Ir para conteúdo

Desnickadu

Membros
  • Total de itens

    3
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Eaí gelere Alguem já comprou na sapatoaventura.com.br? Achei umas botinhas legais lá, pra usar na cidade mesmo, quero saber se é confiavel... Ta dificil encontrar botas pretas tamanho 41 em todo lugar perto de casa =S
  2. no compensado marítimo vc tem menos peso e menos resistencia. TALVEZ, veja bem, não tenho certeza que vc precise fazer reaplicação do verniz do compensado de tempos em tempos, pra não perder a madeira pros bichos [cupins, mofo, etc...]. Se vai usar pouco, pq não compra uma usada? Veja se encontra no MercaLivre alguem vendendo uma na sua cidade e vá buscar, faça uma revisão e seja feliz Não se esqueça de conferir o numero do Chassi e do documento da carretinha.
  3. Yo o/ Bom galera, eu já cruzei a Cordilheira dos Andes 3 vezes de carro e andei um pouquinho por Chile e Argentina, tenho mecanica automotiva como hobby e mecanica de pequenos motores [geradores de energia portateis por exemplo] como profissão. Li o topico inteiro e vou tentar explicar um pouco sobre como a altitude altera o comportamento do motor, pra ninguem ficar preocupado quando estiver lá emcima Começando pelo basico, um carro com motor flex vai sofrer mais do que um carro com motor monocombustivel. Isso acontece pq o motor flex é uma gambiarra que funciona com Etanol e/ou Gasolina; Sendo flex, se o motor estiver abastecido com Etanol quando for subir a montanha ele deve sentir menos a falta do oxigenio. Isso não acontece pq o Etanol é mais "forte" que a gasolina, na verdade é justamente o contrario! O poder calorífico [geração de calor] do Etanol é menor que o da Gasolina. A relação estequiométrica da nossa gasolina [diferente da Nafta por exemplo] é de 15/1, isso quer dizer que pra queimar satisfatoriamente 1 litro de gasolina precisamos de 15 litros de oxigenio, já no Etanol essa relação passa a ser 9/1. Quer dizer que 1 litro de etanol precisa de somente 9 litros de oxigenio pra ter a queima completa. O "pulo do gato" pra fazer a travessia sem sofrer [muito] é dar uma geral no sistema de ignição do automovel [trocar velas e cabos de velas] e no sistema de arrefecimento [trocar valvula termostatica e varetar-limpar- o radiador]. Na hora da subida tirar o filtro de ar da caixa e lembrar de recolocar na proxima parada que seja abaixo dos 3.000 metros. Gasolina com maior octanagem [ou com mais cetanos no caso dos diesel] não vai fazer seu motor se comportar melhor lá em cima, ele vai continuar precisando de ar pra poder queimar esse combustivel! Pra quem vai viajar com um carro novo [com menos de 5 anos] é possivel verificar na concessionaria se eles dispões de programações da Injeção Eletronica trabalhar em altitudes maiores. O que será feito é a adição de novos mapas de injeção, não vai ser nada substituido, apenas adicionado. Para baixas temperaturas é facilmente encontrado nos postos de combustiveis desses paises aditivos anticongelantes para combustivel e água de limpar o parabrisa. O óleo de motor não precisa de aditivo e a água do radiador [se vc fez devidamente a limpesa] já deveria estar aditivada. Em muitos lugares no extremo sul da argentina é desaconselhado o desligamento dos motores durante o passeio, por ser muito frio pode ser que depois o motor não pegue pra vc ir embora. Outra coisa que ajuda é pensar que, se temos algo entre 15% e 20% a menos de oxigenio aos 4000 metros, a potencia do motor deve diminuir daí pra mais, então a carga total deve ser algo em torno desses 20% a menos que o maximo descrito no manual. Acho que ficou meio enrolado, mas se falei alguma besteira ou alguem não entendeu o que escrevi pode corrigir e perguntar a vontade. :'>
×
×
  • Criar Novo...