Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

u2aninha

Membros
  • Total de itens

    20
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

6 Neutra
  1. Antes de ir Comprei minha passagem para Fortaleza pelo viajenet rio-fortaleza-rio por 678,33 reais pela tam ida 17 e retorno 25 de setembro de 2018. Só reservei a primeira noite em Fortaleza porque cheguei tarde da noite. Fiquei na Albergaria Hostel em um quarto privativo com banheiro reservado pelo booking.com. Dia 17 Uber de Copacabana para o aeroporto Galeão R$ 55,64. Jantar no Giraffa do aeroporto R$ 31 Uber do aeroporto Fortaleza para praia do Meireles R$ 21,29 Dormi na albergaria Hostel suite privativa com café da manha R$81. Achei muito bom. Dia 18 Não me preocupei em acordar cedo. Tomei meu café e segui para rodoviária de uber e lá peguei um ônibus para Canoa Quebrada. Enquanto esperava o ônibus na rodoviária, reservei a pousada em Canoa pelo booking: Pousada Alternativa. Na hora certinha o ônibus chegou, confortável e barato. Cheguei em Canoa as 15h e deu tempo de ir a praia, água quentinha para nós cariocas. Achei aquelas barracas de madeira em cima de estacas bem feias, então caminhei até o pedaço da praia mais natural. Na volta parei na Broadway em uma lojinha pequena com tapiocas. A pousada era bastante confortável e pertinho de tudo. De noite fui andar pela Broadway, mas estava sem fome, então passei no mercado para abastecer meu frigobar. Uber meireles rodoviária Fortaleza – R$ 14,54 Passagem Fortaleza Canoa – R$ 26,50 Lanche rodoviária – R$ 8 Banheiro rodoviária – R$ 1,05 Refri na praia Canoa R$ 4 Tapioca mais suco R$ 11 Mercado R$ 7 Pousada Alternativa quarto casal com banheiro e café de manha – R$100 Dia 19 Tomei café na pousada e as funcionárias de lá conversando comigo, sugeriram que eu passasse o dia na barraca da Lua que fica na praia. Eu acabei decidindo ficar mais uma noite em Canoa. A tal barraca da Lua manda um bugueiro te buscar na pousada e depois te leva no final do dia sem custo. A barraca é bem bonita, não tem nada de “barraca” é um restaurante com piscina na beira do mar, com coqueiros e espreguiçadeiras. Para quem ta sozinha, não vale a pena almoçar, então fui de caipirinha, bolinhas de peixe e refrigerante. Eles cobram 10%, mas o serviço é bom, os garçons bem atentos. A noite na Broadway comprei 10 imãs e comi hambúrguer com refrigerante. Decidi ir para Flecheiras e reservei uma pousada pelo booking , a mais econômica da viagem. Comida e bebida na Barraca da Lua R$ 41,80 Hamburguer + refri na Broadway = R$ 17,50 Imã de geladeira = R$ 2,00 20/9 Resolvi seguir viagem e Canoa tem ônibus para Fortaleza com horários limitados pela Fretcar. Peguei o de 6h. Cheguei em Fortaleza a tempo de pegar o ônibus de 10:30h para Trairi. Fiz um lanche na rodoviária. O objetivo era chegar a Flecheiras. Na rodoviária de Fortaleza me informaram que o ideal era pegar o ônibus para Mundaú 6h, 12:30h ou 17h. Se eu esperasse o de 12:30h chegaria no final da tarde em Flecheiras, então resolvi ir por Trairi mesmo. Chegando em Trairi, peguei um moto taxi para Flecheiras. Se chegasse pela manhã em Trairi teria a opção de pegar um van que custaria 8 reais, mas na parte da tarde não tem van. Se você estiver acompanhado tem a opção de pegar um carro bem no local onde o ônibus te deixa, exatamente onde eu e minha mochila pegamos o moto taxi. Flecheiras é uma gracinha, “paixonei” e olha que quando cheguei a mare estava alta sem as piscinas naturais. Fiz um lanche perto da pracinha e na praia tomei minha caipi. A noite comi pasteis e refrigerante. Tem restaurantes ao redor da pracinha e na praia. Na praça tem uma senhora que serve pratos feitos, mas nenhuma opção sem carne vermelha naquela noite. Ônibus Canoa Fortaleza R$ 26,50 partindo as 6h Onibus Fortaleza – Trairi R$ 18,60 partindo as 10:30h Banheiro rodoviária – R$ 1,05 Lanche rodoviária – R$ 7,00 Moto taxi trairi Flecheiras R$15 Hamburguer + refri R$ 17 Caipirinha na praia R$ 10 Pasteis +refri R$ 21 Pousada Sena suíte sem café da manha R$ 70. Para casal é 80 reais. Dia 21 Para sair de Flecheiras tem ônibus para Itapipoca as 6h, mas eu acordei mais tarde. A pousada não tem café da manhã. Saindo para tomar café, fui abordada por um motorista que fazia lotada para Trairi, dentro do carro tinha um casal com bebê. Então topei e deixei o café para mais tarde. Esse trecho Flecheiras Trairi leva 20 minutos no máximo (são 18 km). O carro me deixou em Trairi no mesmo local onde peguei o moto taxi no dia anterior. Lá tem vans da Cooperita que te levam até Itapipoca. Eu peguei a de 9h, mas antes comi um pão com ovo mexido e café na rodoviária de Trairi. A van me deixou na rodoviária de Itapipoca e lá peguei o ônibus de 10:20h para Jijoca, o que foi perfeito porque o site dizia que só tinha ônibus 12:30h. Detalhe: cheguei na rodoviária 10:15h, então como a van é o maior cata-osso, sugiro pegar uma van antes das 9h. A van não tem ar e enche de gente em pé, então chegue cedo para ir sentado e evite sentar perto da porta. Lá em Jijoca peguei uma jardineira na rodoviária mesmo e a pousada que reservei pelo booking ficava perto da entrada de Jeri. As pousadas lá são as mais caras da viagem. Essa ficava perto da duna onde o povo aplaude o pôr do sol e ficava um pouco mais distante do centrinho. A pousada não tinha janela no quarto, mas não tinha mofo e era limpa. Fui almoçar..finalmente né.. no empório ceraence comi uma moqueca de arraia, depois fui andar na praia e no fim da tarde, ver o por do sol na duna. Depois picolé e a noite yakissoba vegetariano no beco do forró. Infelizmente não estava bom. Tomei uma caipivodka de tangerina nas barraquinhas da praia mas também não estava bom, deveria ter pedido de limão. Lotada Flecheiras –Trairi R$6 Café e pao com ovo na rodoviária de Trairi R$ 2 Van Trairi – Itapipoca R$ 10 Água e biscoito na rodoviária de Itapipoca R$ 3 Onibus Itapipoca Jijoca R$ 19 Jardineira Jijoca – Jeri R$ 20 Almoço +refri Emporio Ceacerence R$ 22 Refri na praia R4 3,50 3 Imãs de geladeira R$ 22 Picole no mercado R4 3,50 Yakissoba vegetarino no beco do forro R$ 22 Caipivodka nas barracas da praia R$ 15 Pousada Jangada Jeri 2 noites R$ 252 Dia 22 Tratei na pousada mesmo o passeio para as lagoas. Para contratar um buggy custa 300 reais na baixa temporada. O passeio incluiu uma parada na arvore da preguiça para fotos. A fila de turista para tirar foto é surreal, mas ficar lá sem fazer nada também então vamos a foto. A jardineira passa pela praia do Prea que eu achei bem bonita mas ainda não tem sombra nenhuma e nem um cantinho para vc comparar um água, enfim futuramente vai ter tudo lá. Nosso guia não parou na placa da praia para tirar foto, o que eu achei ótimo, pq o passeio saiu atrasado, estava sol e fila para foto. Paramos um tempinho em uma lagoa azul e depois seguimos para o restaurante Cururu na Lagoa do Paraíso por sugestão de um dos passageiros. Achei muito bom pq a outra opção era uma barraca caríssima: a Alchimist. O restaurante cururu parece pertencer ao restaurante sapão de Jeri. Lá as cadeiras de madeira que podem ser colocadas dentro da agua da lagoa e mesinhas com palha em cima. Seria o paraíso se as pessoas não gritassem enquanto conversam. Almocei peixe empanado arroz salada e feijão 27 reais o prato individual, tomei caipivodka, pra variar. O drink famoso da região é a caipi de seriguela, custa 14 reais, mas anda em falta. Voltando para pousada tomei um refri no mercado e a noite sai para passear e tomar o sorvete italiano maravilhoso com dois sabores. Passeio para lagoas R$ 60 Almoço + caipi +10% no cururu – R$ 44 Refri no mercado tem tudo R$ 3,50 Sorvete italiano R$ 18 Dia 23 Dia de ir embora, dei mole e não conversei na pousada pq o dono da pousada oferece transfer para Fortaleza a 70 reais 11:30, 16 e 19h e te deixa no hotel. Acebei comparando a passagem na Fretcar de Jeri, onde tem ônibus Jeri Fortaleza, custa 83 reais, mas quando cheguei não tinha horário bacana, então voltei por Jijoca saindo 15:30 chegando em Fortaleza 22:30h. Decidi caminhar ate a pedra furada pela praia. Anda muito, cerca de 1h, mas é plano e tem ventinho. Chega lá na pedra furada adivinha?... uma fila enorme de gente para fotografar. ‘Num guento’, decido voltar, mas a maré subiu, então tenho que encarar a trilha e minha pressão caiu, devo ter desidratado. Muito perrengue, fiquei lá caída, suando frio, perdi a consciência não sei quanto tempo. Um rapaz falou comigo, me disse que eu não estava só. Acho que ele percebeu que eu estava com medo sem saber como sair dali, juntou gente, me deram água, fizeram sombra ao meu redor e as pessoas foram mega solidárias, então consegui ver os rostos, sentar, levantar e me ajudaram a caminhar devagar até uma maravilhosa charrete no alto do morro que leva os turistas até embaixo. O senhorzinho que conduzia me indicou o posto médico, mas eu achei que não precisava. Fui ate o mercado comprei água e lanchinho. Tomei banho na pousada e sai 12:10h, bastante insegura, para almoçar. Andei devagar e com minha garrafinha de água. Almocei em um restaurante perto do empório cacerense, comi um pf de dourado. As 14h sai da pousada peguei uma jardineira no ponto e as 14:34h estava em Jijoca, esperando o tempo passar. Melhor chegar com antecedência pq pode demorar para passar uma jardineira com vaga. O ônibus é também cata –osso, chegou tarde em Fortaleza e lá peguei um uber para o hotel. Resolvi ficar uma noite num hotel com mais estrutura porque estava com medo de passar mal sozinha. ônibus Jijoca Fortaleza R$ 45 Charrete mastercard R$ 15 Almoço pf de dourado R$ 25 Jardineira jeri Jijoca R$ 20 Uber Fortaleza meireles R$ 20,34 Spazzio Hotel com café da manhã R$ 170 24/9 Tomei café e percebi que estava muito bem disposta. Mudei de hotel claro Hotel Italia Beach com piscina e precinho. Fui no Dragão do mar andando...looooonge...mas valeu a pena a exposição de Silvio Rabelo. Na volta peguei um ônibus e parei para tomar um sorvete no 50 sabores. De lá peguei um uber para o Crocobeach na praia do Futuro. Vc não paga para entrar, tem um almoço a quilo caro e ruim a R$ 69,90 por quilo. O serviço é péssimo e o refri custa 5,90. A piscina tem dois valores 18 reais a maior e 40 reais as duas piscinas. O melhor da praia do futuro foi fazer massagem nas barraquinhas ao lado do Crocobeach. Voltei de uber e reservei a entrada para a segunda loca do bar do pirata, mas acabei andando ate a feirinha e fiquei cansada. Comi um Macdonald e fui dormir. Hortel Italia Beach R$ 82 Uber do spazzio para o italia R$7,09 Ônibus retorno Dragao do mar R$3,40 Sorvete 50 Sabores R$ 14 Uber praia do Futuro R$ 13,50 Massagem praia do futuro R$ 25 Uber retorno praia do futuro R$ 16,23 Reserva Pirata Bar R$10 (na hora teria que pagar 20) Dia 25 Retorno Rio Uber para aeroporto R$ 18,65 Total gasto= R$ 2418,13 ou R$302,26/dia
  2. Viajei em novembro de 2017 para Santa Cruz de La Sierra, depois Sucre, Uyuni, fiz o passeio de um dia no salar e voltei para Santa Cruz.Estava só e fiquei em Santa Cruz na casa de uma amiga que mora lá, a Denise. Preparativos de viagem: Voo Rio de Janeiro – Santa Cruz -Comprei a passagem pela gol saindo do Rio de Janeiro com conexão em Guarulhos, se tivesse comprado a passagem com um mês de antecedência teria economizado uns 250 reais, mas estava verificando as datas com minha amiga, então acabei comprando na penúltima semana de outubro por R$ 1486,09 pelo Santos Dumont que é mais perto da minha casa.Esse valor inclui uma bagagem despachada de até 23 Kg. Se eu fosse somente a Santa Cruz, seria possível não levar mala no bagageiro, pq Santa Cruz é quente e abafada. Não usei nem calça jeans lá e olha que peguei uma frente fria..rs. Voo santa cruz –sucre - Comprei também passagem de Santa Cruz para Sucre ida e volta pelo site da Bolivariana aviacion –BOA por 571 BO (bolivarianos). A amazonas também oferece o mesmo voo. Os preços são semelhantes a diferença são os horários. Claro que usando o cartão de crédito, então tem IOF sobre esse valor. ATENÇÃO: Comprei o voo doméstico para o aeroporto Viru-Viru mas minha amiga me disse que deveria ter pesquisado se tinha voo para o outro aeroporto que é mais central, daí gastaria menos de transporte. Fiz as reservas de hotéis no booking.com. Os dois hotéis que paguei lá, então não teve IOF. Passagem ônibus sucre –uyuni - Eu li em um blog que vc pode comprar com antecedência no site: ticketsbolivia.com.bo. Eu tentei comprar mas meu cartão dava erro. Liguei para o banco mas mesmo assim não funcionou. Mal da altitude - Como planejei ir a lugares bem mais altos que Santa Cruz, tomei o Diamox, remédio para o mal de altitude uma semana antes, comecei com dois por dia e no final, três por dia e lá eu tomei 4 por dia. Não fui ao médico, peguei a dica aqui em uma viagem anterior à Bolívia, quando estive em La Paz e Copacabana. ATENÇÃO: Eu sou saudável! Não tome o remédio se vc tem problemas de saúde, especialmente de coagulação ou pressão alta. Essas duas doenças eu tenho certeza que o diamox não é recomendado pq os médicos da minha irmã e de uma amiga proibiram. Custo de transportes: R$ 1486,09 passagem gol rio –santa cruz de La sierra-rio R$ 289,25 passagem boa santa cruz-sucre-santa cruz (com 6,38% de IOF e 1R$=2,10 BO) R$ 114,29 passagem 6 octobre sucre-uyuni-sucre (1R$=2,10 BO) Hostel Solariega Sucre – suíte 125 BO Hostel Ciel de Uyuni – suíte 125 BO Dia 5/11 Meu voo era 6:25h para Guarulhos, mas a zebrinha pensou que voo internacional são 2h de antecedência, chegou no aeroporto antes dos funcionários! Pode chegar com uma hora tranquilamente. Tomei um caputino em Guarulhos por R$12,50 para matar o tempo da conexão que era 7:30h até 10:20h. Cheguei em santa cruz de La sierra 11:30h e minha amiga tinha tratado um motorista. O aeroporto Viru-Viru fica distante da cidade, custou 90 BO. Minha amiga disse que não conhecia nenhum lugar para trocar reais, mas eu lembrei que aqui já tinha lido relato de cambio de reais, então troquei 200 reais. 1R$=1,8BO. NUNCA FAÇA CAMBIO NO AEROPORTO! Deixei as coisas na casa dela, que fica em um bairro bem bonitinho, Equipetrol e fomos caminhando (ninguém caminha no bairro!) até um restaurante, Trivento, muito chique! Como taças, talheres...pedi um prato de 65BO e uma taça de vinho por 19BO. A conta não incluiu gorgeta (chamada de propina). Eu vou colocar aqui os restaurantes que estive com Denise, por mera curiosidade, mas que fique claro que eles fogem ao nosso estilo mochileiros. Depois descansamos um pouco e fomos ao teatro com os amigos dela, super legais Beth e Alex. Daí partimos para uns beslisquetes no LORCA perto da praça principal da cidade a 24 de setembro. Lá vc pode pedir um prato para dividir com 2 ou mais amigos por 150BO. 6/11 Chamei um uber para ir a Plaza 24 de setembro por 18 BO, pague no dinheiro para não ter IOF! Já levei uma garrafinha de água pq vc vai andar sempre com uma! Lá troquei reaias a 2,10 BO. Tem várias casas de cambio perto da praça e tem uns caras trocando na rua, mas sempre rola medo de notas falsas! Claro que usei aquelas bolsinhas de cintura que ficam dentro da roupa. Voltei no mesmo uber para a casa da Denise, peguei minhas roupinhas e fui para Viru-Viru, paguei 80 BO no uber. Tomei um voo anterior ao que tinha comprado. De novo a neura de perder o voo. Cheguei em Sucre 12:05h. o taxi local me cobrava 50 BO e diante da minha cara de “NO, gracias”, chegaram a oferecer 30BO, mas ai fui no balcão de informação e me disseram que poderia pegar uma van a 8BO. Claro que nem pensei, entrei na vanzinha. Se vc tiver com mala, eles colocam em cima da van, mas a minha era pequena. Detalhe não tinha wi-fi no aeroporto para chamar uber. O motorista da van me deixou em um ponto próximo do hotel, dizendo que eram três quadras. Na verdade seis quadras. Cheguei no hostel, onde reservei um quarto com banheiro privativo. O quarto era simples. Dava para ouvir o barulho das crianças de um colégio no Recreio. Do hostel descendo a rua, vc chega a pé na Praça principal da cidade. A localização é boa. Peguei um taxi para o terminal. Presta atenção que os taxis são lotadas! Esqueceram de me dizer isso e eu só notei quando entrou uma senhora no meu taxi. Perdi vários carros com passageiro. Custo 5 BO. No terminal comprei a passagem para Uyuni na 6 de octobre que fica no subsolo do terminal. A passagem é direto. Consegui convencer o vendedor a me vender a volta, pq ele dizia que teria que comprar em Uyuni. Imagina se não tem volta! Resolvi comprar a passagem mais cara, a tal de cama a 120 BO individual. O semi-leito era 80 BO. Achei que a diferença de 20 reais é pequena por um pouco de conforto. Afinal iria viajar de 22h até 5:30h. Notei que o vendedor me mostrou a foto dos dois ônibus vermellhos que eu iria pegar. Deve ter turista pegando ônibus errado. Voltei para o hotel e peguei 8BO pq estava cansada de andar, daí o taxi me deixou na porta do hotel. Sai para comer e achei um hostel perto da praça onde comi sanduiche de frango com batata frita e limonada e usei o wi-fi a 36 BO. Como era segunda muita coisa não abria. Então acabei indo conhecer a casa do tesouro com uma visita guiada em espanhol. Como tenho interesse em mineração, achei interessante. Não lembro o valor mas deve ter sido 20BO. Dormi um pouco no hotel – Isso também é férias! Dormi na sessão da tarde..luxo! Sai a noite para jantar, comi pizza em cone. Duas mais um refri de 600ml por 30 BO, essa pizza fica bem de frente para a catedral. Passei em uma farmácia na esquina da praça e comprei umas coisinhas para levar no busão: água, biscoitinhos, lenço de papel, bala...26,40BO. Uber equipetrol Plaza ida e volta – 40 BO Uber aeroporto viru viru -80 BO Transporte aeroporto sucre até hostel = 8 BO Taxi centro – terminal ida e volta = 10 BO/pessoa Sanduiche com refri – 36 BO Museu do tesouro = 20 BO Pizza com refri = 30 BO Dia 7/11 Sai bem cedo do hostel e fui ao terminal por 5BO. Lá vc precisa pagar uma taxa para embarcar no subsolo mesmo a 2,50 BO. Ao lado tem um balcão de informação para turista. Aproveitei para pegar um mapinha de Sucre e umas dicas, pq na véspera tava tudo fechado. O ônibus estava lá na plataforma 9. Bem tranquilo. O ônibus saiu pontualmente 9:30h, como minha bolsa era pequena, ela viajou embaixo de minhas pernas. O ônibus pegou poucos passageiros no caminho e deu uma parada em Potosi mas não pudemos descer. Estava preocupada pq Potosí é uma das cidades mais altas da mundo, mas fiquei bem. A parada do almoço é inacreditável. No meio do nada um restaurante familiar pequeno com comidas típicas e caminhoneiros. 20 min. Paguei 1 BO para ir ao banheiro com direito a papel higiênico fracionado. Depois de usá-lo uma senhora aponta um baldinho que vc tem que mergulhar em um galão para encher e jogar na privada. Não tem onde lavar as mãos. No restaurante eu não entendi o cardápio, mas não ouvi nada que parecesse vegetariano ou pollo (frango). Sei que tinha sopa e depois o prato principal. Comprei água a 5BO. Nenhum turista almoçou. Então leve biscoitinhos! Cheguei a Uyuni e a primeira impressão é bem típica da Bolívia: parece uma cidade de faroeste com muita poeira e ninguém na rua.Estava esfriando. Fui andando até o hotel que havia reservado, paguei os 125 BO pelo quarto com banheiro privativo. Subi então até o terceiro andar..aí o bicho pegou, parecia que estava levando uma tonelada nas costas, que tava fazendo uma maratona. Me joguei na cama até a cor voltar...rs. O quarto era limpo e amplo, uma cama de casal e uma de solteiro, quentinho e com vista para a cidade. Sai para comprar lanchinhos para o dia seguinte, água, achei mais caro que Sucre, mas é normal em cidade turística. Contratei o passeio com a esmeralda Tour, por conta de um relato na internet que recomendava a operadora. Custou 200 BO, mas já haviam me oferecido por 150BO. Para minha grata surpresa, o passeio de um dia não terminava as 17:30h e sim 19:30h pois incluía o por do sol! Voltei para o hotel, zap zap com a família, banho quentinho e sai bem agasalhada para pizza com refri a 51BO. A senha do wi-fi do restaurante não entrou de jeito nenhum. Muitos turistas comendo. Taxi terminal = 5 BO Taxa embarque = 2,5 BO Água =5BO Passeio salar = 200 BO Jantar = 51 BO 8/11 Acordei, tomei o café da manha que estava razoável. O café em si é bem ruim. Durante toda viagem não tomei nenhum bom como o nosso. O hotel não repõe os itens do café. Se ficar lá, recomendo acordar cedo para comer. Deixei minha mala na recepção e fui para o esmeralda tours. Na calçada do escritório tem muita lojinha de artesanato e restaurantes. Tudo no mesmo lugar. Comprei imãs, elástico de cabelo e água..lembrancinhas.No horário combinado me colocaram em um carro com outras pessoas que trataram em outras agências. Então contrata a operadora mais barata, pq no final eles trabalham de forma associada. A primeira parada é no cemitério de trens que é colado na cidade. Parada para fotos. O contraste dos trens enferrujados com céu azul e terreno cinza claro é bonito. Seguimos para o meio do nada, só sal e fotos. Daí seguimos para Cochani um povoado que vive de artesanato de sal e tem um museu. Não entrei no museu e achei os artesanatos carinhos. Parada de almoço no hotel de sal, onde o motorista coloca a comida que ele levou nas mesinhas com banquinhos, ambos forrados com tecidos coloridos. Comemos quinoa, batata cozida, legumes e carne de lhama, eu não comi esse ultimo. Coca cola quente ou água mineral. Bebi água. Banheiro a 5BO. Parada do vulcão extinto com lago onde tinham poucos flamingos e lhamas na vegetação verde. Achei bem bonita a paisagem, com diferentes cores. Daí a Ilha dos cactos gigantes, vc paga 30 BO para entrar e usar o banheiro. Não tem como vc usar o banheiro pagando menos, o que é uma boa razão para fazer a trilha da Ilha. Nem preciso dizer que parei diversas vezes para sentar nas pedras, beber água e recuperar o fôlego. Na saída perdi o ticket e queria usar o banheiro. Minha sorte é que o Ju, brasileiro que estava no mesmo carro comigo, me emprestou o ticket dele. Daí veio a melhor parte do passeio na minha opinião: o pôr do sol! Lindo mesmo. O guia Moisés foi maravilhoso, fez um vídeo do grupo aproveitando a perspectiva, tirou excelente fotos e acho que a melhor foto minha da viagem! Chegamos em Uyuni a noite e fui jantar pizza em um restaurante com wi-fi. Precisa dizer que estava viva e voltado para Sucre. Passei no hotel para pegar minha malinha, aproveitei para usar o banheiro, escovar os dentes, passar uma água no rosto e me preparar para esperar o ônibus. Fui para o terminal, que não é um terminal, apenas uma rua (uma depois da Calle Peru) com vários ônibus nas calçadas. Os restaurantes por ali só servem frituras e comidas bem típicas, mas a questão de higiene tem que ser observada, ok? Sentei para tomar uma coca cola. Na hora marcada lá estava eu no minha poltrona cama individual quando uma senhora exibiu sua passagem com mesma poltrona que a minha, mostrei a ela meu ticket e ela acabou ficando na poltrona a frente que por sorte estava vazia. Depois passou um funcionário que ficou com meu ticket e me deixou sem nada. Se aparecesse outro passageiro querendo meu lugar eu não teria nada para provar! Durante a madrugada o ônibus parou varias vezes na estrada e eu acordava estranhando a demora. Ilha de cactos gigantes =30 BO Banheiro no hotel de sal = 5 BO Jantar pizza = 60 BO (foi um pouco mais caro mas não lembro o valor exato) Coca cola =12 BO 9/11 Finalmente cheguei a Sucre e fui para o hotel, paguei uma diária a mais para dormir de 6h ate 12h. Estava muito cansada. Deixei minha malinha na recepção e fui tentar visitar Sucre mas esqueci que La tudo chega entre 12 -14:30h então restou o mirante perto do museu indígena de têxtil. Bem bonitinho o mirante com um café e uma feirinha de artesanato na rua do museu. Lá comprei umas lembrancinhas. Fui ao mercado central, lá so vende comida, mas ao redor tem lojas de artesanatos que achei tem carinhas. Perto desse mercado vi anúncios de cambio de reais, mas não olhei a cotação. Era cambio informal. Fui almoçar na rua mesmo do hostel, perto da praça, onde vi um anuncio na entrada. 18 BO e comi salada, sopa, espaguete com vegetais e frango, suco de laranja e ainda salada de fruta de sobremesa. Acabou toda minha grana. Daí voltei ao hotel para pegar a mala e pedi para pagar a estadia em dólares e me devolverem os bolivianos que havia dado. Deu 20 dolares e peguei 135 BO. Infelizmente conheci pouco de Sucre. Deveria ter ficado mais um dia. Peguei um taxi até as vans que vão para o aeroporto no final da Calle (rua) Camargo por 5BO, peguei a van por 8BO e lá no aeroporto paguei a taxa de embarque de 11BO. O taxi do hotel até o aeroporto seria 50 BO. A van so parte quando esta cheia e leva 40 min no maximo para chegar. O banheiro do aeroporto foi mo melhor fora o da casa da minha amiga..rs. Tomei um caputino a 18 BO no segundo andar, tava bom! Lá tem tb restaurante, caso vc prefira almoçar lá. O aeroporto, exceto pelo banheiro, parece uma rodoviária. Parei de tomar diamox! Em santa cruz paguei 80 BO para equipetrol o bairro da minha amiga. Foi difícil achar o uber, pq o aplicativo me mandava esperar em um lugar e o motorista ficou em outro. Taxi terminal hostel = 5 BO Almoço = 18 BO Taxi para van aeroporto = 5 Bo Van aeroporto = 8 BO 10/11 Taxi para a praça 24 de setembro 20 BO. Na casa de cultura em frente a praça peguei um mapinha e dicas para ir a Samaipata. Fui a catedral e no mirante, onde vc paga 3BO, mas não achei a vista bonita não. Fui então ao museu de historia nacional que gostei muito. Almocei no irish pub em um centro comercial ao redor da praça. Frango ao curry com arroz e salada a 60 BO refri a 5 BO. Como tudo fecha no almoço, isso te obriga a almoçar. Minha amiga disse que eu não conseguiria wi-fi no centro. No irish tem. Era aniversário da cidade de Potosi, então a associação das pessoas nascidas lá fizeram uma festa na praça com banda, discurso, coca cola, bolo, TV e dança. Fui a uma lojinha de artesanato e achei mais barato que Sucre, mas fiquei com a impressão de ser de acordo com a cara do cliente. Voltei para casa da Denise e encontrei com ela. Fomos ao zoológico aproveitar o fim de tarde, ingresso 10 BO, 14 BO de uber. A ilha dos macacos é bonitinha, mas a jaula dos felinos parece pequena demais para eles. Pegamos um uber para o supermercado por 19BO. Lá comprei vinho, chocolate e cerveja para trazer. Na volta chuvinha e tomamos um taxi 15 BO. Fomos a um restaurante chic: o Bistrô. Mesa para 5 pessoas, três pediram truta, eu frango e Denise polvo, vinho e água mineral e um carpacio de entrada. Deu 155 BO para cada. Taxi ida e volta equipetrol praça = 40 BO Museu indígena – grátis Almoço irish pub = 70 BO (com dois refris) Zoológico = 10 BO 11/11/17 Ficamos na piscina da casa da Denise conversando. Almoçamos no shopping por 30 BO ventura mall e a noite fomos ao Sark restaurante de frutos do mar. Uma mesa de 9 pessoas, pedimos 10 pratos para compartilhar e duas garrafas de vinho. Minha amiga me ofereceu o jantar, então não sei quanto foi. Recomendo a causa (me disseram que é comida peruana) de polvo. Almoço no ventura mall = 30 BO Taxi ida e volta 30 BO. 12/11 Voltando ao ritmo mochileira, sai bem cedinho de casa com uber para a av Omar Chávez Ortiz com a Calle Soliz Olguin, onde fica o transporte alternativo para Samaipata. O uber saiu por 21 BO. Segundo me informaram os ônibus tem horários limitados e as vans saem quando lotam. Como era domingo, achei que lotaria fácil. Só que não era uma van, era um carro em péssimas condições, com pneu meio careca. Custou 30 BO. Cheguei bem 3h depois em samaipata, onde vários taxis te oferecem para levar ao El fuerte. O motorista da van me disse que a ultima van para retornar era as 19h. Mas era domingo, então é bom vc perguntar. Achei melhor ir ao museu onde tem um centro de informação turística. Lá usei o banheiro de graça. Bem limpinho e sobre o El fuerte: o ingresso custa 50 BO e da direito a visitar tb o museu, Pode ir de taxi que custa 100 BO, para levar, esperar 2h e voltar ou mototaxi 50 BO pelo mesmo serviço. Como estava só e não tinha nenhum taxi lotando que eu pudesse dividir, encarei o mototaxi que fica na rua do mercado municipal. Preferi fazer a trilha cedo pq se houvesse algum imprevisto teria tempo para resolver e voltar para Santa Cruz. Claro que andar de moto na carretera me fez pensar que se houvesse um acidente, seria muito, muito ruim, bom...o motorista não achava que deveria ficar em uma pista só...então olhinhos cerrados na ida e na volta. Na entrada da trilha paguei os 50 BO e guardei o ticket com carinho. A trilha é de 2km, mas acho que é só ida..rs. No início, até o segundo mirante, é bem íngreme, mas depois fica tranquila. Leve água pq não a vende nada lá dentro. Gastei apenas 1h 30 min na trilha, parando para tirar fotos e observar. Bem bonita! A trilha é super bem sinalizada e limpa, mas só achei um guardinha no 5 honorários. Se tiver problemas de saúde não faça a trilha sozinha. Não achei perigoso pq só tem uma entrada e no domingo tinha muita gente. O calor era intenso. Então levei casaco a toa mesmo. Indo de Samapaita para El fuerte vc passa por um camping balneário Mama Pascuala com lama preta no fundo do rio. Voltei para a cidade com meu mototaxista, fui na feira nas ruas em volta do mercado municipal para observar as cores e as pessoas. Comprei uma água a 5 BO, uma toalha para Mami e percebi que as lojas de artesanato estavam fechadas pois era domingo. Fui almoçar no La chakana na praça mesmo: espaguete com molho branco e cogumelos a 40 BO, coca cola 10 BO. Durante meu almoço solitário tocou one do U2! Que dia perfeito. Carreguei meu celular lá mesmo e depois esperei até o museu reabrir. Fiquei lá um bom tempo. Peça para assistir o vídeo. Não achei um imã de Samaipata para vender! As 15:55h estava no escritório da cooperativa que fica bem pertinho da praça esperando a van. 30 BO e voltei em uma van, mas o motorista era doido nas ultrapassagens a prova de anjo da guarda. Desci no ponto final da van e peguei um taxi a 20 BO para a casa da minha amiga, onde encarei uns ovos mexidos de jantar. Estava cansada. Taxi equipetrol ponto van samaipata ida e volta = 40 BO Van samaipata ida e volta = 60 BO Entrada do El fuerte + museu = 50 BO Mototaxi ida e volta = 50 BO Almoço La Chakana = 50 BO 13/11 Acordei tarde, tomei café rapidinho e fui a Plaza 24 setembro comprar umas lembrancinhas que esqueci, daí 20 BO para o ventura mall, onde paguei 10 BO para o micro ônibus do parque guembe. Ele saiu do shopping pontualmente as 10:30h com muitos funcionários do parque. Ele fica bem perto do supermercado tia. Na bilheteria passei o cartão de credito 180 BO. Disseram que o ultimo ônibus de volta era 16:45h. Lá tem 14 piscinas. Estava calor e eu tive um dia de madame. Para não perder tempo, decidi não almoçar e beliscar na beira da piscina: batata frita e coca cola. 26 BO. Visitei o aviário, que é uma gaiola gigante onde vc entra e fica com os pássaros e também o borboletário. O orquidário tava feinho sem flores. Recomendo que vc vá dia de semana pq as piscinas são próximas e final de semana deve ser cheio. Paguei 10 BO para voltar ao shopping e de lá peguei o taxi para casa a 13 BO. A noite voltei ao shopping com Denise e comi a melhor pizza de cogumelos da minha vida na FAMOSA. Tomei uma caipivodka 88 BO. Ônibus parque guembe ida e volta do ventura mall = 20 BO Entrada do parque = 180 BO Lanche = 26 BO Taxi ida e volta do ventura equipetrol = 30 BO Pizza + caipi = 88 BO 14/11 Café da manhã e uber para o aeroporto. O voo era 12:05h. Não tem taxa de embarque. Nos taxis e ubers que peguei a maior parte tocava cumbia que eu achei que parecia bastante com as tonadas (será esse mesmo o nome?) de Parintins. Uber aeroporto = 80 BO. legenda das fotos na ordem: 1.Catedral da Plaza 24 Setembro Santa Cruz de La sierra 2. Plaza 25 Mayo Sucre 3. Vista cidade de Uyuni 4. Praça da cidade de Uyuni 5. Cemitério de trens 6. Hotel de sal parada almoço 7.Vulcão extinto 8. Ilha dos cactos gigantes 9. Pôr do Sol- foto cedida pela namorada do Ju. 10. Ilha dos macacos zoológico Santa Cruz de la Sierra 11. Pedra talhada de El fuerte Samaipata 12. Parque Güembe Santa Cruz de La sierra
  3. Eu gostei mais das cataratas na Argentina. Destaco o passeio de barco que com toda certeza o Argentino é melhor. Mas se o viajante não gosta de andar, tem locomoção limitada ou pouco tempo as cataratas brasileiras são melhores e mais econômica também.
  4. Diferente das outras viagens, essa eu planejei de última hora. Pensei em ir para Gramado, mas lá gasta-se bem nas atrações e a ordem era economizar. Então partiu Foz do Iguaçu. Todo mundo que foi disse que no máximo 5 dias, depois ficaria sem ter o que fazer. Eu tinha 10 dias de férias e queria ficar sem ter o que fazer. Por esta razão escolhemos, eu e minha amiga Juliana, hospedagem com piscina. Toda a hospedagem foi reservada pelo booking.com Partida dia 3 de novembro de 2016 pela Gol e retorno dia 13 Rio de Janeiro-Foz do Iguaçu por R$ 537, 58. Dia 3/11 chegamos no aeroporto e pegamos um ônibus aeroporto-terminal por 4 reais. Ele passa em frente ao Che Lagarto, onde nos hospedamos, mas o motorista esqueceu de avisar e tivemos que descer no terminal de ônibus e de lá fomos andando. Achei o hotel maravilhoso. Queríamos prorrogar a estadia, mas eles não tinham vaga. A piscina é bem pequena e não anima entrar, mas o quarto é bem confortável. O almoço em uma padaria próxima, indicada pela atendente + refrigerante foi 18 reais. Daí dormi um pouco e a noite fui conhecer a coxinharia, onde experimentei a coxinha de mandioca com recheio de cogumelo R$5 e a de frango com catupi R$3,80. Delícia essa moda de lá. Dia 4/11 Resolvemos ir ao Paraguai para tomar nota dos preços mas eu acabei comprando um calça Armani por 98 reais e 6 taças de cristal por 22,90 dólares. Imagina que a partir deste momento passarei a viagem toda carregando taças de cristal. O almoço em um shopping foi 23 reais com refrigerante. O ônibus do terminal a ponte é R$3,45, então ida e volta foi mega barato. Tem que ir com calçado confortável porque anda muito.Não pegamos nenhum moto taxi. É bem feio, mas fiquei surpresa com a qualidade dos produtos, achei que só teria china. Lá tudo é em dólar mas você pode pagar em reais também. A cotação você vê no site comprasnoparaguai, onde também pode pesquisar os produtos e as lojas, mas lembre-se que a cotação pode variar ao longo do dia. De manhã era uma cotação e após o almoço outra. Nesse dia estava na véspera da eleição EUA e o dólar tava 3,19.No final da Viagem,após a eleição do Trump foi para 3,59. Fizemos cambio para ir a Puerto Iguazu na argentina: 1 peso =0,22 reais. Fizemos o cambio dentro do supermercado Muffato. Tem uma casa de cambio lá. Depois de uma ida ao Paraguai, chegamos tarde em Puerto Iguazu. Pegamos ônibus para lá em uma rua lateral ao terminal: o ônibus aceita reais ou pesos: 4reais ou 20 pesos. O ônibus para na imigração, você desce com seu documento, responde uma pergunta ou duas, passa sua mala no raio x e depois entra novamente no mesmo ônibus. Descemos no ponto final que fica no terminal de Puerto Iguazu. Ficamos em uma pousada muito boa: 125 hotel. Na frente dela tem um restaurante e lá trás tem os quartos e a piscina. Tava tarde e não entrei na piscina. A pousada é toda em material alternativo, compensado, aço, micro cimento. Fica bem no centro, perto de tudo. Do terminal até lá fomos andando. Fui lá na tal feirinha achando que teria artesanato, mas só tem comida, muita azeitona, chocolate, conservas. Deixe para comprar lembrancinhas em Foz, é mais barato. A noite fomos ao Icebar entrada 60 reais. Achei muito sem graça! Vc fica lá meia hora, os drinquetes são ruins. Todo mundo corre para o bar e demora para ser atendida. Daí fotos... Não se esqueça de ir de calça comprida, pq a roupa de frio é basicamente um super casaco. O taxi para ir do centro de puerto iguazu para o ice bar custou 105 pesos. Na volta pedimos carona na cara dura. De volta ao centro comemos no Quita Penca: uma pizza e eu pedi uma caipi vodka deu 155 pesos para cada uma. Dia 5/11 Pela manhã fomos até as cataratas da Argentina. Reserve um dia inteiro para isso, porque o parque é bem grande. Leve repelente para o final da tarde.O ônibus no terminal de Puerto custa 40 reais ou 130 pesos por pessoa. A entrada custa 250 pesos e a aventura náutica 450 pesos. A aventura náutica foi muito bom. O barco chega muito perto de dois pontos das cataratas e você se molha para valer, então melhor ir de biquíni. Pode ir de chinelo. Tem uma sacola impermeável que eles te dão para você guardar coisas que não podem molhar, então se não estiver quente, sugiro levar uma toalha de rosto e uma roupa seca para usar depois. Neste dia estava muito quente e a roupa secou logo. A cotação no parque 1 real=4,05 pesos. Compramos no almoço um combo com 6 empanadas e um refri de 600 ml por 39 reais ou 155 pesos. À noite fomos jantar no La mama onde a massa é caseira- 130 pesos para cada com refri. Dia 6/11 Saímos de Puerto e fomos a feirinha de Foz do Iguaçu,que acontece aos domingos. Comprei uma água mineral no terminal a 20 pesos, a passagem para foz é 4 reais. Descemos antes do terminal na pousada Evelina, porque a Che lagarto não tinha vaga. De lá tomamos um ônibus para feirinha 3,75 reais. A feirinha de artesanato e comida é bem pequena. Na volta da feirinha para o terminal, almoçamos no mercado Muffato, comida a quilo, porque estava tudo fechado R$ 11,76 reais e depois tomei um geladinho a R$3,00. Voltamos para a pousada e eu cai na piscina, enquanto Ju dormia. O banheiro do quarto era bem caído, mas a piscina era ótima e o quarto espaçoso. Sem contar que os atendentes eram muito simpáticos. São três pousadas na mesma rua que pertencem ao mesmo dono, então o café da manhã é servido em outra pousada e a noite uma delas funciona como restaurante italiano. Resolvemos comer no Taj então pegamos um taxi da pousada até o resto deu 20 reais ida e volta. O rodizio é 49,980 reais + bebida, gastamos 60 reais para cada. Tudo muito bom, mas não é comida tailandesa e sim japonesa. Ao lado desse Taj, tem um restaurante bem sertanejo com churrasco etc. Dia 7/11 Fomos às cataratas brasileiras. A entrada é 36,30 reais. Você percorre rápido o parque. Comprei uma blusa por 30 reais e 3 imãs por 13 reais. O lanche lá foi 18 reais. Em uma manhã dá para conhecer. Optamos por não fazer o passeio de barco lá, porque o de Argentina é maior. O brasileiro só vai em um ponto das cataratas e eu achei que não chega tão perto. Saímos andando das cataratas até o Parque das Aves, a entrada é 36 reais. Eu amei o Parque das Aves. Você consegue ver bem de pertinho e tem um guia, depois entra em um compartimento com borboletas e araras soltas. O melhor é que as aves ali estão em um local onde são estudadas. O dinheiro do ingresso financia as pesquisas. De volta a Evelina pegamos um taxi para outro hotel, porque queríamos ficar mais no centro de Foz, perto do terminal. Ficamos então no Águas de Iguaçu. Na rua mesmo do hotel jantamos um maravilhoso peixe a R$23,50 +3 reais de gorjeta para cada. Bem barato e bom. A gorjeta em Foz não vem na conta, então quase ninguém dá gorjeta lá. Dia 8/11 Resolvemos ir a Itaipu. Entrada 74 reais. Comprei lembrancinhas lá reais e um hambúrguer+ refri R$16 reais. O ônibus do terminal até itaipu custa R$ 3,75. Como era terça não foi preciso marcar, mas chegamos em um horário que não tinha saída, então tivemos que esperar até 13:30h. Você embarca em um ônibus com guia. Foi bem interessante. Tirei foto dos passeios e preços. Dá uma olhada! Dia 9/11 Ida ao Duty Free da Argentina,o ônibus é o mesmo que vai para Puerto Iguazu e custa R$4,00. É mais barato que o brasileiro, mas o Paraguai ganha em preço com toda certeza. Na volta ao terminal pegamos o ônibus para o templo budista ,mas estava fechado. O templo funciona de 9:30h as 16:30h. Fomos lanchar no Jauense que é uma confeitaria de Foz maravilhosa! Gastei 26,40 reais em gostosuras. A noite jantamos no mesmo local da noite anterior, só que frango desta vez. Custou R$27,50 cada. Dia 10/11 Minhas taças ainda estão inteirinhas. Fomos ao Paraguai comprar. O comércio fecha as 15h do Brasil, que são 16h lá. O ônibus 3,75 reais e eu comprei uma boneca 0,90 reais, pen drive 32GB por 26,60, um celular simples e com teclas grandes por 43,50, 3 victorias secrets +1 batom revlon+ 1 paleta de sombras naked por 130 reais, papai noel por 20 reais, alfajor milka por 20 reais. Almocei a 25 reais. Mortinhas da Silva de tanto andar, descansamos e a noite rolou uma pizza + refri que não anotei o preço e depois batata frita+ caipi a 110 pesos. Pesos? Sim porque resolvemos voltar par Puerto Iguazu que é mais bonito que Foz e comemos no Quita Pencas. Onde aliás vimos o BRASIL GANHAR DA ARGENTINA - MOMENTO MASTERCARD!!!! Dia 11/11 Chove bastante e a gente dormiu até 14h. Almoçamos no terminal de Puerto a 84 pesos e no final da tarde tomamos um café com torta a 65 pesos na confeitaria que fica na esquina do terminal. Fomos ao Duty free e gastei 266,50 reais em compras, perfume com caixa detonada, sombra que não achei no Paraguai..., fora o buzu 8 reais ida e volta. Jantamos em Puerto por 236,50 pesos e eu comprei 2 chaveiros a 100 pesos. Dia 12/11 Tivemos que retornar ao Paraguai porque minha irmã finalmente me pediu alguma coisa. A Ju também queria comprar umas coisas lá. Depois fomos conhecer o templo budista. O ônibus do Templo demora muito, muito...e também demora no trajeto, então pode ser uma boa tentativa pegar para Itaipu e lá tratar um taxi, já que não rola uber em Foz. Dica: não vá ao templo no fim de semana, porque excursão aporta lá e os turistas sem noção saem em bando, desrespeitando completamente as placas de não tocar nas imagens, não falar alto, higiene no banheiro..., fora isso é tudo lindo. De lá fomos para o hotel Águas de Iguaçu pegar nossas coisas na recepção e seguimos para o hotel Paudimar centro. Para nossa surpresa o dono da pousada paudimar centro disse que nossa reserva não valia nada e colocou a gente para fora de forma inacreditável, quando ameaçamos chamar a polícia. O hotel cheirava a mofo, a piscina suja demais, se não fosse feriado, agente teria desistido.Imagina a cena: A gente sentada na calçada com nossas malas, esperando a polícia chegar. E chegou rápido. O dono do hotel tinha reservado a pousada inteira para uma excursão em setembro e esqueceu de tirar a disponibilidade no booking e disse na cara de pau que “elas que se virem!”. Os policiais botaram panos quentes dizendo que não havia crime, mesmo a gente mostrando que ele ainda estava com anuncio de vagas no ar. Pegamos um taxi até a pousada Evelina, afinal na rua existiam três pousadas! Toda viagem tem que ter momento perrengue. Voltamos na Evelina e o pessoal da pousada nos emocionou, porque eles não tinham vaga, mas ligaram para vários hotéis procurando vaga para gente. Acabamos no hotel tourrance, porque a cidade estava lotada com o feriado do dia 15. A noite saímos para comer uma pizza perto do hotel mesmo, lugar bem simples na estrada principal. Gastei R$17 reais. Depois de escrevermos ao booking com cópia do relato policial, fomos ressarcidas das despesas: hotel e taxi . Dia 13/11 Café espetacular do hotel Tourrance e taxi para Aeroporto.
  5. esqueci, mas Tá aí Lupão!
  6. Antes da viagem: Compramos a passagem rio-bogotá-san andrés e san andres-rio com bastante antecedência na Avianca por R$ 1377,74 divididos em 6x. Daí pesquisamos a hospedagem pelo booking e pelo airbnb. Decidimos então conhecer a ilha de providência e como lemos relato que a ida de barco é horrível, optamos por ir de avião. Na internet tem relatos de duas companhias aéreas seabra e satena, mas só conseguimos informação da satena. No site deles tem preço e horários, porém quando você tenta comprar o site dá erro. Ficamos muitos dias tentando e nada. Daí Juliana escreveu para eles no chat online e mandaram um link para pagamento R$ 581,81 ida e volta. Três dias antes de viajar eu passei a tomar diamox para não ter problema de altitude. Minha amiga não tomou e ficou bem, já minha irmã teve um pouco de dor de cabeça. DIA 14 – Bogotá Chegamos no final da tarde lá. Tem que lembrar que são 2h a mais que o horário de Brasília. O cambio no aeroporto é muito ruim, a sorte é que Juliana tinha pesos colombianos que comprou de uma amiga. No aeroporto galeão no rio é possível comprar alguma coisa no banco safra, mas eu te recomendo sacar no caixa automático em Bogotá ou trocar o suficiente para o taxi na casa de cambio do aeroporto de lá. DICA: SEMPRE que chegar a um aeroporto procure a informação ao turista e pegue um mapinha de graça. Claro que dependendo do país, o mapa vai ter custo como na Europa. Mas o de Bogotá era de graça. DICA: Esta serve para todo taxi em Bogotá: Pague ao taxista de forma a não ter troco ou ter o mínimo possível. É muito comum o taxista te dar o troco em notas falsas. Pegamos o taxi que até a calendária custou 25.000 pesos. Estava frio, como era esperado em Bogotá. Chegamos no apartamento do Rolo que alugamos pelo airbnb:. Duas suítes, sala, cozinha e uma área de serviço. Sem janelas, mas naquele frio não faz falta. Eu sou super alérgica e passei muito bem, porque não tem janela mas tem claridade. O chuveiro era elétrico e como estou acostumada com banho quente a gás, esquentei água e tomei banho de baldinho..rs. Daí saímos para jantar a pé mesmo e como eu já conhecia de Cartagena, paramos no Crepe and waffles na Av. Jimenez. No caminho passamos por poucas casas de cambio aberta e a melhor estava com cotação de 1 real=730 pesos. Você vai se apaixonar pelo crepe and waffles, eu pedi limonada de coco (5800 pesos) que é uma delícia e um crepe de pollo (frango) com cogumelos (14900 pesos). De sobremesa dividimos o mini waffles coffe Karamel (6900) que eu não vou descrever para não ouvir “para”, prefiro colocar a foto. Na saída ainda pegamos o mercado aberto que fica pertinho na av. Jimenez mesmo. Gastamos 15 mil pesos com pão, água etc. As meninas cansadas não toparam conhecer a casa Andrés carne de res que fica em Chia. Eu já tinha feito a reserva no Brasil. DICA Essa dica não é minha, mas de uma amiga de confiança: Se você quer curtir a noite, não deixe de ir ao Andres Carne de Res de CHIA. O melhor dia para ir lá é sábado e tem que reservar. Na reserva pelo site tem que dizer o horário de chegada. Pelo que ficamos sabendo a casa fecha às 3h. Só tem transporte público para chegar, parece que só funciona até ás 23h. e você vai querer ficar até o final. Então isso implica em gasto com taxi ou uber. Como a balada fica distante dos bairros centrais, você gasta mais de uma hora se transportando para chegar, daí fica bem carinho. Pelo que assuntei, ida e volta de taxi daria 240 mil pesos, pelo uber coisa de 180 a 200 mil pesos. Hospedagem airbnb no Spacious 2 room flat Candelaria – 4 noites R$ 625,00 Taxi aeroporto candelária – 25000 pesos Jantar crepe &waffles – 24100 pesos/pessoa Mercado -15000 pesos https://www.airbnb.com.br/rooms/6262230 http://crepesywaffles.com.co/pos/detail/las-aguas Avenida Jimenez No. 4-55 - Sótano |Teléfono 57 + 1 6767600 Ex 729 Horarios Lunes a Jueves 11:45 a.m. a 8:30 p.m., Viernes y Sábados 11:45 a.m. a 9:00 p.m., Domingos y Festivos 11:45 a.m. a 5:00 p.m Dia 15 – Bogotá - Usaquen Saimos de manhã caminhando e o frio assusta. Tomamos café em loja das lanchonetes da rede GMA. Eu comi um caputino (5200) e um croissant (3900). Fomos ao museu do ouro que no domingo estava grátis. A gente se deu bem, porque achamos que teríamos que pagar. Lá tem muita coisa para ver. Não deixe de ir. É imperdível. Dica: Se você nada em dinheiro, ainda sim recomendo que não compre nada na lojinha do museu, porque você vai encontrar muito mais barato e igual, eu disse igual, em outras lojas. Saímos do museu e caminhamos em direção à catedral e paramos para comer em outra rede de fast food. Não faz cara feia naum, a gente tava com pressa. No presto eu comi combo super pollo (frango) a 16500 pesos. Daí pegamos o transmilênio na Av. Jimenez para Usaquen, outro bairro. Para ir e voltar de Usaquen custa 4000 pesos por pessoa. Paramos bem na frente da feira de artesanato que só acontece aos domingos. Olha quando você entrar no transmilênio você tem que perguntar o ônibus que você pega, porque eu não anotei o número dele. Dentro do ônibus você precisa pedir para alguém avisar quando estiver perto da feira, só como referência eu saltei na K7-Cl 117 (carrera 7 com calle 117). A noite resolvemos conhecer o Andrés carne de Res de Bogotá mesmo, porque o de Chia era longe e caro para ir. A hora que chegamos lá, umas 22h, já era fim de festa. A bebida cara (10 mil pesos uma cerveja). Tomamos um drinque que alguém tinha recomendado na internet e detestei. A decoração é interessante, o atendimento é horrível e enfim...deveria ter ficado em casa dormindo. Fomos e voltamos de uber. Eu esqueci de anotar mas se fosse taxi daria 30 mil pesos. Café da manhã – 9100 pesos/pessoa Almoço – 16500 pesos/pessoa Ônibus usaquen -4000 pesos/pessoa Taxi candelária – shopping retiro (ida e volta) -30000 pesos Bebida +10% no andres carne de res – 26000 pesos/pessoa Noite: http://www.andrescarnederes.com/andres-carne-de-res Transporte: http://www.transmilenio.gov.co/es/articulos/uso-de-la-guia-general-de-servicios Dia 16 – Bogotá- Mont serrat Tomamos café da manhã na confeitaria que fica na mesma rua do apartamento do Rolo. Eu não anotei de novo, mas deve ter sido no máximo 12 mil. Muito bom. CAMBIO: Conseguimos fazer cambio a 740 pesos/real e 2850 pesos/dollar. Fomos então até o centro informação turística que fica na Praça Bolivar, a mesma que tem o capitólio. Lá agendamos para fazer o tour gratuito a pé nas ruas do centro. Só tem dois horários 10h e 14h. Fomos então a Casa Botero. Eu amei. Não lembro quanto custou a entrada. Comemos um salgado para não perder o tour que terminou às 16h. Daí pegamos um taxi para nos deixar no funicular para mont serrat, custou 4800 pesos. Minha irmã se confundiu e deu 50 mil pesos. Nós alertamos para o erro e o taxista devolveu a nota, oporem já tinha trocado por uma falsa. Golpista veloz! No funicular você paga 18 mil pesos por pessoa. A vista ao final da tarde é bem bonita. Na volta não precisa pagar. Decidimos ao anoitecer que iríamos a um shopping e nos indicaram o El retiro porque não teria trânsito. Antes de ir eu perguntei até que horas estava aberto e me responderam até 22h. Chegamos lá 19:45h e as lojas fechavam as 20h. De fato o prédio fica aberto até 22h! O taxi de Montserrat ao shopping custou 15000 e do shopping até o apartamento 12000. Deu tempo de jantar no crepe and waffles do shopping. Desta vez escolhi um pão com recheio de pollo ao curry. Gastei com bebida 27 mil pesos. Café da manhã completo -12000/pessoa Salgado no Juan valdez – 4500 Taxi candelaria – Montserrat -4000 Taxi Montserrat – shopping retiro -15000 Taxi shopping retiro – candelaria -12000 Jantar no crepe &waffles – 27000/pessoa Casa de Cambio – Av Jimenez 5-81 Dia 17 – Bogotá/Zipaquirá/Bogotá Comemos no apartamento mesmo as coisinhas que compramos no mercado. Pegamos o transmilênio na estação museu do oro, daí descemos na estação Jimenez e lá pegamos o trasnmilênio para o portal norte (custou 4 mil ida e volta). Os números que você pode pegar são B73, B74 ou B1. Desce no ponto final e desce a rampa ao final do corredor, depois sobe uma escada e sai na roleta a sua direita. Lá você vai pegar um micrônibus, que lá se chama buseta. Está escrito zipa no ponto. A ida custa 4800, mesmo preço para voltar. O cobrador é igual de van, vai passando para pegar dinheiro e para em cada ponto ao longo do caminho gritando “zipa”. Prefira sentar perto da janela, porque foi enchendo ao longo do caminho. Um verdadeiro cata osso. Peça ao cobrador para te avisar quando chegar a zipa. Chegando em zipa, não pegue o taxi como muitos sites recomendam, ande até a rodoviária e lá pegue o trenzinho turístico que sobre até a catedral. Além de ser mais agradável, sai mais barato, porque você compra o ingresso como se fosse colombiano e indo de taxi você paga o preço de turista, que é mais caro. Infelizmente pegamos o taxi que custou 4500 e lá em cima pagamos 50.000 por pessoa (o bilhete era o mias básico, excluindo a mina subterrânea, o paredão de escalada e outra coisa que não lembro). A mina estava fechada e durante o tour pela catedral você acaba vendo uma explicação sobre a mineração). A visita a catedral é guiada em espanhol ou inglês. Lá embaixo tem um filminho 3D que é bonitinho e as crianças também gostam. Tem lojinhas. Do lado de fora da cidade nós não vimos lojinhas de artesanato. Mami ficou sem imã de geladeira. No banheiro eles cobram 200 pesos na máquina de papel higiênico. O problema é que é em moeda e a moeda tem que ser das antigas. Melhor ter lencinho de papel na bolsa. Descemos da catedral de trenzinho (4500). O trenzinho passa pelo centro de Zipa, mas como estava chovendo, decidimos almoçar perto da rodoviária e voltar. O almoço foi o momento perrengue da viagem. Entramos em um restaurante de frango (pollo). Juliana se deu bem porque pediu uma canja. Eu e Luísa pedimos um prato que veio pescoço de frango recheado. O aspecto era bizarro, não tive coragem de experimentar. O resto do frango estava muito ruim, assim como o arroz. Então comi apenas uma mandioca e ainda paguei 18 mil pesos. Nós levamos o dia inteiro, saímos às 8h da candelária e chegamos 19:40h, porque tem trânsito na volta. A noite jantamos no restaurante Jimenez um combo com sopinha, salada, sanduiche e suco. Paguei 16 mil. Transporte candelária –portal norte (ida e volta) -4000 pesos/pessoa Buseta Portal norte-zipa (ida e volta) – 8000 pesos/pessoa Taxi zipa –catedral – 4500 pesos Trenzinho catedral – rodoviária zipa – 4500 pesos/ pessoa Almoço -18000 pesos/pessoa Jantar no Jimenez – 16000 pesos/pessoa Av. Jimenez esquina com Cr.5 DIA 18 – Bogotá/ San Andres Pela manhã tomamos café em uma padaria francesa também na rua do apartamento, Calle 13C. Custou 8500 e estava maravilhoso. Daí fomos a umas lojinhas de lembranças a caminho do museu do ouro, porque as que ficam na direção oposta, em direção ao capitólio só abriam as 9:30h. Não esqueça de pechinchar sempre. Depois passamos na cafeteria Juan Valdez para comprar café. O café é uma das especialidades da Colombia e essa cafeteria vende vários tipos de pó, grão e balinhas para presentear. A cafeteria Juan Valdez fica bem pertinho da Casa Botero. Daí seguimos de taxi para o aeroporto. 17 mil pesos. O taxista mesmo vendo que a gente tava atrasada nos deixou no terminal 1, mesmo eu tendo repetido várias vezes que era terminal 2. Conclusão: perdemos o voo. Porque o terminal 2 fica antes do 1, tanto o ônibus gratuito do aeroporto, quanto um taxi, tem que fazer um retorno que custou 10 mil e foi em vão. O voo para san andres é ponte aérea e dura 2:00h. Pagamos 85 mil para remarcar. No aeroporto você compra a tarjeta de turismo, obrigatória para entrar na ilha. Custa 52.800 pesos, independente do numero de dias. ATENÇÃO: Guarde os papeizinhos muito bem, porque você vai precisar deles e se não tiver tem que pagar de novo. Na remarcação do voo, duas de nós pegaram o voo das 15h e uma ficou no voo das 19h. As duas que chegaram as 17h na Ilha, foram ao mercado Supertodos comprar água e etc a 13.350 pesos e andaram a pé um pouquinho. O taxi aeroporto até a pousada San Martin custou 14 mi pesos. É tabelado não há taxímetro. A pousada fica bem no centro, dá ir a uma praia e sair para almoço e jantar a pé. A pousada também tem quarto compartilhado. A gerente é maravilhosa, ficamos apaixonadas por Alcira. Os pacotes que a pousada vende têm o mesmo preço que comprando direto. Com o grupo completo fomos jantar no 80’s. Eu paguei 34 mil pesos, mas porque tomei um alcoolzinho. Café da manhã – 8500 pesos/pessoa Taxi candelária – aeroporto Bogotá- 17000 pesos Taxa turística san andres – 52.800 pesos /pessoa Taxi aeroporto san andres/pousada centro san andres – 14000 pesos Jantar no 80’s com drink – 34000 pesos/pessoa Esse restaurante fica no terreno do hotel Sunrise, na carrera 1 com calle 4b. A decoração é toda com brinquedos dos anos 80. As musicas também desta década. Pousada/albergue San martin Av. providencia 2A-89, torices [email protected] Tel 317.680.8617 Dia 19 – San Andres Pela manhã fomos comprar uma sapatilha, porque no relato da internet estava escrito que as praias têm pedras/corais e pode cortar o pé. Tem sapatilha para todo preço, mas eu comprei por 15000 pesos. Muita gente tava usando croc nas ruas. DICA: Você só precisará de sapatilha no passeio de barco. Para praia do centro eu não vi necessidade. A máscara e o snorkel conseguimos compra por 18 mil, embora a média de preço seja 30 mil. Fomos à praia do centro e lá conhecemos dois brasileiros que nos deram dicas. O passeio de barco para Johnny Cay estava fechado por conta das condições do mar, então ele nos aconselhou a fazer assim que abrir, para não perder a oportunidade de conhecer, porque pode fechar vários dias seguidos. O almoço com sopinha de entrada, prato principal com arroz, peixe e fruta pão e suco custou 16 mil pesos. Capítulo a parte para a fruta pão: Lá eles cortam bem fina e fritam e fica uma delícia, substituindo bem a batata frita. Depois do almoço ficamos olhando as lojas de produtos importador, la Riviera, attenza, perfumes, maquiagem, óculos, bolsa, tudo que vc aprecia no Duty Free. É para pirar o cabeção. Tem também muitas drogarias. As bebidas lá são baratas. A vodka absolut de 750 ml 35mil pesos, a batata Pringles menos de 10 mil. Só tenha cuidado com as falsificações, por isso recomendo a attenza, la Riviera e a JR, porque são lojas que existem em outros países como duty free do panamá. Outro cuidado é a validade do que você tá comprando. Desistimos de ir ao noche blanca que é uma festa em um barco com todos vestidos de branco, bebida e comida liberada. Assim aproveitaríamos melhor a manhã seguinte e economizaríamos. Então fomos ao CocoLoco a boate que toca bastante Regaton e um pouquinho de salsa. A entrada é paga 20.000 pesos. CÂMBIO: em san andres é bem pior que o de Bogotá o dólar estava 2823 pesos. No dia seguinte estava 2820. Disseram na internet que eles não aceitam real, então não tinha reais para trocar, pois havia trocado tudo em Bogotá. Fizemos um saque no cartão de débito banco do Brasil e incluindo a taxa de serviço, sacamos 600 mil pesos e pagamos 788,83 reais. Ficou melhor sacar. Sapatilha – 15000 a 18000 Mascara +snorkel – 18000 a 30000 Almoço -16000 Entrada Cocoloco- 20000 Cambio: Bancolombia só dólar: 1 dolar=2823 pesos Dia 20 – san andres Alugamos uma mulete, um carrinho par duas pessoas e ficamos as três bem compactadas para dar a volta na Ilha. Custo 100 mil com tanque cheio e sem necessidade de abastecer na entrega do carro. Pega pela manhã e devolve ao final da tarde. Não exigem apresentação da carteira de motorista, basta o passaporte. Não deixe nada no carro quando parar e nem use a caçamba, porque uma moto pode catar seus pertences e sair correndo. Assim me explicaram. Fundamental é óculos de sol, porque o carrinho não tem vidro. Na pousada San Martin, a Alcira havia nos dado um mapinha da Ilha e explicado onde era legal parar. Depois de parar bastante ao longo da estrada para fotografar, estacionamos no West View, onde você paga 4 mil por pessoa para entrar, recebe um inaceitável punhado de pão de forma para alimentar os peixinhos. O lugar estava lotado. Tem que alugar um locker para deixar as coisas de valor. A atendente diz que a proprina é voluntária, kkk..quer dizer que é obrigatória, mas você decide o valor. Tem um tobogã e um trampolim. Não tem areia, você desce uma escada nas pedras e cai direto na água. Não é perigoso. Eles alugam sapatilha, snorkel e colete salva-vidas, porque não da para ficar em pé na água. O colete custa 5 mil e eu não aluguei, as sapatilhas eu usei, mas sinceramente poderia passar sem elas e o snorkel e mascara devem ser levados mas com aquela zueira quase não vi peixe. É lá que o povo mergulha de escafandro e tira foto com uma estatua de netuno no fundo do mar. Depois pegamos o carro e paramos para olhar o la piscinita, como já era hora do almoço e perdemos tempo no West point, decidimos não entrar na piscinita. Lá você também teria que pagar 4 mil, mas parecia mais sossegado, também não tem areia e a diferença é que você não pode entrar nem com comida nem com bebida. Não pare no hojo soprador, porque tem um monte de ambulante que vai querer te vender um drink para você estacionar e vai querer tirar foto sua e blábláblá...pare no restaurante ponta sur e ande até o hojo soprador, que nada mais é que um buraco nas pedras, exatamente no piso, onde você se posiciona ao lado e quando vem a onda, ela sobe fazendo pressão, leia-se muito vento e água do mar em você. No restaurante ponta sur, não deixe de ir ao terraço fotografar. Nós pedimos um peixe maior de 48 mil, uma porção de arroz e uma de batata frita e mais 4 refrigerantes e deu 77.500 com 10% de taxa de serviço. Não achei a comida em quantidade boa para três. Enquanto você espera o almoço pode ficar de bobeira na piscina artificial, porque lá o mar é agitado, então não tem escada para descer das pedras com no piscinita. A ultima parada para banho foi na praia São Luis, puro sossego com faixa estreita de areia e banco de corais no meio do mar. Pode largar as crianças porque é rasa. Terminando a tarde, subimos como Alcira nos indicou na Torre da Igreja batista, onde pagamos 3 mi pesos/cada para entrar. A igreja foi a primeira da América do Sul e a subida da torre é desconfortável, então se tem problema de locomoção ou vertigem, eu não aconselho. Lá em cima só tem espaço para três pessoas no máximo e não tem segurança para criança. A vista é bem bonita, porque dá para ver a Ilha toda. Aluguel mullete (para 2 pessoas ou 3 bem magrinhas) – 100 mil pesos Martinez rent a Car – fica na carrera 1 um pouquinho depois do 80’s (sentido la regata) na calçada oposta ao restaurante. West view entrada – 4000 pesos/pessoa (lembra que tem que pagar o locker. Nós demos 4000) Torre da igreja batista -3000 pesos/pessoa Almoço no punta sur – 25850/pessoa Dia 21 – San Andres/Providencia Como o voo é econômico existe um limite de peso da sua bagagem. Deixamos nossas coisas na pousada San martin e levamos roupa suficiente para os dias em providencia. Tivemos que chegar ao aeroporto de san Andres com bastante antecedência, porque se você demorar, podem vender seu lugar e só existem dois voos por dia. No aeroporto além da malinha que é despachada, você também é pesada com seus pertences de mão. Não se esqueça que terá que apresentar o papel de turista que você usou para entrar em san andres. Eles vão destacar uma folha e deixar com você uma outra folhinha amarela que você terá que mostrar na volta de providencia. O avião é um bimotor, então se tiver medo de voar, não tenha dúvida...vá de barco! São só trinta minutos, mas chacoalha bastante e tem cheiro de combustível. Fique atento à fila na porta do embarque, porque não existe cadeira marcada no avião. É por ordem de chegada. A vista de providencia do alto é linda. Eu sentei do lado do piloto e achei bonita. O aeroporto de providencia é mais bonitinho que o de san andres. Na chegada tem uma funcionária municipal que tira suas dúvidas e dá um mapinha. Ela nos aconselhou a tomar um taxa para san felipe, onde fica a pousada ocean view que reservamos pelo booking. O taxi custou 25mil. O quarto era uma gracinha e fomos caminhando até o mercado comprar um galãozinho de água a 7500 pesos. É uma subida boa. Lá compramos água e etc e alugamos um carrinho com o Richard que fica ao lado do mercadinho na localidade de águas doces. Alugamos de 19h até as 8h do dia seguinte por 90 mil. Daí fomos jantar lá em águas doces mesmo, no caribbean café. Nós comemos um fantástico ceviche de peixe leão que lá é uma praga. Então não fique com pena de comê-lo. Pedimos dois peixes com gengibre e uma porção extra de batata, um suco, um refrigerante e uma cerveja. Tudo igual a 120 mil pesos, totalmente bem pagos. Inacreditável que pagamos só 40 mil por pessoa e a comida era deliciosa. Tivemos a sorte de ouvir uma cantora ao vivo, sem pagar nada a mais. A gorjeta é livre. De carrinho partimos as 23h para o bar do Roland que fica na beira da praia na praia de manzanilla. Não tem como ir a pé, porque é bem longe de águas doces, mas se tiver só, pode pedir um moto taxi. Tem em todo canto. Na verdade, a maioria lá se locomove de moto e dai, leva o turista por 4 mil ou 5 mil. Ele cobrou 10 mil por pessoa para entrar, mas dos locais não cobra nada, só dos turistas, o que é justo porque tem um show ao vivo. Todos sabem onde fica o bar do Roland. Roland é uma pessoa maravilhosa. O ambiente é ótimo, simples com bancos de madeira e árvores em volta, uma fogueira que deve ser para espantar mosquito. Bom...a cerveja custa 4 mil pesos e os drinquetes 15 mil/cada. Eu pedi uma piña colada, mas achei muito doce e com pouco run. Não sei dizer se tem algo par comer. Acho que quando não tem show a entrada é grátis. Taxi san andres centro –aeroporto – 14000 pesos Lanchinho no aeroporto -8000 pesos/pessoa Taxi aeroporto providencia – pousada em san felipe – 25000 pesos Mercado – 7500 pesos Aluguel de mule (para até 4 pessoas) de 19h até 8h – 90 mil pesos Richard 315.216.1524 Hospedagem Ocean View booking Jantar Carribean Café – 40.000 pesos/pessoa Bar Roland entrada – 10000 pesos/pessoa Dia 22 – Providência Pela manhã seguimos de carro até o escritório de Felipe Diving em águas dulces, na beira da praia. Eu nunca tinha mergulhado e nem pretendia estrear, mas as meninas já tinham mergulhado uma vez e decidiram repetir. Felipe falou para eu assistir as instruções e se ficasse com medo poderia desistir e não pagar nada. Beleza. Fiz o mini curso, depois de preencher questionário e assinar papelada como se fosse mergulhar. Depois fomos para praia no rasinho para treinar. O Pit, meu instrutor, foi fundamental porque com suas piadas, ele conseguiu me acalmar. Depois o grupo foi para o barco. Medão, mas Felipe me segurou na minha mão o tempo todo e eu fui a última a sair da água. O grupo foi cercado por tubarões, e como eles são bem alimentados, não me pergunte a espécie...olha ai na foto, ok? ..., eles ignoraram a gente. Tudo lindo. As fotos foram parar no meu pen drive por 30 mil. Custou 170 mil por pessoa e achei que valeu cada centavo. Eu não achei a água gelada como aqui no rio, então não usei a roupa de neoprene, mas ela está incluída no pacote assim como todo o equipamento, exceto as fotos, que paga a parte. Se não tiver pen drive, custa 40 mil. Acho que vou voltar a mergulhar. Foi uma experiência fantástica. Depois do mergulho fomos almoçar e como era domingo só tinha um restaurante aberto em águas doces, o rosas del mar, ou algo assim, que fica dentro de um hotel. O prato com suco custou 32 mil pesos. Alugamos novamente a mule com Richard, desta vez por 100 mil, pois ainda não tinha escurecido. Fomos atravessar a ponte para Isla catalina no centro. A ponte é para pedestres. Na ilha dá para subir uma escada e ver a imagem de uma santa e os canhões históricos. Descendo pela mesma escada é possível nada em uma praia bem pequena. Depois da visita a Ilha catalina, demos a volta na ilha para apreciar a paisagem no final da tarde. Decidimos dormir em vez de ir visitar o bar do Roland de novo. Mini curso + mergulho -170 mil pesos/pessoa Fotos no CD 40000 ou no pen drive 30000 pesos Felipe Diving – águas doces Almoço -32000 pesos/pessoa Aluguel mule Richard -100 mil pesos Dia 23 – Providência Fomos ao centro da Ilha e sacamos dinheiro no banco, depois devolvemos o carrinho e fomos ao passeio de barco para Cayo Cangrejo (caranguejo). Pega-se o barco pela manhã, as 9h na praia de águas doces e cada pessoa para 40 mil, independente do numero de pessoas no barco, o que facilita a vida de quem viaja só. O barco passa por debaixo da ponte que vai para Isla Catalina, por sorte quando o guia perguntou, todos disseram eu preferiam ir direto a cayo cangrejo, em vez de parar perto da ponte. Na entrada de cayo cangrejo é obrigatório o pagamento da taxa que não está incluída no passeio e custa 16 mil por pessoa. Andar por lá é muito bonito. As cores da água do mar vão ficar na minha memória para sempre. Não esqueça de levar a máscara e o snorkel, porque mergulhando lá, nós vimos uma pequena tartaruga marinho e muitos peixes. Outros turistas disseram que viram arraias. È proibido jogar pão para os peixes, o que me deixou aliviada. Na volta de cayo cangrejo, o barco para no restaurante na beira da praia, chamado divino nicho. Ele pode te deixar lá para aproveitar o resto do dia ou te esperar almoçar e retornar a águas doces. Nós preferimos ficar, porque depois do almoço, dormimos na rede e aproveitamos a praia. O almoço no Divino nicho é muito bem servido e barato. Deu 32 mil para cada uma com suco. A comida é ótima. Pedimos um peixe é claro. Para voltar para San Felipe, pedimos um moto taxi que deu 4 mil para cada. E daí já combinamos o transporte da noite. Fomos jantar no melhor restaurante da Ilha o Deep Blue.Para comer lá, tem que reservar. A dona da pousada fez isso para gente pela manhã. Comemos muito, mas muito bem no Deep Blue. A comida é bem servida e deliciosa. Tomei uma limonada de coco com run, teve uma entrada e um prato com peixe, lagosta e camarão empanados e com molhos maravilhosos. Pode pagar no cartão de credito, mas tem que pagar até 22h, porque você paga na recepção do hotel e não no restaurante e a recepcionista só fica até 22h. Nossos mototaxistas chegaram e fomos ao bar do Roland. Não tem como enjoar do bar do Roland. Mesmo sendo uma segunda estava vazio, mas com música boa. Passeio de barco águas doces – cayo cangrejo – 56000 pesos/pessoa Almoço restaurante Divino Ninho -32000 pesos/pessoa Mototaxi -4000 pesos/pessoa Dia 24 – Providencia/San andres Muita tristeza de deixar providencia. As pessoas lá são incríveis. Muito honestas e de bem com a vida. Quero voltar a esse lugar. Pela manhã voltamos no Felipe para pegar o pen drive e ficamos na praia lá mesmo. Depois almoçamos no Caribbean Café e só mudamos o peixe do prato principal. Entrada de ceviche de peixe leão e peixe leão com manteiga de gengibre...uauuu. Saindo da pousada, pegamos o taxi por 25 mil até o aeroporto e voltamos para San Andres com uma marmitinha do Deep blue a tiracolo. De volta a San Martin a Alcira nos deixou a vontade para esquentar nosso peixinho na cozinha da pousada. Só tivemos que comprar uma porção de arroz e frita pão no restaurante de esquina, onde aliás servem prato feito a 9 mil com suco. Dia 25 - San Andres Aproveitando que Johnny Cay abriu na véspera, finalmente fizemos o passeio que custou 30 mil pesos, incluindo o aquário e o imposto que você paga no porto mesmo. Demora bastante para entrar no barco e partir. É uma ilha lotada de gente, vazia deve ser bem bonita..rs. Como tem muita gente, você acaba tendo que alugar um locker a 7000 pesos. Andando um pouco se afastando da galera, dá para aproveitar o tal aquário e ver uns peixinhos. Lá no aquário você pode ir tocar uma arraia, que é o que chamam mantarrayas. Sinceramente dá pena delas, parecem bem estressadas com a situação. Saindo do aquário o barco te deixa em outra ilha, essa maior, com praia, onde você pode almoçar, mergulhar, deitar no gramado atrás dos restaurantes, ou se afastar da galera e curtir o outro lado mais sossegado. Decidimos comer um peixinho como petisto a 35000, então ficou bem barato para cada. Voltamos ao final da tarde. Jantamos no PF um frango. Uma delícia pagamos 9 mil pesos. DIA 26 – San Andres A gente esqueceu que era feriado e saímos tarde da pousada. Pegamos o ônibus para San Luis, o letreiro é verde e o ponto de ônibus é bem perto da pousada. Pedimos para ficar no hotel Decameron, onde pretendíamos passar o dia comendo e bebendo a vontade no day use que custa 40 mil pesos/pessoa, mas estava lotado. Então ficamos na praia. Alugamos o locker por 5000 pesos e fomos caminhando até uma ilha. Quem tiver condições físicas, pode ir nadando até o navio naufragado. Nós ficamos no snorkel perto da ilhota. Bacana que lá tem um camarada que não deixa você pisar no fundo, tem que boiar para não destruir os corais. Pelo menos em algum lugar de san andres, alguém se atentou para a vida marinha! Para almoçar andamos pela areia da praia do hotel decameron até o restaurante Grog, que tinha sido recomendado por alguém na internet. De fato tudo que pedimos nesse restaurante estava perfeito. Eu finalmente tomei o cocoloco, a bebida famosa. Que leva run, vodka, aguardente e tequila por 16000 pesos. Pedi um risoto de arroz de coco com camarão. Eles cobram 10% de gorjeta (propina). Gastei 31500 pesos e fiquei com vontade de voltar a comer lá. Pegamos o ônibus de volta. A noite uma pizza com suco a 15000 pesos/pessoa, mas não estava boa então não vou recomendar aqui. DIA 27 – DIA DE VOLTAR PARA CASA. Almoçamos no PF e pegamos um taxi a 15000 para o aeroporto. Sempre que eu viajo, faço amigos. Desta vez não foi diferente em San Andres deixamos a Alcira e uma família de Medellin mega simpática. A gente acabou não pegando o contato do Bruno que nos deu muitas dicas. Em Providência, nós conhecemos o Luis, o Clinton, Felipe, Pit e Cobra. Eles foram muito atenciosos com a gente. Eu teria ficado mais dois dias em Bogotá, mais um dia em San Andrés e mais uma semana em Providencia, se eu pudesse.
  7. Fiz essa viagem a 4 anos atrás. Hoje sou asmática e só poderei voltar se a saúde melhorar. A gente nunca sabe o dia de amanhã. Sobre a disponibilidade de tickets para machu picchu, é preciso lembrar que eu fui a MP em um dia especial o solstício de inverno do ano que o mundo ia acabar..rs, então comprar no dia anterior era recomendado. Nesse dia também estava a venda o ingresso mais caro, com direito ao parque (subir nos morrinhos). Não sei se atualmente é possível comprar na internet, mas se não rolar, acho que comprar no dia ou na véspera é bem tranquilo.
  8. Meu cartão era de crédito e antes de viajar avisei ao cartão os países que iria passar, para desbloquearem. Tem que se informar com seu banco sobre o uso do cartão de débito. Outra opção é usar o travel card, que é oferecido pelo seu banco. Ele tem taxa, mas você abastece com real aqui no Brasil e usa no exterior para função débito. A vantagem é que é seguro, porque para usar tem senha, então não costuma ser roubado. Sem contar que o banco oferece um cartão extra, para o caso de você perder durante a viagem.
  9. Compramos a passagem Rio Barcelona/Porto Rio pela Lufthansa. No final do relato coloquei algumas dicas gerais. DIA 1: Barcelona Chegamos em Barcelona as 19h no terminal 1, depois de uma conexão em Frankfurt super rápida. No terminal 1 tem uma informação ao turista, onde você pode pegar um mapa de graça. Pegamos o ônibus do próprio aeroporto que para o terminal T2B e lá compramos o bilhete do metrô mais trem no guichê. Aliás um dos únicos locais que há um atendente, além das máquinas para comprar. Optamos pelo bilhete T10, 10 euros, que dá direito a 10 viagens e no intervalo de 1:15h o segundo transporte é grátis e duas ou mais pessoas podem usar. Pegamos o trem e tivemos que pegar a linha 3 do metrô com conexão na estação Passeig de Gracia para chegar ao apartamento do airbnb. Como o metrô é antigo não há escada rolante ou elevador. Difícil carregar a bagagem... momento perrengue! Ficamos no bairro Barceloneta. Para jantar por lá gasta-se de 8 a 12 euros o prato individual. Então nos restou o burguer king a 4 euros a promoção infantil divertidamente. Montei o meu com hambúrguer pequeno de frango, batata frita, sorvete de morango e uma bebida horrível de laranja (não pode escolher refrigerante). Gastos em euros: Transporte T10=5 /cada (total 10 euros) Água = 1,20 Comida burguer king = 4 DIA 2: Barcelona Pegamos o metrô e descemos perto de La Rambla. Pernas pra que te quero visitamos a casa Batló por fora, entrando em uma papelaria que existe nos fundos da casa. Tem que subir ao segundo andar e sair pelo jardim. O ingresso para entrar era bem caro. Daí fomos a La rambla a rua bem famosa cheia de barraquinhas, visitamos La Pedrera por fora, para entrar era 23 euros e entramos na catedral no final da tarde a partir de 17h, que é de graça. Fizemos um lanche em um restaurante árabe com refrigerante a 4 euros. Daí fomos ao supermercado comprar um saco de croissant a 1 euro, um cream cheese, comida congelada para jantar e refrigerante, para jantar e tomar café no dia seguinte. A conta no mercado %Dia, que soubemos ser um mercado econômico, deu 5 euros ou seja 2,50 euros para cada. A noite decidimos ir ver a fonte mágica. A maior furada, só funciona de abril a outubro 5ª a domingo de 21h as 23h com show de luzes (que minha irmã disse que é bem sem graça) a cada meia hora. Nós não vimos nada e ainda perdemos um show de flamenco que tava rolando de graça. Imperdível deste dia foi a casa Batló Gastos em euro: Supermercado = 2,50/cada (5 no total) Almoço + refri =4,40 DIA 3: Barcelona Começamos o dia visitando o Palácio Monjuic. Descobrimos depois que a melhor opção é ir e voltar de ônibus, pegando na Plaza de Espanha. Como turistas acabamos subindo de teleférico 7,80 euros. O teleférico tem conexão com estação do metrô. Lá pagamos 5 euros para entrar e descemos para Plaza de Espanha de ônibus, pagando com o T10. A vista da cidade do Palácio é linda. Seguimos para a sagrada família e não entramos porque para variar custava 20 euros e tinha uma fila enormeeeee. Almoço no burguer king desta vez uma promoção a 5,80 euros divertiking com burguer king e refrigerante. De lá fomos ao parque Güell de ônibus. Pegue a La rambla a partir da sagrada família e entre na quarta rua a direita. Ônibus 92 no sentido dos carros que cruzam La rambla. Vc vai descer em frente ao parque güell. O parque é gratuito, porém tem uma parte restrita com ingresso a 7 euros pela internet e 8 euros na hora. É absolutamente lindo. Reserve um bom tempo para passar lá. Para voltar pegamos o ônibus 24, descemos na Passeig de Gracia e 3 estações depois estamos em Barceloneta. Descansamos um pouco e voltamos de metrô a casa batló para assistir a um show de projeção na fachada. O evento gratuito reuniu muita gente na rua. Lindoooo. Por questão de honra não podia deixar Barcelona sem comer tapas e beber sangria. Afinal comida também é cultura. Fomos ao Taller de Tapas. Rua Catalunya 49-51. Pedi asinha de frango com limão siciliano e taça de sangria. Que ninguém venha me dizer que não combina! Divino! Paguei 10,15 euros. A Ju comeu batata brava com bastante pimenta e sprite a 7 euros. A volta para casa foi meio conturbada porque tinha muita gente no metrô. Daí a polícia fechou o metrô. Esperamos muito por um ônibus. Imperdível deste dia: o parque Guel. Gastos em euro: Palácio monjuic +teleférico = 12,80 Almoço =4,80 no burguer king Jantar = tapas + sangria =10,15 DIA 4 – Barcelona/Madrid Compramos mais um T10 e fomos ver o monumento colon , o parc Cuitadella que é lindo e de graça.. Como era feriado estava rolando uma feira de comidinhas truckfood, mas caro para os latinos. Passamos também pelo arco do triunfo. Daí voltamos ao apartamento, fizemos um miojo básico que custou 0,95 euros, segue metrô +trem com bagagem e pegamos o avião para Madrid. Em Madrid pegamos o trem no aeroporto a 5,20 euros/cada e descemos em Delicia. Atenção o aeroporto de Madrid é gigantesco, então reserve um tempo para se deslocar dentro dele, levamos uns 15 minutos andando até o portão de embarque. Fomos muito bem recebidas pelo couchsurfing. O rapaz foi super atencioso conosco, fez contato pelo zap para saber se tava tudo bem. Quando chegamos nos ofereceu pizza, café,mostrou a casa toda, mesmo tarde da noite. Ele acabou se oferecendo para ficar com as nossas coisas até retornarmos de marrocos, pois iríamos à Marraquexe no dia seguinte com mochila pequena (bagagem de mão). A passagem com mala de porão é muito mais cara. A mala custa mais que você para a companhia aérea. Imperdível deste dia: Parque Ciutadella Gastos em euro: Bilhete T10 metrô = 5 /cada (total 10) Metrô em Madrid =5,20 DIA 5 – Madrid/Marraquexe Primeiro café da manhã descente em uma padaria perto de onde estávamos hospedadas 1,60 euros café com leite e crossaint. A atendente da padaria perguntou de onde éramos e quando soube chamou o colega português para nos atender. Foi ótimo porque ele recomendou que a gente fosse ao parque retiro e Palácio Cibelle. No Palácio Cibelle pegamos um mapa grátis de Madrid. Almoço onde? Burguer king 6,80 euros um hambúrguer de frango com batata e refrigerante. A Ju gastou 5,80 e comeu dois de carne. De volta ao aeroporto embarcamos para Marrocos. A revista é bem detalhada. Eles adoram retirar frascos com mais de 100ml. O detalhe é que a Ju raspou o numero 2 do meu frasco de 250 ml e eles olharam e disseram que eu podia embarcar. Muitas árabes tirando as joias...uma fila bem grande, já que só existem duas esteiras. No portão de embarque uma mulher vendia passagem de uma empresa de ônibus alsa que faz o trecho aeroporto de Marraquexe até a praça jamaãl ne fta, que é a praça na Medina. Ela nos disse que da praça caminharíamos 5 minutos a pé para o hotel, que o bilhete dava desconto no city tour e que o ultimo ônibus era 23:20h. Comparamos a passagem por 3 euros/cada. Outros mochileiros na fila também compraram. O voo foi rápido porém quando o avião vai pousar, toca uma musica instrumental tipo Ayrton Senna do brasillll e todos aplaudem quando o avião toca o solo. Chegando ao aeroporto de marraquexe mais fila para passar pela imigração. Na imigração vc entrega o papel minúsculo que preencheu no avião. Ninguém pergunta nada. Quiosque para compras, só vi um inacreditável cheio de cigarros, todas as marcas. Como sempre fui até a informação turística e perguntei onde poderia pegar o ônibus, em inglês, porque eles não falavam espanhol. Com muita dificuldade a atendente fez cara de que não sabia nada sobre ônibus. Como eu insisti ela me disse que o último ônibus foi 23h e me não havia outro meio para me locomover além do taxi. Eu perguntei onde era o ponto e com desleixo ela disse que à esquerda. Quando sai do aeroporto, vi a placa do ônibus, fui até lá e o ultimo horário da placa era mesmo 23h. Daí vi os mochileiros sentados esperando. Resolvemos esperar também, afinal faltavam dez minutos para 23:20h. Se não passasse pegaríamos um taxi a 7 euros ate a Medina, mas você deve deixar claro que não é por pessoa e sim o total. Na verdade estava com receio de pegar taxi. O ônibus surgiu pontualmente 23:20h, pegamos um mapa e um panfleto do city tour. O motorista super atencioso nos respondeu em inglês que nos deixaria na praça. Descemos na praça e eu senti medo..olha que sou corajosa, mas olhei em volta e vi um mar de homens e uma praça enorme pouco iluminada. As poucas mulheres estavam cobertas, com lenços e acompanhadas de homens. O casal também parecia não saber o que fazer para achar o hotel. Vi então um homem com três mulheres e resolvi perguntar se ele conhecia nosso hotel. A Ju mostrou a reserva do booking e ele foi perguntar a um vendedor. Voltou com um rapaz, que em inglês disse que nosso hotel era perto e que nos levaria lá e indicou um ponto de taxi para o casal pegar. O homem me fez um sinal que estava tudo bem em acompanhar o rapaz. Resolvemos confiar. Entramos em ruas estreitas, sujas e com moradores de rua, a luz era fraca e em alguns trechos a rua era coberta, como se fosse um túnel. Fui conversando com o rapaz e acho que ele notou o medo e resolveu me dizer que era seguro andar ali. Ele virou numa rua escura, pensei que estávamos fritas, quando vi uma lâmpada na parede e ele apontou o nome do nosso Riad. Que alívio...eu agradeci, ele perguntou se queríamos voltar a praça para comer e foi embora. Eu tava tão tensa que esqueci de oferecer um trocado. Pagamos o Riad deus Espices em euros (31 EUROS DUAS NOITES/PESSOA EM QUARTO DUPLO), compramos uma garrafa de água por 10 Dh ou 1 euro e dormimos. Foi o melhor hotel da viagem. Tinha até frigobar. Imperdível deste dia: Parque Retiro Gastos em euro: Café da manhã = 1,60 Almoço burguer king = 6,80 Onibus aeroporto Medina = 3 Água = 1 Hotel marraquexe = 30 DIA 6 - Marraquexe Pela manhã o administrador do hotel nos indicou o caminho para a praça e nos ofereceu um passeio ao deserto de três dias por 900Dh. Neste hotel tomei o melhor café da minha vida. O administrador me explicou que sua esposa coloca especiarias no café. Eu perguntei onde vendia as especiarias, se já vinha misturado e ele me disse que na loja de especiarias da praça eu só teria que pedir a mistura para café e eles iriam moer e misturar na hora. Assim eu fiz e trouxe pra minha casa essa mistura com mais de seis especiarias. Entre as especiarias que eu lembro o nome está: cardamono, gengibre, pimenta, anis, lembro que tinha uma coisa parecida com uma casca cor de laranja. DICA: o RITUAL DE COMPRA Só pergunte preço do que vc realmente quer comprar, porque a partir desse momento inicia-se um ritual de compra e se vc não quiser brincar o vendedor fica chateado, irritado. O ritual de compra na Medina em marraquexe vale para tudo, menos comida que de fato tem preço fixo. Tinhamos lido a respeito com dica de comprar pela metade do preço inicial, mas na prática funcionou assim comigo: Qual o preço disso? 900 Dh ele responde, vc balança a cabeça e finge se desinteressar, aí ele pergunta: quanto vc quer pagar, pode dizer 300Dh (um terço). Aí ele fala 400Dh e vc fala algo acima de 300, ai ele fala 380DH e vc fala alguma coisa acima do ultimo lance. Normalmente quando vc fala 1/3 no inicio, vc tem que se preparar para subir dois lances, pode ser 310, 330...320, 350...Bom se vc não conseguir comprar pelo ultimo lance, vc vai embora e deixa o cara falando enquanto se afasta da loja. Ai ele finge comentar com outro vendedor que é um absurdo vc oferecer tão pouco, eu imagino que seja isso pq é em árabe e sem que o outro vendedor diga nada, ele te chama para voltar e te vende pelo preço que vc deu por ultimo. O problema desse ritual de compra é que toda compra demora. Acho que ter cliente na loja, atrai mais cliente, daí eles não terem pressa. Aproveitei esse ritual de compra para tentar aprender a falar palavras em árabe. Na praça Ju tirou foto com os encantadores de naja e teve que pagar 2 euros pela foto. Tomamos um suco de laranja feito em uma das barracas a 4Dh. Daí um rapaz nos ofereceu em espanhol fluente o mesmo passeio ao deserto. Entramos na loja e ele começou a oferecer a 1200, baixou 1000, 900, 800 e eu dizendo que tava caro. Daí levantamos, agradecemos e quando estávamos na porta ele nos chamou e perguntou quanto eu queria pagar e eu disse 600, daí ele falou 700Dh e eu disse não. Ele nos indicou uma casa de cambio e a gente acabou indo em outra casa de cambio e depois na que ele indicou. A que ele indicou era a melhor 1euro=10,71 Dh. Rodamos a praça e como não achamos outra agencia. Retornamos e demos um sinal de 300Dh. Com o recibo na mão pegamos na própria praça o city tour a 145Dh no esquema sobe e desce a vontade e dois trajetos. Almoçamos na parada 1 que é comum aos dois trajetos por 62 Dh/pessoa refrigerante e um cuscuz de frango com legumes, cebola caramelada e passas. Não consegui comer tudo. Na hora de pagar notamos que a mão que pega o dinheiro é a mesma que corta o pão. No Marrocos dinheiro não é considerado sujo. A noite andamos pelos souks com varias lojas uma ao lado da outra. Os comerciantes, todos homens te saúdam na língua que ele acha que vc fala. Aproveite o passeio na Medina para observar o trabalho dos artesãos com madeira e latão que trabalham enquanto não tem cliente comprando. O jantar foi em um restaurante meio lanchonete na praça, paguei, 45,50 Dh com refrigerante e tomei picolé a 3Dh. O chato é que tem sempre gente fumando enquanto vc come. Imperdível: Praça Jamaã n’Efta Gastos em dirrans: Suco de laranja =4 City tour = 145 Almoço + refri =62 City tour = 145 Sorvete =3 Jantar = 45 Dia 7: PASSEIO AO DESERTO MERZOUGA Acordamos bem cedo e eu pedi o iogurte do café da manhã ao administrador. Compramos água na praça e entramos em uma van com uns 12 gringos. Ninguém falava espanhol e para nossa sorte dois falavam árabe e puderam se comunicar com o motorista. Assim fiquei sabendo que nas paradas teríamos um guia que fala espanhol. Todos no Marrocos falam francês, mas português não encontrei ninguém. Alguns falavam espanhol e muitos inglês. O povo tem extrema facilidade para aprender línguas. No passeio paramos em Ben Ait Haddou e o guia nos cobrou 25Dh para entrar, mas não tem ingresso nem catraca e ele recolhe ao final do passeio e diz que é para a comunidade que vive ali, o que achei estranho. Neste lugar foram filmados vários filmes, pq a arquitetura é super antiga e tão bem conservada que parece um cenário de filme épico. Lá tem muitas vendas nas casas, mas é tão lindo, tão lindo que não dá tempo de pensar em outra coisa, além de admirar. Um artista mostra como se faz a pintura berebere que só tem três cores. Não vou contar para não estragar a admiração. A viagem neste primeiro dia te coloca em contato com paisagens lindas, próprias da geologia desta região. Fizemos outras paradas, inclusive para comprar água 5Dh, almoço a 65Dh. Imperdível : Ben ait hadou Se você não fizer o passeio a Merzouga, eu te aconselho a ir a Ben Ait Haddou. Não fica muito distante de marraquexe. No inicio da noite paramos no hotel, que é bem simples. A diária está incluída no pacote. O jantar é tagine. Colocam a sopeira no meio da mesa redonda e cada um se serve. Talvez por isso, eu tenha encontrado relatos de que é pouca comida. Mas no meu caso eu cheguei meio atrasada e comi pouco. Daí um dos árabes que estava conosco fazendo o passeio, pediu mais tagine e o garçom trouxe. Sobremesa frutas. Gastos em dirrans: Excursão =700 Entrada bem ait hadou = 25 Água =5 Almoço =65 Café da manha =30 Água +banheiro =7 DIA 8: PASSEIO AO DESERTO MERZOUGA O café da manhã começa as 8:00h e é bem rápido e bem servido. Entramos na van e no trajeto até o deserto, fizemos varias paradas. Fomos a uma casa bereberé para ver a fabricação de tapetes, onde as cores e os tipos de fios forma mostrados, antes da mostra de tapetes para venda. Lá tomamos o wisky bereberé, chá de hortelã. Paramos para almoçar e eu gastei 80Dh comida cara e um atendimento muito ruim. Chegamos a um hotel que é a ultima edificação antes do deserto. Bom ir ao banheiro. Depois os turistas escolhem camelo ou 4x4, pois não há camelos para todos. Ju foi de camelo e eu agradeci ir de 4X4. Subir e descer as dunas em velocidade é bacana. Chegando ao acampamento minutos depois, vc pode caso tenha fôlego, subir a duna para apreciar a paisagem de deserto sem fim. A galera do camelo chega bem depois. Não há banheiro no acampamento, mas tem placa de luz solar e um poço para água. As camas são sujas de areia. Eu tinha levado uma kanga. Estava nublado e com chuva fina. Muito frio. A noite não tinha estrelas. Serviram o jantar e tiveram cuidado de agrupar as pessoas d e acordo com a língua mãe. Quando chegamos, duas cadeiras estavam reservadas na mesa com uma italiana e uma família de granada. O jantar era... adivinhe: ....tagine de frango. O acampamento de várias tendas e reúne turistas de varias agencias. Depois do jantar começaram a tocar os instrumentos e os gringos dançando. De repente eu escuto um dos músicos gritar “porra, caralhuuuu”, rimos muito. Depois a galera foi dormir e um grupo ficou escutando musica no celular. Musica brasileira inclusive. Gastos em dirrans: Água + biscoito =7 Almoço+refri=80 DIA 9: Passeio ao Merzouga/ MARRAQUEXE Acordamos bem cedo, ainda noite e vimos o nascer do sol. Quem foi de camelo pode voltar de carro e quem foi de carro volta de camelo. Quando fui pegar meu camelo, dei sorte não havia. Pois uma caravana partiu com um camelo desocupado. Fui de 4x4 e quando o carro passou pelo tal camelo, o motorista parou o carro e me instalou no camelo. Assim tirei fotos e fiquei tempo suficiente no bichano para não sentir dor, mas para molhar minhas calças. O assento do camelo tava molhado. Fica todo mundo com uma mancha molhada e suja na roupa. A calça era preta, sorte minha. Paramos na garganta de dades que é super bonita. Alguns árabes moram nas grutas. É muito frio. A van para em um lugar para os turistas que quiserem seguir para Fes tomarem um taxi. Só dois desceram. Paramos em uma cooperativa de mulheres que fabricam óleo de argan e demais produtos feitos dele e de outras plantas. Achei caro, mas o bacana é que não há ritual de compra. Tomei um café 5Dh, fui ao banheiro 2,50Dh. Ao final da viagem demos 10Dh/cada para o motorista. Já perto de marraquexe trocamos de van até um dos portões da Medina. Como mudamos de hotel, pois o anterior estava lotado, o motorista nos ofereceu carona e nos deixou quase na frente do nosso Riad. Agradecemos com 7Dh/cada. Tivemos que trocar de hotel porque não havia vaga no anterior. Cada uma pagou 100Dh. Reservamos pelo booking. O administrador falava espanhol perfeitamente e disse que poderíamos usar a cozinha, pois não tinha café da manhã. Para concluir, o passeio ao merzouga é meio show de mulata, coisa para gringo ver claro! Vc sente só o gostinho do deserto, aprecia as tonalidades das dunas, as sombras de uma sobre a outra e em noite de estrelas, deve ser lindo. Jantamos na praça naquelas barracas. Não recomendo porque você escolhe o prato e eles te perguntam se você quer salada ou legumes. Daí eles trazem a sua escolha, em um pires e te cobram a parte. Eu achei que tava incluído. Também oferecem pão. Além disso, a higiene deixa a desejar. Imperdível : observar a paisagem durante a viagem Gastos em dirrans: Café =10 Banheiro = 2,50 Van=7 Gorgeta =10 Jantar =65 DIA 10 – MARRAQUEXE/FES Dia de comprar lembrancinhas. Antes tomamos café na padaria, onde eu paguei a mais e eles me devolveram. Fomos atendidas por uma mulher, coisa rara na viagem. Café da manhã 4,75Dh, dois croassaints, iogurte e café. Eu comprei nos souks especiarias para colocar no café e óleo de argan. Comprei também um porta papel higiênico e uma mão de Maria para colocar na minha porta 250Dh. Momento Perrengue -Na praça a Ju tentou trocar um boneca de madeira que havia comprado com um bereberé (de pele linda bem negra). Eles não tem loja, vendem no chão. Eles queriam que ela deixasse a defeituosa e pagasse o mesmo preço por outra. Resolvemos chamar a policia, que só falava Frances. Consegui entender que nos mandaram a Delegacia de turistas. Saimos determinadas a ir na delegacia, mas não iríamos porque tínhamos que pegar o trem. Daí um berebere me chamou e demos 20Dh a mais para trocar por uma boneca maior. A praça parou para assistir tudo. Pra quem chegou cheia de medo, eu tava bem segura...kkkk. Pegamos um taxi para a estação de trem. O motorista havia aceitado nos levar por 30Dh, mas quando chegamos disse que era 40Dh e se fez de ofendido. Tenho certeza que foi má fé, porque quando negociamos eu lembro de ter mostrado três dedinhos em minhas mãos, antes de entrar no taxi. Então o taxi deu 20Dh/cada. O trem marraquexe-fes custou 195Dh na segunda classe. Almoçamos no Mcdonalds da estação 48Dh. Chegamos em fes a noite. O taxi da estação de trem até o hotel tinha taxímetro, dividimos um taxi com uma moça árabe 13Dh. O taxi nos deixou na porta azul e lá veio um rapaz se oferecendo para nos guiar, dizendo que era perigoso. Descoladas de marraquexe e com o GPS da Ju a postos, chegamos no Riad. Estavam comemorando um casamento e nos convidaram para conhecer a casa e a família próximo do Riad. A sala da casa era enorme sem mesa de centro, mas rodeada de sofás. As roupas das mulheres eram lindas, combinando lenço com vestido. Jantamos bem perto do Riad a 50Dh e compramos uma água 5Dh. Conhecemos um jovem de apelido Bouchat (se lê buchá) que faava espanhol muito bem e se ofereceu para ser nosso guia. Imperdível: compras nos souks Gastos em dirrans: Café da manhã = 4,75 Trem para fes =195 Refrigerante =7 Macdonald =48 Taxi Medina estação ferroviária = 20/cada (total 40) Taxi aeroporto porta azul = 6,50/cada (13 total) Jantar fes =50 Água fes =5 DIA 11 – FES Depois do café da manhã, seguimos para encontrar o guia, mas no caminho...comprinhas: imãs. Daí um homem falando espanhol nos convidou para conhecer um curtume próximo. Explicamos que já tínhamos guia, mas ele insistiu mostrando foto com turistas e fotos das filhas dele. A gente resolveu aceitar. Só que o curtume não era perto, era bem longe e isso foi me chateando, embora não tivéssemos marcado horário com o guia. No curtume eles te dão um raminho de hortelã para cheirar, porque é um cheiro bem ruim. Os operários não usam equipamentos de proteção individual. Só vi um com as pernas dentro de calças impermeáveis e o administrador me disse que o corante era tóxico naquela cava. No curtume tinha artigos de couro para vender, era aí que o guia ganhava.Acabei comprando uma bolsa por 550Dh. Com muita dificuldade conseguimos dispensar o homem. Daí fomos até o restaurante da noite anterior o Dijud, que fica colado na BAB Boujloud (porta azul) e pedimos para falar com o Bouchta, acertamos o preço de 100Dh por 4 horas, saindo 50Dh/cada. Foi muito bom porque fomos ao jardim do rei, vimos o palácio por fora, subimos um monte e avistamos a cidade inteira e depois na Medina fomos conhecer fabrica de tapetes, perfumes e remédios, pão, roupa feminina e masculina, cerâmica...essa imperdível. Para ir na fabrica de cerâmica tivemos que pegar um taxi a 30Dh. Gastei 100 Dh na herbarreria. No final da tarde, ele nos convidou para conhecer a sua casa, onde nos serviu um chá de menta com biscoitinhos. Nos batizou com nomes arábes: Eu era Fátima e Ju Radija. Pedimos ajuda a Bouchta para comprar passagens para chefchouen. Na rodoviária não havia mais ônibus de ida pela principal companhia CTM. Compramos a volta por 75 Dh e no guichê ao lado, só falavam árabe, nosso guia nos disse que pela manhã bem cedo poderíamos comprar na hora. Todos haviam nos avisado para ir de ônibus CTM, mas... Fomos a um restaurante que tinha vista para a porta azul. Foi bem bonito ver o inicio da noite dali. Comemos a 46 Dh/cada. O guia foi tão bacana com a gente que resolvemos pagar 60Dh/cada. Eu estava com desejo de comer uva e conseguimos comprar 2,50Dh. Comida não tem ritual de compra...marravilha! Tava docinha! Aproveitamos para imprimir a passagem fes-madrid na lan house 3,50Dh/30 mim e 1Dh cada impressão. Imperdível : nosso guia Gastos em dirrans: Refrigerante =5 Guia =60/cada (100 total demos 20 a mais) Água =2 Taxi para fabrica de cerâmica = 15/cada (30 total) Para encontrar bouchta : perguntar no restaurante Dijud perto do bab Boujloud. Facebook de omar khalid: https://www.facebook.com/youness.khalid.3?pnref=friends.search Dia 12 – fes/chefchauoen/fes Saímos as 5:00h da matina para pegar o ônibus para chefchaouen. Apesar de escuro, ouvíamos as mesquitas com orações no alto falante..era hora sagrada, acho que isso deveria afastar nossa insegurança. Passamos por um descampado e escutei alguém me chamar, era Bouchta, ele estava preocupado conosco e resolveu nos acompanhar até o ônibus. Não aceitou nenhuma gratificação por isso. O ônibus custou 50 Dh e bouchta falou alguma coisa e o trocador nos indicou nossos assentos. Atrás do motorista ao lado do trocador. Nos sentimos bem seguras. Faz frio pela manhã e por esta razão ninguém abre as janelas. O Ônibus vai pegando passageiro no caminho, alguns homens descem para urinar na rua, distante do ônibus. Não tem banheiro no buzu, nem ar, mas não precisa. Ninguém fumou. O ônibus parou na estrada e o trocador nos chamou e nos colocou em um taxi lotado. O taxi nos deixou no centro de chefchaouen. Lá meio perdidas, entramos em um hotel para pedir informação sobre as atrações turísticas. O administrador foi tão gentil que nos levou até uma placa informativa com mapa da Medina e nos indicou um guichê de informação. No guichê eu vi um árabe lindo, nem sei dizer o que ele disse em portunhol, mas lembro que compramos um mapa da Medina por 2 euros e que ele recomendou que fossemos até a cachoeira para apreciar a paisagem. Como a Ju escutou mais que eu, entramos na Medina...tudo azul e flores...lindo, tem uma parte muito antiga de 1300 e outra...antes de Cristo..uauuu. paramos em café chique 16Dh, o suco de limão siciliano estava divino. Momento glamour para mochileiras. A cor azul foi implantada porque era uma cidade de peregrinação religiosa e hoje vive do turismo. A cachoeira é feinha, mas subindo um pouquinho depois da ponte, a vista é linda. Muitas fotos e comprinhas..rs..Ju comprou CD de musica, eu comprei manta de sofá, imãs, postais. O almoço foi bom, cercada de gatinhos, 50Dh/cada. Não ficamos animada para subir a montanha até o topo, porque tava sol e a cidade era linda. Pegamos um taxi até a rodoviária 7,50Dh/cada e voltamos de CTM. Jantamos em Fes 50Dh. Imperdível: Chefchaouen Gastos em dirrans: Passagem fes-chefchaouen=50 Passagem chefchaouen-fes =75 Café da manhã em chefchaouen = 16 Sorvete = 6 Almoço =50 Água =7 Taxi da medina para rodoviária de chefchauen =5/cada(10 total) Taxi rodoviária fes – bab boujloud = 7,50/ cada (15 total) Jantar fes =50 DIA 13 – FES/MADRID Manhã de compras em fes. Depois pegamos uma van para o aeroporto que foi bem cara 90Dh/cada. O taxi sairia mais caro segundo nos disseram. De fato achei o aeroporto bem longe. A água no aeroporto era 12Dh!!!! Na rua comprei a 2Dh. Eu gastei bastante no Marrocos em comprinhas. Chegamos no aeroporto e pegamos trem até La latina onde era nosso airbnb 9,10 euros o ticket T10 com 10 viagens (total de 18,20 euros) . Não pode esquecer que no aeroporto paga-se 3 euros de taxa. Jantamos no 100 montaditos uma rede que tem em toda Madrid com lanchinhos bem em conta 4 euros com refrigerante. Depois comi um pedacinho de pão doce recheado em uma padaria perto do apartamento. Voltei para casa passando mal, dormi direto. Com tanto lugar no Marrocos para ter um piriri, fui ter em Madrid! Gastos em dirrans: Taxi aeroporto =90/cada (180 total) Água =12 Gastos em euro: Transporte em Madrid 9,10/cada (18,20 total) Jantar =4 DIA 14 – Madrid/Toledo/Madrid Pela manhã, comi uma banana e pegamos o metrô até a Plaza elíptica. Lá o ônibus é de 30 em 30 minutos . 10,84 euros ida e volta de Toledo. Em Toledo pegamos o ônibus n° 5 na saída da rodoviária, custa 1,40 euros e descemos na Zodocone. Nesta praça tem um trenzinho com tradução em português 5,50 euros/pessoa para fazer o city tour, mas barato que o ônibus. O trenzinho para no mirante para tirar fotos. Não almocei, comi água e pão a 1 euro. Comprei dois imãs 5,50 euros. Voltamos antes porque estava frio e com uma chuva fina incansável. Jantei a 6,80 euros. Gastos em euro: Passagem Toledo=10,84 Ônibus Toledo=1,40 Trenzinho =5,50 Ônibus Toledo =1,40 Jantar =6,8 DIA 15 – Madrid/Lisboa Eu já tinha visitado Museu do Prado quando estive em Madrid. Comi duas maças de café da manhã 0,65 euros. Estava me sentindo muito fraquinha ainda. Decidimos ir a praça do sol. Lá vimos a guarda montada. Visitamos o El corte inglês, o shopping com banheiros gratos e limpos..kkkk. A Ju almoçou no KFC 4 euros. De volta ao metrô, muitas escadas para ir ao aeroporto. Pagamos a taxa de 3 euros no aeroporto. Chegamos em Lisboa e pegamos o metrô no aeroporto a 1,90 euros. Lá um amigo do nosso couch querido foi nos buscar de carro na estação, para não subirmos a ladeira com as malas. Daí nos levou para a cidade alta, onde comemos de verdade...eu uma sopa 8,15 euros, porque ainda tava mal e Ju bacalhao na mesma faixa de preço. Imperdível: Praça do sol. Gastos em euro: Maças =0,65 Almoço =4 Taxa aeroporto=3 Metro Lisboa =1,9 Jantar Lisboa =8,15 DIA 16 – LISBOA Resolvi ir na farmácia atrás de um remédio, porque estar em Portugal sem poder comer era um suplício. A senhorinha que me atendeu foi super atenciosa e eu gastei 17 euros, mas fiquei boa n mesmo dia. Meu café da manhã foi banana e maça. Como estava fraca, a Ju sugeriu um city tour, 19 euros/cada. Foi ótimo. Almoçamos no mercado da ribeira quase 17h, foi meio jantar 7,70 euros pouquinha comida mas gostosa. Gastos em euro: City tour=19 Almoço =7,70 DIA 17 – LISBOA/SINTRA/LISBOA Pela manhã pegamos o trem em Rossio 2,15 euros. Tem que lembrar que o cartão de papel você deve guardar porque ele custa 0,50 euros e é recarregável. Pegamos o trem e 40 minutos depois chegamos a Sintra, que é apaixonante. Tempinho fresco, muito verde, lembrando um pouco a parte histórica de Petrópolis. . A primeira parada foi a queijada da sapa, famosa por ser a predileta do rei que chamava a senhora por este apelido. De fato olhando a foto, o rei tinha razão. Depois lanchinho na periquita, outra famosa apelidada pelo rei. Seguimos caminhando para o castelo da Regaleira 6 euros, mas vale a pena, porque é lindoooo. Passeamos a manhã inteira no parque ao redor do castelo. Almoçamos a 6,50 euros, prato bem servido de bacalhao com vinho da casa. Retornamos a Lisboa felizes.Pegando metrô a 2,15 euros. Gastos em euro: Trem =2,15+0,5=2,65 Castelo regaleira=6 Almoço=6,5 Metro=2,15 DIA 18 – Lisboa/Coimbra Pegamos o trem para Coimbra. Na estação tomamos um café da manhã. Em Coimbra ficamos bem perto da estação de trem que é linda. Pagamos o hotel em dinheiro 11,25 euros/cada. Quarto duplo com ar e banheiro. Chuveiro quente que molha o banheiro todo, mas as camas eram confortáveis. Perrengue subir três lances de escada com malas. Almoçamos muito bem perto do hotel com entrada, almoço, vinho da casa por 6 euros. Compramos um bilhete de ônibus 4 euros/cada. Subimos o elevador perto do mercado popular, para visitarmos a universidade que é muito bonita. A vista da cidade de lá é igualmente bela. Depois fomos comer pastel de nata a 0,60 euros. Eu fui então conhecer o tumulo de santa Isabel que fica na igreja santa clara nova. A entrada custou 2 euros. Fiquei bem emocionada com o clima do mosteiro. O plano era sair a noite, mas as mocinhas acabaram dormindo muitooooo. Imperdível: universidade Gastos em euro: Hotel=11,25/cada Almoço =6 Ônibus=4 Pastel de nata=0,60 Entrada santa clara nova=2 DIA 19 – COIMBRA/PORTO Tomamos café em uma padaria 2,70 euros caputino com pão doce. Pegamos um trem para Porto 8,65 euros. Lá conhecemos uma república de estudantes brasileiros que nos hospedaram pelo couch. Taxi da estação de trem até o apartamento 3 euros. Almoçamos a 4,25 euros. Andamos pelo centro de Porto e no final da tarde fomos ao rio, onde a Ju fez um passeio. Eu fiquei observando os artistas de rua e os turistas. Depois do passeio encontramos uma amiga da Ju e jantamos maravilhosamente por 11,50 euros, incluindo o vinho da casa. Imperdível : Passear na beira rio no final da tarde Gastos em euros: Café da manhã=2,70 Trem para porto=8,65 Almoço=4,25 Jantar=11,50 DIA 20 – Porto Tentamos alugar um carro, mas de última hora tudo muito caro na faixa de 120 euros. Melhor alugar com antecedência pela internet e observar as taxas. Um carro fora do verão por 7 dias custa 230 euros. No aeroporto tivemos tempo para ir na alfândega. Lá um funcionário simpático nos explicou que em certas lojas a compra acima de 61 euros pode ser identificada com passaporte e nome do comprador e no aeroporto o turista que vai deixar a união europeia pode receber o imposto IVA em dinheiro. Não vale soma de notas. O serviço funciona 24 horas em todos os países da união europeia. Na agência de turismo obtivemos informação sobre acesso ao aeroporto durante a madrugada, já que nosso voo era 5h. Almoçamos com calma a 4,50 euros e decidimos ir de ônibus visitar a cidade do avó da Ju. A noite jantamos 9,50 euros e decidimos ir para o aeroporto no ônibus das 2h da manhã, o 3M que pegamos na Av. dos Aliados. Era sábado e o ponto estava cheio, super seguro. Gastos em euro: Almoço =4,5 Jantar=9,5 Dia 21- Frankfurt Nosso voo fez escala de 12 horas em Frankfurt. Pegamos o metrô com o ticket de grupo para 1 dia 15,80 euros (7,90/cada). O bilhete simples era 4,55 euros. Tomamos café da manhã caputino +croassaint por 3 euros Seria maravilhoso se não fosse domingo com lojas fechadas. Achamos o city tour sem graça e decidimos ir na agencia de informação ao turista. O atendente era antipático demais, mas conseguimos um mapinha por 0,50 euros. Daí fizemos o circuito a pé. Tava muito frio. Depois almoçamos na praça principal 8,60 euros. Fizemos um passeio de barco a 8,95 euros, mas tava tão quentinho dentro do barco, que acabamos dormindo..rs. Com o por do sol, ficamos com mais frio, daí fomos para o aeroporto e lá jantamos a 5,90 euros. Gastos em euro: Bilhete metrô=7,90/cada (total 15,80) Café da manhã=3 Passeio de barco=-8,95 Almoço=8,60 Jantar=5,90 Chegamos no rio de manhã bem cedo. DICA: Água Leve um squeeze para abastecer em qualquer torneira, porque garrafinha de água em Barcelona custa 1,20 euros para mais. DICA: Não sei para onde ir Antes de viajarmos eu já tinha marcado o mês de férias no trabalho, mas não sabia para onde ir, então fiz uma pesquisa no submarino colocando 20 dias em setembro e outubro e escolhendo destinos que achei interessante, daí o site mostrava a data de passagem mais barata. Montei a planilha com os destinos, valores da passagem e hotel que pesquisei no trivago. Na época, julho de 2015, o destino mais barato entre os que listamos era a Costa Rica, mas Madrid também estava com bom preço. A Juliana também pesquisou outros custos no site: XXXXX para ter uma idéia de quanto gastaríamos DICA: Câmbio no RJ Pesquisei casas de câmbio porque em julho o euro tava 3,20 reais em setembro subia todo dia para nosso desespero. A casa de câmbio com melhor cotação foi a DG Câmbio, mas o Banco do Brasil era a melhor opção. O banco cobra uma taxa de 60 reais, então dependendo do quanto você vai trocar o banco é a melhor opção. Mas existe um detalhe: Nem toda agencia faz cambio. No centro do rio, tem uma na Senador Dantas, mas inacreditável ...você vai lá e tenta agendar um dia para comprar a moeda, daí você paga a cotação do dia agendado, o que significa que você não sabe quanto será. Aí vai a dica, vai direto no banco do Brasil do aeroporto, a agência faz câmbio na hora sem burocracia e tem horário especial. A Juliana conseguiu comprar depois das 18h. Dica: Deslocamentos durante a viagem Pesquisamos os deslocamentos e optamos por avião e trem. Chegamos a conclusão que os trens da Espanha estavam mais caros que o avião e ônibus. Então de Madrid a Barcelona, Madrid-lisboa usamos as companhias aéreas easyjet e vueling. Para Madrid-toledo usamos ônibus. Já em Portugal usamos trem para Lisboa-sintra, Lisboa-coimbra e coimbra –porto. Para Madrid-marrocos usamos avião ryanair . Reserve tudo, exceto o ônibus, com antecedência para pegar promoções. Hospedagem Com o euro nas alturas decidimos nos hospedar de graça através do couchsurfing e se não rolasse, iríamos pagar para ficar na casa de alguém, usando o airbnb. A exceção foi Marrocos , porque a hospedagem era mais em conta e Coimbra porque era uma noite só e queríamos curtir a noite, já que o resto da viagem exploraríamos o dia. Vou dizer uma coisa para vocês: Fiquei melhor hospedada de graça no couch que pagando pelo airbnb. No airbnb escolhemos quarto privado e opções mais econômicas em lugares bem localizados. Airbnb: Barcelona – Yandri e Madrid - Bea. Os dois nos ajudaram muito com dicas e simpatia. Coimbra – Lusa Atenas. Avenida Fernão de Magalhães nº 68 1º e 2º, 3000-171 Coimbra, Diária R$101,00 quarto duplo ou 23 euros. Reservei pelo booking. Pertinho da estação férrea. Marraquexe- RIAD DEUX ESPICES Fes -Riad les Idrissides . Derb Ben Salem,31 Talâa kbira Médina. O hotel fica bem perto da porta azul da Medina. Usamos o booking.COM
  10. Eu moro no Rio em Copacabana e no final do ano recebi uma amiga que morou aqui e que agora está em Sampa, onde ela nasceu. Bolamos um roteiro, minha amiga é especialista em fazer roteiros, com coisas que ela ainda não tinha feito. Então os programas Cristo, Pão de açúcar estão fora. Foi na semana do réveillon de 2014: Estava previsto para ela chegar na sexta a tarde e tínhamos programado uma ida ao BUXIXO bar na Tijuca onde rola um show no segundo andar de rock. Minha amiga não curte sertanejo e eu não gosto de pagode e samba. Mas ela acabou chegando sábado no final da tarde. Sábado a noite – baile charme de Madureira. Fomos de ônibus até a central e lá pegamos uma van que passava no viaduto de Madureira. Outra alternativa é pegar o ônibus na praça XV que se não me engano é 361 – Marechal Hermes. Tem que confirmar. O baile era o último do ano então fazia venda casada, você comprava o ingresso junto com o do primeiro baile de 2015 e pagava 20 reais em vez de 10, pois eram dois ingressos. Domingo – pegamos um ônibus de Copacabana para rodoviária e lá no térreo mesmo um para Petrópolis. Em no máximo 2h chega-se à rodoviária de Petrópolis elá tem que pegar um ônibus ou taxi. Já tínhamos programado conhecer: palácio quitandinha (tem que pegar um taxi), casa de santos Dumont, museu imperial e palácio de cristal. Nessa ordem. Deixamos o palácio por último porque ele fecha mais tarde as 18h e os demais as 17h. A cidade ainda estava com a decoração de natal. Segunda- ônibus Copacabana – Alvorada, descemos na altura da Olegário Maciel e caminhamos até a praia do Pepê para refrescar. A idéia era seguir para um restaurante na Ilha de Gigóia. Acabamos encontrando uma amiga e almoçando por lá mesmo na Olegário Maciel. A noite fomos ao Teatro Municipal assistir o Quebra Nozes. Aconselho a comprar o ingresso com bastante antecedência. Já é a segunda vez que vejo e veria de novo.O Teatro foi reformado recentemente e é lindo. Mesmo sem espetáculo não deixe de conhecer por dentro. Terça – pegamos um ônibus 2113 na Barata Ribeiro para guaratiba. Descemos em frente à capela Madalegna. Já havíamos ligado antes para agendar a visita. Na verdade estávamos interessadas no passeio completo: visita ao museu e recital de musica medieval na capela, incluindo o almoço, mas tínhamos que ter 10 pessoas e ao preço de 120 reais cada. Então decidimos apenas visitar a capela e o museu. Fomos recebidas pelo próprio maestro e organizador do Museu de meios de transportes e maquetes de prédios históricos da Europa e Ásia. Tudo é lindo no sitio. Pegamos um ônibus para a Ilha de Guaratiba e descemos em frente ao Sítio Burle Marx. Ele está fechado e só abre de terça a sexta com visita guiada as 9 ou 13h. Almoçamos rapidamente em um restaurante próximo que os seguranças indicaram. Comida boa e barata e iniciamos a caminhada pelo Sítio. A beleza se estende também na casa de Burle Marx. De lá pegamos novamente o ônibus e os passageiros nos indicaram onde descer para visitar o alambique MaxCana. Lá tivemos longa prosa com o dono da empresa e o brilho nos olhos dele contando as dificuldades para chegar ao seu objetivo , é absolutamente contagiante. Além das provinhas de cachaça que ele dá. As aromatizadas de laranja, banana, limão, goiaba...hum. Acabei levando a Gabriela. A entrada do sítio foi 10 reais e da capela +museu também Minha amiga tinha compromisso, mas sugiro que peguem o mesmo ônibus para ilha de Guaratiba e vejam o por do sol em Barra de Guaratiba. O ônibus foi 6 reais e os outros 3,40. A noite fomos ao forró na Estudantina. A Estudantina é um local tradicional de dança de salão e o forró pé de serra tem show ao vivo. Chegamos em casa as 4 da manhã. Quarta – como era noite de réveillon, decidimos fazer um passeio rápido: Fomos andar no teleférico do morro do alemão, comunidade que conta com a unidade de polícia pacificadora e que reúne várias comunidades, por isso recebe o nome de Complexo do alemão. Decidimos ir de metrô até a central do Brasil e lá pegamos o trem para Saracuruna. Descemos na Estação Bonsucesso e pegamos o teleférico. Tudo muito organizado. O metrô custa 3,50 e o trem menos que isso. No teleférico só paga a volta. Se não for morador 5 reais. São cinco estações. Fomos até a ultima, descemos para tomar água e voltamos. O clima na comunidade não está 100% tranquilo não, mas no teleférico é tudo muito seguro. A vista de toda a cidade é maravilhosa. A noite comidinha de mami e queima de fogos na praia. O show de graça do Roupa Nova não tava bom por conta do som no ponto em que estávamos na praia. Sugiro evitar ficar na praia na altura das saídas do metrô, onde fica mais cheio. Quinta –dia de preguiça. Acordamos tarde e fomos a praia do pontal no recreio. É só pegar o ônibus para o recreio (antiga 314, atual 308) e descer no final da praia. Lá tava limpo, sem oferendas na areia. Era dia 1 de janeiro. A noite fomos ao restaurante Peixe Vivo em Copacabana pra comer um peixinho. Sexta – Minha amiga tinha voo as 14h, então pela manhã fomos tomar café no parque Lage. Pegamos um ônibus para o Jardim Botânico. Lá funciona escola de Belas Artes. É muito bonito. Estava lotado e independente disso o serviço foi muito ruim. Achei o café caro para o que foi oferecido. Sugiro tomar café na Colombo do Forte de Copacabana.Se você estiver na Tijuca pode ir no Café Mió. Outros passeios bacanas: as 10h no Museu MAR na praça mauá tem uma visita guiada do projeto porto maravilha de graça. Daí depois é só subir as escadas do morro da conceição e almoçar num barzinho. Você vai conhecer a pedra do Sol onde nasceu o samba e onde até hoje nas sextas a noite e sábado 18h tem musica. Ir a Paquetá de barca é voltar no tempo e relaxar. De barca também dá para ir Niterói comer um peixe no segundo andar do mercado do peixe e depois visitar o caminho Niemeyer, o museu MAC. A feira de são cristovão também é um bom passeio para almoçar ou a noite para dançar forró. Dá para ter uma noção dos costumes do nordeste.
  11. Nisa, Depois conta como foi a viagem para a galera ter informações atualizadas. Com certeza voltarei a Caraíba.
  12. Almoçamos em Cabo, suco de fruta feito na hora e peixe. O parque é mal sinalizado, não vi posto médico. Arrecifes é como Saquarema, cheia de placas de perigo, correntezas. Ninguém entra porque dizem que é perigosa. DICA: Se vc não quer dormir em Tayrona, indico ir de van e pegar um cavalo, ele não entra na praia de La piscina, mas vc só tem que andar só um pedacinho plano até Cabo San Juan, onde as 15:30 – 16:00 você pode pegar um barco para Taganga. Essa opção sai a 58.000 pesos/pessoa. Se vc for voltar de van, teria que andar de volta até canaveral e estar lá as 17:00h. A noite lanchinho que levamos e refri de 600ml. O gerador de luz desliga as 21h em ponto, então se sair a noite não deixe de levar a lanterna. A barraca a noite é muito quente e apesar de ter lençol e fronha, a areia fininha suja tudo, então é bacana sacar uma kanga limpinha da bolsa e forrar tudo. Conhecemos Elisa uma brasileira que nos deu uma boa dica sobre Playa Branca. A dica estará adiante. Van ida e volta taganga –tayrona – 36.000 pesos/pessoa Entrada do parque: 32.000 pesos/pessoa. Para estudante é menos. (Não esqueça de levar o passaporte) Barraca para dois com colchão, travesseiro e lençol de baixo =40.000 pesos A rede fica instalada num galpão com tela em volta = 13.000 pesos. Quarto para dois =150.000 pesos Almoço =20.000 pesos Água =3000 pesos Suco =5000 pesos Refrigerante de 600 ml=4000 pesos. Dia 7-15-08-14 Tomamos café no camping. Eu não anotei o valor. Daí seguimos para descansar na praia e almoçamos em cabo, mesmo valor da noite anterior. Voltamos tomamos banho e partimos para a trilha até Canaveral. A van atrasou um pouco. Chegamos a Taganga e com as malas partimos para Santa Marta de taxi. Chegando lá ficamos no Hotel Repouso Suítes. MOMENTO PERRENGUE – Pesquisamos o hotel no booking.com e os comentários eram bons. Chegamos lá tinha vaga, hotel barato, o taxi nos deixou na porta, pagamos e entramos...no corredor um quadro com um corpo feminino meio sombreado, mas a frente um desenho grafico de posição sexual...passamos num quarto com musica nas alturas...daqui a pouco sai uma mulher de um quarto e instantes depois um homem...estávamos num motel. Voltei na recepção e pedi o dinheiro de volta. A recepcionista se negou a devolver. Eu estava pronta para rodar a bahiana, mas Ju topou ver o segundo andar, pq a gente tava bem cansada e a recepcionista dizia q o segundo andar era outra coisa. Conclusão. Forrei minha caminha com as kangas, pq o lugar não devia ter uma lavandeira de primeira. Saímos a noite andando pelo calçadão de Santa Marta. Noite mais fresquinha que Taganga. A praça dos noivos bem bonita e tudo perto do hotel. Paramos numa feirinha, final de feirinha de artesanato. Lá os preços eram muito mais em conta que Cartagena, compramos umas coisinhas e decidimos jantar no restaurante recomendado pelo amigo de Bogotá, que morou em Sampa: tierra negra. Lindoooo!!!! Prato lindo também. Voltamos andando para o hotel e a Ju tava sentindo que comeu um boi. Momento perrengue – a comida linda do tierra negra tava estragada. Desidratamos tudo a noite toda. Plantinhas!!! Nem os remedinhos que levei deram jeito. No dia seguinte só açordamos as 11h, sem coragem de tomar café. Aliás o “hotel” não tinha café lógico! E a preocupação de encarar 4 horas de estrada até Cartagena? Mais remedinhos, água, banheiro e coragem. Graças a Deus, seguimos dormindo na Van, sem passar vergonha. Taxi taganga – santa marta =10.000 pesos Diária Repouso Suites = 60.000 pesos para 2 pessoas, só cama de casal..é claro! Jantar individual tierra negra + suco= 36.000 pesos Dia 8 – 16-08-14 Acordamos desfalecidas as 11h e conseguimos pegar a van de 13h, dormimos muito na van e um taxi, pois a Van não pode entrar no bairro, era feriado. Chegamos felizes na Casa de La sierpe em Cartagena, onde fomos dormir. Van para Cartagena =42.000 pesos/pessoa Taxi =3000 pesos Dia 9 – 17-08-14 Fomos ao porto desmarcar mais uma vez o passeio de barco, porque a Ju ainda não estava 100%. Depois fizemos comprinhas. Almoçamos e fomos à paleteria, uma lojinha só de picolés. Compramos artesanato no mercado de artesanias. No final do dia fomos ver o por do sol no café del mar. Muito bonito. Daí um soninho na pousada e a noite fomos ao Havana Café. Comemos um sanduíche. Almoço =13.000 pesos Água =2000 pesos Picolé =5000 pesos 2 doces no portal dos doces = 600 pesos Entrada havana Café =15000 pesos Sanduiche =14500 pesos Dia 10- 18- 08-14 Visitamos o Museu da Tortura e seguimos para Bocagrande para praia. A tarde fizemos comprinhas em Bocagrande. Almoçamos um crepe salgado na Crepe &Waffles e depois taxi de volta para o hotel. Entrada do museu = 16000 pesos sem guia. Achei q por esse preço poderia ter um guia com horário marcado. De qualquer forma o acervo é pequeno e bem interessante, sem contar a edificação. Almoço = 15800 pesos Taxi =3000 pesos Dia 11 – 19-08-14 Dia do passeio de barco. Paramos na primeira ilha onde tem show de golfinhos, alguns passageiros descem. Nós seguimos para o snorkel. Bom..eu não sou uma boa pessoa para falar de snorkel, pq depois de Fernando de Noronha, os outros são os outros e só...Voltamos para a ilha dos golfinhos parada de 15 minutos, não dá para ver os golfinhos. Seguimos para Playa branca que é linda! Água quentinha e muito azul claro!!! Almoçamos, tava nublado, então tirei um soninho na rede. Depois pega barco e volta. DICA DA ELISA: Para Playa Branca pegue um ônibus para Passa Caballo 2000 pesos e lá pegue uma lotada no taxiu para playa branca a 8000 pesos. Existe opção de hospedagem em Playa branca. Passeio de barco com almoço 40000 pesos. Se for fazer snorkel com aluguel de pé de pato e máscara 25000 pesos. Dia 12 – 20-08-14 Taxi para o aeroporto Cartagena 10.000 pesos. Eles cobram 12.000, mas só tínhamos 10.000..rs
  13. ANTES Passagem – Escolhemos viajar pela Copa porque a TAM/LAN tinha escala em Lima e os horários eram horríveis e a Copa escala no Panamá. Lembre-se que em Lima vc não precisa ter passaporte, mas no Panamá vai precisar. Não precisa visto. Se você planeja ir a San Andrés, escolha a opção múltiplos destinos. Para Rio – Cartagena - San Andres, ida e volta dava uma diferença de cerca 600 reais. Decidimos dormir uma noite no Panamá. Erramos ao escolher o voo, porque chegamos lá 15h do Brasil, 17h lá. O centro de visitação do canal do panamá fecha a esta hora. Verifiquei a cotação do dólar e do real no banco nacional de La republica. R$ 1 = 820 pesos. Consegui comprar trezentos dólares a 2,37 reais em uma casa de cambio. PASSAGEM = R$ 1163,84 U$300=r$711,00 Dia 1 - 9-8-14- Ao descer no aeroporto do Panamá, onde o free shopping é bacana demais, comprei óculos. MOMENTO LUXO :'> Óculos Ralph Lauren U$80,00. Minha amiga comprou perfume e chocolate. A MAC é imperdível, meninas! Deixei 60 doláres em primer e base. Pena que não comprei o meu perfume 200ml. Deixei para comprar na volta para o Brasil (mesmo preço). Conclusão: quando voltei para o galeão só havia de 100ml. Ficamos num albergue bem ruim, mas o voo era 7h da matina e o albergue é ao lado do aeroporto, com transfer incluído. Dependendo do peso da bagagem, sua disposição física e o clima, dá para caminhar pela calçada do aeroporto até o hotel. MOMENTO PERRENGUE A gente tava com mala de rodinha e com a chuva intensa, então um taxi branquinho passou bem devagar e eu fiz sinal, comecei a negociar a corrida e apareceu um outro taxista q ficava interferindo na conversa,querendo saber qto eu tava pagando, para onde eu ia...daí os dois taxistas começaram a discutir e depois um deles chamou a polícia, pq o taxi que eu parei não era oficial. Conclusão os três ficaram discutindo, pegamos nossa bagagem e peguei outro taxi. Ficamos bem nervosas com a situação. Chegamos no albergue e o quarto não tinha janela, muito feio e úmido. Eu sou alérgica e fui com minha bombinha na recepção, tentar trocar o quarto. Conseguimos trocar pelo segundo andar, sem elevador. Esse tinha um janela minúscula, mas o cheiro tava melhor. Na recepção marcamos o transfer para o aeroporto e pegamos um carro, com o amigo da recepcionista, para irmos ao cascuo antiguo. Poderíamos ir ao shopping, que fechava as 22h, mas preferimos conhecer os prédios históricos. O cascuo antigo fica bem longe do hotel. Fomos pelo caminho mais rápido que tem um pedágio bem caro. Passamos pelo shopping e pelo hard rock café, que o maior do mundo, tem seis boates, cassino etc. Os prédios são enormes e modernos. No caminho conversando com o motorista e seu filho, eles colocaram várias músicas em espanhol, regaton, para a gente conhecer. Falaram de Carlos Vivez. Achei muito legal o menino de 18 anos curtir muito musicas em espanhol e pouquíssima musica americana. No Cascuo antigo é bem seguro, pq tem a casa presidencial. Olha..tô só repetindo as informações que o taxista deu....rs Não fui pesquisar para ver se está correto. Daí jantamos num restaurante bonitinho e fomos ao Teatro Amador para dançar. A entrada era barata tipo U$10. Muitos panamenhos e poucos turistas, o que é ótimo. Muito regaton, mas toca outras coisas também, como rap, anos 70, sertanejo brasileiro, axé, salsa.... hotel backpackers inn = u$ 50 (quarto duplo com banheiro, ar e café da manhã) – não vale! reservei pelo booking.com taxi aeroporto hotel=u$ 8,00 taxi hotel –cascuo antigo =u$ 50 água =u$1,50 entrada =u$ 10 taxi cascuo antigo –hotel =u$ 60 O taxi e o hotel eu dividi com a Ju. Quanto mais amigos, mais divertido e econômico ! DIA 2 – 10-8-14 No dia seguinte não deu para pegar o café que era as 8h. A sorte é que a Ju tinha barrinhas. Pegamos a van das 5h. Chegamos em Cartagena as 10h. O free shopping de cartagena só tem uma loja: a riviera. O cambio do aeroporto é um roubo. A sorte foi a Ju ter levado pesos colombianos que comprou no banco Safra no aeroporto do Rio. Atenção qdo vc fizer isso, pergunte qual a taxa. Pq a Ju não perguntou e viu que ficou muito caro o peso R$ 70,00 = 31.000 pesos colombianos + R$ 15,99 de taxa. R$ 1 = 360,51 pesos!!!!! No cambio do aeroporto 1R$=500 pesos!!!! Ainda no aeroporto fomos ao balcão de informação turística e a atendente nos indicou um taxi mais em conta e pegamos mapinhas de cartagena. O taxi fica do lado de fora bem ao final, tem uma janela q vc paga, te dão um ticket q vc entrega ao motorista. O taxi nos deixou no hotel Casa de La sierpe em Getsemani. Maravilhoso este hotel. Dá para ir a pé na torre do relógio, no centro histórico. Fizemos tudo a pé, embora o hotel tenha bicicletas de graça para os hóspedes. O hotel só tem três quartos, o nosso quarto era uma graça tudo novinho, claro e limpo. Tela plana, ar silencioso, toalhas limpas todos os dias e..água quente uma raridade em Cartagena, que é como São Luis do Maranhão: Úmido de vc não conseguir usar calça. Só vestido, short e regata. A sensação de calor é forte, mesmo quando chove. A gente fica com a pele melada de suor, até para usar o protetor solar é ruim, mas venta, um ventinho bom como os do nordeste. Mesmo chegando antes do check in, entramos no quarto, tomamos banho e depois fomos ao centro para fazer o cambio. Era domingo e algumas casas abertas cobravam 1R$=700, encontramos uma que fazia 1R$=710. Daí trocamos 100.000 pesos só para tentar uma cotação melhor na segunda. Seguimos andando para almoçar no famoso Cucina de Socorro. De fato é muito bommmmmm Comi arroz de coco queimado, peixe empanado, plátano (um banana achatada bem fininha, redonda, bem fininha e sequinha. Suco de abacaxi. A Ju tomou de mora (amora) tudo natural. Sugiro provar a limonada de coco, que tem gosto de torta de limão. Compramos nas barraquinhas de doces, a sobremesa, onde cada um custa 600 pesos. No cento histórico toda hora vc é abordada, mas os vendedores são super simpáticos e não insistem quando vc diz no gracias. CURIOSIDADES - Perguntamos por supermercado e lá compramos água para colocar no quarto e vimos também alguns produtos diferentes. Os cabelos das colombianas costumam ser compridos, lindos, pretinhos, lisos..tem cabelo afro também, mas os shampoos são grandes. A Ju chamou de shampoo de cavalo. Tem refri de kiwi e lulo (uma fruta que eu não conheço aqui no Brasil) e fanta de maça (cor de rosa). A cerveja mais vendida é a da latinha amarela. Trouxe uma para o Brasil, mas ainda não abri. MOMENTO PERRENGUE. Quando voltamos do supermercado para o hotel, passamos em uma rua em volta do parque Centenário, que fica pertinho do hotel, lá é ponto de prostituição. Calma, não tem ninguém de bunda de fora ou chamando cliente, nem de madrugada. Parece mais uma coisa praça Tiradentes, umas senhoras mães e avós de família, sentadas no muro do parque, conversando. A gente só notou que rolava comércio, pq na volta do supermercado, vimos um senhor colocar a mão dentro da blusa da moça, na frente de todos e colocar alguma coisa lá (um papel branco), foi bem rápido. Mas como estamos relaxadas, fizemos uma cara de espanto e talvez alguma interjeição e todos riram da nossa reação. A noite decidimos por pizza individual e tomei o SevenUp, lembra dele? Andamos pelo centro histórico 1h da manhã. Perdemos a noção da hora, mas tinha polícia em todo canto. TAXI AEROPORTO-HOTEL = 10.000 PESOS ALMOÇO COCINA DE SOCORRO = 44.000 PESOS (O MEU PRATO INDIVIDUAL +SUCO) 2 COCADAS = 1.200 PESOS 1 garrafinha d’água = 1750 pesos Pizza individual marguerita =11.000 pesos Garrafinha de vidro 7up=3.000 pesos Supermercado = 8.000 pesos (2 garrafas grandes de água e biscoitinhos) Casa La sierpe = 120000pesos/diária quarto duplo ou casal. Dia 3 – 11/8/14 O café da manhã no hotel tem poucas opções no cardápio. Vc escolhe e espera um pouquinho o preparo. Seguimos para o centro histórico para trocar mais dinheiro. A melhor cotação foi 1R$ = 720 pesos. Fomos a Bocagrande e tava pior 1R$=690 pesos. Os bancos só trocam dólares, não trocam reais. Eu não anotei o cambio do dólar, mas lembro que achei bem ruim também. DICA – pague no cartão de crédito, usei o Santander platinum e mninha amiga o american Express, foi melhor, pq o dólar fechou a 2,37 na fatura.Também fiz saque com o cartão. Lembrando que tem que liberar antes de viajar o uso no exterior para credito e para debito. Essa foi a melhor opção, que em conta corrente usando o cartão. Tem que sacar bastante pq tem uma taxa. 320.000 pesos = R$ 362,58 + R$ 20,04 (TAXA) Fomos à marina, onde tem os passeios para Ilha rosário. Pagamos uma entrada de 10.000 pesos e marcamos para o dia seguinte. Pegamos o ônibus vermelho que faz city tour. Tem outras opções: um que custa 35.000 pesos por um dia, mas o vermelho custa 45.000 pesos por dois dias. Basta pagar na entrada. Ele tem ponto em frente a entrada principal da cidade histórica. É aquele esquema de ônibus circular com vários pontos q vc pode descer e subir quando tiver vontade e escuta a gravação sobre os pontos históricos. Descemos em Bocagrande onde almoçamos e seguimos para a sobremesa no Crepes e Waffles...hum...waffle de frutas vermelhas e chantilly com limonada de coco. Fizemos o circuito todo sem descer e depois descemos no castelo san Felipe. DICA - Evite ir ao Castelo San Felipe na hora mais quente do dia ou com chuva, porque tem muita subida e pouquíssima sombra. Taxi castelo san Felipe – bocagrande = 8000 pesos (o ônibus não passou) A gente estava bem cansada a noite, então passeamos no centro histórico, onde várias charretes levam famílias e casais pelas ruas. Lindinho demais! Dia de semana depois das 22h vc não encontra muitas opções para comer. Descobrimos que o ingresso do city tour dá direito a um passeio andando pelo centro histórico com guia. Ele só acontece uma vez ao dia, entre 15h e 17h, com guia em espanhol. Só poderíamos fazer no dia seguinte. Onibus vermelho city tour circular = 45.000 pesos por dois dias (inglês, Frances, catalão e espanhol) Garrrafinha de água =2500 pesos Picolé = 2000 pesos Crepe &waffle = 14.000 pesos Almoço = 13.900 pesos Entrada castelo san Felipe = 17.000 pesos Cambio 1R$=720 pesos Passeio de barco a rosário + almoço = 40.000 pesos. O snorkel éalugado lá a 25.000 pesos. Dia 4- 12-8-14 Cedinho fomos ao porto e na maior tranquilidade conseguimos trocar para segunda 16-8, quando retornaríamos a Cartagena. Daí fomos a Praia de Bocagrande com o ônibus vermelho. A praia é escura, mas a água é quentinha. DICA – Não aceite a amostra grátis das mulheres que oferecem massagem na praia. Quando elas insistirem vc diga que no final do dia se mudar de ideia, faz um sinal para ela vir. Do contrário ela vai besuntar seus pés com um creme verde e vc vai ter q negociar pagar alguma coisa. A barraca de praia é alugada já com duas cadeiras. Pode ficar o dia todo. Em vez de almoço, preferimos um crepe salgado no Crepe &Waffle, eu fui de Champion..sem comentários, depois peguei um crepe doce com abacaxi. Muito bom. Fizemos o city tour a pé. E no centro de informação ao turista nos indicaram um serviço de van para Taganga ou Santa Marta, mesmo preço. A outra opção pela rodoviária não valia a pena, era pouca diferença de preço . Almoço com sobremesa Crepes & Waffles e refri = 28.100 pesos Tenda de praia com 2 cadeiras =12.000 pesos DICA – Não faça cambio em Boca é a pior cotação 1R$ =690, tinha casa a 650 pesos!pior que isso só no aeroporto do galeão. Dia 5 – 13-8-14 Cartagena – Taganga leva 4 horas, tem umas paradas horríveis para lanche e banheiro. A gente já tava abastecida de lanchinhos. MOMENTO PERRENGUE - Reservamos um hotel em taganga, mas chegamos lá e vimos que o quarto tinha janela voltada para o maciço rochoso atrás do hotel, muito úmido. No quarto ao lado tinha um irmão muito doido. Porta aberta, cabelos revoltos, em pé, olhos fixos sem piscar, olhando o nada. Nem piscou ou mudou a expressão quando viu gente no corredor. Daí passamos para um com vista para a praia, janelões bem ventilados. Cansadas e famintas, fomos comer em um quiosque na praia. Arroz com camarão e lula, patacon com tomate e um suco de abacaxi com gengibre e hortelã, divino. Seguimos para o mercadinho para comprar comida para levar para tayrona. Tratamos a van para ir e voltar de Tayrona. No hotel nos informaram preços caríssimos para ir de barco e com taxi fretado e omitiram a informação da van. Daí descobrimos um outro hotel na cidade o Ocean taganga. Vimos o quarto, fica perto da igreja. Bem limpo e mais em conta. Os dados estão embaixo. Tem muitos albergues em taganga. Eu não gostei de taganga, achei suja e estranhei as imagens de santos católicos cercadas com grades, inclusive por cima. Na pracinha e em todos os canteiros tem uma santinha. Mas como dizem taganga é ame ou odeie. Eu busco simplicidade de vilas de pescadores, já estive em várias no Brasil, onde não tem asfalto e nem luz elétrica. Taganga tem, mas não tem um clima de paz e tranquilidade e nem é agitadinha tipo Pipa. Ao sairmos mais tarde para comer, o Vigia extremamente simpático, nos avisou para tomarmos cuidado nas redondezas do hotel e tb no centrinho. Estranho..atrás do hotel tem uma trilha e vimos homens sozinhos seguir para lá. Toda cidade praiana tem um cantinho para vender droga, daí a ser perigoso é uma distância, mas turista tem que ouvir os moradores. Jantamos muito mal, um frango feito na hora, mas arroz frio. Nem anotei o que eu paguei. Uma pena. :'> MOMENTO LUXO No hotel fomos ver a cobertura com piscina e vistão da praia a noite. Tinha um aviso para não entrar após as 22h. e tinha uma hidromassagem ao lado. Tava muito calor. Não resistimos, colocamos o biquíni e sorrateiramente nos encaminhamos para piscina. Quando o vigia simpático me perguntou se estávamos indo para piscina e com cara de monalisa, eu disse sim. Daí ele explicou que a noite eles colocam química e por isso não pode usar. Deveria ser um momento perrengue, né? Na cara dura, perguntei se na hidromassagem tb e ele disse: Lá vcs podem usar. E assim..momento luxo. Hidromassagem com vista para a praia. Tranporte Mar e sol Cartagena-Santa Marta-Taganga- 42.000 pesos/pessoa Mar e Sol tel em cartagena: 6560302 email: marsol.com.co Hotel Bahia taganga com hidromassagem – 212.000 pesos quarto duplo Compras no mercado para levar = 8.000 pesos Almoço bom+suco para 2 = 50.000 pesos. (Discocina – quiosque na praia) Hotel que recomendo – Ocean taganga – 120.000 pesos a diária quarto duplo ou suíte com ar. Tel: 4203776 email [email protected] Dia 6 - 14-8-14 A van pegou a gente no hotel 8:30h. Deixamos a bagagem lá e levamos o mínimo possível. DICA – leve para Tayrona protetor solar, repelente, duas cangas, chinelo, toalha de banho e água para tomar na caminhada, lanterna, cadeado e papel higiênico. A moça da agencia disse q em tayrona fazia frio..mentira, deve fazer frio se vc ficar acampada em Cabo san Juan no alto. A Van para no supermercado em Santa Marta. Até tayrona 1hora no máximo. Na entrada do parque muita fila e os guardas revistam suas coisas. Vc paga o ticket. A van entra no parque só até canaveral. De Lá vc pode alugar cavalos ou caminhar a pé por 45 minutos. Eu e Ju não somos atletas, tenho asma inclusive, mas demos sorte pq não tava sol. Fizemos a trilha dos cavalos que disseram que era melhor que a outra que tem andar na areia fofa de praia um bom tempo. Paramos um pouco durante o caminho, mas não cheguei a ficar ofegante não. DICA -A trilha de cavalos é proibida oficialmente para pedestres por conta do risco de acidente, pois existem trechos em curva que só passa uma pessoa e vc não vê se tem cavalo vindo, mas basta gritar e os guias dos cavalos tb gritam, tem sempre andarilhos e não dá para se perder. Ninguém te impede de seguir. Na verdade o cara da van me avisou q se alguém tentasse me convencer a ir pela outra, para eu não dar ouvidos. Depois é q fui saber q era proibido e razão da proibição. Chegamos em arrecifes e ficamos no primeiro camping. Eles alugam redes e barracas para 1,2 ou mais pessoas. Pegamos uma barraca para dois. A primeira tava rasgada e trocamos, garantindo que ela ficasse bem fechada, para não entrar mosquito. Fechamos com cadeado e continuamos a trilha até cabo san Juan, onde tem outro camping. O camping é mais agitado e maior, por isso mesmo preferi o nosso em arrecifes, mais tranquilo a noite e que além de tudo fica mais perto da saída do parque. Se vc quer ver e ser visto fique em cabo.
  14. Em porto seguro você vai pegar um ônibus da viação morro azul. Eu peguei este ônibus em arraial d' ajuda, mas ele vinha de porto seguro. Em janeiro eram três horários 7:10h, 11h e acho que 15h. Fora da alta temporada, só tem um horário: o ônibus passa em arraial 7:10h. Caso tenha dúvida, ligue para rodoviária de Porto seguro.
  15. OI Tenho certeza que só existe um horário por dia e é 14:30h. A pior notícia é que não vende pela internet. Quanto ao horário de Caravelas- Porto Seguro, eu não sei, porque fui para Alcobaça, mas você pode ligar para a empresa Expresso Brasileiro lá em Caravelas: (73) 3297-1422. Deve ter informação na homepage, mas eu não recomendo, porque constatei que o site estava desatualizado.
×