Ir para conteúdo

Carol Cunha

Membros
  • Total de itens

    67
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Carol Cunha postou

  1. BERLIM Fui para Berlim em um trem cujo bilhete eu comprei apenas 3 dias antes, direto na estação de Praga. Paguei €60 e durou mais ou menos 4h30min. Para se programar legal, comprar bem mais barato e com maior planejamento vá direto ao site da OBB (http://www.oebb.at/en/Tickets/). O trem é ótimo, pontual, limpo, moderno e a estrada é espetacular! E tudo aquilo que sempre esperamos dos alemães. HOSTEL: Fiquei no Seven East Hostel (http://www.eastseven.de/) e gostei. Ele é um pouquinho distante da parte central da cidade, mas nada impossível com um pouco de disposição para caminh
  2. Faaaaaaala galera! Demorei, enrolei, mas voltei e agora pra tentar terminar... Na verdade, parei meu relato praticamente na metade da minha viagem. Vou tentar dar um gás e concluir logo tudo e eventualmente ajudar quem procura por informações! Devo dizer que pra voltar a escrever, tive que ler alguns q escrevi antes para não sair da “forma”, né? Entãããããããão - sem mais delongas – vou direto pra cidade mais cute da face: PRAGA Mas antes de falar dela, contarei sobre o caminho que me levou até lá: um trem noturno! Era o segundo que pegaria durante a viagem. A diferença era de qu
  3. Oi, genteee! Obrigadas pelas msgs tão legais! Ufa, a vida tá uma correria... mas voltarei a escrever o relato de novo - no máááááááximo - nesse fds! Juro que farei meu melhor para escrever tudo bonitinho, ok?? Bjs e obrigada de novo pelas msgs tão legais!
  4. CRACÓVIA De Budapeste eu fui pra Cracóvia de ônibus, pela empresa Volánbusz (http://www.volanbusz.hu/en), q é a operadora da Eurolines (http://www.eurolines.com/en/) na Hungria. Comprei um dia antes da viagem, na rodoviária de Budapeste (bem fácil de chegar: há uma estação de metrô na rodoviária), paguei 4.900Ft (equivale aproximadamente à 16,50E) e durou 7h. O ônibus é beeeeem desconfortável, mas pelo preço q foi até q valeu a pena. Passamos pela imigração na entrada da Polônia, mas foi bem tranquilo. Além disso, a rodoviária – em Cracóvia – é no mesmo lugar da principal estação de trem
  5. BUDAPESTE Saí de Viena com destino à Budapeste o trem da OBB, paguei 38E e a viagem durou cerca de 3h. Vale ressaltar – MAIS UMA VEZ – q comprando com antecedência as passagens ficam MUITO mais baratas (esse trecho, por exemplo, vc encontra até no valor de 13E). Eu, como tinha um pouco mais de margem e tranquilidade no orçamento, optei por decidir praticamente na hora pra onde, quando e como eu ia e por isso acabei pagando consideravelmente mais. Pra evitar isso é simples: entre nos sites q eu já indiquei aqui – tanto de trem como de ônibus – e garanta sua passagem com antecedência. É fácil e
  6. VIENA O trem que peguei em Nurembergue me custou 97E , fiz o trecho pela OBB e durou cerca de 4h40min. E u comprei na hora e por isso esse valor tão alto. Logo, se vc planejar e comprar com antecedência, dá pra achar por 30E o mesmo percurso e sem trocas de trens. Fica o link pra ajudar no planejamento: http://www.oebb.at/en/index.jsp HOSTEL: Escolhi o Wombat’s at Naschmarkt (http://www.wombats-hostels.com/vienna/the-naschmarkt/), valendo dizer q eles tem 3 hostels na cidade. Bem, já expliquei melhor a estrutura dele qdo eu falei sobre Munique, né? Pois é, é praticamente a mesma co
  7. Eu disse no post anterior q esse seria sobre Viena, mas eu errei a ordem dos fatores e talvez - nesse caso – mude um pouco o resultado... ao menos do q eu quero! Ahahhaha NUREMBERGUE Saindo de Munique, usei meu Bayern Ticket e cheguei à Nurembergue. Achar o hostel não foi difícil, pois ele é bem perto da estação: é só passar por um túnel subterrâneo, mais umas duas quadras pra frente e lá tava o albergue que seria minha casa para os próximos 2 dias! A cidade é beeeeeeem menos movimentada de turistas que Munique e guarda bem aquele ar de cidade de interior q eu gosto! HOSTE
  8. MUNIQUE Passada toda essa aventura, finalmente lá estávamos nós em Munique! Chegamos já era de tarde, então resolvemos dar uma volta pela cidade só pra fazer o ”reconhecimento da área”. E, de primeira, já ficamos encantadas com tudo. A organização, a educação, a cultura (há artistas de rua por todo canto da cidade, especialmente jovens). HOSTEL: A escolha foi o Wombat’s (http://www.wombats-hostels.com/munich.htm), q é uma mega cadeia de hostels. Eu fiquei nesse mesmo grupo tb em Viena e Budapeste. Como eu disse, é um albergue beeeem grande e mais parece um hotel. Tem tudo q é tipo
  9. Depois de Veneza, voltamos à Milão para entregar o carro e, no nosso roteiro, a próxima cidade era Munique. Íamos alugar um outro carro em Milão e ir até Munique, entregando-o lá. Só q pra nossa surpresa - e tristeza – o aluguel tava 1.700E A DIÁRIA !!!!! Como assim, gente????? Q preço bizarro foi aquilo!? Óbvio q não alugamos carro nenhum, mas aquilo mudou todos nossos planos. Buscamos na internet se tinha algum ônibus saindo naquele dia à Munique e tinha... lá fomos nós até a rodoviária – q era do outro lado da cidade e nos custou o rim esquerdo. Chegando lá adivinhem?? Pois é,
  10. Saímos de Sorrento já dps do almoço, pq aproveitamos pra descansar um pouco mais. Como ir de Sorrento à Veneza demoraria mais ou menos 8h de estrada, optamos por dividir a viagem, parando uma noite em Arezzo. Esse trecho já nos tomou mais de 5h na estrada... Era um domingo e lá as pessoas praticamente não trabalham nesse dia. Foi um m*** arranjar um posto q tivesse um frentista pra atender a gente! q desespero q foi! Há, sim, abastecimento self service nos postos, mas eles só aceitam cartões e tem q ser da UE! Nossos cartões foram recusados em todas as máquinas. Estávamos ficando q
  11. CAPRI e ANACAPRI No último dia em Sorrento, decidimos ir à Capri. Na verdade, queríamos o dia com o tempo mais aberto e a previsão do tempo dizia q choveria todos os dias. Só q não: fez sol absolutamente todos os dias (pois é, e vc aí achando q só o ClimaTempo era quase todas as previsões... ). Bom, o esquema de Capri é simples: há ferrys da companhia Caremar, saindo todos os dias a partir da Marina San Francesco, em Sorrento. Vale destacar q tb saem de Nápoles. Leva uns 25min e o preço é de 18,50E só ida (não tenho certeza se ida e volta é a duplicação simples desse valor ou se tem
  12. Vou começar tudo falando das estradas da Costa Amalfitana: só paisagem ABSURDA! Coisa de outro mundo de maravilha... e com sol ainda por cima, nem se fala, né!? Botei umas fotinhos lá embaixo, é só conferir. SORRENTO HOSTEL: Tb não há mt oferta de hostels lá, não. Ficamos então no Ulisses Deluxe (http://www.ulissedeluxe.com) q é, na verdade, meio hotel meio albergue (a estrutura predominante é de hotel). O preço é até legalzinho, sem café da manhã (mas vc pode comprar e é RE-GA-DO!), sem cozinha pra usar ou acondicionar coisas, mas com uma boa localização e o staff (q tá mais p
  13. Saindo de Roma, nosso destino era Sorrento. Lá ficaríamos por 4 dias e nosso roteiro incluía um rolé pelo resto da Costa Amalfitana (Positano, Amalfi, Capri e Anacapri) e uma ida à Pompeia, a qual decidimos ir já no primeiro dia. Lembram q no começo falei q a Costa Amalfitana é o lugar mais indicado para não ir de carro. Pois é, guarde essa dica com carinho pq é MESMO!! Só até Pompeia q nós usamos o carro, pq além das estradas serem complexas (mtttttt estreitas e os motoristas lá não tem amor à vida!) o preço dos estacionamentos é o olho da face! Aliás, dois olhos da face! Vamos lá, g
  14. Depois de um dia inteiro de mt chão, chegamos em Roma mais de meia-noite. Conseguimos uma vaga bem próxima do hostel, mas a essa hora não é preciso pagar pelo estacionamento no parquímetro (o horário era entre 8h e 19h, ou algo assim)... Acontece q no dia seguinte, estávamos cansadas, acordamos um pouco mais tarde, e lá estava uma bela multa no carro! AHHAAHHAHA 40E!!! Mas fazer oq!?!? Pagamos na tabacaria (aliás, lá td se faz e se compra numa tabacaria, impressionante!) e fomos ser felizes, mais atentas e pobres q antes... #todaschora ROMA Roma é uma cidade absolutamente
  15. Seguindo pela estrada q nos levaria à Roma, chegamos à: SAN GIMIGNANO Uma cidadela – conhecida como a Cidade das Torres e patrimônio da Unesco - mttt fofa, bem pequena, acolhedora… só q era feriado nacional na Itália e estava LOTADA! Lotada na rua, na praça, no banheiro, nos cafés, nas muretinhas, nos restaurantes, na vendinha, na gellateria... Owwwww, sorte! Ahhahahaha. Mas ainda assim vale muito a pena e achamos a cidade uma graça: dar uma rodadinha básica lá, tomar um café e apreciar a transportação q aquelas ruas e prédios antigos te fazem para algum lugar do passado.
  16. Nossos passeios pelas cidadezinhas próximas à Florença começou ainda no segundo dia q estávamos na cidade... Lá pelas 17h, 18h, as coisas já iam fechando e como era abril, quase maio, o sol só se punha dps das 21h. Nossa decisão? Pegar o carro e sair rodando por aí... encontramos várias vistas maneiríssimas, andamos por aquelas vinícolas MA-RA-VI-LHO-SAS e eu só lembrando do The Godfather (Poderoso Chefão)... Tá, eles são da Sicília, blza, mas não importa. Lembrava disso o tempo todo! AAHAHAHA... Meu sonho secreto de ser mafiosa. CASTELLINA IN CHIANTI Enfim, sei q numa d
  17. Chegamos em Florença à noite e por lá permanecemos outros 3 dias inteiros. E acho muitíssimo razoável e um período bom pra desfrutar da cidade, ir aos museus e dar um rolézinho na região da Toscana (principalmente se vc tiver um carro à disposição!). Nós fomos para Siena, San Gimignano, Castellina in Chianti, Volterra, uma passadinha em Montepulciano só pra ver o visu, além de rodar pelas estradas da região só pra ficar apreciando a beleza daquele lugar. Mas depois falo melhor desses lugares... Inicialmente, tínhamos pensado em ir no esquema de day trip. Mas achamos melhor parar nas cidade
  18. Depois de um café reforçado, de novo com pé na estrada e lá fomos nós em direção à Pisa. No mesmo dia – antes de chegar em Florença – escolhemos passar ainda em Lucca. PISA Bem, existe um graaaaande “campo” na cidade, onde ficam o batistério, a catedral, alguns museus e a famosa torre. E é só o q existe de relevante na cidade mesmo! AHAHAHAHAAH. Mas vou te falar: é belíííííssimo e a inclinação da Torre é MUITO impressionante. E é mais torta do q qualquer foto pode tentar mostrar. Pensei em subir nela, mas só pra ir lá eram 18E!!! Gente, não acho q valha a pena, já q pra mim a graça é m
  19. Saímos numa segunda-feira, bem cedo de Milão com destino à La Spezia, que é a maior e mais desenvolvida cidade perto das Cinque Terre (se não conhece, vale a pena dar uma olhada aqui: http://www.viajenaviagem.com/2012/04/cinque-terre/) . Não reservamos acomodação antecipadamente; chegamos lá e fomos à procura de um B&B. Infelizmente não lembro o nome do lugar , mas se achar coloco aqui. Na verdade, foi uma história mt louca: Chegamos em um B&B q já não tinha mais vaga, e a dona do lugar – mt simpática – nos indicou a outra pessoa. O cara demorou uns 30min até chegar no lugar e nos
  20. MILÃO Bem, cheguei em Milão dia 19/04, Luana (minha amiga) só chegaria dia seguinte. Como cheguei no final da tarde, tava frio e chovendo, optei por dar uma descansada no albergue e sair pra comer uma pizza: quatro queijos, muito gostosa, numa biroska da esquina qualquer! No dia seguinte, acordei e fui buscar minha amiga no aeroporto e lá já pegamos o carro (um Fiat chinquechento, 1.0, 2 portas) que alugamos para ficar 18 dias, no valor de 450E (25€ a diária), com seguros e taxas incluídos. Achamos o carro bem bonzinho, não nos deu nenhum problema (e olha que a gente rodou com ele,
  21. Continuando... Côte d"Azúr foi uma maravilhosa experiência, mas a estrada continuava e meu próximo destino era Milão, onde eu ia encontrar minha amiga. Ela chegaria no dia 20 de abril, um dia antes do meu aniversário, e passaria cerca de um mês comigo por lá. Mas mais à frente eu explico melhor isso tudo. Agora é hora de falar de como se fazer pra chegar em Milão a partir de Nice. Primeira coisa q eu acho legal dizer q não há trem direto entre as cidades. A solução foi mesmo foi pegar um trem até Ventimiglia (uma cidadela na divisa França/Itália), cuja passagem custou 5,50E na SNF
  22. Vou falar agora das outras cidadezinhas que fui ali na Côte, começando por: EZE VILLAGE É uma cidade bem charmosa q fica bem no alto da costa, a uns 30mim de busão de Nice. A cidade é realmente mt fofa e a graça dela é vc se embrenhar em suas ruelas! A atração principal eu diria q é o Jardin Exotic. Ele fica bem no topo da cidadela e vc paga pra entrar. Mas vou dizer: só pelo visú já vale, É BELÍSSIMO!!! O jardim em si tb é fofo e vale a visita!! Como eu já havia dito, meio dia lá é suficiente... No entanto, há uns dois hotéis lá q são animais. Até cogitei passar minha lua-de-mel um di
  23. Oiii, Ratto!! Lembro de conversar com vc, sim!! Foi, sim, meu primeiro mochilão. Pretendo repetir já ano q vem, aqui na América do Sul, e ficar uns 2 meses lá. Não mudaria muita coisa, pq ao longo da viagem já fui adaptando várias coisas q vc só vê e conhece qdo tá lá, dps de um tempo na estrada vc faz as coisas no automático quase, né!? ... E não precisei de autorização, não. Eu saí da UE no meio da viagem, e o prazo passou a ser recontado, eu acho. E as únicas imigrações q eu passei em q eles pegaram meu passaporte, eu ainda estava no prazo de dos 90 dias. Qto à sua observação dos pre
  24. Oi "Winapa"! Meu e-mail é [email protected], fica a vontade pra perguntar oq vc precisa! Não precisa ficar apavorada de viajar sozinha, é muito mais fácil do q parece! Basta algum planejamento, bom senso e disposição! Quanto a idioma, ter um inglês básico já é tranquilíssiimo! Vi gente lá q mal sabia falar inglês se virando MUITO bem! A Suíça, em geral, é MUITO cara! Pesquisa isso e pense tentar ir pra Veneza, Florença e depois Roma ao invés de Zurique e Berna... acho até q encaixaria melhor nesse roteiro ai. :'> Bjs!!
×
×
  • Criar Novo...