférico, só que de cadeirinhas. Aos pares vamos subindo ao cerro de 1.050 m. Lá de cima a vista é maravilhosa, considerada a mais bonita de Bariloche! Há indicações com os nomes dos lagos, e é possível até avistar a divisa com o Chile. Emocionante demais!!.. Um pouco abaixo há uma casa de chá com mil coisas gostosas! Experimente "Cubanito" , que são rolinhos de waffer (tipo bijou), recheados de doce-de-leite, com tampinha de chocolate. Uma loucura!... Comemore com um belo chocolate quente sua estadia num lugar tão lindo! Menores de 12 anos grátis. CERRO OTTO E PIEDRAS BLANCAS Piedras Blancas – Meio dia (manhã); Cerro Otto – Um par de horas. Passeio por conta própria. A apenas 5 km do centro cívico da cidade de Bariloche, sobre uma bela estrada pavimentada cercada por densos bosques de pinheiros, se ergue o complexo Teleférico Cerro Otto. Localizado em um bonito parque de 25.000 m², onde gôndolas panorâmicas, (tipo bondinhos do Pão de Açucar) totalmente fechadas nos levam a apreciar a magnífica paisagem protegidos da chuva, vento ou neve. Lá em cima está a única confeitaria giratória da América do Sul, com uma velocidade de giro variável entre 20 e 40 minutos, bem devagarinho. Há um pequeno museu e uma discoteca bem animada. Divirta-se o ano todo, não só no inverno na pista de trenós, escalada, Trecking, Mountain Bike, ou Rapel, com paredões rochosos ideais para aventuras. Veja o vídeo. Curta a vista, aproveite para tomar chocolate quente e saborear um brownie (bolo de chocolate coberto com doce de leite e marshmellow!)...simplesmente ótimo!! Site Oficial No alto do Cerro Otto, tem um dos cães São Bernardo mais bonitos e gordinhos por lá. O dono do cão cobra US$ 5 por foto com impressão. O Cerro Otto fica dentro da cidade e você pode comprar o ingresso no quiosque na calçada da Rua Mitre, a uma quadra do Centro Cívico, o translado Centro-Cerro (ida e volta) está incluído e o ônibus passa de hora em hora. Além de uns pouquíssimos ônibus que levam ao Cerro Otto, existe um táxi chamado Remi que você encontra em qualquer esquina, é um táxi em que você fecha o preço antes. Piedras Blancas é a estação do Cerro Otto. Lá se faz esquibunda. Vá primeiro em PB brincar para depois ir conhecer o Cerro Otto. Parque Nacional Nahuel Huapi Bariloche está dentro do parque Nahuel Huapi – primeiro parque de proteção ambiental da América do Sul –, assim como as principais atrações próximas à cidade.. Consiste em sair da cidade de Bariloche costeando o lago Nahuel Huapi até o Cerro Campanário – uma das vistas mais belas do mundo, segundo a National Geographic. Pode-se chegar ao topo do Campanário por uma trilha de vinte minutos ou por aerosillas. Após o Campanário pega-se novamente a estrada em direção ao Hotel Llao Llao, o mais famoso hotel argentino. A vista do hotel rodeado por montanhas nevadas é deslumbrante e o interior do mesmo pode ser visitado, desde que seja feita uma reserva. O passeio dura no máximo meio dia. Várias outras atrações podem servir como complemento ao circuito Chico. Uma delas é ir até a Colonia Suiza, após o Llao Llao, onde se pode saborear um curanto, comida típica local em qualquer um dos restaurantes da colônia. Outra opção é ir até o lago Escondido, cerca de 4 km após o Llao Llao. Outro complemento ao circuito é visitar o Cerro Otto. O morro fica antes do Campanário e pode ser feito no começo ou no fim, antes de voltar a Bariloche. É uma estação de esqui desativada que tem uma espécie de tobogã para se escorregar na neve, mas a grande atração mesmo é a cafeteria giratória que roda lentamente e permite uma total apreciação da paisagem. Para chegar ao topo do morro, pode-se pegar um teleférico. Um último complemento ao passeio pode ser o de aproveitar a proximidade do Puerto Pañuelo para pegar um barco até a Isla Victoria e o Bosque de Arrayanes. O bosque é uma área natural, parte do Parque Nacional Los Arrayanes, que abriga arrayanes – árvores avermelhadas típicas da região – com mais de 300 anos de vida. Já a ilha Victoria possui várias coníferas e pinturas rupestres, além de se poder mergulhar ou subir ao topo do Cerro Bella Vista de aerosilla. Esses locais também podem ser facilmente conhecidos a partir de Villa La Angostura. Ainda dentro do parque, mas do outro lado de Bariloche, um belo local para se visitar é o Cerro Tronador – um vulcão extinto que demarca a fronteira com o Chile. Fica em uma área do parque pertencente ao Club Andino Bariloche que mantém uma infra-estrutura mínima de refúgios no local para aqueles que desejam dormir nessa linda região e fazer trekkings por mais de um dia. O Tronador tem esse nome devido ao barulho forte que faz quando algum bloco de gelo desmorona do morro. Os lagos por aqui são ótimos para pesca de trutas. Cerro Catedral Meio dia se não for esquiar; Dia todo se for esquiar. Pode ser feito por meio de Remi ($120), ônibus de linha e por conta própria. O Cerro Catedral é uma das principais estações de esqui da Argentina possuindo mais de 50 pistas. Tem sua infraestrutura na Villa Catedral, ao pé do morro, onde pode-se alugar o equipamento para a prática de esqui e snowboard, assim como contratar aulas. Fora da temporada de esqui, o local possibilita inúmeros trekkings. Para chegar à vila e ao Catedral, há ônibus com certa freqüência de horários todos os dias. É indispensável roupa impermeável no Cerro Catedral. Leve protetor solar, óculos, luvas e touca na cabeça! O Cerro Catedral te consome o dia inteiro, mas é maravilhoso! Dá para passar uma semana lá! Se for só conhecer e não for praticar nada, meio dia dá, mas fique atento ao ônibus que leva até lá, pois demora. Para o Cerro Catedral dá pra ir de ônibus, que sai da Avenida Perito Moreno, próximo da esquina com a Calle Palácios, e no Centro Cívico. O cerro é, segundo a propaganda, a maior estação de esqui do mundo e não precisa de agência. É um lugar lindo, e tem de tudo, aluguel de equipamentos, aulas de esportes na neve, hotel, shopping, restaurante, uma verdadeira cidade no pé do morro, mesmo sem esquiar você pode passar um dia inteiro lá. Do centro até o Catedral, de remi, se paga 120 pesos. Uma boa visão é com um pouco de caminhada no cerro, onde se pode ver a Cordilheira dos Andes, o Cerro Tronador e o Vulcão Lanin. Com mais de103km. de pistas, no meio de um parque de 600 hectares, o Cerro Catedral oferece 32 meios de elevação com uma capacidade horária de 26.700 pessoas. É o maior complexo de esqui da América do Sul! É o máximo! Cerro Catedral recebeu este nome, por seus picos parecerem uma catedral gótica. Famoso também por representar a América do Sul na "Leading Mountain Resorts of the World"! Quando você chega parece a Disney; um baita estacionamento e várias casinhas que são escolas de esqui, lojas, restaurantes, café, etc. Lá na base há um shopping "Las Terrazas", onde há um grande entra-e-sai de gente com roupas coloridas, esquis à tiracolo. Há várias lojas (se de repente estiver mais frio do que você imaginava...), e vários lugares gostosos para um almoço ou lanche. Há vários meios de elevação e as vistas são espetaculares!! Se destaca por possuir a mais moderna tecnologia em meios de elevação da América do Sul. Além disso, se a neve não for suficiente, os turistas não têm motivos para se preocupar: 45 canhões estão de prontidão para produzir flocos artificiais. Certamente você conseguirá esquiar... Um verdadeiro parque de diversões para todas as idades! Se o esqui não é o seu forte, há travessias em trenó, snowboard, passeios em motos de neve e quadriciclos por diferentes circuitos em cenários realmente deslumbrantes! Quem nunca sonhou em fazer um boneco de neve?Vamos para Bariloche! Caminho dos Sete Lagos No mínimo 1 dia (corrido). Por conta própria (carro alugado) ou agência. O passeio começa em Bariloche, passa por Villa La Angostura e segue até a cidade de San Martín de Los Andes, passando pelos sete lagos – Nahuel Huapi, Espejo, Correntoso, Villarino, Falkner, Machónico e Lácar. É um belo passeio, mas se for feito ida e volta é bastante cansativo. Se for se hospedar na cidade de San Martín, pode-se contratar este passeio e ficar pela cidade. A passagem por Villa La Angostura é mais rápida e não se consegue conhecer muito dela no pouco período de tempo do passeio. Cruce de Lagos Famosa travessia de Bariloche a Puerto Varas, no Chile, atravessando os belos lagos Nahuel Huapi, Freias e Todos Los Santos de barco e, em alguns pontos, intercalando com ônibus. Pode ser feita em um dia, no verão e na primavera, e em dois dias, no outono e no inverno, quando abertos os lagos, pois pode acontecer de fechar por excesso de gelo. Quando feito em mais de um dia, é feita uma parada para dormir em Peulla. Villa La Angostura Dia todo. Pode ser feito por meio de ônibus e por conta própria. A cidade fica a 80km de Bariloche. É um passeio legal que consome um dia inteiro. Dá para ir a Villa Angostura de ônibus, dura uma hora de viagem. Villa La Angostura é muito linda. Em Villa La Angostura, se encontra o Bosque Arrayanes e o Cerro Bayo. Um passeio pela vila também está incluído no pacote por agência. Villa La Angostura é uma pequena cidade com menos de 10 mil habitantes situada na margem do lago Nahuel Huapi. Entre suas principais atrações estão a Laguna Verde, o Cajón Negro, o Parque Nacional Los Arrayanes e o Cerro Bayo, onde há um centro de esqui para o inverno e serve de base aos trekkings pelo local no verão. Na cidade é que realmente começa o caminho dos sete lagos até San Martín de Los Andes. Villa La Angostura fica no sul da Província de Neuquén, na beira norte do lago Nahuel Huapi, 780 metros sobre o nível do mar. O município abrange 7960 hectares. É a capital do Departamento Los Lagos, na Patagônia andina. Fica a só 45 km do limite com Chile, 80 km de San Carlos de Bariloche e 110 km de San Martin de los Andes, pelo caminho dos 7 Lagos. Foi fundada em 15 de maio de 1932, quando se estabeleceu o escritório do Rádio-Telégrafo onde hoje está o porto. Em 1945, formou-se a Comissão de Fomento. Está situada no coração dos lagos do Parque Nacional Nahuel Huapi e ligada à Península de Quetrihue, pelo istmo “Angostura”, donde toma o nome, e é a porta de entrada ao Parque Nacional Arrayanes, onde fica o único bosque de árvores desta espécie no Planeta., maravilhoso! Esta aldeia de montanha tem uns 12000 moradores, pequenos e importantes estabelecimentos hoteleiros, onde a atenção pessoal e a cordialidade do seu povo, fazem dela o Centro Turístico desejado. Cerro Bayo Villa La Angostura também tem uma pequena estação de esqui chamada Cerro Bayo, é um novo conceito em Centros de Ski, com serviços e atividades de nível internacional para toda a família. Focado no conceito de Boutique, Cerro Bayo procura que sua permanência seja perfeita com alto padrão de serviços para as aulas de esqui, aluguel de equipamentos, gastronomia, eventos etc. Tem até pista PISTA CARTOON NETWORK™, especialmente divertida para as crianças! Bosque de Arrayanes Pegue seu carro e dirija numa estrada deslumbrante até chegar à Villa La Angostura (70 Km de Bariloche), que é uma cidade pequena, charmosa, cheia de lojinhas e restaurantes. De lá saem os barcos aquecidos e confortáveis, ao som de ópera, com destino ao famoso bosque. O Bosque de Arrayanes se tornou famoso onde Walt Disney se inspirou para fazer o filme "Bambi"! Único no mundo e com exemplares centenarios, declarado monumento natural mundial. É das coisa mais lindas suas árvores da cor de canela, impressionante! Dá-se uma volta à pé pelo bosque, passando por uma casinha de chá, que parece de desenho. Imperdível! San Martín de Los Andes San Martín é uma pequena cidade de mais ou menos 30 mil habitantes, muito charmosa e às margens do lindo Lago Lácar. Fica próxima a Bariloche, cerca de 200 km de distância, mas ainda mantém um clima mais interiorano e família que a cidade vizinha. Tudo é belo na cidade, desde os inúmeros chalés às residências maiores de quatro andares, passando por toda a vegetação que cerca a cidade que fica entre duas encostas. San Martín é o destino final da famosa rota dos sete lagos. Entre seus atrativos está o Museu dos Primeiros Povoadores, trekkings de verão pelo Parque Nacional Lanín e no vulcão Lanín, praias no lago Lácar e esqui no inverno, no Cerro Chapelco. Chapelco é um dos centros de esqui mais famosos da Argentina e possui um conjunto de quase 30 pistas. Esquel Esquel é uma cidade árida que foi colonizada por gauleses e está a 340 km de Bariloche. Tem como suas principais atrações turísticas o Parque Nacional Los Alerces, a La Trochita – uma locomotiva a vapor histórica que ligava Bariloche a Buenos Aires, mas que hoje apenas liga Esquel a El Maitén – e o pequeno centro de esqui La Hoya. O parque possui paisagens com lagos e florestas exuberantes, além de fazer divisa com o Chile. O parque possui várias trilhas onde algumas só podem ser percorridas com guias e outras que ficam proibidas em época de seca e em nevascas no inverno. Um museu interessante na cidade é o Museo de Culturas Originarias Patagónicas, que mostra detalhes da vida dos antigos povos patagônicos. El Bolsón El Bolsón é uma pequena cidade localizada em um lindo vale aos pés da Cordilheira dos Andes. Sua principal atração é a prática de atividades como trekkings, cavalgadas e rafting. Na cidade, pode se encontrar facilmente muitos hippies. É um destino mais procurado por turistas argentinos e, bem menos, por turistas de fora da América do Sul que costumam se hospedar em estâncias. A popularidade entre os brasileiros ainda é muito baixa. Passeio de um dia inteiro. Passeio bom no verão. Consiste em visita à cidade de El Bolsón, uns 120 km ao sul de Bariloche, onde tem uma feira hippie, como qualquer feira hippie no mundo. No caminho tem a visita ao Lago Púelo, onde há uma criação de trutas, uma fábrica de cerveja e uma de doces caseiros com uma plantação de frutas (morango, cereja, cassis, groselha, framboesa, blueberry e outras) ao lado, essa plantação deve ser legal na primavera, pois no inverno fica tudo seco, sem uma folha. O melhor do passeio é provar mais de 10 sabores de geléias (muito gostosas)! ISLA VICTORIA Partindo do Porto San Carlos (Ao lado do Hotel Lao Lao) numa travessia de 30 minutos de navegação pelo Lago Nahuel Huapi chega-se a Porto Anchorena na Ilha Victoria. Depois de uma excursão a pé percorrendo o ex­viveiro de coníferas, pode-se subir em cadeirinha ao cume do Morro Bella Vista a 900 mts. de altura. É um passeio bem mais demorado. REFÚGIO NEUMEYER Feito com agência, duração de meio dia. Chega-se ao local de Land Rover, pois o acesso não é para qualquer carro, toma-se um café com leite e pão, incluídos e sai-se para a caminhada. Um bom lugar para ter contato com a neve, onde se faz uma trilha por um caminho lindo com árvores totalmente cobertas de neve – se pisar fora da trilha, a neve pode chegar à cintura! Chega-se ao alto de um morro com uma vista maravilhosa para outros montes nevados e um lago congelado. Na volta da caminhada tem o almoço, também incluído e depois pode-se brincar de esquibunda na neve e fazer bonecos com tudo que tem direito. Avistar uma raposa, solta na natureza, não é difícil. VENTISQUERO NEGRO e CERRO TRONADOR Indicado a se fazer por agência, passeio de dia inteiro. Imperdível. O lugar fica longe, mas vale a pena. Ventisquero Negro é uma geleira que nasce ao pé do Cerro Tronador, onde se ouve pequenas avalanches que dão origem ao nome do lugar. No caminho existe uma parada para almoço dentro do parque. O restaurante tem poucas opções, mas pelo menos não é caro. O cerro fica a 90km de Bariloche. O Cerro Tronador é o ponto mais alto da região com 3554 metros. Os três picos do Tronador são: Argentino (3.410 m.), Internacional (3.554 m.) e o Chileno (3.430 m.) cujos montanhistas costumam subir no verão. Para chegar lá, parte-se da calle Onelli que conduz a RN 258. Bordeando o lago Gutiérrez e atravessando os rios Pilmayén e Melagarejo, encontrará poucos kilometros adiante o lago Mascardi. Costeando o lago encontra-se a direita a RN 254 e o caminho Tronador. Deve-se tomá-lo atravessando a ponte sobre o Rio Manso, margeando novamente o Lago Mascardi, na costa oeste. Passa-se em frente ao Cerro Los Emparedados e prossegue margeando o Rio Manso Superior até chegar à Pampa Linda. Depois se atravessa parte do Vale dos Vuriloches e finalmente, passando por um bosque, chega-se ao Ventisquero Negro. O passeio culmina um pouco mais adiante, ao pé do Cerro Tronador. Deste ponto, caminhando, pode-se chegar à mesma linha da geleira. Os três picos do Tronador são: Argentino (3.410m), Internacional (3.554) e Chileno (3.430), escalado por montanhistas durante o verão. Em vez de cruzar a ponte sobre o Rio Manso, continua-se no caminho pela margem do Lago Los Moscos e o Rio Manso; mais adiante está o Lago Hess e depois cruza-se o Rio Roca, finalizando a rota junto à cascata Los Alerces. Continuando a pé pelos 300m restantes se tem acesso ao mirante da cascata, do qual é possível ver a furiosa precipitação entre as rochas. A volta é feita pelo mesmo caminho.
  11. Obrigado pelas gentis palavras FrancoBatalha. No meu caso, a situação é um pouco mais delicada, pois dos colegas do fórum citados por você, eu sou o único que ainda não foi em Bariloche (condição que espero reverter em questão de dias). Isso exige um cuidado maior no que se escreve. Mas, vendo pelo lado bom, eu diria então que sou uma prova viva de que o principal ingrediente para ajudar (ou dar, conforme a sábia lição de sua avó) é a prestatividade. Quanto ao Príncipe, bem, ele é uma rara combinação de alto grau de conhecimento com alto grau de prestatividade, e o resultado disso está aí para quem quiser ver. Não é a toa que este é o fórum mais ativo do site mochileiros. Eu diria que a primeira pergunta respondida pelo Príncipe a gente não esqueçe. Saudações e bem-vindo ao fórum. Muito obrigado pela saudação Luciano. Pois é, já adquiri muita informação também, mas fico com medo por não ter tido a experiência... Mas vou colocando meus "resumos" aqui, aí o Principe pode ir corrigindo...hehehe , mas não precisa agradecer, você é merecedor dos elogios. Ainda bem que existem pessoas prestativas como ele e vc. Espero que contagie a outros. Muito bem lembrado a questão da primeira pergunta ao Principe... Eu, por exemplo, olhava de minuto em minuto para ver se tinha algo... Forte abra!!
  12. Galera, vou colocar uma compilação de muita coisa que li aqui. Isso é para ajudar os que não tem muita informação e também para ajudar os colaboradores. Depois vou postar umas coisas sobre Passeios e Restaurantes. ROUPAS Planeje os dias que você vai para as atrações em que vai brincar/ praticar esportes na neve, pois você vai precisar alugar roupas especiais, não vale a pena comprar. Não esqueçam de sair com gorro e cachecol, pois como falei o vento é cortante... Uma boa opção de aluguel roupas é na TAOS (boa qualidade e preço). A TAOS fica na Avenida San Martin, 283, centro. Compre luvas (não compensa alugar) e meias térmicas (os pés devem estar sempre aquecidos). Utilize o sistema 3 camadas para se vestir ((1) O uso da segunda pele é indispensável, em todos os dias, (2) Fleece, e (3) casaco impermeável, respirável e corta vento). Em Bariloche existem inúmeras lojas e opções para roupas. Não deixes de visitar o OUTLET DA SCANDINAVIAN no segundo andar, e a loja de MARTIN PESCADOR, costumo encontrar coisas boas a bom preço. Comércio A maioria do comércio abre de segunda a sábado das 9:00 as 13:00 horas, e das 16:00 as 21:00 ou 22:00 horas. Aos domingos costumam abrir das 18:00 ate as 20:00 ou 21:00 horas. As tendas de venda de roupa costumam fechar entre as 20:00 e as 21:00 horas. O Supermercado aos domingos atendem ate as 21:00hs e o resto dos dias ate as 22:00hs. O aluguel de roupas normalmente fecha as 21:30 hs para entrega dos equipamentos, mas para alugar (por causa de que tem que experimentar) atendem ate as 20:30 hs (todos os dias da semana). Outlets Outlet Scandinavian: Rua Mitre 219. No segundo andar tem um Outlet. No andar intermédio tem roupa da Nexxt que acostuma ter bom preço. Já no andar principal vai encontrar toda a Línea da Columbia. http://www.scandinavian.com.ar A Montagne tem um Outlet pequeno na Rua Mitre 252, e outro maior fora do centro na Rua Moreno 976. http://www.montagneoutdoors.com.ar Não deixes de visitar Martin Pescador na Rua Rolando 257 que também tenho encontrado preços bons. Na Rua Moreno 298 (com a Rua Rolando) tem The Outdoor Companiy. Também tem uma loja no Shopping Las Terrazas no Cerro Catedral. http://www.outdoorcompany.com.ar/outdoo ... index.aspx Feiras Feria Artesanal Municipal - Num local fechado. Fica entre a Moreno e a Villegas. Fica aberta todos os dias. Do lado também vão encontrar a “Casa de Artesanías Mapuche” que vende principalmente roupas. Perto tem “La Casa de lós Artesanos” na Rua Elflein 38. Na praza “Derechos de la Mujer” que fica detrais do Centro Civico vão achar Artesanos expondo também. Não esqueçam da “Feria Artesanal de Colonia Suiza” que funciona quartas e domingos das 9:00 as 18:00 hs. Museu Museu de la Patagônia - Centro Cívico – 8400 - De 2ª à sábado das 10 às 13:00 hs. - 3ª e 5ª das 10 às 12:30 hs, e das 14:00 às 19:00 hs Museu Paleontológico - Av. 12 de Octubre com Sarmiento. Aberto de 2ª à sábado das 16 às 19hs, entrada livre. Supermercado “La Anonima” (um dos mais baratos de Bariloche). Av pioneiros Km 4500. Perto tem a padaria Trevisan (muito boa). Dicas Gerais Cambio - Sulamerica ou nas lojinhas de gifts da mitre TIERRA LIBRE. Informações - Chegando à cidade, vá até o ponto de auxílio ao turista, que fica ali mesmo na prefeitura (aquela de pedra). Eles são muito simpáticos, te dão altas dicas, mapas e opções. Tenha sempre lanches com você. Carregue uma mochila pequena com "suprimentos" Ligações - Nunca faça ligações dos hotéis, hostel ou hospedagens... É o triplo do preço. Procure os locutórios... O minuto pro Brasil sai menos de 1 peso (consegui falar 4 minutos com 1 peso em um orelhão!) e 15 minutos de Internet fica em 1 peso também. Se tiver Smartphone utilize algum sistema (ZELLO, VOXER, ETC) via WIFI. Não esquecer de levar na viagem –Manteiga de cacau, Bolsa frontal para guarda de $$, Óculos de Sol, Protetor Solar. Comprar: Adaptador de Tomada e Chip de telefone Claro ou Movistar para emergências. Restaurantes: O almoço é servido a partir das 13h e o jantar a partir das 21h. CARRO Uso de faróis baixos nos veículos durante o dia é uma exigência. O maior problema é o gelo. Se te encontras com gelo (e as vezes e difícil ate de te dar conta) deves dirigir devagar, sem acelerar nem frear de repente, em uma marcha a mais de a que andarias normalmente para as rodas se agarrarem melhor. Uma coisa boa que podes colocar nas rodas e um produto chamado Cadena Liquida (só para gelo). Se na tarde ou noite anterior nevou e logo o céu fico limpo, isso fará com que temperatura despenque e gele. Então e recomendando que espere ate as 10 horas para sair, porque o movimento dos próprios residentes que vão trabalhar e demais faraó com que as ruas fiquem mais limpas de gelo. Com isso somado ao sol, normalmente perto do meio dia já terá as ruas sem gelo. Tenha cuidado com as zonas onde tem “sombra”. Indo para Angostura ou Bolson isso e muito comum por causa das enormes arvores. Você poderá ver uma mancha úmida no asfalto e não saberá se e água o gelo; não deve frear, solte o acelerador e diminua a velocidade com marchas suavemente. Por mais que o dia esteja lindo eu recomendo não andar a mais de 80Km por hora na estrada. Se não tiver ou não quiser gastar no aluguel de um GPS, um mapa de papel será suficiente para te ajudar. É tudo bem sinalizado. Quando estacione deixe as rodas dianteiras apontando para a calçada; norma de seguridade básica em Bariloche. Vera que todo mundo faz. Quando estacione deixe o carro em 1ra marcha engatado, sempre. Nos dias que vai gelar não deixe o frio de mão colocado ou no dia seguinte vai demorar o cabo em se soltar. Por isto deixar em 1marcha, e não usar o freio de mão. Se de manha os vidros estão congelados jogue água fria acima deles; nunca utilize água quente. Transfer Do Aeroporto ao Centro o Remis esta de $80 a 110. (R$ 30 a 40) Aluguel de carro – Diária $ 300 (R$ 100 a 120). Agências de aluguel de carro. http://www.interpatagonia.com/bariloche/alquilerdeautos.html Dá para marcar com as locadoras de carro para pegá-los (e também devolvê-los) diretamente no aeroporto, já saíndo direto para o centro. Agências para Excursão http://www.barilocheturismo.gob.ar/servicios/agencias-de-viaje Distancia dos pontos turísticos para o Centro: Cerro Catedral - (20 km) Circuito Chico (30 km) Aeroporto (07 km) Base do Cerro Otto (05 km) Cerro Campanário (08 km) Villa La Angostura fica a menos de 100 km As estradas são boas e sinalizadas. Alojamentos - http://www.interpatagonia.com/bariloche/alojamientos.html Meu roteiro está sendo feito para aproveitar dias seguidos para alugar roupa de neve para pechinchar e alugar carro tentando conciliar o deslocamento para o Aeroporto e passeios para economizar.
  13. Principe, vc´s fazem jus a estas palavras. Não deves agradecer... Nós é que temos que agradecer por tudo. Vou tentar ajudar sempre que possível e que eu sentir que não estou escrevendo algo sem ter embasamento. Forte abra!!!
  14. Sarahv, grato pelas palavras, mas sábio são os que ajudam, eu faço o mínimo que posso fazer, demonstrar meu agradecimento e apoio, assim eles terão seu devido reconhecimento. Eu ainda não fui a Bariloche, mas me considero um "Barilochense" (hehehe) de tantas informações que já recebi da galera... Eu chego à Bariloche dia 11/08, vou à BA dia 15/08 às 18:30, voltando à VIX dia 20/08. Vou terminar meu roteiro para poder postar, pois acho que pode ajudar muita gente. Quem sabe também o Principe me corrige em alguma coisa. Quando eu voltar vou colocar detalhadamente minha experiência.
  15. Prezados, Gostaria de pedir licença aos integrantes deste fórum para agradecer em nome de todos os que utilizam ou já utilizaram essas informações aos incríveis e bem dispostos colaboradores. Muitas vezes acabamos não valorizando o que pessoas prestativas fazem por nós, mas sei que não é o caso da grande maioria deste grupo, que sempre agradece à ajuda recebida. Enfim, gostaria de agradecer em especial a Júnia Pimenta (fundadora do grupo), ao Renato Lira, a Samy_sbz, ao Luciano, Daí SP, a tantos outros, e ENORMEMENTE ao dedicado, prestativo, atencioso, educado, paciente, gente fina e tão querido Príncipe... Pessoas iguais a ele são raras. Ele se dispõe a visitar o site quase diariamente, mesmo não tendo mais conhecimento algum a ser adquirido, vem apenas ajudar, nunca deixa de responder às perguntas alheias e por isso é tão bem quisto e deve colecionar uma enormidade de amigos. Parabéns e obrigado Principe. Sou mais um dos que sou grato pela sua ajuda e qualidades. Para finalizar o agradecimento vou deixar uma mensagem que minha saudosa avó ensinou-me: DAR - Todo homem que te procura vai pedir-te alguma coisa; o rico aborrecido, a amenidade da tua conversa; o pobre, o teu dinheiro; o triste, um consolo; o débil, um estimulo; o que luta, uma ajuda moral. Todo homem que te busca, certamente há de pedir-te alguma coisa. E tu ousas impacientar-te! E tu ousas pensar que isso é um fastídio! Infeliz! A lei oculta que reparte misteriosamente as excelências, dignou-se outorgar-te o privilégio dos privilégios, o bem dos bens, a prerrogativa das prerrogativas: “DAR”. Tu podes dar! Em todas as horas de que é feito o dia, tu te assemelhas a Ele, que não é senão, doação perpetua e perpetuo regalo. Deixa-te cair de joelhos a dizer: - Graças meu Deus, por eu poder dar! Nunca mais pelo meu semblante passará uma sombra de impaciência! Em verdade, em verdade vos digo, que mais vale dar que receber.
×
×
  • Criar Novo...